Página 1 dos resultados de 3237 itens digitais encontrados em 0.010 segundos

Doenças pós-colheita em citros: potencial do Lentinula edodes, Agaricus blazei, ácido jasmônico, albedo (Citrus sinensis var. Valência) e flavedo (Citrus aurantifolia var. Tahiti) no controle e na indução de resistência; Post-harvest citrus diseases: Potential of the Lentinula edodes, Agaricus blazei, jasmonic acid, mesocarp (Citrus sinensis var. Valência) and epicarp (Citrus aurantifolia var. Tahiti) in the control and in the resistance induction

Toffano, Leonardo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 24/01/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.43%
O Brasil é considerado o maior produtor de citros e o maior exportador de suco de laranja. Doenças de pós-colheita representam uma grande perda na citricultura, sendo que para muitos frutos a serem exportados, existe uma exigência para que os mesmos estejam isentos de resíduos químicos. Em relação a alguns patógenos de importância em pós-colheita podemos destacar, Guignardia citricarpa (Mancha-pretados- citros), Penicillium digitatum (Bolor-verde) e Colletotrichum gloeosporioides (Antracnose). Dada a importância econômica que representa esse complexo de doenças dos frutos cítricos, tanto em termos de comprometimento da qualidade dos frutos, limitações às exportações e dificuldade de controle, a busca de alternativas adicionais que possam viabilizar a capacidade produtiva dos produtores e garantir a obtenção de frutos com excelentes padrões de qualidade torna-se imprescindível. Nesse contexto, pode-se inserir o emprego de medidas de controle alternativas que não englobam o controle químico clássico. Sob esse ponto de vista inclui-se o controle através do uso de agentes bióticos e abióticos e a indução de resistência em plantas. Portanto neste trabalho, foi estudada a viabilidade do controle de doenças pós-colheita em citros...

Quantificação de danos ao longo da cadeia produtiva de pêssegos e avaliação de métodos alternativos de controle de doenças pós-colheita; Damage quantification in the production chain of peaches and evaluation of alternative methods for controlling postharvest diseases

Bassetto, Eliane
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 23/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.44%
Este trabalho teve como objetivo quantificar e identificar os danos ocorridos em póscolheita e suas causas ao longo da cadeia produtiva do pêssego cv. ‘Aurora 1’ durante as safras de 2003, 2004 e 2005 e avaliar os efeitos dos sanificantes ácido acético, hipoclorito de sódio, sais de cloro (Sumaveg®), ácido peracético em mistura com peróxido de hidrogênio + ácido acético glacial (Tsunami®) e dióxido de cloro (Tecsaclor®) e de possíveis indutores de resistência como o ácido salicílico, quitosana, biomassa cítrica (Ecolife40®) e irradiação UV-C, no controle curativo e/ou preventivo em pêssegos contra M. fructicola e R. stolonifer. Para a quantificação dos danos pós-colheita, foram realizados levantamentos semanais junto a um produtor da Cooperativa Holambra II no município de Paranapanema-SP em 4 etapas da pós-colheita: (i) após a colheita ou “sacola”, (ii) após acondicionamento dos frutos no “contentor”, (iii) após a classificação dos frutos na casa de embalagens e (iv) na chegada dos frutos ao leilão para comercialização. Adicionalmente, em todos os anos, foi realizada uma colheita muito cuidadosa, onde o colhedor utilizava luvas para evitar qualquer ferimento nos frutos e retirava-os da planta com todo cuidado e essa etapa foi denominada “colheita ideal”. A incidência de distúrbios fisiológicos foi relativamente baixa durante todas as safras avaliadas...

