Página 1 dos resultados de 3406 itens digitais encontrados em 0.082 segundos

Controle judicial da política pública de vigilância sanitária: a proteção da saúde no Judiciário; Judicial review of public policy for health surveillance, health protection in the Judiciary

Sá, Maria Célia Delduque Nogueira Pires de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
115.87%
A Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 elevou a saúde como direito social fundamental e constituiu o Sistema Único de Saúde com competência para as ações e serviços de saúde, incluídas as de vigilância sanitária. As ações e serviços da área formulam-se e implementam-se por intermédio de políticas públicas adotadas pelo Poder Público. As referidas políticas são programas de ação governamental que se valem de normas jurídicas e têm estimulado a reflexão dos juristas, em vista, especialmente, de frequentes decisões judiciais sobre políticas públicas, mais notadamente, nas de caráter social. Em vigilância sanitária há o estabelecimento de políticas públicas, por parte da União, que tem na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) seu órgão executor, em nível federal. A Anvisa, para executar a política pública de vigilância sanitária, formula atos que regulam essa atividade. Tais atos, muitas vezes, são questionados judicialmente. Esta pesquisa analisou as decisões judiciais federais, entre os anos de 1999 e 2007, em que a Anvisa figurou no pólo passivo da relação processual, com o intuito de observar se o Poder Judiciário, ao decidir sobre essa importante matéria...

Estado, sociedade e descentralização da política pública de saúde no México (1982-2000) e no Brasil (1985-1998): construindo um novo domínio público em contextos de dupla transição política; State, society and decentralization of public health policy in México (1982-2000) and Brazil (1985-1998): building a new public domain in contexts of double political transition

Saddi, Fabiana da Cunha
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/10/2004 PT
Relevância na Pesquisa
115.88%
Esta pesquisa analisa o processo recente de reforma da política pública de saúde para a população não-assegurada, no México (1982-2000) e no Brasil (1985-1998), como um processo de legitimação política, em construção nas esferas políticas macro (nacional) e micro (estadual no México e municipal no Brasil), e em articulação com as esferas da sociedade civil e econômica. Enfocaremos as estratégias de descentralização, construídas em distintos contextos de dupla transição a fim de integrar a população não-assegurada na política. O problema da legitimação da nova política pública - legalizada e reivindicada como legítima pela autoridade macro, porém dificilmente reconhecida durante a decisão e implementação nas esferas políticas micro -, será relacionado à problemática da identidade, isto é: ao fato do novo ser construído não apenas por novos atores e instituições, mas também por atores e instituições ainda identificados com a velha concepção de público que se pretende substituir/reformar. Estabeleceremos conexões entre os processos políticos macro e micro, verificando as formas distintas como as legalidades reivindicadas pelo poder macro nacional, em cada fase da reforma e país, foram realizadas no nível micro sub-nacional. A análise demonstra que um padrão mais amplo de participação direta na decisão macro...

O poder judiciário e o controle do conteúdo das políticas públicas de saúde; Le Pouvoir Judiciaire et le contrôle du contenu des politiques de santé publique.

Santana, Izaias José de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
115.88%
É desafiador efetivar os direitos sociais declarados nos documentos internacionais e proclamados na Constituição, ante as transformações da sociedade brasileira nela projetadas. Os juristas defendem a aplicabilidade imediata, por decisão do Poder Judiciário, ante a omissão dos poderes políticos. Todavia, a efetividade dos direitos sociais exige muito mais que uma teoria jurídica de classificação das normas constitucionais. A discussão meramente teórica em torno da efetividade esconde os verdadeiros obstáculos para a efetividade de tais direitos. Esses direitos se efetivam e se efetivaram ao longo de um processo histórico de conquista, característica que os torna dependentes do fenômeno político. Uma abordagem correta das normas constitucionais veiculadoras dos direitos sociais e mais especificamente do direito à saúde, deve, em um primeiro plano, abordar como o Estado realiza o dever de prestar o serviço público de saúde. A Constituição estabelece que o serviço público de saúde terá duas características fundamentais: a universalização e a isonomia. A individualização da prestação precisa, necessariamente, atender ao critério da igualdade, considerando o universo de todos os beneficiários da política e a possibilidade de sua universalização...

