Página 1 dos resultados de 348 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Ajuste e seleção de modelos na descrição de comunidades arbóreas: estrutura, diversidade e padrões espaciais; Model fit and selection in the description of tree communities: structure, diversity and spatial patterns

Lima, Renato Augusto Ferreira de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.85%
A descrição de padrões, i.e., tendências ou arranjos não aleatórios em comunidades, possui um longo histórico em ecologia vegetal. Comumente, a estrutura e diversidade de comunidades vegetais são descritas a partir de sua distribuição em classes de tamanho (SDD), distribuição espacial (SSD) e de sua distribuição abundância de espécies (SAD). Isto porque há um pressuposto de que padrões existentes nestes descritores de comunidades são assinaturas de processos fundamentais na sua organização e funcionamento. Assim, a descrição de padrões é com frequência o primeiro passo para gerar ou testar hipóteses sobre esses processos que regulam a estrutura e diversidade de comunidades. Organizada em diferentes capítulos, esta tese teve como objetivo central descrever e comparar padrões em diferentes comunidades arbóreas Neotropicais, buscando gerar hipóteses sobre os processos que regulam sua organização e funcionamento. Para tanto, buscou-se utilizar uma abordagem de inferência baseada no ajuste e seleção de modelos, que foi realizado usando máxima verossimilhança estatística. Em todos os capítulos, os dados sobre as comunidades arbóreas são oriundos de diferentes parcelas florestais permanentes, quatro delas com 10...

Etnobotânica e ecologia de populações de Drimys spp. (Winteraceae) no sistema de parcelas permanentes do Corredor Mata Atlântica Sul

Pedrollo, Camilo Tomazini
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.76%
O gênero Drimys, árvores conhecidas no Brasil como casca-d’anta, casca-para-tudo e cataia, é considerado um elemento de distribuição austral-antártico. A ecologia de populações do gênero, assim como seus dados etnobotânicos, vem sendo investigados no projeto Pesquisas Ecológicas de Longa Duração no Sistema de Parcelas Permanentes do Corredor Mata Atlântica Sul (PLDSisPP-RS). Estudos demográficos, associados com a investigação do conhecimento ecológico local, podem ajudar a construir cenários das trajetórias populacionais frente a diversas condições ecossistêmicas no espaço-tempo, contribuindo para o manejo sustentável das populações. Espécies-foco para a conservação, seja pelo seu potencial de uso ou por sua ocorrência esparsa (espécies raras ou ameaçadas), vem cada vez mais sendo alvo de pesquisas científicas. O presente estudo visa caracterizar os padrões de distribuição de Drimys spp., sua abundância na borda do Planalto Meridional Sul Brasileiro, a estrutura populacional em três Unidades de Conservação no Rio Grande do Sul, além de verificar os conhecimentos empíricos sobre a ecologia e uso tradicional da cascad’anta. Os dados foram compilados da literatura, através de trabalhos florísticos e fitossociológicos...

Mudanças ocorridas na composição florística em decorrência da exploração florestal em uma área de floresta de Terra firme na região de Paragominas, PA

Francez,Luciana Maria de Barros; Carvalho,João Olegário Pereira de; Jardim,Fernando Cristóvam da Silva
Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Publicador: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
46.53%
O objetivo da presente pesquisa foi avaliar as mudanças ocorridas na composição florística, considerando duas intensidades de colheita de madeira, em 108 ha de floresta, na Fazenda Rio Capim, pertencente à Cikel Brasil Verde Madeiras Ltda., município de Paragominas, Estado do Pará. Os dados foram coletados, em duas ocasiões (2003, antes da exploração e em 2004, após a exploração) em 36 parcelas permanentes quadradas de 0,25 ha, estabelecidas aleatoriamente na área, sendo doze para estudar a floresta não-explorada, doze para a explorada com colheita apenas do fuste comercial das árvores e doze para a explorada com colheita do fuste e dos resíduos lenhosos. Todos os indivíduos com DAP > 10 cm foram registrados. Antes da exploração, ocorreram 4469 árvores nas 36 parcelas amostradas (nove hectares), distribuídos em 46 famílias, 138 gêneros e 228 espécies. Após a exploração, foram registrados 4330 indivíduos, porém duas espécies desapareceram (Licaria sp. e Nectandra sp.). A composição florística, nas duas intensidades de colheita, sofreu alterações significantes devido à exploração de impacto reduzido a que foi submetida. Entretanto, não houve alterações significantes entre as duas áreas, demonstrando que...

