Página 1 dos resultados de 50 itens digitais encontrados em 0.007 segundos

A resiliência e a vulnerabilidade ao stress numa população sem-abrigo

Pereira, Cristiana Alexandra Lima
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
86.42%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde.; O principal objectivo do presente estudo foi analisar a resiliência e a vulnerabilidade ao stress numa população Sem-Abrigo, através de uma abordagem quantitativa e qualitativa. Estudou-se a variabilidade do grau de resiliência e da vulnerabilidade ao stress, em função de variáveis sócio-demográficas (e.g. idade, escolaridade, estado civil, tempo na situação de desabrigo) e variáveis psico-clínicas (e.g. psicopatologia). Participaram 52 sujeitos com idades compreendidas entre os 30 e os 69 anos. Foram utilizados os seguintes instrumentos: Escala de Avaliação Global de Resiliência, Escala de Avaliação do Eu Resiliente e 23 Questões de Vulnerabilidade ao Stress. Para a análise qualitativa, os dados foram recolhidos através de um Guião de Entrevista. Os resultados obtidos permitem concluir que estes Sem-Abrigo apresentam capacidades de resiliência elevadas, não sendo vulneráveis ao stress. No entanto, a descrição que os indivíduos Sem-Abrigo fazem da sua realidade e das suas vivências é marcada por uma idealização que admiram, desvalorizando a realidade. The main purpose of this work was to analyze resilience and stress vulnerability among homeless individuals...

Acompanhamento social a pessoas que viveram em situação de sem-abrigo com doença mental

Tavares, Ana Rita Ferreira
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
46.2%
Projecto de Graduação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Licenciada em Serviço Social; Os graves problemas sociais que a sociedade enfrenta actualmente, tal como o desemprego e a pobreza atingem principalmente os seus grupos mais vulneráveis, aqueles cujos meios de protecção são escassos, e maior parte das vezes inexistentes, o que faz com que cada vez mais existam pessoas a viver na em situação de sem-abrigo. Estes factores não afectam apenas a parte económica mas também a saúde da população. Com o desenvolvimento do conceito de saúde, fomo-nos apercebendo que este não significa apenas um bem-estar físico, mas também um bem-estar psíquico. A questão da saúde mental tem vindo a ter cada vez mais visibilidade nas nossas sociedades, e quem vive “acorrentado” a estas perturbações sofre com o estigma que estas acarretam. Ao abordar estes factores surge uma preocupação evidente, se estas pessoas que moram na rua, no extremo da vulnerabilidade e da exclusão social, são incapazes de tomar decisões racionais devido à sua doença mental, quem vai tomar as decisões por elas? Se não têm qualquer retaguarda familiar com quem é que podem contar? O trabalho neste momento apresentado realiza...

Depois da rua: Dimensões sociais gerais da vinculação adulta na população

Ferreira, Luís António Garrido
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.41%
A presente investigação pretende ser um contributo para a compreensão da mais valia que a integração em comunidade de inserção pode ser para a população sem abrigo. Especificamente pretendemos estudar a mudança ocorrida a nível das dimensões sociais gerais ligadas à vinculação adulta e aos padrões de vinculação ansiosa e evitante. A amostra deste estudo é constituída por 30 sujeitos de ambos os sexos, 33,3% do sexo feminino e 66,7% do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 26 e os 55 anos, sendo a média de 39 anos. A amostra subdivide-se em 15 indivíduos do grupo alvo (sem abrigo) e 15 indivíduos do grupo de referência (indivíduos integrados em termos laborais e habitacionais). Relativamente ao grau de escolaridade, 66,7% da amostra situa-se abaixo do 6º ano de escolaridade. No tocante ao estado civil do grupo alvo, 60% dos indivíduos são solteiros e 40% divorciados. Relativamente à raça, 80% da amostra é caucasiana e 20% de origem africana. Os participantes no estudo foram avaliados individualmente pelo autor do presente trabalho, através de um questionário de auto resposta Attachment Style Questionnaire (ASQ), que visa a avaliação da vinculação adulta nas seguintes dimensões: níveis de confiança; desconforto relativamente à proximidade; relacionamento como factor secundário; necessidade de reforço/aprovação e preocupação com os relacionamentos. Permite igualmente criar valores relativamente à vinculação ansiosa e evitante. No nosso estudo...

