Página 1 dos resultados de 455 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Plantas Invasoras no Jardim Botânico da Universidade de Coimbra: Contribuição para a Elaboração de um Plano Gestão

Simões, Ricardo João Cruz Silva
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.82%
O Jardim Botânico da Universidade de Coimbra (JBUC) é composto essecialmente por espécies de plantas exóticas. A maioria destas espécies não são invasoras, mas algumas possuem comportamento invasor, causando problemas para a conservação do Jardim, sendo importante gerir de forma sustentável as áreas afectadas por estas espécies. Para tal, é necessário, em primeiro lugar, analisar a dimensão da invasão e identificar as suas possíveis causas. Para este efeito, este trabalho focou-se no mapeamento das três espécies invasoras mais problemáticas (Ailanthus altissima, Oxalis pes-caprae e Tradescantia fluminensis) e ainda de uma quarta espécie, Acanthus mollis, que embora não listada como invasora na legislação Portuguesa, apresenta na mata do JBUC um potencial invasor preocupante. Foi também objectivo deste trabalho elaborar um reconhecimento mais detalhado (através de mapeamento das regiões invadidas com respectivo número de espécimes) de A. altissima, a espécie mais “agressiva” de todas as presentes no JBUC. Através de análises de campo e usando Sistemas de Informação Geográfica foi possível mapear as áreas invadidas, determinar o número de indivíduos em cada local, a cobertura vegetal destas espécies...

Identificação de plantas invasoras em tempo real.; Weed identification in real time.

Pernomian, Viviane Araujo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/11/2002 PT
Relevância na Pesquisa
66.96%
A identificação de plantas invasoras é de extrema importância em diversos procedimentos utilizados na agricultura. Apesar de ser uma tarefa computacionalmente difícil, esta identificação tem se tornado muito importante no contexto da agricultura de precisão. A agricultura de precisão substitui os tratos culturais de grandes áreas da cultura, feitos pela média do nível dos problemas encontrados nessas áreas, por tratamento específicos e pontuais. As pricipais vantagens são o aumento de produtividade, relacionado com a diminuição da variabilidade na produção, a economia de insumos e a preservação do meio ambiente. Este trabalho enfoca o reconhecimento de plantas invasoras em tempo real. Para manter o requisito de tempo real, são utilizadas redes neurais artificiais como meio para o reconhecimento de padrões. Entre as diversas plantas invasoras de ocorrência freqüente no cerrado brasileiro, foi selecionado o picão preto para a avaliação das técnicas adotadas. Uma arquitetura modular de reconhecimento é proposta, com o uso de processamento paralelo, facilitando a inclusão de módulos de reconhecimento de outras plantas invasoras sem a deterioração do desempenho do sistema. Os resultados obtidos são amplamente satisfatórios...

1. Plantas invasoras nos trópicos: esperando a atenção mundial? 2. Abundância de sementes da palmeira invasora Archontophoenix cf. cunninghamiana na chuva e banco de sementes em um fragmento florestal em São Paulo, SP; Plant invasion on tropics: waiting for world attention? 2. Seeed rain and bank abundance of an invasive palm Archontophoenix cf. cunninghamiana on an Atlantic forest remnant

