Página 1 dos resultados de 42 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

A coordenação motora é preditora dos níveis de actividade física habitual?

Lopes, Vítor P.; Rodrigues, Luis Paulo; Maia, José A.R.
Fonte: Instituto Politécnico de Viana do Castelo Publicador: Instituto Politécnico de Viana do Castelo
Tipo: Parte de Livro
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
Os níveis de actividade física habitual (AF) são um factor importante na prevenção de uma série de doenças crónicas. Supõe-se que os hábitos de AF que se instalam durante a infância poderão perdurar até à idade adulta, contudo não estão esclarecidos quais os factores associados à adesão à prática de AF. O objectivo deste trabalho é estudar a associação dos níveis de AF com a coordenação motora (CM), as habilidades motoras (HM) e a aptidão física (ApF) em crianças. A amostra foi constituída por 144 crianças (meninas n = 68, meninos n = 78) com idades compreendidas entre os 4 e os 9 anos. Foi utilizada bateria Fitnessgram para avaliar a ApF nos seguintes itens (apenas nas crianças com idade superior a 5 anos: push-up, curl-up, trunk-lift e corrida/marcha da milha. A coordenação motora foi avaliação através da bateria KTK. As habilidades motoras foram avaliadas com a bateria TGMD2. A AF habitual foi avaliada através de pedometria, tendo sido colocado em cada criança um pedómetro que recolheu os passos ao longo de uma semana completa. Para análise foi considerada a média diária de passos. Foi realizada uma regressão múltipla passo-a-passo, tendo a AF como variável dependente. De todas as variáveis apenas a avaliação locomotora da bateria de habilidades motoras TGMD2 foi retida como preditor dos níveis de AF. A variância explicada é baixa (1%).

Associação dos níveis de actividade física habitual com a coordenação motora, as habilidades motoras e a aptidão física em crianças

Lopes, Vítor P.; Gouveia, J.; Rodrigues, Luis Paulo
Fonte: Universidade do Porto. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física Publicador: Universidade do Porto. Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física
Tipo: Parte de Livro
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
O nível de actividade física habitual (AF) é um factor importante na prevenção de uma série de doenças crónicas. Supõe-se que os hábitos de AF que se instalam durante a infância poderão perdurar até à idade adulta, contudo não estão esclarecidos quais os factores associados à adesão à prática de AF. O objectivo foi estudar os efeitos da coordenação motora (CM), das habilidades motoras (HM) e da aptidão física (ApF) no nível de AF habitual em crianças. A amostra foi constituída por 143 crianças (meninas n = 69, meninos n = 74) com idades compreendidas entre os 4 e os 9 anos. Foi utilizada a bateria Fitnessgram para avaliar a ApF. A coordenação motora foi avaliada através da bateria KTK. As HM foram avaliadas com a bateria TGMD2. A AF foi avaliada através de pedometria, tendo sido registado o número de passos ao longo de uma semana completa. Para análise foi considerada a média diária de passos. Foi realizada uma regressão múltipla passo-a-passo, tendo a AF como variável dependente. De todas as variáveis apenas a avaliação locomotora da bateria de habilidades motoras TGMD2 foi retida como preditor dos níveis de AF. A variância explicada é baixa (1%).

A coordenação motora, as habilidades motoras e a aptidão física como preditores dos níveis de actividade física habitual das crianças

Lopes, Vítor P.; Meneguci, Joilson; Rodrigues, Luis Paulo
Fonte: Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, Centro de Investigação em Motricidade Humana Publicador: Escola Superior de Educação e Ciências Sociais, Centro de Investigação em Motricidade Humana
Tipo: Parte de Livro
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
Os níveis de actividade fisica (AF) são um factor importante na prevenção de uma série de doenças crónicas. Não estão identificados quais os factores associados à adesão à prática de AF. O objectivo foi estudar como preditores dos níveis de AF das crianças a coordenação motora (eM), as habilidades motoras (HM) e a aptidão fisica (ApF) no intervalo de um ano. Oitenta e nove crianças (meninas n = 43, meninos n = 46) foram avaliadas em dois anos consecutivos, tendo no primeiro ano idades compreendidas entre os 4 e os 9 anos. Foi utilizada bateria Fitnessgram para avaliar a ApF nos seguintes itens: extensões de braços, abdominais, extensão do tronco e corrida/marcha da milha. A eM foi avaliação através da bateria KTK. As habilidades motoras foram avaliadas com a bateria TGMD2. A AF habitual foi avaliada através de pedometria, tendo sido colocado em cada criança um pedómetro que recolheu os passos ao longo de uma semana completa. Para análise foi considerada a média diária de passos. Foi realizada uma regressão múltipla passo-a-passo, tendo a como variável dependente a AF no segundo ano de avaliações. De todas as variáveis avaliadas apenas a avaliação locomotora da bateria de habilidades motoras TGMD2 foi retida como preditor dos níveis de AF. A variância explicada é baixa (6...

