Página 1 dos resultados de 281 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Famílias e patriarcado : da prescrição normativa à subversão criativa; Families and patriarchy : from normative prescription to creative subversion

Narvaz, Martha; Koller, Silvia Helena
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.6%
Este trabalho problematiza o patriarcado enquanto discurso normativo de papéis familiares, uma vez que valores patriarcais atravessaram os tempos e deixam suas marcas na constituição das famílias ainda na atualidade. A articulação do patriarcado ao capitalismo é também discutida como uma das possíveis explicações para o sistema social de opressão das mulheres. A despeito das conquistas sociais e dos dispositivos legais que postulam a igualdade de direitos entre homens e mulheres, as discriminações ditadas pelo patriarcado são uma forma de violência de gênero e de violação dos direitos humanos das mulheres. Entretanto, apesar da prescrição normativa patriarcal, as famílias inventam outros papéis familiares na cotidianidade de suas experiências, o que explode a hegemonia do discurso patriarcal normativo ainda existente. Isto destaca, ainda, a criativa e subversiva capacidade de resistência humana a prescrições impostas, em especial a resistência das mulheres à opressão patriarcal que lhes tem sido imposta há séculos.; This paper discusses patriarchy as a normative discourse on family roles, as patriarchal values have crossed centuries and still mark today’s family constitution. Patriarchy linked to capitalism is also discussed as one possible explanation for women’s oppression in the social system. In spite of social and legal achievements about equality rights between men and women...

Força de trabalho feminina no Brasil: no interior das cifras

Saffioti, Heleieth Iara Bongiovanni
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
27.3%
Teoricamente, este artigo foi elaborado do ponto de vista do FEMINISMO, compreendido este enquanto uma nova perspectiva científico-politica. Por conseguinte, rejeita-se a posição do denominado feminismo radical, segundo a qual as relações de gênero constituem o principio fundamental estruturador das sociedades capitalistas, assim como se refuta a posição daqueles que reduzem a textura complexa das sociedades de classes a lutas de classe. O feminismo como perspectiva cientificopolítica não apenas leva em consideração estes dois antagonismos, como também suas interrelações. Daí deriva a concepção deste tipo de sociedade em termos de capitalismo-patriarcado e não como capitalismo patriarcal. À luz deste esquema teórico de referência é examinada, ao longo da história, a desigual incorporação da mulher na força de trabalho brasileira. Se durante o período 1872-1982 os dados a respeito deste fenômeno sofreram mudanças, houve, por outro lado, muita conservação de fenômenos discriminatórios contra a mulher, no interior das estatísticas. Ou seja, o grosso das trabalhadoras continua ocupando posições subalternas, recebendo salários mais baixos pelo desempenho da mesma função, exercendo duas jornadas de trabalho. Estes fenômenos como também os que deles decorrem...

Observações sobre a libido colonizada : tentando pensar ao largo do patriarcado; Remarks on the colonized libido : trying to think beyond patriarchy

Bensusan, Hilan
Fonte: Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
27.01%
Nestas observações procuro refletir sobre algumas conseqüências da maneira como pensamos e vivemos nossos desejos. Procuro contrastar nossos desejos com a idéia de liberdade e com a maneira como pensamos a natureza. Isso me leva rapidamente a pensar na pornografia, na identidade masculina e em seguida no nosso regime de auto-estima. Desemboco então em um conjunto de temas que se relacionam com as estruturas institucionais e emocionais do patriarcado sob um regime de heterossexualidade normatizada. Tento considerar esses temas sob um ponto de vista da experiência de quem foi treinado na masculinidade e se incomoda com suas conseqüências. Procuro encontrar um modo de repensar o agenciamento de nossos desejos e encontrar caminhos para um exercício de nossas capacidades de desejo que sejam, de alguma forma, mais livres. __________________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT; In these remarks I attempt to think through some of the consequences of the way we conceive and live our desires. I try to contrast those desires with both our idea of freedom and the way we usually understand nature. This takes me quickly to issues such as pornography, male identity and then to how we gain and preserve our self-esteem. This...

