Página 1 dos resultados de 104 itens digitais encontrados em 0.004 segundos

Estirpes resistentes por utilização de desinfetantes em produtos alimentares

Fernandes, Sara Alexandra dos Santos
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.82%
Trabalho Complementar apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de licenciada em Ciências da Nutrição Relatório de Estágio apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de licenciada em Ciências da Nutrição; Desde sempre que o Homem inclui os produtos hortícolas no seu padrão alimentar. Atualmente Portugal, apesar de várias contradições e discórdias está inserido no padrão alimentar mediterrâneo, em que os produtos hortícolas são um dos grupos alimentares com maior expressão e importância para a saúde de quem o pratica. Hortaliças e legumes pertencem ao grupo alimentar dos produtos hortícolas e são essenciais para a realização de uma alimentação saudável, tendo em consideração que esta deve ser praticada diariamente. Este grupo alimentar é um grande fornecedor de micronutrientes, fibras e ainda de alguns compostos designados como protetores, de que são exemplo, os flavonóides. Estes são alimentos de elevado valor nutricional pois contêm uma enorme quantidade de micronutrientes, tais como ferro, potássio e cálcio, porém possuem um valor calórico relativamente baixo. As hortaliças e legumes comtemplados para este estudo foram a alface – Lactuca sativa L....

Perceção do risco das embalagens de hortofrutícolas por parte dos consumidores

Fernandes, Rita Isabel de Carvalho
Fonte: Universidade Aberta de Portugal Publicador: Universidade Aberta de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.44%
Dissertação de Mestrado em Ciências do Consumo Alimentar apresentada à Universidade Aberta; As escolhas alimentares são influenciadas por diversas mudanças, destacando-se entre outros, o envelhecimento da população, a evolução da tecnologia e a valorização económica do trabalho da mulher. O mercado dos produtos hortofrutícolas acompanhou estas evoluções, muito em parte, devido à embalagem, impulsionando a indústria alimentar. O presente estudo pretendeu avaliar a perceção do risco das embalagens de hortofrutícolas, por parte dos consumidores, concentrando-se na avaliação dos benefícios e preocupações face às embalagens de hortofrutícolas frescos inteiros e frescos pré-cortados prontos a consumir. Para o efeito, desenvolveram-se dois estudos dirigidos a consumidores: um estudo exploratório que procurou aferir sobre os benefícios e perigos referidos espontaneamente pelos inquiridos sobre os produtos em estudo, sendo que no segundo estudo, considerou-se a perceção do risco face aos produtos hortofrutícolas embalados inteiros e pré-cortados prontos a consumir. Os resultados da pesquisa indicaram, que o benefício mais valorizado para os produtos embalados de hortofrutícolas inteiros foi associado ao fator “qualidade”...

O uso do ozônio como sanitizante em pós-colheita de produtos agrícolas; The use of ozone as sanitizing agent on post-harvest of agricultural products

Pezzi, Ernani
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.37%
Este trabalho aborda o uso do ozônio (O3) como agente sanitizante em pós-colheita de produtos agrícolas. Trata-se de uma tecnologia relativamente nova e ainda pouco difundida no meio produtivo no Brasil. Por isso, são escassas as informações disponíveis sobre a eficácia, benefícios e limites do seu emprego para essa aplicação em frutas, hortaliças e grãos. Os dados aqui apresentados se baseiam na revisão bibliográfica de trabalhos experimentais e nas informações técnicas disponibilizadas por fornecedores de tecnologias do ozônio. Dois conhecidos produtores e comerciantes de frutas no estado do Rio Grande do Sul também foram ouvidos. O ozônio é um agente biocida de bactérias, fungos, leveduras e vírus. Tem alto poder de oxidação, inativa rapidamente os microorganismos e ao decompor-se não deixa resíduos. É reconhecido oficialmente como agente sanificante seguro de alimentos. Vários estudos evidenciaram a eficácia da ozonização, sozinha ou associada a outras técnicas sanitizantes, no controle de diversas espécies de fungos, bem como sua ação sobre os parâmetros de qualidade dos produtos tratados. Em alguns casos, foi reportada ineficácia contra outros agentes patogênicos em algumas frutas, dependendo das concentrações. A tecnologia do ozônio ainda requer mais pesquisa para estabelecer o seu potencial de uso como sanitizante em pós-colheita de produtos hortícolas e na armazenagem de grãos.; This study evaluates the use of ozone as a sanitizing agent on postharvest of agricultural produce. It is a relatively new technology with little diffusion among producers in Brazil. Thus...