Associação entre a auto perceção corporal e a atividade física habitual em crianças

Cassiano, Jonatas; Sá, Carla; Rodrigues, Luis Paulo; Lopes, Vítor P.
Fonte: Escola Superior de Educação de Coimbra Publicador: Escola Superior de Educação de Coimbra
Tipo: Parte de Livro
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
O objetivo do presente estudo foi analisar a associação entre a auto perceção corporal e a atividade física (AF) habitual em crianças por género e grupo etário. Foram avaliadas 122 crianças de ambos os sexos repartidos em dois grupos etários, 6 a 10 anos e 11 a 13 anos. A auto perceção corporal foi avaliada com o perfil de auto perceção corporal para crianças e jovens (PSPP-CV).

Associação entre a auto perceção corporal e a atividade física habitual em crianças

Cassiano, Jonatas; Sá, Carla; Rodrigues, Luis Paulo; Lopes, Vítor P.
Fonte: Instituto Politécnico de Coimbra, Escola Superior de Educação Publicador: Instituto Politécnico de Coimbra, Escola Superior de Educação
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
27.39%
O objetivo do presente estudo foi analisar a associação entre a auto perceção corporal e a atividade física (AF) habitual em crianças. Foram avaliadas 122 crianças de ambos os sexos repartidas em dois grupos etários, 6 a 10 anos e 11 a 13 anos. A auto perceção corporal foi avaliada com o perfil de auto perceção corporal para crianças e jovens (PSPP-CY). A AF habitual foi avaliada através de pedometria, tendo sido colocado em cada criança um pedómetro que recolheu os passos ao longo de uma semana completa. Para análise foi considerada a média diária de passos. A associação foi determinada através do coeficiente de correlação de Spearman calculado em cada grupo etário e sexo. Os valores de correlação variam de acordo com o sexo o grupo etário e a dimensão da PSPP-CY. Para o indicador global “Auto Estima Corporal”, a correlação é, respetivamente no grupo etário 6 a 10 anos e 11 a 13 anos, de 0,30 e 0,24 nos meninos e de 0,42 e 0,10 nas meninas. Estes resultados são indicadores que uma boa auto perceção corporal poderá ser um fator importante na quantidade de AF habitual das crianças.

Validação concorrente de um questionário de atividade física com acelerometria e pedometria

Mendes, Carla Isabel Fernandes
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
27.39%
Introdução: O número de instrumentos utilizados para a avaliação da atividade física (AF) é vasto na literatura, o que pode resultar em algumas dificuldades para o investigador escolher o método mais apropriado. Os métodos de avaliação podem ser categorizados como diretos (como o acelerómetro e pedómetro) ou indiretos (como é o caso dos questionários), e a validade dos instrumentos é considerado o atributo mais importante para a sua aplicação. Objetivo: Testar a validade concorrente de um questionário de avaliação da AF com acelerometria e pedometria. Métodos: A amostra foi constituída por 50 sujeitos, avaliados em 2011 (avaliação basal – 1º momento), aos quais foi aplicado um questionário para avaliação da atividade física e à utilização de um acelerómetro no decorrer de 4 dias consecutivos, por forma a avaliar o seu dispêndio energético habitual. No ano de 2013 (2º momento de avaliação) 30 dos sujeitos foram reavaliados, segundo os mesmos procedimentos, substituindo-se a utilização do acelerómetro pelo pedómetro no decorrer de 7 dias consecutivos. Com o dispêndio energético obtido através dos dois métodos objetivos (acelerómetro e pedómetro) e do questionário (como método indireto)...