Kuntschik, Daniela Petenon
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/05/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.81%
Resumo parte 1: A invasão biológica é uma das principais ameaças à biodiversidade em todo o mundo. Entretanto, apesar dos trópicos concentrarem a maior parcela desta diversidade, ainda é pouco e esparso o conhecimento científico disponível sobre plantas invasoras nos ecossistemas tropicais. Este capítulo tem como objetivo comparar a quantidade de trabalhos publicados sobre invasões biológicas por plantas terrestres em ambientes tropicais e não tropicais, assim como a abordagem seguida nesses artigos. Foram lidos, selecionados e revisados os artigos publicados no intervalo de 1995 a 2004, em oito revistas científicas de alto índice de impacto. Ao todo, foram encontrados 239 artigos sobre plantas invasoras, sendo que a maioria deles aborda ecossistemas da América do Norte e Europa. Este é um reflexo do desequilíbrio na produção científica atual, que não dá a devida atenção aos ambientes com a maior biodiversidade, sendo que esta recebe vários tipos de ameaças à sua conservação. Resumo parte 2: As palmeiras da espécie Archontophoenix cf. cunninghamiana são invasoras em um pequeno fragmento florestal na região metropolitana da cidade de São Paulo (SP). Este trabalho investigou a abundância das sementes dessa espécie na chuva e no banco de sementes nesse local. Foram coletadas cinqüenta amostras de solo e de sementes da chuva de sementes em doze coletas mensais. Os resultados indicam que a dispersão de sementes dessa espécie invasora é efetiva na mata e que há a possibilidade dessa espécie formar um banco de sementes sazonal. Portanto...

Cigarrinhas (Hemiptera: Cicadellidae) potenciais vetoras de um fitoplasma (grupo 16SrlX) associado a sintomas de Huanglongbing dos citros, suas plantas hospedeiras e quantificação do patógeno; Potential leafhopper vectors (Hemiptera: Cicadellidae) of a phytoplasma (16SrIX group) associated with citrus huanglongbing symptoms, host plants and pathogen quantification

Marques, Rodrigo Neves
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 08/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.74%
O Huanglongbing (HLB) é uma das mais temidas doenças da citricultura mundial, associada a bactérias do gênero Candidatus Liberibacter, que foram detectadas no Brasil em 2004. Em 2008, detectou-se outra bactéria associada a sintomas de HLB no Estado de São Paulo, que foi caracterizada como sendo um fitoplasma do grupo 16 SrIX. Fitoplasmas são molicutes fitopatógenos restritos ao floema de plantas, disseminados por insetos vetores. O presente trabalho buscou identificar cigarrinhas potencialmente vetoras do fitoplasma associado ao HLB e plantas hospedeiras desses insetos, bem como desenvolver uma técnica de quantificação de DNA desse patógeno em insetos e plantas. Amostragens de cigarrinhas foram realizadas quinzenalmente por 12 meses em dois pomares de laranja com histórico de ocorrência do fitoplasma 16SrIX na região norte do Estado de São Paulo, usando-se armadilhas adesivas amarelas em duas alturas (0,3 e 1,5 m) da copa de árvores cítricas, e rede de varredura na vegetação espontânea. Dados faunísticos identificaram uma espécie de Agalliinae (Agallia albidula Uhler) e três de Deltocephalinae, [Balclutha hebe (Kirkaldy), Planicephalus flavicosta (Stål) e Scaphytopius (Convelinus) marginelineatus (Stål)], como os cicadelídeos (Hemiptera: Cicadellidae) mais abundantes e frequentes nas áreas estudadas. Essas espécies predominaram na amostragem com rede de varredura e na menor altura de coleta com armadilhas adesivas...

Potencial alelopático de soluções de solo cultivado com Brachiaria brizantha: efeitos sobre a germinação de gramíneas forrageiras e plantas daninhas de pastagens

Martins, D.; Martins, C.C.; Costa, N.V.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 61-70
POR
Relevância na Pesquisa
66.52%
O objetivo desta pesquisa foi obter informações que possam favorecer o entendimento da atuação dos compostos alelopáticos sobre o banco de sementes do solo e sobre a seleção de plantas invasoras e indicar espécies que favoreçam a renovação dos pastos. Assim, soluções de solo de uma área de pastagem de Brachiaria brizantha cv. Marandu formada há mais de cinco anos foram extraídas para avaliar os efeitos alelopáticos dessa espécie sobre a germinação, a dormência de sementes e o vigor de plântulas de B. brizantha cv. Marandu, Panicum maximum cv. Tanzânia, Sida rhombifolia e Peschiera fuchsiaefolia. O experimento foi instalado e conduzido no Laboratório de Matologia do Departamento de Produção Vegetal da FCA/UNESP - campus de Botucatu-SP. O substrato de germinação foi umedecido com 12 mL dos seguintes tratamentos: solução do solo de uma área cultivada com B. brizantha; solução do solo de uma área sem B. brizantha (mata nativa); água destilada; solução de polietilenoglicol com potencial osmótico idêntico ao da solução do solo sob B. brizantha; e solução de polietilenoglicol com potencial osmótico idêntico ao da solução de solo de uma mata nativa. A porcentagem de sementes normais, mortas, anormais e dormentes de B. brizantha não foi influenciada por nenhuma das soluções testadas...

