Página 1 dos resultados de 3 itens digitais encontrados em 0.116 segundos

Hábitos e conhecimentos de saúde oral dos alunos (5º ano ao 9º ano) e perceção dos mesmos por parte dos seus responsáveis

Figueiredo, Joana Raquel da Silva Loio
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
55.88%
Projeto de Pós-Graduação/Dissertação apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Medicina Dentária; Introdução: Todas as fases de desenvolvimento da criança são importantes e passíveis de intervenção ao nível da promoção da saúde, sendo que a idade pré-escolar e escolar são as mais marcantes na obtenção de comportamentos saudáveis na área da saúde oral. Objetivo: O presente trabalho tem como objetivo estudar a perceção que os responsáveis têm sobre hábitos e comportamentos de saúde oral infantil e a necessidade para tratamentos, contrapondo com as atitudes e comportamentos dos seus educandos. Materiais e Métodos: A pesquisa bibliográfica foi feita em diversas bases de dados com as seguintes palavras-chave: comportamentos de saúde oral, conhecimentos de saúde oral, promoção de saúde oral, cáries e desenvolvimento da criança. Os critérios de inclusão foram os estudos feitos sobre saúde oral em crianças. Para a investigação foi utilizado como instrumento de recolha de dados um questionário, dividido em duas partes, uma destinada aos responsáveis e outra aos alunos. O estudo teve como população alvo os alunos do Colégio Salesiano de Poiares...

Atitudes, comportamentos e condições de saúde oral de estudantes universitários ao longo da sua vivência académica

Albuquerque, Teresa Maria Beatriz Ramos Esteves Gonçalves dos Santos, 1965-
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Tese de Doutorado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
76.03%
Tese de doutoramento, Ciências e Tecnologias da Saúde (Higiene Oral), Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Dentária, 2013; Com o presente trabalho pretendeu-se investigar a existência de diferenças nas atitudes e comportamentos entre os estudantes de diferentes cursos superiores relativamente à sua saúde oral, entre o 1º e o 3º ano da sua estadia na Faculdade, e compreender a relação entre as atitudes e comportamentos relativos à saúde oral e o estado real da mesma. Considerando os objectivos da investigação foram realizados três estudos. No primeiro estudo adaptou-se e validou-se a versão portuguesa do inventário Hiroshima University Dental Behavioural Inventory (HUDBI), a utilizar como um dos instrumentos de investigação no segundo estudo, ou estudo principal. No segundo estudo, identificou-se e analisou-se a evolução de atitudes, comportamentos e condições de saúde oral de estudantes universitários ao longo da sua vivência académica. A investigação desenvolvida consistiu num estudo longitudinal onde se confrontaram as diferenças e a evolução da saúde, dos comportamentos e das atitudes em saúde oral de estudantes universitários. Participaram 131 estudantes (voluntários) que se inscreveram pela primeira vez no ensino superior no ano lectivo 2008/2009. Os estudantes dos cursos de Medicina Dentária e Higiene Oral...

Atitudes e comportamentos de saúde oral em estudantes de medicina dentária em Portugal e na Holanda : um estudo comparativo

Dias, Ana Rita de Sousa Saraiva
Fonte: Universidade Católica Portuguesa Publicador: Universidade Católica Portuguesa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 01/06/2015 POR
Relevância na Pesquisa
116.15%
Introdução: Os estudantes de Medicina Dentária de hoje serão os futuros médicos dentistas, sendo responsáveis pela promoção e educação para a saúde oral (SO). As atitudes e os comportamentos dos profissionais de SO para com a sua própria saúde refletem o seu entendimento da importância dos procedimentos de prevenção dos problemas orais, podendo contribuir para o aperfeiçoamento da SO dos seus pacientes. Objectivos: Comparar as atitudes e os comportamentos de SO entre estudantes portugueses e holandeses. Materiais e Métodos: Realizámos um estudo transversal numa amostra de 281 (58,1%) estudantes de Medicina Dentária da Radboud University Nijmegen e 201 (41,9%) da Universidade Católica Portuguesa, Viseu. A recolha de dados foi efetuada através de um questionário auto-aplicado sobre as atitudes e os comportamentos de SO, que incluía o inventário Hiroshima University Dental Behavioural Inventory (HUDBI). Resultados: Verificámos que 69,5% dos estudantes portugueses e 63,3% dos holandeses adotaram atitudes e comportamentos de SO pouco adequados. A média de scores do HUDBI obtida pela amostra holandesa foi superior à portuguesa (8,0±1,2 vs. 7,8±1,5; p=0,045). Os estudantes holandeses do 1º e 2º anos...