Página 1 dos resultados de 177 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Crenças e atitudes dos estudantes de enfermagem acerca das doenças e doentes mentais : impacto do ensino clínico de enfermagem de saúde mental e psiquiatria

Gil, Isabel Maria de Assunção
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.57%
Os estigmas imputados às perturbações mentais foram-se mantendo fortes em resultado de atitudes negativas das populações relativamente aos portadores dessas doenças o que levou à perpetuação de estereótipos como a perigosidade, a imprevisibilidade e a incurabilidade (Scull, 1981; Pichot, 1983; Link & Cullen, 1983; Ayesteran & Paez, 1986; Skinner et al., 1992; Johnson & Orrel, 1995; Whaley, 1997; Phelan et al., 2000; Hirai & Clum, 2000; Angermeyer, 2004; Loureiro, 2008). Admitindo que os estudantes de Enfermagem partilham de atitudes estigmatizantes comuns à população em geral que poderão influenciar a sua prestação de cuidados enquanto futuros profissionais de saúde, este estudo tem como objectivos avaliar as crenças e atitudes dos estudantes de Enfermagem acerca dos doentes e doenças mentais e o efeito (in vivo contact) do ensino clínico de Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiatria nessas crenças e atitudes. O presente estudo é de cariz quasi-experimental tendo sido avaliadas as crenças e atitudes antes e após a frequência do EC. A amostra é constituída por 89 estudantes a frequentar o Curso de Licenciatura em Enfermagem da Escola de Superior de Enfermagem de Coimbra. Como instrumentos de colheita de dados foi utilizado um questionário com questões sócio-demográficas...

Imagética de crianças do Norte de Portugal sobre o seu quotidiano : terapia vivencial de imagens mentais, conversações e desenhos

Cruz, Judite Zamith
Fonte: Associação para a Investigação e Desenvolvimento Sócio-Cultural (AGIR) Publicador: Associação para a Investigação e Desenvolvimento Sócio-Cultural (AGIR)
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em /05/2010 POR
Relevância na Pesquisa
36.49%
Desde 2000, a intenção central ao Estudo de Caso é intervir por prevenção primária nos contextos não escolares, no Norte de Portugal, por prestação de cuidados no âmbito psicoeducativo: O processo de educação de crianças e pais acerca da terapia e de descobertas de investigação ligadas aos seus problemas ou perturbações. Nesse sentido, temos vindo a escutar crianças, individualmente, vivendo realidades mais duras. Concebeu-se como um script (roteiro) o evento antecipado por todos como prazenteiro (ou não) e cerca de 90 meninas, de 5 a 10 anos, desenharam «Estou contente, quando… recebo prendas,... faço anos,... é Natal, ... a minha família está junta,... o meu pai vem de França... »; «Às vezes, fico triste, porque… chove muito,... ‘trovou-a’, ... a minha mãe berra-me,... os meus pais não me deixam ver televisão...». Pretendeu-se criar condições em que fosse revertida a experiência negativa, sabendo-se que, na literatura sobre a lateralidade cerebral, o gerador da imagística/imagética se situa na parte posterior do hemisfério esquerdo do cérebro. Escolheu-se questionar visualizações e imagens mentais na infância, com base na percepção e memória intersubjectiva heterogéneas. Utilizaram-se estratégias vivenciais para imagens mentais com dois objectivos: (1) activar emoções de experiências a cognições; e (2) reparar «maus» momentos. Partiu-se também da concepção neuropsicológica de que emoções são «cognitivos» (para o SNC) mas não são «respostas cognitivas»...

