Página 1 dos resultados de 1832 itens digitais encontrados em 0.014 segundos

Relação entre violência física, consumo de álcool e outras drogas e bullying entre adolescentes escolares brasileiros; Association between physical violence, consumption of alcohol and other drugs, and bullying among Brazilian adolescents

Andrade, Silvânia Suely Caribé de Araújo; Yokota, Renata Tiene de Carvalho; Bandeira de Sa, Naiza Nayla; Silva, Marta Maria Alves da; Araujo, Wildo Navegantes de; Mascarenhas, Marcio Denis Medeiros; Malta, Deborah Carvalho
Fonte: CADERNOS SAUDE PUBLICA; RIO DE JANIERO Publicador: CADERNOS SAUDE PUBLICA; RIO DE JANIERO
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
56.37%
O objetivo deste estudo foi identificar a associação entre o consumo de álcool e outras drogas e o bullying com o envolvimento em situações de violência física entre adolescentes de 13 a 15 anos, em escolas públicas e privadas das capitais brasileiras e do Distrito Federal. Foram analisados os dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) de 2009. Para análise dos dados foi utilizada a regressão logística. A prevalência de envolvimento em situações de violência física foi 12,9% maior no sexo masculino. Em ambos os sexos, foram observadas associações entre violência física e ser vítima de bullying com o uso de drogas ilícitas e efeito potencializado do consumo de álcool e drogas. Para o sexo masculino, o uso de álcool mostrou associação significante com violência física. Morar o pai ou ambos os genitores na residência apresentou associação inversa para violência física no sexo feminino. O conhecimento de fatores associados à violência física entre adolescentes é importante para auxiliar estratégias de promoção da saúde e da cultura de paz, rompendo com a ideia de que a violência entre adolescentes é algo banal e esperado.; This study aimed to identify the association between alcohol and drug consumption and bullying on the one hand and involvement in situations of physical violence among adolescents 13 to 15 years in public and private schools in State capitals and the Federal District of Brazil. The study analyzed data from the National School Health Survey (PeNSE) for the year 2009. Data analysis used logistic regression. Prevalence of involvement in physical violence was 12.9% more common in boys than girls. Both genders showed associations between physical violence or being a victim of bullying and use of illegal drugs...

Educar é punir? Compreendendo pontos de vista de pais denunciados por violência física contra seus filhos; Is educate punishing? Understanding the points of view of parents disclosed for physical violence against their children

Oliveira, Thaís Thomé Seni da Silva e
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
56.37%
A família além de vivida cotidianamente, é pensada, refletida e pesquisada com diferentes enfoques e objetivos, por diferentes perspectivas teóricas, práticas e metodológicas. Para se estudar a família é preciso antes de tudo desnaturalizá-la e recuperar sua própria história, pois os modelos que hoje temos são resultados de processos de transformação da forma de se ver e educar a criança, como também do contexto social, histórico e cultural em que vivemos. Isso inclui o fenômeno da Violência Doméstica, e mais especificamente o uso de violência física de pais contra filhos, que apesar das modificações ocorridas na visão da criança e das práticas educativas na família ao longo do tempo, sempre existiu e persiste de forma endêmica em nossos dias, constituindo um problema de saúde pública, e requerendo estratégias de intervenção por parte dos serviços de saúde e desenvolvimento social. O presente projeto tem o objetivo de investigar, junto a pais e mães com histórico de violência física contra seus filhos, a visão sobre o que é educar uma criança, sobre seu papel de pai/mãe e sobre as conseqüências de seus comportamentos sobre o filho. Busca, dessa forma, trazer contribuições para uma melhor compreensão do problema da agressão física de pais contra filhos...