Pedologia quantitativa: espectrometria VIS-NIR-SWIR e mapeamento digital de solos; Quantitative pedology: VIS-NIR-SWIR spectrometry and digital soil mapping

Ramírez López, Leonardo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
17.39%
Para a avaliação das características do solo relacionadas com o potencial uso dos solos, assim como para a avaliação da fertilidade, as análises químicas e físicas de rotina são os métodos convencionalmente usados. Estes são bastante custosos e demorados o que tem representado no Brasil uma dificuldade no seu uso por parte de pequenos agricultores, além da aplicabilidade da agricultura de precisão no manejo de solos. Atualmente a pedometria está fornecendo a possibilidade de incorporar em ciência do solo técnicas bastante sofisticadas que podem ajudar a diminuir o custo na obtenção da informação e compreender melhor o funcionamento dos processos do solo. Entre os tópicos mais recentes que estão incluídos na pesquisa relacionada com pedometria está a espectroscopia de reflectância. Embora se tenha demonstrado que uma grande quantidade de atributos podem ser estimados a partir da resposta espectral do solo via sensoriamento, ainda não se têm atingido níveis de acurácia ótimos em relação às metodologias convencionais, sobretudo no referente a atributos químicos. Para tanto, o presente trabalho foi desenvolvido com a finalidade de responder basicamente os seguintes questionamentos: a. Existem faixas espectrais específicas das bases trocáveis ou se estas podem mudar em função do argilomineral fornecedor da capacidade de troca de cátions?; b. A calibração de modelos usando unicamente algumas faixas espectrais específicas pode melhorar o desempenho destes?; c. Qual é a influência dos níveis de acurácia dos modelos espectrais sobre mapas construídos com atributos estimados a partir destes?; d. Como os tamanhos dos grupos de amostras de calibração influenciam a acurácia dos modelos?; e. Como a calibração de atributos relacionados com o intemperismo podem auxiliar no mapeamento de classes de solo?; The routine soil analysis is traditionally used on the evaluation of soil attributes related to land use potential...

Simulação geoestatística na caracterização espacial de óxidos de ferro em diferentes pedoformas

Silva Junior, João Fernandes da; Marques Júnior, José; Camargo, Livia Arantes; Teixeira, Daniel de Bortoli; Panosso, Alan Rodrigo; Pereira, Gener Tadeu
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 1690-1703
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
Os minerais da fração argila, goethita e hematita, são óxidos de ferro (Fe) indicadores pedoambientais com grande influência nos atributos físicos e químicos do solo. O conhecimento dos padrões espaciais desses óxidos auxilia a compreensão das interrelações de causa e efeito com os atributos do solo. Nesse sentido, a qualidade das estimativas espaciais produzidas pode alterar os resultados obtidos e, por consequência, as interpretações dos padrões espaciais obtidos. O presente estudo teve o objetivo de avaliar o desempenho dos métodos geoestatísticos de estimativas (KO) e simulações sequenciais gaussianas (SSG) na caracterização espacial de teores de óxidos de Fe, goethita (Gt) e hematita (Hm), em uma pedoforma côncava e outra convexa. Foram coletadas 121 amostras de solos em cada pedoforma de um Argissolo em pontos com espaçamentos regulares de 10 m. Os teores de óxidos de Fe foram obtidos por meio de difração de raios-X. Os dados foram submetidos a análises geoestatísticas por meio da modelagem do variograma e posterior interpolação por KO e SSG. A KO não refletiu a verdadeira variabilidade dos óxidos de Fe, hematita e goethita, demonstrando ser inapropriada para a caracterização espacial dos teores dos óxidos de Fe. Assim...

Modelo da velocidade crítica em testes de caminhada: validade, reprodutibilidade e aplicabilidade em pacientes de Unidades de Saúde

Ribeiro, Paula Aver Bretanha
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 110 f. : il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Ciências da Motricidade - IBRC; Atualmente avaliação da aptidão física constitui importante ferramenta para prevenção e detecção de problemas físicos que podem interferir na autonomia e independência nas atividades da vida diária. Parâmetros de aptidão física estão direta e indiretamente relacionados com indicadores de saúde como atividade física habitual, qualidade de vida e avaliação antropométrica. O modelo de potência crítica nos fornece, de forma simples e não invasiva, dois parâmetros físicos, um aeróbio e outro anaeróbio. Este tem sido classicamente utilizado para descrever desempenho em atletas e não foi validado a testes não exaustivos, o que ampliaria sua aplicabilidade a populações com contra-indicação a testes máximos. Dois objetivos nortearam esse estudo. 1) Examinar se os testes de caminhada com intensidade autoselecionada fornecem estimativas confiáveis dos parâmetros do modelo e consistentes com a predição do modelo. 2) Examinar a relação entre os parâmetros do modelo da velocidade crítica com indicadores de atividade física relacionada à saúde. Um total de 39 indivíduos (32 a 80 anos) realizaram: 1) testes de caminhada de 3...