Efeito de duas intensidades de colheita de madeira na estrutura de uma floresta natural na região de Paragominas, Pará

Francez,Luciana Maria de Barros; Carvalho,João Olegário Pereira de; Jardim,Fernando Cristóvam da Silva; Quanz,Beatriz; Pinheiro,Klewton Adriano Oliveira
Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Publicador: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.53%
Foram estudadas as mudanças na estrutura de 108ha de uma floresta primária submetida a duas intensidades de colheita de madeira, na Fazenda Rio Capim, pertencente à Cikel Brasil Verde Madeiras Ltda., no município de Paragominas, Pará. Os dados foram coletados, em dois períodos (2003, antes da exploração, e 2004, após a exploração) em 36 parcelas permanentes quadradas de 0,25ha, estabelecidas aleatoriamente na área, sendo12 em floresta não-explorada: Testemunha - T0; 12 em floresta explorada com colheita apenas do fuste comercial das árvores: Tratamento - T1; e 12 em floresta explorada com colheita do fuste e dos resíduos lenhosos: Tratamento - T2. Em 2003 foram registrados 4469 indivíduos com DAP > 10cm, nas 36 parcelas amostradas (9ha). Sete meses após a exploração (2004), foram observados na área 4531 indivíduos com DAP > 10cm, sendo 4330 vivos. Lecythis idatimon, Poecilanthe effusa, Rinorea flavescens, Eschweilera grandiflora, Eschweilera pedicellata, Inga sp., Protium spp., Vouacapoua americana, Guatteria poeppigiana e Eschweilera coriacea foram as dez espécies mais importantes, tanto antes como após a exploração. A estrutura da floresta, tanto no T1 como no T2, sofreu alterações significantes devido à exploração a que foi submetida. Entretanto...

Modelagem e prognose em povoamentos não desbastados de clones de eucalipto

Oliveira,Marcio Leles Romarco de; Leite,Helio Garcia; Nogueira,Gilciano Saraiva; Campos,João Carlos Chagas
Fonte: Sociedade de Investigações Florestais Publicador: Sociedade de Investigações Florestais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.54%
Este estudo objetivou desenvolver e propor um procedimento para modelagem do crescimento e produção de plantios clonais de eucalipto não desbastados. Os dados utilizados foram provenientes de 37 clones distribuídos em 4.325 parcelas permanentes de inventários florestais contínuos, sendo cada clone contendo pelo menos três medições com periodicidade anual. Foram estudadas cinco alternativas para avaliação da prognose de clones com mais de três medições de parcela permanentes. Para fins de prognose de estoques volumétricos, o modelo ajustado por estrato de modelagem foi mais eficiente do que o modelo de Clutter. Assim, foi possível concluir que estimativas de crescimento e produção de clones que possuam menos de três medições podem ser realizadas através de modelos específicos por estrato ou de um modelo geral, porém essa decisão deve ser avaliada pelo modelador e pelo usuário, sendo necessária grande interação entre eles.

Caracterização da estrutura e da dinâmica de um remanescente de Floresta Ombrófila no Planalto Catarinense.

