Página 1 dos resultados de 8718 itens digitais encontrados em 0.147 segundos

Promoção à saúde na atenção básica : estratégias do contexto brasileiro

Gotardo, Kelen
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
85.87%
No cenário da atenção básica no Brasil, a Saúde da Família tem se constituído importante espaço para o desenvolvimento de estratégias de promoção da saúde. Objetivou-se caracterizar as estratégias de promoção à saúde, voltadas à atenção básica no contexto brasileiro, a partir de produção científica publicada em anais de evento na área de Saúde Coletiva. Trata-se de uma análise documental baseada em Gill (2009), definida como análise de conteúdo de diversos formatos de documento ou de um determinado tipo específico, com objetivos específicos. Os resumos foram buscados nos anais do IX Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva. No tema promoção da saúde foram encontrados 403 resumos, sendo que 53 fizeram parte da amostra estudada após a aplicação dos critérios de inclusão. Os trabalhos foram apresentados por instituições de ensino superior como universidades e escolas de pós-graduação, principalmente classificados no eixo da “Ciência, tecnologia e inovação para o cumprimento dos princípios e diretrizes do SUS”. Na caracterização das estratégias de promoção à saúde se observou que a maioria das ações foram desenvolvidas em unidades básicas de saúde e centros/unidades/estratégias de saúde da família...

Grupos de promoção à saúde no desenvolvimento da autonomia, condições de vida e saúde

Santos,Luciane de Medeiros dos; Da Ros,Marco Aurélio; Crepaldi,Maria Aparecida; Ramos,Luiz Roberto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2006 PT
Relevância na Pesquisa
95.77%
O artigo apresenta a metodologia dos Grupos de Promoção à Saúde, concebida como um instrumento capaz de contribuir com o desenvolvimento da autonomia e condições de vida e saúde. O método é identificado como uma intervenção coletiva e interdisciplinar de saúde, constituída por um processo grupal e orienta para o desenvolvimento de atitudes e comportamentos direcionados à transformação contínua do nível de saúde e condições de vida dos seus participantes. Os Grupos são identificados no contexto do Sistema Único de Saúde como uma prática que contribui com a superação do modelo biomédico. Desenvolvem ações em que a saúde é tomada em sua positividade, ao mesmo tempo em que podem servir ao atendimento da demanda de assistência a idosos nos sistemas de saúde.

Promoção à saúde e educação: diagnóstico de saneamento através da pesquisa participante articulada à educação popular (Distrito São João dos Queiróz, Quixadá, Ceará, Brasil)

Mello,Dalva A.; Rouquayrol,Maria Zélia; Araújo,Dominique; Amadei,Marcelo; Souza,Janaina; Bento,Lourdes F.; Gondin,Janaina; Nascimento,Janine
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/1998 PT
Relevância na Pesquisa
115.78%
Este trabalho foi desenvolvido em uma comunidade rural ­ vila de São João dos Queiróz, Distrito do Município de Quixadá, Ceará, através da pesquisa participante articulada à educação popular, tendo como referencial a promoção à saúde de acordo com os princípios da Carta de Ottawa, 1986. Participaram do projeto representantes das diversas instituições públicas do distrito e entidades associativas ligadas ao movimento popular. O tema gerador, definido em assembléia da associação comunitária, foi o diagnóstico de saneamento, e o ponto de partida, o levantamento da condição situacional. Os resultados obtidos mostraram as precárias condições locais de saneamento, escolaridade, renda e trabalho. As sugestões para resoluções dos problemas foram organizadas para subsidiar a agenda de planejamento das políticas locais de saúde. A avaliação foi processual e enriquecida com práticas do cotidiano da pesquisa. A pedagogia problematizadora, desenvolvida durante o processo educativo, contribuiu para a construção e a reconstrução crítica dos conceitos de promoção à saúde e de saneamento, assim como para a efetivação da construção, apropriação e socialização dos conhecimentos produzidos.