Analise dos parametros relacionados ao resfriamento a ar forçado em embalagens para produtos horticolas

Larissa Rodrigues de Castro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/11/2004 PT
Relevância na Pesquisa
46.94%
Esta pesquisa teve como objetivo desenvolver uma metodologia para o projeto dos orifícios de embalagens para frutas e hortaliças submetidas ao processo de resfriamento rápido a ar forçado. Tendo em vista as altas perdas registradas anualmente sobretudo devido à falta de embalagens adequadas e armazenagem frigorificada, tal metodologia poderá auxiliar de forma prática e precisa a escolha da configuração dos orifícios da embalagem para maximização da eficiência do resfriamento rápido de produtos hortícolas. Esta ferramenta deverá ser utilizada em combinação com demais tecnologias existentes para o projeto de uma embalagem suficientemente atrativa ao consumidor e que atenda não apenas às necessidades do produto submetido a tratamentos pós-colheita, como também à resistência estrutural da caixa, possibilitando inclusive sua higienização, reutilização e desmontagem, visando reduzir custos de confecção e transporte. Para atingir a meta da pesquisa, os produtos hortícolas acondicionados em embalagens foram representados por produtos-modelo nos experimentos laboratoriais. Vários materiais e arranjos experimentais foram testados até se chegar à simulação de uma embalagem com um grupo de esferas plásticas sólidas instrumentadas. Estas simularam com maior precisão a distribuição do ar através de um leito de produtos hortícolas durante o resfriamento rápido a ar forçado. A partir dos resultados obtidos para o coeficiente de resfriamento das esferas...

Banco de dados de propriedades termofisicas de produtos horticolas; Database of thermophysical properties of fruits and vegetables

Juliana Swensson de Mattos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.32%
Frutas e hortaliças, após a colheita, podem ser submetidas a processos térmicos, dentre o quais: aquecimento, resfriamento e congelamento. O conhecimento das propriedades termofísicas: densidade, calor específico, condutividade e difusividade térmica, é de grande importância, para o dimensionamento de equipamentos utilizados para o controle dos processos que envolvem transferência de calor. Devido à heterogeneidade da composição dos materiais biológicos, a modelagem e otimização dos processos, dependem de parâmetros como: teor de umidade, estrutura do produto e faixa de temperatura utilizada, que podem variar durante o processo. Os valores experimentais de propriedades termofísicas de frutas e hortaliças podem ser determinados por diversos métodos, variando os seguintes parâmetros: temperatura, concentração de sólidos solúveis e umidade. Uma grande quantidade desses dados encontra-se publicada na literatura nacional e internacional, porém ainda dispersos, não disponíveis em um banco de dados que agrupe os valores das propriedades por tipo de produto, método e faixa de temperatura utilizada, erro ou desvio padrão, equações, dentre outras informações. Para alguns produtos esses dados são inexistentes...

