Página 1 dos resultados de 2752 itens digitais encontrados em 0.015 segundos

Investimentos em infraestrutura como instrumento de política industrial; Investments in infrastructure as an instrument of industrial policy trial

Fleury, Fernando Leme
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 13/02/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.35%
As mudanças na eficiência relativa de setores produtivos ao longo do tempo direcionam a reorganização de atividades econômicas entre países desenvolvidos e emergentes. Essas mudanças resultam de dois movimentos complementares. Primeiro, o desenvolvimento setorial autônomo, decorrente da combinação de acumulação de capital físico e humano, eficiência transacional e curva de aprendizagem. O segundo movimento refere-se a choques exógenos, produzidos por inovações tecnológicas ou por intervenções autônomas do setor público. Tais intervenções, que alteram de forma planejada a dinâmica das trajetórias setoriais, são denominadas de política industrial. Por sua importância para o crescimento e desenvolvimento econômico, constituem o objeto de análise deste trabalho. A análise de investimentos em infraestrutura como instrumento de política industrial é desenvolvida em três etapas. Na primeira etapa propomos a estruturação de um modelo de organização epistemológica em política industrial a partir das relações instrumentoobjetivo. Com base na sistematização das principais linhas de pesquisa, utilizamos este modelo para estabelecer a vinculação normativa entre investimentos em infraestrutura e instrumentos de política industrial. Em complemento...

Atração de investimentos como instrumento de política industrial: o caso do ceará no período 1985-2002

Nunes, André de Castro Pereira
Fonte: Fundação Getúlio Vargas Publicador: Fundação Getúlio Vargas
Tipo: Dissertação
Relevância na Pesquisa
66.23%
This paper aims to assess the performance of credit and fiscal mechanisms in attracting industrial investment to the state of Ceará during 1985-2002, a period characterized by the political and administrative continuity which begun with the implementation of the so-called ¿Plan of Changes¿, during the term in office of former state governor Tasso Jereissati. In order to accomplish that, a survey was conducted of the state¿s credit, fiscal and infrastructure incentive mechanisms, industrial policy and the period¿s political context, as well as data from the Department of Industry and Commerce and on the economic performance of the state of Ceará. Over 700 industrial businesses were found to have been attracted into the state by means of the Industrial Investment Attraction Program, which amounted to a process of industry expansion while the country as a whole was going through a period of deindustrialization. The analysis points out that, if on one hand, the industrialization model then adopted was able to generate economic growth, on the other hand, it increased income concentration and could not drive industry into the less developed areas across the state¿s interior, as expected by Ceará¿s state government officials.; O presente trabalho visa analisar a utilização de incentivos creditícios e fiscais como mecanismo de atração de investimentos industriais para o estado do Ceará no período 1985-2002...

Política industrial brasileira pós-2003 : uma análise porteriana

Mittelstadt, Davi Doneda
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.31%
A partir de 2003, com o lançamento da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (PITCE), a política industrial voltou a ser tratada como foco de governo, sendo considerada necessária para o crescimento econômico de longo prazo do país. Esta política sofreu duas revisões, com o lançamento em 2008 da Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP) e do Plano Brasil Maior, em 2011. Tais políticas se diferem das empregadas durante o período de substituição de importações por se focarem na ampliação da competitividade industrial, e não na ampliação da capacidade produtiva per se. Este trabalho se propõe a analisar a consistência teórica destas políticas, assim como a consistência do seu diagnóstico da economia brasileira e a efetiva implementação das medidas propostas. Esta análise foi feita a partir da teoria neoschumpeteriana, sendo utilizado o “modelo do diamante”, proposto por Michael Porter, no qual existem quatro eixos em cima dos quais é criada a vantagem competitiva nacional, além das principais ações governamentais para promover a competitividade do país. Conclui-se que, de forma geral, as políticas são condizentes com o proposto pela teoria, tanto no seu diagnóstico como na sua implementação. Entretanto...

