Página 1 dos resultados de 85 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Estudo comparativo entre a via de acesso minimamente invasiva posterior e a via de acesso lateral direta nas artroplastias totais do quadril não cimentadas; Prospective comparative study of the minimally invasive posterior approach and the direct lateral approach to total hip uncemented arthroplasty

Vicente, José Ricardo Negreiros
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 21/11/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.37%
Um estudo terapêutico comparativo prospectivo é realizado para avaliar o acesso posterior minimamente invasivo em artroplastia total do quadril comparado com o acesso lateral direto tradicional. O estudo inclui 76 pacientes submetidos à artroplastia total do quadril primárias não cimentadas por diagnóstico de osteoartrose primária e secundária. Não são incluídos, pacientes com qualquer tipo de coagulopatia, em uso de anticoagulantes ou antiagregante plaquetário, pacientes hipertensos sem controle medicamentoso, pacientes submetidos à qualquer cirurgia prévia do quadril, e pacientes com seqüela de displasia do desenvolvimento do quadril que tenham a cabeça femoral ectópica. O objetivo principal deste estudo é avaliar a perda volêmica que ocorre nestes pacientes. Há diferença de média de idade (p=0,017) no acesso minimamente invasivo (50,1 anos) em relação ao grupo controle (56,8 anos), porém não observamos diferenças entre os grupos quanto ao índice de massa corpórea, lado operado e diagnóstico inicial. Observa-se um sangramento menor (p<0,001) no período intra-operatório (745,6 ml contra 1282,8 ml), assim como, menor sangramento total (p<0,001) no acesso minimamente invasivo posterior (1083,5 ml contra 1682...

Estudo prospectivo e randomizado da revascularização do miocárdio minimamente invasiva com dissecção da artéria torácica interna esquerda por videotoracoscopia robótica; Robotic left internal mammary artery harvesting for single vessel minimally invasive coronary bypass: a randomized controlled trial

Milanez, Adriano Márcio de Melo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.33%
Objetivos: O objetivo desse estudo foi comparar a perviedade da artéria torácica interna esquerda (ATIE) dissecada por videotoracoscopia robótica para revascularização minimamente invasiva do ramo interventricular anterior (RIA) com a revascularização do miocárdio convencional. Métodos: De 2007 a 2010, 36 pacientes foram randomizados para revascularização do miocárdio minimamente invasiva (RMMI) ou revascularização do miocárdio convencional (RMC). Pacientes randomizados para o grupo RMMI foram submetidos à dissecção da ATIE por videotoracoscopia auxiliada pelo braço robótico AESOP seguida de uma minitoracotomia anterior esquerda no 4º espaço intercostal para anastomose com o RIA. Pacientes randomizados para o grupo RMC foram submetidos a revascularização do miocárdio convencional com esternotomia mediana completa, dissecção aberta da ATIE e anastomose ao RIA. Fluxometria por tempo de trânsito (FTT) foi utilizada para avaliação da perviedade da ATIE imediata. Após 24 meses uma tomografia multislice foi utilizada para avaliar a perviedade a médio prazo da ATIE. Resultados: O tempo médio de dissecção da ATIE no grupo RMMI foi de 50,1 ± 11,2 vs. 22,7 ± 3,3 min no grupo RMC. Não houve diferença significativa no fluxo médio da ATIE para o RIA entre os grupos estudados (46...

Cirurgia valvar mitral e da comunicação interatrial: abordagem minimamente invasiva ou por esternotomia