Análise da política pública de saúde no Brasil e na Venezuela: entre a privatização e a universalização

Rocha, Daiane
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 135 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
145.82%
TCC (Graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Socioeconômico, Curso de serviço social.; Este trabalho de conclusão de curso pretende compreender o processo de privatização na política social como orientação às economias dependentes latinoamericanas alinhadas ao neoliberalismo, bem como a inserção da iniciativa privada na construção das Políticas Públicas de Saúde, através de estudo bibliográfico de fontes primária e secundária sobre dois países latino-americanos: Brasil e Venezuela, cujo processo histórico-popular possui suas peculiaridades, mas também características em comuns. As conjunturas de ambos os países, nos trazem subsídios para compreensão da realidade sul-americana. Elementos tais como, o avanço do neoliberalismo sobre o continente, que no Brasil se expressa na inserção da iniciativa privada na gestão e operação de políticas públicas, desmantelando os direitos sociais e inibindo o controle social. Em contra posição, observamos a experiências de libertação e participação popular na construção das políticas públicas na Venezuela, onde, por meio do processo de construção sócio-histórica evidência - se o protagonismo popular na efetivação dos direitos sociais...

A política nacional de saúde bucal no Brasil no contexto do Sistema Único de Saúde; The national policy on oral health in Brazil in the context of the Unified Health System; La política nacional de salud bucal en Brasil en el contexto del Sistema Único de Salud

Lucena, Edson Hilan Gomes de; Pucca Júnior, Gilberto Alfredo; Sousa, Maria Fátima de
Fonte: Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) do Departamento de Saúde Coletiva (DSC) da Universidade de Brasília (UnB) Publicador: Núcleo de Estudos de Saúde Pública (NESP) do Departamento de Saúde Coletiva (DSC) da Universidade de Brasília (UnB)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
115.86%
O presente artigo discorre sobre o modelo de atenção em saúde bucal implantado no Sistema Único de Saúde do Brasil na última década. Este modelo pautase como uma política subsetorial que ao longo destes anos segue buscando a melhoria da qualidade de vida da população brasileira. Por meio de uma linha cronológica o estudo apresenta a Política Nacional de Saúde Bucal – Brasil Sorridente como um modelo de atenção contra hegemônico às práticas odontológicas até então existentes no país. A reorganização dos níveis de atenção em saúde bucal, a criação de referências na atenção secundária, por meio dos Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) e Laboratórios Regionais de Prótese Dentária (LRPD), o financiamento diferenciado e a gestão descentralizada dos recursos financeiros mostraram-se capazes de ampliar as ações de saúde bucal para mais de 90 milhões de habitantes. A evolução apresentada após a implantação do Brasil Sorridente, ocorrida no ano de 2004, comprova a maior inserção da atenção em saúde bucal no Sistema Único de Saúde, bem como a ampliação da oferta de ações e serviços de saúde bucal em todo o Brasil. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT; This article discusses the model of care in oral health implanted in the Unified Health System of Brazil in the last decade. This model is guided a policy that over the following years trying to improve the quality of life of the population. Through a timeline study presents the National Policy on Oral Health - Smiling Brazil as a model of care against the hegemonic dental practices in the country until then. The reorganization of the levels of care in oral health...

Caminhos da Política Nacional de Saúde da população negra : ideias, atores, interesses e institucionalidade

Almeida, Maria Vilma Bonifácio de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
115.89%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2013.; A Política Nacional de Saúde Integral da População Negra (PNSIPN) foi formulada especialmente pela ação dos atores sociais dos movimentos negros em articulação com o Ministério da Saúde e com a participação de intelectuais nos anos 2004-2010. A temática da população negra brasileira vem assumindo relevância cada vez maior nas discussões contemporâneas desde a (re) democratização do país, sem excluir o período fértil de protagonismo do movimento negro e de seus intelectuais orgânicas nos anos 30 com a criação de suas organizações. O tema de Saúde da população negra se inseriu na agenda política do governo desde a Marcha de Zumbi dos Palmares contra o Racismo pela Cidadania e a vida realizada em 1995, um século após a morte do herói do movimento social negro, a Conferência de Durban em 2001 e a criação da Secretaria de Políticas de Promoção de Igualdade Racial (SEPPIR) (2003). Trata-se de uma pesquisa empírica de exploração qualitativa que permite analisar os fatos sociopolíticos dos diferentes contextos da formulação da PNSIPN. Para aprofundamos nessa compreensão...