Elementos para a elaboração de um projeto de promoção à saúde e desenvolvimento dos adolescentes: o olhar dos adolescentes

Muza,Gilson Maestrini; Costa,Marisa Pacini
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2002 PT
Relevância na Pesquisa
95.71%
Trata-se de um estudo que busca apreender as opiniões, sentimentos e saberes dos adolescentes escolares sobre a realidade vivida nas suas comunidades, com o propósito de implantar um projeto de promoção à saúde. Foi realizado um estudo qualitativo com adolescentes escolares de duas cidades-satélites do Distrito Federal, Brasil. A coleta de dados foi conduzida com a técnica do grupo focal. Foram realizados dois grupos focais com adolescentes com idade 13 e 17 anos e os dados foram submetidos a uma análise descritiva. Os resultados mostram que para esses adolescentes as ocupações do tempo livre são escassas. A falta de segurança e a inevitável convivência com a violência, assim como, a disseminação do uso abusivo de drogas são alguns dos problemas que enfrentam na comunidade. Os adolescentes entendem que a determinação dos problemas com os quais convivem sustenta-se na inexistência de um contexto social minimamente adequado e nas dificuldades de estabelecimento de relações interpessoais intrafamiliares saudáveis. Quando se trata do enfrentamento das condições atuais, o primeiro sentimento que emerge é de impotência, mas mostram ainda alguma disposição de envolvimento com o trabalho comunitário.

Os múltiplos sentidos da categoria "empowerment" no projeto de Promoção à Saúde

Carvalho,Sérgio Resende
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 PT
Relevância na Pesquisa
95.82%
Partindo da revisão de literatura e documentos relevantes da Promoção à Saúde, procedentes de países desenvolvidos ­ com destaque para a produção canadense ­, reflito sobre os múltiplos sentidos da categoria/estratégia "empowerment". Após uma breve síntese sobre o desenvolvimento conceitual do ideário da Promoção à Saúde, o ensaio analisa em profundidade aspectos teóricos do "empowerment", sugerindo classificá-lo em dois enfoques principais: o psicológico e o comunitário. Considera que o "empowerment" comunitário contribui para definir a Promoção à Saúde enquanto um projeto voltado para a transformação do status quoe a produção de sujeitos saudáveis. Concluo o ensaio explorando potenciais contribuições do "empowerment" social/comunitário para as práticas de educação à saúde e para a reorganização da rede de serviços do Sistema Único de Saúde.

As contradições da promoção à saúde em relação à produção de sujeitos e a mudança social

Carvalho,Sérgio Resende
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2004 PT
Relevância na Pesquisa
105.85%
Realizo um estudo que tem como objetivo analisar o modelo teórico-conceitual da promoção à saúde - e nela a formulação canadense - buscando refletir sobre o posicionamento desse projeto em relação aos temas da produção da saúde, do sujeito e da mudança social. Após assinalar a pluralidade de opiniões encontráveis na literatura sobre promoção, o trabalho discute o significado e as conseqüências do uso das categorias "risco" e "empowerment" junto com a Nova Promoção à Saúde/Nova Saúde Pública. Concluo pela necessidade de cautela na incorporação dos princípios e estratégias de promoção à saúde ao SUS uma vez que eles podem "significar tudo para todos" e, exatamente por isso, podem servir a proposições comprometidas com o status quo e, paradoxalmente, a projetos socialmente transformadores. Para que a última tendência se consolide, sugiro ser fundamental para a realidade brasileira reafirmar "a saúde como um direito e um dever do Estado", propondo como caminho para a efetivação de uma Promoção à Saúde "Saudável" a utilização do conceito de "empowerment comunitário".

Promoção à saúde e empoderamento: uma reflexão a partir das perspectivas crítico-social pós-estruturalista

Carvalho,Sérgio Resende; Gastaldo,Denise
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
95.84%
Neste trabalho, descrevemos o arcabouço teórico e as estratégias centrais da Promoção à Saúde, seguidos de uma análise crítica tanto intra como extra-paradigmática ao ideário do referido movimento. A partir de uma perspectiva intra-paradigmática, privilegiamos o enfoque ao qual se filia a Promoção à Saúde, as teorias crítico-sociais, para analisar um dos seus conceitos estruturantes - o conceito de empoderamento -, explorando seu potencial para a transformação das práticas comunitárias e profissionais em saúde. A seguir, refletimos sobre a Promoção à Saúde a partir de uma perspectiva extra-paradigmática, buscando nas teorias pós-estruturalistas novas possibilidades analíticas para entender as relações de poder que se estabelecem a partir das práticas e políticas de Promoção à Saúde. Ao longo deste artigo, articulamos os princípios teóricos explorados a questões contextuais e a debates atuais na área da saúde no Brasil.