Violência doméstica contra crianças e adolescentes na região metropolitana de Fortaleza; Domestic violence against children and adolescents in the metropolitan area of Fortaleza

Carvalho, Helena Maria Barbosa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 05/05/2010 PT
Relevância na Pesquisa
56.32%
Introdução O reconhecimento da violência doméstica contra crianças e adolescentes no Brasil se deu no fim da década de 80, com o estabelecimento do ECA, que tornou obrigatória a notificação, mesmo dos casos suspeitos, numa medida de proteção aos direitos das crianças e dos adolescentes. Ainda que tenha sua magnitude desconhecida, é apontada como um fenômeno crescente em todo o mundo e seu conhecimento encontra-se em processo de construção. Em função das graves conseqüências que acarreta às vítimas e às suas famílias, seu estudo se justifica, no intuito de dar visibilidade ao tema, a partir dos casos atendidos no Instituto Médico Legal de Fortaleza. Objetivos - Analisar as características da violência doméstica contra crianças e adolescentes atendidos no Instituto Médico Legal (IML) de Fortaleza, visando contribuir para a formulação de políticas públicas de enfrentamento deste problema na população estudada, a partir de estratégias apropriadas de prevenção e controle. Métodos - Estudo descritivo, transversal, com método quantitativo. A população foi constituída por 343 crianças e adolescentes residentes na Região Metropolitana de Fortaleza e atendidos no IML de Fortaleza, no período de 1º de julho a 31 de dezembro de 2008. Para obtenção dos dados foram utilizados a guia policial e o instrumento próprio da pesquisa. Resultados Dentre as vítimas de violência doméstica contra crianças e adolescentes...

Physical violence against patients with mental disorders in Brazil: sex differences in a cross-sectional study

Oliveira,Helian Nunes de; Machado,Carla Jorge; Guimarães,Mark Drew Crosland
Fonte: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 EN
Relevância na Pesquisa
66.39%
OBJECTIVES: Patients with mental illness are more exposed to violence than the general population. This study assessed factors associated with lifetime physical violence against these patients stratified by sex in Brazil. METHODS: This is a National cross-sectional multicenter study with a representative sample of 2,475 patients randomly selected from 26 public mental health services. Logistic regression was used to evaluate factors associated with physical violence and crude (OR) and adjusted odds ratios (aOR) with 95% confidence interval were estimated. Statistical level considered was 0.05. RESULTS: The prevalence of lifetime physical violence against mental patients was similar for women (57.6%) and men (57.8%). Physical violence against women was independently associated with: previous psychiatric hospitalizations (aOR = 2.09), lifetime STD (aOR = 1.75), lifetime alcohol consumption (aOR = 1.59), age of sexual debut (< 16 y.o.) (aOR = 1.40), lifetime sex under alcohol/drugs use (aOR = 2.08), having received/offered money for sex (aOR = 1.73) and lifetime incarceration (aOR = 1.69). Among men, associated factors were: age (18-40 y.o.) (aOR = 1.90), history of homelessness (aOR = 1.71), previous psychiatric hospitalization (aOR = 1.39)...

Lien entre la légitimité perçue de la violence subie dans l’enfance et les comportements violents à l’égard des enfants du point de vue de pères québécois

Jamal, Farah
Fonte: Université de Montréal Publicador: Université de Montréal
Tipo: Thèse ou Mémoire numérique / Electronic Thesis or Dissertation
FR
Relevância na Pesquisa
56.46%
La transmission intergénérationnelle de la violence envers les enfants et les perceptions reliées aux expériences personnelles de violence dans l’enfance ont été peu étudiées auprès de la population générale et encore moins auprès des pères. L’objectif de la présente étude est de déterminer le lien entre, d’une part, la fréquence rapportée de la violence physique sévère vécue dans l’enfance et la légitimité perçue de cette violence et d’autre part, la violence physique mineure et psychologique envers les enfants au sein de la famille actuelle de 204 pères québécois. Les données sont issues de l’enquête sur la violence familiale dans la vie des enfants du Québec réalisée en 2004 par l’Institut de la Statistique du Québec. Il y a un lien significatif entre la fréquence rapportée de la violence physique sévère vécue dans l’enfance et sa légitimité perçue, ainsi qu’avec la violence envers les enfants dans la famille actuelle des pères. Les pères rapportant avoir souvent ou très souvent vécu de la violence physique sévère dans l’enfance ont actuellement des enfants qui vivent plus de violence psychologique que ceux qui en ont parfois vécu. Plus les pères considèrent la violence physique sévère vécue dans l’enfance comme méritée...

