Página 1 dos resultados de 34 itens digitais encontrados em 0.056 segundos

Traduzindo o Brazil: o país mestiço de Jorge Amado; Translating Brazil: Jorge Amado's mestizo country

Tooge, Marly D'Amaro Blasques
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
96.01%
O primeiro livro de Jorge Amado traduzido para o idioma inglês foi publicado nos Estados Unidos em 1945, pela Alfred A. Knopf Publishers, por meio de patrocínio do Departamento de Estado americano, que mantinha um programa de intercâmbio cultural como parte da Política de Boa Vizinhança do presidente Roosevelt. A literatura traduzida era, então, vista como um caminho para compreender o outro. Criou-se, a partir daí, um padrão de comportamento que perdurou por décadas. Érico Veríssimo, Gilberto Freyre, Alfred e Blanche Knopf, Samuel Putnam e Harriet de Onís foram atores importantes nesse cenário. Apesar de seu contínuo posicionamento de esquerda, após desligar-se do Partido Comunista no final da década de 1950, Jorge Amado tornou-se um bestseller norteamericano, como resultado dessa vertente diplomática e do renovado projeto de tradução (e de amizade) de Alfred A. Knopf. Entretanto, outras redes de influência também atuavam sobre a recepção da obra do escritor, fazendo com que ela fosse assimilada de forma própria, metonímica, diferente da que ocorreu em países do leste europeu, por exemplo. Esta pesquisa investigou a relação entre os atores mencionados, tais redes de influência e a representação cultural do Brasil na literatura traduzida de Jorge Amado nos Estados Unidos.; The first book by Jorge Amado in English translation was published in the United States in 1945 by Alfred A. Knopf Publishers...

Arquitetando a "Boa Vizinhança": a sociedade urbana do Brasil e a recepção do mundo norte-americano, 1876 - 1945; Constructing the good neighborhood: the Brazilian society and the reception of the american world, 1876 - 1945

Atique, Fernando
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/08/2007 PT
Relevância na Pesquisa
55.95%
Trata do processo de construção de diálogos entre o Brasil e os Estados Unidos, tendo como focos a arquitetura, o urbanismo e a sociedade brasileira que vivia em cidades, entre 1876 e 1945, período compreendido entre o ano da viagem de Pedro II aos Estados Unidos da América e o final da Segunda Guerra Mundial. Analisa quatro grandes eixos pelos quais a sociedade urbana do Brasil foi alcançada pelo mundo norte-americano: política e relações diplomáticas dos profissionais do espaço; disseminação de saberes técnicos e científicos capazes de alterarem a arquitetura, o urbano e a domesticidade brasileira; vinculação das instituições de ensino superior do país com o universo acadêmico estadunidense, sobretudo com a University of Pennsylvania. Aborda, ainda, a prática arquitetônica dentro dos princípios do Mission Style. Analisa como o Brasil foi, ao longo de sete décadas, tecendo relações que permitiram a construção de discursos e representações sobre o pan-americanismo. Mostra a relevância de se enxergar a relação do Brasil com os Estados Unidos como um processo no qual se arquitetou a Boa Vizinhança, explicitada com maior ênfase nos anos da Segunda Guerra.; This thesis explains the making of a relationship between Brazil and the United States. The period of study begins in 1876 when Pedro de Alcantara...

Fazer-se compositor: Camargo Guarnieri 1923-1945; Making a composer: Camargo Guarnieri 1923-1945

Egg, André Acastro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 10/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
65.75%
Este trabalho é um estudo a partir da correspondência de Camargo Guarnieri, das partituras de sua Obra de difusão interdita e de outras obras compostas entre 1928 e 1945. Nas cartas trocadas e nas partituras estão a relação com os professores de composição e os intelectuais e críticos com os quais o compositor trabalhou em colaboração no processo de fazer-se compositor sinfônico. Lamberto Baldi, Mário de Andrade, Curt Lange, Luiz Heitor, Charles Koechlin, Charles Seeger, Carleton Sprague Smith, Aaron Copland foram os interlocutores privilegiados desse processo no qual Guarnieri lutou para superar as limitações do meio musical brasileiro. Estabelecendo relação entre as obras e as demandas e comentários suscitados por elas, considerou-se que a composição da Sinfonia n° 1 entre 1942-44 e sua estréia em 1945 foi a culminância desse processo em que se construiu um compositor como reflexo e símbolo de seu meio musical, no âmbito das relações do modernismo, do Estado varguista, do americanismo musical, e da política de boa vizinhança e dos interesses do mercado de música sinfônica nos Estados Unidos.; This is a study from the letters of Camargo Guarnieri, the scores of his "Work of disseminating forbidden" and other works composed between 1928 and 1945. In the letters and in the scores are the testimony of a relation with teachers of composition and the intellectuals and critics with whom Guarnieri has worked in the making of a composer himself. Lamberto Baldi...