Transição energética em direção à energia renovável: revisitando a questão da política industrial como instrumento de desenvolvimento tecnológico

Silva, Mauri da
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 347 f. : il. color.
POR
Relevância na Pesquisa
66.26%
Pós-graduação em Ciências Sociais - FFC; Brazil, throughout the twentieth century, faced major economic changes. At the beginning of the century it was an anemic and agrarian state. Driven by the Crisis of 1929, the Brazilian state, with shocks it is true, has been developing the bones needed to become an industrialized economy. Because of the oil crisis (1973), the State, in an active way, took the external constraint to try, through the intensification of industrialization process, to reduce the oil dependency and to sustain the economic growth. The rise of the new international order in the 1980s resulted in the rhetoric of the denial of the use of industrial policy to change the productive forces, transferring it to the market, a belief that lasted until this previous century. At the beginning of the XXI century, the combination of the concern about global warming and the scarcity of fossil energy sources boosted the political demand for new sources of renewable energy. Thus, the objective of this thesis is to investigate the conditions for the resumption of industrial policy for the development of new sources of renewable energy. We adopt the following guiding research hypothesis: the idea that the concern about global warming and scarcity of fossil fuels...

Os condicionantes restritivos para o desenvolvimento de uma política industrial no Brasil nos anos 90

Ansanelli, Stela Luiza de Mattos
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 146 f.| tab.,
POR
Relevância na Pesquisa
66.23%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio-Econômico. Programa de Pós-Graduação em Economia.; O objetivo deste estudo é discutir alguns elementos restritivos para a definição de implementação de política industrial no Brasil nos anos 90. Apesar dos documentos elaborados pelo governo visando alcançar modernização através da abertura, observou-se que a política industrial esteve condicionada pela ancora cambial da política macro, acordos internacionais de comércio, guerra fiscal, ingresso de investimento estrangeiro e privatização. Estes fatores apontaram, no final da década, para a fragilização da estrutura industrial e o acirramento de conflitos comerciais. Para reverter este quadro, torna-se necessário a elaboração de uma estratégia de política industrial coordenada pelo Estado.

Crítica à política industrial a partir de Schumpeter

Knihs, Daniele Cristina
Fonte: Florianópolis Publicador: Florianópolis
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Relevância na Pesquisa
66.29%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio Econômico, Curso de Ciências Econômicas.; Este trabalho tem por objetivo realizar uma crítica aos autores brasileiros que se utilizam dos trabalhos de Schumpeter enquanto formuladores de política industrial e tecnológica, pois esta apresenta análise insuficiente da problemática da industrialização. O estudo se inicia com o confronto entre a teoria schumpeteriana e os que se utilizam deste, apontando para evolução do pensamento de Schumpeter e buscando continuidade ou ruptura entre ambas as teorias; e se estende na explicação do conceito desenvolvido para explicar política industrial e seus elementos principais, sendo a inovação elemento central, para então mostrar a incapacidade dos nossos teóricos em constituir base para política industrial dos países subdesenvolvidos. No momento seguinte, é procurada solução para a problemática anunciada, a industrialização dos países subdesenvolvidos, para tal, serão analisados trabalhos dos teóricos da revolução científico-técnica, em especial Radovan Richta e Theotonio dos Santos, mas antes serão esclarecidos as definições de técnica e tecnologia conforme conceitualização de Álvaro Vieira Pinto. Nessa parte do trabalho será apresentada a teoria da revolução científico-técnica...

Política industrial e tecnológica e desenvolvimento; Industrial and technological politics as inductive of the development

Matias-Pereira, José
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.33%
Temos como objetivo neste artigo aprofundar a discussão sobre a necessidade do Brasil construir uma moderna política industrial e tecnológica, tendo como base o conhecimento e a inovação tecnológica, para atuar como indutora do desenvolvimento econômico. O trabalho está apoiado em autores de distintas teorias sobre o tema (SCHUMPETER, 1961; PAVITT,1998; FREEMAN et. al. 1988, 1994; KRUGMAN, 1986; COUTINHO, 1990), bem como nas “Diretrizes de Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior” (MDIC, 2004), que busca definir um novo modelo de política industrial, tecnológica e de comércio exterior para o Brasil. Ficou razoavelmente evidenciado neste estudo que a política industrial assume um papel estratégico à medida que permite a coordenação dos agentes produtivos que precisam tomar decisões cruciais como investir e/ou inovar em um ambiente permeado de incertezas quantos aos resultados futuros de suas decisões. Concluímos, ao final, que é fundamental que o país defina uma política industrial moderna, que incorpore o incentivo à inovação e às exportações, servindo assim como instrumento de estímulo ao desenvolvimento do país. Argumentamos, ainda, que a viabilização dessa política estará condicionada a capacidade do Estado em disponibilizar diversos instrumentos...