Evolução clínica e recuperação nas perturbações do comportamento alimentar : um estudo retrospectivo

Pereira, Josefina Cecília Fernandes
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 09/07/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.51%
As Perturbações do Comportamento Alimentar (PCA) constituem-se como perturbações graves em que, durante o curso e evolução de uma PCA, um elevado número de indivíduos, mantém um diagnóstico de PCA durante vários anos, de forma crónica; a longevidade e severidade dos quadros sintomatológicos desenvolvidos afectam de forma muito significativa a vida destes indivíduos e a das suas famílias. O desenvolvimento de uma PCA está frequentemente associado ao desenvolvimento de outros quadros sintomatológicos e é também frequente presenciar comorbilidade com outras perturbações mentais. Objectivos: Avaliar a trajectória clínica e recuperação de indivíduos com o diagnóstico de uma PCA. Método: 54 indivíduos, do sexo feminino, que iniciaram tratamento para uma PCA num Serviço de Psiquiatria, entre 2001 e 2009, foram avaliadas. Inicialmente as participantes foram avaliadas com um questionário clínico e sócio-demográfico, seguidamente foram avaliadas com os seguintes instrumentos de auto-relato: Eating Disorders Examination - Questionnaire (EDE-Q; Fairburn & Beglin, 1994), the Symptom Checklist 90-R (SCL 90-R, Derogatis, 1977) and the Self-Injury Questionnaire (SIQ-TR, Claes & Vandereycken, 2007). Resultados: No momento de admissão...

Saúde mental e comportamentos de risco no estudante do ensino superior

Sarmento, Maria Constança de Barbosa Mendonça de Morais
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.53%
No Ensino Superior (ES), o número de jovens estudantes com perturbações mentais tem vindo a aumentar progressivamente. De igual forma, os centros de aconselhamento psicológico das Instituições do Ensino Superior (IES) têm reportado aumentos significativos na prevalência e severidade dos problemas psicológicos dos seus alunos. O presente estudo tem como objetivo principal averiguar se existem diferenças no que diz respeito à saúde mental e aos comportamentos de risco entre dois grupos: o grupo clínico, composto por estudantes que atualmente recebem apoio psicológico e/ou psiquiátrico, e o não clínico, constituído por elementos que não recebem qualquer tipo de apoio no presente. Para tal, foi utilizada uma amostra de 1031 estudantes do ES, com idades compreendidas entre os 18 e os 62 anos. Os instrumentos utilizados para este fim foram o Inventário de Sintomas Psicopatológicos (BSI), a Escala de Ansiedade e Depressão Hospitalar e o Questionário de Comportamentos de Risco em Estudantes Universitários. Os resultados mostraram que a saúde mental evidenciada pelo grupo clínico é inferior à generalidade da população e que a saúde mental do grupo não clínico é superior, exceto quanto à sintomatologia depressiva. Entre os dois grupos confirmou-se a existência de diferenças estatisticamente significativas que apontam para índices de ansiedade e de depressão mais elevados no grupo clínico...

Quedas em Idosos com Perturbações Mentais Residentes Em Unidade de Longa Duração

Reis, M.Gorete; Sotto Mayor, Margarida; Gageiro, Helena; Carneiro, Constança
Fonte: Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental Publicador: Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
46.75%
Tema: Quedas em idosos com perturbações mentais residentes em unidade de longa duração Reis, M. Gorete*; Sotto Mayor, Margarida** Gageiro, H: ***; Carneiro, C****(2013) Quedas em Idosos com perturbações mentais residentes em unidade de longa duração In IV Congresso Internacional SPESM *PHD UÉvora greis@uevora.pt** Enfermeira, PHD; HML/UNIFAI mgsottomayor@gmail.com*** PHD, UNIFAI; ****Enfermeira ULD Resumo Introdução O envelhecimento da população bem como a sua maior longevidade tem revelado o aumento de pessoas frágeis e com pluripatologia onde se insere a perturbação mental, seja por doença primária seja secundária, facto que justifica as altas taxas de institucionalização. Estamos perante um ciclo de dificuldades que importa controlar, conscientes que não se pode evitar de todo. A terapêutica medicamentosa provoca, colateralmente, efeitos que estão associados a outros riscos nomeadamente ao das quedas. Este é um fenómeno reconhecido pelas instâncias internacionais e nacionais com sendo um importante problema de saúde com repercussões na funcionalidade e na qualidade de vida da pessoa, além de ter elevados custos socio económicos. Avaliar o risco e estabelecer programas de prevenção de queda é a atitude preventiva mais ajustada face à fragilidade dos utentes. Objetivos Determinar a prevalência de quedas das pessoas idosas com perturbação mental residentes numa unidade de longa duração do Centro de França e os fatores associados. População Idosos com perturbação mental...