Castro Neto,Josué V.; Melo,Emanuel; Fernandes,Juliana; Gomes,Regina; Freitas,Caroline; Machado,João; Martins,Francisco; Barbosa,Aloísio; Oliveira,Bernardo; Gondim,Cesar
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.34%
FUNDAMENTO: Para diminuir o trauma cirúrgico em procedimentos cardiovasculares, técnicas Minimamente Invasivas (MI) foram alternativamente introduzidas. OBJETIVO: Comparar o acesso cirúrgico MI com a Esternotomia Mediana (EM) para tratar a cardiopatia valvar mitral (VM) e a Comunicação Interatrial (CIA). MÉTODOS: Estudo prospectivo onde quarenta pacientes foram submetidos a cirurgia para correção de cardiopatia VM ou CIA. Foram divididos em: grupo A (GA) (n = 20), de acesso por minitoracotomia direita com videoassistência, e grupo B (GB) (n = 20), de acesso por EM. Comparamos: tempo de pinçamento aórtico e circulação extracorpórea, tempo de permanência na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), tempo de hospitalização e morbidade. RESULTADOS: Quinze pacientes foram submetidos a procedimento VM e 5 a correção de CIA, em cada grupo. Houve nove trocas mitrais (sete bioprotéticas e duas mecânicas) e seis reconstruções no GA, e 10 trocas (todas bioprotéticas) e cinco reconstruções no GB. As médias de tempo de pinçamento aórtico e circulação extracorpórea, em minutos, foram 65,1 ± 29,3 no GA, e 50,2 ± 21,4 no GB (p = 0,074); e 91,8 ± 35 no GA, e 63,7 ± 27,3 no GB (p = 0,008). As médias de tempo de UTI, em horas...

Procedimentos Minimamente Invasivos ? Formas Direta e Videoassistida no Tratamento das Cardiopatias

Castro Neto,Josué Viana; Melo,Emanuel Carvalho; Silva,Juliana Fernandes; Rebouças,Leonardo Lemos; Corrêa,Larissa Chagas; Germano,Amanda de Queiroz; Machado,João José Aquino
Fonte: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC Publicador: Sociedade Brasileira de Cardiologia - SBC
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
96.91%
Fundamento: Procedimentos cardiovasculares minimamente invasivos têm sido progressivamente empregados no tratamento das cardiopatias. Objetivo: Descrever as técnicas e os resultados imediatos dos procedimentos minimamente invasivos ao longo de uma experiência de 5 anos. Métodos: Estudo unicêntrico, descritivo e prospectivo, com abordagem quantitativa, no qual 102 pacientes foram submetidos a procedimentos minimamente invasivos de forma direta e de forma videoassistida. Foram avaliadas variáveis clínicas, operatórias e evolução imediata dos pacientes operados. Resultados: Quatorze pacientes foram submetidos a procedimentos minimamente invasivos diretos e 88 a videoassistidos. Entre os submetidos a procedimentos minimamente invasivos diretos, 13 tinham cardiopatia valvar aórtica. Entre os submetidos a procedimentos minimamente invasivos videoassistidos, 43 tinham cardiopatia valvar mitral, 41 defeito do septo interatrial e quatro tumores. Entre os portadores de cardiopatia valvar mitral, foram realizadas 26 trocas e 17 reconstruções valvares. As médias de tempo de clampeamento aórtico, de extracorpórea e do procedimento foram, respectivamente...

Artroplastia minimamente invasiva do joelho

Motta Filho,Geraldo Rocha; Cavanellas,Naason
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2007 PT
Relevância na Pesquisa
66.33%
A artroplastia total do joelho é, tradicionalmente, realizada através de um acesso anterior de aproximadamente 20cm de comprimento, utilizando uma artrotomia no intervalo entre os músculos reto femoral e vasto medial. Esse acesso fornece excelente exposição articular, mas interfere com a integridade suprapatelar, o que poderia ser responsável por aderências que dificultariam a recuperação mais precoce da flexão do joelho. Diversas publicações concluíram que os cirurgiões estão mais satisfeitos que seus pacientes com os resultados clínico-funcionais das artroplastias totais do joelho. Dessa forma, a utilização de um acesso minimamente invasivo poderá proporcionar a redução do período de hospitalização, diminuir a intensidade da dor pós-operatória, reduzindo o tempo de recuperação da amplitude de movimentos e o retorno da função. Foram discutidas as diversas técnicas propostas para a realização de uma artroplastia com técnica minimamente invasiva e concluiu-se que o desenvolvimento dessa técnica pode ser difícil e consumir tempo, mas os benefícios e satisfação dos pacientes irão suplantar esse esforço extra. Essas mudanças necessitam de estudos clínicos que possam documentar a sua eficácia...