Fechados no silêncio: os sem abrigo

Fernandes, Maria Manuela Dias
Fonte: Universidade Aberta de Portugal Publicador: Universidade Aberta de Portugal
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2006 POR
Relevância na Pesquisa
66.36%
Dissertação de Mestrado em Relações Interculturais apresentada à Universidade Aberta; O fenómeno dos sem-abrigo, tal como se apresenta hoje na sociedade portuguesa, pode ser considerado muito recente. As características da população que pede nas ruas ou que nas mesmas pernoita, alteraram-se na última década. Com frequência nos cruzamos com pessoas dos dois sexos, de diferentes idades e etnias, estrangeiros que mal sabem falar português e que recorrem à mendicidade ou ao desenvolvimento de pequenas tarefas (arrumar carros ou lavar os vidros pára-brisas) para angariar uma pequena verba pecuniária. A visibilidade deste problema social contribuiu para que se olhasse para o mesmo, de uma nova forma, procurando-se a sua compreensão no desenvolvimento sócio-económico da sociedade, na incapacidade de se gerarem mecanismos preventivos da situação de sem-abrigo. Ou seja, a responsabilidade individual, por doença ou ociosidade, normalmente atribuída a quem pedia uma esmola, foi diluída numa compreensão mais alargada do problema, dando-se ênfase a factores estruturais, como o desemprego, as baixas pensões e reformas, os baixos salários, as rupturas relacionais e simbólicas. Pretendemos com este estudo, de carácter qualitativo e intensivo...

Avalaiação dos desperdícios alimentares de uma população sem abrigo: estudo de caso

Maria João Carvalho Quintas Figueiredo da Veiga
Fonte: Universidade do Porto Publicador: Universidade do Porto
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
35.85%

Trajectórias de exclusão social em mulheres sem abrigo : um estudo de caso

Machado, Ana Filipa Costa
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /07/2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.28%
O presente estudo pretende contribuir para a compreensão das trajectórias de exclusão social de mulheres sem-abrigo. Atendendo à dificuldade de acesso a esta população, e à decorrente escassez de estudos sobre a experiência das mulheres sem-abrigo, optou-se por levar a cabo um estudo de caso único, que nos permitisse a exploração aprofundada das significações associadas a uma experiência da condição de sem-abrigo no feminino. Os principais resultados deste estudo referem-se à existência de factores heterogéneos que podem conduzir uma pessoa a viver na rua, ao facto de o contexto de rua poder ter significados positivos e no que respeita à vivência feminina e masculina, os resultados apontam para factores semelhantes mas com significações divergentes.; The present study aims to contribute to the understanding of the social exclusion trajectories of homeless women. Given the difficult access to this population and the lack of studies on that matter, we decided to study a single case, which allows an in-depth exploration of the meanings related to an experience of homeless women’s condition. The main results of this study demonstrated that the existence of heterogeneous factors could lead a person living in the street. The street’s context may have positive meanings and...

Viver com ou sem abrigo: etnografia de lugares vagos

Silva, Susana Pereira da,1962-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.39%
A presente investigação tem como objectivo analisar os processos de socialização e de aprendizagem de pessoas adultas a viver em situação de sem-abrigo, em Lisboa. O conceito adoptado tem por base a Tipologia Europeia sobre Sem-abrigo e Exclusão Habitacional – ETHOS – que estabelece que sem-abrigo é uma categoria conceptual que engloba duas situações: pessoas que vivem na rua ou em espaços exteriores; e pessoas que pernoitam num centro de alojamento temporário. Recorre-se à noção de lugar vago, proposta por Charles Darwin, como um espaço de sobrevivência possível mas habitualmente não praticado pela generalidade de uma determinada população. Do ponto de vista metodológico desenvolveu-se uma pesquisa etnográfica com recurso à observação participante e entrevistas biográficas e temáticas, num total de vinte e quatro pessoas a viver ou que viveram em situação de sem-abrigo. Os resultados evidenciam que face a situações de extrema vulnerabilidade, isto é, perda de habitação e de recursos financeiros estáveis, as pessoas tendem a ocupar dois tipos de lugares vagos: a rua ou casas abandonadas; e os centros de alojamento temporário ou as comunidades de trabalho. As estratégias de sobrevivência adoptadas são distintas: enquanto as primeiras mantêm vínculos de fraca intensidade com os serviços sociais; as restantes adaptam-se à vida comunitária...

