Página 1 dos resultados de 1212 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Entre o canto e a caneta: oralidade, escrita e conhecimento entre os Guarani Mbya; Between lyrical and literate: orality, writing and knowledge among the Mbya Guarani

TESTA, Adriana Queiroz
Fonte: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
O tema das relações entre oralidade e escrita é apresentado em grande parte dos estudos e programas dedicados à questão da educação escolar indígena, mas raramente é tomado como problema central para a compreensão dos processos de ensino-aprendizagem nos contextos em que a escola se faz presente. Por outro lado, autores que se dedicam a essa questão enfatizam quase exclusivamente a escrita em detrimento da oralidade. Nesse sentido, associada à necessidade de uma discussão teórica de maior fôlego, percebe-se a falta de análises que se dediquem à compreensão do papel e dos significados da escrita e da oralidade entre diferentes povos indígenas. No intuito de contribuir para o aprofundamento e a ampliação desse debate, o presente artigo procura discutir a temática, pautando-se numa abordagem que permite caminhar entre a leitura de textos especializados e relatos que registram interpretações de pessoas Guarani Mbya. Os relatos colhidos e textualizados durante sete anos de pesquisa e convivência com os Mbya em diferentes aldeias das regiões sul e sudeste permitem repensar a oralidade e a escrita como aspectos importantes num conjunto mais amplo de processos de produção, aquisição e transmissão de conhecimento. Desse ponto de vista...

A oralidade e a busca dos efeitos de comicidade em Manolito Gafotas; The presence of orality/ informality and humor in Manolito Gafotas' work

Tavano, Renata Gonçalves
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
Apesar das diferenças existentes entre língua oral e língua escrita, ambas se interrelacionam; por isso são vistas por estudiosos da linguagem, como Briz e Marcushi, entre outros, como um continuum. Sabe-se que nessas duas modalidades encontram-se tanto o registro formal quanto o informal. Dessa forma, seria errôneo, por exemplo, dizer que língua coloquial é o mesmo que língua oral, embora se reconheça que a coloquialidade está mais presente na modalidade falada que na modalidade escrita. Logo, de forma alguma a coloquialidade é exclusiva da oralidade. Para se reconstruir um texto oral coloquial, portanto, é necessário não só lançar mão de um planejamento estilístico, como também empregar marcas próprias da oralidade e da coloquialidade, como expressões fixas, gírias, marcadores interacionais, entre outras. A análise deste trabalho, por conseguinte, consiste em identificar e analisar tais marcas no corpus. Para comprovar a presença dessas marcas, além de facilitar sua visualização, elaboramos uma tabela Outro elemento abordado nessa pesquisa, ainda que de forma incipiente, foi a questão da comicidade presente no corpus. Assim, considerando a presença da oralidade/coloquialidade e da comicidade, este trabalho se propõe a verificar...

A oralidade em 'O Dia dos Prodígios', de Lídia Jorge; Orality in 'O Dia dos Prodígios', by Lídia Jorge

Nunes, Elida Jacomini
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 26/09/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.44%
Nesta tese, apresenta-se um estudo sobre a oralidade presente em O Dia dos Prodígios, obra da autora portuguesa Lídia Jorge, em que é possível identificar alusões à Revolução dos Cravos, quando se atenta à estranheza dos fenômenos ocorridos com os habitantes da aldeia nomeada Vilamaninhos cuja principal característica é o emprego da língua oral como única forma de expressão lingüística entre seus moradores. O microcosmo de Vilamaninhos é composto por indivíduos iletrados em sua quase totalidade. As barreiras impostas pela dificuldade de comunicação causam o isolamento da aldeia em relação aos centros urbanos desenvolvidos, restando ao povo da aldeia compartilhar as condições arcaicas de vida. O propósito deste estudo é identificar, a partir do aporte teórico da Análise da Conversação, as estratégias empregadas pela autora na representação da oralidade em sua narrativa literária. Entende-se que O Dia dos Prodígios apresenta características da fala não só na explicitação dos diálogos entre as personagens, mas em toda sua escrita. A oralidade é representada, além de por palavras, também por recursos gráficos, de estruturação do texto, gerando a sensação, no leitor, de ouvir e de ver as personagens em interação...