Excesso de peso e obesidade em crianças : implementação e avaliação de um programa de intervenção na escola

Rosário, Rafaela
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 23/03/2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.85%
Tese de doutoramento Estudos da Criança (área de especialização em Saúde Infantil); A investigação que aqui apresentamos estudou o impacte de um programa de intervenção, transmitido e intervencionado por professores com formação no âmbito da nutrição, na antropometria e consumo alimentar em crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 12 anos de Guimarães. Participaram neste estudo randomizado quatrocentas e sessenta e quatro crianças de sete escolas primárias, três (cluster) das quais constituíram aleatoriamente o grupo de intervenção e quatro (cluster) o controlo. Desenvolvemos e implementámos um programa de intervenção entre Outubro de 2008 e Março de 2009 que incluiu formação para professores sobre ensino da alimentação saudável a crianças, de forma a que pudessem posteriormente, intervir como educadores junto das crianças. Os professores intervencionados tiveram doze sessões de formação de três horas cada ministradas quinzenalmente durante seis meses, cujos conteúdos foram os seguintes: nutrição e alimentação saudável (quatro sessões, doze horas); a importância da água (uma sessão, três horas); estratégias para potenciar o consumo de fruta e produtos hortícolas...

Percepção da qualidade de hortícolas numa amostra de estudantes universitários

Macedo, Susana Margarida Moreira de
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
57.05%
Nos últimos anos tem-se assistido a um crescente interesse pela qualidade alimentar e em particular pela percepção da qualidade pelo consumidor. O objectivo deste estudo foi o de compreender quais são as características de qualidade que os estudantes da Universidade da Aveiro procuram quando compram produtos hortícolas. Pretendeu-se também compreender de que forma a percepção de qualidade irá influenciar a escolha destes produtos e se esta varia de acordo com aspectos socio-económicos. A pesquisa foi realizada em 2 partes distintas. No estudo inicial utilizou-se uma metodologia qualitativa, os focus groups para obter informação sobre hábitos de consumo de hortícolas, atitudes perante os hortícolas, percepção de qualidade dos hortícolas e a sua relação com o consumo. No segundo estudo aplicaram-se questionários a uma amostra de estudantes de licenciatura da Universidade de Aveiro. Os resultados demonstraram que os consumidores utilizam atributos de qualidade para avaliar os hortícolas no momento da compra, em particular a frescura, o aspecto, cheiro, cor, ausência de pragas (extrínsecos) e a higiene e organização da loja (intrínsecos). Os atributos de produção não são valorizados e tornam-se confusos para os estudantes. Verificaram-se diferenças na percepção de qualidade dos hortícolas de acordo com a independência de casa dos pais e a proveniência de um meio rural...

Projeto de uma Indústria de Produtos Minimamente Processados

Guiné, Raquel
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.37%
Os produtos hortícolas, também denominados de vegetais, constituem o principal componente da dieta humana, pois são grandes fornecedores de vitaminas, sais minerais e fibras. No entanto, os novos ritmos de vida aumentaram a procura de vegetais de fácil utilização, sem que percam as características de frescos e que continuem a apresentar uma boa qualidade. Surgem, assim, os produtos minimamente processados (IV Gama). No âmbito da disciplina de Seminário de Projeto do curso de Licenciatura em Engenharia das Indústrias Agroalimentares da ESAV, foi realizado um trabalho com vista ao projeto de uma unidade industrial de processamento de produtos de IV gama: sopas e saladas, do qual se apresenta um extrato. Os estudos realizados permitem concluir que a implantação da indústria em causa teria condições de sucesso, e com algum investimento em publicidade e marketing, poderia vir a ganhar quota de mercado, não só na região como a nível nacional. No que respeita à análise de rentabilidade efetuada, conclui-se que o projeto apresenta boas perspetivas de rentabilidade.