Intimate partner violence: last year prevalence and association with socio-economic factors among women in Madrid, Spain

Zorrilla, Belén; Pires, Marisa; Lasheras, Luisa; Morant, Consuelo; Seoane, Luis; Sánchez, Luis M.; Galán, Iñaki; Aguirre, Ramón; Ramírez, Rosa; Durbán, María
Fonte: Oxford University Press Publicador: Oxford University Press
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em /04/2010 ENG
Relevância na Pesquisa
46.39%
[Background] Intimate partner violence (IPV) is a public health problem with significant consequences on women's health. This study estimates the prevalence of intimate partner violence by type among Madrid's female population and assesses the association with socio-economic variables.; [Methods] We conducted a cross-sectional study in 2004, 2136 women aged 18–70 years, living in the Madrid region with a partner or who had been in contact with an ex-partner in the previous year, were interviewed by telephone. The questionnaire used to measure past-year intimate partner violence, consisted of a Spanish translation of the psychological and sexual violence module of the French National Survey on Violence against Women, and the physical violence module of the Conflict Tactics Scale-1. To assess the association with socio-economic factors, logistic regression models were fitted.; [Results] About 10.1% [confidence interval (CI) 8.9–11.5] of the women had suffered some type of IPV in the previous year. 8.6% (CI 7.4–9.8) experienced psychological violence, 2.4% (CI 1.8–3.1) physical violence and 1.1% (CI 0.68–1.6) sexual violence; the prevalence of psychological-only violence (non-physical/non-sexual) was 6.9% (CI 5.8–8.0). Factors associated with psychological-only violence were divorced or separated status and Group III (clerical workers; supervisors of manual workers) or V (unskilled manual workers) occupation. Unemployment and divorced or separated status were associated with physical violence.; [Conclusions] Spanish women in our study...

Preventing Men's Violence Against Women and Girls in Australia: Engaging Australian Fathers

Meaney-Davis, Jessie
Fonte: Universidade Nacional da Austrália Publicador: Universidade Nacional da Austrália
Tipo: Relatório
Relevância na Pesquisa
56.3%
Men's violence against women and girls is a significant problem in Australia. It is estimated that one in three Australian women will experience physical violence by a man, and one in five will experience sexual violence by a man, at least once in their lifetime. Men's violence permeates every community in Australia, and all types of women and girls. Fathers are the core of male Australian society, they are placed at the core of the problem of men's violence against women and girls, and they should be at the core of violence prevention. There are four major arguments for targeting fathers for prevention. First, statistics show that most often male perpetrators of violence are intimate partners, fathers, or relatives. This demonstrates that fathers need to be targeted for the prevention of their violence against intimate partners and daughters. A second reason to target fathers is that fathers are influenced by dominant ideas of masculinity and negative concepts and practices of fatherhood. Aggressive, patriarchal, emotionally inexpressive and violent masculinities can be de-constructed in fatherhood programs and services, and men can focus on more positive aspects of their male identity such as their roles as nurturing fathers. Thirdly...