Entre a fala e a escrita: a representação da oralidade como estratégia argumentativa em anúncios publicitários; Orality and writing: the representation of orality on advertisements

Durante, Denise
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 11/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
O objetivo principal deste trabalho é analisar o aproveitamento de marcas de oralidade como recurso persuasivo em anúncios publicitários. Procuramos demonstrar que, por meio da incorporação dessas marcas, os textos publicitários escritos, para melhor alcançarem objetivos de adesão à mensagem e persuasão dos destinatários, desenvolvem estratégias de simulação ou representação da conversação espontânea. Para comprovarmos essa hipótese, examinamos anúncios publicados na revista Veja, semanário de maior circulação em nosso país. Para a realização da análise dos textos publicitários, adotamos os postulados teóricos estabelecidos pela Análise da Conversação, valendo-nos sobretudo dos estudos desenvolvidos pelo Projeto de Estudo da Norma Lingüística Urbana Culta de São Paulo (NURC/SP). Apoiamo-nos também na concepção interacionista da linguagem, elaborada pela Lingüística do Discurso. A Análise do Discurso, em especial os estudos de Charaudeau e Maingueneau, serviu-nos igualmente de base para a compreensão dos modos de organização do discurso publicitário. Para refletirmos sobre os aspectos persuasivos que alicerçam a publicidade, retomamos alguns dos conceitos-chave da retórica aristotélica...

O que (não) está escrito? Oralidade poética e leitura nos processos de alfabetização e letramento; What is (not) written? Orality and reading in literacy and lettering.

Otero, Louise Arosa Prol
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/11/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
O presente trabalho tem o objetivo de discutir os processos de alfabetização e letramento, sustentando a hipótese de que as tradições populares da oralidade participam ativamente da aquisição da leitura e escrita alfabéticas. Investiga-se a oralidade, a história da escrita e da leitura, para discutir criticamente os modelos de letramento e propor que a oralidade poética seja considerada como um processo de escrita, que transcende a modalidade vocal, para incluir toda voz que não se designa sob o signo de uma economia escriturística, mas que partilha com ela a intenção de registro atemporal. Ao tomar a leitura e a escrita em sentido amplo, para além da materialidade do grafismo impresso sobre o papel, trazemos ao primeiro plano uma escrita que se assemelha às estruturas de memória e do psiquismo. Admitimos os processos de apropriação da linguagem sob uma perspectiva não desenvolvimentista, mas que considera tais processos desde sua inscrição primária na infância como fundadores de toda atividade linguageira da vida adulta, principalmente no campo da escrita. Trata-se de uma pesquisa teórica, que parte de observações de diagnósticos de memória oral e comentada em análises de cenas de leitura, manuscritos de alunos e da literatura literária. A partir de nossas reflexões e da discussão teórica...

A presença da oralidade na correspondência amorosa de Fernando Pessoa; The presence of orality in the love letters of Fernando Pessoa

Cardoso, Giovana Thais de Lima
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 26/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.36%
Na atualidade, tanto a língua falada quanto a escrita têm sido analisadas de forma conjunta e não mais dicotomicamente como outrora se fazia. Por meio de estudos atuais, referentes à oralidade e a escrituralidade, é possível inferir que muitas características destes dois meios de manifestação da língua são partilhadas. A ocorrência de tal fenômeno dependerá do nível de formalidade exigido, do gênero em que o discurso está inserido, entre muitos outros fatores. Tendo como base este ponto de vista, a presente dissertação investigará de que maneira as marcas da oralidade apresentam-se no gênero carta, mais precisamente, na correspondência amorosa do poeta Fernando Pessoa remetida à Ofélia Queiroz, e quais são os motivos que justificam este uso. Esta pesquisa, agregada à linha de pesquisa da Análise da Conversação, apoia-se nos postulados de Schegloff e Sacks (1973), Stubbs (1983), Marcuschi (1987, 1993, 1999), Preti (1997, 2003), Urbano et al (2002), Silva (2006, 2009), Andrade e Aquino (2006), Risso (2006), Gómez (2008) entre outros importantes estudiosos. De modo geral, a obra pessoana é bastante analisada do ponto de vista literário, deste modo, tê-la como corpus em uma investigação sobre marcas de oralidade torna-se algo novo e bem atraente aos interessados nessas duas áreas do conhecimento. Todas as cartas amorosas de Fernando Pessoa serão devidamente analisadas pelo ponto de vista acima proposto...