Breve apanhado da história da elaboração do Plano de Acção Pastoral do Patriarcado - PAP apresentado à diocese em 15 de Setembro de 1976

Mafra, Luís de Azevedo
Fonte: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa Publicador: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //1997 POR
Relevância na Pesquisa
27.01%

À volta de três personagens e um inventário : a história do Inventário Artístico do Patriarcado de Lisboa

Pinto, Carla Alferes
Fonte: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa Publicador: Centro de Estudos de História Religiosa - Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.48%
O Inventário Artístico do Patriarcado de Lisboa é o mais antigo instrumento museológico de inventariação do vasto e valiosíssimo património da Igreja em Portugal. Concebido por uma equipa de excepção – constituída por Carlos de Azevedo (1918-55), D. João de Castro (1908-2000) e José Bénard Guedes Salgado (1931- ) – foi resultado de um conjunto de interesses e saberes que encontraram no movimento de renovação litúrgica e artística e na política de formação dos religiosos e de consolidação do papel da Igreja na sociedade portuguesa, desenvolvida durante o arcebispado de D. Manuel Cerejeira, um terreno fértil. Através das biografias técnicas das três personagens mencionadas e do recurso a documentação inédita sobre a Comissão de Arte Sacra do Patriarcado de Lisboa procurarei responder a três questões: o que é o inventário, quem o fez e com que propósito.; The Artistic Inventory of the Diocese of Lisbon is the oldest museological tool of inventory ever used in the extended and valuable heritage of the Catholic Church in Portugal. Being the result of a conjugation of ideals and knowledge it was conceived by an exceptional team formed by Carlos de Azevedo (1918 -55), D. João de Castro (1908 -2000) and José Bénard Guedes Salgado (1931 - ). It also benefits from the movements of liturgical and artistic renovation that were developed inside the Church at the beginning of the 20th century as well as the policy headed by the Archbishop D. Manuel Cerejeira that extol the education of the clergy and the consolidation of the role of Catholic Church within the Portuguese society. Exploring the biographies of the members of the inventory team and using unpublished documentation I tried to answer three important questions: what is the inventory...

Teoría feminista y sociología médica: bases para una discusión

Castro,Roberto P.; Bronfman,Mario P.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1993 ES
Relevância na Pesquisa
27.3%
Se analiza la contribución de la teoría feminista a la sociología médica. En la primera parte se desarrollan los conceptos feministas más importantes: patriarcado, género, y sistema sexo/género. Se señala que cada concepto aclara aspectos sociales que han sido descuidados, aunque se reconoce que el concepto de patriarcado requiere aún de mayor desarrollo teórico. En la segunda parte se discuten los intentos del feminismo para desarrollar un nuevo conocimiento. Se discuten las ventajas de una ciencia feminista que problematice la dominación de género - que la ciencia común da por hecho -, y que permitiría una aproximación novedosa a la realidad social. Se enfatiza en la importancia de distinguir entre sexo y género, el aporte reciente de mayor relevancia para comprender la noción de ciencia feminista. Se señalan algunas de las aportaciones epistemológicas y metodológicas feministas. La tercera parte analiza las contribuciones más importantes de la teoría feminista en el campo de la sociología médica. Se indica como una de ellas a la problematización de los conceptos de "salud" y "enfermedad", así como la demostración de que son conceptos socialmente construidos como producto del orden patriarcal prevaleciente. Finalmente...

Patriarcado, sociedade e patrimonialismo

Aguiar,Neuma
Fonte: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília Publicador: Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
Neste texto pesquisamos o significado do conceito de patriarcado no Pensamento Social Brasileiro. Observamos como o sistema de dominação é concebido de forma ampla e que incorpora as dimensões da sexualidade, da reprodução e da relação entre homens e mulheres no contexto de um sistema escravista. Nas sociedades onde o público se destaca do privado, sustentamos que as relações de gênero continuam patriarcais; no âmbito das sociedades patrimoniais, a intimidade entre público e privado também não resultou em uma maior participação política ou econômica das mulheres nessa esfera pela própria origem patriarcal do estamento burocrático no contexto de um patrimonialismo patriarcal.