Efeito de diferentes sistemas de manejo de plantas invasoras sobre o controle biológico e incidência de Cinara atlantica (Hemiptera: Aphididae) em Pinus taeda e biologia de Coccinelídeos (Coleoptera)

Oliveira, Nádia Cristina de
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: iii, 72 f. : il., gráfs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
66.92%
Pós-graduação em Agronomia (Proteção de Plantas) - FCA; Os afídeos do gênero Cinara (Hemiptera: Aphididae) são importantes pragas de coníferas em diversos países. No Brasil o pulgão do Pinus foi detectado pela primeira vez em 1996 em plantio de Pinus taeda no estado de Santa Catarina, sendo C. atlantica registrada no estado de São Paulo em 1999. Atualmente esta espécie vem causando perdas em plantações comerciais de Pinus spp.. Este trabalho teve por objetivos: 1) Avaliar o efeito do manejo de plantas invasoras na população de C. atlantica e seus inimigos naturais em P. taeda. 2) Estudar a biologia e o potencial de predação das joaninhas sobre C. atlantica. O experimento foi instalado em área de 17,7 ha, com plantio de P. taeda de 6 meses em Buri, SP. O delineamento experimental foi em blocos casualizados com quatro tratamentos e quatro repetições. Em cada parcela foram amostradas 40 plantas, dispostas em quatro amostras de 10 plantas em linha. Os seguintes tratamentos de controle de plantas invasoras foram aplicados nas entrelinhas: a) presença de plantas invasoras (sem controle); b) manejo com roçadeira; c) manejo com gradagem; e d) manejo com herbicida. A infestação pelo pulgão do Pinus foi avaliada pela população de pulgões...

Estudo de plantas invasoras como fonte de begomovírus para o tomateiro; Study of weeds as a begomovirus source to tomato

Barreto, Sarah da Silva
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
66.95%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Fitopatologia, Programa de Pós-Graduação em Fitopatologia, 2012.; Os begomovírus pertencem ao gênero Begomovirus, família Geminiviridae e são transmitidos pelo aleirodídeo Bemisia tabaci (Gennadius), conhecido como mosca-branca. Esses vírus causam severas doenças em muitas culturas, e o tomateiro (Solanum lycopersicum L.) é uma das mais severamente afetadas. No Brasil, somente Nicandra physaloides (L.), uma planta invasora comum no cultivo de tomate, foi relatada com infecção natural por Tomato severe rugose virus (ToSRV), importante begomovírus para o tomateiro. Portanto, o objetivo desse estudo foi identificar os begomovírus presentes em plantas invasoras, especialmente o ToSRV, e avaliar a se essas plantas podem servir como fonte desse vírus para o tomateiro. Dois ensaios foram realizados: no primeiro, isolados de begomovírus presentes em amostras de plantas invasoras (na forma de DNA total) da coleção de begomovírus da Embrapa Hortaliças foram inoculados por biobalística em plantas de tomateiro e na planta invasora correspondente ou relacionada. Como resultado...