LINGENR, D. V.; OLIVEIRA, Y. M. M. D.; ROSOT, N.; DLUGOSZ, F.
Fonte: Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, n. 55, p. 55-66, jul./dez. 2007. Publicador: Pesquisa Florestal Brasileira, Colombo, n. 55, p. 55-66, jul./dez. 2007.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.22%
O presente trabalho teve como objetivo caracterizar a estrutura e a dinâmica de um remanescente de FOM. Para isso, analisaram-se dados obtidos de dez parcelas permanentes (25 m X 100 m), instaladas na Reserva Florestal Embrapa-Epagri, Caçador, SC, em áreas onde se constata a predominância da Araucaria angustifolia. Todos os indivíduos com CAP e? 60 cm foram medidos e identificados. A coleta de dados foi realizada anualmente entre 2004 e 2007, caracterizando-se a dinâmica para este período. A análise da estrutura se deu a partir da aplicação de parâmetros e índices fitossociológicos, além da avaliação da distribuição diamétrica. Foram verificadas 41 espécies, distribuídas em 24 famílias. As espécies que apresentaram maior valor de importância ampliado foram Araucaria angustifolia, Ocotea porosa, Cupania vernalis, Capsicodendron dinisii e Matayba elaeagnoides. A curva de distribuição do número de árvores por classe de diâmetro apresentou a forma de J invertido. O índice de diversidade de Shannon-Weaver (H?) para as espécies e famílias foi de 2,54 e 2,22, respectivamente. Grande parte das espécies apresentou distribuição uniforme, de acordo com o Índice de McGuinnes. O Índice de similaridade de Jaccard praticamente não ultrapassou valores > 50 %. O estudo da dinâmica revelou baixos incrementos em diâmetro e taxas de mortalidade superiores às de ingresso.; 2007

Sistematização de metadados de parcelas permanentes.

PRADO, C. F. do; ROSOT, M. A. D.; GARRASTAZU, M. C.
Fonte: In: EVENTO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA FLORESTAS, 6., 2007, Colombo. Anais. Colombo: Embrapa Florestas, 2007. Publicador: In: EVENTO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA FLORESTAS, 6., 2007, Colombo. Anais. Colombo: Embrapa Florestas, 2007.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.43%
2007; Resumo.

Dinâmica de vegetações secundárias em parcelas permanentes de pastagens degradadas na Amazônia Central.

WANDELLI, E. V.; FEARNSIDE, P. M.
Fonte: In: SIMPÓSIO NACIONAL DE INVENTÁRIO FLORESTAL, 3., 2014, Manaus. Anais... Brasília, DF: Serviço Florestal Brasileiro, 2014. p. 114. Publicador: In: SIMPÓSIO NACIONAL DE INVENTÁRIO FLORESTAL, 3., 2014, Manaus. Anais... Brasília, DF: Serviço Florestal Brasileiro, 2014. p. 114.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.43%
2014

Sistema computacional de dinâmica para florestas naturais

Koehler, Henrique Soares, 1953-
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
26.9%
O Sistema Computacional para Dinâmica de Florestas Naturais (SCDFN) é a solução tecnológica desenvolvida para representar o sistema aberto floresta natural, modelando o crescimento pelo uso do método de matrizes de transição e permitindo acompanhar a dinâmica de florestas naturais, a partir de um banco de dados normalizado obtido por meio de inventário florestal contínuo de parcelas permanentes. O sistema desenvolvido é composto por oito funções que permitem: a) a operação do banco de dados para parcelas permanentes de inventários florestais abrangendo abertura, criação, edição do banco de dados e impressão de listagens de espécies e de árvores por parcela; b) obtenção de estatísticas para parcelas permanentes, discriminando por espécie e classes de diâmetros fixas e variáveis, o número de árvores, o DAP médio, o DAP mínimo, o DAP máximo e o desvio padrão do DAP; c) a análise da estrutura horizontal das parcelas, por meio do cálculo da densidade absoluta e relativa, freqüência absoluta e relativa, dominância absoluta e relativa, índice de valor de importância, porcentagem de importância, índice de valor de cobertura e porcentagem de cobertura; d) obtenção das estatísticas da dinâmica de parcelas permanentes...