Quedas em idosos com perturbações mentais residentes em unidade de longa duração

Reis, Gorete; Sotto Mayor, Margarida; Pestana, Helena; Carneiro, Constancia
Fonte: IV Congresso Internacional da SPESM Publicador: IV Congresso Internacional da SPESM
Tipo: Aula
POR
Relevância na Pesquisa
46.53%
Resumo Introdução O envelhecimento da população bem como a sua maior longevidade tem revelado o aumento de pessoas frágeis e com pluripatologia onde se insere a perturbação mental, seja por doença primária seja secundária, facto que justifica as altas taxas de institucionalização. Estamos perante um ciclo de dificuldades que importa controlar, conscientes que não se pode evitar de todo. A terapêutica medicamentosa provoca, colateralmente, efeitos que estão associados a outros riscos nomeadamente ao das quedas. Este é um fenómeno reconhecido pelas instâncias internacionais e nacionais com sendo um importante problema de saúde com repercussões na funcionalidade e na qualidade de vida da pessoa, além de ter elevados custos socio económicos. Avaliar o risco e estabelecer programas de prevenção de queda é a atitude preventiva mais ajustada face à fragilidade dos utentes. Objetivos Determinar a prevalência de quedas das pessoas idosas com perturbação mental residentes numa unidade de longa duração do Centro de França e os fatores associados. População Idosos com perturbação mental, residentes numa unidade de longa duração do Centro de França. Variáveis: Prevalência de quedas das pessoas idosas com perturbação mental residentes numa unidade de longa duração no Centro de França; características socio demográficas; consumo de medicação; estado mental; AVD. Tipo de estudo Exploratório...

Perturbações psicopatológicas no cuidador informal do doente mental

Correia, Isabel de Fátima Gomes
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu, Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.93%
Contextualização: Assume grande relevância para a prática profissional conhecer-se os fatores que interferem nas perturbações psicopatológicas do cuidador informal do doente mental, dado que esta é uma área pouco explorada. Como tal, objetivou-se: analisar a relação entre as variáveis sociodemográficas do cuidador informal e as perturbações psicopatológicas do cuidador informal; analisar a relação entre a sobrecarga e a personalidade do cuidador informal com as perturbações psicopatológicas do cuidador informal; avaliar a influência das variáveis sociodemográficas do doente mental sobre as perturbações psicopatológicas no cuidador informal. Métodos: Realizou-se um estudo transversal, descritivo correlacional, de natureza quantitativa, no qual participaram 100 cuidadores informais de doentes mentais, dos quais a maioria é do sexo feminino, com idades mínimas de 20 anos e máximas de 80 anos. Para a mensuração das variáveis utilizaram-se instrumentos de medida, de reconhecida fiabilidade, aferidos e validados para a população portuguesa: Escala de Ansiedade, Depressão e Stresse (EADS-21), a Escala de Sobrecarga do Cuidador Informal e o Inventário de Personalidade de Eysenck (EPI). Resultados: Constatou-se a existência de diferenças estatisticamente significativas na relação entre a situação laboral com a sobrecarga do cuidador; houve influência do tempo que presta cuidados e a sobrecarga...

Influência do perfil funcional e da autoavaliação do idoso na saúde mental e emocional