Oralidade e escrita no processo civil; Oralité et écriture dans le procés civil

Iura, Alexandre Miura
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
O objetivo principal desta dissertação é apresentar a Oralidade e a Escrita no Processo Civil sob a ótica do Gerenciamento de Processos. Deste modo, é negada que a oralidade constitua um princípio formador do Direito Processual Civil, destacando-se que se trata de uma escolha técnica dada ao órgão jurisdicional visando maior eficiência. É questionada a funcionalidade das audiências e da prova oral. É enfatizado que o papel da conciliação é promover o acesso à justiça, e não reduzir gastos públicos. De outro lado, é sustentado que a garantia de um processo justo é compatível com um procedimento escrito. À guisa de conclusão, é afirmado que a oralidade não pode ser tratada exclusivamente no plano dos princípios. Com o consenso das partes, pode o juiz customizar as audiências e a colheita das provas visando dar maior eficiência ao processo.; This essay overriding objective is to present Orality and Writing in Civil Procedure in a Case Management view. By doing so, it is denied that orality constitutes a formative principle of Civil Procedure, rather than a technical choice given to the court in order to bring more efficiency to the procedure. The oral hearing and proof gathering functionality is also questioned. It is emphasized that the role of conciliation is to improve access to justice and it is not its aim to reduce public expenses. In another hand...

Marcas da oralidade nas manchetes do jornal popular Meia Hora de Notícias; Marks of orality in the headlines of the popular newspaper Meia Hora de Notícias

Sousa, Mayara Suellen de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 29/04/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.44%
Este trabalho tem por finalidade apresentar resultados de pesquisa sobre as marcas da oralidade em textos escritos, especificamente em jornais considerados populares e nesta dissertação em manchetes do jornal Meia Hora de Notícias. Os jornais populares têm interesse maior pela divulgação da notícia e aproximação com o público leitor. A importância deste trabalho se dá pelo dinamismo da língua e a intensa troca entre o oral e o escrito. Essa troca faz da linguagem jornalística uma mistura entre o formal e o informal como maneira de envolver o maior número possível de leitores. Assim, recorre-se a teóricos que apresentam conceitos referentes a questões de língua, linguagem, discurso e oralidade: Marcuschi (1993, 1995, 2004 e 2007), Koch e Oesterreicher (1985, 2007), Charaudeau (2007, 2008), Koch (1997, 2008), Ong (1998), Preti (1983, 2004), Dias (1996), Urbano (1998, 2000, 2006 e 2011), Fávero (2009). Nossos objetivos específicos são: delinear as particularidades da linguagem do jornalismo popular, verificar a relação entre língua falada e língua escrita, analisar as marcas de oralidade presentes no jornal Meia Hora de Notícias com base nos níveis discursivo e linguístico e compreender tais marcas de oralidade como estratégias de aproximação do leitor. Nossa hipótese é que a simulação de oralidade é uma estratégia do jornalismo popular...

A oralidade na sala de aula de língua inglesa de alunos ingressantes no curso de Letras: contribuições para a formação do professor

Cassemiro, Mariana da Silva
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 186 f. : il. color., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.4%
Pós-graduação em Estudos Linguísticos - IBILCE; This study aims at investigating the development of oral production in the English language classroom from first-year undergraduate Letters students as well as discussing the implications of not only their oral production but also of their professor’s teaching practice as far as teacher education is concerned. This work consists of a qualitative research with ethnographic basis and the data collection techniques used to do it were audiotaped classes, field notes, diaries, questionnaires answered by the students and an interview conducted with the professor. In order to develop this study we utilized the sociocultural theory (VYGOTSKY, 1996, 2000, 2010; LANTOLF & THORNE, 2006; JOHNSON, 2009; LANTOLF, 2011) and language acquisition theories elaborated by Krashen (1987), Swain (1993, 2000) and Block (2003). In addition, we considered works concerning oral language (BYGATE, 1987; LUOMA, 2004) and the ones about oral language teaching such as Consolo (2000, 2006), Consolo, Martins & Anchieta (2009) and Consolo & Teixeira da Silva (2010), as well as some relevant research in the field of language teacher education (JOHNSON, 2009; KUMARAVADIVELU, 2006, 2012; VIEIRA-ABRAHÃO, 2007, 2010...