Evolução da relação hipsométrica e da distribuição diamétrica em função dos fatores idade, sítio e densidade inicial em bracatingais da região metropolitana de Curitiba

Bartoszeck, Alexandra Consuelo de Plácido e Silva
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
26.85%
Resumo: Esta pesquisa foi estruturada em dois capítulos, utilizando dados de 20 parcelas permanentes e 124 parcelas temporárias instaladas em bracatingais (povoamentos de Mimosa scabrella) da Região Metropolitana de Curitiba·- PR. O primeiro capítulo aborda a influência dos fatores sítio, idade e densidade na relação hipsométrica avaliando a sua dinâmica e evolução. Foram testados e comparados 19 modelos de relação hipsométrica entre eles sete genéricos. A existência de dados em vários sítios, idades e densidades permitiu realizar 751 análises, envolvendo a combinação destes modelos com três classes de sítios (índices de sítio: 16,8; 13,5 e 10,2 m), idades de 4 a 7 anos para as parcelas permanentes e 3 a 18 para as temporárias, e quatro tratamentos de densidade inicial . (testemunha, 2.000, 4.000 e 8.000 árvores/hectare), sendo as temporárias sem tratamento algum. Para as parcelas permanentes, o modelo de Curtis apresentou o melhor desempenho. Para as temporárias e a combinação destas com as testemunhas das permanentes foram selecionados modelos genéricos que envolveram a altura dominante (hdom) e diâmetro médio quadrático (dg); entre estes, dois pelo processo stepwise. Curvas da relação diâmetro-altura foram traçadas com o modelo de Curtis. As curvas foram mais íngremes nas idades iniciais...

Florística e fitossociologia em parcelas permanentes da Mata Atlântica do sudeste do Brasil ao longo de um gradiente altitudinal; Floristic and phytosociology in permanent plots of the Atlantic Rainforest along an altitudinal gradient in southeastern BrazilFloristic and phytosociology in permanent plots of the Atlantic Rainforest along an altitudinal gradient in southeastern Brazil

Joly, Carlos Alfredo; Assis, Marco Antonio; Bernacci, Luis Carlos; Tamashiro, Jorge Yoshio; Campos, Mariana Cruz Rodrigues de; Comes, Jose Ataliba Mantelli Aboin; Lacerda, Maryland Sanchez; Santos, Flavio Antonio Maes dos; Pedroni, Fernando; Pereira, Lari
Fonte: REVISTA BIOTA NEOTROPICA; CAMPINAS Publicador: REVISTA BIOTA NEOTROPICA; CAMPINAS
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.96%
Este trabalho resume os dados de florística e fitossociologia de 11, das 14 parcelas de 1 ha, alocadas ao longo do gradiente altitudinal da Serra do Mar, São Paulo, Brasil. As parcelas começam na cota 10 m (Floresta de Restinga da Praia da Fazenda, município de Ubatuba) e estão distribuídas até a cota 1100 m (Floresta Ombrófila Densa Montana da Trilha do rio Itamambuca, município de São Luis do Paraitinga) abrangendo os Núcleos Picinguaba e Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar. Na Restinga o solo é Neossolo Quartzarênico francamente arenoso, enquanto que na encosta o solo é um Cambisolo Háplico Distrófico argilo-arenoso, sendo que todas as parcelas apresentaram solo ácido (pH 3 – 4) com alta diluição de nutrientes e alta saturação de alumínio. Na Restinga e no sopé da encosta o clima é Tropical/Subtropical Úmido (Af/Cfa), sem estação seca, com precipitação média anual superior a 2.200 mm e temperatura média anual de 22 °C. Subindo a encosta mantêm-se a média de precipitação, mas há um gradativo resfriamento, de forma que a 1.100 m o clima é Subtropical Úmido (Cfa/Cfb), sem estação seca, com temperatura média anual de 17 °C. Destaca-se ainda que, quase diariamente...