Fatores associados à violência física por parceiro íntimo em usuárias de serviços de saúde; Factors associated with intimate partner physical violence among health service users; Factores asociados a la violencia física por pareja íntima en usuarias de servicios de salud

VIEIRA, Elisabeth Meloni; PERDONA, Gleici da Silva Castro; SANTOS, Manoel Antonio dos
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
56.23%
OBJETIVO: Estimar a prevalência de violência por parceiro íntimo contra mulheres e identificar fatores associados. MÉTODOS: Estudo transversal com 504 mulheres de 15 a 49 anos, em cinco unidades básicas e distritais de saúde em um município paulista em 2008. Foram realizadas entrevistas face a face com uso de questionário com 119 questões, sobre informações sociodemográficas, saúde reprodutiva, percepção sobre papéis de gênero no relacionamento conjugal e experiência de violência. Análises univariada e múltipla por regressão logística foram realizadas. RESULTADOS: Mais de um terço das mulheres sofreu violência pelo parceiro íntimo. Na análise múltipla os fatores positivamente associados à violência foram: morar em casa alugada, ter sofrido abuso sexual na infância, parceiro agredido fisicamente na infância, o uso de álcool pela entrevistada e pelo parceiro, uso de drogas e percepção sobre o temperamento do parceiro. CONCLUSÕES: As variáveis identificadas compuseram um modelo preditivo que pode ser utilizado para avaliar o risco de sofrer violência pelo parceiro íntimo.; OBJECTIVE: To estimate the prevalence of intimate partner violence against women and identify factors associated. METHODS: Cross-sectional study comprising 504 women aged 15 to 49 years users of five primary care clinics in a municipality in the state of São Paulo...

Validade do instrumento WHO VAW STUDY para estimar violência de gênero contra a mulher; Validity of the WHO VAW study instrument for estimating gender-based violence against women; Validez de instrumento para estimar violencia de género contra la mujer

SCHRAIBER, Lilia Blima; LATORRE, Maria do Rosário Dias O; FRANÇA JR, Ivan; SEGRI, Neuber José; D'OLIVEIRA, Ana Flávia Pires Lucas
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.4%
OBJETIVO: Validar o instrumento do estudo World Health Organization Violence Against Women (WHO VAW) sobre violência psicológica, física e sexual por parceiros íntimos contra mulheres. MÉTODOS: Estudo transversal realizado em vários países entre 2000 e 2003, inclusive Brasil. Selecionaram-se amostras aleatórias e representativas de mulheres de 15-49 anos com parceiros íntimos, residentes na cidade de São Paulo, SP, (n = 940) e na Zona da Mata de Pernambuco (n = 1.188). Realizou-se análise fatorial exploratória das perguntas sobre violências (quatro psicológicas, seis físicas e três sexuais), com rotação varimax e criação de três fatores. Calculou-se alfa de Cronbach para análise da consistência interna. Para a validação por grupos extremos, médias de escores (zero a 13 pontos) de violência foram testadas em relação aos desfechos: auto-avaliação de saúde, atividades diárias, presença de dor ou desconforto, ideação e tentativa de suicídio, grande consumo de álcool e presença de transtorno mental comum. RESULTADOS: Foram definidos três fatores com variância acumulada semelhante (0,6092 em São Paulo e 0,6350 na Zona da Mata). Para São Paulo, o primeiro fator foi determinado pela violência física...

Physical violence as educational practice

Carmo,Carolina Jacomini do; Harada,Maria de Jesus C. S.
Fonte: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo Publicador: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto / Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 EN
Relevância na Pesquisa
56.27%
This descriptive and correlational study, carried out at a teaching hospital in 2004, aimed to get to know if, in the context of domestic violence, parents use physical violence as an educational practice. Semistructured interviews were used to characterize the population, and situations of daily family life to identify parents' attitude in the education process. Results: the most vulnerable situation to use physical punishment was disobedience to parents' predetermined orders (40%), followed by the situation when the child steals something (31.7%). The use of physical violence as a disciplinary practice was significant (p=0.020), associated with unemployment. Forty percent of the population reported they imposed their will on their child, and 57% mentioned they had been physically punished by their parents in limit-imposing situations. Knowledge and reflection on factors involving domestic violence are very important to consolidate prevention programs and which could generate a collective consciousness.