Uma nova governança no padrão de relacionamento público-privado da política industrial brasileira

Toni,Jackson De
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2015 PT
Relevância na Pesquisa
66.27%
ResumoO objetivo central do artigo é a identificação de variáveis capazes de explicar um padrão virtuoso de relacionamento público-privado na produção de políticas públicas relacionadas à política industrial durante o primeiro governo Lula. O argumento central é que o Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI), vinculado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), atuou como arena público-privada de política industrial e legitimou-se como o lócus da agenda de política pública. Essa situação resultou da combinação de dois processos políticos distintos: (i) a influência das ideias neodesenvolvimentistas, em especial aquelas da nova política industrial e (ii) a ação de empreendedores políticos. A pesquisa baseou-se no estudo da dinâmica de funcionamento do CNDI, vinculado ao MDIC. Os dados foram obtidos pela análise das atas do colegiado, análise documental e entrevistas com os atores envolvidos. Os relacionamentos estabelecidos e a formação da agenda de política no conselho contribuiu para a definição da política industrial do período. O papel dos empreendedores políticos e do ideário neodesenvolvimentista contribuiu para a viabilidade dessa dinâmica. O artigo ajuda a entender a dinâmica dos fóruns tripartites de políticas públicas em contextos democráticos e as causas aparentes de seus êxitos e fracassos.

Novos arranjos institucionais na política industrial do governo LULA : a força das novas ideias e dos empreendedores políticos

De Toni, Jackson
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
66.26%
Tese (Doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciência Política, Pós-Graduação em Ciência Política, 2013.; O Brasil vive desde o início da década passada fortes sinais de um novo regime produtivo, baseado na geração de superávits comerciais, no crescimento do mercado de consumo interno e no aprofundamento de políticas sociais inclusivas e distributivas. Um dos elementos deste novo ciclo é a retomada explícita de políticas de apoio ativo à indústria nacional, com ênfase no aumento do investimento e da inovação. Estas políticas industriais diferenciam-se das anteriores (nacional-desenvolvimentismo clássico), por serem mais indutoras, regulatórias e dispensarem a intervenção direta do Estado como produtor de bens e serviços. O governo Lula anunciou duas políticas específicas, em 2004 e 2008, que contribuíram para o maior período de crescimento contínuo do PIB na história do país. Parte central desta política foi a construção de uma arena nacional tripartite para o debate de temas estratégicos da política industrial. Ao contrario de outras experiências mal sucedidas, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial...

Ativismo estatal e industrialismo defensivo: instrumentos e capacidades na política industrial brasileira; Texto para Discussão (TD) 1856: Ativismo estatal e industrialismo defensivo: instrumentos e capacidades na política industrial brasileira; State activism and defense industrialism: tools and capabilities in the Brazilian industrial policy

Schapiro, Mario G.
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.27%
A literatura de direito e desenvolvimento tem chamado a atenção para um novo tipo de atuação do Estado na economia. Este trabalho parte destas análises de caráter transversal para avaliar qualitativa e verticalmente como tem ocorrido a atuação do Estado no setor industrial, notadamente a política industrial em curso – o Plano Brasil Maior (PBM). Se de fato há um novo tipo de ativismo estatal, a pergunta deste trabalho é se este protagonismo tem proporcionado uma intervenção potencialmente transformadora da estrutura industrial existente. A hipótese é a de que as medidas da política industrial brasileira tendem mais para um viés corretivo – ricardiano – do que para uma plataforma transformadora do estado da arte industrial – schumpeteriana. Este perfil, por sua vez, está associado ao tipo de capacidade de seu arranjo político-institucional, portador de debilidades em ambas as dimensões de análise: técnico-administrativa e política.; 56 p. : il.