Via de acesso anterolateral minimamente invasiva para as artroplastias totais de quadril

Sawaia,Rogério Naim; Galvão,Antonio Felipe Martensen; Oliveira,Fernando Machado; Secunho,Guilherme Rondinelli; Vilela Filho,Geraldo
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.33%
OBJETIVO: O estudo apresenta uma via de acesso anterolateral minimamente invasiva e verifica se esta via permite realizar a artroplastia total de quadril sem comprometer a qualidade do posicionamento dos implantes, mantendo-se a integridade da musculatura glútea. MÉTODO: Realizou-se um estudo retrospectivo de 260 pacientes, 18 bilateral perfazendo um total de 278 quadris, sendo 186 do sexo feminino e 74 masculino, com idade média de 62 anos, portadores de osteoartrose, submetidos à artroplastia total de quadril não cimentada, metal-metal ou metal-polietileno, no período de outubro de 2004 a dezembro de 2007. Utilizou-se uma via de acesso anterolateral minimamente invasiva, medindo aproximadamente 7 a 10cm variando de acordo com a massa corpórea e o tamanho da cabeça femoral. Os pacientes foram avaliados clinicamente quanto à idade, sexo, presença do sinal de Trendelenburg e, radiograficamente, quanto ao posicionamento acetabular e femoral. RESULTADOS: Verificou-se uma inclinação acetabular entre 30° e 40° em 78 pacientes, entre 41° e 50° em 189, e 11 casos com 51° ou mais. Quanto ao posicionamento femoral na incidência anteroposterior obteve-se posição central em 209 casos, 41 em valgo e 28 em varo. No perfil, observaram-se 173 centrais...

Toracotomia minimamente invasiva nas intervenções cirúrgicas valvares

PEREIRA,Marcelo Balestro; BARCELLOS,Christiano S.; KALIL,Renato A. K.; SANTANA,João R.; PRATES,Paulo R.; NESRALLA,Ivo A.
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/1998 PT
Relevância na Pesquisa
76.39%
Introdução: é tema atual a realização de procedimentos cirúrgicos por minitoracotomias que, inicialmente utilizadas para operações de revascularização do miocárdio, têm sido também propostas como acesso às operações valvares. O objetivo deste trabalho é analisar resultados da minitoracotomia em relação à técnica tradicional nas intervenções valvares, em estudo prospectivo. Casuística e métodos: entre novembro de 1996 e fevereiro de 1998, dois grupos, 8 pacientes operados por minitoracotomia (Grupo 1) e 8 controles (Grupo 2) equiparáveis nas variáveis sexo, idade, peso/altura, classe funcional pré-operatória, doença de base e operação proposta, foram submetidos a reparo ou troca valvar aórtica ou mitral. Os pacientes do Grupo 1 foram operados através de incisão paraesternal direita de até 8 cm, com circulação extracorpórea (CEC) estabelecida através de canulação arterial e venosa femorais e os do Grupo 2 (controles) por esternotomia mediana. Ambos os grupos foram acompanhados até a alta hospitalar. Resultados: Os parâmetros avaliados no trans-operatório e pós-operatório, bem como a análise estatística constam nas Tabelas 1 e 2. Não ocorreram óbitos imediatos. Duas complicações foram registradas: um infarto per-operatório e um acidente vascular cerebral no Grupo 2. Conclusão: os resultados parciais permitem inferir que a abordagem através de pequenas toracotomias é factível sem aumento na morbimortalidade...

Obtenção minimamente invasiva de veia safena para cirurgia de revascularização do miocárdio

Martins,Antônio S.; Andrade,Rubens R.; Silva,Marcos A. Moraes; Oliveira,Reinaldo A.; Campos,Nelson L. K.; Mola,Ricardo de; Souza,Ademar R.; Vidotto,Júlio; Padovani,Carlos
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2004 PT
Relevância na Pesquisa
66.51%
OBJETIVO: Analisar, comparativamente, a obtenção minimamente invasiva com o uso do MINI-HARVEST® e com instrumental tradicional adaptado. MÉTODO: De junho de 1996 a janeiro de 1999, 63 pacientes submetidos à cirurgia de revascularização do miocárdio tiveram suas veias safenas retiradas segundo técnica minimamente invasiva. Nos 30 primeiros pacientes da série utilizou-se método de visão direta com auxílio de dois afastadores de Langenbeck, e nos 33 restantes utilizou-se o MINI-HARVEST®. RESULTADOS: A idade média dos pacientes era de 61 ± 8,75 anos, sendo 52 homens e 11 mulheres. Quarenta e cinco pacientes eram diabéticos, 45 apresentavam sobrepeso/obesidade, 25 eram tabagistas ativos, 32 apresentavam história pregressa de infarto do miocárdio. O tempo médio de retirada da veia safena com afastadores Langenbeck foi de 34,2 ± 8,14 minutos e com o MINI-HARVEST® de 39,20 ± 9,12 minutos. A extensão de veia retirada foi similar nos dois grupos, variando de 10 a 30 cm. Houve uma deiscência superficial no grupo com afastadores de Langenbeck. Houve necessidade de reversão para método tradicional de retirada em dois casos do grupo MINI-HARVEST® e um do grupo Langenbeck. A incidência de infarto transoperatório foi 4...

