Página 1 dos resultados de 212 itens digitais encontrados em 0.007 segundos

Representações da velhice em alguns contos de Guimarães Rosa e Mia Couto

Mendonça, Elizabeth da Silva
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 198 f.
POR
Relevância na Pesquisa
36.44%
Pós-graduação em Letras - IBILCE; Esta dissertação realiza um estudo comparado dos contos “Presepe”, “Tarantão, meu patrão”, da novela “Uma estória de amor (A festa de Manuelzão)”, de João Guimarães Rosa, e “Nas águas do tempo”, “A casa marinha”, “Noventa e três”, “Sangue da avó manchando a alcatifa” e “A avó, a cidade e o semáforo”, de Mia Couto, com o objetivo de verificar as representações da velhice. O corpus foi organizado no sentido de aproximar os contos com estruturação análoga, pois apresentam personagens velhos em situações que, embora distintas, mantêm diálogo entre si. Enfatizamos, como fios condutores da análise, os temas: alteridade, abandono, solidão, sabedoria, morte, valorização da experiência, transmissão da tradição e ancestralidade, num diálogo intertextual com os discursos sociológicos e antropológicos sobre a velhice. Podemos constatar que Guimarães Rosa resgata, na figura do velho, a do contador de estórias. O mundo arcaico, rural, em que os contadores são valorizados, é trazido pelo autor, em plena década de 50, do século passado, momento em que o Brasil voltava-se para a modernização. Os narradores rosianos, griots modernos, além de prestigiarem os personagens pela experiência que possuem...

Dispositivo de Velhice

Sais, Almir Pedro
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
36.52%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, 2011; A velhice é um Dispositivo. É dessa afirmação, dessa hipo-tese que parto para realizar minha pesquisa e escrever minha tese. Embora pessoas em idade avançada possam ser encontradas em diferentes períodos da história humana, a velhice só pode se realizar como objeto e sujeito de interesse científico e práticas em período recente: segunda metade do século XX. Foi preciso que a luta pelas liberdades, igualdades e a boa arte de governar os homens, mais que os territórios, ganhasse a dimensão de #natureza# e universalidade atravessadas pelas novas técnicas de governamentalização: o biopoder. Neste sentido afirmo que a velhice, mais que um fenômeno do curso de vida (life-span), é uma tecnologia centrada na vida. Uma tecnologia centrada na regulação de hábitos, normatização de comportamentos e normalização de sujeitos com vistas a gestão da população visando a conduta dos homens. O referencial teórico metodológico desta pesquisa se ancorou na (des)construção foucaultiana sustentada na problematização do pensamento. Trata-se de um método histórico no sentido do pensamento crítico de Nietzsche em termos da desconstrução de valores...

Como é estar na velhice? : a experiência de mulheres idosas participantes de uma intervenção psicológica grupal; How it is to be in elderhood? : the experience of elderly women who participated in a psychological intervention group

Curado, Eliene Moreira; Campos, Ana Paula Martins de; Decnop, Vera Lúcia
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Política Social do SER/IH/UnB Publicador: Programa de Pós-Graduação em Política Social do SER/IH/UnB
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.33%
Por meio de relatos de mulheres idosas participantes de uma intervenção psicológica grupal, buscou-se identificar eventos que marcam o início da velhice, as preocupações e limitações associadas e as conquistas que integram essa etapa da vida. Os encontros grupais foram gravados e transcritos, e os dados foram submetidos à Análise Temática. As participantes apontaram como eventos e vivências associadas ao início da velhice: as mudanças no arranjo e na dinâmica familiar, a aposentadoria e o comprometimento da saúde física. As preocupações estavam relacionadas a dificuldades familiares, receio de se tornarem dependentes, medo do desamparo, conflitos intergeracionais. De modo geral, nota-se que as participantes falaram mais facilmente sobre os aspectos negativos desta etapa da vida do que sobre os positivos. Aquelas que perceberam conquistas no processo do envelhecer citaram: experiência adquirida, autoconhecimento, flexibilidade de horários, maior autonomia e satisfação com a vida. __________________________________________________________________________________________________ ABSTRACT; The present work aims to answer how it is to be in elderhood by means of reports of elderly women who participated in a psychological intervention group. Events that marked the beginning of elderhood were identified...