Impacto genético e ambiental na aptidão cardiorrespiratória, atividade física e metabolismo de glicose

Barbieri, Ricardo Augusto
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 73 f. : il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Ciências da Motricidade - IBRC; Baixa atividade física e aptidão cardiorrespiratória estão associadas diretamente a resistência a insulina que pode ser considerada como fator inicial para posteriores distúrbios, como aumento da adiposidade corporal, hipertensão, intolerância a glicose e dos teores de lipídios no sangue. Apesar destas anormalidades possuírem um componente herdado significativo, pouco se conhece sobre a relação entre as influências genéticas e ambientais para estas variáveis na população brasileira, muito menos em crianças e adolescentes. Portanto, o objetivo do presente estudo foi estabelecer a contribuição de fatores genéticos e ambientais na variância da aptidão cardiorrespiratória, atividade física e metabolismo de glicose em crianças e adolescentes gêmeos. Para realização do estudo gêmeos do mesmo sexo entre 11 e 18 anos matriculados em 19 escolas publicas e 5 particulares do município de Rio Claro- SP (6º ao 3º ano do ensino médio) foram cadastrados e convidados a participar. Aqueles que concordarem foram submetidos a medidas de pedometria para estimativa da AF diária, a um teste de esforço para determinação da capacidade aeróbia e a uma coleta de sangue periférico a fim de determinar a concentração de glicose e insulina...

Fisiologia pós-colheita de rosas cortadas cv. Vega

De Pietro, Júlia
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: v, 125 f. : il., graf.
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Agronomia (Produção Vegetal) - FCAV; Face à carência de estudos relacionados à fisiologia pós-colheita de flores, a presente pesquisa teve como finalidade estudar a fisiologia e conservação póscolheita de flores cortadas de rosas cv. Vega, considerando os fatores associados à senescência floral e perda de vida decorativa. Os experimentos foram conduzidos em delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial. Em todos os experimentos, as rosas foram mantidas em ambiente de laboratório com 20±2ºC e 67±3% UR, padronizadas em 50 cm e realizadas as seguintes avaliações (exceto para o experimento 5): perda de massa fresca, massa seca, taxa respiratória, notas de qualidade (escurecimento, turgescência e curvatura), conteúdo relativo de água, carboidratos solúveis e redutores, antocianina e coloração. Para o experimento 5 foi avaliada a quantidade de água absorvida e transpirada das rosas. No primeiro experimento, as flores foram colocadas dentro de uma câmara hermética e expostas ao 1-MCP, por um período de seis horas, nas seguintes concentrações: 1) Água destilada (controle); 2) 1-MCP 100 a ppb; 3) 1-MCP a 250 ppb; 4) 1-MCP a 500 ppb. Ao contrário do tratamento com água destilada...

Suscetibilidade magnética para a estimativa de atributos do solo e mapeamento de áreas sob cultivo de cana-de-açúcar

Siqueira, Diego Silva
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: viii, 75 f. : il., grafs.
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Agronomia (Produção Vegetal) - FCAV; O objetivo deste estudo foi avaliar o potencial da suscetibilidade magnética para estimar atributos do solo e mapear áreas de manejo especifico para a cultura da cana-de-açúcar. Dois experimentos foram realizados. No primeiro, foram amostrados 50 pontos de forma aleatória em uma área de 2 ha, na profundidade de 0,00 – 0,20 m. Foi construída uma curva de calibração para converter as leituras das amostras de solo feitas na balança em medidas de suscetibilidade magnética. A suscetibilidade magnética medida por uma balança analítica teve uma correlação de 0,58 com o teor de argila, -0,75 com o teor de matéria orgânica, 0,41 com a saturação por bases e 0,82 com o teor de hematita do solo na profundidade 0,00 – 0,20 m. A análise estatística multivariada dos componentes principais mostrou que a suscetibilidade magnética explica 10,69% da variância do conjunto de atributos do solo estudados. No segundo experimento, foram retiradas aleatoriamente (grade irregular) 110 amostras em uma área de 770 ha em duas profundidades...