Assessing the physical violence component of the Revised Conflict Tactics Scales when used in heterosexual couples: an item response theory analysis

Reichenheim,Michael E.; Klein,Ruben; Moraes,Claudia Leite
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 EN
Relevância na Pesquisa
56.22%
Although there are psychometric evaluations of the Revised Conflict Tactics Scales (CTS2) when applied to heterosexual relationships, none has used item response theory (IRT). To address this gap, the present paper assesses the instrument's physical violence subscale. The CTS2 was applied to 764 women who also responded for their partners. Single dimensionality assumption was corroborated. A 2-parameter logistic IRT model was used for estimating location and discriminating power of each item. Differential item functioning and item information pattern along the violence continuum were assessed. Gender differences were detected in 3 out of 12 items. Item coverage of the latent trait spectrum indicated little information at the lower ends, while plenty in the middle and upper ranges. Still, depending on gender, some item overlaps and regions with gaps could be detected. Despite some unresolved problems, the analysis shows that the items form a theoretically coherent information set across the continuum. Provided the user is aware of possible drawbacks, using the physical violence subscale of the CTS2 in heterosexual couples is still a sensible option.

Co-ocorrência de violência física conjugal e contra filhos em serviços de saúde; Co-occurrence of physical violence against partners and their children in health services

Reichenheim, Michael Eduardo; Dias, Alessandra Silva; Moraes, Claudia Leite
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2006 POR
Relevância na Pesquisa
56.36%
OBJETIVO: Apresentar um perfil de ocorrência e co-ocorrência de violência física conjugal e contra filhos em uma população atendida em serviço de saúde, segundo diferentes características socioeconômicas e demográficas. MÉTODOS: Estudo transversal sobre violência familiar e prematuridade, realizado na cidade do Rio de Janeiro, em 2000. Foram elegíveis para a análise os domicílios contendo mulheres vivendo com companheiro e nos quais coabitavam com pelo menos um filho (ou enteado) de até 18 anos (n=205). Condições socioeconômicas, demográficas e relativas aos hábitos de vida da mulher e do companheiro foram consideradas como potenciais preditores de violência. A variável de desfecho foi analisada em quatro níveis: ausência de violência física no domicílio; ocorrência de violência física no casal; contra pelo menos um filho; e coocorrência. Utilizou-se um modelo logito-multinomial para as projeções de prevalências desses matizes de violência segundo os descritores selecionados. RESULTADOS: Os fatores associados ao maior risco do desfecho foram: idade materna >;25 anos; companheiro com primeiro grau incompleto, presença de >;2 crianças menores de cinco anos no domicílio; e abuso de álcool e drogas ilícitas pelo companheiro. Em domicílios com todas essas características...

Violência física e fatores associados: estudo de base populacional no sul do Brasil; Violencia física y factores asociados: estudio de base poblacional en el sur de Brasil; Physical violence and associated factors: a population-based study in Southern Brazil

Palazzo, Lílian dos Santos; Kelling, Alessandra; Béria, Jorge Umberto; Figueiredo, Andréia Cristina Leal; Gigante, Luciana Petrucci; Raymann, Beatriz; Bassani, Diego Garcia
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2008 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
56.07%
OBJETIVO: Estimar a prevalência de violência física e sua associação com aspectos sociodemográficos, eventos estressantes e utilização de serviços de saúde por problemas emocionais. MÉTODOS: Estudo transversal de base populacional realizado em amostra de 1.954 sujeitos com 14 anos ou mais, residentes em Canoas, RS, 2002-2003. A amostragem por conglomerados seguiu sistemática pré-estabelecida. Os dados foram coletados em visitas domiciliares com questionário semi-estruturado e confidencial. Foram realizadas as análises: bivariada, por meio de regressão logística multinomial e multivariada, por regressão politômica, categorizando o desfecho por faixa etária. RESULTADOS: Foi encontrada prevalência de 9,7% (IC 95%: 8,37;11,03) e associação com: sexo feminino a partir dos 20 anos de idade (OR=2,74; IC 95%: 1,52;4,94), maior escolaridade (p;0,001). CONCLUSÕES: A prevalência da violência física na população foi significativa, com conseqüências emocionais e impacto nos serviços de saúde, requerendo capacitação dos profissionais da área.; OBJETIVO: Estimar la prevalencia de violencia física y sua asociacion con aspectos sociodemográfcos, eventos estresantes y utilizacion de servicios de salud por problemas emocionales. MÉTODOS: Estudio transversal de base poblacional realizado en muestra de 1.954 sujetos con 14 anos o mas...