Solidariedades intergeracionais e instituições de velhice

Gil, Ana Paula Martins
Fonte: Universidad de Évora Publicador: Universidad de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.56%
Introdução - A escolha da temática Velhice e Solidariedades intergeracionais tem subjacente algumas preocupações que são alvo de atenção particular na actualidade e que dizem respeito ao papel das solidariedades sociais no cuidado dos mais velhos. As sociedades modernas encontram-se profundamente marcadas pela valorização da produtividade onde a oposição jovem/velho constitui uma das mais fortes representações sociais em desfavor da velhice. Ao invés de uma concepção integrada de ciclo de vida verifica-se uma ruptura entre dois momentos da vida: a activa, com que são identificados todos aqueles que têm uma actividade, um valor de mercado e a pós-activa, como uma fase da vida sem actividade. 0 velho é, assim, visto como um custo colectivo, não produtivo, integrado numa rede de trocas sociais não recíprocas. Por consequência, é-lhe atribuída, como contrapartida, a dependência social e económica, constituindo, nessa medida, um factor de desvalorização social nas sociedades industriais urbanas. A cessação da actividade profissional, a entrada na idade da reforma (b5 anos), a ausência de uma participação efectiva na vida social, a alteração das relações sociais, bem como a perda de papéis sociais anteriormente desempenhados...

Fronteiras de gênero e a sexualidade na velhice

Debert,Guita; Brigeiro,Mauro
Fonte: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS Publicador: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.38%
O objetivo deste artigo é descrever as características do processo que denominaremos "erotização da velhice", discutindo alguns de seus possíveis significados no marco das formas contemporâneas de gestão do envelhecimento e analisando as diferenciações de gênero que aí se ope-ram, bem como certas fusões. Tomamos como base para nossa reflexão algumas publicações nacionais e internacionais sobre sexualidade na velhice, bem como dados etnográficos extraídos de pesquisas brasileiras realizadas em espaços de sociabilidade de velhos. Estes dados exemplificam o ponto de vista de mulheres participantes de grupos de terceira idade e de homens integrantes de associações de aposentados ou de redes de sociabilidade masculina a respeito do tema e servem de excelente contraponto para pensar os parâmetros estabelecidos pelos especialistas que se empenham em incluir a velhice no curso da vida sexual, propondo que o declínio da frequência de atividade sexual com o avanço da idade é compensado por uma intensidade ampliada do prazer.

Sentido de vida na fase adulta e velhice

Sommerhalder,Cinara
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.33%
A busca incessante de um sentido para a vida faz parte dos questionamentos existências. Viktor Frankl foi pioneiro em abordar o tema na Psicologia. Posteriormente, a pesquisa fez uso de seus ensinamentos e ampliou a definição do construto. Estudos transculturais têm contribuído para uma melhor compreensão do tema, mas as pesquisas ainda precisam ser aprofundadas. Embora os instrumentos disponíveis ainda estejam sendo testados e aperfeiçoados, as informações já alcançadas representam uma contribuição de grande relevância para o estudo do desenvolvimento do adulto e da velhice. Este artigo objetiva mostrar a evolução do conceito e como as pesquisas vêm tratando o assunto na área do desenvolvimento do adulto e da velhice.

Atitudes de adultos com deficiência física frente ao idoso, à velhice pessoal e a pessoas com deficiência física

Resende,Marineia Crosara de; Neri,Anita Liberalesso
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
46.33%
O objetivo foi analisar atitudes em relação ao individuo portador de deficiência física, ao idoso e à própria velhice em 242 adultos de 24 a 39 anos, portadores de deficiência física congênita (6,4%) ou adquirida. Apenas 4,5% eram dependentes para AVDs, conforme o Barthel Index; 36,0% usavam auxílios ortopédicos. Sendo 65,3% mulheres; 47,0%, casados, 53,3% tinham oito anos de escolaridade, 35,0% , 9 a 11 e 7,0% , mais de 11. Foram submetidos a quatro escalas diferenciais Semânticas com 30 itens e quatro fatores cada (agência, cognição, relações sociais e persona). A análise de dados evidenciou que eles avaliaram mais positivamente o conceito de adulto portador de deficiência física do que o de idoso. Quanto mais antiga a convivência com a deficiência, mais positivas as atitudes em relação à velhice pessoal. Os dados são sugestivos do papel desempenhado pelos processos de auto-regulação do self no manejo das conseqüências da incapacidade física sobre a vida pessoal e social.