Cirurgia cardíaca videoassistida: resultados de um projeto pioneiro no Brasil

Poffo,Robinson; Pope,Renato Bastos; Selbach,Rafael Armínio; Mokross,Cláudio Alexandre; Fukuti,Fabiane; Silva Júnior,Iosmar da; Agapito,Andréia; Cidral,Isaias
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.45%
OBJETIVO: Demonstrar as possibilidades da utilização da videotoracoscopia na cirurgia cardíaca com circulação extracorpórea (CEC). MÉTODOS: Entre fevereiro de 2006 e novembro de 2008, 102 pacientes foram submetidos consecutivamente a cirurgia cardíaca minimamente invasiva videoassistida. As doenças cardíacas abordadas foram valvopatia mitral (n=56), aórtica (n=14), comunicação interatrial (n=32), seis pacientes apresentavam insuficiência tricúspide associada e do grupo total, doze tinham fibrilação atrial. A idade variou de 18 a 68 anos, sendo 57 pacientes do sexo feminino. O método cirúrgico constou de canulação arterial e venosa femoral, incisão de quatro a seis centímetros (cm) ao nível do 3º ou 4º espaço intercostal direito (EICD), dependendo da doença do paciente, entre as linhas axilar anterior e hemiclavicular direita, sulco mamário ou periareolar direita e toracoscopia. RESULTADOS: Os procedimentos cirúrgicos compreenderam: plastia (n=20) ou troca valvar mitral (n=36); troca valvar aórtica (n=14); atriosseptoplastia com remendo de pericárdio bovino (n=32); plastia valvar tricúspide com anel rígido (n=6); e correção cirúrgica da fibrilação atrial por radiofrequência (n=12). Todas as cirurgias foram realizadas sem intercorrências. Não houve conversão para toracotomia. Dois pacientes evoluíram com fibrilação atrial no pós-operatório. Houve um (0...

Experiência inicial com operações cardíacas minimamente invasivas

Costa,Francisco; Winter,Guilherme; Ferreira,Andrea Dumsch de Aragon; Fernandes,Tadeu Augusto; Collatusso,Claudinei; Tremel,Fernanda Tome; Farias,Fabio Rocha; Fornazari,Daniele de Fátima
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.36%
INTRODUÇÃO: Operações cardíacas minimamente invasivas têm sido propostas como uma alternativa para a correção de diversas cardiopatias congênitas e adquiridas, com o intuito de reduzir a morbimortalidade. OBJETIVOS: Descrever a experiência inicial de dois anos com operações cardíacas minimamente invasivas, com ênfase nos aspectos técnicos e na curva de aprendizado. MÉTODOS: Entre julho de 2009 a março de 2012, 95 pacientes foram operados com técnicas minimamente invasivas. A média de idade foi de 55±15 anos e 53% pacientes eram do sexo feminino. As operações foram fechamento de comunicação interatrial (25), substituição valvar aórtica (32), plastia mitral (23), substituição valvar mitral (12), ressecção de mixoma de átrio esquerdo (2) e ressecção de membrana subaórtica (1). A incisão consistiu de minitoracotomia lateral direita em 87 casos e de miniesternotomia em oito. RESULTADOS: A mortalidade imediata foi de 4,2%, e o tamanho médio da incisão foi de 6,3 ± 1,2 cm. A extensão da toracotomia só foi necessária em um caso. Dois pacientes apresentaram acidente vascular cerebral, e a quantidade total de sangramento foi de 470 ± 277 ml. Nenhum paciente teve infecção de ferida operatória, e 67% dos casos não apresentaram morbidade pós-operatória significativa. CONCLUSÕES: Os resultados iniciais com operações minimamente invasivas demonstraram que elas podem ser realizadas de forma segura e com resultados iniciais satisfatórios. O índice de satisfação dos pacientes foi elevado. Uma vez ultrapassada a curva de aprendizado...