A cultura norte-americana como um instrumento do soft power dos Estados Unidos: o caso do Brasil durante a política de boa vizinhança

Galdioli, Andreza da Silva
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 147 f.
POR
Relevância na Pesquisa
116.17%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Relações Internacionais (UNESP - UNICAMP - PUC-SP) - FFC; A Política da Boa Vizinhança, lançada no governo Presidente Franklin Delano Roosevelt (1933-1945), sinaliza uma reorientação da política externa norte-americana para a América Latina. A postura agressiva dos Estados Unidos em suas relações com a região sul do continente americano desde o início do século XX mostrou-se contraproducente aos objetivos norte-americanos naquela área, especialmente considerando-se a crescente influência que a Alemanha nazista exercia entre os latinoamericanos. Nesse contexto, tomamos o caso brasileiro para demonstrar de que forma os Estados Unidos abandonam uma postura diplomática baseada no hard power (poder duro) e adotaram uma linha mais soft (branda) em sua política externa para a América Latina. Nesse sentido, busca-se, por meio desta pesquisa, apresentar a cultura norteamericana como um instrumento de poder dos Estados Unidos em suas relações com o Brasil à época da Segunda Guerra Mundial.; The Good Neighbor’s Policy, released in Franklin Delano Roosevelt’s government (1933-1945), sinalizes a new orientation in North American foreign policy for Latin America. The aggressive posture of the United States...

Além da segurança hemisférica: diplomacia, propaganda e política nas relações entre Brasil e Estados Unidos (1937-1946)

Valdez, Virgínia Mara Hinojosa
Fonte: [S. l.] Publicador: [S. l.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
96.06%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, Florianópolis, 2012; Esta dissertação tem como objeto a agência estadunidense Office of the Coordinator of Inter-American Affairs - CIAA, que funcionou de 1941 a 1946. Suas atividades condisseram com os auspícios da Política da Boa Vizinhança, em tempos de abandono da intervenção violenta pelos EUA. A intenção é, a partir da análise de sua trajetória, buscar os posicionamentos estadunidense e brasileiro frente a esse contexto de estreitamento das relações. Classificamos a agência como um canal de propaganda desenvolvida por destacados estadunidenses para manter apoio e público nos países vizinhos. Com o estudo, é possível perceber que esse destacado grupo se constitui, além dos maiores nomes do governo, de empresários de maior destaque financeiro do mundo. Isso foi desencadeado pela ponte feita pelo coordenador do CIAA, Nelson Rockefeller, escolhido diretamente pelo presidente Franklin Roosevelt, o que fez com que propaganda política e propaganda comercial ficassem embaralhadas. De outro lado, buscamos a postura do Brasil nesse processo (assim como o início do desenvolvimento de sua própria propaganda)...

Oswaldo Cabral na Terra da liberdade

Schemes, Elisa Freitas
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 134 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
75.8%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, Florianópolis, 2013.; ;