Violência física contra a mulher na perspectiva de profissionais de saúde; Violencia física contra la mujer en la perspectiva de profesionales de la salud; Physical violence against women from the perspective of health professionals

Moreira, Simone da Nóbrega Tomaz; Galvão, Lílian Lira Lisboa Fagundes; Melo, Carmen Oliveira Medeiros; Azevedo, George Dantas de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2008 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
56.29%
OBJETIVO: Compreender a percepção de profissionais de saúde sobre a violência física cometida contra a mulher por parceiro íntimo. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS: Trata-se de estudo qualitativo com 30 profissionais de três unidades de saúde vinculadas ao Sistema Único de Saúde no município de Natal (RN), realizado em 2006. Foram conduzidas entrevistas semi-estruturadas em três núcleos temáticos: idéias associadas à violência física sofrida pela mulher, atuação dos profissionais de saúde e papel dos serviços de saúde. O roteiro das entrevistas incluiu questões referentes à percepção dos profissionais sobre relações de gênero, violência física, atuação como profissional de saúde e papel dos serviços de saúde. Foram extraídas categorias desses núcleos pela técnica de análise de conteúdo temática categorial. RESULTADOS: Os profissionais de saúde indicaram vários fatores que influenciam situações de violência doméstica, dentre os quais machismo, baixas condições econômicas, alcoolismo e experiências anteriores de violência no âmbito familiar. Foram relatadas falta de capacitação para discutir a temática com a população e a necessidade de os serviços de saúde desenvolverem atividades educativas com essa finalidade. CONCLUSÕES: Os resultados indicam a necessidade de sistematização e efetivação de ações voltadas para humanização da assistência às mulheres em situação de violência.; OBJETIVO: Comprender la percepción de profesionales de la salud sobre la violencia física cometida contra la mujer por la pareja íntima. PRODEDIMIENTOS METODOLÓGICOS: Se trata del estudio cualitativo con 30 profesionales de tres unidades de salud vinculadas al Sistema Único de Salud en el municipio de Natal (Noreste de Brasil)...

Validade do instrumento WHO VAW STUDY para estimar violência de gênero contra a mulher; Validez de instrumento para estimar violencia de género contra la mujer; Validity of the WHO VAW study instrument for estimating gender-based violence against women

Schraiber, Lilia Blima; Latorre, Maria do Rosário Dias O; França Jr, Ivan; Segri, Neuber José; D'Oliveira, Ana Flávia Pires Lucas
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2010 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
46.41%
OBJETIVO: Validar o instrumento do estudo World Health Organization Violence Against Women (WHO VAW) sobre violência psicológica, física e sexual por parceiros íntimos contra mulheres. MÉTODOS: Estudo transversal realizado em vários países entre 2000 e 2003, inclusive Brasil. Selecionaram-se amostras aleatórias e representativas de mulheres de 15-49 anos com parceiros íntimos, residentes na cidade de São Paulo, SP, (n = 940) e na Zona da Mata de Pernambuco (n = 1.188). Realizou-se análise fatorial exploratória das perguntas sobre violências (quatro psicológicas, seis físicas e três sexuais), com rotação varimax e criação de três fatores. Calculou-se alfa de Cronbach para análise da consistência interna. Para a validação por grupos extremos, médias de escores (zero a 13 pontos) de violência foram testadas em relação aos desfechos: auto-avaliação de saúde, atividades diárias, presença de dor ou desconforto, ideação e tentativa de suicídio, grande consumo de álcool e presença de transtorno mental comum. RESULTADOS: Foram definidos três fatores com variância acumulada semelhante (0,6092 em São Paulo e 0,6350 na Zona da Mata). Para São Paulo, o primeiro fator foi determinado pela violência física...