Limites da participação de cidadãos na política pública de saúde : proposta de uma metodologia de avaliação; Limits to citizen participation in public health policy : proposal for an evaluation methodology; Límites a la participación ciudadana en la política de salud pública : propuesta de una metodología para la evaluación

Gonçalves, Andréa de Oliveira; Gonçalves, Rodrigo de Souza; Welfort, Elionor Farah Jregue
Fonte: Núcleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB) Publicador: Núcleo de Estudos em Educação, Promoção da Saúde e Projetos Inclusivos (NESPROM), do Centro de Estudos Avançados Multidiciplinares (CEAM), da Universidade de Brasília (UnB)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
125.93%
A gestão participativa nos conselhos locais de saúde é uma possibilidade de se estabelecer democraticamente as regras, as normas e acima de tudo, a possibilidade de melhorar o desempenho e a efetividade da política pública de saúde. Os conselhos de saúde no Brasil têm atribuições deliberativas e funcionam em caráter permanente, com os mais diversos segmentos da sociedade. No entanto, esses mesmos conselhos apresentam limitações no que diz respeito à deliberação e fiscalização da política pública. Este artigo discute portanto as limitações que os conselhos de saúde apresentam, a partir da identificação de determinantes da gestão participativa. A pesquisa é de natureza qualitativa e descritiva. Os resultados da pesquisa apontaram que a gestão participativa é fato estimulador de criação de espaços de mobilização, apesar das dificuldades e limitações. Estas dificuldades são entendidas como a interrupção de processos, falta de novas lideranças, não controle dos recursos, interferência da opinião técnica e apresentação de projetos que não se ajustam às demandas da população. Portanto, à medida que o modelo de gestão desses conselhos avança em direção à maior participação, o desempenho da política pública local de saúde tende a ser mais eficiente. ________________________________________________________________________________________ ABSTRACT; Participatory management in local health councils could be a way of establishing democratic rules...

Política pública de saúde do trabalhador : análise da relação entre a agenda nacional e a do Distrito Federal; Public Health Policy for Workers : analysis of the relationship between the national agenda and the Federal District agenda; La Política Pública de Salud de los Trabajadores : análisis de la relación entre la agenda nacional y la agenda del Distrito Federal

Souza, Joseane Prestes de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
126.01%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, 2013.; Em 2012, foi publicada a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora, com a proposta de desenvolver, de forma descentralizada nos estados e municípios, ações de promoção, prevenção, atenção à saúde e controle de agravos relacionados ao trabalho. Esta pesquisa investigou a inclusão da Saúde do Trabalhador (ST) nas políticas públicas do Brasil e do Distrito Federal (DF), com os objetivos de: analisar a relação entre as agendas nacional e do DF no desenvolvimento da política pública de ST; analisar como foi instituída a ST como política pública de saúde no Brasil; reconhecer as recomendações relacionadas à ST nas conferências de saúde nacional e distrital; identificar como este tema se insere nos planos de saúde do governo federal e do governo do DF. Foi realizada pesquisa qualitativa descritiva e exploratória, cuja coleta de dados deu-se por entrevistas com atores-chaves do Ministério da Saúde, da Secretaria de Saúde do DF e do Controle Social, e pela análise documental de portarias, resoluções, planos de saúde, relatórios de conferências nacionais e distritais. O tratamento dos dados foi por análise de conteúdo...