Cultura e empowerment: promoção à saúde e prevenção da Aids entre prostitutas no Rio de Janeiro

Meis,Carla De
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
105.78%
Neste artigo, discutimos as dificuldades encontradas na realização de projetos de promoção à saúde entre grupos marginalizados, a partir de questionários e grupos de discussão realizados no trabalho de prevenção da aids entre prostitutas, no Mangue, no Rio de Janeiro (RJ), em 1989, passando pelas histórias de vida das prostitutas da Praça São João, em Niterói (RJ), e pelo movimento de prostitutas do Rio de Janeiro, durante a década de noventa. Na análise dos dados, observamos que, apesar de a saúde pública ver as prostitutas como um "grupo", estas raramente se viam dessa forma. Ou seja, enquanto a meta das agências de promoção à saúde e do movimento de prostitutas era a de construir uma comunidade de prostitutas que pudesse se organizar, lutando por seus direitos e cidadania, a maioria das prostitutas estudadas tinham uma representação negativa da sua atividade e, consequentemente, criavam narrativas que negavam o seu pertencimento ao grupo das prostitutas. Diante desse impasse, fica evidente a necessidade de se pensar o processo de empowerment e de organização comunitária, sempre levando em conta o contexto cultural do grupo em que se quer promover a saúde.

A inserção da equipe da Estratégia Saúde da Família em um Centro Municipal de Educação Infantil na promoção da saúde da criança

Santos, Ana Dulce Batista dos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; Assistência à Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; Assistência à Saúde
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
95.83%
The joint enters the teams of the Strategy Health of Family (ESF) and the Municipal Center of Infantile education (CMEI) blunts as a form to assure the monitoring and promotion to the health of the children of 2 the 5 years when entering the day-care center environment/daily pay-school. It was traced as objective: To analyze the actions developed for the team of the Strategy Health of the Family in the promotion the health of the child, taken care of in a CMEI. Description-exploratory is to a study, qualitative nature, the type research-action. Developed in a CMEI and the USF of the quarter of New City, Natal-RN. The population was constituted by the professionals of the team of the ESF and the CMEI and parents. During the stages of the research-action diverse techniques had been used as the individually interview and in group, focal group, comment participant, and daily of field. The analysis of the data occurred by means of the content analysis, in the thematic modality, proposal for Bardin (1977) and description of the stages of the research-action. In the stage of situational diagnosis that it investigates the reality lived deeply for the citizens of ESF and CMEI how much to the health of the child seven categories had emerged that they enclosed: the context of the attention child in the CMEI identifying the actions that already came being developed for the ESF in the CMEI; the functioning of the CMEI and its routine of activities; the paper of the CMEI in the care the child; the daily one of the ESF...

Razão e Fé: estudo do grupo de oração como prática complementar na promoção à saúde; Reason and Faith: a study of the prayer group as a complementary practice in the promotion of health

Siqueira, Vera Lúcia
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; Assistência à Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; Assistência à Saúde
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
105.81%
The World Health Organization (WHO) has given special attention to therapeutic procedures other than those practiced in conventional therapy, including homeopathy, phytotherapy, spiritual therapies and prayers, making possible the transition from a mere medicalizating model to a holistic view of the human being. This trend, earmarked in 1978 at the Alma-Ata Conference, questions the ability of technological and specialized medicine to solve the health problems of humankind. In Brazil, the onset of the Brazilian unified health system in 1988, introduced changes in the population s health care model where, within the scope of basic care, emphasis has been given to the Family Health Program since 1994. In this scenery, there is a broad area of complementary practices used in promoting health and preventing and treating diseases to support an understanding of the habits and beliefs underpinning popular practices. The purpose of this study was to analyze the perception users participating in the Peace and Balance group of the Family Health Unit of Nova Cidade, in Natal, Rio Grande do Norte, started in 1999, have of the relationship between the experience of prayer and the changes that may have taken place in their lives after joining the group. It is a case study of descriptive nature and qualitative approach. The data were collected during focus group interviews between January and February 2007...