Troca valvar aórtica minimamente invasiva: uma alternativa à técnica convencional

Fortunato Júnior,Jeronimo Antonio; Fernandes,Alexandre Gabelha; Sesca,Jeferson Roberto; Paludo,Rogério; Paz,Maria Evangelista; Paludo,Luciana; Pereira,Marcelo Luiz; Araujo,Amélia
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.36%
OBJETIVO: Demonstrar o uso da cirurgia minimamente invasiva para tratamento da valva aórtica e comparar seus resultados com o método tradicional. MÉTODOS: Entre 2006 e 2011, 60 pacientes foram submetidos à cirurgia na valva aórtica, após consentimento escrito, destes 40 pela técnica minimamente invasiva com acesso por minitoracotomia ântero-lateral direita (Grupo 1/G1)e 20 por esternotomia mediana (Grupo 2/G2). Comparamos os tempos operatórios e a evolução pós-operatória intra-hospitalar. RESULTADOS: Os tempos médios de circulação extracorpórea (CEC) e pinçamento aórtico no G1 foram, respectivamente, 142,7 ± 59,5 min e 88,6 ± 31,5 min e, no G2, 98,1 ± 39,1 min e 67,7 ± 26,2 min (P<0,05), uma diferença nas medianas de 39 minutos no tempo de CEC e 23 minutos no pinçamento aórtico foram observados a favor da técnica convencional. A perda sanguínea pelos drenos torácicos foi significativamente menor no grupo minimamente invasivo: 605,1 ± 679,5 ml (G1) versus 1617 ± 1390 ml (G2) (P<0,05). Os tempos médios de internamento em UTI e hospitalar foram menores em G1: 2,3 ± 1,8 dias e 5,5 ± 5,4 dias versus 5,1 ± 3,6 dias e 10 ± 5,1 dias em G2 (P<0,05), respectivamente. O uso de drogas vasoativas no pós-operatório também foi menor no grupo minimamente invasivo 12...

Reoperação da valva mitral minimamente invasiva sem pinçamento da aorta

Milani,Rodrigo; Brofman,Paulo Roberto Slud; Oliveira,Sergio; Patrial Neto,Luiz; Rosa,Matheus; Lima,Victor Hugo; Binder,Luis Fernando; Sanches,Aline
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.46%
INTRODUÇÃO: Reoperações da valva mitral apresentam maior índice de complicações quando comparadas com a primeira cirurgia. Com o domínio das técnicas videoassistidas para as primeiras cirurgias da valva mitral, os casos de reoperações passaram a despertar interesse para esses procedimentos menos invasivos. OBJETIVO: Analisar os resultados e as dificuldades técnicas da retroca valvar mitral minimamente invasiva em 10 pacientes. MÉTODO: A circulação extracorpórea foi instalada por meio de colocação de cânulas femorais e cânula na veia jugular interna direita, conduzida em 28 graus de temperatura em fibrilação ventricular. Realizada toracotomia lateral direita com 5 a 6 cm no terceiro ou quarto espaço intercostal. Pericárdio foi descolado apenas na região do átrio esquerdo no ponto da atriotomia. A aorta não foi pinçada. RESULTADOS: Foram avaliados 10 pacientes com idade média de 56,9±10,5 anos. Quatro encontravam-se em ritmo de fibrilação atrial e 6 em ritmo sinusal. O tempo médio entre a primeira operação e a reoperações foi de 11 ± 3,43 anos. O EuroSCORE médio do grupo foi de 8,3 ± 1,82. O tempo médio de fibrilação ventricular e de circulação extracorpórea foi respectivamente 70,9 ± 17...