Entre o canto e a caneta: oralidade, escrita e conhecimento entre os Guarani Mbya

Testa,Adriana Queiroz
Fonte: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
O tema das relações entre oralidade e escrita é apresentado em grande parte dos estudos e programas dedicados à questão da educação escolar indígena, mas raramente é tomado como problema central para a compreensão dos processos de ensino-aprendizagem nos contextos em que a escola se faz presente. Por outro lado, autores que se dedicam a essa questão enfatizam quase exclusivamente a escrita em detrimento da oralidade. Nesse sentido, associada à necessidade de uma discussão teórica de maior fôlego, percebe-se a falta de análises que se dediquem à compreensão do papel e dos significados da escrita e da oralidade entre diferentes povos indígenas. No intuito de contribuir para o aprofundamento e a ampliação desse debate, o presente artigo procura discutir a temática, pautando-se numa abordagem que permite caminhar entre a leitura de textos especializados e relatos que registram interpretações de pessoas Guarani Mbya. Os relatos colhidos e textualizados durante sete anos de pesquisa e convivência com os Mbya em diferentes aldeias das regiões sul e sudeste permitem repensar a oralidade e a escrita como aspectos importantes num conjunto mais amplo de processos de produção, aquisição e transmissão de conhecimento. Desse ponto de vista...

OS SABERES DOCENTES PARA O ENSINO DA ORALIDADE: O QUE SABEM OS PROFESSORES E COMO COMPREENDEM AS ATIVIDADES PROPOSTAS PELOS LIVROS DIDÁTICOS DE LÍNGUA PORTUGUESA?

Amorim Gomes da Costa Maciel, Débora; Lucia Ferreira de Figueiredo Barbosa, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.47%
Nesta pesquisa investigamos os saberes docentes para o ensino da oralidade, com vistas a compreender como três professoras do ensino fundamental (3º ao 5º ano), concebiam o oral enquanto objeto de ensino-aprendizagem e a ver quais saberes as docentes mobilizavam ao analisar atividades orais propostas por livros didáticos de língua portuguesa. O problema de pesquisa estruturou-se na compreensão de que embora o ensino da oralidade seja obrigatório nas escolas brasileiras, permanece incipiente nas pesquisas acadêmicas e pouco presente no que concerne às investigações a respeito dos saberes docentes para o seu ensino. Este cenário resulta na baixa visibilidade ofertada ao eixo da oralidade nas diferentes esferas de produção do saber e gera consequências para a formação docente, como o pouco conhecimento sobre a efetivação de um processo de didatização do oral. Em nossa hipótese, partimos da ideia de que os professores, embora conheçam a necessidade de se ensinar a oralidade, mobilizam para esse ensino saberes atrelados a outros eixos didáticos, possivelmente em virtude da pouca compreensão sobre o que deve ser ensinado-aprendido sobre o oral. Diante da configuração do nosso objeto de estudo, tomamos como referência a compreensão Bakhtiniana de língua...

Rádio: oralidade mediatizada e letramento (uma perspectiva sócio histórica)