Quantificação de danos e controle pós-colheita de podridão parda (Monilinia fructicola) e podridão mole (Rhizopus spp.) em pêssegos; Damage quantification and postharvest control of brown rot (Monilinia fructicola) and soft rot (Rhizopus spp.) in peaches

Abreu, Fabiana Marchi de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/04/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.43%
O objetivo desse trabalho foi quantificar e caracterizar danos pós-colheita em pêssegos comercializados na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo - CEAGESP e testar produtos sanificantes no controle de podridão parda (Monilinia fructicola) e podridão mole (Rhizopus spp.). Para tanto, foram realizadas vinte avaliações semanais, entre as safras de 2003 e 2004, amostrando-se 1% do total de caixas de pêssegos em cinco permissionários que comercializam esta fruta. As amostragens foram estratificadas por variedade, calibre e produtor. Em todos os frutos de cada amostra foram quantificados os danos abióticos e as doenças pré e póscolheita. Os patógenos Monilinia fructicola e Rhizopus spp. foram cultivados em meio de cultura para realização dos experimentos de controle in vitro e in vivo utilizando cloreto de benzalcônio, dióxido de cloro, Ecolife40® e hipoclorito de cálcio, realizados de forma curativa e preventiva, além do gás ozônio aplicado somente curativamente. A incidência média de frutos danificados foi de 42% em 2003 e 32% em 2004, sendo subdivididos em injúrias mecânicas pré-colheita 18 e 12% em 2003 e 2004, respectivamente, e pós-colheita 12% em 2003 e 13% em 2004; doenças pré-colheita 3 e 1% em 2003 e 2004...

Qualidade e conservação de lima ácida 'Tahiti' em função dos métodos de colheita e das etapas de beneficiamento pós-colheita; Quality and conservation of 'Tahiti' lime depending on harvesting methods and packing line steps

Bassan, Meire Menezes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/09/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.52%
Embora o Brasil ocupe a primeira posição no ranking mundial de produção de lima ácida Tahiti, somente 6,6% desta produção é exportada. Tal aspecto deve-se, parcialmente, às perdas provocadas por danos pós-colheita, as quais estão distribuídas ao longo da cadeia de comercialização da fruta, desde a colheita até o consumidor final. Dessa forma, o objetivo deste trabalho foi determinar os efeitos dos métodos de colheita e das etapas de beneficiamento pós-colheita de lima ácida Tahiti na sua qualidade e conservação. Para atingir este objetivo, foram realizados três experimentos. No primeiro, avaliaram-se os métodos de colheita com a tesoura, por torção, com o cesto e com o gancho, nos períodos de safra e entressafra. No segundo experimento, foram avaliados os mesmos métodos de colheita, para frutas de lima ácida Tahiti destinadas a exportação, as quais após a colheita passaram pelo processo de beneficiamento pós-colheita. No terceiro experimento, avaliou-se o efeito das etapas do beneficiamento pós-colheita na qualidade e conservação da lima ácida Tahiti. Nos três experimentos foram realizadas análises físicas, químicas e sensoriais ao longo do armazenamento a 22ºC±2 e 70±5 de umidade relativa. Nos experimentos envolvendo a avaliação dos métodos de colheita constatou-se que a colheita com o gancho foi a que mais prejudicou os atributos de qualidade da lima ácida Tahiti independentemente de terem sido beneficiadas. Este método causou maior redução da coloração verde da casca das frutas...

Pós-colheita e potencial antioxidante de alfaces ´Piraroxa` e ´Vanda`; Postharvest and antioxidant potential of 'Piraroxa' and 'Vanda' lettuce

Guassi, Silce Adeline Danelon
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/10/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.47%
'Piraroxa' e 'Vanda' são cultivares de alface cujos comportamentos pós-colheita ainda não foram caracterizados. Um dos diferenciais destas cultivares pode estar relacionado ao seu alto potencial antioxidante como resultado da ação de seus compostos fenólicos. A fim de avaliar os parâmetros pós-colheita e a viabilidade do uso destas cultivares como fontes de antioxidantes, o presente trabalho teve como objetivo investigar suas respostas fisiológicas e bioquímicas, comparando-as entre si em diferentes temperaturas de armazenamento e em épocas de colheita distintas. Tanto no verão quanto no inverno, as hortaliças foram armazenadas por 28 dias à 0ºC e 95-97%UR e por quatro dias em condição ambiente monitorada. Em todas as condições de armazenamento e períodos de colheita, não houve diferença entre as cultivares e tendências decrescentes foram observadas para a produção de etileno e as taxas respiratórias. O armazenamento refrigerado proporcionou acentuado declínio destas variáveis. Já em condição ambiente, na colheita de verão, a cv. Vanda apresentou produção superior de etileno e, na colheita de inverno, a cv. Piraroxa apresentou taxas respiratórias mais elevadas. Os parâmetros de coloração permaneceram constantes. As cultivares apresentaram tendências similares entre si...