Restauração do centro de rotação na artroplastia total do quadril minimamente invasiva

Vicente,José Ricardo Negreiros; Croci,Alberto Tesconi; Camargo,Olavo Pires de
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.43%
OBJETIVO: Nosso objetivo foi avaliar a dificuldade de se obter uma restauração satisfatória do centro de rotação , assim como, um bom posicionamento acetabular, no acesso minimamente invasivo posterior nas artroplastias totais do quadril não cimentadas. METODOS: Realizamos um estudo não randomizado comparativo prospectivo, com 64 pacientes submetidos a artroplastia total do quadril com o acesso minimamente invasivo posterior, realizado por um único cirurgião. Todos os pacientes incluídos no estudo apresentavam migração superior e lateral do centro de rotação do quadril em comparação com o quadril contralateral.Os critérios de exclusão foram: fratura do colo femoral, quadris displásicos tipos 2,3 e 4 segundo a classificação de Crowe e osteoartrose do quadril contralateral. Entre os 64 pacientes, 39 apresentaram um planejamento acetabular radiográfico igual ou menor que 50mm e 25 pacientes igual ou maior que 52 mm. Consideramos bom resultado os seguintes quesitos: inclinação acetabular entre 35 e 50 graus, componente acetabular coincidente com a estimativa pré-operatória com contato nas três zonas de DeLee e Charnley, abaixamento e medialização do centro de rotação em relação as medidas pré-operatórias e uma discrepância final do membro menor que 10 mm. RESULTADOS: Uma melhor restauração do centro de rotação foi observada nos pacientes com componentes acetabulares iguais ou menores que 50...

Avaliação clínica radiológica da artrodese lombar transforaminal aberta versus minimamente invasiva

Menezes,Cristiano Magalhães; Falcon,Roberto Sakamoto; Ferreira Júnior,Marcos Antônio; Alencar,Johmeson
Fonte: Sociedade Brasileira de Coluna Publicador: Sociedade Brasileira de Coluna
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.33%
OBJETIVO: a proposta deste trabalho é comparar os resultados clínicos e radiológicos dos pacientes submetidos à artrodese transforaminal aberta e minimamente invasiva. MÉTODOS: quarenta e cinco pacientes foram submetidos à artrodese lombar transforaminal pelo Grupo de Cirurgia Espinhal do Hospital Lifecenter/Ortopédico de Belo Horizonte, no período de Dezembro de 2005 a Maio de 2007, sendo 15 no grupo de artrodese aberta e 30 pacientes do grupo de artrodese minimamente invasiva (MIS). As indicações para a artrodese intersomática foram: doença degenerativa do disco, associada ou não a hérnia de disco ou estenose do canal; espondilolistese de baixo grau espondilolítica ou degenerativa; e síndrome pós-laminectomia/discectomia. As variáveis analisadas foram: tempo de cirurgia, tempo de internação hospitalar, necessidade de hemotransfusão, escala analógica visual de dor (VAS) lombar e dos membros inferiores, Oswestry, índice de consolidação da artrodese e retorno ao trabalho. RESULTADOS: o seguimento mínimo foi de 24 meses. Havia oito homens e sete mulheres no Grupo Aberto e 17 homens e 13 mulheres no Grupo MIS. O tempo cirúrgico médio foi de 222 minutos e 221 minutos, respectivamente. Houve melhora significativa da VAS e Oswestry no pós-operatório em ambos os grupos. O tempo de internação hospitalar variou de 3...

Microdiscectomia lombar tubular com o uso de seringas descartáveis de diâmetros progressivos: resultados cirúrgicos

Anderle,Diogo Valli; Joaquim,Andrei Fernandes; Giglio,Marcus Vinicius; Ghizoni,Enrico; Esteves,Luis Adriano
Fonte: Sociedade Brasileira de Coluna Publicador: Sociedade Brasileira de Coluna
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.42%
OBJETIVO: descrever técnica minimamente invasiva para abordagem das hérnias discais com material de baixo custo. MÉTODOS: estudo prospectivo da avaliação dos resultados cirúrgicos de dez pacientes submetidos à microdiscectomia lombar tubular com uso de seringas descartáveis de diâmetros progressivos. RESULTADOS: utilizando os critérios de MacNab modificados, 60% dos pacientes apresentaram resultados considerados excelentes, 30% bons e 10% razoáveis. O tempo médio de cirurgia foi de 70 minutos e o de permanência hospitalar, de 14 horas. CONCLUSÃO: o uso de seringas descartáveis para microdiscectomia tubular foi seguro, de baixo custo e com resultados preliminares semelhantes aos da literatura para o tratamento minimamente invasivo da hérnia discal lombar.