Evaluación de estructura horizontal y la diversidad florística en un bosque lluvioso del magdalena medio, hacienda San Juan del Carare, Cimitarra-Santander

Figueroa Pianda, Sandro
Fonte: Ibagué : Universidad del Tolima, 2015; Facultad de Ingeniería Forestal, Programa de Ingeniría Forestal Publicador: Ibagué : Universidad del Tolima, 2015; Facultad de Ingeniería Forestal, Programa de Ingeniría Forestal
Tipo: Trabajo de grado - Pregrado; Text; info:eu-repo/semantics/bachelorThesis; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
26.71%
108 Páginas; Recurso Electrónico; Se establecieron 3 parcelas permanentes de monitoreo cuadradas (PPMC) de 1 ha en un bosque de tierra firme de la microcuenca del río San Juan, Magdalena medio, Hacienda San Juan, Santander, se midieron árboles ≥ 10 cm DAP, con el objetivo de evaluar estructura horizontal y diversidad florística. Se identificó hasta especie, para las desconocidas se colectaron 3 muestras botánicas, las especies no identificadas se catalogaron como morfoespecie. Se registró un total de 1475 árboles; en la parcela uno 483, parcela dos 427 y parcela tres 565, para un promedio de 492 individuos/ha, distribuidos en 260 especies o morfoespecies y 105 Familias botánicas. Las familias más representativas son: Lecythidaceae, Fabaceae y Moraceae. Las especies que están mejor representadas son Zygia ocumarensis (Pittier) Barneby & J.W. Grimes, Corythophora labriculata (Eyma) S.A. Mori & Prance y Brownea stenantha Britton & Killip. Se analizó estructura horizontal, diversidad Alfa y beta. El índice de valor de importancia se obtuvo atraves de la suma relativa Abundancia (%), Frecuencia (%) y Dominancia (%). En su conjunto las tres parcelas son altamente heterogéneas por consiguiente ricas en especies. En términos de Alfa diversidad hallada a través del índice de Margalef (riqueza)...

Florística e fitossociologia em parcelas permanentes da Mata Atlântica do sudeste do Brasil ao longo de um gradiente altitudinal

Joly,Carlos Alfredo; Assis,Marco Antonio; Bernacci,Luis Carlos; Tamashiro,Jorge Yoshio; Campos,Mariana Cruz Rodrigues de; Gomes,José Ataliba Mantelli Aboin; Lacerda,Maryland Sanchez; Santos,Flávio Antonio Mães dos; Pedroni,Fernando; Pereira,Larissa de
Fonte: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP Publicador: Instituto Virtual da Biodiversidade | BIOTA - FAPESP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.71%
Este trabalho resume os dados de florística e fitossociologia de 11, das 14 parcelas de 1 ha, alocadas ao longo do gradiente altitudinal da Serra do Mar, São Paulo, Brasil. As parcelas começam na cota 10 m (Floresta de Restinga da Praia da Fazenda, município de Ubatuba) e estão distribuídas até a cota 1100 m (Floresta Ombrófila Densa Montana da Trilha do rio Itamambuca, município de São Luis do Paraitinga) abrangendo os Núcleos Picinguaba e Santa Virgínia do Parque Estadual da Serra do Mar. Na Restinga o solo é Neossolo Quartzarênico francamente arenoso, enquanto que na encosta o solo é um Cambisolo Háplico Distrófico argilo-arenoso, sendo que todas as parcelas apresentaram solo ácido (pH 3 - 4) com alta diluição de nutrientes e alta saturação de alumínio. Na Restinga e no sopé da encosta o clima é Tropical/Subtropical Úmido (Af/Cfa), sem estação seca, com precipitação média anual superior a 2.200 mm e temperatura média anual de 22 ºC. Subindo a encosta mantêm-se a média de precipitação, mas há um gradativo resfriamento, de forma que a 1.100 m o clima é Subtropical Úmido (Cfa/Cfb), sem estação seca, com temperatura média anual de 17 ºC. Destaca-se ainda que, quase diariamente, a parte superior da encosta...