Política nacional de promoção da saúde. 3. ed.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde
Fonte: Ministério da Saúde (MS) Publicador: Ministério da Saúde (MS)
Tipo: Documento de política
POT
Relevância na Pesquisa
95.72%
59 p.; Este documento visa apresentar as medidas propostas e tomadas pelo Governo garantir a saúde da população. Nele propõe-se que as intervenções em saúde ampliem seu escopo, tomando como objeto os problemas e as necessidades de saúde e seus determinantes e condicionantes, de modo que a organização da atenção e do cuidado envolva, ao mesmo tempo, as ações e os serviços que operem sobre os efeitos do adoecer e aqueles que visem ao espaço para além dos muros das unidades de saúde e do sistema de saúde, incidindo sobre as condições de vida e favorecendo a ampliação de escolhas saudáveis por parte dos sujeitos e das coletividades no território onde vivem e trabalham. Tendo como objetivo principal promover a qualidade de vida e reduzir vulnerabilidade e riscos à saúde relacionados aos seus determinantes e condicionantes – modos de viver, condições de trabalho, habitação, ambiente, educação, lazer, cultura, acesso a bens e serviços essenciais.

Política nacional de promoção da saúde. 2. ed.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde
Fonte: Ministério da Saúde (MS) Publicador: Ministério da Saúde (MS)
Tipo: Documento de governo
POT
Relevância na Pesquisa
95.72%
51 p.; Este documento visa apresentar as medidas propostas e tomadas pelo Governo garantir a saúde da população. Nele propõe-se que as intervenções em saúde ampliem seu escopo, tomando como objeto os problemas e as necessidades de saúde e seus determinantes e condicionantes, de modo que a organização da atenção e do cuidado envolva, ao mesmo tempo, as ações e os serviços que operem sobre os efeitos do adoecer e aqueles que visem ao espaço para além dos muros das unidades de saúde e do sistema de saúde, incidindo sobre as condições de vida e favorecendo a ampliação de escolhas saudáveis por parte dos sujeitos e das coletividades no território onde vivem e trabalham. Tendo como objetivo principal promover a qualidade de vida e reduzir vulnerabilidade e riscos à saúde relacionados aos seus determinantes e condicionantes – modos de viver, condições de trabalho, habitação, ambiente, educação, lazer, cultura, acesso a bens e serviços essenciais.

Grupos de promoção à saúde no desenvolvimento da autonomia, condições de vida e saúde; Health promotion groups for improving autonomy, living conditions and health

Santos, Luciane de Medeiros dos; Da Ros, Marco Aurélio; Crepaldi, Maria Aparecida; Ramos, Luiz Roberto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/04/2006 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
95.77%
O artigo apresenta a metodologia dos Grupos de Promoção à Saúde, concebida como um instrumento capaz de contribuir com o desenvolvimento da autonomia e condições de vida e saúde. O método é identificado como uma intervenção coletiva e interdisciplinar de saúde, constituída por um processo grupal e orienta para o desenvolvimento de atitudes e comportamentos direcionados à transformação contínua do nível de saúde e condições de vida dos seus participantes. Os Grupos são identificados no contexto do Sistema Único de Saúde como uma prática que contribui com a superação do modelo biomédico. Desenvolvem ações em que a saúde é tomada em sua positividade, ao mesmo tempo em que podem servir ao atendimento da demanda de assistência a idosos nos sistemas de saúde.; This article presents the methodology of Health Promotion Groups, which were conceived as a means of contributing towards developing autonomy, improving living conditions and promoting health. The method is identified as a collective and interdisciplinary health intervention, consisting of a group process. It guides the development of attitudes and behavioral patterns towards continually transforming participants' health levels and living conditions. The Health Promotion Groups are identified within the context of the National Health System (Sistema Único de Saúde) as a means of surpassing the biomedical model. It stimulates the development of actions in which the positive aspects of health are emphasized...