BRASIL-EUA: RELAÇÕES, COOPERAÇÃO E REVESES NA INDÚSTRIA CINEMATOGRÁFICA ESTADUNIDENSE,1939-1940

Goetzinger, Camila
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 88 páginas.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
75.75%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de História.; Em dezembro de 1939 é decretado no Brasil, junto com outras disposições, o Decreto-lei nº 1.949 que dispunha a respeito das leis de imprensa e propaganda no território nacional. Dentre as prerrogativas do decreto a seção de cinema chamou a atenção das autoridades estadunidenses e empresas cinematográficas que exportavam filmes para o Brasil. As maiores companhias cinematográficas dos EUA na época, já formando um cartel, contestavam a validade das alterações feitas por meio do decreto. Estavam previstas mudanças significativas nos valores das taxas para importação de filme estrangeiro no Brasil, eram variações que poderiam representar benefícios para o desenvolvimento do cinema nacional. A argumentação estadunidense sobre a causa se apoiou na regulamentação do Acordo Comercial Brasil-EUA assinado em 1935. O referido acordo isentava os EUA de mudanças na taxação para filmes virgens e impressos. Entre 1939 e 1942 a embaixada estadunidense no Brasil trocou mensagens com o Departamento de Estado dos EUA e intermediou um conflito que ficou em vias de confidencialidade entre o Brasil e os Estados Unidos (EUA)...

BRASIL-EUA: RELAÇÕES, COOPERAÇÃO E REVESES NA INDÚSTRIA CINEMATOGRÁFICA ESTADUNIDENSE,1939-1940

Goezinger, Camila
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 88 páginas
PT_BR
Relevância na Pesquisa
65.75%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Curso de História.; Em dezembro de 1939 é decretado no Brasil, junto com outras disposições, o Decreto-lei nº 1.949 que dispunha a respeito das leis de imprensa e propaganda no território nacional. Dentre as prerrogativas do decreto a seção de cinema chamou a atenção das autoridades estadunidenses e empresas cinematográficas que exportavam filmes para o Brasil. As maiores companhias cinematográficas dos EUA na época, já formando um cartel, contestavam a validade das alterações feitas por meio do decreto. Estavam previstas mudanças significativas nos valores das taxas para importação de filme estrangeiro no Brasil, eram variações que poderiam representar benefícios para o desenvolvimento do cinema nacional. A argumentação estadunidense sobre a causa se apoiou na regulamentação do Acordo Comercial Brasil-EUA assinado em 1935. O referido acordo isentava os EUA de mudanças na taxação para filmes virgens e impressos. Entre 1939 e 1942 a embaixada estadunidense no Brasil trocou mensagens com o Departamento de Estado dos EUA e intermediou um conflito que ficou em vias de confidencialidade entre o Brasil e os Estados Unidos (EUA)...

Fotografia e a cultura política nos tempos da política da Boa Vizinhança

Mauad,Ana Maria
Fonte: Museu Paulista, Universidade de São Paulo Publicador: Museu Paulista, Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
86.03%
O artigo analisa a produção fotográfica de Genevieve Naylor, fotógrafa contratada pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos para produzir a imagem do Brasil como um bom vizinho, durante a Segunda Guerra Mundial. Na abordagem busca-se traçar paralelos entre a presença cultural da população negra nos Estados Unidos e no Brasil, por meio da análise do conteúdo e da expressão das imagens fotográficas produzidas por Naylor no Rio de Janeiro; dos contatos que ela estabeleceu com a intelectualidade brasileira e, finalmente, das letras de duas musicas cantadas por Carmen Miranda, um dos ícones da cultura popular de massa que configurava no Brasil dos anos 1940, a relação entre o nacional e o popular.

Genevieve Naylor, fotógrafa: impressões de viagem (Brasil, 1941-1942)

Mauad,Ana Maria
Fonte: Associação Nacional de História - ANPUH Publicador: Associação Nacional de História - ANPUH
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 PT
Relevância na Pesquisa
75.95%
Genevieve Naylor fotografa o Brasil, em1941 e 1942, sob os auspícios do Officeof Inter-American Affairs (OIAA), órgãodirigido por Nelson Rockefeller eresponsável pela implementação da Políticada Boa Vizinhança. Em 1943, Nayloré convidada a expor no Museu de ArteModerna de Nova York (MoMA) e,depois, em vários museus dos EstadosUnidos, suscitando diferentes impressões.Naylor formou-se influenciada pelageração de fotógrafos que nos anos 30transformaram a imprensa ilustrada noprincipal meio de acesso ao mundo, e viajou como funcionária do governo deseu país, tendo de cumprir protocolos fotográficos bem definidos. O resultado desse jogo de influências é um conjunto de fotografias analisadas neste artigo buscando compreender o seu impacto na conformação de uma certa imagem de Brasil para os "vizinhos" norte-americanos.