Política Nacional de Saúde Bucal: fatores associados à integralidade do cuidado

Chaves,Sônia Cristina Lima; Barros,Sandra Garrido de; Cruz,Denise Nogueira; Figueiredo,Andreia Cristina Leal; Moura,Bárbara Laisa Alves; Cangussu,Maria Cristina Teixeira
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
115.82%
OBJETIVO: Analisar fatores relacionados à integralidade na assistência à saúde bucal em centros de especialidades odontológicas segundo os princípios norteadores da Política Nacional de Saúde Bucal. MÉTODOS: Estudo exploratório transversal baseado em entrevista com 611 usuários de quatro centros de especialidades odontológicas da Bahia em 2008. A variável dependente foi descrita como "integralidade na saúde bucal", correspondente à realização de tratamento odontológico básico antes do tratamento especializado ou concomitante a este. As principais co-variáveis se referiram a cobertura da estratégia saúde da família no município, características sociodemográficas dos usuários, acessibilidade organizacional e geográfica ao serviço, além do tipo de especialidade demandada. RESULTADOS: Residentes de cidades em que o Programa Saúde da Família tinha cobertura > 50% tiveram mais chance de concluir o tratamento odontológico (RP = 2,03, IC 95%: 1,33;3,09) em relação àqueles residentes em locais com cobertura menor. Quem buscou tratamento endodôntico teve mais chance de receber assistência integral à saúde bucal do que os usuários em busca de outras especialidades (RP = 2,31, IC 95%: 1,67;3,19). Os usuários com maior facilidade no acesso geográfico ao serviço especializado (RP = 1...

A política pública de saúde brasileira: representação e memória social de profissionais

Oliveira,Denize Cristina de; Sá,Celso Pereira de; Gomes,Antonio Marcos Tosoli; Ramos,Raquel de Souza; Pereira,Noraisa Alves; Santos,Weena Costa Rocha dos
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
115.84%
A política pública brasileira de saúde, conhecida como Sistema Único de Saúde (SUS), foi criada há 15 anos, objetivando prover o acesso universal aos cuidados de saúde. Este trabalho objetiva caracterizar o conteúdo das representações sociais construídas pelos profissionais de saúde sobre a implantação do SUS, na cidade do Rio de Janeiro. Ele foi embasado na Teoria de Representação e Memória Social. O estudo foi desenvolvido em cinco instituições de saúde com cem profissionais. Os dados foram coletados através de entrevistas em profundidade e analisados através da análise lexical com o uso do programa Alceste, versão 4.7. Os resultados apontaram dois blocos temáticos, o SUS formal e o real. O primeiro compreende as temáticas relacionadas à política de recursos humanos, às definições e princípios do sistema de saúde e à participação social. O segundo abarca a relação profissional-cliente e a estrutura do atendimento, a hierarquização e a regionalização da assistência e a estrutura do atendimento e o perfil da clientela. Os resultados refletem as principais características do sistema e permitem identificar representações e memórias que o diferencia do anterior.

Os rumos do Estado brasileiro e o SUS: a seguridade social como politica pública da sociedade e Estado

Noronha,José Carvalho de
Fonte: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública. Publicador: Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo.; Associação Paulista de Saúde Pública.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
115.86%
A partir de uma breve revisão histórica da construção da política de seguridade social no Brasil a partir do primeiro governo de Getúlio Vargas, analisa-se sua evolução recente com destaque à Constituição de 1988 e aos anos 1990. Os constrangimentos fiscais impostos naquele período são examinados, bem como suas conseqüências sobre a seguridade social e sobre a saúde, em particular. Conclui-se com a apresentação de um conjunto de diretrizes para a implementação de uma política nacional de saúde universalista e democrática. Transversalmente, são discutidas as opções conservadoras de política econômica adotadas no país e seu impacto sobre a saúde das pessoas e sobre o desenvolvimento das políticas sociais.

Violência contra a mulher e política pública de saúde: as contradições nos serviços de assistência à mulher vítima de violência sexual

Jeane de Santana, Adriana; de Fátima Gomes de Lucena, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
115.84%
Este trabalho tem como objetivo analisar as contradições presentes na formulação da política pública de saúde voltada ao enfrentamento da violência sexual contra mulheres e sua objetivação no âmbito do serviço público de saúde. Estamos compreendendo saúde como o resultado das condições de vida dos indivíduos, e enfatizando a categoria trabalho como fundante do ser social, portanto, violência como a negação desta condição ontológica, bem como a influência das categorias gênero, raça e classe nas formas de adoecimento e morte das pessoas. Dentre essas formas a violência contra a mulher e sua recente inclusão na agenda pública de saúde. A análise foi realizada a partir de documentos oficiais, nossa experiência de oito anos na unidade de saúde estudada, e das falas dos/das profissionais de saúde que atuam no programa de assistência a mulheres vítimas de violência sexual em foco neste estudo. Concluímos que apesar dos avanços conquistados quanto ao enfrentamento à violência contra a mulher, as ações de saúde têm sido desenvolvidas sob o signo da medicalização da questão. As contradições postas nesse enfrentamento localizam-se no campo de lutas contínuas para ampliar práticas de saúde reducionistas...

