Página 1 dos resultados de 5661 itens digitais encontrados em 0.003 segundos
Resultados filtrados por Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia

Avaliação de um programa para computador de mão no auxílio ao ensino de oftalmologia para estudantes de medicina

Pinto,Vladimir Camelo; Costa,Thiago Martini da; Grottone,Gustavo Teixeira; Schor,Paulo; Pisa,Ivan Torres
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.84%
OBJETIVO: Na última década os computadores de mão se popularizaram entre profissionais da saúde. Nos EUA, por exemplo, cerca de 60-70% dos estudantes de medicina já os utilizam. A disponibilização de informação clínica nestes dispositivos pode auxiliar no ensino de práticas médicas, no entanto, a maneira como são estruturadas pode influenciar na satisfação e no aprendizado dos alunos. Portanto, este artigo objetiva apresentar os resultados da avaliação do MDFluxo: um programa para auxílio ao ensino de oftalmologia em computadores de mão. MÉTODOS: O programa foi desenvolvido com fluxogramas estruturados, extraídos do Guia de Oftalmologia da Universidade Federal de São Paulo. A avaliação foi realizada, comparando o desempenho de 20 estudantes de medicina na solução de casos clínicos, utilizando o programa, o livro ou nenhum material. RESULTADOS: Os resultados mostram que o desempenho dos estudantes na avaliação com o livro foi equivalente ao MDFluxo nas questões sobre etiologia (p<0,01) e conduta (p<0,05) na solução dos casos clínicos, desempenho melhor do que sem a utilização de nenhum material. CONCLUSÃO: Na avaliação de satisfação com o uso do programa 82,5% dos estudantes aprovou sua utilização na solução de casos clínicos.

Avaliação dos conhecimentos oftalmológicos básicos em estudantes de Medicina da Universidade Federal do Piauí

Lopes Filho,João Batista; Leite,Rubens Amorim; Leite,Daniel Amorim; Castro,André Rodrigues de; Andrade,Lorena Santana
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.95%
OBJETIVO: Avaliar o índice de aproveitamento em relação aos conhecimentos oftalmológicos básicos em alunos da graduação do curso de Medicina da Universidade Federal do Piauí a fim de subsidiar alterações curriculares, com vistas ao aprimoramento da formação profissional, envolvendo assim urgências oftalmológicas e prevenção de cegueira. MÉTODOS: Realizou-se "survey" sobre conhecimentos de Oftalmologia entre alunos que cursaram a disciplina de Oftalmologia, aos quais foi aplicado um questionário padronizado e estruturado contendo 10 questões referentes a aspectos em Oftalmologia importantes na formação do médico: urgências oftalmológicas e prevenção de cegueira. Os alunos foram ainda questionados sobre a segurança em atender à uma urgência oftalmológica e, em caso de insegurança, que fatores contribuem para tal. RESULTADOS: Cerca de 99,1% dos alunos mostraram-se inseguros ao atender àuma urgência oftalmológica. O fator que mais contribuiu foi a pouca vivência/prática em urgências oftalmológicas durante a disciplina. O índice de acerto nas questões de urgência oftalmológica foi de 72,22%, sendo o menor índice referente a trauma de órbita. Nas questões sobre prevenção de cegueira, o índice de acerto foi de 70...

Oftalmologia e realidade virtual

Carvalho,Jânio Araruna
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.95%
OBJETIVO: Identificar como os simuladores estão sendo usados para ensino, treinamento, terapia e exames na medicina, com destaque para oftalmologia. A realidade virtual surgiu como uma ferramenta auxiliar no ensino e treinamento médico. Na oftalmologia, o progresso dessa técnica tem sido publicado em algumas revistas de saúde. Baseado nessas fontes, investigamos como a Oftalmologia tem interagido com a Realidade Virtual, essa ferramenta que veio para auxiliar o ensino da Medicina. MÉTODOS: Revisão sistemática de artigos das principais revistas, além de livros sobre o assunto entre 1995 e 2010. Revisamos a literatura publicada dos últimos quinze anos baseados em referências mencionadas em várias revistas, como exemplo podemos citar a Medical Education, Journal of the American College of Surgeon, Computers & Graphics, New England Journal of Medicine, Proceedingof the IEEE no período de 1990 a 2010. RESULTADOS: Após a revisão de 200 artigos encontrados sobre o tema educação médica e realidade virtual publicados em revistas nacionais e internacionais entre os anos de 1995 e 2010, percebemos as diferenças entre as áreas da medicina, no que se refere ao uso da realidade virtual (RV). Apenas 10 artigos explicitam com algum aprofundamento os simuladores oftalmológicos. CONCLUSÃO: A oftalmologia é uma das áreas que menos interagem com a realidade virtual...