Doenças quiescentes em goiabas: quantificação e controle pós-colheita; Quiescent diseases in guava: quantification and post-harvest control

Soares-Colletti, Ana Raquel
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 06/11/2012 PT
Relevância na Pesquisa
66.46%
As doenças pós-colheita em goiabas podem representar danos entre 20 e 40%, em função de condições ambientais e manejo integrado de doenças tanto antes quanto após a colheita. A adequação dos produtores às normas do Programa Integrado de Frutas (PIF) garante a obtenção de frutos com qualidade, produzidos de forma sustentável. Porém, exige o uso racional de agroquímicos durante as fases de produção da fruta. Neste contexto, utilizando a variedade Kumagai de polpa branca, os objetivos deste trabalho foram: (i) determinar as condições ambientais favoráveis à colonização natural de Guignardia psidii em goiabas; (ii) quantificar a incidência das doenças pós-colheita em goiabas nos dois principais mercados atacadistas do Estado de São Paulo; (iii) detectar e quantificar as doenças quiescentes desde a flor até em frutos no ponto de colheita; (iv) verificar o efeito da atmosfera controlada utilizando altas concentrações de O2 no controle das principais doenças pós-colheita da goiaba. Experimentos em condições controladas foram conduzidos para determinar o efeito de condições ambientais na colonização de G. psidii em goiabas. Na CEASA e na CEAGESP foram realizados levantamentos para quantificar as doenças pós-colheita em goiabas. Em duas áreas de produção de goiabas quantificaram-se as doenças quiescentes da goiaba em duas áreas de produção pelo método de detecção precoce de infecções quiescentes. Armadilhas caça-esporos foram colocadas em plantas para quantificar esporos carregados pela chuva. Talhões com e sem restos de cultura ao redor das plantas foram avaliados. Experimentos in vitro e in vivo foram realizados com diferentes tratamentos de atmosfera controlada para o controle de antracnose e pinta preta da goiaba. A temperatura ótima para a colonização de G. psidii foi de 30 ºC...

Monitoramento de parametros fisico-quimicos na pos-colheita de Cafe arabica (Coffea arabica L.) colhido em diferentes estadios de maturação.; Monitoring the physical chemical parameters in post-harvest Coffee arabica (Coffea arabica L.) in different stages of maturation.

Rogeria Assis dos Santos
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/07/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.49%
Na atualidade a qualidade do café transformou-se num aspecto imprescindível para conquista de novos mercados. Sabe-se que a qualidade do café acha-se estritamente relacionada aos diversos constituintes físico-químicos do grão responsáveis pelo sabor e aroma característicos da bebida e que esta pode ser comprometida pela falta de cuidado durante as etapas pós-colheita e de armazenamento dos grãos, uma vez que os mesmos ficam sujeitos às alterações físicas e químicas que podem comprometar a qualidade da bebida. Sendo assim, o presente trabalho teve como objetivo principal avaliar o comportamento de alguns parâmetros físico-químicos durante o pós-colheita de café arábica, variedade Mundo Novo, colhidos e monitorados em diferentes estádios de maturação, visando à produção de café de qualidade superior. Primeiramente foi realizada a escolha da fazenda, tomou-se o cuidado em escolher uma fazenda que já realizasse procedimentos adequados durante o processamento dos grãos e que permitisse a realização do monitoramento pós-colheita. Após esta escolha, iniciou-se o trabalho de campo, no qual foi feito o acompanhamento de todas as etapas pós-colheita dos grãos com auxílio de um check list. Em todas as etapas avaliadas neste estudo (secagem em terreiro...