Potencialidades e desafios da política pública de saúde para o desenvolvimento socioambiental: discussão das unidades de pronto atendimento (UPAs)

Silva, Katielle Susane do Nascimento; Castilho, Cláudio Jorge Moura de (Coorientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
145.91%
A atual gestão do Governo de Pernambuco vem implantando, numa perspectiva desconcentradora da demanda, a ação de expansão espacial das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), as quais vêm trazendo “inovações” ao campo da saúde pública. Mas, considerando que a qualidade de serviço de saúde não diz respeito apenas à existência de unidades de saúde, este trabalho teve como objetivo avaliar em que medida a atual política pública de saúde, com a implantação das UPAs, está promovendo desenvolvimento socioambiental, a partir do estudo dos impactos socioambientais, positivos e negativos, planejados ou não, decorrentes dessa política. Para tanto, foram entrevistados no total 140 usadores divididos entre usadores e moradores/usadores do entorno imediato da UPA Barra de Jangada. O método de abordagem utilizado foi o da teoria social crítica, a partir do qual analisamos a materialização da política em causa partindo de como ela funciona, com o propósito de pensar como ela poderia ser configurado. Concluiu-se que as UPAs se apresentam como importantes inovações técnicas que vêm promovendo bem estar e garantindo conforto e segurança às pessoas, seja pela sua distribuição desconcentrada dentro do território seja pela sua ótima estrutura física. Mas...

As diretrizes da política pública de saúde bucal e suas inflexões nos serviços da Clínica Odontológica da UFRN

Pinto, ângela Cristina Oliveira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Serviço Social; Serviço Social, Formação Profissional, Trabalho e Proteção Social; Serviço Social, Cultura e Relaçõe Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Serviço Social; Serviço Social, Formação Profissional, Trabalho e Proteção Social; Serviço Social, Cultura e Relaçõe
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
115.83%
The crisis that the Brazilian State have been crossing throughout the last decades has revealed intense oscillations in the the way of life of the population reality. In the health area, specifically of buccal health, new alternatives of attending to demands for odontological services have been increasing from the 1990 decade. The research had as objective to analyze the demand of the services of the clinic-school of odontology of the UFRN to identify the socio-economic profile of the users and the inflections of the standards of the National Politics of Buccal Health. The methodology is based on a dialectic perspective and a quali-quantitative boarding. It was used as instrument of data collection forms with open and closed questions, applied to two distinguished groups of citizens: 53 users of the services and 12 pupils of 9th and 10th term of the Odontology Course. The results reaffirm that, with the aggravation of the crisis of SUS (Sistema Único de Saúde- Single Health System) grow the difficulties of accessing the odontological services of the users majority. The subjects of the research make use of a regular socio-economic condition, with high school, own house, formal bond to labor and monthly medium income between 1 and 2 minimum wages. The conclusive analyses point to the selective and exculpatory character of the buccal health right...

The Compulsory Licensing of Medicine as Health Policy of the State; A licença compulsória de medicamentos como política pública de saúde

Campos, Thana Cristina de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Direito Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Direito
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2007 POR
Relevância na Pesquisa
125.79%
A despeito de, no plano teórico, a supremacia dos direitos humanos - especialmente do direito à saúde - sobre as regras de comércio internacional estar consolidada, sobremaneira após os resultados alcançados na Rodada Doha, a realidade prática da ordem diplomática internacional mostra-se permeável às resistências impostas pelas “forças centrífugas da fragmentação”. Ou seja, os fortes interesses econômicos dos atores estatais (leia-se países desenvolvidos) e não-governamentais (farmacêuticas transnacionais, no caso em tela) vertem-se em cautelas e seletividades que acabam por fragilizar a visão cooperativa kantiana das relações internacionais. No entanto, a licença compulsória de medicamentos pode ser o exemplo de um poderoso instrumento de realização do Direito Humano Fundamental à Saúde, minorando, por conseguinte, os efeitos da pobreza e exclusão social e implementando, por conseguinte, o Direito ao Desenvolvimento. Analisa-se a licença compulsória como poderoso instrumento de política de saúde do Estado em seu dever de assegurar o Direito à Saúde, mediante o acesso a medicamentos essenciais a sua população.; Despite the fact that on the theoretical level the supremacy of human rights – especially the right to health – over the rules of international commerce is consolidated...

