Página 1 dos resultados de 341 itens digitais encontrados em 0.070 segundos

Avaliação do processo formativo desenvolvido na residência integrada em saúde do Grupo Hospitalar Conceição na ênfase saúde da família e comunidade em relação à política nacional de atenção básica

Telo, Shana Vieira
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
116.11%
O presente estudo tem como tema a relação entre a formação em Residência em Saúde da Família do Grupo Hospitalar Conceição (GHC) e a Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) brasileira. Sabe-se que a Constituição Federal do Brasil define como competência do Sistema Único de Saúde (SUS) a regulação e deliberação das políticas de formação de recursos humanos na área da saúde. A formação em residências multiprofissionais e integradas tem como objetivo favorecer uma inserção qualificada de profissionais de diferentes profissões em áreas prioritárias do SUS, como a atenção básica, seguindo os princípios e as diretrizes deste sistema. Da mesma forma, a Política Nacional de Atenção Básica preconiza a valorização dos profissionais de saúde por meio do estímulo e acompanhamento constante da educação permanente dos profissionais, além de incentivar a qualificação e a formação na modalidade de residência, com articulações nas diferentes esferas de governo. A partir deste cenário, seguindo as premissas do SUS e da legislação vigente, no ano de 2004 inicia no GHC a Residência Integrada em Saúde (RIS/GHC) nas ênfases de Saúde da Família e Comunidade, Saúde Mental e Intensivismo...

A política nacional de humanização e seus reflexos na atenção à saúde em Florianópolis

Martins, Rosicléa
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 66 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
115.97%
TCC (Graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Socioeconômico, Curso de serviço social.; Este estudo procura adensar a reflexão acerca da Humanização nos serviços de Atenção Básica tendo como referência a experiência de estágio curricular obrigatório realizado no Núcleo de Apoio à saúde da Família (NASF) Distrito Centro Florianópolis. Tem como objetivo discutir a Política Nacional de Humanização (PNH), e como ela se materializa no Município de Florianópolis. Para alcançar este objetivo foi realizada uma pesquisa do tipo exploratória tendo como instrumento a observação, cujos dados foram obtidos através da observação do cotidiano da Unidade Básica de Saúde (UBS) Trindade e da análise dos documentos de planejamento do Município, quais sejam: o Plano Municipal de Saúde, Programação Anual de Saúde, o Relatório Anual de Gestão e a Portaria/SS/GAB/Nº 283/2007, que aprova a Política Municipal de Atenção à Saúde no Município de Florianópolis. Os resultados nos permitem identificar que humanização não se trata de humanizar o que já é humano, nem tão pouco de classificar ações profissionais como boas ou más, mas de considerá-la como enfrentamento, potência e co-responsabilidade...

A satisfação no trabalho de enfermeiros/as em dois modelos assistenciais na atenção básica no Brasil

Forte, Elaine Cristina Novatzki
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 141 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
106.1%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2013.; Estudo exploratório-descritivo, de abordagem qualitativa com objetivo de identificar e analisar a influência dos dois modelos assistenciais vigentes na atenção básica no Brasil - o modelo tradicional, fundamentado na biomedicina e o modelo da Estratégia Saúde da Família, entendido como inovador - na satisfação dos/as enfermeiros/as. Pesquisa realizada por meio da triangulação de técnicas ? entrevista, observação e estudo documental, realizada com vinte enfermeiras de onze Unidades Básicas de Saúde de quatro municípios da região da Grande Florianópolis. Os dados foram organizados no software Atlas.ti e a análise se deu à luz da análise de conteúdo temática de Bardin. A pesquisa foi orientada pela teoria sociológica sobre Processo de Trabalho, pela abordagem de Dejours em relação ao prazer e ao sofrimento no trabalho e pela Política Nacional de Atenção Básica. Os resultados foram estruturados em três artigos. O primeiro traz uma revisão integrativa de literatura como objetivode identificar o perfil das publicações e os principais resultados encontrados nos estudos sobre a satisfação no trabalho de enfermeiras que atuam na Atenção Primária em Saúde/Atenção Básica. O total de 16 estudos foi analisado e os resultados dos estudos apontam para alguns dos aspectos relevantes dessa temática...