Qualidade pós-colheita de frutos de butiá em função do estádio de maturação na colheita e do manejo da temperatura

Amarante,Cassandro Vidal Talamini do; Megguer,Clarice Aparecida
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
66.46%
Este trabalho objetivou avaliar os efeitos do estádio de maturação na colheita, da temperatura de armazenamento e do tempo para o resfriamento na preservação da qualidade pós-colheita de frutos de butiá. Os frutos foram colhidos em três estádios de maturação (verde, verde-amarelo e amarelo) e armazenados a 0±2°C e 20±2°C. Frutos armazenados a 0±2°C apresentaram melhor retenção de firmeza, de cor verde da epiderme, de acidez total titulável (ATT) e de sólidos solúveis totais (SST), em relação àqueles armazenados a 20±2°C. Os benefícios da refrigeração na preservação pós-colheita foram maiores para frutos colhidos em estádio verde, apesar da sua qualidade inferior, caracterizada pelos altos valores de ATT e baixos valores de SST em relação aos colhidos nos estádios verde-amarelo e amarelo. Frutos armazenados a 0±2°C não apresentaram sintoma de injúria por frio. Durante todo o período de armazenamento, não foi possível observar a ocorrência de climatério respiratório. Não houve diferença significativa nas taxas respiratórias pós-colheita entre os estádios de maturação dos frutos na colheita. O incremento na temperatura de armazenamento de 0 a 30°C ocasionou um aumento significativo nas taxas respiratórias de 50...

Conservação pós-colheita de maçãs cvs. Eva e Princesa durante armazenamento refrigerado no Semiárido brasileiro.

SANTOS, A. C. B. dos; ASSIS, J. S. de; LOPES, P. R. C.
Fonte: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA DE FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 4.; ENCONTRO NACIONAL SOBRE PROCESSAMENTO MÍNIMO DE FRUTAS E HORTALIÇAS, 7., 2013, Ribeirão Preto. Internacionalizar para não perecer: anais. Ribeirão Preto: USP-Faculdade de Cências Farmacêuticas de Ribeirão Preto, 2013. Publicador: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA DE FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 4.; ENCONTRO NACIONAL SOBRE PROCESSAMENTO MÍNIMO DE FRUTAS E HORTALIÇAS, 7., 2013, Ribeirão Preto. Internacionalizar para não perecer: anais. Ribeirão Preto: USP-Faculdade de Cências Farmacêuticas de Ribeirão Preto, 2013.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE) Formato: 1 CD-ROM.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.28%
O objetivo do presente trabalho foi avaliar a conservação pós-colheita de maçãs cvs. Eva e Princesa, colhidas em dois estádios de maturação, durante o armazenamento refrigerado e após sete dias em condição ambiente, simulando o período de comercialização.; 2013

Controle químico pós-colheita de podridão parda e seu efeito nas características físico-químicas e sensoriais de pêssego Eldorado in natura; Chemical postharvest control of brown rot and its effect on physical chemistry and sensory characteristics of in natura peach "Eldorado"

MACHADO, Nicácia Portella
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Agronomia; Programa de Pós-Graduação em Fruticultura de Clima Temperado; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Agronomia; Programa de Pós-Graduação em Fruticultura de Clima Temperado; UFPel; BR
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
76.23%
The objective of this work was to assess the efficiency of the products dichloran, chlorine dioxide, brassinolide, melaleuca oil and chlorhexidine digluconato on the post-harvest control of Monilinia fructicola and their influence on physicochemical and sensorial characteristics of 'Eldorado' peach fruits, stored for two and four days at environmental conditions (20±2°C and 65-70% RH). Peach fruits harvested in incipient maturation stage, selected by size, and without presence of lesions. They were artificially inoculated with spores of Monilinia fructicola, at the ratio of 2x105 conidia per millilitre (2x105 conidium.mL1). It was tested the following treatments: T1 - Control (disinfestation + inoculation); T2 - T1 and Dicloran; T3 - T1 and chlorine dioxide (ClO2); T4 - T1 and Brassinolide; T5 - T1 and melaleuca oil; T6 - T1 and Chlorhexidine digluconato. After treatment application, all fruits were stored for two and four days at environmental conditions (20±2°C and 65-70% RH), and then it was evaluated the physicochemical and sensorial characteristics. For the physical and chemical analysis, it was used a completely randomized design with 4 replications with 20 fruits per plot, and for the sensorial characteristics it was used a randomized block design with four replications. Each block was correspondent to 20 fruits per treatment. Subsequently...