Política Nacional de Saúde Bucal: fatores associados à integralidade do cuidado; Política Nacional de Salud Bucal: factores asociados a la integración del cuidado; Brazilian Oral Health Policy: factors associated with comprehensiveness in health care

Chaves, Sônia Cristina Lima; Barros, Sandra Garrido de; Cruz, Denise Nogueira; Figueiredo, Andreia Cristina Leal; Moura, Bárbara Laisa Alves; Cangussu, Maria Cristina Teixeira
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2010 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
115.89%
OBJETIVO: Analisar fatores relacionados à integralidade na assistência à saúde bucal em centros de especialidades odontológicas segundo os princípios norteadores da Política Nacional de Saúde Bucal. MÉTODOS: Estudo exploratório transversal baseado em entrevista com 611 usuários de quatro centros de especialidades odontológicas da Bahia em 2008. A variável dependente foi descrita como "integralidade na saúde bucal", correspondente à realização de tratamento odontológico básico antes do tratamento especializado ou concomitante a este. As principais co-variáveis se referiram a cobertura da estratégia saúde da família no município, características sociodemográficas dos usuários, acessibilidade organizacional e geográfica ao serviço, além do tipo de especialidade demandada. RESULTADOS: Residentes de cidades em que o Programa Saúde da Família tinha cobertura >; 50% tiveram mais chance de concluir o tratamento odontológico (RP = 2,03, IC 95%: 1,33;3,09) em relação àqueles residentes em locais com cobertura menor. Quem buscou tratamento endodôntico teve mais chance de receber assistência integral à saúde bucal do que os usuários em busca de outras especialidades (RP = 2,31, IC 95%: 1,67;3,19). Os usuários com maior facilidade no acesso geográfico ao serviço especializado (RP = 1...

Avaliação da atenção ao recém-nascido de risco, na perspectiva de uma política pública de saúde; Evaluación de la atención al recién nacido con riesgo bajo la perspectiva de una política pública de salud; Evaluation of care for at-risk newborns from the perspective of a public health policy

Luque, Ana Lúcia Forti; Lima, Célia Mara Garcia de; Carvalhaes, Maria Antonieta de Barros Leite; Tonete, Vera Lúcia Pamplona; Parada, Cristina Maria Garcia de Lima
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/04/2011 ENG; POR; SPA
Relevância na Pesquisa
125.85%
Objetivou-se avaliar a atenção à saúde de recém-nascidos de risco, acompanhados no primeiro ano de vida pelo Programa Crescer Feliz, desenvolvido em município do interior paulista. Trata-se de estudo epidemiológico populacional, do tipo avaliação de programa de saúde, que se baseou, para análise dos dados, nas diretrizes nacionais da Agenda de Compromissos da Criança. Os resultados evidenciaram a vulnerabilidade institucional do programa, decorrente de problemas relacionados à estrutura e processo, com implicações nos resultados. Considerando a adequação dos critérios adotados pelo programa, para definição dos recém-nascidos de risco e das intervenções e estratégias propostas, que se mostram em consonância com a Agenda de Compromissos, aponta-se a necessidade dos gestores priorizá-lo, inserindo-o, efetivamente, na política pública de saúde a ser desenvolvida no âmbito do município, para reversão da vulnerabilidade institucional identificada.; Se objetivó evaluar la atención a la salud de recién nacidos con riesgo acompañados en el primer año de vida por el Programa Crecer Feliz, desarrollado en un municipio del interior del estado de Sao Paulo. Se trata de un estudio epidemiológico poblacional del tipo evaluación de programa de salud que se basó...

