Página 1 dos resultados de 5 itens digitais encontrados em 0.137 segundos

Um estudo fenomenológico sobre o processo de desenvolvimento criativo em dança contemporânea

Fialho, Joana Inês Figueiredo
Fonte: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
56.1%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; O presente estudo tem como principal objectivo responder à seguinte questão de investigação: “Como é vivenciada a experiência subjectiva e qual o significado atribuído ao processo de criação de bailarinos/as de Dança Contemporânea?”. Foram realizadas entrevistas fenomenológicas a bailarinos/as desta modalidade da dança tendo como método, o Método Fenomenológico de Investigação em Psicologia, segundo Amadeo Giorgi e Daniel Sousa. Foi possível encontrar-se nos dados recolhidos a existência de vários constituintes essenciais comuns e com uma forte interacção entre as descrições dos quatro participantes. Os resultados obtidos neste estudo sugerem a existência de doze constituintes essenciais, nomeadamente: Comunicação, Corporalidade, Auto-conhecimento, Satisfação, Libertação, Resolução de Problemas, Maturidade, Autenticidade, Experiência de Flow, Catarse, Relação com o Público/Mensagem e Feedback. Estes constituintes essenciais demonstraram a formulação de um processo onde existem três áreas de desenvolvimento, sendo estas: O momento, A transformação trazida pela Dança e O encontro com o Outro, salientando a existência de uma base unificadora destas três áreas...

Um estudo fenomenológico da experiência de rapto parental

Campos, Mariana Teresa Ferreira de
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.11%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA -Instituto Superior, na especialidade de Psicologia Clínica.; O presente estudo tem como objetivo principal a exploração e compreensão da experiência subjetiva dos pais que vivenciaram o rapto parental, por outras palavras, perceber o fenómeno rapto parental através do olhar do progenitor-vítima. A metodologia aplicada neste estudo insere-se na utilização do método fenomenológico de Amadeo Giorgi com o intuito de estudar os fenómenos intencionais vividos pelos diferentes indivíduos e alcançar uma descrição final com os constituintes essenciais e invariáveis desta experiência subjetiva. A amostra é constituída por quatro participantes do sexo masculino que vivenciaram o rapto parental, com idades compreendidas entre os 37 e os 52 anos. Os resultados indicam que o significado da experiência parental está intrinsecamente associado a conflitos conjugais, a uma reação de indignação e revolta, a sentimentos de incerteza e preocupação. Ao longo desta experiência também foi identificada duas dimensões denominadas de projeção da culpa e autovitimização por parte do pai-vítima. Os sentimentos de perda, angústia e sofrimento psicológico são predominantes nesta vivência e apaziguados através de um suporte emocional. Finalmente...

“Vivi numa casa longe da minha casa” : Um estudo fenomenológico da experiência da institucionalização

Machado, Patrícia Monteiro
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
106.23%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; O presente estudo tem como objetivo principal a exploração e compreensão da experiência subjetiva dos sujeitos que passaram pela institucionalização, por outras palavras, perceber o fenómeno da institucionalização através do olhar dos sujeitos que vivenciaram esta experiência. A metodologia aplicada neste estudo insere-se na utilização do método fenomenológico Amadeo Giorgi, para que desta forma, seja possível estudar os fenómenos vividos pelos diferentes indivíduos e alcançar uma descrição final com os constituintes essenciais e invariáveis desta experiência subjetiva. A amostra é constituída por cinco participantes do sexo feminino que vivenciaram a institucionalização, com idades compreendidas entre os 21 e 29 anos. Os resultados indicam que o significado da experiência da institucionalização está intrinsecamente associado a desproteção que os sujeitos estavam sujeitos na sua anterior casa, bem como a vínculos afetivos, suporte emocional e sofrimento psicológico que os participantes vivenciaram ao longo do período em que viveram na Instituição. Os sentimentos de perda, angústia e sofrimento psicológico que estão predominantes nesta experiência são apaziguados através de um suporte emocional. Por fim...

A experiência de ser mãe na prisão

Castanho, Ana Cristina dos Santos
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
106.23%
O presente estudo tem como tema “A Experiência de Ser Mãe na Prisão”, sendo o seu principal objetivo descrever e compreender a experiência subjetiva das mães que desempenham o seu papel maternal num contexto prisional. A metodologia aplicada neste estudo insere-se na utilização do Método Fenomenológico de Amadeo Giorgi, com o intuito de estudar os fenómenos intencionais vividos pelos diferentes indivíduos e alcançar uma descrição final com os constituintes essenciais e invariáveis desta experiência subjetiva. A amostra é constituída por quatro mães reclusas, com idades compreendidas entre os 26 e 37 anos, que se encontram a cumprir pena de prisão no pavilhão “Casa das Mães” do Estabelecimento Prisional de Tires, e que têm os seus filhos, com idades compreendidas entre 1 e 3 anos, a viver consigo na prisão. Os resultados do presente estudo indicam que a experiência de ser mãe em contexto prisional envolve uma diversidade de sentimentos e cognições, alguns negativos, tais como a perceção das dificuldades, a impotência/frustração, a vulnerabilidade psicológica e o arrependimento/culpabilidade, e outros positivos, tais como a proteção/sentimento pessoal de capacidade para desenvolver o papel de mãe...

Experiência de ser mãe na prisão

Castanho, Ana Cristina Dos Santos
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
106.23%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; O presente estudo tem como tema “A Experiência de Ser Mãe na Prisão”, sendo o seu principal objetivo descrever e compreender a experiência subjetiva das mães que desempenham o seu papel maternal num contexto prisional. A metodologia aplicada neste estudo insere-se na utilização do Método Fenomenológico de Amadeo Giorgi, com o intuito de estudar os fenómenos intencionais vividos pelos diferentes indivíduos e alcançar uma descrição final com os constituintes essenciais e invariáveis desta experiência subjetiva. A amostra é constituída por quatro mães reclusas, com idades compreendidas entre os 26 e 37 anos, que se encontram a cumprir pena de prisão no pavilhão “Casa das Mães” do Estabelecimento Prisional de Tires, e que têm os seus filhos, com idades compreendidas entre 1 e 3 anos, a viver consigo na prisão. Os resultados do presente estudo indicam que a experiência de ser mãe em contexto prisional envolve uma diversidade de sentimentos e cognições, alguns negativos, tais como a perceção das dificuldades, a impotência/frustração, a vulnerabilidade psicológica e o arrependimento/culpabilidade, e outros positivos...