Multiplicação do nematoide meloidogyne javanica em plantas invasoras e seu efeito sobre o desenvolvimento do manjericão

Guimarães, Thássya Menezes
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
66.94%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Programa de Pós-Graduação em Agronomia, 2012.; Foram realizados dois ensaios para estudar a multiplicação do nematoide Meloidogyne javanica em plantas invasoras e seu efeito sobre o desenvolvimento do manjericão (Ocimum basilicum L.). O primeiro ensaio objetivou acessar o efeito da multiplicação do nematoide sobre o manjericão mediante inoculação controlada das ervas em pré-cultivo. Os tratamentos com cinco repetições constaram de sete espécies de plantas invasoras postas a crescer por sessenta dias em vasos de 2,5 L contendo mistura de latossolo vermelho de cerrado mais areia, vermiculita e composto orgânico mais a formulação 4-14-8, na dose de 100g para 40 L da mistura. A testemunha foi o pousio. O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado. Todos os vasos com solo previamente esterilizado foram inoculados com 10.000 ovos de uma população de M. javanica encontrada no cerrado de Brasília. As espécies invasoras foram: Hyptis pectinata, Cyperus rotundus, Paspalum notatum, Talinum triangulare, Hydrocotile umbellata, Sphagneticola trilobata (L.) Pruski e Artemisia verlotorum. Após 60 dias de cultivo as ervas tiveram a parte aérea cortada e no vaso...

Plantas exóticas e invasoras na Ilha do Pico (Açores).

Almeida, Maria T.
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Relatório
Publicado em //1992 POR
Relevância na Pesquisa
56.97%
VI Expedição Científica do Departamento de Biologia - Pico 1991.; As ilhas são lugares ideais para a instalasão e desenvolvimento de plantas invasoras, quer sejam trazidas por meios naturais ou pelo Homem. As plantas invasoras são bastante agressivas, e como ao chegarem a uma ilha raramente encontram os seus inimigos naturais, elas espalham-se muito rapidamente e desalojam as plantas nativas. Por um lado com a sua presença elas parecem aumentar a Biodiversidade total da Ilha, no entanto com a sua agressividade elas são responsáveis pela diminuição da Biodiversidade natural primária. As plantas exóticas, normalmente trazidas pelo Homem, com fins económicos e/ou ornamentais, podem também tornar-se plantas invasoras. É, de qualquer maneira, elas constituem uma alteração da paisagem natural. Dado que as fronteiras das ilhas são o mar e o ar é relativamente fácil, e absolutamente indispensável, que se controle a entrada de plantas exóticas, isto é, não nativas. Por outro lado deve-se fazer o controle e irradicação de todas aquelas plantas exóticas e invasoras que existam, ou sejam detectadas, nas ilhas. Segue-se uma lista de Plantas Exóticas e Invasoras detectadas na Ilha do Pico durante a Expedição Científica PICO/91...

Plantas invasoras em sistemas agroflorestais com cupuaçuzeiro no município de Presidente Figueiredo (Amazonas, Brasil)

Sousa,Gladys Ferreira de; Oliveira,Luiz Antonio de; Silva,José Ferreira da
Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Publicador: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2003 PT
Relevância na Pesquisa
56.84%
A infestação crescente de plantas invasoras nos sistemas agrícolas causa prejuízos às lavouras, com decréscimos acentuados da produtividade, quer pela competição direta pelos fatores de produção, quer pelos compostos alelopáticos liberados. Este trabalho consistiu de um levantamento e análise fitossociológica de alguns aspectos de espécies de invasoras que ocorrem em sistemas agroflorestais com cupuaçuzeiro, em três arranjos de culturas (mandioca+fruteiras; anuais+fruteiras; maracujá+fruteiras), sob três sistemas de adubação (NPK+MO, adubação com Fósforo e Fósforo+leguminosa). As coletas das plantas invasoras feitas em seis amostras de 0,25 m² por parcela foram posteriormente levadas ao laboratório para identificação. As 55 espécies identificadas estavam distribuídas em 23 famílias botânicas, sendo 43 espécies de dicotiledôneas (78,2%), 11 de monocotiledôneas (20,0%) e uma de pteridófita (1,8%). As famílias Poaceae (monocotiledônea) e Asteraceae (dicotiledônea) foram as mais freqüentes e com maior número de indivíduos. As espécies mais freqüentes e com maior número de plantas por m² foram Paspalum conjugatum P.J. Bergius (área A) e Homolepis aturensis (Kunth) Chase (área B), ambas da família Poaceae; Ageratum conyzoides L. da família Asteraceae...