Marques, Rosa Maria; Duarte, João Carvalho, orient.; Gonçalves, Amadeu Matos, co-orient.
Fonte: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu Publicador: Instituto Politécnico de Viseu. Escola Superior de Saúde de Viseu
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.53%
O envelhecimento da população é um dado incontornável do presente, em todo o mundo. Portugal não é exceção, sendo um dos países da UE a envelhecer mais depressa: em 30 anos, a percentagem de portugueses com mais de 65 anos passou de 11% para 17,5%. Em 2050, cerca de 80% da população portuguesa apresentar-se-á envelhecida e dependente (INE, 2011). A Saúde Mental influência o bem-estar do idoso e da população, integrando um recurso essencial para a adaptação às exigências da vida. A vulnerabilidade dos idosos às perturbações mentais justifica a relevância da investigação das manifestações psicopatológicas que apresentam, para orientar as intervenções necessárias à promoção da saúde mental de forma a associar qualidade aos anos vividos (Motta e Aguiar, 2007). Neste sentido, delinearam-se as seguintes questões de investigação e os objetivos: quais as características sociodemográficas que influenciam a Saúde Mental e Emocional dos Idosos?, qual a influência do Perfil Funcional e da Autoavaliação da Saúde Mental e Emocional do idoso? Delinearam-se ainda, os seguintes objetivos de estudo: identificar as variáveis sociodemográficas que influenciam a Saúde Mental e Emocional dos Idosos; analisar o Perfil Funcional e a Autoavaliação da Saúde Mental e Emocional dos Idosos. Este estudo centrando-se no grupo mais idoso da nossa população (idade igual ou superior a 65 anos)...

Perturbações psiquiátricas no Hospital Geral

Cardoso, G
Fonte: Serviço de Psiquiatria do Hospital Fernando Fonseca Publicador: Serviço de Psiquiatria do Hospital Fernando Fonseca
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
46.51%
Uma extensa revisão da literatura mostra que as perturbações psiquiátricas são muito prevalentes nos serviços não psiquiátricos e nas consultas externas do hospital geral, atingindo taxas muito superiores às encontradas na população geral. As perturbações depressivas são as mais prevalentes, seguidas das ansiosas e das cognitivas, mas a sua distribuição difere entre serviços e populações estudadas. Tais factos permitem concluir que é mandatória a criação de equipas de Psiquiatria de Ligação que possam, não apenas diagnosticar e tratar as situações psicopatológicas, mas também aumentar a capacidade da sua detecção e tratamento pelas equipas médicas.

Previsão do risco de violência nas perturbações mentais

Talina, M
Fonte: Serviço de Psiquiatria do Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E. Publicador: Serviço de Psiquiatria do Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca, E.P.E.
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2005 POR
Relevância na Pesquisa
66.82%
As investigações mais recentes sobre psicose e violência mostraram que existe uma associação positiva significativa, embora o risco de violência na psicose seja muito inferior em comparação com o risco de violência associado ao abuso de substâncias ou perturbações de personalidade e de uma forma geral os predictores de violência nos doentes são os mesmos que nos indivíduos sem perturbações mentais. Os psiquiatras e psicólogos na actividade clínica e forense frequentemente efectuam previsões de comportamentos violentos e a partir da década de 90 têm sido desenvolvidos instrumentos de avaliação do risco de violência, baseados em métodos estatísticos para melhorar a eficácia das avaliações de perigosidade. Os instrumentos actualmente mais difundidos são a Psychopathy Checklist -Revised, o Historical /Clinical /Risk Management-20 e o Violence Risk Appraisal Guide. Diversos investigadores consideram que estes instrumentos são indispensáveis para previsões mais rigorosas por se revelarem superiores aos métodos clínicos, no entanto outros autores consideram que a principal vantagem dos instrumentos actuariais consiste na capacidade de disponibilizarem os conhecimentos mais recentes neste campo, de modo a que os clínicos possam tomar decisões baseadas na evidência.

Perturbações Psicóticas e Conduta Criminal – um contributo empírico

Cabral, AS; Macedo, A; Valente, J; Soares, MJ; Vieira, DN; Azevedo, MH
Fonte: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra Publicador: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2007
Relevância na Pesquisa
36.44%
Ao longo do tempo, a opinião pública tem-se deparado, com o pesado estereótipo de que a doença mental está intimamente relacionada com a prática de comportamentos violentos. Contudo, estudos recentes mostram que a violência não caracteriza toda e qualquer doença mental e que a criminalidade dos doentes mentais só representa uma pequena proporção da criminalidade geral. Acredita-se que a identificação de factores que sejam preditores de comportamentos violentos nestes doentes não é um simples exercício académico, mas sim um importante meio de orientar e acompanhar o doente mental, promovendo a sua reabilitação e protegendo a sociedade. Surgiu assim o principal objectivo deste estudo: efectuar uma análise comparativa de um conjunto de variáveis demográficas e clínicas numa população de doentes com perturbações psicóticas formada por dois grupos distintos, um com antecedentes de comportamentos criminais e outro sem história prévia de comportamentos criminais, no sentido de compreender quais as características que distinguiam os pacientes do primeiro grupo. Nas conclusões finais são discutidas algumas das implicações dos resultados obtidos no desbravar de novos caminhos na interface da doença mental com violência.