Perspetiva do sem-abrigo para o futuro

Semedo, Nelson Lopes
Fonte: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas Publicador: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 01/03/2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.33%
Dissertação de Mestrado em Política Social; Este trabalho de investigação estabeleceu como objetivo conhecer e apreender a perspetiva do sem-abrigo em relação ao futuro através da compreensão dos seus motivos para a manutenção da sua situação de excluído, a partir de um estudo qualitativo. Na abordagem da investigação qualitativa foi utlizada uma metodologia exploratória e compreensiva que teve a sua sustentabilidade, a partir das respostas obtidas através de uma entrevista semiestruturada. Declarando-nos como um investigador qualitativo, entendemos que a entrevista de história de vida constitui a técnica de recolha de informação adequada para procurar obter os testemunhos dos entrevistados, assumindo os mesmos como fundamentais para se compreender a exclusão social. Os resultados apresentados serão comparados com a literatura existente analisada para entender a teoria (no caso de os resultados não estarem de acordo com a literatura), para aumentar a generalização (quando os resultados estão de acordo com a literatura) e para aumentar o nível teórico da criação de teoria a partir de casos de estudo. As informações apresentadas resultaram, de acordo com o explicitado anteriormente, da realização de entrevistas à elementos da nossa população-alvo...

Projeto Rua da Esperança: projeto de apoio ao imigrante sem-abrigo

Maio, Rita Andrade Oliveira
Fonte: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas Publicador: Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 09/12/2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.37%
Tese de Mestrado em Política Social; Esta dissertação propõe-se ser um contributo para o novo fenómeno dos sem-abrigo imigrantes, alertando para a necessidade de se elaborarem projetos sociais para dar resposta às necessidades desta população muito específica. Tomou-se o Projeto Rua da Esperança, promovido pelo Serviço Jesuíta aos Refugiados, que aqui se discute como exemplo de trabalhos que se poderiam vir a fomentar na relação com esta população. Para a elaboração deste estudo propusemo-nos aprofundar conhecimentos sobre a realidade dos sem-abrigo imigrantes evidenciando o valor dos projetos sociais que no âmbito do Terceiro Setor podem ser implementados e constituir-se em respostas ajustadas às necessidades destas populações.; This paper proposes a reflection on a new phenomenon, the homeless immigrants, warning of the need to develop social projects to meet the very specific needs of this population. We took up the Project “Rua da Esperança”, sponsored by the Jesuit Refugee Service, which is discussed here as an example of work that could eventually foster the relationship with this population. To prepare this study we proposed to deepen knowledge about the reality of homeless immigrants highlighting the role of social projects in the Third Sector can be implemented and be adjusted in response to the needs of these populations

Dinâmicas de risco na modernidade e desigualdades sociais: o caso dos sem-abrigo em Paris, Lisboa e Londres

Menezes, Filipa Lourenço
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
76.36%
Doutoramento em Sociologia. Especialidade em Sociologia da Comunicação, da Cultura e da Educação; O presente estudo comparativo (FR, PT, UK) analisa sociologicamente um fenómeno de exclusão social – homelessness - tomando o conceito de risco como central. Para tal, são confrontadas duas vertentes de discurso fundamentais: a institucional e a dos sem-abrigo. No plano institucional, essencial para a categorização, regulamentação e definição de formas de intervenção, incluem-se fontes bibliográficas e documentais (teorias de risco, análises empíricas, estudos internacionais) e as percepções dos agentes de apoio social (de coordenadores a técnicos sociais). No que respeita à população sem-abrigo, a análise centra-se nas suas trajectórias de vida e representações simbólicas que abarcam várias esferas, entre as quais, a sobrevivência nas ruas e a avaliação dos serviços de apoio social disponíveis no terreno. A pesquisa empírica baseia-se em entrevistas semi-directivas nas cidades de Paris, Lisboa e Londres (2005-2006). Os resultados obtidos permitem salientar que as divergências identificadas ao nível dos vários usos do conceito de risco assumem repercussões relevantes quanto à conceptualização de medidas preventivas...