Ocorrência de derivados azotados em alguns produtos destinados à alimentação infantil : nitratos e nitritos

Monteiro, Ana Patrícia de Almeida
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.91%
Tese de mestrado, Controlo de Qualidade e Toxicologia dos Alimentos, Universidade de Lisboa, Faculdade de Farmácia, 2014; Os nitratos (NO3-) são constituintes azotados que podem ser encontrados no meio ambiente em consequência do ciclo do azoto e da utilização de fertilizantes. Os nitritos (NO2-) são utilizados em maior escala como conservantes alimentares. Os fertilizantes azotados têm vindo a ser utilizados de forma excessiva, com o intuito de promover o crescimento das culturas, de forma a acelerar a produção de produtos hortícolas e a aperfeiçoar as características das culturas. Consequentemente, tem-se verificado um aumento do teor de nitratos nas plantas e no solo, resultando na contaminação dos recursos hídricos, os quais, podem de forma indireta contaminar também os produtos hortícolas. Estes géneros alimentícios representam assim, a maior fonte de exposição a nitratos. A toxicidade dos nitratos resulta da sua conversão em nitritos e em compostos N-nitroso, sendo a metahemoglobinémia um dos principais efeitos adversos do consumo de nitratos, que pode, nos casos mais graves, causar a morte. A alimentação durante a infância revela-se de extrema importância para o desenvolvimento adequado das crianças...

Diversidade filogenética e resistência a antibióticos de bactérias isoladas de produtos hortícolas

Lage, Patrícia Pinheiro
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.58%
Dissertação de Mestrado em Biotecnologia e Qualidade Alimentar; Segurança e qualidade na produção de alimentos frescos são dependentes da microbiota, assim cada etapa da fileira de produção, desde o plantio até o consumo final, influência a qualidade microbiológica do alimento. Factores como a manipulação inadequada, falta de regras de higiene, podem levar a um aumento do crescimento microbiano comprometendo a qualidade e segurança dos vegetais frescos. Com o presente trabalho pretende-se, de algum modo, fazer uma abordagem à diversidade filogenética existente neste tipo de produtos e o seu nível de resistência a antibióticos. Foram analisadas oito amostras de produtos hortícolas frescos: salsa - Petrosolium sativum (n=1); alface - Lactuca sativa (n=3); agrião - Nasturtium officinale (n=2); coentros - Coriandrum sativum (n=1) e Mesclum - salada composta por rucola selvagem, alface frisada roxa, acelga vermelha e mizuna (n=1), procedentes de uma superfície comercial de Vila Real. Obtiveram-se um total de 109 isolados (107 de Gram negativo e 2 de Gram positivo). A identificação dos isolados foi realizada por biotipificação numérica (API 20E, API 20NE e API Staph). Para alguns dos isolados foi realizada a identificação por sequenciação do gene 16S rDNA e gyrB...

O comércio intra-sectorial no sector agro-alimentar em Portugal : o cluster de produtos competitivos

Hagatong, Cristina; Faustino, Horácio
Fonte: ISEG - Departamento de Economia Publicador: ISEG - Departamento de Economia
Tipo: Outros
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.45%
Com base nos dados de comércio para os 27 países da União Europeia e para os 10 principais parceiros comerciais no resto do mundo, este trabalho analisa a evolução do comércio intra-sectorial total e por tipos (comércio intra-sectorial horizontal e vertical) na indústria agro-alimentar (IAA) Portuguesa para o período 2000-2008. Utilizando uma desagregação a 5 dígitos da CAE, o estudo analisa os 20 principais do comércio bilateral (produtos em que o comércio- exportações mais importações- é mais elevado) sendo os índices ao nível da indústria calculados como média ponderada dos índices ao nível do produto. A análise para a IAA permite-nos concluir que este sector acompanha a evolução do nosso país como país desenvolvido em termos do padrão de comércio dos produtos industriais. Ao longo do período em análise houve um aumento do conteúdo intra-sectorial no comércio dos produtos da IAA e o comércio intra-sectorial é predominantemente do tipo vertical. Os resultados evidenciam, também, que os nossos principais parceiros comerciais em termos de comércio intra-sectorial na IAA são a Espanha (com grande destaque), a Itália, a França e a Bélgica e a Alemanha, coincidindo, em termos gerais, com aqueles que são os nossos principais parceiros comerciais. Na análise para os países extra- Comunitários destaca-se o Canadá. Na análise microeconómica destacam-se a produção de vinhos comuns e licorosos...