Variações temporais na comunidade arbórea de uma floresta decidual sobre afloramentos calcários no Brasil Central: composição, estrutura e diversidade florística

Carvalho,Fabrício Alvim; Felfili,Jeanine Maria
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
46.53%
O objetivo deste estudo foi analisar as mudanças florísticas e estruturais da comunidade arbórea de uma floresta sobre afloramentos calcários no município de Iaciara (14º03'53"S; 46º29'15"O), nordeste de Goiás, Brasil Central, após intervalo de seis anos (2000-2006). Considerando as limitações bióticas impostas pela forte estacionalidade climática e condições edáficas estressantes (solos rasos e rochosos), partiu-se da hipótese que a comunidade arbórea apresentaria uma dinâmica acelerada, mas que não implicaria em mudanças florísticas e estruturais pronunciadas. As mudanças florísticas e estruturais foram analisadas a partir de comparações entre dois inventários realizados em parcelas permanentes (25 unidades amostrais de 20 x 20 m alocadas aleatoriamente na floresta) nos anos de 2000 e 2006. Todos os indivíduos arbóreos com DAP > 5 cm foram amostrados, mensurados, e calculados os parâmetros estruturais, fitossociológicos e diversidade de espécies. Foram calculadas as taxas de recrutamento e mortalidade, e aplicadas análises indiretas de gradiente (DCA) para avaliar mudanças na conformação estrutural nas parcelas. As taxas de mortalidade (2,77 %.ano-1) e recrutamento (4,43 %.ano-1) foram elevadas e indicaram uma acelerada dinâmica da comunidade. Entretanto...

Estrutura e diversidade arbórea da Floresta Estacional Semidecidual secundária no Jardim Botânico da Universidade Federal de Juiz de Fora

Brito,Pablo Salles de; Carvalho,Fabrício Alvim
Fonte: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.22%
Este estudo avaliou a estrutura e diversidade da comunidade arbórea da Floresta Estacional Semidecidual secundária no Jardim Botânico da UFJF (Juiz de Fora, MG). As árvores (DAP 5 cm) foram amostradas em 25 parcelas aleatórias de 20 × 20 m. Foram amostrados 2.535 indivíduos, sendo 385 mortos em pé e 2.150 indivíduos vivos, pertencentes a 105 espécies e 39 famílias. Como reflexo da forte dominância ecológica, o valor do índice de diversidade de espécies de Shannon (H' = 3,30 nats.ind-1) foi baixo em comparação com florestas mais maduras da região. As árvores mortas em pé representaram 15,2% do total de indivíduos, valor elevado quando comparado com outras florestas da região. Uma análise de correspondência distendida (DCA) mostrou baixa heterogeneidade florística interna. Houve predominância de árvores pertencentes a estágios sucessionais iniciais (pioneiras e secundárias iniciais). Os resultados demonstram que, embora o fragmento florestal possua tempo de regeneração natural superior a 70 anos, a comunidade arbórea apresenta um processo de sucessão aparentemente lento, característica de uma floresta imatura. Em contrapartida, a área possui espécies ameaçadas de extinção e famílias características de floresta madura (Lauraceae e Myrtaceae) com boa representatividade. Assim...

Growth, mortality, ingrowth, and diameter distribution in a Mixed Ombrophyllous Forest; CRESCIMENTO, MORTALIDADE, INGRESSO E DISTRIBUIÇÃO DIAMÉTRICA EM FLORESTA OMBRÓFILA MISTA