Projeto Oficina do Sabão: capacitação, empreendedorismo e sustentabilidade para a reinserção social dos sem-abrigo

Oliveira, Lídia Cristina Sousa de
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
86.43%
Trabalho de projecto, Mestrado em Serviço Social; O projeto “Oficina do Sabão” procura promover estratégias de inclusão social da população sem-abrigo e desenvolver experiências de promoção do empreendedorismo baseado em processos de inovação social e de um serviço social relacionado com questões ambientais. O projeto apresentado neste estudo assume-se como uma proposta para a criação de uma “Oficina do Sabão”, fazendo uso de materiais recicláveis como o óleo alimentar, tendo em vista a fabricação de sabão e sabonetes para uso da instituição e posterior venda a outras instituições. O projeto assenta na formação de um grupo de utentes de uma instituição social que acolhe e trabalha com sem-abrigos - Associação Vitae. Esta proposta de projeto resulta na análise das respostas sociais existentes para este grupo social que se encontra excluído da sociedade e a sua implementação poderá melhorar a autoestima da população sem-abrigo, fomentar a cidadania e contribuir para a sua reabilitação socio profissional.; The project "Soap Factory" seeks to promote social inclusion strategies of the homeless population and develop experiences for promoting entrepreneurship based on processes of social innovation and a social work related to environmental issues. The project presented in this study is assumed as a proposal for the creation of an "Office of Soap"...

Modelo de atitudes face aos sem-abrigo em Portugal

Miguel, Marta Cristina Trindade; Ornelas, José H.; Maroco, João
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
66.42%
O presente estudo pretendeu confirmar o modelo de atitudes identificado nos estudos de opinião pública sobre os sem-abrigo, realizados nos E.U.A., com a mesma metodologia. O instrumento – “A Perspectiva da População sobre as Pessoas Sem-Abrigo: Estudo em Portugal” – foi aplicado por telefone a uma amostra da população portuguesa gerada aleatoriamente, e composta por um total de 200 pessoas contactadas para telefones fixos. A confirmação do Modelo de Atitudes revelou a existência de 8 factores de atitudes: Compaixão Geral, Restrições aos Direitos Públicos, Confiança nas Pessoas Sem-abrigo, Isolamento Social, Pessoas de Rua, Habitações/Serviços Necessários, Factores Económicos como Causa e Factores Pessoais como Causa. ABSTRACT The present study intended to confirm the attitudes model identified through the studies of public opinion on homelessness in the U.S.A with the same methodology. The instrument – “The Public’s Perspective On Homelessness: Portugal Survey” – was applied by telephone to a randomly selected sample of the Portuguese population, composed by a total of 200 people who owned landline telephones. The confirmation of the Attitudes Model for the Portuguese sample revealed the existence of the following attitudes factors: General Compassion...

Prevalência de sem-abrigo ao longo da vida e atitudes face aos sem abrigo em Portugal

Miguel, Marta Cristina Trindade
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2007 POR
Relevância na Pesquisa
66.66%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Comunitária; O presente estudo resulta da colaboração do Núcleo de Psicologia Comunitária do Instituto Superior de Psicologia Aplicada com o Research Group on Homelessness and Poverty (Wayne State University, Detroit, E.U.A.) numa investigação transnacional sobre a opinião pública acerca dos sem-abrigo e a prevalência da situação de sem-abrigo ao longo da vida. Pretende aceder à opinião pública portuguesa, isto é, às atitudes e conhecimentos, da população portuguesa sobre as pessoas sem-abrigo; estimar a prevalência de população que já esteve em situação de sem-abrigo em algum momento da sua vida; confirmar o modelo de atitudes identificado nos estudos de opinião pública realizados nos E.U.A. com a mesma metodologia; e identificar quais as características que podem distinguir a população com diferentes atitudes face aos sem-abrigo. O instrumento - "A Perspectiva da População sobre as Pessoas Sem-Abrigo: Estudo em Portugal" - foi aplicado por telefone a uma amostra da população portuguesa gerada aleatoriamente, e composta por um total de 200 pessoas contactadas para telefones fixos. A confirmação do Modelo de Atitudes revelou a existência dos seguintes factores de atitudes: Compaixão Geral...