Fatores associados à violência física por parceiro íntimo em usuárias de serviços de saúde; Factores asociados a la violencia física por pareja íntima en usuarias de servicios de salud; Factors associated with intimate partner physical violence among health service users

Vieira, Elisabeth Meloni; Perdona, Gleici da Silva Castro; Santos, Manoel Antonio dos
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2011 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
56.23%
OBJETIVO: Estimar a prevalência de violência por parceiro íntimo contra mulheres e identificar fatores associados. MÉTODOS: Estudo transversal com 504 mulheres de 15 a 49 anos, em cinco unidades básicas e distritais de saúde em um município paulista em 2008. Foram realizadas entrevistas face a face com uso de questionário com 119 questões, sobre informações sociodemográficas, saúde reprodutiva, percepção sobre papéis de gênero no relacionamento conjugal e experiência de violência. Análises univariada e múltipla por regressão logística foram realizadas. RESULTADOS: Mais de um terço das mulheres sofreu violência pelo parceiro íntimo. Na análise múltipla os fatores positivamente associados à violência foram: morar em casa alugada, ter sofrido abuso sexual na infância, parceiro agredido fisicamente na infância, o uso de álcool pela entrevistada e pelo parceiro, uso de drogas e percepção sobre o temperamento do parceiro. CONCLUSÕES: As variáveis identificadas compuseram um modelo preditivo que pode ser utilizado para avaliar o risco de sofrer violência pelo parceiro íntimo.; OBJETIVO: Estimar la prevalencia de violencia por pareja íntima contra mujeres e identificar factores asociados. MÉTODOS: Estudio transversal con 504 mujeres de 15 a 49 años...

Violência física como prática educativa; Violencia física como práctica educativa; Physical violence as educational practice

Carmo, Carolina Jacomini do; Harada, Maria de Jesus C. S.
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2006 ENG; POR; SPA
Relevância na Pesquisa
56.27%
Estudo descritivo e correlacional, realizado em um hospital de ensino, em 2004, objetivando conhecer se, dentro do contexto de violência doméstica, os pais utilizam a violência física como prática educativa. Utilizou-se entrevista semi-estruturada para caracterizar a população, e situações do cotidiano familiar para identificar a atitude dos pais no processo de educação. Resultados: A situação de maior vulnerabilidade para o uso de violência física foi a de desobediência às ordens pré-determinadas (40%), seguida pela situação na qual a criança furta algo, com 31,7% dos casos. Foi significante (p= 0,020) o uso da violência física como prática disciplinadora, associado ao desemprego. Quarenta por cento da população afirma impor sua vontade sobre seu filho, e 57% ter apanhado de seus pais em situações de impor limites. Julga-se importante o conhecimento e a reflexão dos fatores que envolvem a violência doméstica, para alicerçar programas de prevenção e que sejam capazes de gerar uma consciência coletiva.; Estudio descriptivo y correlacional realizado en un hospital de enseñanza, en 2004, con el objetivo de conocer, si dentro del contexto de violencia doméstica, los padres utilizan la violencia física como práctica educativa. Se utilizó una entrevista semi-estructurada para caracterizar la población y situaciones del cotidiano familiar para identificar la actitud de los padres en el proceso de educación. Resultados: la situación donde hubo gran vulnerabilidad para el uso de la violencia física fue la de desobediencia a órdenes preestablecidas (40%)...