Efeito analgésico da morfina e tramadol na artrite e sinovite induzidas experimentalmente em bovinos

Nogueira, Geison Morel
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 77 f.
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
Pós-graduação em Medicina Veterinária - FMVZ; Enfermidades que desenvolvem estímulos nociceptivos podais são frequentes na clínica de bovinos. O uso de analgésicos opióides, em ruminantes é limitado ou indefinido, como no caso do tramadol. Objetivou-se avaliar os efeitos analgésicos do sulfato de morfina e cloridrato de tramadol em bovinos, submetidos à artrite e sinovite interfalângica distal transitórias. Foram utilizados seis bovinos no protocolo de indução experimental de artrite e sinovite, através da administração intra-articular de anfotericina B, na dose total de 20mg. Cinco horas após a aplicação deste fármaco, os animais foram submetidos a dois tratamentos distintos, sendo o primeiro com morfina, na dose de 0,5 mg/kg, via intramuscular, em duas aplicações com intervalo de seis horas e posteriormente o tramadol, na dose de 1,8 mg/kg, via intramuscular, em dose única, respeitando-se um intervalo de 20 dias entre os tratamentos. Os animais foram avaliados em intervalos de 3 horas, num total de 24 horas, observando-se os parâmetros fisiológicos de frequências cardíaca e respiratória, motilidade ruminal, deambulação e atividade pedométrica. Pela observação clínica e comportamental, baseada na pedometria...

Variabilidade espacial dos atributos do solo, erosão e suscetibilidade magnética de uma vertente em Gilbués, Pi

Santos, Hélio Lima
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: xiv, 60 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Agronomia (Produção Vegetal) - FCAV; O relevo condiciona o movimento da água e a variabilidade dos atributos do solo, por isso é importante mapear os compartimentos do relevo para compreender os processos pedológicos e os fatores da erosão. O objetivo deste trabalho foi estudar a variabilidade espacial dos atributos do solo, erosão e suscetibilidade magnética de uma vertente do município de Gilbués-PI, considerado o município brasileiro de maior área contínua de desertificação. Amostras de solo foram coletadas em uma transeção de 2.750 metros na vertente e, em três malhas, a intervalos regulares de 25 e 10 metros, respectivamente. No total, foram coletadas 451 amostras na profundidade de 0,00 - 0,20 m. As amostras foram submetidas a análises granulométricas e químicas e suscetibilidade magnética (SM). Para estimar a erosão, utilizou-se da Equação Universal de Perda de Solo (EUPS). Os resultados foram submetidos às análises estatística e geoestatística, e sugerem que a suscetibilidade magnética seja um atributo eficiente no entendimento das relações de causa e efeito da variabilidade espacial dos atributos do solo e dos fatores da erosão...

Métodos geoestatísticos na modelagem espacial do diâmetro médio do cristal da goethita

Silva Junior, João F. Da; Pereira, Gener T.; Camargo, Livia A.; Marques Júnior, José
Fonte: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG Publicador: Departamento de Engenharia Agrícola - UFCG
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 1127-1134
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
Uma das necessidades da agricultura de precisão é avaliar a qualidade dos mapas dos atributos dos solos. Neste sentido, o presente trabalho objetivou avaliar o desempenho dos métodos geoestatísticos: krigagem ordinária e simulação sequencial gaussiana na predição espacial do diâmetro médio do cristal da goethita com 121 pontos amostrados em uma malha de 1 ha com espaçamentos regulares de 10 em 10 m. Após a análise textural e da concentração dos óxidos de ferro, calcularam-se os valores do diâmetro médio do cristal da goethita os quais foram analisados pela estatística descritiva e geoestatística; em seguida, foram utilizadas a krigagem ordinária e a simulação sequencial gaussiana. Com os resultados avaliou-se qual foi o método mais fiel para reproduzir as estatísticas, a função de densidade de probabilidade acumulada condicional e a estatística epsilon εy da amostra. As estimativas E-Type foram semelhantes à krigagem ordinária devido à minimização da variância. No entanto, a krigagem deixa de apresentar, em locais específicos, o grau de cristalinidade da goethita enquanto o mapa E-Type indicou que a simulação sequencial gaussiana deve ser utilizada ao invés de mapas de krigagem. Os mapas E-type devem ser preferíveis por apresentar melhor desempenho na modelagem.; In precision agriculture it is necessary to assess the quality of the maps of soil attributes. This paper aimed to evaluate the performance of geostatistical methods: ordinary kriging and sequential Gaussian simulation on spatial prediction of mean diameter of the goethite crystal in a regular grid with 121 points collected in a grid of 1 ha with regular spacing of 10 to 10 m. After the particle size and concentration analysis of iron oxides the values of the mean diameter of the goethite crystal were calculated. These were analysed by descriptive statistics and geostatistics...