Higiene de embalagens de produtos horofrutículas, comparação entre embalagens de madeira e de plástico

Abrantes, Ana Isabel de Carvalho
Fonte: FCT - UNL Publicador: FCT - UNL
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
36.7%
Dissertação apresentada na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa para obtenção do grau de Mestre em Tecnologia e Segurança Alimentar; No acondicionamento de produtos hortofrutícolas, o material mais utilizado tradicionalmente era a madeira. No entanto, actualmente, a tendência tem sido a sua substituição por caixas de plástico. Os argumentos apresentados relacionam-se com o facto das embalagens de plástico serem mais duradouras, poderem ocupar menos espaço quando vazias, pois podem ser encastráveis ou rebatidas, e, sobretudo, devido ao facto do plástico ser um material considerado mais higiénico e de mais fácil limpeza do que a madeira. Face a esta situação, o objectivo deste trabalho foi o de determinar se a madeira é na realidade um material menos higiénico, em termos de contaminação microbiana (bactérias, bolores e leveduras), do que o seu principal competidor, o plástico. Para avaliar, do ponto de vista do factor higiene, as embalagens de madeira e as embalagens de plástico, programaram-se três ensaios. No primeiro ensaio (Ensaio 1), pretendeu-se estudar e comparar a contaminação microbiana verificada em embalagens de madeira e de plástico. Neste caso, caracterizaram-se...

Alterações nutricionais, organolépticas e de textura dos produtos hortícolas conservados – Uma revisão

Frija, Sara Nabeira
Fonte: Faculdade de Ciências e Tecnologia Publicador: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.8%
Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Tecnologia e Segurança Alimentar; A ingestão de produtos hortícolas em quantidades adequadas tem sido associada à prevenção e/ou redução do risco de alguns tipos de doença. Após a colheita, os produtos hortícolas são susceptíveis de degradação, com consequências em termos da segurança e da qualidade do alimento. Neste caso, a utilização de métodos de conservação pode ser a solução de forma a garantir a manutenção da qualidade do produto a longo prazo com uma perda de qualidade nutricional e organoléptica mínima, podendo ainda agregar valor ao produto final. No entanto, podem também induzir alterações nestes alimentos. Relativamente aos métodos de conservação estudados, no que diz respeito ao tempo de conservação, a secagem, a fermentação, conservação pelo calor, congelação e radiação ionizante, são os métodos que permitem que os vegetais sejam conservados por períodos mais longos. A refrigeração, HPP, conservação por modificação da atmosfera, e a utilização de biofilmes, adiantam o tempo de vida útil dos produtos em apenas alguns dias. No que concerne a perdas nutricionais, a maioria dos métodos conduz à perda de vitamina C. Há ainda perda de vitaminas hidrossolúveis...

Quantificação de metais pesados e de musks sintéticos em produtos alimentares

Saraiva, Marina Amaral
Fonte: Universidade Nova de Lisboa Publicador: Universidade Nova de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /09/2014 POR
Relevância na Pesquisa
56.85%
O presente trabalho surgiu com dois objectivos principais: avaliar o grau de contaminação, por metais pesados, em produtos hortícolas de duas zonas diferenciadas e avaliar as diferenças de concentrações de musks em diferentes amostras biológicas. Numa primeira fase, perante os resultados obtidos para os metais pesados nas duas zonas diferenciadas (Vila Nova de Mil Fontes e Carrasqueira) foi possível avaliar o risco de exposição das duas populações. Os produtos hortícolas utilizados no estudo do grau de contaminação foram: alfaces, couves, batatas e tomates. Numa tentativa de identificar uma possível fonte de contaminação foi analisado igualmente a água utilizada para rega e o solo que rodeava a cultura. O método usado na determinação foi a espectrometria de massa acoplada a plasma induzido (ICP-MS). Foram analisados os seguintes elementos: Manganês, Arsénio, Cádmio, Cobalto, Cobre, Chumbo, Estrôncio, Níquel, Crómio, Selénio e Zinco. Houve grandes variações das concentrações dos elementos entre as duas zonas em que os hortícolas, água e solo foram colhidos. Em todas as amostras, os elementos maioritários foram o zinco, o manganês e o estrôncio. Nas culturas, o chumbo era o elementos que apresentava concentrações mais baixas. Para a água utilizada nas regas...