A política industrial brasileira: mudanças e perspectivas; Texto para Discussão (TD) 413: A política industrial brasileira: mudanças e perspectivas; The Brazilian industrial policy: changes and perspectives

Lyra, Flávio Tavares de
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.21%
Examina as mudanças ocorridas na economia brasileira sob a influência do novo modelo de política industrial inaugurado no início de 1990, assim como a proposta do atual governo para aprofundar e complementar o referido modelo no período 1995-1999. Os aspectos examinados são: a liberalização das importações, com a expressiva redução das tarifas e a eliminação total de restrições quantitativas às importações; o avanço do processo de desestatização, com a venda de 30 empresas estatais com um patrimônio de US$ 21 bilhões; a incorporação de métodos modernos de gestão pelas empresas; as mudanças institucionais que favorecem o investimento de capital estrangeiro; a ênfase no apoio às exportações; os resultados altamente positivos no âmbito do MERCOSUL; e os estímulos financeiros e fiscais ao investimento. A avaliação realizada apresenta como pontos altos a capacidade de adaptação das empresas ao novo contexto de liberalização do comércio externo; o desempenho satisfatório das exportações; o avanço do processo de desestatização e as perspectivas de retomada em investimentos produtivos, especialmente de capital estrangeiro. São considerados pontos fracos o pouco avanço em termos de capacitação tecnológica e a acumulação de déficit na balança comercial. No que respeita à política industrial para o período 1995-1999...

Elementos para discussão de uma política industrial para o Brasil; Texto para Discussão (TD) 421: Elementos para discussão de uma política industrial para o Brasil; Elements for discussion of an industrial policy to Brazil

Villela, Annibal V.; Suzigan, Wilson
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.32%
O presente estudo propõe elementos para discussão de uma política industrial para o Brasil com base em um enfoque abrangente. Segundo esse enfoque, a partir de uma decisão política e com base em uma visão estratégica do desenvolvimento industrial, deve-se antes de tudo promover a coordenação das ações governamentais, empresariais e dos trabalhadores. Isso implica definir a política industrial e criar mecanismos institucionais de coordenação. Em seguida, deve-se compatibilizar a política industrial com a política macroeconômica, tendo em vista o equilíbrio dos preços relativos de bens comerciáveis e não-comerciáveis (taxa de câmbio), a redução do custo do capital (juros) e a recuperação da capacidade fiscal do governo. Com isso, seria possível definir políticas articuladas (em termos de objetivos macroeconômicos e industriais) de comércio exterior, financiamento e fomento, bem como de investimentos em infra-estrutura física, ciência e tecnologia e no sistema educacional, reduzindo algumas das deseconomias externas que caracterizam o chamada custo Brasil. Complementarmente, a política industrial deve estar articulada a uma política de competição (defesa da concorrência) e a políticas regulatórias (direitos de propriedade intelectual...

Política industrial e ambiente institucional na análise de arranjos produtivos locais; Texto para Discussão (TD) 1076: Política industrial e ambiente institucional na análise de Arranjos Produtivos Locais; Industrial policy and institutional environment in the analysis of Local Industrial Arrangement

Noronha, Eduardo G.; Turchi, Lenita
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.26%
Neste estudo, mostra-se a relevância de análises macroinstitucionais, ou mais precisamente, aquilo que se define como os “ambientes institucionais” nos quais os Arranjos Produtivos Locais (APLs) estão inseridos. O argumento central desenvolvido no texto trata da necessidade de se conhecer o conjunto de condicionantes ou processos (de desenvolvimento ou ruptura) macroinstitucionais que marcam a história dos arranjos produtivos, particularmente o “marco legal contratual”. Argumenta-se, em primeiro lugar, que os padrões de contratos formais ou informais e a passagem de um tipo de contrato para outro definem o sucesso ou o fracasso de um APL. Em segundo lugar, considera-se que, particularmente em APLs de mão-de-obra intensiva, o significado do sucesso da política industrial inclui a criação de empregos de qualidade. Nesses casos, Política Industrial e Política de Emprego não são dissociáveis. Por fim, sustenta-se que o debate sobre APL deve incluir a análise de certas especificidades da produção e do mercado em pequenos municípios. Esses argumentos são ilustrados com base em um estudo de caso sobre o município de Jaraguá (GO), produtor de jeans (e outras confecções), com predominância de pequenas empresas e com uma história recente de expressivo aumento da produção e do emprego. Fato marcante na história desse Arranjo Produtivo é ter se dedicado durante alguns anos à produção de marcas piratas – prática relativamente comum na indústria de confecções e que possivelmente marcou a evolução de outros pólos produtivos no Brasil. Também sob esse ponto de vista...