Comportamento pós-colheita da ameixa 'Raínha Cláudia Verde' Prunus domestica L. : efeitos do cálcio na maturação

Barroso, Ana Elisa de Mendonça Rato
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
66.44%
`Rainha Cláudia Verde' é uma antiga variedade da ameixeira europeia Prunus domestica L. que se encontra bem adaptada a uma zona restrita do Alto Alentejo. Esta variedade é utilizada para o consumo em fresco e na doçaria regional, onde se emprega na confecção das famosas 'Ameixas D'Elvas'. A confitagem é a técnica utilizada na confecção deste produto com denomicação de origem protegida, e que faz parte de um saber tradicional muito divulgado na região. As informações que resultam de evidências práticas mostram que nem todos os frutos reagem da mesma forma à fase da cozedura. Existem zonas específicas que produzem frutos que não se adequara processo da confitagem, apresentando uma textura imprópria após a cozedura. Recentemente, e com o aumento das áreas produtoras, verificou-se que os frutos destas regiões específicas para além de inadequados para a cozedura, também apresentavam uma menor capacidade de conservação em fresco. Assim durante a conservação estes frutos, quando comparados com os das outras regiões, apresentavam uma perda de firmeza mais rápida tornando-se mais difíceis de comercializar. Entre os factores culturais que contribuem para a qualidade pós-colheita dos frutos, o teor de cálcio presente no solo e nos frutos apresenta-se corno um dos mais importantes. O cálcio é um dos nutrientes que mais frequentemente é associado à manutenção da estrutura das paredes celulares das plantas...

Biofilmes comestíveis para conservaçao pós-colheita de tomate dominador

Bolzan, Renata Padilha
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
76.23%
O tomate, fruto muito produzido e apreciado no mundo é uma fruta muito perecível e com curta vida de prateleira, resultando em perdas pós-colheita em torno de 25% a 40%, demonstrando claramente a necessidade do desenvolvimento de tecnologia que reduzam estas perdas. O uso de biofilmes apresenta como vantagens a redução dos efeitos da maturação, como menor perda de peso, melhoria da aparência e melhores características sensoriais. Este trabalho teve como objetivos quantificar a vida de prateleira do tomate 'Dominador' e aumentar a vida de prateleira do fruto com o uso de biofilmes. Entre os fatores que afetam a longevidade do tomate, está o ponto de maturação, desta forma nesta pesquisa foram avaliados dois pontos de maturação: vermelho-claro (60% a 90% colorido) e rosa-esverdeado (10% a 30% colorido). Os frutos foram imersos por um minuto nas seguintes soluções: éster de sacarose (1%), pectina (2%) e fécula de mandioca (2%) e armazenados em temperatura ambiente (25°C +- 1 e 65% de umidade relativa do ar). As avaliações físico-químicas e sensoriais foram realizadas ao 0; 3; 7; 11 e 14 dias. A análise sensorial - ADQ foi realizada por doze julgadores treinados que analisaram os atributos: cor, sabor, aroma, acidez e firmeza de polpa. De acordo com os resultados obtidos o ponto de maturação vermelho-claro...

Doencas pos-colheita de uva de mesa cv. Italia produzida no submedio Sao Francisco durante o periodo chuvoso.