Os rumos do Estado brasileiro e o SUS: a seguridade social como politica pública da sociedade e Estado; The directions of the Brazilian State and the Unified Health System: social security as a society and State public policy

Noronha, José Carvalho de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2005 POR
Relevância na Pesquisa
115.82%
From a brief historical review of the construction of the social security policy in Brazil starting at the first government of Getulio Vargas, the author analyses the recent evolution, highlighting the new Constitution of 1988 and the years 1990. Fiscal constraints from that period are examined, as well as their consequences on social security and on health, in particular. In the conclusion directions for the implementation of a universal and democratic national health policy are presented. On the other hand, conservative options of economic policy adopted at the country and its impact on human health and on social policies are discussed.; A partir de uma breve revisão histórica da construção da política de seguridade social no Brasil a partir do primeiro governo de Getúlio Vargas, analisa-se sua evolução recente com destaque à Constituição de 1988 e aos anos 1990. Os constrangimentos fiscais impostos naquele período são examinados, bem como suas conseqüências sobre a seguridade social e sobre a saúde, em particular. Conclui-se com a apresentação de um conjunto de diretrizes para a implementação de uma política nacional de saúde universalista e democrática. Transversalmente, são discutidas as opções conservadoras de política econômica adotadas no país e seu impacto sobre a saúde das pessoas e sobre o desenvolvimento das políticas sociais.

Política Nacional de Saúde Bucal: fatores associados à integralidade do cuidado

Chaves,Sônia Cristina Lima; Barros,Sandra Garrido de; Cruz,Denise Nogueira; Figueiredo,Andreia Cristina Leal; Moura,Bárbara Laisa Alves; Cangussu,Maria Cristina Teixeira
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
115.82%
OBJETIVO: Analisar fatores relacionados à integralidade na assistência à saúde bucal em centros de especialidades odontológicas segundo os princípios norteadores da Política Nacional de Saúde Bucal. MÉTODOS: Estudo exploratório transversal baseado em entrevista com 611 usuários de quatro centros de especialidades odontológicas da Bahia em 2008. A variável dependente foi descrita como "integralidade na saúde bucal", correspondente à realização de tratamento odontológico básico antes do tratamento especializado ou concomitante a este. As principais co-variáveis se referiram a cobertura da estratégia saúde da família no município, características sociodemográficas dos usuários, acessibilidade organizacional e geográfica ao serviço, além do tipo de especialidade demandada. RESULTADOS: Residentes de cidades em que o Programa Saúde da Família tinha cobertura > 50% tiveram mais chance de concluir o tratamento odontológico (RP = 2,03, IC 95%: 1,33;3,09) em relação àqueles residentes em locais com cobertura menor. Quem buscou tratamento endodôntico teve mais chance de receber assistência integral à saúde bucal do que os usuários em busca de outras especialidades (RP = 2,31, IC 95%: 1,67;3,19). Os usuários com maior facilidade no acesso geográfico ao serviço especializado (RP = 1...

A política pública de saúde brasileira: representação e memória social de profissionais

Oliveira,Denize Cristina de; Sá,Celso Pereira de; Gomes,Antonio Marcos Tosoli; Ramos,Raquel de Souza; Pereira,Noraisa Alves; Santos,Weena Costa Rocha dos
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2008 PT
Relevância na Pesquisa
115.84%
A política pública brasileira de saúde, conhecida como Sistema Único de Saúde (SUS), foi criada há 15 anos, objetivando prover o acesso universal aos cuidados de saúde. Este trabalho objetiva caracterizar o conteúdo das representações sociais construídas pelos profissionais de saúde sobre a implantação do SUS, na cidade do Rio de Janeiro. Ele foi embasado na Teoria de Representação e Memória Social. O estudo foi desenvolvido em cinco instituições de saúde com cem profissionais. Os dados foram coletados através de entrevistas em profundidade e analisados através da análise lexical com o uso do programa Alceste, versão 4.7. Os resultados apontaram dois blocos temáticos, o SUS formal e o real. O primeiro compreende as temáticas relacionadas à política de recursos humanos, às definições e princípios do sistema de saúde e à participação social. O segundo abarca a relação profissional-cliente e a estrutura do atendimento, a hierarquização e a regionalização da assistência e a estrutura do atendimento e o perfil da clientela. Os resultados refletem as principais características do sistema e permitem identificar representações e memórias que o diferencia do anterior.