Patologia Psiquiátrica nos Cuidados Primários de Saúde

Teixeira, JA; Cabral, AS
Fonte: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra Publicador: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2008 POR
Relevância na Pesquisa
46.53%
É consensual a alta prevalência de patologia psiquiátrica ao nível dos Cuidados Primários Saúde. Consensual será também o papel fulcral que estes mesmos Cuidados desempenham enquanto primeiro filtro na abordagem dos problemas psiquiátricos, reconhecendo-se que, frequentemente, o Clínico Geral é o agente melhor posicionado para uma correcta abordagem diagnóstica e terapêutica deste tipo de problemas. Assume-se assim como necessidade objectiva que o Clínico Geral tome a seu cargo a maioria destes doentes e proceda à referenciação criteriosa duma minoria verdadeiramente necessitada de cuidados mais especializados. Em termos práticos, configura-se como prioritária uma progressiva melhoria da capacidade de actuação dos Clínicos Gerais, na área da Saúde Mental. É portanto neste contexto que surge a importância da articulação dos Serviços de Psiquiatria com os Centros de Saúde e a relevância do trabalho Consiliar e de Ligação do Psiquiatra junto dos Clínicos Gerais. No presente artigo os autores tecem algumas considerações e lançam diversas questões sobre o tema em apreço, procurando abordar determinados aspectos centrais, nomeadamente, as particularidades de apresentação da patologia psiquiátrica nos Cuidados de Saúde Primários...

A importância da tiróide nas perturbações da mente

Abreu, Glória Patrícia Pedrosa de
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.51%
Introdução: A tiróide é uma glândula que intervém em vários mecanismos fisiopatológicos. O défice ou o excesso das hormonas tiroideias foi relacionado com o aparecimento de várias perturbações psiquiátricas. Os indivíduos com hipertiroidismo são mais susceptíveis a desenvolver depressão, mania, psicose, ansiedade, demência, comportamento violento e, eventualmente, ideação suicida. Por outro lado, os que apresentam hipotiroidismo manifestam, frequentemente, depressão, apatia, mania, demência e ansiedade. A relação entre a tiróide e a mente é bidireccional, pois determinadas síndromes psiquiátricas também podem modificar a função tiroideia. Dada a complexidade e relevância da interacção tiróide – mente, coloca-se a questão se a disfunção tiroideia é causa, consequência ou comorbilidade das manifestações psiquiátricas e se será importante proceder à pesquisa da mesma, em determinadas situações. Objectivos: Este trabalho tem como objectivos elucidar as formas psiquiátricas que a disfunção tiroideia pode envergar; verificar se determinada patologia psiquiátrica pode alterar a função tiroideia; analisar em que medida as hormonas tiroideias podem alterar os tratamentos psiquiátricos...

Concepções sobre transtornos mentais e seu tratamento entre idosos atendidos em um serviço público de saúde mental

Clemente,Adauto Silva; Loyola Filho,Antônio Ignácio; Firmo,Josélia Oliveira Araújo
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.49%
Para compreender os modos de pensar e agir de pacientes idosos diante dos transtornos mentais, foram entrevistados 13 idosos (> 60 anos), atendidos em hospital público de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. A análise dos dados foi baseada no modelo de Signos, Significados e Ações. A maioria dos idosos negou a presença de qualquer transtorno mental, mas identificou signos de sofrimento mental, articulados em três categorias: nervoso, problema de cabeça e doidura. Todos referiram a sintoma que justificaria tratamento e destacaram como causas de transtornos mentais, problemas familiares e vivenciais, físicos, de alimentação e sono, fraqueza moral e debilidade atribuída ao envelhecimento. Apesar de a procura do atendimento ser atribuída à iniciativa de outrem, o tratamento é bem aceito e avaliado, mesmo com certas ressalvas articuladas aos seus próprios conceitos sobre causas e conseqüências de tais perturbações. Os medicamentos foram apontados como principal medida de tratamento, apesar dos efeitos adversos, da baixa eficácia e do modo como são preconizados pelos profissionais de saúde.