CHOUDHURY, M. M.; OLIVEIRA, R.E.R.
Fonte: Fitopatologia Brasileira, Brasília, DF, v. 22, p. 344, 1997. Publicador: Fitopatologia Brasileira, Brasília, DF, v. 22, p. 344, 1997.
Tipo: Resumo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.46%
O Vale do Sao Francisco representa 80% da producao nacional de uvas de mesa. As condicoes edafoclimaticas do semi-arido brasileiro favorecem a producao de uvas de alta qualidade, para os mercados globalizados. Porem, durante o periodo chuvoso, diversos fatores, como as deterioracoes patologicas pos-colheita, provocam a ma qualidade do produto, acarretando grandes prejuizos economicos aos viticultores desta regiao. Com o objetivo de identificar as deterioracoes pos-colheita da uva de mesa cv. Italia, produzida durante o periodo chuvoso de janeiro a maio de 1997, realizou-se um levantamento dos principais fitopatogenos causadores dessas perdas. Sessenta e nove amostras foram coletadas em caixas de papelao de 3.0 kg em propriedades ruaris do Submedio Sao Francisco, levadas para o Laboratorio de Qualidade Pos-Colheita da EMBRAPA Semi-Arido, onde foram realizadas tres leituras: 0,15 e 30 dias apos a colheita. As amostras de 15 e 30 dias foram armazenadas na camara fria a temperatura de 2-4oC, com umidade relativa de 85-95%, durante 12 e 27 dias, respectivamente. Apos retiradas da camara fria as amostras foram mantidas a temperatura de 20oC durante tres dias. As medias de deterioracao das amostras analisadas foram de: 0 dia apos a colheita - 1...

Aparência e alterações físicas em mangas 'Tommy Atkins' submetidas a tratamentos pós-colheita com altas concentrações de CO2 durante o armazenamento refrigerado.

SILVA, A. L. da; LIMA, M. A. C. de; HOLSHUH, H. J.; TRINDADE, D. C. G. da.
Fonte: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA DE FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 2., 2007, Viçosa. Palestras e resumos... Viçosa: UFV, 2007. p. 317. Publicador: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA DE FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 2., 2007, Viçosa. Palestras e resumos... Viçosa: UFV, 2007. p. 317.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.28%
Tecnologia de Pós-colheita.; 2007

Aplicação de aminoetoxivinilglicina (AVG) como tratamento pós-colheita em manga 'Kent'.

SANTOS, A. C. N. dos; LIMA, M. A. C. de; TRINDADE, D. C. G. da; RIBEIRO, T. P.; SOUZA, S. O. de; SANTOS, J. S. dos; AMARIZ, A.
Fonte: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA DE FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 2., 2007, Viçosa. Palestras e resumos... Viçosa: UFV, 2007. p. 317. Publicador: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA DE FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 2., 2007, Viçosa. Palestras e resumos... Viçosa: UFV, 2007. p. 317.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.28%
Tecnologia de Pós -Colheita.; 2007

Aplicação de fécula de mandioca e amido de milho na conservação pós-colheita de mangas 'Tommy Atkins'.

SANTOS, A. E. O. dos; BERBERT, P. A.; ASSIS, J. S. de; GRAVINA, G. de A.; MISTURA, C.; MENDONÇA, O. R. de.
Fonte: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA DE FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 2., 2007, Viçosa. Palestras e resumos... Viçosa: UFV, 2007. p. 318. Publicador: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA DE FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 2., 2007, Viçosa. Palestras e resumos... Viçosa: UFV, 2007. p. 318.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.28%
Tecnologia de Pós-colheita.; 2007

Aplicação pós-colheita de revestimentos comestíveis à base de carboidratos em manga 'Tommy Atkins' associada ao armazenamento refrigerado.

LIMA, M. A. C. de; PAES, P. de C.; SANUDO, R. B.; SANTOS, A. C. N. dos; TRINDADE, D. C. G. da; OLIVEIRA, A. H.
Fonte: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA DE FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 2., 2007, Viçosa. Palestras e resumos... Viçosa: UFV, 2007. p. 318. Publicador: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA DE FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 2., 2007, Viçosa. Palestras e resumos... Viçosa: UFV, 2007. p. 318.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.28%
Tecnologia de Pós-colheita.; 2007

Utilização de biofilmes na conservação pós-colheita de mangas 'Tommy Atkins'.