Experiences of physical violence by women living with intimate partners

Madzimbalale,FC; Khoza,LB
Fonte: Curationis Publicador: Curationis
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 EN
Relevância na Pesquisa
66.41%
Intimate partner violence directed towards females by male partners is a common significant global public health problem. Most victims of physical aggression such as women and children are subjected to multiple acts of violence over extended periods of time, suffering from more than one type of abuse, for example physical which is more symbolic and evidenced by scars. The purpose of this study is to increase understanding of the symbols of physical violence as experienced by women who live with intimate partners in the Vhembe district of the Limpopo Province. The research design of this study was qualitative, exploratory and descriptive in nature. The accessible population was those participants who used the trauma unit A in a particular hospital. Seven women comprised the sample of the study. In-depth individual interviews were conducted exploring the women's experiences in the context of physical violence. From the data collected all seven participants experienced some form of physical violence which resulted in permanent deformity. They experienced some form of battering such as kicking, stabbing, burning, fracturing, strangling and choking. Recommendations were made that health care providers are encouraged to implement screening for physical violence...

Adolescents exposed to physical violence in the community: a survey in Brazilian public schools

Zavaschi,Maria Lucrécia; Benetti,Silvia; Polanczyk,Guilherme Vanoni; Solés,Nathália; Sanchotene,Maria Luiza
Fonte: Organización Panamericana de la Salud Publicador: Organización Panamericana de la Salud
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2002 EN
Relevância na Pesquisa
56.24%
Objective. To determine the proportion of adolescents who have been exposed to physical violence in the city of Porto Alegre, Brazil. Methods. Fifty-two Porto Alegre public schools that offer basic primary education (grades 1 to 8) were selected through a random sampling process stratified according to school size. In May-November 2000 a screening survey that identifies exposure to violence¾experienced personally, witnessed, or knowing victims of violent acts¾was administered to all students who were attending a randomly selected 8th grade class in each of the 52 schools. Results. The total number of adolescents included in the analysis was 1 193, representing 10.3% of the students enrolled in 8th grade classes in the city's public school system. On average, each adolescent had been exposed to 19.8 incidents of violence (standard deviation (SD) = 8.5): 2.0 incidents personally experienced (SD = 2.1), 8.5 incidents witnessed (SD = 4.0), and 9.3 knowing a victim of an incident of violence (SD = 4.1). In our sample, the variables of being male (P < 0.001), being in an older age group (P< 0.001), and not living with both parents (P< 0.001) were independently associated with exposure to more incidents of violence. Conclusions. We found a high prevalence of incidents of violence among the adolescents in our sample in Porto Alegre. Considering the particular burden inflicted by violent acts on adolescents...

Assessing the physical violence component of the Revised Conflict Tactics Scales when used in heterosexual couples: an item response theory analysis

Reichenheim,Michael E.; Klein,Ruben; Moraes,Claudia Leite
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 EN
Relevância na Pesquisa
56.22%
Although there are psychometric evaluations of the Revised Conflict Tactics Scales (CTS2) when applied to heterosexual relationships, none has used item response theory (IRT). To address this gap, the present paper assesses the instrument's physical violence subscale. The CTS2 was applied to 764 women who also responded for their partners. Single dimensionality assumption was corroborated. A 2-parameter logistic IRT model was used for estimating location and discriminating power of each item. Differential item functioning and item information pattern along the violence continuum were assessed. Gender differences were detected in 3 out of 12 items. Item coverage of the latent trait spectrum indicated little information at the lower ends, while plenty in the middle and upper ranges. Still, depending on gender, some item overlaps and regions with gaps could be detected. Despite some unresolved problems, the analysis shows that the items form a theoretically coherent information set across the continuum. Provided the user is aware of possible drawbacks, using the physical violence subscale of the CTS2 in heterosexual couples is still a sensible option.