Atenção básica à saúde e estratégia de saúde da família em múltiplos fluxos : perspectiva histórica

Loureiro, Juliana Mota
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
106.1%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, 2014.; Este trabalho está situado no conjunto de produções técnico-cientifica que versam sobre o processo de formação da agenda no campo da Política, nesse particular da Saúde, direcionado para a Política Nacional da Atenção Básica, com foco na Estratégia Saúde da Família, esta tomada como referencial para estruturação desse ponto do Sistema Único de Saúde- SUS. Trata-se de um estudo multidisciplinar, pois relaciona o campo teórico da Saúde Coletiva no que se refere ao estudo das políticas de saúde, da Administração Pública, por envolver processos decisórios, relaciona-se com a Ciência Política, por envolver os poderes do Estado e de governos. O trabalho está dividido em duas partes. A primeira traz um resgate teórico da atenção básica no Brasil na perspectiva da Saúde da Família, apresentando a análise do processo de formação de agenda da Estratégia Saúde da Família, no período de 1994 a 2011, dividida em sete momentos históricos. A segunda parte analisa os resultados por meio dos momentos identificados utilizando o Modelo de Múltiplos Fluxos proposto por John Kingdon. Trata-se de uma revisão bibliográfica de literatura...

Análise da política nacional de atenção às urgências : uma proposta

Dourado, Eliana Maria Ribeiro
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
135.97%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, 2013.; No Brasil, o modelo de atenção à saúde predominante é fragmentado, apesar dos avanços na organização do Sistema Único de Saúde e em particular a priorização da atenção básica como porta principal para atender às necessidades de saúde da população. Nos últimos 10 anos, tem-se fortalecido a ideia de que redes de atenção constituem um modelo de saúde adequado para dar resposta à fragmentação da atenção, e estratégias estão sendo desenvolvidas para a implementação de políticas com diretrizes de redes de atenção à saúde, como redefinições de políticas prioritárias, portarias pactuadas e instituição de novos dispositivos legais, sendo a Rede de Atenção às Urgências (RAU) uma das redes prioritárias e objeto desse estudo. Este trabalho foi realizado com os objetivos de levantar a legislação e outros documentos referentes à instituição da Política Nacional de Atenção às Urgências (PNAU) a partir de 1998 até 2012; elaborar a matriz do desenho regional de uma rede de atenção às urgências, com a definição das ações e serviços em cada nível de atenção e tendo como referência a linha de cuidado para atenção ao Infarto Agudo do Miocárdio (IAM)...

As políticas de capacitação do Ministério da Saúde para o trabalho na Atenção Básica em Saúde no período de 2003 a 2010: apontamentos sobre a política nacional de atenção básica e a política nacional de educação permanente em saúde

Pavani, Mônica Cristina Marques
Fonte: EPSJV Publicador: EPSJV
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
106%
Este trabalho se constitui de apontamentos sobre as políticas do Ministério da Saúde (MS) para a capacitação do trabalhador para a Atenção Básica em Saúde (ABS), utilizando-se uma abordagem qualitativa, de caráter exploratório, via análise documental das políticas do Ministério da Saúde (MS) para essa finalidade, no período de 2003 a 2010, buscando identificar a correlação de forças existentes no conteúdo dos referidos documentos tendo por base as diretrizes, planos e programas formulados pelo MS relacionados aos seguintes documentos: as duas regulamentações das Políticas Nacionais de Educação Permanente (a de 2003 e a de 2007); a Política Nacional da Atenção Básica em Saúde, materializada na Portaria GM/MS nº 648 de 28 de março de 2006 e seus desdobramentos através da Portaria nº 2527/2006 que estabeleceu o conteúdo mínimo do Curso Introdutório, as propostas do PROESF e do TELESSAUDE, e suas relações com a capacitação dos trabalhadores. Apesar do tom legalista contido nessa pesquisa, entende-se que há uma disputa entre o texto da lei e sua materialização e que nessa disputa há vários atores e interesses envolvidos e partir desta pesquisa se conclui que a capacitação do trabalhador inserido no nível de atenção básica em saúde...