Grupos de promoção à saúde no desenvolvimento da autonomia, condições de vida e saúde

Santos,Luciane de Medeiros dos; Da Ros,Marco Aurélio; Crepaldi,Maria Aparecida; Ramos,Luiz Roberto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2006 PT
Relevância na Pesquisa
95.77%
O artigo apresenta a metodologia dos Grupos de Promoção à Saúde, concebida como um instrumento capaz de contribuir com o desenvolvimento da autonomia e condições de vida e saúde. O método é identificado como uma intervenção coletiva e interdisciplinar de saúde, constituída por um processo grupal e orienta para o desenvolvimento de atitudes e comportamentos direcionados à transformação contínua do nível de saúde e condições de vida dos seus participantes. Os Grupos são identificados no contexto do Sistema Único de Saúde como uma prática que contribui com a superação do modelo biomédico. Desenvolvem ações em que a saúde é tomada em sua positividade, ao mesmo tempo em que podem servir ao atendimento da demanda de assistência a idosos nos sistemas de saúde.

Elementos para a elaboração de um projeto de promoção à saúde e desenvolvimento dos adolescentes: o olhar dos adolescentes

Muza,Gilson Maestrini; Costa,Marisa Pacini
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2002 PT
Relevância na Pesquisa
95.71%
Trata-se de um estudo que busca apreender as opiniões, sentimentos e saberes dos adolescentes escolares sobre a realidade vivida nas suas comunidades, com o propósito de implantar um projeto de promoção à saúde. Foi realizado um estudo qualitativo com adolescentes escolares de duas cidades-satélites do Distrito Federal, Brasil. A coleta de dados foi conduzida com a técnica do grupo focal. Foram realizados dois grupos focais com adolescentes com idade 13 e 17 anos e os dados foram submetidos a uma análise descritiva. Os resultados mostram que para esses adolescentes as ocupações do tempo livre são escassas. A falta de segurança e a inevitável convivência com a violência, assim como, a disseminação do uso abusivo de drogas são alguns dos problemas que enfrentam na comunidade. Os adolescentes entendem que a determinação dos problemas com os quais convivem sustenta-se na inexistência de um contexto social minimamente adequado e nas dificuldades de estabelecimento de relações interpessoais intrafamiliares saudáveis. Quando se trata do enfrentamento das condições atuais, o primeiro sentimento que emerge é de impotência, mas mostram ainda alguma disposição de envolvimento com o trabalho comunitário.

As contradições da promoção à saúde em relação à produção de sujeitos e a mudança social

Carvalho,Sérgio Resende
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2004 PT
Relevância na Pesquisa
105.85%
Realizo um estudo que tem como objetivo analisar o modelo teórico-conceitual da promoção à saúde - e nela a formulação canadense - buscando refletir sobre o posicionamento desse projeto em relação aos temas da produção da saúde, do sujeito e da mudança social. Após assinalar a pluralidade de opiniões encontráveis na literatura sobre promoção, o trabalho discute o significado e as conseqüências do uso das categorias "risco" e "empowerment" junto com a Nova Promoção à Saúde/Nova Saúde Pública. Concluo pela necessidade de cautela na incorporação dos princípios e estratégias de promoção à saúde ao SUS uma vez que eles podem "significar tudo para todos" e, exatamente por isso, podem servir a proposições comprometidas com o status quo e, paradoxalmente, a projetos socialmente transformadores. Para que a última tendência se consolide, sugiro ser fundamental para a realidade brasileira reafirmar "a saúde como um direito e um dever do Estado", propondo como caminho para a efetivação de uma Promoção à Saúde "Saudável" a utilização do conceito de "empowerment comunitário".

Cultura e empowerment: promoção à saúde e prevenção da Aids entre prostitutas no Rio de Janeiro

Meis,Carla De
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
105.78%
Neste artigo, discutimos as dificuldades encontradas na realização de projetos de promoção à saúde entre grupos marginalizados, a partir de questionários e grupos de discussão realizados no trabalho de prevenção da aids entre prostitutas, no Mangue, no Rio de Janeiro (RJ), em 1989, passando pelas histórias de vida das prostitutas da Praça São João, em Niterói (RJ), e pelo movimento de prostitutas do Rio de Janeiro, durante a década de noventa. Na análise dos dados, observamos que, apesar de a saúde pública ver as prostitutas como um "grupo", estas raramente se viam dessa forma. Ou seja, enquanto a meta das agências de promoção à saúde e do movimento de prostitutas era a de construir uma comunidade de prostitutas que pudesse se organizar, lutando por seus direitos e cidadania, a maioria das prostitutas estudadas tinham uma representação negativa da sua atividade e, consequentemente, criavam narrativas que negavam o seu pertencimento ao grupo das prostitutas. Diante desse impasse, fica evidente a necessidade de se pensar o processo de empowerment e de organização comunitária, sempre levando em conta o contexto cultural do grupo em que se quer promover a saúde.