A América Latina de Erico Verissimo: vizinhança, fraternidade, fraturas

Minchillo,Carlos Cortez
Fonte: Pós-Graduação em História, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais. Publicador: Pós-Graduação em História, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
65.86%
A trajetória literária e intelectual de Erico Verissimo perfaz uma rota de aproximação com a América Latina, cujos marcos mais importantes são o relato de viagem México e o romance O senhor embaixador. Este artigo analisa como se desenvolveu a compreensão do escritor brasileiro sobre a América Latina. Argumento que os Estados Unidos constantemente funcionam como contraponto e fator condicionante dessa leitura, o que pode ser associado ao debate intelectual fortemente polarizado na América Latina no contexto da Política de Boa Vizinhança e da Guerra Fria. Procuro mostrar ainda que essa polarização ideológica, somada a atributos da fatura ficcional de seus romances, levaram Erico Verissimo a permanecer em uma posição relativamente marginal no cenário cultural internacional durante os anos do boom literário latino-americano.

Érico Veríssimo, um embaixador cultural nos Estados Unidos

Smith,Richard Cándida
Fonte: EdUFF - Editora da UFF Publicador: EdUFF - Editora da UFF
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66%
Este artigo examina os objetivos do governo dos EUA em convidar o escritor Érico Veríssimo para sucessivas viagens a partir de 1941 quando travou contato com editores, crítica e público. Analisa ainda as consequências que sua longa permanência nos EUA teve sobre sua carreira; explora os fatores que contribuíram para o sucesso de Veríssimo nos EUA, ao mesmo tempo em que examina as dificuldades que enfrentou na negociação com os editores norte-americanos; finalmente, avalia o papel assumido por Veríssimo, em suas conferências públicas, como o promotor de um maior entendimento sobre o Brasil no marco da política da Boa Vizinhança e a construção de instalações militares no interior do Brasil.

Da Diplomacia do Dólar à Diplomacia da Boa Vizinhança: continuidades e diferenças na política dos Estados Unidos para a América Latina (1898-1933)

Bastos,Pedro Paulo Zahluth
Fonte: Nova Economia Publicador: Nova Economia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
76.24%
O artigo indaga as alterações e a continuidade da política dos EUA para a América Latina, com a substituição da Diplomacia do Dólar pela Boa Vizinhança nos anos 1930. Este também aborda de início a Diplomacia do Dólar, identificando suas origens antes do que tradicionalmente aceito. A conclusão é que tal política não conseguiu criar uma zona de influência segura na América do Sul, sendo ameaçada pela Grande Depressão, pela projeção alemã e pelo nacionalismo latino nos anos 1930. O artigo discute as origens da Política da Boa Vizinhança, rejeitando que priorizaria a segurança militar, em vez de objetivos econômicos: considerações econômicas continuavam essenciais, assumindo inclusive um papel mais estratégico do que antes por causa das necessidades de abertura de mercados para exportações, de garantias de importação de minerais e outros bens, e da pressão política de movimentos nacionalistas sobre filiais estadunidenses.

Nas entrelinhas da boa vizinhança

Gatti, Maria Antônia Girardello
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 250 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
126.24%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, Florianópolis, 2013.; Este trabalho buscou analisar as relações entre política e literatura em diferentes instâncias da Política de Boa Vizinhança, exercida entre Brasil e Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial. O fio condutor foram as duas viagens de Erico Verissimo para os Estados Unidos, em 1941 e 1943. Partindo-se de uma abordagem materialista da literatura ao analisar as narrativas de viagem feitas pelo romancista, levou-se forma e conteúdo das obras, considerando-as determinadas pelo seu tempo. A análise da literatura de viagem ofereceu um ponto de vista diferenciado ao discurso oficial da Boa Vizinhança, que foi inserido num contexto de ambiguidade nas relações entre os intelectuais e o Estado Novo. Adicionando-se ao estudo destas viagens as investigações do FBI e do DOPS a respeito do posicionamento político do autor e sua obra, e as correspondências da embaixada estadunidense no Brasil e da imprensa da época, pôde-se compreender a formação de fortes vínculos entre as esferas política e cultural, num diálogo entre os dois países que foi pautado no panamericanismo e no anticomunismo. Tal situação coincidiu ainda com os esforços para a construção de uma identidade nacional brasileira...