Global Mental Health: What is Your Role in This Movement?; Saúde Mental Global: Qual o Seu Papel Neste Movimento?

Pinto da Costa, Mariana; Interna de Psiquiatria. Hospital de Magalhães Lemos. Universidade do Porto. Porto. Portugal. Presidente. Federação Europeia dos Internos de Psiquiatria. Bruxelas. Bélgica.
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2015 ENG
Relevância na Pesquisa
46.53%
Keywords: Global Health; Mental Disorders.; Palavras-chave: Perturbações Mentais; Saúde Global.

Impacto das Perturbações do Espectro do Autismo nas Figuras Parentais

Benevides, Joana da Costa
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.51%
Dissertação apresentada à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para a obtenção do grau de Mestre em Psicologia, ramo de Psicologia Clínica e da Saúde; As Perturbações do Espectro do Autismo (PEA) caracterizam-se por um défice grave e global em variadas áreas do desenvolvimento nomeadamente em termos de competências sociais, competências de comunicação e presença de comportamentos e interesses restritos e estereotipados. Tradicionalmente, as PEA incluíam, de acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de perturbações Mentais – DSM-IV (APA, 2002), Perturbação Autística, Perturbação de Rett, Perturbação Desintegrativa da Segunda Infância, Perturbação de Asperger e Perturbação Global do Desenvolvimento Sem Outra Especificação. Com a entrada do DSM-5 (APA, 2013), embora ainda não em uso em Portugal, as PEA inserem-se no grupo das Perturbações do Neurodesenvolvimento. Diversos estudos têm demonstrado que pais de crianças com problemas de saúde, nos quais se inclui as PEA, experienciam elevados níveis de stresse parental (Santos, 2008; Santos, 2002; Schmidt, Dell’Aglio & Bosa, 2007). O estudo realizado pretendeu analisar o impacto parental da presença de uma criança com PEA...

A importância da tiróide nas perturbações da mente

Abreu, Glória Patrícia Pedrosa de
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /05/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.51%
Introdução: A tiróide é uma glândula que intervém em vários mecanismos fisiopatológicos. O défice ou o excesso das hormonas tiroideias foi relacionado com o aparecimento de várias perturbações psiquiátricas. Os indivíduos com hipertiroidismo são mais susceptíveis a desenvolver depressão, mania, psicose, ansiedade, demência, comportamento violento e, eventualmente, ideação suicida. Por outro lado, os que apresentam hipotiroidismo manifestam, frequentemente, depressão, apatia, mania, demência e ansiedade. A relação entre a tiróide e a mente é bidireccional, pois determinadas síndromes psiquiátricas também podem modificar a função tiroideia. Dada a complexidade e relevância da interacção tiróide – mente, coloca-se a questão se a disfunção tiroideia é causa, consequência ou comorbilidade das manifestações psiquiátricas e se será importante proceder à pesquisa da mesma, em determinadas situações. Objectivos: Este trabalho tem como objectivos elucidar as formas psiquiátricas que a disfunção tiroideia pode envergar; verificar se determinada patologia psiquiátrica pode alterar a função tiroideia; analisar em que medida as hormonas tiroideias podem alterar os tratamentos psiquiátricos...