Atitudes e conhecimentos em relação à velhice em estudantes de graduação em educação e em saúde: subsídios ao planejamento curricular

Neri,Anita Liberalesso; Jorge,Mariana Dias
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
46.42%
Esta pesquisa descreve e compara atitudes e conhecimentos sobre velhice em alunos de graduação, com uma amostragem de 277 alunos de Pedagogia, Educação Física, Medicina e Enfermagem, de 18 a 43 anos (M=23, DP=3,39), sendo 190 mulheres; 50,0% freqüentaram disciplina; 60,0% estudaram tópico sobre velhice; 62,0% convivem e 32,0% trabalham com idosos. Os instrumentos utilizados foram a) Diferencial semântico - 30 itens bipolares - domínios agência, cognição, relações sociais e persona; e b) Escala de conhecimentos - 25 itens - físicos, psicológicos e sociológicos. São apresentados os seguintes resultados: a) atitudes positivas, principalmente nos mais jovens, mulheres e que convivem com idosos; b) Baixo nível de acertos em conhecimentos (M=41,0%, DP=10,3%); c) Os que estudaram sobre velhice (cursos de Enfermagem, Educação Física e Medicina) sabem mais do que os que não estudaram (Educação); d) Atitudes e conhecimentos positiva e significantemente correlacionados. Portanto, educar e atender adequadamente os idosos dependem da oferta de estruturas de conhecimento e de oportunidades para desenvolver habilidades e valores específicos.

Velhice, corpo e narrativa

Delgado,Josimara
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social - IFCH-UFRGS Publicador: Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social - IFCH-UFRGS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.26%
O artigo aborda a construção da memória e da identidade de trabalhadores aposentados a partir de narrativas de histórias de vida coletadas em uma pesquisa na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais. A principal questão apresentada é a percepção desses trabalhadores acerca das mudanças que vivenciam na velhice, num contexto de transformações sociais. Na análise interpretativa desse material, são discutidas as relações entre dimensões importantes no universo dos velhos trabalhadores como a experiência do trabalho, as trocas intergeracionais, o corpo, os papéis de gênero e geração.

Representações sociais sobre a saúde na velhice: um diagnóstico psicossocial na Rede Básica de Saúde

Teixeira,Maria Cristina Triguero Veloz; Schulze,Clélia Maria Nascimento; Camargo,Brigido Vizeu
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2002 PT
Relevância na Pesquisa
46.26%
O estudo tratou da temática da representação social da saúde na velhice. Participaram do estudo quatro grupos de sujeitos: um grupo de idosos doentes, um grupo de idosos saudáveis; um grupo de trabalhadores de um Centro de Saúde da rede municipal do Sistema Único de Saúde de Florianópolis e um grupo de pessoas que cuidavam de idosos no Hospital Universitário da Universidade Federal de Santa Catarina. Os dados foram coletados através da técnica de entrevista e a análise dos mesmos foi realizada com a ajuda de um software de análise quantitativa de dados textuais denominado Alceste. Os resultados mostraram que, ao que parece, os locais pesquisados ainda não conseguiram implementar todos os programas necessários para resolver os problemas de saúde da população idosa que atende. A teoria das representações sociais mostrou ser uma ferramenta muito importante para explorar necessidades de saúde sentidas pelos idosos participantes da pesquisa.