Famílias e patriarcado: da prescrição normativa à subversão criativa

Narvaz,Martha Giudice; Koller,Sílvia Helena
Fonte: Associação Brasileira de Psicologia Social Publicador: Associação Brasileira de Psicologia Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.6%
Este trabalho problematiza o patriarcado enquanto discurso normativo de papéis familiares, uma vez que valores patriarcais atravessaram os tempos e deixam suas marcas na constituição das famílias ainda na atualidade. A articulação do patriarcado ao capitalismo é também discutida como uma das possíveis explicações para o sistema social de opressão das mulheres. A despeito das conquistas sociais e dos dispositivos legais que postulam a igualdade de direitos entre homens e mulheres, as discriminações ditadas pelo patriarcado são uma forma de violência de gênero e de violação dos direitos humanos das mulheres. Entretanto, apesar da prescrição normativa patriarcal, as famílias inventam outros papéis familiares na cotidianidade de suas experiências, o que explode a hegemonia do discurso patriarcal normativo ainda existente. Isto destaca, ainda, a criativa e subversiva capacidade de resistência humana a prescrições impostas, em especial a resistência das mulheres à opressão patriarcal que lhes tem sido imposta há séculos.

Observações sobre a libido colonizada: tentando pensar ao largo do patriarcado

Bensusan,Hilan
Fonte: Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Centro de Filosofia e Ciências Humanas e Centro de Comunicação e Expressão da Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 PT
Relevância na Pesquisa
27.01%
Nestas observações procuro refletir sobre algumas conseqüências da maneira como pensamos e vivemos nossos desejos. Procuro contrastar nossos desejos com a idéia de liberdade e com a maneira como pensamos a natureza. Isso me leva rapidamente a pensar na pornografia, na identidade masculina e em seguida no nosso regime de auto-estima. Desemboco então em um conjunto de temas que se relacionam com as estruturas institucionais e emocionais do patriarcado sob um regime de heterossexualidade normatizada. Tento considerar esses temas sob um ponto de vista da experiência de quem foi treinado na masculinidade e se incomoda com suas conseqüências. Procuro encontrar um modo de repensar o agenciamento de nossos desejos e encontrar caminhos para um exercício de nossas capacidades de desejo que sejam, de alguma forma, mais livres.

As multifaces do patriarcado : uma análise das relações de gênero nas famílias homoafetivas

Pereira de Almeida, Janaiky; Salazar Uchôa, Roberta (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.48%
A dissertação, que apresentamos, tem como objetivo proporcionar reflexões sobre a forma como o patriarcado se expressa para além da relação de dominação-exploração do homem sobre a mulher, desvendando como este sistema permeia a organização familiar homoafetiva. A partir do entendimento de que o patriarcado é um sistema estruturador das relações de gênero na sociedade atual, buscamos analisar em que aspectos as famílias homoafetivas reproduzem os modelos vivenciados na família burguesa heterossexual. Sobre este objetivo nossa pesquisa se configurou de natureza qualitativa e foi efetivada por meio da realização de entrevistas com famílias homoafetivas, compostas tanto por mulheres como por homens, residentes na região metropolitana de Recife, Estado de Pernambuco. Para orientar nossa análise acerca das relações patriarcais de gênero elegemos alguns elementos primordiais a serem observados no percurso das entrevistas, sendo eles: a divisão das atividades domésticas no interior da organização familiar, a monogamia e a interlocução entre projeto individual e projeto coletivo. Com a realização da pesquisa foi possível observar que há uma reprodução das relações patriarcais de gênero no interior desta organização. Isto se reflete tanto pelo fato da busca por uma legitimidade na sociedade...