Os processos de formação na Política Nacional de Humanização: a experiência de um curso para gestores e trabalhadores da atenção básica em saúde

Guedes,Carla Ribeiro; Pitombo,Luciana Bettini; Barros,Maria Elizabeth Barros de
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
105.98%
Este artigo tem como objetivo relatar a experiência de um curso de formação da Política Nacional de Humanização voltado para gestores e trabalhadores da atenção básica de um município no estado do Rio de Janeiro. O curso visou a formação de apoiadores institucionais capazes de fomentar rede no Sistema Único de Saúde (SUS), promover mudanças e consolidação nos modos de atenção e de gestão dos serviços. Como referencial metodológico, buscou-se um modo de "formação-intervenção" que fosse baseado em práticas concretas de intervenção dos trabalhadores nos processos de trabalho em saúde. O curso envolveu quarenta participantes, gestores e trabalhadores de nível médio e superior, ligados à atenção básica, oriundos da Estratégia de Saúde da Família e de Unidades de Saúde. Como resultados destacam-se ações de co-gestão no formato de reuniões com os usuários para o compartilhamento de decisões relativas ao serviço; implementação de acolhimento, com intervenções que garantam o acesso do usuário ao serviço; e de clínica ampliada, com discussões em equipe dos casos clínicos; e ações no campo da saúde do trabalhador, como efeito das discussões dos processos de trabalho nas equipes multiprofissionais.

A política federal de atenção básica à saúde no Brasil nos anos 2000

Castro,Ana Luisa Barros de; Machado,Cristiani Vieira
Fonte: IMS-UERJ Publicador: IMS-UERJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
125.99%
Este artigo analisa a condução federal da política de atenção básica à saúde no Brasil nos anos 2000, buscando identificar elementos de continuidade e mudança com relação ao período anterior. A pesquisa se baseou no marco teórico do institucionalismo histórico e no conceito de path-dependence. A metodologia compreendeu uma diversidade de estratégias: revisão bibliográfica; análise documental; análise de bases de dados secundários; análise orçamentária e realização de entrevistas com atores-chave da política. Foi possível identificar continuidades e mudanças na condução federal da política nacional de atenção básica no período estudado. A predominância de continuidades, ressaltando-se a persistência do Programa de Saúde da Família como estratégia hegemônica para a reorientação da atenção básica no país, configura uma situação de path-dependence. Observaram-se também mudanças incrementais, a exemplo de iniciativas de fortalecimento da articulação intersetorial e inovações importantes, com destaque para a criação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família. Persistem, no entanto, problemas estruturais no âmbito da atenção básica, cuja superação é importante para viabilizar a efetiva mudança do modelo de atenção à saúde no país.

Assistência Farmacêutica no Sistema Único de Saúde: da Política Nacional de Medicamentos à Atenção Básica à Saúde

Oliveira,Luciane Cristina Feltrin de; Assis,Marluce Maria Araújo; Barboni,André René
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2010 PT
Relevância na Pesquisa
105.9%
Este artigo é um estudo de revisão teórica que discute a Assistência Farmacêutica no Sistema Único de Saúde, resgatando-se brevemente a história da Política Nacional de Medicamentos, os mecanismos de financiamento no processo de descentralização da saúde e a Assistência Farmacêutica na Atenção Básica à Saúde. A ampliação do acesso da população ao sistema de saúde exigiu mudanças na distribuição de medicamentos, de maneira a aumentar a cobertura e ao mesmo tempo minimizar custos. Identificam-se avanços no arcabouço jurídico e institucional: descentralização da gestão das ações da assistência farmacêutica; ampliação do acesso da população aos medicamentos essenciais; e estruturação da assistência farmacêutica nos municípios. No entanto, persistem ações prioritárias em relação ao financiamento e cobertura populacional, em detrimento da qualidade dos processos. Conclui-se que em muitos municípios brasileiros ocorrem baixa disponibilidade e descontinuidade da oferta de medicamentos essenciais; dispensação por trabalhadores sem qualificação; condições inadequadas de armazenamento que comprometem a qualidade dos medicamentos; prescrição de medicamentos que não pertencem à Relação Nacional de Medicamentos Essenciais; e problemas relacionados ao acesso dos usuários à farmacoterapia.