Métodos de controle de plantas invasoras na cultura do cafeeiro (Coffea arabica L.) e componentes da acidez do solo

Alcântara,Elifas Nunes; Nóbrega,Júlio César Azevedo; Ferreira,Mozart Martins
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2007 PT
Relevância na Pesquisa
56.9%
Em lavouras perenes, como na cultura do cafeeiro, o controle de plantas invasoras tem sido feito por meio de métodos manuais, mecanizados, químicos e associações destes. De modo geral, têm-se avaliado os diferentes métodos sob o ponto de vista de eficiência e de custo no controle das plantas invasoras; no entanto, a influência deles sobre as condições químicas do solo, praticamente, não tem sido estudada, principalmente a longo prazo. O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito de diferentes métodos de controle de plantas invasoras na cultura do cafeeiro sobre os componentes da acidez de um Latossolo Vermelho distroférrico da região de São Sebastião do Paraíso, MG. Sete tratamentos de controle de plantas invasoras foram avaliados: roçadora (RÇ), grade (GR), enxada rotativa (RT), herbicida de pós-emergência (HC), herbicida de pré-emergência (HR), capina manual (CM) e testemunha sem capina (SC), dispostos em blocos casualizados com três repetições. Amostras de solo, em cada tratamento, foram coletadas a cada dois anos, a partir de 1980, nas camadas de 0-0,15 e 0,15-0,30 m, para avaliação de pH, Al3+, acidez potencial (H + Al) e saturação por Al3+ (m). O sistema HR aumentou o teor e a saturação por Al3+ e a acidez potencial e diminuiu o pH...

Alterações nos atributos químicos de um latossolo pelo manejo de plantas invasoras em cafeeiros

Araujo-Junior,Cezar Francisco; Guimarães,Paulo Tácito Gontijo; Dias Junior,Moacir de Souza; Alcântara,Elifas Nunes; Mendes,Aretusa Daniela Resende
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.97%
O controle de plantas invasoras é uma das práticas de manejo mais intensivas na condução de lavouras cafeeiras, o qual provoca alterações nos atributos químicos do solo. Diante disso, os objetivos deste estudo foram: avaliar os efeitos dos diferentes sistemas de manejo de plantas invasoras em uma lavoura cafeeira nos atributos químicos de um Latossolo Vermelho distroférrico em relação ao solo sob mata nativa (MATA); e verificar a relação entre o teor de C orgânico do solo (COS) e a capacidade de troca de cátions efetiva (CTC a pH natural) e a capacidade de troca de cátions a pH 7 (CTC a pH 7). O estudo foi realizado na fazenda experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), localizada no município de São Sebastião do Paraíso, Minas Gerais. A área experimental foi plantada com cafeeiros da cultivar Paraíso, e o experimento foi instalado em blocos casualizados, com sete manejos de plantas invasoras e três repetições. Os manejos de plantas invasoras avaliados foram: sem capina (SCAP); capina manual (CAPM); herbicida de pós-emergência (HPOS); roçadora (ROÇA); enxada rotativa (ENRT); grade (GRAD); e herbicida de pré-emergência (HPRE). Cada manejo de plantas invasoras nas entrelinhas dos cafeeiros vem sendo realizado há 30 anos em três ruas...