Da Silva Tavares, Douglas; de Barros Pessoa, Marlos (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.3%
O presente trabalho tem como objetivo estudar as influências linguísticas do meio de comunicação rádio na sociedade recifense da primeira metade do século XX. Com vistas a alcançar os objetivos almejados, voltamos as nossas atenções para o meio rádio e sua linguagem no período de tempo compreendido entre a década de 20 e finais dos anos 50 do século passado. Visando alcançar o melhor resultado possível, realizamos uma discussão sobre as concepções e ideias relativas à oralidade mediatizada, diferenças e similitudes entre as modalidades oral e escrita, como também sobre o conceito de letramento. Todas as teorias e dados históricos foram estudados de acordo coma metodologia da história social da linguagem a qual é, resumidamente, uma forma de abordar fenômenos históricos considerando não apenas datas, nomes e acontecimentos isolados, mas também todo um contexto como: mudanças sociais; decisões políticas; modelos econômicos e, ainda, avanços tecnológicos. Ao fim do presente estudo, concluímos que a linguagem do rádio tem, como um de seus constituintes, a convencionalmente chamada oralidade mediatizada. Desde o início da sua origem, a oralidade mediatizada tem sido um tipo de forma linguística de estreitas relações com a linguagem escrita. Fazendo...

Falando a língua da gente: a simulação de oralidade como estratégia do Jornal Aqui PE

Casado de Lucena, Felipe; Medeiros de Carvalho, Nelly (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.3%
Esta pesquisa tem como objetivo geral analisar o processo de simulação de oralidade no jornal Aqui Pe, sob uma perspectiva teórica fundamentada em Koch (2008), Marcuschi (2007) e Fávero (2009) a respeito das relações de semelhança e diferença entre língua falada e língua escrita. Complementamos nosso estudo com os conceitos de Charaudeau (2008) sobre o ato de linguagem como encenação e os sujeitos envolvidos no processo de produção e recepção da linguagem, a fim de compreender como se configuram as trocas linguajeiras. Nossos objetivos específicos são: a) descrever as características da linguagem do jornalismo popular; b) verificar a relação entre língua falada e língua escrita, a partir do conceito de continuum tipológico, proposto por Marcuschi (2007); e c) definir as marcas de oralidade presentes no jornal Aqui PE com base nos níveis discursivo e linguístico. Nossa hipótese é a de que há uma simulação de oralidade como estratégia do jornalismo popular, uma vez que quem escreve o jornal não faz parte da mesma classe social dos leitores. Para isso, escolhemos o jornal Aqui Pe como corpus de nossa pesquisa e selecionamos três períodos distintos para análise: agosto de 2008, agosto de 2009 e agosto de 2010. Optamos por esses três meses porque eles englobam o período de dois anos de circulação do jornal...

A avaliação da oralidade em aulas de língua portuguesa do ensino médio

Araújo, Flávia Barbosa de Santana; Suassuna, Lívia (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
37.47%
Em nossa vivência docente percebemos que, no Ensino Médio, quando a avaliação da oralidade acontece, ela se dá na maioria das vezes de forma assistemática e baseada numa prática “escolarizada” dos gêneros textuais orais. Assim, em nossa pesquisa, procuramos responder à seguinte pergunta: Como os professores avaliam o aprendizado da oralidade de seus alunos durante as aulas de Língua Portuguesa do Ensino Médio? Nossos objetivos eram, mais especificamente: 1) investigar como os professores concebem o ensino e a avaliação da oralidade; 2) identificar as metas de aprendizagem para a oralidade apontadas no planejamento; 3) analisar a execução, em sala de aula, de atividades de avaliação da oralidade, notadamente os procedimentos, instrumentos e critérios utilizados. Levantamos a hipótese de que a avaliação da oralidade ainda é pouco presente nas aulas de língua portuguesa do Ensino Médio, e quando ela acontece, é feita de forma pontual e assistemática, geralmente a serviço da aprendizagem de outros conteúdos, caracterizando uma avaliação predominantemente tradicional. Para fundamentar teoricamente nossa pesquisa, utilizamo-nos dos estudos de diversos autores, dentre os quais podemos citar Marcuschi (2010)...