ROSA NETO, J. N.; ASSIS, J. S. de; SANTOS, A. E. O. dos; CAYRES, P. S. M.; MEDONÇA, O. R. de; BATISTA, P. F.
Fonte: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA DE FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 2., 2007, Viçosa. Palestras e resumos... Viçosa: UFV, 2007. p. 329. Publicador: In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-COLHEITA DE FRUTAS, HORTALIÇAS E FLORES, 2., 2007, Viçosa. Palestras e resumos... Viçosa: UFV, 2007. p. 329.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
86.28%
Tecnologia de Pós-colheita.; 2007

Influência espectral de telas de sombreamento na pós-colheita de alpínias

Maia, Mariane Oliveira
Fonte: Universidade Federal de Lavras; Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia; UFLA; brasil; Departamento de Agricultura Publicador: Universidade Federal de Lavras; Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia; UFLA; brasil; Departamento de Agricultura
Tipo: Dissertação
Publicado em 07/12/2015 POR
Relevância na Pesquisa
76.41%
The manipulation of the intensity and spectral quality of the solar radiation in plant growing is done by using neutral or color shading nets. Although it can cause changes in plant development, it is not known the effect on post harvest quality when these shade cloths are used. Thus, the objective was to evaluate the effects of nets of different shading levels and spectral quality in alpinias 'Jungle King' and 'Jungle Queen' post-harvest quality. Flower stems stemmed crop under black shade cloths, with 30% and 50% shading, and blue and red nets with 50% of shading were maintained at the ambient temperature of 23°C for 15 days. The experimental design was distributed in a completely randomized way, totaling eight treatments of 4 replicates and two flower stems per plot. Evaluations of water uptake, relative fresh weight and quality through a scale of notes given by three evaluators were performed every two days, while reviews of the color of the bracts brightness parameters, chroma and Hue angle were performed every 3 days. Concurrently, bracts were collected every 3 days for the biochemical analysis of the activity of peroxidase and polyphenoloxidase. It was observed that the spectral quality influences the postharvest quality...

Pós-colheita de bananas `Maçã` submetidas ao 1-MCP; Postharvest life of ´Apple´ bananas submitted to 1-MCP

Pinheiro, Ana Carla Marques
Fonte: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DCA - Programa de Pós-graduação; UFLA; BRASIL Publicador: UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS; DCA - Programa de Pós-graduação; UFLA; BRASIL
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em 12/08/2014 PT_BR
Relevância na Pesquisa
76.44%
A banana é um fruto climatérico que apresenta curto período de conservação após iniciados os processos relativos ao amadurecimento. Técnicas visando o prolongamento da fase pré-climatérica têm sido estudadas e aprimoradas com o objetivo de prolongar sua vida pós-colheita, resguardando-se a manutenção de seus atributos de qualidade. O 1-metilciclopropeno (1-MCP), inibidor da ação do etileno, é um novo produto que tem sido avaliado como uma técnica promissora no prolongamento da vida pós-colheita e manutenção da qualidade de produtos vegetais. Objetivou-se avaliar a influência da aplicação de 50nL.L-1 de 1-MCP em diferentes tempos (0, 6, 9, 12 e 24 horas) no prolongamento da vida pós-colheita, comportamento respiratório e de produção de etileno e na qualidade física, química e sensorial de bananas ´Maçã´ armazenadas a temperatura ambiente. Objetivou-se também avaliar o efeito do 1-MCP em diferentes concentrações (0, 50, 100, 150, 200 nL.L-1, durante 9 horas) e armazenamento refrigerado (13oC) no retardo do amadurecimento e qualidade das bananas quando maduras. A aplicação de 50 nL.L-1de 1-MCP durante 9 ou 12 horas é a mais indicada para o armazenamento de bananas ´Maçã´ sob temperatura ambiente (22 a 25  1ºC e 80  5% UR)...