Efeito do espaçamento e do uso de leguminosas de cobertura no manejo de plantas invasoras em reflorestamento de Schizolobium amazonicum Huber ex. Ducke (paricá)

Alvino-Rayol,Fabrízia de Oliveira; Rosa,Leonilde dos Santos; Rayol,Breno Pinto
Fonte: Sociedade de Investigações Florestais Publicador: Sociedade de Investigações Florestais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
66.85%
A infestação crescente de plantas invasoras em áreas de cultivos é um dos fatores que mais afetam os reflorestamentos na Amazônia, causando decréscimos na produtividade devido à competição direta pelos fatores de produção. Tendo isso em vista, este trabalho objetivou avaliar o efeito de espaçamentos (4x2 m, 4x4 m e 4x6 m) e do uso de leguminosas de cobertura (Cajanus cajan e Canavalia ensiformis) no controle da matocompetição em plantio de Schizolobium amazonicum Huber ex. Ducke (paricá). As coletas das plantas invasoras foram feitas aos 30 e 90 dias após a semeadura das leguminosas de cobertura. Posteriormente foram levadas para herbários para identificação. Foram identificadas 24 espécies distribuídas em 13 famílias botânicas. No que se refere à infestação, diversidade e riqueza de plantas daninhas, os melhores resultados foram encontrados nos tratamentos com C. ensiformis. Esta leguminosa influenciou a composição florística e a estrutura das comunidades de plantas invasoras. O espaçamento 4m x 2m contribuiu para menor diversidade e riqueza dessa plantas. As espécies de ervas daninhas mais frequentes em todos os tratamentos foram Spermacoce capitata e Brachiaria brizantha.

Potencial alelopático de soluções de solo cultivado com Brachiaria brizantha: efeitos sobre a germinação de gramíneas forrageiras e plantas daninhas de pastagens

Martins,D.; Martins,C.C.; Costa,N.V.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.52%
O objetivo desta pesquisa foi obter informações que possam favorecer o entendimento da atuação dos compostos alelopáticos sobre o banco de sementes do solo e sobre a seleção de plantas invasoras e indicar espécies que favoreçam a renovação dos pastos. Assim, soluções de solo de uma área de pastagem de Brachiaria brizantha cv. Marandu formada há mais de cinco anos foram extraídas para avaliar os efeitos alelopáticos dessa espécie sobre a germinação, a dormência de sementes e o vigor de plântulas de B. brizantha cv. Marandu, Panicum maximum cv. Tanzânia, Sida rhombifolia e Peschiera fuchsiaefolia. O experimento foi instalado e conduzido no Laboratório de Matologia do Departamento de Produção Vegetal da FCA/UNESP - campus de Botucatu-SP. O substrato de germinação foi umedecido com 12 mL dos seguintes tratamentos: solução do solo de uma área cultivada com B. brizantha; solução do solo de uma área sem B. brizantha (mata nativa); água destilada; solução de polietilenoglicol com potencial osmótico idêntico ao da solução do solo sob B. brizantha; e solução de polietilenoglicol com potencial osmótico idêntico ao da solução de solo de uma mata nativa. A porcentagem de sementes normais, mortas, anormais e dormentes de B. brizantha não foi influenciada por nenhuma das soluções testadas...

Diversidade genética de Begomovirus que infectam plantas invasoras na região nordeste

Asssunção,I.P.; Listik,A.F.; Barros,M.C.S.; Amorin,E.P.R.; Silva,S.J.C.; O. Silva,Izael; Ramalho-Neto,C.E.; Lima,G.S.A.
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
56.8%
Os Begomovirus fazem parte de uma família numerosa de fitovírus denominada Geminiviridae. Eles infectam ampla gama de hospedeiras, incluindo muitas espécies cultivadas, como tomate (Lycopersicon esculentum), feijão (Phaseolus vulgaris), pimentão (Capsicum annuum), caupi (Vigna unguiculata), mandioca (Manihot esculenta) etc., além de plantas invasoras de várias espécies. Em alguns casos, plantas invasoras podem funcionar como reservatórios desses vírus para plantas cultivadas, mediante transmissão pelo inseto-vetor. No presente trabalho, plantas invasoras com sintomas de mosaico amarelo, deformação do limbo foliar e redução do crescimento foram avaliadas no tocante à presença de Begomovirus mediante a técnica de PCR, empregando-se oligonucleotídeos universais para detecção desses vírus. Foram avaliadas 11 amostras, correspondendo a 10 espécies, coletadas em municípios dos Estados de Alagoas, Pernambuco e Bahia. Algumas, como Herissantia crispa, Waltheria indica e Triumfetta semitriloba, são relatadas pela primeira vez como espécies hospedeiras de Begomovirus. Para estimar a variabilidade genética dos Begomovirus detectados, o produto de amplificação dos diversos isolados foi clivado com as enzimas de restrição EcoRI...