Os benefícios de estar no presente. O papel do mindfulness na saúde física e mental: uma revisão empírica

Duarte, Joana Raquel Girão
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
36.64%
A Terapia Cognitiva pode ser dividida em três gerações: terapias comportamentais, terapia cognitivo-comportamental e, a mais recente, “a terceira geração” onde se incluem uma variedade de terapias que, não obstante as diferenças entre si, têm o Mindfulness como componente central da terapia (Hayes, 2004). Estas últimas estão a tornar-se cada vez mais populares, pois a sua eficácia clínica tem sido demonstrada através de numerosos estudos. O Mindfulness envolve o foco da atenção de forma consciente para as experiências internas e externas que ocorrem no momento presente, através de uma variedade de exercícios de meditação. Uma das intervenções baseadas no Mindfulness é o programa clínico de Redução de Stresse (MBSR), desenvolvido por Jon Kabat-Zinn de forma a facilitar a adaptação e aliviar o sofrimento associado a perturbações psiquiátricas, físicas e psicossomáticas. A outra intervenção, a Terapia Cognitiva baseada no Mindfulness (MBCT) é largamente baseada no programa anterior, tendo como objectivo prevenir a reincidência de episódios depressivos, através da observação dos pensamentos e sentimentos sem os julgar, vendo-os apenas como eventos mentais e não como aspectos pessoais ou reflexo directo da realidade. O nosso objectivo neste estudo foi realizar uma revisão compreensiva de 14 estudos onde foram administradas uma das intervenções baseadas no Mindfulness (MBSR ou MBCT)...

Bulimia nerviosa y trastornos de la personalidad . Una revisión teórica de la literatura

Gargallo Masjuan, Maite; Fernández Aranda, Fernando; Raich, Rosa M.
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2003 SPA
Relevância na Pesquisa
36.69%
En la bulimia nerviosa, como en el caso de otros trastornos mentales, suele describirse con frecuencia una alta comorbilidad con otras patologías y/o trastornos psiquiátricos, y especialmente con trastornos de la personalidad. A pesar de que numerosos estudios analizan la relación existente entre trastornos de personalidad y trastornos de la alimentación, la importancia de ésta será contemplada de forma diversa y contradictoria en la literatura, donde la co-ocurrencia entre bulimia nerviosa y trastornos de personalidad oscila entre el 27-84% de los casos, siendo los trastornos de personalidad del cluster B, y especialmente el límite, los más frecuentemente descritos. A grandes rasgos, cabe señalar que en la literatura sobre los trastornos de la alimentación, trastornos de la personalidad comórbidos han sido generalmente asociados a diversos factores, tales como diagnóstico, mayor impulsividad y auto-agresiones, mayor abuso de sustancias tóxicas, intentos de suicidio, mayor frecuencia de conductas de purga, trastornos afectivos, abuso sexual, mayor comorbilidad y severidad del trastorno. Asimismo, los trastornos de la personalidad han sido identificados como predictores de peor pronóstico y asociados a una mayor frecuencia de abandonos del tratamiento. En el presente estudio teórico...

Concepções sobre transtornos mentais e seu tratamento entre idosos atendidos em um serviço público de saúde mental

Clemente,Adauto Silva; Loyola Filho,Antônio Ignácio; Firmo,Josélia Oliveira Araújo
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.49%
Para compreender os modos de pensar e agir de pacientes idosos diante dos transtornos mentais, foram entrevistados 13 idosos (> 60 anos), atendidos em hospital público de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. A análise dos dados foi baseada no modelo de Signos, Significados e Ações. A maioria dos idosos negou a presença de qualquer transtorno mental, mas identificou signos de sofrimento mental, articulados em três categorias: nervoso, problema de cabeça e doidura. Todos referiram a sintoma que justificaria tratamento e destacaram como causas de transtornos mentais, problemas familiares e vivenciais, físicos, de alimentação e sono, fraqueza moral e debilidade atribuída ao envelhecimento. Apesar de a procura do atendimento ser atribuída à iniciativa de outrem, o tratamento é bem aceito e avaliado, mesmo com certas ressalvas articuladas aos seus próprios conceitos sobre causas e conseqüências de tais perturbações. Os medicamentos foram apontados como principal medida de tratamento, apesar dos efeitos adversos, da baixa eficácia e do modo como são preconizados pelos profissionais de saúde.