O cuidado e a velhice-dependente : considerações antropológicas sobre a doença de Alzheimer

Scott, Russel Parry (Orientador); Silva, Demócrito José da
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
56.59%
Apresento neste trabalho os resultados de uma pesquisa realizada sobre o cuidado com a velhice-dependente, especificamente com as pessoas que convivem com a doença de Alzheimer que frequentam grupos de apoio na região metropolitana do Recife/PE. As mudanças sociais, culturais, econômicas do século XXI requerem abordagens interdisciplinares nas pesquisas sociais que envolvem saúde e doença. Constata-se que a redução da natalidade juntamente com o aumento de expectativa de vida realçam as novas configurações familiares, por isso emerge-se estudar as experiências objetiva/subjetiva da velhice e da velhice-dependente, e como está sendo configurada a construção do cuidado para as famílias. O envelhecimento humano como fenômeno social, inserido no atual contexto sociocultural, é uma das preocupações das ciências sociais. Procuro desenvolver neste trabalho um olhar antropológico sobre o cuidado com a velhice-dependente, que conceituo como pós-velhice. É nessa perspectiva que proponho apresentar as configurações resultantes do convívio com a doença de Alzheimer no contexto familiar: significados, relações sociais, relações intergeracionais e conflitos. A pesquisa foi realizada com familiares de idosos que participam de grupos de apoio aos cuidadores da doença de Alzheimer na região metropolitana do Recife/PE...

Serviço Social e envelhecimento: estudo dos fundamentos teórico-políticos sobre velhice na produção de conhecimento do Serviço Social no Brasil

Alves, Suéllen Bezerra; Peruzzo, Juliane Feix (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
36.47%
Esta dissertação tem como objetivo analisar o trato teórico dado ao fenômeno do envelhecimento humano pelo Serviço Social, ao desvendar as perspectivas teóricas e políticas da produção acadêmica sobre esta temática. Trata-se de um estudo explicativo de cunho teórico-bibliográfico, cujas fontes de pesquisa foram teses e dissertações dos programas de pós-graduação vinculados a departamentos de Serviço Social no Brasil, no último triênio (2010 – 2012). Após caracterizar os fundamentos da questão da velhice, nas diferentes concepções teórico-metodológicas (Geriatria, Gerontologia Social e Gerontologia Social Crítica), estudamos a aproximação do Serviço Social com esse debate, traçando um percurso que passa pelo significado sócio-histórico da profissão e as demandas dos trabalhadores velhos que chegam ao Serviço Social (ao menos de modo aparente, são demandas que aparecem como próprias da situação de velhice). Compreendendo que a produção de conhecimento reflete as contradições postas na realidade, apresentamos de que modo a temática da velhice tem comparecido no debate profissional, evidenciando o crescimento da participação do Serviço Social na problematização do que é considerado uma das preocupações sociais do momento. Na última parte do trabalho expomos o conteúdo discutido em parte dessas produções...

Representações da velhice em contos populares e maravilhosos

Silva, Célia Cristina da
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Dissertação Formato: 218f : ., tabs.; application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
36.49%
Orientadora : Profª Drª Marta Morais da Costa; Dissertação (mestrado) - Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Letras. Defesa: Curitiba, 05/06/2014; Inclui referências; Área de concentração: Estudos linguísticos; Resumo: A pesquisa parte da observação de personagens de idade avançada em contos de tradição oral e chama a atenção para uma suposta predominância de representações negativas, provocada pelo emprego de substantivos e adjetivos associados a essas personagens. Elas são geralmente nomeadas pelos substantivos velho e velha seguidos dos adjetivos rabugento, feia, avarento, esquisita, entre outros. Também foram encontrados adjetivos de cunho positivo, como sábio e bondosa, mas aparentemente em menor número. Com o propósito de averiguar se tal impressão se confirmava e de que forma a velhice é representada na literatura popular tradicional, buscou-se uma variedade de contos populares e maravilhosos com personagens velhas – de distintas culturas, localidades e épocas. Traçou-se, inicialmente, um painel histórico, desde os primeiros registros, para verificar o contexto de origem dessas narrativas, para então analisar os contos à luz das teorias de historiadores...

Corpo e Velhice: um estudo da qualidade de vida de idosos da Vila Vicentina Júlia Freire em João Pessoa; Body and old age: a study of the quality of life elderly residents at Vila Vicentina Julia in João Pessoa, Brazil

Pessoa, Stefania Cartaxo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.42%
The aim of this study was to follow the daily routine of elderly individuals residing at the Vila Vicentina Júlia Freire (VVJF) nursing home in João Pessoa, Brazil, observing and analyzing as much as possible, the way in which they live in a group and how they deal, through personal experiences, with their own body image and with that of others. The results were obtained from information considered relevant, according to the perspectives of the residents themselves, contained in narratives of their history and related to their quality of life. Our interest lays in how they coped with changes in their bodies at old age and adapted to the challenges of this new phase. To obtain this information, with significant expressions, we used the Narrative Interview (NI) as a research tool in order to redeem their life experience and develop an understanding of their impressions about the life experience at the current nursing home. We selected, among the housed, ten subjects - actors - to appear as a sample of the group together. The design of our sample had a hybrid model, combining two types: random sample (probability) and an intentional sample (not probability). After recording transcripts and ensuring that all the subjects showed common interests that were relevant to the group...