El hogar de la victoria

Glik, Monica Sol
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 295 p.| il.
SPA
Relevância na Pesquisa
75.75%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, Florianópolis, 2015.; O tema de esta tese é o impacto da ofensiva cultural estadunidense no Brasil e na Argentina, durante a Segunda Guerra Mundial. O estudo foi realizado em perspectiva transnacional, com uma abordagem cultural. Nos dois primeiros capítulos foi apresentada a revista estadunidense The Reader's Digest, cujas edições em castelhano e português foram um importante dispositivo de propaganda implementado pela diplomacia cultural norteamericana. Articulada pela Office of Cordinator of Interamerican Affaires (OCIAA) durante o governo do presidente Franklin Delano Roosevelt, tinha como objetivo garantir o êxito da sua política de Boa Vizinhança em América Latina e afastar a ameaça da propaganda nazifascista no sul do continente. Nesta primeira parte da pesquisa a revista foi examinada dentro do contexto da sua produção, o Panamericanismo. No terceiro capítulo foram indagadas as motivações do governo estadunidense para a implantação de esta ofensiva cultural. Foi escolhida uma amostra representativa das publicações financiadas pela embaixada alemã na Argentina, país que aparece na documentação como foco principal das preocupações de Washington. No quarto capítulo foi examinado o impacto desta ofensiva cultural e da chegada do modelo de vida estadunidense na esfera privada. As edições latino-americanas de The Reader's Digest...

“IMAGENS PROJETADAS DO IMPÉRIO” O CINEMA HOLLYWOODIANO E A CONSTRUÇÃO DE UMA IDENTIDADE AMERICANA PARA A POLÍTICA DE BOA VIZINHANÇA

Zagni, Rodrigo Medina
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Artes, Ciência e Humanidades. PROLAM Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Artes, Ciência e Humanidades. PROLAM
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2008 POR
Relevância na Pesquisa
86.06%
Este trabalho tem como objetivo compreender o processo de instrumentalização política da industria cinematográfica nos EUA nas décadas de 1930 e 1940, no contexto de implementação da“política da boa vizinhança” para a América Latina. Nosso foco de análise é a vinda de agentes dessa política com a missão de construir, por meio do cinema, uma identidade única na qual coubessem latino-americanos e estadunidenses, no esforço defensivo para a guerra que se anunciava.

Brazil builds in Campinas: a symbolic tool of the strategy to legitimate the implementation of the urban-improvement plan; Brazil builds em Campinas: uma ferramenta simbólica da estratégia de legitimação de implantação do plano de melhoramentos urbanos; Brazil builds en Campinas: una herramienta simbólica de la estrategia de legitimación de implantación del plan de mejorías urbanas

Zakia, Silvia A. Palazzi
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2010 POR
Relevância na Pesquisa
75.81%
Este artículo trae una reflexión sobre la exposición Brazil Builds que se presentó en Campinas en febrero de 1945. La ciudad era parte del circuito de la exposición que comenzó el 13 de enero de 1943 en el Museum of Modern Art de Nueva York (MoMA). El evento nos lleva a reflexionar sobre cómo se han concertado los distintos intereses involucrados en su realización en esa ciudad. Los esfuerzos del poder público y de sectores de la elite local evidencian una tela de intereses relacionados a la exposición de arquitectura. El objetivo principal es discutir las estructuras de poder locales que se han beneficiado de la dimensión simbólica del arte, usando la exposición como instrumento para legitimar la implantación de un plan de urbanismo para la ciudad (Plan de Mejorías Urbanas), que fue desarrollado por el urbanista Prestes Maia, contratado por la alcadía de la ciudad desde 1934. Ese plan era una parte de un gran proyecto para modernizar la ciudad.; This article presents a discussion of the Brazil Builds Architectural Exhibition, held in Campinas in February 1945. Campinas was part of the exhibition tour that began on January 13, 1943 at the Museum of Modern Art (MoMA), New York, USA. Brazil Builds provides us with an opportunity to reflect on how the various interests involved in holding the Campinas event were brought together. The public authority and local elites commitment to the event revealed a web of interests linked to the architectural exhibition. The primary aim of the present article is to discuss how the local power structures took advantage of this symbolic dimension of art by using the exhibition as a tool to help legitimate the city's urban-improvement plan (Plano de Melhoramentos Urbanos)...