Ações do movimento feminista pelo fim da violência doméstica contra a mulher, no Estado de Pernambuco: conquistas e desafios

Diniz, Maria José Pereira
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.3%
A presente dissertação tem como objetivo analisar as ações, conquistas e desafios do movimento feminista no enfrentamento da violência doméstica contra a mulher, tendo em vista que, apesar dos avanços alcançados institucionalmente neste sentido, os dados apontam para uma continuidade/alto índice dos casos de violência doméstica contra a mulher, especialmente, no Estado de Pernambuco. Para tratarmos desta temática elegemos como categoria fundamental o patriarcado e sua relação com o capitalismo na medida em que violência se constitui um termo que evidencia dominação e exploração. O estudo tem por base uma pesquisa de natureza qualitativa, utilizando pesquisa bibliográfica, documental e de campo, dados quantitativos, serviram de suporte na aproximação da temática estudada. Utilizamos o processo de aproximações sucessivas para o desvendamento da realidade à luz do referencial teórico adotado: método histórico-dialético. Nosso campo de pesquisa foi o Fórum de Mulheres de Pernambuco (FMPE), composto por vários segmentos de mulheres e entidades, que tem como objetivo lutar pela consolidação das políticas públicas em defesa das mulheres. Trabalhamos com um recorte de 7 (sete) entidades, tendo sido entrevistada uma representante de cada uma delas...

Mulher não vale nem um real : patriarcado nas letras das músicas de forró

Feitosa, Sônia de Melo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Serviço Social; Serviço Social, Formação Profissional, Trabalho e Proteção Social; Serviço Social, Cultura e Relaçõe Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Serviço Social; Serviço Social, Formação Profissional, Trabalho e Proteção Social; Serviço Social, Cultura e Relaçõe
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.6%
Patriarchy is a dominating system that establishes male power in social relations as the social-ideological system and the structuring element of several ways of men‟s domination on gender social relations, on organization of social life, on private relations, and on political decision spaces. In this study we enlarge our reflection about patriarchy from the analysis of Forró lyrics, more specifically the variation known as stylized. Of late decades, it is a kind of music that has been receiving a large acceptance all over the national territory, making use of everyday expressions that propagate and make apology to many forms of discrimination, oppression and violence against women. We emphasize that over this study 14 Forró lyrics were analyzed of different styles besides stylized, like the traditional and the double meaning ones. However, we dwelled on the content analysis, particularly in three Stylized Forró lyrics, they are: Tapa na Cara (2008) by Saia Rodada Band; Mulher Roleira (2004), Aviões do Forró Band; and Bomba no Cabaré (2007), Matruz com Leite Band. In order to make a critical analysis of the elements in the lyrics content, we support ourselves on the theoretic-methodological references of the dialectical materialism...

"Das fragilidades de viver o tempo presente"

Olivio, Maria Cecilia
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 115 p.| il.
POR
Relevância na Pesquisa
27.3%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio-Econômico, Programa de Pós-Graduação em Serviço Social, Florianópolis, 2015.; Esta dissertação de mestrado tem como objetivo central apresentar uma discussão teórica sobre alguns aspectos da simbiose entre capitalismo e patriarcado, considerando a manutenção/vigência da dominação-exploração masculina na contemporaneidade. Para tanto se estrutura em dois capítulos, dentro dos quais buscamos realizar uma discussão teórica categorial que procura ir para além da aparência naturalizada da manutenção e vigência do processo de exploração-dominação masculina, perquirindo compreender como ela se sustenta nos marcos do capitalismo. Apresenta algumas das dimensões que sustentam as relações sociais desiguais entre homens e mulheres na ordem capitalista, realiza breve discussão sobre a divisão sexual do trabalho, as relações sociais de sexo e o patriarcado e procura sustentar a relevância deste debate para a explicitação das dimensões das relações desiguais e hierárquicas produzidas ? e que amparam- no modo de produção capitalista. A análise realizada pretende fornecer bases para uma reflexão sobre aspectos da construção e manutenção da dominação-exploração masculina...

Dificultades para el avance de las mujeres. Diferentes teorías sociológicas; Difficulties for the advancement of women. Different sociological theories