Oralidade – e o povo sobrevive na sua fala reinventada; Oral moviement and the people survive in their reinvented speech

Rocha, Nilton José dos Reis; Silva, Kelly Cristina Rodrigues
Fonte: Simone Antoniaci Tuzzo Publicador: Simone Antoniaci Tuzzo
Tipo: Artigo de Revista Científica
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.3%
v. 10, n. 1, p. 114 - 125, jan/jun. 2007.; The main focus of this article is the oral movement, as a tool and as a communication sphere of popular layers. And preservation of their culture. An alternative and precious way when the subjects don’t have access to the legitimate speech forms. Including the writing. The present text shouts the importance of the tripod: voice, memory and tradition, as bases of continuity and future. There is in the ample literature about the oral text, from biblical tradition to Saramago, from the Chinese poems of Che King to Suassuana, from Guimarães Rosa to improvisers, a mix of poets and journalists of popular quotidian, their contemporary source of inspiration. Voice and gest, rituals and miths, body and imaginary, all of that composing one narrative that doesn’t end. And, clever, intrude, now, the pores of information channels and, again, find out their veios of the actuality and the constant overcoming.; O foco principal deste artigo é a oralidade como ferramenta e esfera de comunicação das camadas populares e preservação de sua cultura. Um caminho alternativo e precioso quando os sujeitos não têm acesso às formas de discursos legitimadores, incluindo a escrita. O presente texto tece a importância do tripé voz...

Oralidade em língua estrangeira (inglês): representações discursivas

Ferreira, Edilson Pimenta
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.57%
Esta pesquisa foi desenvolvida em uma abordagem inter/transdisciplinar que abrange uma interface entre a Linguística Aplicada (LA), a Análise do Discurso de linha francesa (ADF) e a Análise Dialógica do Discurso (ADD). Foi esboçada a fim de se delinear os sentidos de oralidade construídos por sujeitos quando ocupam o lugar discursivo de graduandos em Sistemas de Informação, de uma universidade privada no estado de Minas Gerais, em contexto de aula de inglês instrumental, ou seja, buscamos investigar as representações constitutivas desta oralidade. Atribuiu-se a esta dissertação a tarefa de descrever, analisar e delinear as representações sobre oralidade em língua inglesa construídas por esses sujeitos graduandos em uma área computacional; as vozes, em relação polifônica, evocadas por esses sujeitos para a construção das referidas representações e evidenciar em quais formações discursivas se inscrevem as práticas discursivas presentes nos dizeres dos participantes. Busquei, portanto, estudar fatores que incidem no processo de ensino-aprendizagem de língua inglesa a fim de melhor compreender como esses fatores se traduzem na relação que se instaura entre esses sujeitos e sua oralidade nessa língua. Para isso...

Oralidade em uma comunidade amaz?nica: comunica??o, cultura e contemporaneidade

CRISTO, ?lida Fabiani Morais de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
A oralidade, diferentemente da fala, corresponde a um processo social: ? comunica??o. Portanto, vai al?m de uma modalidade de uso da l?ngua ou uma forma de difundir informa??o. ? busca do outro, e se d? de forma situada, de acordo com os diferentes contextos socioculturais. Dessa forma, esta pesquisa prop?e investigar a oralidade amaz?nica a partir da comunidade Andir?, munic?pio de Curu??-PA, na qual a oralidade contempor?nea n?o abriu m?o de seu car?ter popular tradicional, pois permanece ainda vinculada ? cultura e ao imagin?rio amaz?nicos, mas agora interage com os meios de comunica??o midi?ticos. Dessa intera??o resulta uma oralidade multiterritorializada, na medida em que os contextos trazidos pelos meios de comunica??o contempor?neos, sobretudo pela televis?o, s?o os mais diversos e passam a compor o imagin?rio local. Prop?e-se um estudo de uma interface entre Comunica??o e Cultura, para o qual se mostra essencial a perspectiva dos Estudos Culturais brit?nicos e o entendimento da modernidade enquanto processo hist?rico que tem no desenvolvimento da comunica??o um facilitador e ao mesmo tempo uma de suas consequ?ncias.; ABSTRACT: Differently of the speech, the orality is a social process: it is communication. Therefore, it is more than a way of use of the language or a manner to spread information. In a situated way...