Tendências e dilemas da antropologia norte-americana: sobre a história do Instituto de Antropologia Social da Smithsonian Institution e sua presença no Brasil

Figueiredo, Regina Érika Domingos de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2010 POR
Relevância na Pesquisa
75.88%
Este artigo trata da história do Instituto de Antropologia Social da Smithsonian Institution, uma agência responsável pela cooperação de pesquisadores norte-americanos com instituições latino-americanas no campo das ciências sociais, entre 1943 e 1952. Considerando suas conexões com a conjuntura geopolítica do período - marcada pelos esforços de guerra, pela Política da Boa Vizinhança e pelo investimento em programas de assistência técnica e desenvolvimento - a trajetória do instituto expressa as interfaces entre ciência e política e expõe as tensões entre pesquisa básica e aplicada. As atividades, tomadas de posição e negociações da equipe do Instituto também ilustram algumas das tendências e alguns dos dilemas da antropologia americana do pós-Segunda Guerra. Do mesmo modo, o programa de pesquisa seguido nos conta sobre a agenda da disciplina no continente. Os antropólogos e sociólogos da Smithsonian atuaram nas áreas de ensino e pesquisa no México, no Peru, na Colômbia e no Brasil, mas este trabalho aborda o convênio bilateral com a Escola de Sociologia e Política de São Paulo.; This paper is about the history of Smithsonian Institution's Institute of Social Anthropology, which was an agency in charge of the cooperation involving North-American researchers and Latin-American institutions in the social sciences...

Da diplomacia do dólar à diplomacia da boa vizinhança: continuidades e diferenças na política dos Estados Unidos para a América Latina (1898-1933)

Bastos, Pedro Paulo Zahluth; Instituto de Economia - UNICAMP
Fonte: Nova Economia; Nova Economia Publicador: Nova Economia; Nova Economia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 13/08/2015 POR
Relevância na Pesquisa
86.24%
O artigo indaga as alterações e a continuidade da política dos EUA para a América Latina, com a substituição da Diplomacia do Dólar pela Boa Vizinhança nos anos 1930. Este também aborda de início a Diplomacia do Dólar, identificando suas origens antes do que tradicionalmente aceito. A conclusão é que tal política não conseguiu criar uma zona de influência segura na América do Sul, sendo ameaçada pela Grande Depressão, pela projeção alemã e pelo nacionalismo latino nos anos 1930. O artigo discute as origens da Política da Boa Vizinhança, rejeitando que priorizaria a segurança militar, em vez de objetivos econômicos: considerações econômicas continuavam essenciais, assumindo inclusive um papel mais estratégico do que antes por causa das necessidades de abertura de mercados para exportações, de garantias de importação de minerais e outros bens, e da pressão política de movimentos nacionalistas sobre filiais estadunidenses.

A Política de boa vizinhança chinesa no contexto da integração regional asiática

Carletti, Anna; Universidade Federal do Pampa
Fonte: Meridiano 47; Meridiano 47 Publicador: Meridiano 47; Meridiano 47
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 23/08/2012 POR
Relevância na Pesquisa
96.05%
O artigo visa analisar a evolução da política externa chinesa de Deng Xiaoping a Hu Jintao e os princípios norteadores da política externa chinesa na primeira década do século XXI. Serão analisadas também as estratégias usadas pelo governo chinês para acalmar os temores de seus vizinhos em relação ao seu crescimento. The article analyses Chinese foreign policy’s evolution from Deng Xiaoping to Hu Jintao  and the guiding principles of China's foreign policy in the first decade of the 21st century. It will be also evaluate the strategies used by the Chinese government to calm the fears of his neighbors in relation to its growth.