Artrodese lombar minimamente invasiva com acesso intermuscular sem material cirúrgico especial: estudo de série de casos

Oliveira,Bruno de Azevedo; Simões,Marcelo Simoni; Abreu,Ernani Vianna
Fonte: Sociedade Brasileira de Coluna Publicador: Sociedade Brasileira de Coluna
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.41%
OBJETIVOS: Analisar os resultados clínicos de uma série de pacientes com doença degenerativa da coluna lombar tratados com artrodese circunferencial com acesso minimamente invasivo intermuscular sem material cirúrgico especial. MÉTODOS: Análise de uma série prospectiva de 12 pacientes consecutivos não-randomizados submetidos à fusão lombossacra de 1 nível para doença degenerativa. Avaliados os Índices de Oswestry 2.0 e a escala visual analógica de dor (VAS) no pré-operatório e seis meses após a cirurgia. A artrodese foi realizada por acesso paramediano bilateral entre os músculos multifidus e longissimus com o uso de afastador cervical simples com lâminas cambiáveis e implantes convencionais. RESULTADOS: Houve uma melhora média de 3,6 pontos na VAS e 27,5 pontos percentuais no Índice de Oswestry quando comparadas as avaliações pré-operatórias e após seis meses de follow-up. As melhoras mais marcadas foram nos pacientes que apresentavam ciatalgia por hérnia discal associada à discopatia. Os quesitos do Índice de Oswestry que apresentaram melhor resultado foram a intensidade da dor e a qualidade do sono. Os que apresentaram pior resultado foram a capacidade de levantamento de pesos e a dor ao sentar. Não houve dificuldade adicional devido à técnica e ao material utilizado. CONCLUSÕES: A artrodese da coluna lombossacra por abordagem minimamente invasiva transmuscular pode ser realizada com afastadores cirúrgicos normais e implantes semelhantes ao da técnica tradicional sem prejuízo técnico ou no resultado clínico.

Anatomia do plano intermuscular lombar entre os músculos multífidus e longuíssimo e planejamento pré-operatório com imagens de ressonância nuclear magnética para artrodeses lombares minimamente invasivas

Schmidt,Fernando; Santos,Thiago Soares dos; Soares,Marcelo Marques
Fonte: Sociedade Brasileira de Coluna Publicador: Sociedade Brasileira de Coluna
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
76.46%
OBJETIVO: Revisar a anatomia da musculatura lombar posterior, demonstrá-la no plano axial da ressonância magnética e medir a distância da linha média até o plano intermuscular entre os músculos multífidus e longuíssimo nos níveis L3/L4, L4/L5 e L5/S1. MÉTODOS: Através do programa OSIRIX para Mac foram realizadas medidas em 50 pacientes adultos, 25 homens e 25 mulheres. Mensuramos a distância bilateralmente nos níveis lombares inferiores. RESULTADOS: A distância média foi de 2,42 cm em L3/L4, de 3,13 cm em L4/L5 e de 3,77 cm em L5/S1, quando não separamos os sexos. Houve um aumento da distância média no sentido craniocaudal nos níveis lombares inferiores e quando comparamos os sexos não houve diferença estatisticamente significativa nos níveis L4/L5 e L5/S1. CONCLUSÃO: Concluímos que o exame de ressonância magnética permite mensurar a distância da linha média até o plano intermuscular entre o multífidus e o longuíssimo e consideramos importante para o planejamento pré-operatório dos procedimentos minimamente invasivos.

Opção minimamente invasiva lateral para artrodese intersomática tóraco-lombar

Amaral,Rodrigo; Marchi,Luis; Oliveira,Leonardo; Coutinho,Thiago; Castro,Carlos; Coutinho,Etevaldo; Pimenta,Luiz
Fonte: Sociedade Brasileira de Coluna Publicador: Sociedade Brasileira de Coluna
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.42%
OBJETIVO: O objetivo deste artigo é mostrar resultados clínicos e radiográficos do acesso lateral transpoas na experiência brasileira em condições degenerativas do disco intervertebral. MÉTODOS: 46 pacientes foram submetidos à fusão intersomática lombar por via lateral. Dentre os casos, 18 eram do sexo masculino e 28 do sexo feminino, com idade média de 57,3 (84-32 anos) e média de IMC de 25,9 ± 3,1. Todos os pacientes completaram um ano de acompanhamento. Foram coletados exames radiológicos, como raio X e tomografia computadorizada, exame neurológico e resultados clínicos usando os questionários ODI e VAS (costas e membros inferiores). RESULTADOS: Os procedimentos foram realizados, sem ocorrência de complicações intra-operatórias importantes, em uma média de 103,9 ± 105,5 minutos e com menos de 50cc de perda sanguínea. Em oito dos 46 procedimentos (17,4%) foi utilizada suplementação por parafusos pediculares percutâneos por apresentarem instabilidade segmentar. Foram tratados 80 níveis (de um a cinco níveis) tóraco-lombares (de T12-L1 a L4-L5). Os resultados clínicos avaliados pelos questionários revelaram melhora significante de dor logo após uma semana da cirurgia e da função física após seis semanas. A lordose lombar foi de 36...