Histórias de idosos: sementes para cultivarmos uam educação para uma velhice bem-sucedida

Andrade, Everaldo Robson de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Educação; Educação Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Educação; Educação
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.45%
We understand that the successful old age is not confined only in the analysis of quantitative aspects concerning the economic situation of the subject that gets old, but this special way of aging is related to other values, such as dignity, happiness, self-esteem, willingness, autonomy, independence, social involvement with family and friends, among others. Thus, this study aimed to investigate the human aging process, considering the history of life of ten seniors who fit the profile of successful old age, seeking to identify elements that contribute to educational thinking in order to get a successful aging. In this perspective, we argue in this study, the idea that we need to learn to engage in experiences that more than providing satisfaction and well-being in the moment in which we conducted, serve as a potentiating to a successful old age. Thus, throughout this thesis we question: what are the present indicative in the histories of life of elderly people, considered successful, which may contribute to an education that people experiencing their age more satisfactorily. This is a qualitative study, that took as universe a methodological oral history, in which we used as a technique of research a semistructured interview as a part of their life history...

Histórias de vida de mulheres idosas :um estudo sobre o bem-estar subjetivo na velhice

Pereira, Thelma Maria Franco Rabelo Araújo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Psicologia; Psicologia, Sociedade e Qualidade de Vida Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Psicologia; Psicologia, Sociedade e Qualidade de Vida
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.51%
The elderly population growth in Brazil and in the world is an incontestable reality, arising from a significant declining rate in mortality and fertility, resulting from the remarkable improvements in the quality of life of the people. Associated with the introduction of new technologies in the medical area, these issues have been highly contributing for the increase of the population longevity. The numbers of the elderly in Brazil and in the world show female population predominance within the aging segment, a phenomenon known as the feminisation of the old-age . Aging, therefore, is nowadays one of the primary issues and that has been mobilizing the Brazilian s society, since the development raised from this new reality brought with it enormous challenges and complex social implications which are already felt in the daily lives of the societies. My work experience among some age groups has shown that aging is a much differentiated process which has instigated my interest in understanding why aging has to face an overwhelming and painful experience for some people and enriched and full of signification for others. Overviewing, this research aimed to understand the aging development through the analysis of the processes of signification and production of meaning that permeate the aging and the subjective well-being of three aged women participants of the Project Health and Citizenship on Third Age /CEFET-RN...

A velhice nas propagandas do Ministério da Saúde: subjetividades e representações de idosos nos filmes das campanhas de vacinação

Gomes, Viviane Cristina Maia
Fonte: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Comunicação (FIC); Faculdade de Informação e Comunicação - FIC (RG) Publicador: Universidade Federal de Goiás; Brasil; UFG; Programa de Pós-graduação em Comunicação (FIC); Faculdade de Informação e Comunicação - FIC (RG)
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.53%
El crecimiento demográfico de la población mundial há puesto la vejez y el envejecimiento en la agenda social. En Brasil – donde se ha producido una inversión de la pirámide de edades , con el rápido aumento de la población anciana y una disminución en el crecimiento de otros grupos de edad – el mundo académico, los medios de comunicación, el gobierno y la sociedad civil comezaron a discutir las consecuencias de la transición demográfica. Considerado como un problema social en el discurso contemporáneo de la gerontología, envejecimiento lleva estereotipos en diferentes contextos históricos y culturales. Asociado a los aspectos negativos como la soledad, la miseria, el deterioro físico e intelectual, los ancianos lleva los estigmas perpetuado a lo largo de la historia. Sin embargo, es evidente que ha habido un intento de reinventar la vejez y asociarla con los aspectos más positivos. Es la redefinición de la vejez. Junto con este movimiento también es un intento de mostrar que el éxito logrado después de la jubilación, por tanto, exlusiva como la persona se cuida durante toda la vida – es la idea de la privatización del envejecimiento. Los medios de comunicación también parece adoptar estos dos discursos. A partir de este contexto...