Figueiredo Filho, Afonso; Dias, Andrea Nogueira; Stepka, Thiago Floriani; Sawczuk, Alex Roberto
Fonte: FUPEF DO PARANÁ Publicador: FUPEF DO PARANÁ
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 23/12/2010 POR
Relevância na Pesquisa
46.64%
The dynamic of a Mixed Ombrophyllous Forest fragment located in the Irati National Forest was evaluated and compared to the results obtained by other similar researches from Southern Brazil. The data came from permanent plots (25 ha) measured in the years 2002, 2005 and 2008. All the trees with DBH larger than 10 cm were considered. The mean diameter increments and the basal area per hectare were determined, as well as the mortality and ingrowth rates. The results were presented for all the species and for the 10 of higher occurrence. The number of species, genus, families, and the diametric distributions were also determined. A total of 567 trees/ha, from 117 species, 80 genus, and 46 families were observed. The annual mean diameter increment and the basal area were 0.24 cm and 0.23 m²/ha, respectively. The annual mean mortality was 1.77% and the ingrowth rate 1.38%. The basal area was 28.7, 29.9 and 30.1 m²/ha in the studied period. The forest and some species presented a decreasing diameter distribution with few dynamic changes. This research also presented a retrospective of other Ombrophyllous Mixed Forest dynamic studies in southern Brazil.; A dinâmica de uma Floresta Ombrófila Mista existente na Floresta Nacional de Irati foi avaliada e comparada com resultados de outras pesquisas similares no Sul do Brasil. Os dados advêm de parcelas permanentes (25 ha de área) medidas em 2002...

DINÂMICA E BALANÇO DO CARBONO DA VEGETAÇÃO PRIMÁRIA DA AMAZÔNIA CENTRAL

Higuchi, Niro; Chambers, Jeffrey; dos Santos, Joaquim; Ribeiro, Ralfh João; Pinto, Alberto Carlos Martins; da Silva, Roseana Pereira; Rocha, Rosana de Miranda; Tribuzy, Edgard Siza
Fonte: FUPEF DO PARANÁ Publicador: FUPEF DO PARANÁ
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 31/08/2005 POR
Relevância na Pesquisa
46.53%
As três parcelas permanentes usadas neste estudo são testemunhas (não perturbadas) de um experimento de manejo florestal do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, no município de Manaus (AM). Essas parcelas têm sido monitoradas desde 1980, mas para efeito deste estudo, foram consideradas 12 medições repetidas no período 1986-2000. Durante este período, o fenômeno El Niño (seca anormal na região) ocorreu em duas ocasiões, em 1992-93 e 1997-98, sendo que o último foi seguido do La Niña (chuva anormal na região), em 1999. Devido a esses fenômenos, as taxas de recrutamento e mortalidade foram iguais, 0,7%, durante o período observado. No entanto, a acumulação (fixação na árvore) de carbono, foi de 16 toneladas métricas, dando um incremento periódico anual significativo (p = 0,039), em torno de 1,2 t/ha/ano. CARBON BALANCE AND DYNAMICS OF PRIMARY VEGETATION IN THE CENTRAL AMAZON Abstract The three permanent forest inventory plots used for this study were control plots (not disturbed) from a forest management project of the National Institute of Amazon Research (INPA) in the Brazilian State of Amazonas. These plots have been monitored since 1980, although for this study the period from 1986-2000 was considered. During this period...

MODELAGEM DA RELAÇÃO HIPSOMÉTRICA PARA BRACATINGAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA-PR

Bartoszeck, Alexandra Consuelo de Plácido e Silva; Machado, Sebastião do Amaral; Figueiredo Filho, Afonso; de Oliveira, Edílson Batista
Fonte: FUPEF DO PARANÁ Publicador: FUPEF DO PARANÁ
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 09/12/2005 POR
Relevância na Pesquisa
26.74%
Este trabalho teve como objetivo testar vários modelos tradicionais e outros genéricos para o ajuste da relação hipsométrica para povoamentos de bracatinga (Mimosa scabrella Benth) da Região Metropolitana de Curitiba, Paraná. Os dados foram obtidos em 20 parcelas permanentes, cujos diâmetros e alturas foram medidos aproximadamente aos 4, 5, 6 e 7 anos de idade e de 124 parcelas temporárias, cobrindo idades de 3 a 18 anos. A existência de dados em vários sítios, idades e densidades permitiu realizar ao todo 751 análises envolvendo a combinação de 23 modelos com três classes de sítios (índices de sítio: 16,8; 13,5 e 10,2 m), idades de 4 a 7 anos para as parcelas permanentes e 3 a 18 para as temporárias, e quatro tratamentos de densidade inicial (testemunha, 2000, 4000 e 8000 árvores/hectare), sendo as temporárias sem tratamento algum. O Índice de Ajuste de Schlaegel (IA), o erro padrão da estimativa em porcentagem (Syx%), seguida da análise de resíduos foram os testes usados para selecionar o melhor modelo. Como se obteve um grande número de combinações e como nenhum dos modelos foi sempre o melhor para todas as combinações, procedeu-se a um ordenamento dos mesmos (ranking) usando as estatísticas (IA e Syx%) para verificar qual dos modelos que...