Gestão de compra de produtos hortícolas por varejistas: análise de estratégias empresariais

Pelição,Thiago Zanon; Neves,Marcos Fava; Martinelli,Dante Pinheiro
Fonte: Universidade Federal de São Carlos Publicador: Universidade Federal de São Carlos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1999 PT
Relevância na Pesquisa
46.72%
Este trabalho tem como objetivo descrever e analisar três casos (envolvendo seis empresas) de relação entre varejistas e produtores de hortícolas, com base no referencial teórico de alianças estratégicas proposto por GATTORNA & WALTERS (1996). Para isto estas seis empresas foram visitadas e foram entrevistadas em profundidade para se entender como se dá a transação, as alternativas ao formato em execução, os riscos, fatores de estabilidade e outros considerados no Modelo.

Seguimento do perfil do solo no corte e/ou levantamento de produtos agrícolas rasteiros

Braunbeck,Oscar A.; Magalhães,Paulo S. G.
Fonte: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG Publicador: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2002 PT
Relevância na Pesquisa
36.32%
Durante a colheita ou o carregamento de produtos rasteiros como feijão, cana-de-açúcar e alguns produtos hortícolas, torna-se necessário seguir com precisão o perfil do solo sem que os garfos levantadores se afastem nem penetrem no solo, para evitar perdas no primeiro caso ou contaminação do produto com sílica e bactérias, no segundo caso. O seguimento do perfil poderá ser feito por mecanismos ativos ou passivos, cujos cortadores ou levantadores possam ser sustentados por barras articuladas com centros instantâneos de rotação virtual ou real, de cuja localização depende o desempenho de flutuação o qual, por sua vez, depende também da localização do ponto de referência utilizado para o controle de altura, que deve estar próximo do ponto de levantamento ou corte do produto. Os casos particulares de uma ponteira articulada utilizada na barra de corte das colhedoras combinadas e do cortador de disco duplo das colhedoras Australianas de cana-de-açúcar, são analisados. Formas alternativas de se melhorar o desempenho de seguimento do perfil do solo são apresentadas, incluindo resultados para mecanismos passivos de pequena e grande massa, assim como um mecanismo ativo que utiliza modelos dinâmicos da plataforma para efetuar o controle retroalimentado de posição.

Cinco chaves para o cultivo de frutos e produtos hortícolas mais seguros: promoção da saúde pela diminuição da contaminação microbiológica

Organização Mundial de Saúde
Fonte: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP Publicador: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP
Tipo: Livro
Publicado em 30/10/2015 POR
Relevância na Pesquisa
67.11%
O manual é acompanhado de um poster.; A importância dos frutos e produtos hortícolas em dietas saudáveis e nutritivas é bastante reconhecida e, nos últimos anos, os consumidores têm sido encorajados a aumentar o consumo destes produtos. Ao mesmo tempo, os problemas de segurança alimentar associados ao consumo de frutos frescos e produtos hortícolas contaminados com microrganismos estão a aumentar. Os recentes surtos de toxinfeção alimentar ligados ao consumo de verduras, tomates, rebentos e pimentos demonstram claramente que o consumo de frutos e produtos hortícolas contaminados representa uma importante fonte de doenças de origem alimentar. Os esforços para minimizar a contaminação microbiológica de frutos e produtos hortícolas frescos são essenciais e oportunos. Este manual promove a compreensão das relações entre a saúde dos seres humanos, animais e o meio ambiente e de como as falhas nas boas práticas de higiene num setor podem afetar os restantes. O documento descreve as boas práticas para reduzir a contaminação microbiológica de frutos e produtos hortícolas frescos durante a sementeira/plantação, crescimento, colheita e armazenamento. O manual foi concebido para apoiar a educação em segurança alimentar dos trabalhadores rurais...