A experiência recente da política industrial no Brasil: uma avaliação; Texto para Discussão (TD) 409: A experiência recente da política industrial no Brasil: uma avaliação; The recent experience of industrial policy in Brazil: a review

Guimarães, Eduardo Augusto
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.23%
O texto examina as principais características da política industrial implementada no período 1990-95, apontando suas diretrizes centrais, descrevendo seu marco legal e os principais instrumentos mobilizados, e avaliando seu significado e limites. Essa avaliação sugere que os resultados alcançados foram desiguais. A política de abertura comercial foi bem-sucedida mas, no tocante à política de competitividade, os avanços observados foram modestos. A formulação e implementação de políticas de reestruturação constitui o principal desafio a ser enfrentado. Tal política tem um papel importante a desempenhar nos próximos anos, no sentido de assegurar condições de competitividade a segmentos específicos da indústria, apoiando o aprofundamento do ajuste nos setores já engajados nesse processo, e induzindo a transformação daqueles segmentos industriais que não respondem espontaneamente à intensificação da concorrência provocada pela abertura comercial.; 36 p.

Política industrial na China, na Índia e no Brasil : legados, dilemas de coordenação e perspectivas; Texto para Discussão (TD) 2059 : Política industrial na China, na Índia e no Brasil : legados, dilemas de coordenação e perspectivas

Delgado, Ignacio Godinho
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.26%
O artigo focaliza a retomada da política industrial na China, na Índia e no Brasil desde o final do século XX. Indica, inicialmente, os desafios da política industrial para os países semiperiféricos no mundo contemporâneo. Discorre sobre as trajetórias de emparelhamento dos países focalizados, inauguradas em meados do século passado, e sobre as reformas de mercado que buscaram retificá-las. Descreve os programas mais abrangentes de política industrial e analisa os dilemas de coordenação para sua efetivação, elemento fundamental para definir as capacidades do Estado para implementá-los. Por fim, avalia os desafios da política industrial brasileira atual.; 65 p.

A política industrial em uma perspectiva de longo prazo; Texto para Discussão (TD) 590: A política industrial em uma perspectiva de longo prazo; Industrial policy in a long-term perspective

Gonçalves, Robson R.
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.31%
O escopo central deste texto é oferecer uma análise atualizada de elementos para uma política industrial com consistência a longo prazo. A partir da discussão do impacto das alterações no ambiente macroeconômico dos anos 90 sobre a competitividade industrial, conclui-se pela existência de um grande espaço para a consecução de uma política industrial, ainda que em moldes bastante distintos daqueles observados durante a etapa de industrialização substitutiva de importações. A necessidade de alterar tanto o próprio conceito quanto a prática da política industrial se impõe como resultado da crescente relevância assumida por elementos atualmente centrais para o sucesso industrial; dentre eles, a integração econômica internacional, a manutenção de elevados níveis de concorrência e o dinamismo tecnológico. O alvo central de tal política industrial deve ser a melhora das condições gerais de competitividade, com a redução do tempo de aprendizado necessário ao incremento qualitativo da produção industrial do país e com a criação de um autêntico sistema nacional de inovação. O resultado potencial seria a constituição de um “processo de substituição de exportações”, o qual poderia contribuir para o equilíbrio do balanço de pagamentos do país.; 29 p.