E se perguntássemos aos Sem-Abrigo? Satisfação e necessidades percepcionadas face aos serviços, num abrigo de Lisboa

Sousa, Fernando; Fundação António Silva Leal; Almeida, Sandra; Gabinete de Gestão EQUAL
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
76.35%
Efectuou-se um levantamento das necessidades, preferências, e níveis de satisfação de uma amostra de indivíduos Sem-Abrigo face a vários serviços sociais. De uma forma prospectiva, analisou-se ainda a influência de vários factores na utilização desses serviços. A recolha de dados realizou-se num abrigo da cidade de Lisboa junto de 16 indivíduos do sexo masculino através de uma observação participante, da utilização de um questionário, e da consulta de registos internos da instituição.Os serviços indicados como sendo os mais necessários no último ano foram os relacionados com a obtenção de alimentação, vestuário, e abrigo, identificação e avaliação de necessidades, assistência médica (para problemas de saúde física), informação e protecção de direitos, emprego e cuidados dentários. A maior parte dos participantes considerou que a maioria dos serviços não iam ao encontro das suas necessidades. Consideraram ainda que os técnicos não se empenhavam o suficiente. Os resultados obtidos, apontam para a necessidade de desenvolver sistemas de apoio que se adaptem às necessidades, às especificidades e aos «ritmos» da população Sem-Abrigo.

Modelo de atitudes face aos sem-abrigo em Portugal

Miguel, Marta; ISPA – Instituto Universitário; Ornelas, José; ISPA – Instituto Universitário; Maroco, João; ISPA – Instituto Universitário
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.42%
O presente estudo pretendeu confirmar o modelo de atitudes identificado nos estudos de opinião pública sobre os sem-abrigo, realizados nos E.U.A., com a mesma metodologia.O instrumento – “A Perspectiva da População sobre as Pessoas Sem-Abrigo: Estudo em Portugal” – foi aplicado por telefone a uma amostra da população portuguesa gerada aleatoriamente, e composta por um total de 200 pessoas contactadas para telefones fixos. A confirmação do Modelo de Atitudes revelou a existência de 8 factores de atitudes: Compaixão Geral, Restrições aos Direitos Públicos, Confiança nas Pessoas Sem-abrigo, Isolamento Social, Pessoas de Rua, Habitações/Serviços Necessários, Factores Económicos como Causa e Factores Pessoais como Causa.

A saúde mental dos sem abrigo: comunidades de inserção

Carrinho, Paula Cristina Moreira
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
56.63%
Pretendemos com este estudo caracterizar os sem abrigo, as suas redes e relações sociais, bem como os modelos de intervenção, de forma a que se possa ter um maior conhecimento acerca desta problemática. Para a consecução destes propósitos, foram delineados os seguintes objectivos: caracterizar a população sem abrigo em termos de variáveis sócio-demográficas; identificar a sua rede social de apoio; caracterizar as dimensões sociais associadas à vinculação adulta nos sem abrigo; caracterizar a incidência de psicopatologia nesta população; analisar o seu bem estar psicológico; caracterizar os acontecimentos de vida stressantes que contribuem para a emergência desta problemática. Para atingir estes objectivos foram realizados dois estudos, um de carácter quantitativo e um segundo de carácter qualitativo. Participaram 225 indivíduos (105 sem abrigo e 120 pessoas carenciadas) garantindo a homogeneidade nas variáveis sexo e idade. A média de idades da amostra total (n= 225) é de 38 anos, sendo que a maioria dos sujeitos desta investigação pertence ao sexo masculino (78,5%). O grupo dos sem abrigo foi recolhido em duas comunidades de inserção, na zona centro do país, sendo importante destacar que todos nesta fase têm apoio residencial...