O percurso da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde dos Homens (PNAISH), desde a sua formulação até sua implementação nos serviços públicos locais de atenção à saúde

Leal,Andréa Fachel; Figueiredo,Wagner dos Santos; Nogueira-da-Silva,Geórgia Sibele
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2012 PT
Relevância na Pesquisa
105.87%
O artigo tem como objetivo compreender como a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde dos Homens (PNAISH) chega aos serviços da Atenção Básica do Sistema Único de Saúde, a partir do ponto de vista dos seus profissionais. Acompanhamos o caminho trilhado pela PNAISH com um estudo, etnográfico, de cinco casos (de cada Macro Região do país). A análise está ancorada no referencial da Antropologia e emprega a ideia de street-level bureaucreacy, de Lipsky. A formulação da PNAISH é contextualizada em termos históricos e da produção de documentos internacionais e nacionais. Reconhecendo a distância entre formulação e implementação de qualquer política, buscamos compreender como tal distância foi se construindo, na tradução da PNAISH para Planos de Ação (PA) municipais. Observou-se desconhecimento dos agentes implementadores sobre a PNAISH, a rede local de atenção à saúde do homem, as técnicas para atender às especificidades dos homens e o conceito de gênero. A implementação esbarrou na ausência de condições institucionais, como uma estrutura organizacional, uma rede consolidada de atenção - em que o usuário seja atendido por serviços com diferentes graus de complexidade dentro do sistema - e recursos em geral...

Contribuições ao planejamento da força de trabalho em saúde para a atenção básica; Contribution to workforce planning at primary health care

Manoela de Carvalho
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 26/04/2012 PT
Relevância na Pesquisa
115.87%
Esta pesquisa teve por objeto de investigação o processo de planejamento da força de trabalho em saúde do SUS, especialmente voltado à Atenção Básica. O objetivo geral foi analisar as condições determinantes e as consequências da ausência de práticas institucionalizadas de planejamento da força de trabalho em saúde no Brasil, ao longo do período de implementação do SUS. Para tanto, utilizou-se dos recursos da pesquisa bibliográfica e documental cujas fontes foram artigos e textos científicos publicados e disponíveis, na sua maioria, em bases de dados virtuais; bibliografia sobre o tema do planejamento em saúde, planejamento da força de trabalho, gestão do trabalho e modelos assistenciais em saúde, políticas sociais e de saúde que guardavam relação com o objeto estudado. Também foram utilizados documentos oficiais emitidos pela Organização Pan- Americana de Saúde e pelo Ministério da Saúde, principalmente no período posterior à criação do SUS, portarias, normas e decretos relacionados à gestão e planejamento da força de trabalho em saúde e a Política Nacional de Atenção Básica. Para definir o percurso do estudo, foram considerados os pressupostos de que o planejamento da força de trabalho em saúde é determinado pelas políticas sociais vigentes e...

Cargas de trabalho de gestores de unidades básicas de saúde

Melo, Thayse Aparecida Palhano de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 144 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
105.96%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2015.; No Brasil, a Estratégia Saúde da Família está integrada à Política Nacional de Atenção Básica a qual aplica os preceitos da Atenção Primária à Saúde. A importância da Estratégia Saúde da Família na rede assistencial em saúde e os desafios para a sua implementação tem motivado estudos relativos à sua eficácia, eficiência e potencialidade para impulsionar mudança no campo da saúde, no sentido da universalidade de acesso e da qualidade da assistência. O trabalho desenvolvido pelos gestores da Estratégia Saúde da Família tem significativa relevância para os resultados da sua implementação, assim como a complexidade e os desafios desta atividade influenciam as cargas de trabalho de quem o executa. Neste contexto, a presente pesquisa tem como objetivo geral compreender de que modo a gestão de Unidades Básicas de Saúde que atuam com a ESF influencia as cargas de trabalho de quem o realiza. O estudo teve como aportes teóricos: a teoria sociológica sobre processo de trabalho de Marx (2008) e processo de trabalho em saúde de Pires (1999); a teoria de Laurell e Noriega (1989) sobre cargas de trabalho; a teorização sobre gestão em saúde e as Políticas de Saúde na Atenção Primária...