Montesó Curto, Mª Pilar.
Fonte: Murcia: Servicio de Publicaciones de la Universidad de Murcia Publicador: Murcia: Servicio de Publicaciones de la Universidad de Murcia
Tipo: Anotação Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
27.48%
Introducción: Es importante conocer el concepto de patriarcado para entender las dificultades con que se encuentran las mujeres en el avance profesional, social e institucional. La profesión enfermera junto con otras también femeninas se ha enfrentado también con estas dificultades. Metodología: Introduciremos varias teorías que analizan el concepto de género. Algunas teorías justifican la socialización diferencial: estructural-funcionalista (Durkheim, Marx, Engels, Weber, Parsons, Comte…) y el feminismo critica al patriarcado como elemento de dominación para las mujeres (Firestone, Myrdal, B.Ehrenreich…). Analizaremos como las dificultades debidas a la instauración del patriarcado y a la diferente socialización entre hombres y mujeres ha frenado el avance de algunas profesiones femeninas, siendo la profesión enfermera una de ellas. Resultados: En la familia patriarcal que ha existido en nuestra sociedad contemporánea los hombres han ocupado las posiciones más relevantes del poder político, económico y cultural quedando las mujeres en segundo plano. Conclusión: Las desigualdades siguen existiendo en nuestras sociedades transicionales trayendo consigo un aumento de la violencia para las mujeres y con la globalización...

Mujeres indígenas patriarcado y colonialismo: un desafío a la segregación comprensiva de las formas de dominio

Cumes, Aura Estela
Fonte: Universidade de Múrcia Publicador: Universidade de Múrcia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
37.3%
Con este artículo argumento que las mujeres indígenas tienen una experiencia de dominación con múltiples aristas que reta la comprensión monista de entender la estructura social bien sea a partir del patriarcado, de la dominación étnica o de clase social. Están cuestionando un sistema-mundo opresivo e interconectado. Esta misma condición les permite aportar a la construcción de sujetos colectivos no ensimismado en la etnicidad, en el género o en la clase social, sino creadores de nuevas formas de vida liberadoras que trasciendan las miradas unilaterales de los procesos de emancipación. Su voz es importante porque no es lo mismo cuestionar el poder desde el centro que desde los márgenes, y estas voces desde los márgenes dan contribuciones fundamentales para tener otras lecturas del ejercicio del poder y sus desafíos.; In this article I argue that indigenous women have a multifaceted experience of domination that challenges the monistic understanding of social structure through patriarchy, ethnic domination or social class. Indigenous women question an oppressive and interconnected world system. This same reality allows them to construct collective subjects non solely centred in ethnic, gendered and class factors, but as creators of new liberating ways of life that go beyond unilateral perspectives in emancipatory processes. Thus...

Los conceptos de patriarcado y androcentrismo en el estudio sociológico y antropológico de las sociedades de mayoría musulmana

González Vázquez, Araceli
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2013 SPA
Relevância na Pesquisa
27.3%
En este artículo, realizamos un examen de las conceptualizaciones del patriarcado que mayor influencia ejercen actualmente sobre la forma en que los sociólogos y los antropólogos abordan el estudio de las desigualdades sociales y de género en las sociedades de mayoría musulmana. Igualmente, explicamos el concepto de androcentrismo y evaluamos su fuerza actual como alternativa conceptual y epistemológica frente al concepto de patriarcado.; In this article, we examine the theoretical contributions and conceptualizations of patriarchy that have exerted the largest influence on the way sociologists and anthropologists address the study of social and gender inequalities in Muslim majority societies. We also explain the concept of androcentrism and examine its potential as a conceptual and epistemological alternative to the concept of patriarchy.

Educação e patriarcado protestante em Maurice, de E. M. Forster

Silva, Lajosy; Faculdade do Guarujá
Fonte: Editora da UFSC Publicador: Editora da UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 10/12/2008 POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
Este artigo pretende analisar a formação educacional durante a Era Eduardiana (1901-1910), na análise do romance Maurice de E. M. Forster. A questão histórica e do patriarcado protestante interferem numa narrativa centralizada em microcosmos das relações interpessoais, mas que permitem uma panorama geral da sociedade inglesa da época, suas contradições no que se refere à estratificação social e à sexualidade.; This article aims to analyze the educational formation during the Edwardian Age (1901-1910) in the analysis of the novel Maurice by E. M. Forster. The historical and the patriarchate interfere in a story that seems to be focused on microcosm of interrelationship patters; however it allows us to have a broad view of the English Society at that time, its contractions regarding social stratification and sexuality.