Desafios da real política industrial brasileira do Século XXI; Texto para Discussão (TD) 1452: Desafios da real política industrial brasileira do Século XXI; Challenges of real Brazilian industrial policy of the XXI Century

Almeida, Mansueto
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.33%
Este trabalho debate alguns dilemas da atual política industrial brasileira. Primeiro, explica-se o debate atual sobre a política industrial, destacando-se os dilemas envolvidos na implementação de uma política de fomento em setores intensivos em tecnologia de uma economia diversificada, cuja indústria é liderada por setores de baixa e média-baixa tecnologia. Segundo, aborda-se a questão de que mesmo a defesa da política industrial estando baseada no fomento à inovação para todos os setores, o governo brasileiro continua promovendo setores específicos e firmas individuais, tal qual foi feito no período de substituição de importações. Apesar disso, raramente o governo reconhece esta política industrial real, na qual o discurso oficial pró-inovação é complementado por políticas tradicionais de escolherem-se vencedores. Terceiro, mostra-se que a política industrial no Brasil, quando necessário, discrimina o investimento externo em alguns setores para construir firmas nacionais líderes. Por fim, constata-se que a política industrial do Brasil ainda ocorre em um ambiente no qual os capitalistas preferem se relacionar com o governo por canais de comunicação direto e individuais, sem a intermediação das associações empresariais.; 69 p. : il.

Um Modelo de histerese institucional para a analise da politica industrial brasileira

Bueno, Newton Paulo
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE) - Artigos
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.21%
O artigo esboça um quadro de referência, baseado em um modelo de histerese institucional, para pesquisas sobre a política industrial brasileira. 0 modelo permite classificar as diversas modalidades de política segundo critérios que não são normalmente utilizados nos trabalhos na área; são eles: a) a coerência, isto e, o grau em que as políticas se adequam a estrutura institucional preexistente; e b) a potência, ou seja, a capacidade dessas políticas de alterar a estrutura institucional. Medidas que não obedeçam ao menos a um desses critérios serão inócuas. Um dos usos do modelo sugerido e identificar essas medidas de modo a evitar a desperdício de recursos (e efeitos colaterais indesejados) que implicam. Procura-se, adicionalmente, testar a modelo proposto analisando a experiencia de Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha neste seculo, coma relatado na obra de Alfred Chandler.; p. 333-348

Política industrial e crescimento

Almeida, Mansueto
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Radar - Artigos
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.27%
Neste estudo discutem-se as visões diferentes do que se entende por política industrial, analisam-se rapidamente alguns dados utilizados no debate sobre a desindustrialização e se é possível fazer política industrial e aumentar a taxa de inovação sem modificar a estrutura produtiva da economia brasileira. Mostrará, ainda, que a terceira versão da política industrial adotada pelo Brasil recentemente, o Plano Brasil Maior, de agosto de 2011, foi influenciada por uma situação em que o PIB da indústria de transformação estava estagnado, o crescimento do emprego industrial em meados de 2011 passou a ser negativo em vários setores intensivos em mão de obra, a indústria continuou perdendo espaço na pauta de exportações do Brasil e as importações aumentaram seu market share no consumo aparente. Enfim, mostra os diversos cenários e medidas para estancar a perda de competitividade da indústria brasileira frente a um cenário internacional adverso.; p. 47-56 : il.

Ventajas comparativas y política industrial en una economía abierta

Huerta Quintanilla,Rogelio
Fonte: UNAM, Facultad de Economía Publicador: UNAM, Facultad de Economía
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 ES
Relevância na Pesquisa
66.23%
Desde una perspectiva normativa de la teoría de las ventajas comparativas, este artículo explora las claves para la elaboración de una política industrial. México podría mejorar su inserción en la economía internacional a través de una política industrial que lo especializara en sus ventajas comparativas potenciales. El artículo está estructurado como sigue. La primera sección aporta los elementos necesarios para reconocer que es necesaria una reestructuración de la industria en México para conseguir mayores tasas de crecimiento. Las secciones dos y tres contienen una crítica a la política industrial aplicada durante el período de liberalización comercial. La cuarta sección expone los criterios para orientar la política industrial aprovechando las ventajas comparativas potenciales con que cuenta el país. Las conclusiones se presentan en la última sección.