O SUS, as redes de atenção e a atenção básica

Brasil, Fundação Oswaldo Cruz, Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca.; Matta, Gustavo Correa; Seidi, Helena; Gagno, Juliana; Lima, Luciana Dias de; Fausto, Márcia; Lima, Pedro Gilberto Alves de
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Módulo digital composto por textos, artigos, história em quadrinho, linha do tempo, mapas e gráficos, atividades e vídeos; organizado em três unidades, a saber: SUStentando marcos, fatos e histórias da saúde e da medicina; Modelos, redes e atençã
PT_BR
Relevância na Pesquisa
105.86%
Módulo que apresenta os princípios da atenção básica e uma reflexão sobre as questões políticas, técnicas e operacionais que tangem esse tema e fazem parte do cotidiano dos profissionais e equipes da saúde da família. Aborda, em uma perspectiva histórica, o Sistema Único de Saúde (SUS), seus princípios e diretrizes. Também trata de temáticas como modelos de atenção à saúde no Brasil, as diferentes compreensões sobre o modelo de APS em perspectiva internacional e alguns conceitos e abordagens estruturantes, como território e redes de atenção à saúde. Por fim, apresenta como a organização da equipe de saúde pode trabalhar em sinergia na busca de soluções para o caso. E discute a prática de uma equipe de atenção básica, no que tange as atribuições de seus profissionais, a importância do trabalho em equipe, as características da organização do processo de trabalho, bem como, a articulação com os diferentes atores e equipamentos no território.; Versão 1.0; Ministério da Saúde - MS

Saúde e sociedade: atenção básica em saúde

Universidade Aberta do SUS da Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS/UFMA
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Tipo: Texto Formato: Recurso textual no formato pdf contendo 25 páginas
PT_BR
Relevância na Pesquisa
135.97%
A Unidade 03 do Módulo 02 "Saúde e Sociedade", do Curso de Especialização em Saúde da Família do Programa Mais Médicos da UNASUS-UFMA aborda as principais ações da atenção básica especificando as atribuições dos profissionais que compõem as Equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF) e os princípios e diretrizes estabelicidas pelo Ministério da Saúde e pela Política Nacional de Atenção Básica para as ações em saúde da família; Ministério da Saúde

Atenção integral à saúde do adulto

Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Recurso textual contendo imagens coloridas, utilizado na unidade 01 do módulo 07 (Saúde do adulto), direcionado para o Programa de Valorização da Atenção Básica (Provab)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
105.84%
O Programa de Atenção Integral à Saúde do Adulto (Paisa) atua na promoção dos cuidados primários de saúde junto à população adulta, enfocando os principais agravos à saúde do adulto. Neste recurso são abordados os seus principais objetivos e também se discute a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH) que tem como propósito promover a melhoria das condições de saúde da população adulta no Brasil e reduzir a morbidade e mortalidade dessa população, por meio do enfrentamento racional dos fatores de risco e mediante a facilitação ao acesso às ações e aos serviços de assistência integral à saúde. É de grande relevância compreender os aspectos epidemiológicos e clínicos dos problemas mais prevalentes no cuidado do adulto em atenção primária à saúde, considerando as principais causas da não adesão ao serviço de saúde com o intuito de saber lidar com esses obstáculos; Universidade Federal do Maranhão - UNA-SUS

Serviço Social na atenção básica de saúde

Souza, Ismênia Brandão de
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
105.88%
O presente artigo tem como objetivo analisar o processo de inserção do Assistente Social na saúde, mas especificamente na atenção básica de saúde. Para isso é importante trazer o contexto histórico das lutas ocorridas em prol da saúde pública e do surgimento do Sistema único de Saúde (SUS) e dos desafios em torno dessa efetivação. Busca discorrer também os objetivos que o profissional de serviço social tem ao trabalhar na área da atenção primária e discorrer sobre os Parâmetros de Atuação de Assistentes Sociais na Política de Saúde em consonância com a Política Nacional de Atenção Básica.; Serviço Social

Acolhimento na atenção básica à saúde na perspectiva do enfermeiro; User embracement in basic health care nurses in perspective

Oliveira, Jarbas Ribeiro de
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; Brasil; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; Brasil; Programa de Pós-Graduação em Enfermagem; UFAL
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
105.86%
This study addresses the host in Primary Care and aimed to understand and analyze how the host is designed and practiced by nurses of the Family Health Strategy. This is a qualitative, exploratory and descriptive, held at Basic Health Units in the municipality of Arapiraca-Alagoas/Brasil, the subjects their nurses. The subjects were visited at health facilities and conducted semi-structured interviews, allowing the construction of five categories for thematic analysis: (1) conceptions and understanding of the host; (2) The user embracement in primary care: do the collective and individual nurses; (3) host in the light of the National Humanization Policy: Guidelines, adoption and training; (4) limits and challenges to implementation and realization of the host; and (5) the role and contribution of nurses in the host. That incorporate concepts and perform the host was concluded still constitutes a great need for services and health professionals, particularly in primary care, where moments of team training and implementation processes of the host, while operating guidelines for the organization of services are nascent or nonexistent; and in which, in spite of the host by nurses to be understood as a form of approved user, we note that there is also the understanding that the user is welcome to listen carefully and try to give positive feedback to their demands. We also identified that the participation of nurses occurs mainly in the form of trainings...