Caracterização dos estilos de vida dos sem-abrigo da cidade do Porto

Campos, Filipa
Fonte: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto Publicador: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2010 POR
Relevância na Pesquisa
46.42%
O fenómeno dos sem-abrigo está em constante crescimento nos centros urbanos, na cidade no Porto o mesmo acontece, sendo esta uma realidade ainda pouco conhecida. Têm sido realizados alguns estudos sobre esta problemática, no entanto poucos incidem sobre a população portuguesa, pouco se sabe sobre como vivem estes indivíduos e sobre o que define o seu estilo de vida. Os estilos de vida têm vindo a ser uma área de crescente interesse para estudo, visto que afecta a nossa saúde e a longo prazo tem influência nos padrões de morbilidade e mortalidade. Com este estudo procurou-se caracterizar os sem-abrigo da cidade do Porto e os comportamentos que tipificam o seu estilo de vida, bem como verificar se existem variáveis dos estilos de vida que se encontram correlacionadas com a presença de sintomatologia psicopatológica. Para este efeito, foi realizado um inquérito por questionário a 30 pessoas que vivem na condição de sem-abrigo na cidade do Porto, através da administração de um questionário de estilos de vida e da Brief Psychiatric Rating Scale (BPRS). Concluímos que os sem-abrigo se caracterizam por ser do sexo masculino, solteiros de nacionalidade portuguesa e baixa escolaridade. Constatamos que a maioria apresenta comportamentos pouco saudáveis como fumar e não praticar exercício físico...

As redes do sem-abrigo e para o sem-abrigo em Coimbra

Gomes, Teresa Simões
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
56.45%
O presente estudo aborda a problemática dos sem-abrigo numa perspectiva institucional, pretendendo compreender de que forma é realizada a intervenção sócio-institucional aos sem-abrigo da cidade de Coimbra. Trata-se de um estudo descritivo das instituições de suporte social formal à população sem-abrigo na cidade de Coimbra que pretendeu conhecer não só o funcionamento, o tipo de respostas existentes, os equipamentos e recursos institucionais, como também compreender a organização do trabalho inter-institucional. Os principais instrumentos de recolha de informação foram um Questionário de Caracterização das Instituições e um Questionário de Rede que caracteriza as relações inter-institucionais. Os principais resultados vão de encontro à realidade institucional do país, destacando-se a escassez de respostas a nível da reintegração social do sem-abrigo, a sobreposição de respostas de carácter essencialmente assistencialista e uma desarticulação entre serviços e entidades que contrapõem o processo exequível da intervenção social com esta população-alvo. Concluímos ainda que a cidade de Coimbra reúne os meios para atingir os fins, desde que maximizados os recursos e potenciada a articulação inter-institucional...

Modelo de atitudes face aos sem-abrigo em Portugal

Miguel,Marta; Ornelas,José; Maroco,João
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
66.42%
O presente estudo pretendeu confirmar o modelo de atitudes identificado nos estudos de opinião pública sobre os sem-abrigo, realizados nos E.U.A., com a mesma metodologia. O instrumento - “A Perspectiva da População sobre as Pessoas Sem-Abrigo: Estudo em Portugal” - foi aplicado por telefone a uma amostra da população portuguesa gerada aleatoriamente, e composta por um total de 200 pessoas contactadas para telefones fixos. A confirmação do Modelo de Atitudes revelou a existência de 8 factores de atitudes: Compaixão Geral, Restrições aos Direitos Públicos, Confiança nas Pessoas Sem-abrigo, Isolamento Social, Pessoas de Rua, Habitações/Serviços Necessários, Factores Económicos como Causa e Factores Pessoais como Causa.

E se perguntássemos aos Sem-Abrigo?!! Satisfação e necessidades percepcionadas face aos serviços, num abrigo de Lisboa

Sousa,Fernando M. V. de; Almeida,Sandra M. de
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2001 PT
Relevância na Pesquisa
76.35%
Efectuou-se um levantamento das necessidades, preferências, e níveis de satisfação de uma amostra de indivíduos Sem-Abrigo face a vários serviços sociais. De uma forma prospectiva, analisou-se ainda a influência de vários factores na utilização desses serviços. A recolha de dados realizou-se num abrigo da cidade de Lisboa junto de 16 indivíduos do sexo masculino através de uma observação participante, da utilização de um questionário, e da consulta de registos internos da instituição. Os serviços indicados como sendo os mais necessários no último ano foram os relacionados com a obtenção de alimentação, vestuário, e abrigo, identificação e avaliação de necessidades, assistência médica (para problemas de saúde física), informação e protecção de direitos, emprego e cuidados dentários. A maior parte dos participantes considerou que a maioria dos serviços não iam ao encontro das suas necessidades. Consideraram ainda que os técnicos não se empenhavam o suficiente. Os resultados obtidos, apontam para a necessidade de desenvolver sistemas de apoio que se adaptem às necessidades, às especificidades e aos «ritmos» da população Sem-Abrigo.