Sistema poroso e capacidade de retenção de água em latossolo submetido a diferentes manejos de plantas invasoras em uma lavoura cafeeira

Araujo-Junior,C.F; Dias Junior,M.S; Guimarães,P.T.G; Alcântara,E.N
Fonte: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas Publicador: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.76%
Os manejos de plantas invasoras em lavouras cafeeiras podem promover alterações estruturais que comprometem a capacidade do solo em infiltrar, distribuir, transmitir e reter água, em função da distribuição dos poros por tamanho. Nesse contexto, o objetivo deste estudo foi verificar a influência da adoção de diferentes manejos de plantas invasoras no sistema poroso e na capacidade de retenção de água em um Latossolo Vermelho distroférrico (LVdf), nas entrelinhas de uma lavoura cafeeira, em relação ao solo sob mata nativa. A área de estudo localiza-se na Fazenda Experimental da Epamig, em São Sebastião do Paraíso, região sul de Minas Gerais. O experimento foi instalado no ano de 1977 em blocos casualizados (DBC), com três repetições. Os seguintes manejos de plantas invasoras foram utilizados nas entrelinhas dos cafeeiros: sem capina (SCAP); capina manual (CAPM); herbicida de pósemergência (HPOS); roçadora (ROÇA); enxada rotativa (ENRT); grade (GRAD); e herbicida de pré-emergência (HPRE). Em dezembro de 2007, amostras de solo com estrutura indeformada foram coletadas aleatoriamente no centro das entrelinhas dos cafeeiros sob os diferentes manejos, nas profundidades de 0-3 cm, 10-13 cm e 25-28 cm, totalizando 315 amostras. Em uma mata nativa (MATA) sob LVdf...

Visitantes florais de plantas invasoras de áreas com fruteiras irrigadas

Kiill,Lúcia Helena Piedade; Haji,Francisca Nemaura Pedrosa; Lima,Paulo César Fernandes
Fonte: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" Publicador: São Paulo - Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz"
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2000 PT
Relevância na Pesquisa
56.83%
As plantas invasoras afetam a produtividade das fruteiras irrigadas, sendo necessários estudos sobre sua ecologia, principalmente formas de reprodução e associação com insetos. O presente trabalho foi desenvolvido em Petrolina-PE, objetivando classificar os visitantes florais de plantas invasoras em polinizadores e pilhadores, de acordo com o comportamento apresentado. As observações foram feitas de maio a outubro de 1998, em 26 dias não consecutivos, no intervalo das 7h00 às 16h00. As invasoras foram classificadas em nectaríferas e poliníferas, quando visitadas para retirada exclusiva de néctar ou de pólen; e em mistas, quando visitadas para retirada dos dois recursos. Para a análise de freqüência foi adotado um sistema de notas: a- número de visitas >30, b- entre 10 e 30 e c- <10 visitas. Das 24 invasoras observadas, 14 foram consideradas nectaríferas, seis poliníferas e quatro mistas. Entre os visitantes florais foram registradas abelhas (Xylocopa grisescens, X. frontalis, Centris aff. perforator, Ptilotrix aff. plumata, Diadasina riparia, Apis mellifera, Trigona spinipes, Eulaema nigrita), borboletas (Ascia monuste, Papilio thoas brasiliensis, Agraulis vanillae) e beija-flores (Phaethornis sp., Chlorostilbon aureoventris). As abelhas apresentaram maior número de espécies (61...