Dispositivo da Velhice: o dito e o não dito na sua fabricação.

Giusti, Patricia Haertel; Henning, Paula Corrêa
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Política Social da UFES Publicador: Programa de Pós-Graduação em Política Social da UFES
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 15/08/2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.42%
O objetivo deste artigo é mostrar como constituímos um enunciado de velho-saudável, partindo da análise e discussão acerca de como o dispositivo da velhice é hoje operacionalizado na mídia impressa. Para isso apresentamos alguns elementos jurídicos, como o Estatuto do Idoso, formas de viver e praticar a velhice nos dias de hoje e, ainda, algumas reportagens de capa dos cadernos de saúde de dois jornais brasileiros. Essas trazem para reflexão enunciações sobre a velhice e o processo de envelhecimento, especialmente pautados pelo discurso da ciência médica, hoje focado nas ações de promoção da saúde e prolongamento da vida. Finalizamos a discussão mostrando como aquilo que está dito para a população de velhos e aquilo que está visível se entrelaçam na constituição de um dispositivo que precisa responder a uma urgência do século XX – dar conta de um país que envelhece.

Afeto, velhice e lazer

de Rezende, Ronaldo
Fonte: LICERE - Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer Publicador: LICERE - Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 20/12/2008 POR
Relevância na Pesquisa
46.38%
RESUMO: O presente artigo procura analisar o componente afetivo na esfera dos valores e dos comportamentos humanos, relacionando-o às questões ligadas ao processo de envelhecimento e o lazer. Destaca-se a íntima relação existente entre afeto e emoção e a fundamental importância que tal ligação assume na nossa vida. Nesse sentido, a discussão aponta para a necessidade de se investir na afetividade para a construção e aprimoramento de relações interpessoais mais harmoniosas, construtivas, que, em última análise, favoreçam a vida. Aponta, ainda, a velhice como época de muitas carências e, ainda, sujeita a preconceitos que limitam as possibilidades dos idosos. Neste contexto, o lazer é visualizado como uma possibilidade de melhoria da qualidade de vida das pessoas, que permite ao idoso a ressignificação emocional de seu lazer, revertendo valores e comportamentos, deixando fluir a espontaneidade, a alegria, o prazer de viver. Por fim, o artigo procura relativizar a crítica que se faz à denominada glamourização da velhice defendendo a iniciativa de valorizar a velhice como uma fase da vida onde as pessoas podem e devem se sentir orgulhosas da idade que têm, realizadas e contentes com o que são e o que fazem, em contraponto à visão de inutilidade...

Velhice e lazer: um olhar etnográfico para um projeto de idosos

Zabaleta, Ariane Silveira Dias
Fonte: LICERE - Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer Publicador: LICERE - Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 20/03/2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.26%
Nesse trabalho me propus a compreender o que significa e como se vivencia a velhicedentro do Centro de Esporte, Lazer e Recreação do Idoso (CELARI), localizado naEscola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em PortoAlegre (RS). A partir de uma incursão etnográfica (observação participante; entrevistas;análise de documentos) desenvolvida de abril a dezembro de 2011, compartilhei, com osparticipantes, diversos momentos de convívio, como oficinas de atividades físicas,atividades sociais, reuniões, passeios, e outras situações de convivência. Após esselongo período de produção de dados, examinei o material obtido, desenvolvi categoriasde análise e cheguei a interpretações que foram apresentadas em diferentestópicos/aspectos/temáticas que me ajudaram a responder às perguntas do estudo, e quese relacionaram: ao sentimento de pertencimento; às perspectivas de corpo e saúdepresentes naquele contexto; e às lógicas de sociabilidade que sustentavam as dinâmicassociais daquele universo. Sobre pertencimento, compreendi que vivenciar a velhice noCELARI significa compartilhar um ambiente predominantemente feminino onde osentimento de pertencer permeia as relações cotidianas. Observei que a concepção desaúde dos idosos ultrapassa a condição biológica e se relaciona com felicidade...