Carotenoides em frutos e produtos hortícolas tradicionais portugueses

Dias, M. Graça; Oliveira, Luísa
Fonte: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP Publicador: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 08/04/2015 POR
Relevância na Pesquisa
66.72%
Objetivos: O principal objetivo deste estudo foi conduzir uma investigação sobre o potencial valor alimentar de frutos e produtos hortícolas tradicionais portugueses, focada nos carotenoides, -caroteno, -caroteno, -criptoxantina, licopeno, luteína e zeaxantina, sobre os quais a Tabela Portuguesa de Composição de Alimentos é omissa. Pretendeu-se assim contribuir para colmatar a escassez de dados analíticos da composição de alimentos produzidos em Portugal, essenciais em domínios científicos relacionados com a saúde humana, na regulamentação e legislação, na agricultura e no ambiente.

Modelagem de uma embalagem de papelão ondulado para produtos horticolas

Paulo Roberto Abreu de Figueiredo
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
56.63%
Este estudo procurou reunir as informações e metodologias utilizadas na modelagem do papelão ondulado pelo método dos elementos finitos com o objetivo de realizar sua modelagem usando-se o programa de elementos finitos ANSYS, assim como identificar as vantagens e restrições encontradas em cada forma de modelagem, com a finalidade de se obter um modelo de embalagem, com aberturas, destinadas aos produtos hortícolas. Das informações existentes na literatura foram identificadas três formas de representação das estruturas pelo método dos elementos finitos, ou sejam: o modelo de papelão ondulado com miolo estrutural (ME); o modelo de placa ortotrópica homogênea em camadas com miolo como forma de sanduíche (Ms); e o modelo de placas ortotrópicas homogêneas de camada única idealizada (M1). Os resultados mostraram que as estruturas modeladas na forma ME tiveram os valores correspondentes aos ensaios práticos quando se acrescentou aos miolos uma camada adesiva. Para os modelos de elementos finitos em forma de camadas tipo sanduíche (Ms), a aproximação aos valores obtidos nos ensaios experimentais foi possível obter um ajuste muito bom, desde que os valores atribuidos para os módulos de cisalhamento e torcionais tivessem uma redução que os aproximasse dos valores reais. Seguindo este mesmo procedimento...

Importações agropecuárias brasileiras: uma avaliação dos produtos líderes no período 1989-2012; Texto para Discussão (TD) 1970: Importações agropecuárias brasileiras: uma avaliação dos produtos líderes no período 1989-2012; Brazilian agricultural imports: an evaluation of the leading products in the period 1989-2012

Freitas, Rogério Edivaldo
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
36.66%
O objetivo principal deste estudo foi mapear que produtos agropecuários foram constante ou regularmente importados pelo Brasil no período 1989-2012. Cotejando-se as importações agropecuárias com as importações totais brasileiras – com base em instrumental estatístico básico –, é possível observar custo decrescente das importações agroalimentares em face das despesas totais de importações no Brasil. Ademais, observou-se grande incidência de importações para as classes dos produtos hortícolas, cereais, frutas e óleos animais ou vegetais, secundados pelas importações de leite e laticínios, bebidas e vinagres, animais vivos, carnes e miudezas, sementes e oleaginosos, preparações de hortícolas e preparações alimentícias. Continuidades do estudo incluem diversas iniciativas, entre as quais, por exemplo, efetivar levantamento equivalente em nível dos insumos empregados pelas unidades produtivas a jusante das cadeias agroindustriais. De igual modo, seria útil investigar se vale a pena o Brasil ampliar sua produção interna nos produtos em que foram constatadas importações intermitentes.; 29 p. : il.