Coeficiente de erodibilidade em sulcos e entressulcosde Argissolos coesos estimado pela cor do solo

Dantas, Jussara Silva; Filho, Marcílio Vieira Martins; Júnior, José Marques; Resende, José Maria Do Amaral; Teixeira, Daniel De Bortoli; Barbosa, Ronny Sobreira; Siqueira, Diego Silva
Fonte: Embrapa Informação TecnológicaPesquisa Agropecuária Brasileira Publicador: Embrapa Informação TecnológicaPesquisa Agropecuária Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 700-707
POR
Relevância na Pesquisa
16.73%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); The objective of this work was to estimate the rill and interrill erodibility coefficient through soil color parameters. Three areas were selected, which were cultivated with soybean in cohesive Ultisols of the eastern region of the state of Maranhão, Brazil. In each area, 121 samples were collected at a depth of 0.00-0.20 m. The values of diffuse reflectance spectroscopy in the visible range were determined, in order to obtain the values of hue, value, and chroma. From these color constituents, the redness index was calculated for each sample. Models were developed to evaluate the effect of each color component on rill and interril erodibility. These components showed R2 ranging from 0.37 to 0.70. The generated models obtained R2 of 0.70 and 0.73 for interill and rill, respectively. Soil color determined by diffuse reflectance spectroscopy can be used as an alternative method to estimate the erodibility coefficient of cohesive Ultisols.; O objetivo deste trabalho foi estimar o coeficiente de erodibilidade em sulcos e entressulcos...

Avaliação das características do líquido ruminal associada à termografia digital e atividade pedométria em vacas holandesas

Rodrigues, Mirian
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 101 f.
POR
Relevância na Pesquisa
27.73%
Pós-graduação em Medicina Veterinária - FMVZ; This study aimed to correlate the subacute ruminal acidosis with the occurrence of subclinical laminitis in high producing dairy cows, of a commercial herd. We assessed 200 Holstein cows with high milk production, they were divided into four groups, which was established high milk production from the daily productivity. The animals were submitted to clinical examination, collection of rumen fluid by oral gavage, blood gas analysis, thermography and digital pedometrics. Values of pH and evidence of reduction of methylene blue rumen, daily productivity, number of animals steps, the temperature digits and limbs, blood gas (PCO2, TCO2, HCO3, SO2 and EB) all those had been determined and statistically correlated. No have assessed animals that showed changes in ruminal pH and blood gas analysis. The thermographic analysis revealed higher temperature in the medial forelimb digits right (59.4%) and left (55.2%). While in the hind limbs was observed that the temperature was bigger in the right side digits (65.9%) and left (64.9%). It had been noted that 84.9% of the animals had pelvic limbs warmer than the forelimbs. It had been also observed that the higher the temperature recorded was, the lower was the milk yield (P <0.01). The abnormalities were found by digital thermography allowed in cows triage affected by foot problems affections. Therefore...

Avaliação das características do líquido ruminal, hemogasometria, atividade pedométrica e diagnóstico de laminite subclínica em vacas leiteiras