Controle de plantas invasoras em cultivo orgânico e convencional de capim-limão (Cymbopogon citratus (DC) Stapf.)

Lemos,G.C.S.; Santos,A.D.; Freitas,S.P.; Gravina,G.A.
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
66.68%
O cultivo orgânico é preconizado para o capim-limão (Cymbopogon citratus (DC) Stapf.) como planta medicinal promissora ao desenvolvimento de fármacos no Brasil. Objetivou-se avaliar técnicas de controle de plantas invasoras sobre componentes de produção de capim limão em cultivos orgânico e convencional. Dois experimentos foram instalados sob delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições, em esquema fatorial 2x2x3, considerando-se duas áreas (orgânico e convencional) e os tratamentos combinando cobertura morta (presente e ausente) e técnicas de controle de plantas invasoras (capina manual, roçada e nenhuma). Altura, perfilhamento, teor e rendimento total de óleo essencial de capim-limão no cultivo orgânico foram superiores ao convencional, mas a produtividade de biomassa aérea seca não diferiu entre ambos. A capina, com ou sem cobertura morta, favoreceu o rendimento de óleo no cultivo orgânico.

A viabilidade do aproveitamento da biomassa de plantas invasoras para a produção de electricidade na ilha Terceira

Toste, Gisele Evangelho
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 06/02/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.65%
Dissertação de Mestrado em Engenharia do Ambiente.; A biomassa, considerada uma energia alternativa, além de ser ambientalmente favorável, é uma energia praticamente inesgotável. No entanto, a falta de incentivos para a investigação das suas potencialidades e desenvolvimento de novas tecnologias ou a inexistência de tecnologias baratas que permitam a sua utilização em grande escala, levam a que a sua importância no panorama energético internacional seja ainda reduzida. É neste contexto que surge o presente estudo no âmbito da Dissertação do Mestrado em Engenharia do Ambiente, ministrado na Universidade dos Açores, Departamento de Ciências Agrárias. Pretende-se perceber as potencialidades do aproveitamento da biomassa de plantas invasoras, mais concretamente, do Pittosporum undulatum (P. undulatum) para a produção de electricidade, determinando entre outras variáveis a sua capacidade calorífica. Pretende-se igualmente verificar se este tipo de energia renovável é viável, em termos económicos ou em termos de abundância enquadrando essa produção no sistema actual de produção de electricidade, essencialmente dependente da queima de combustíveis fósseis. Apesar de inúmeras infestantes existentes na ilha...

Influência da palhada de aveia preta no controle de plantas invasoras na cultura do alho

Ribeiro, Cristiano da Silva
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 11
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.97%
Projeto acadêmico (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Campus Curitibanos. Ciências Rurais.; No Brasil a produção de alho vem se destacando a cada ano devido ao aprimoramento de tecnologias que estão aumentando a produtividade da cultura. Durante o ciclo da cultura do alho diversas plantas invasoras se regeneram competindo com o alho por espaço, luminosidade, água e principalmente nutrientes. Uma das plantas excelentes na cobertura do solo é a aveia preta. Desta forma, questiona-se se a aveia preta pode controlar as plantas invasoras no decorrer do ciclo do alho, sem diminuir a produtividade. A utilização de palhada de aveia preta diminui a infestação de plantas invasoras e ou a palhada de aveia preta não interfere na produtividade do alho. O objetivo deste trabalho é avaliar a influência da palhada de aveia preta sobre o controle na infestação de plantas invasoras no decorrer do ciclo do alho. O experimento será realizado a campo na fazenda experimental da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), localizada em Curitibanos no Planalto Catarinense. A cultivar de alho a ser utilizada após o ciclo da aveia, será Chonan livre de vírus tipo 5 submetido a vernalização por 20 dias, à 3°C. O delineamento experimental constitui de blocos ao acaso com quatro tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos serão constituídos de doses crescentes de semente de aveia preta...