UNA SONDA EN EL POST-PATRIARCADO: EL DEBATE SOBRE EMANCIPACIÓN Y LIBERTÁ FEMMINILE EN EL FEMINISMO ITALO-ESPAÑOL

Morondo Taramundi, Dolores
Fonte: Revista Gênero & Direito Publicador: Revista Gênero & Direito
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 28/07/2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.6%
Este texto intenta indagar algunas cuestiones relativas a la percepción generalizada en España y en Italia de que el feminismo sea anacrónico o necesite una profunda transformación para adaptarse a los nuevos tiempos que, en dichas opiniones, corresponderían a una época post-patriarcal. Una de las ideas que más se ha puesto en discusión es un término clásico del vocabulario de las reivindicaciones feministas, a saber, la emancipación. El texto trata de contextualizar históricamente la crítica de la emancipación a través del análisis de un debate que, en el feminismo español e italiano, ha estado muy polarizado y ha tenido gran repercusión política, es el debate entre emancipación y libertad femenina (libertà femminile, en italiano) que corresponde a una forma particular en estos contextos del más amplio debate en el feminismo sobre la igualdad y la diferencia. El capítulo recorre las etapas del debate y analiza ambos términos de la discusión. Finalmente, se proponen algunas consideraciones críticas sobre lo que este debate ha aportado a nuestra actual comprensión sobre el post-patriarcado y el post-feminismo. A través de la noción de autonomía, se analizan algunas características del patriarcado y la forma en las que los discursos sobre la emancipación y la libertad femenina han encarado dichas características con la finalidad de superar el patriarcado.

Dificultades para el avance de las mujeres: diferentes teorías sociológicas

Montesó Curto,Pilar
Fonte: Enfermería Global Publicador: Enfermería Global
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/10/2014 SPA
Relevância na Pesquisa
27.48%
Introducción: Es importante conocer el concepto de patriarcado para entender las dificultades con que se encuentran las mujeres en el avance profesional, social e institucional. La profesión enfermera junto con otras también femeninas se ha enfrentado también con estas dificultades. Metodología: Introduciremos varias teorías que analizan el concepto de género. Algunas teorías justifican la socialización diferencial: estructural-funcionalista (Durkheim, Marx, Engels, Weber, Parsons, Comte...) y el feminismo critica al patriarcado como elemento de dominación para las mujeres (Firestone, Myrdal, B.Ehrenreich...). Analizaremos como las dificultades debidas a la instauración del patriarcado y a la diferente socialización entre hombres y mujeres ha frenado el avance de algunas profesiones femeninas, siendo la profesión enfermera una de ellas. Resultados: En la familia patriarcal que ha existido en nuestra sociedad contemporánea los hombres han ocupado las posiciones más relevantes del poder político, económico y cultural quedando las mujeres en segundo plano. Conclusión: Las desigualdades siguen existiendo en nuestras sociedades transicionales trayendo consigo un aumento de la violencia para las mujeres y con la globalización...

Teoría feminista y sociología médica: bases para una discusión

Castro,Roberto P.; Bronfman,Mario P.
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1993 ES
Relevância na Pesquisa
27.3%
Se analiza la contribución de la teoría feminista a la sociología médica. En la primera parte se desarrollan los conceptos feministas más importantes: patriarcado, género, y sistema sexo/género. Se señala que cada concepto aclara aspectos sociales que han sido descuidados, aunque se reconoce que el concepto de patriarcado requiere aún de mayor desarrollo teórico. En la segunda parte se discuten los intentos del feminismo para desarrollar un nuevo conocimiento. Se discuten las ventajas de una ciencia feminista que problematice la dominación de género - que la ciencia común da por hecho -, y que permitiría una aproximación novedosa a la realidad social. Se enfatiza en la importancia de distinguir entre sexo y género, el aporte reciente de mayor relevancia para comprender la noción de ciencia feminista. Se señalan algunas de las aportaciones epistemológicas y metodológicas feministas. La tercera parte analiza las contribuciones más importantes de la teoría feminista en el campo de la sociología médica. Se indica como una de ellas a la problematización de los conceptos de "salud" y "enfermedad", así como la demostración de que son conceptos socialmente construidos como producto del orden patriarcal prevaleciente. Finalmente...