Promoção à saúde e educação: diagnóstico de saneamento através da pesquisa participante articulada à educação popular (Distrito São João dos Queiróz, Quixadá, Ceará, Brasil)

Mello,Dalva A.; Rouquayrol,Maria Zélia; Araújo,Dominique; Amadei,Marcelo; Souza,Janaina; Bento,Lourdes F.; Gondin,Janaina; Nascimento,Janine
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/1998 PT
Relevância na Pesquisa
115.78%
Este trabalho foi desenvolvido em uma comunidade rural ­ vila de São João dos Queiróz, Distrito do Município de Quixadá, Ceará, através da pesquisa participante articulada à educação popular, tendo como referencial a promoção à saúde de acordo com os princípios da Carta de Ottawa, 1986. Participaram do projeto representantes das diversas instituições públicas do distrito e entidades associativas ligadas ao movimento popular. O tema gerador, definido em assembléia da associação comunitária, foi o diagnóstico de saneamento, e o ponto de partida, o levantamento da condição situacional. Os resultados obtidos mostraram as precárias condições locais de saneamento, escolaridade, renda e trabalho. As sugestões para resoluções dos problemas foram organizadas para subsidiar a agenda de planejamento das políticas locais de saúde. A avaliação foi processual e enriquecida com práticas do cotidiano da pesquisa. A pedagogia problematizadora, desenvolvida durante o processo educativo, contribuiu para a construção e a reconstrução crítica dos conceitos de promoção à saúde e de saneamento, assim como para a efetivação da construção, apropriação e socialização dos conhecimentos produzidos.

Promoção à saúde e empoderamento: uma reflexão a partir das perspectivas crítico-social pós-estruturalista

Carvalho,Sérgio Resende; Gastaldo,Denise
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2008 PT
Relevância na Pesquisa
95.84%
Neste trabalho, descrevemos o arcabouço teórico e as estratégias centrais da Promoção à Saúde, seguidos de uma análise crítica tanto intra como extra-paradigmática ao ideário do referido movimento. A partir de uma perspectiva intra-paradigmática, privilegiamos o enfoque ao qual se filia a Promoção à Saúde, as teorias crítico-sociais, para analisar um dos seus conceitos estruturantes - o conceito de empoderamento -, explorando seu potencial para a transformação das práticas comunitárias e profissionais em saúde. A seguir, refletimos sobre a Promoção à Saúde a partir de uma perspectiva extra-paradigmática, buscando nas teorias pós-estruturalistas novas possibilidades analíticas para entender as relações de poder que se estabelecem a partir das práticas e políticas de Promoção à Saúde. Ao longo deste artigo, articulamos os princípios teóricos explorados a questões contextuais e a debates atuais na área da saúde no Brasil.

Os múltiplos sentidos da categoria "empowerment" no projeto de Promoção à Saúde

Carvalho,Sérgio Resende
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2004 PT
Relevância na Pesquisa
95.82%
Partindo da revisão de literatura e documentos relevantes da Promoção à Saúde, procedentes de países desenvolvidos ­ com destaque para a produção canadense ­, reflito sobre os múltiplos sentidos da categoria/estratégia "empowerment". Após uma breve síntese sobre o desenvolvimento conceitual do ideário da Promoção à Saúde, o ensaio analisa em profundidade aspectos teóricos do "empowerment", sugerindo classificá-lo em dois enfoques principais: o psicológico e o comunitário. Considera que o "empowerment" comunitário contribui para definir a Promoção à Saúde enquanto um projeto voltado para a transformação do status quoe a produção de sujeitos saudáveis. Concluo o ensaio explorando potenciais contribuições do "empowerment" social/comunitário para as práticas de educação à saúde e para a reorganização da rede de serviços do Sistema Único de Saúde.