Rodrigues,Mirian; Deschk,Maurício; Santos,Guilherme G.F.; Perri,Silvia H.V.; Merenda,Victoria R.; Hussni,Carlos A.; Alves,Ana Liz G.; Rodrigues,Celso A.
Fonte: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) Publicador: Colégio Brasileiro de Patologia Animal - CBPA; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 PT
Relevância na Pesquisa
17.73%
Este estudo objetivou avaliar as características do líquido ruminal, hemogasometria, atividade pedométrica e ocorrência laminite subclínica, por meio da presença de enfermidades podais secundárias, em vacas leiteiras de alta produção, provenientes de um rebanho comercial. Foram avaliadas 200 vacas holandesas, oriundas da mesma propriedade, localizada na região de Araçatuba, SP, divididas em quatro grupos, sendo estes estabelecidos a partir da produtividade diária. Inicialmente procedeu-se o exame clínico dos animais, seguido da colheita de amostras do líquido ruminal, por meio de sondagem esofágica, sendo este avaliado quanto ao pH, cor, odor, consistência, sedimentação, flutuação e prova de redução pelo azul de metileno. Também foram colhidas amostras de sangue venoso para hemogasometria, além da coleta dos dados da pedometria (número de passos) e produção de leite diária das vacas. Os dados obtidos foram tabulados e submetidos à análise de correlação. Nenhum animal avaliado apresentou alterações no pH ruminal, bem como não foram encontrados distúrbios do desequilíbrio ácido básico, pois os valores de pH sanguíneo, PCO2, TCO2, HCO3- e EB estavam dentro da normalidade, durante a análise hemogasométrica. A pedometria foi efetiva como método de triagem para as vacas acometidas de afecções podais...

Utilização de atributos topográficos no mapeamento preliminar de solos da Bacia Hidrográfica do Rio Pequeno (Antonina/PR)

Nowatzki, Alexei
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
17.39%
Resumo: Os diferentes tipos de solos podem ser compartimentados de acordo com diversas características do relevo. A Pedometria se baseia nas características dos atributos topográficos primários e secundários, que são gerados a partir de um Modelo Digital do Terreno (MDT) por técnicas de geoprocessamento. Esses atributos podem representar a distribuição de Unidades Geomórficas, que indicam a presença de determinados tipos de solos. A Pedometria pode complementar mapeamentos tradicionais de solos, auxiliando-os na definição dos limites entre as classes. Com o objetivo de mapear Unidades Geomórficas, foram primeiramente mapeados sete atributos topográficos para a bacia hidrográfica do rio Pequeno (Antonina/PR), sendo os primários: Hipsometria, Clinografia, Perfil e Plano de Curvatura e os secundários: Índice de Corrente de Máximo Fluxo, Índice Topográfico de Umidade e Índice de Capacidade de Transporte de Sedimentos. Desses atributos, os que melhor representaram aspectos para a distinção de Unidades Geomórficas foram todos os atributos secundários e a Clinografia. Cada um dos atributos foi dividido em classes que representassem a realidade dos tipos de solos existentes no rio Pequeno, com base na consulta de mapeamentos preexistentes e pelas características topográficas locais. A partir das classes dos atributos escolhidos...

MAPEAMENTO PRELIMINAR DE SOLOS POR PEDOMETRIA COM BASE EM ATRIBUTOS TOPOGRÁFICOS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PEQUENO-PR

Nowatzki, Alexei; UFPR; Cordeiro Santos, Leonardo José; UFPR
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 10/12/2014 POR
Relevância na Pesquisa
27.39%
Os diferentes tipos de solos podem ser compartimentados de acordo com diversas características do relevo. A Pedometria pode se basear nas características dos atributos topográficos primários e secundários, que são gerados a partir de um Modelo Digital do Terreno (MDT) por técnicas de geoprocessamento. Esses atributos podem representar a distribuição de Unidades Geomórficas, que indicam a presença de determinados tipos de solos. Com o objetivo de realizar um mapeamento digital de solos, foram gerados quatro atributos para a bacia hidrográfica do rio Pequeno (Antonina/PR), sendo eles: Clinografia, Índice de Corrente de Máximo Fluxo, Índice Topográfico de Umidade e Índice de Capacidade de Transporte de Sedimentos. A partir das classes dos atributos, foram feitos cruzamentos das classes pelo método da Tabulação Cruzada que resultou na identificação de quatro Grupos: Grupo 1: Áreas planas e úmidas características de solos hidromórficos/flúvicos. Grupo 2: Terço médio de vertente com declives intermediários onde podem ocorrer os Cambissolos Háplicos. Grupo 3: Áreas de terço superior com fortes declives com associação de Cambissolos Háplicos com NeossolosLitólicos. Grupo 4: Áreas escarpadas de Serra com Neossolos Litólicose possibilidade de afloramentos rochosos. A partir destes grupos foi possível espacializar a distribuição dos potenciais solos da área de estudo.