Política nacional de atenção básica. 4. ed.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção Básica. Departamento de Atenção Básica
Fonte: Ministério da Saúde (MS) Publicador: Ministério da Saúde (MS)
Tipo: Documento de política
POT
Relevância na Pesquisa
145.96%
68 p.; Este documento visa apresentar a nova Política nacional de atenção básica (PNAB). Ele esclarece que a nova política aponta para a redefinição dos princípios gerais, responsabilidades de cada esfera de governo, infraestrutura e recursos necessários, características do processo de trabalho, atribuições dos profissionais, e as regras de financiamento, incluindo as especificidades da estratégia Saúde da Família.

Assistência Farmacêutica no Sistema Único de Saúde: da Política Nacional de Medicamentos à Atenção Básica à Saúde

Oliveira,Luciane Cristina Feltrin de; Assis,Marluce Maria Araújo; Barboni,André René
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2010 PT
Relevância na Pesquisa
105.9%
Este artigo é um estudo de revisão teórica que discute a Assistência Farmacêutica no Sistema Único de Saúde, resgatando-se brevemente a história da Política Nacional de Medicamentos, os mecanismos de financiamento no processo de descentralização da saúde e a Assistência Farmacêutica na Atenção Básica à Saúde. A ampliação do acesso da população ao sistema de saúde exigiu mudanças na distribuição de medicamentos, de maneira a aumentar a cobertura e ao mesmo tempo minimizar custos. Identificam-se avanços no arcabouço jurídico e institucional: descentralização da gestão das ações da assistência farmacêutica; ampliação do acesso da população aos medicamentos essenciais; e estruturação da assistência farmacêutica nos municípios. No entanto, persistem ações prioritárias em relação ao financiamento e cobertura populacional, em detrimento da qualidade dos processos. Conclui-se que em muitos municípios brasileiros ocorrem baixa disponibilidade e descontinuidade da oferta de medicamentos essenciais; dispensação por trabalhadores sem qualificação; condições inadequadas de armazenamento que comprometem a qualidade dos medicamentos; prescrição de medicamentos que não pertencem à Relação Nacional de Medicamentos Essenciais; e problemas relacionados ao acesso dos usuários à farmacoterapia.

O percurso da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde dos Homens (PNAISH), desde a sua formulação até sua implementação nos serviços públicos locais de atenção à saúde

Leal,Andréa Fachel; Figueiredo,Wagner dos Santos; Nogueira-da-Silva,Geórgia Sibele
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2012 PT
Relevância na Pesquisa
105.87%
O artigo tem como objetivo compreender como a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde dos Homens (PNAISH) chega aos serviços da Atenção Básica do Sistema Único de Saúde, a partir do ponto de vista dos seus profissionais. Acompanhamos o caminho trilhado pela PNAISH com um estudo, etnográfico, de cinco casos (de cada Macro Região do país). A análise está ancorada no referencial da Antropologia e emprega a ideia de street-level bureaucreacy, de Lipsky. A formulação da PNAISH é contextualizada em termos históricos e da produção de documentos internacionais e nacionais. Reconhecendo a distância entre formulação e implementação de qualquer política, buscamos compreender como tal distância foi se construindo, na tradução da PNAISH para Planos de Ação (PA) municipais. Observou-se desconhecimento dos agentes implementadores sobre a PNAISH, a rede local de atenção à saúde do homem, as técnicas para atender às especificidades dos homens e o conceito de gênero. A implementação esbarrou na ausência de condições institucionais, como uma estrutura organizacional, uma rede consolidada de atenção - em que o usuário seja atendido por serviços com diferentes graus de complexidade dentro do sistema - e recursos em geral...