Restauração do centro de rotação na artroplastia total do quadril minimamente invasiva; Restoration of the rotation center in minimally-invasive total hip replacement

VICENTE, José Ricardo Negreiros; CROCI, Alberto Tesconi; CAMARGO, Olavo Pires de
Fonte: Atha Comunicação & Editora Publicador: Atha Comunicação & Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.43%
OBJETIVO: Nosso objetivo foi avaliar a dificuldade de se obter uma restauração satisfatória do centro de rotação , assim como, um bom posicionamento acetabular, no acesso minimamente invasivo posterior nas artroplastias totais do quadril não cimentadas. METODOS: Realizamos um estudo não randomizado comparativo prospectivo, com 64 pacientes submetidos a artroplastia total do quadril com o acesso minimamente invasivo posterior, realizado por um único cirurgião. Todos os pacientes incluídos no estudo apresentavam migração superior e lateral do centro de rotação do quadril em comparação com o quadril contralateral.Os critérios de exclusão foram: fratura do colo femoral, quadris displásicos tipos 2,3 e 4 segundo a classificação de Crowe e osteoartrose do quadril contralateral. Entre os 64 pacientes, 39 apresentaram um planejamento acetabular radiográfico igual ou menor que 50mm e 25 pacientes igual ou maior que 52 mm. Consideramos bom resultado os seguintes quesitos: inclinação acetabular entre 35 e 50 graus, componente acetabular coincidente com a estimativa pré-operatória com contato nas três zonas de DeLee e Charnley, abaixamento e medialização do centro de rotação em relação as medidas pré-operatórias e uma discrepância final do membro menor que 10 mm. RESULTADOS: Uma melhor restauração do centro de rotação foi observada nos pacientes com componentes acetabulares iguais ou menores que 50...

Acesso minimamente invasivo para troca da valva aórtica: resultados operatórios imediatos comparativos com a técnica tradicional

Tyszka,André Luiz; Watanabe,Roberto; Cabral,Maria Marta de Carvalho; Cason,Andresa Marques; Hayashi,Ederval Key; Nogueira,Geraldo Ângelo; Machado,Marcos Borges; Machado,Leonardo Monteiro de Castro; Progiante,Armando; Fucuda,Leila Satomi; Mora,Raul D'Áu
Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Publicador: Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2004 PT
Relevância na Pesquisa
66.36%
OBJETIVO: As cirurgias cardíacas minimamente invasivas foram desenvolvidas para proporcionarem, através de acessos limitados, menores traumas, melhores resultados estéticos e diminuição nos custos hospitalares com a mesma segurança das cirurgias tradicionais. O estudo teve como objetivo comparar os resultados peri-operatórios dos pacientes submetidos à troca de valva aórtica por meio dos acessos minimamente invasivo e convencional. MÉTODO: Doze pacientes consecutivamente submetidos à troca de valva aórtica isolada por acesso minimamente invasivo, a partir de junho de 2002, tiveram seus dados pré-operatórios, operatórios e pós-operatórios imediatos comparados com os 12 pacientes anteriormente operados na mesma instituição submetidos ao mesmo tipo de operação, porém com acesso convencional. O acesso minimamente invasivo utilizado foi a hemiesternotomia mediana superior e a instalação da CEC foi através da canulação da aorta ascendente e do átrio direito, semelhante à técnica tradicional. RESULTADOS: Os dados demográficos foram semelhantes nos dois grupos de pacientes. Não houve diferença significativa entre os tempos de isquemia, de CEC e do tempo total do procedimento. O tamanho da incisão da pele foi significativamente menor no grupo minimamente invasivo. No pós-operatório...