Características e deficiências dos programas de pós-graduação em oftalmologia no Brasil segundo pós-graduandos participantes

Ventura,Camila Vieira Oliveira Carvalho; Gomes,Mirela Luna Santana; Ventura,Bruna Vieira Oliveira Carvalho; Ventura,Liana Oliveira; Brandt,Carlos Teixeira
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.9%
OBJETIVO: Analisar a percepção dos pós-graduandos participantes quanto à qualidade dos cursos lato sensu de oftalmologia do Brasil e apontar as áreas que necessitam melhorias. MÉTODOS: Realizou-se um estudo transversal e descritivo com 107 pós-graduandos de oftalmologia de cursos credenciados pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC) e/ou Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).Avaliou-se através de questionário as preceptorias (clínica, cirúrgica e emergência), as necessidades de melhoria curricular, aulas teóricas, cirurgias experimentais, atividades cirúrgicas e infraestrutura das instituições participantes. RESULTADOS: Vinte e seis pós-graduandos (24,3%) estudavam em instituições credenciadas pelo MEC, 25 (23,4%) pelo CBO e 56 (52,3%) pelo CBO e MEC. A qualidade da preceptoria clínica, cirúrgica e na emergência mostrou-se satisfatória (86,0%, 87,0% e 67,3% respectivamente). As preceptorias clínica, cirúrgica e na emergência estiveram presentes em todos os turnos em 55,1%, 56,1% e 36,4%, respectivamente. A maioria dos alunos deseja maior oferta de cirurgias experimentais (75,7%), melhoria de recursos para o ensino (63,6%), dos equipamentos (74,8%) e das instalações físicas (67,3%). CONCLUSÃO: As variáveis analisadas foram similares nos serviços credenciados pelo MEC...

Comparação das características de citação entre os relatos de caso/séries de casos versus demais desenhos de estudos nos artigos publicados em periódicos brasileiros de Oftalmologia

Lira,Rodrigo Pessoa Cavalcanti; Amorim,Fernando Henrique Ramos; Gonçalves,Fauze Abdulmassih; Arieta,Carlos Eduardo Leite; Kara-Junior,Newton
Fonte: Sociedade Brasileira de Oftalmologia Publicador: Sociedade Brasileira de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
46.9%
Objetivo: Comparar as características de citação entre relatos de caso / séries de casos versus demais desenhos de estudos publicados nos periódicos brasileiros de oftalmologia indexados no Science Citation Index Expanded (SCIE). Métodos: Artigos originais foram identificados a partir da revisão dos documentos publicados nos "Arquivos Brasileiros de Oftalmologia" ou "Revista Brasileira de Oftalmologia". Todos os documentos listados no SCIE, de 01/01/2008 a 31/12/2009, foram incluídos, exceto: "editoriais"; "correções"; "cartas"; e "biografias". Os desfechos foram as distribuições, número de citações, média do número de citações e probabilidade de citação. Resultados: A pesquisa revelou 382 artigos. A distribuição dos artigos segundo desenho do estudo foram relatos de caso 106, séries de casos 50, estudos transversais 92, ensaios clínicos fase I / fase II 40, ensaios clínicos fase III / fase IV 29, revisões não-sistemáticas 33 e estudos experimentais 32. A média do número de citações foi menor (p<0,001) entre relatos de caso / séries de casos (0,55) quando comparados aos outros desenhos de estudos (1...