Crecimiento del área basal en parcelas permanentes de inventario forestal continuo

Cid Lendínez,D.; Iturre,M. C.; Araujo,P. A.; Gonzales Garcia,C.
Fonte: Quebracho (Santiago del Estero) Publicador: Quebracho (Santiago del Estero)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2013 ES
Relevância na Pesquisa
66.64%
El trabajo forma parte de un proyecto que tiene como objetivo el estudio de la composición y la estructura del bosque con la finalidad de ajustar modelos de crecimiento y producción. Su desarrollo tiene lugar en el campo experimental La María del Instituto Nacional de Tecnología Agropecuaria (INTA) Santiago del Estero, dentro de la región del Chaco Semiárido. Una de las variables medidas es el diámetro, a partir de la cual se deduce el área basal, parámetro que expresa la sumatoria de las superficies transversales de los fustes que ocupan un sitio. Por ser una medida de densidad de la masa se analizó su crecimiento en parcelas permanentes de un inventario forestal continuo, que lleva 3 mediciones sucesivas en un período de catorce años. Se concluye que este parámetro registró un aumento en el orden del 25 % en el período, siendo las dos especies principales, quebracho colorado (Schinopsis lorentzii) y quebracho blanco (Aspidosperma quebracho blanco), las dominantes y determinantes del área basal.

Establecimiento de parcelas permanentes para evaluar impactos del cambio climático en el Parque Nacional Izta-Popo

Acosta Mireles,Miguel; Carrillo Anzures,Fernando; Delgado,Diego; Velasco Bautista,Efraín
Fonte: Instituto Nacional de Investigaciones Forestales, Agrícolas y Pecuarias Publicador: Instituto Nacional de Investigaciones Forestales, Agrícolas y Pecuarias
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 ES
Relevância na Pesquisa
66.7%
A fin de contar con una línea base de información para monitorear los impactos potenciales del cambio climático en los ecosistemas forestales, se establecieron y caracterizaron nueve Parcelas Permanentes de Muestreo (PPM) de una hectárea en el Parque Nacional Izta-Popo, México, que se distribuyeron en tres zonas: Paso de Cortés, Llano Grande y Tláloc en las tres cotas altitudinales de 3 500, 3 700 y 3 900 m dentro de bosques de Pinus hartwegii. Para el arbolado mayor a 7.5 cm de DAP, se estimaron parámetros dasométricos de área basal, volumen, biomasa y carbono. Mediante el modelo estadístico del diseño anidado se detectaron diferencias significativas entre zonas al 0.05 para el volumen, mientras que para el área basal y la biomasa las posibles diferencias pueden ocurrir al 0.1. No obstante, a través del ANOVA que consideró una combinación lineal de todas las variables, se confirmaron diferencias significativas entre zonas con una alfa del 0.05. La condición dasométrica del arbolado presente en las PPM establecidas en el Parque Nacional Izta-Popo sugiere una estructura del bosque de Pinus hartwegii con poca regeneración natural y presencia de plagas y enfermedades, que en el mediano plazo pueden incrementarse debido a la madurez y la falta de manejo de los ejemplares. El área relacionada con las parcelas no ostenta cambios de uso del suelo...