Da oralidade à enunciação: um mo(vi)mento de tomada da palavra na língua do outro

Quintino, Isabel Silva Alves
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.36%
Neste trabalho pretendemos lançar um outro olhar para o ensino e aprendizagem da língua francesa, a partir dos conceitos da Análise de Discurso Pêcheutiana e também da Linguística da Enunciação Benvenistiana, atravessados pela possibilidade da psicanálise. O que buscamos é problematizar o modo como o trabalho com a oralidade geralmente é feito em aulas de língua francesa e atentarmos para a possibilidade que aí existe (ou não) de uma tomada da palavra nessa língua, ou seja, da construção de um espaço enunciativo na língua do outro. A hipótese da nossa pesquisa é que as atividades orais promovidas em sala de aula não necessariamente impulsionam a tomada da palavra na língua do outro. Para tanto, fazemos uma investigação em documentos que embasam o ensino da língua francesa na escola em que realizamos a pesquisa, a fim de averiguarmos os pressupostos teóricos ali arraigados que acabam por nortear e prescrever o trabalho com a língua, particularmente com a oralidade. Os pressupostos teóricos da Análise de Discurso Pêcheutiana, aos quais nos filiamos nesse trabalho, nos permitem analisar esses documentos apontados acima e lançar gestos de interpretação para os dizeres dos alunos e a prática da oralidade em sala de aula de FLE. Nossa incursão na teoria da enunciação benvenistiana nos ajuda a estabelecer os limites téoricos quando falamos em produção oral e enunciação...

Descrição da tradução para o português de marcas de oralidade no romance Les Fleurs Bleues, de Raymond Queneau; Description of the translation into Portuguese of orality marks in the novel Les Fleurs Bleues, by Raymond Queneau;

Abreu, Roberto de
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 18/06/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.47%
Este artigo estuda as marcas de oralidade presentes no romance Les Fleurs bleues, de Raymond Queneau, e suas implicações para a tradução. Para tanto, levantam-se as marcas de oralidade características da língua francesa e presentes no romance, bem como as marcas de oralidade do português do Brasil. Em seguida, analisa-se a tradução As Flores Azuis (inédita), levantando-se as marcas de oralidade nela utilizadas com vistas a causar no leitor brasileiro as impressões provocadas pelo original no leitor francês.; Este artigo estuda as marcas de oralidade presentes no romance Les Fleurs bleues, de Raymond Queneau, e suas implicações para a tradução. Para tanto, levantam-se as marcas de oralidade características da língua francesa e presentes no romance, bem como as marcas de oralidade do português do Brasil. Em seguida, analisa-se a tradução As Flores Azuis (inédita), levantando-se as marcas de oralidade nela utilizadas com vistas a causar no leitor brasileiro as impressões provocadas pelo original no leitor francês.; Cet article étudie les marques d’oralité présentes dans le roman Les Fleurs bleues, de Raymond Queneau, et leurs implications sur la traduction. Pour ce faire, il relève les marques d’oralité caractéristiques de la langue française présentes dans le roman...

Text cohesion by the deaf as seen by the hearer: the use of oral cues in written texts; Sobre a coesão do texto dos surdos aos olhos dos ouvintes: o uso das marcas de oralidade na escrita

de Andrade, Wagner Teobaldo Lopes; UFPB; Aguiar, Marígia Ana de Moura; UNICAP; Madeiro, Francisco; UNICAP; Ferreira, Sandra Patrícia Ataíde; UFPE; Roazzi, Antonio; UFPE
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; avaliado por pares; Formato: application/pdf
Publicado em 25/10/2010 POR
Relevância na Pesquisa
37.44%
The use of sign language by the deaf, though a means of providing access to knowledge, offers some specific difficulties on reading/writing due to the impossibility on acquiring the written code of the official spoken language. Taking into account that some oral cues favor textual cohesion, the question this paper is mainly concerned with is whether the use of oral cues in writing favors comprehension as well. The aim of this research was to offer written texts produced by the deaf to the non deaf to see how the text was understood by these speakers. Some written fragments contained two or more oral cues, some with just one cue or with no cues produced by the deaf and some texts produced by the non deaf were offered to university hearing students who were asked to score the texts by means of levels of comprehension. The results showed that the answers favored the texts produced by the non deaf people followed by those with more than two oral cues produced by the deaf; the texts that offered difficulty for comprehension were those with no oral cues produced by the deaf. This paper suggests that the oral cues bring cohesion to the texts produced by the deaf thus favoring the hearer text comprehension.   Keywords: deafness; oral cues; writing; text cohesion.; O fato de os surdos utilizarem a língua de sinais...