Página 1 dos resultados de 15 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Caracterização da diversidade genética de inhame (Dioscorea alata) utilizando marcadores microssatélites; Genetic diversity characterization of water yam (Dioscorea alata L.) with microsatellites markers

Siqueira, Marcos Vinicius Bohrer Monteiro
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/07/2011 PT
Relevância na Pesquisa
16.34%
O gênero Dioscorea é o mais amplo da família Dioscoreaceae, apresentando cerca de 600 espécies distribuídas, sobretudo, nos trópicos, com grande importância na alimentação, principalmente na África Ocidental, na Sudeste Asiático, no Caríbe e em alguns países da América do Sul. No Brasil, algumas espécies de inhame (Dioscorea spp.), juntamente com a mandioca (Manihot esculenta Crantz), têm uma profunda importância na agricultura de subsistência, sendo utilizadas basicamente como fonte de carboidrato para alimentação humana. Pouco se conhece sobre a diversidade e estrutura genética dessas espécies, como evoluíram nos últimos anos, sobretudo pela escassez de avaliações moleculares. O presente estudo tem como objetivos: (i) apresentar dados sócio-econômicos e etnobotânicos relativos aos diferentes agricultores que cultivam a espécie; (ii) isolar primers de microssatélites usando uma biblioteca genômica enriquecida e testar sua amplificação entre outras espécies de Dioscorea; (iii) analisar a relação genética entre 73 variedades locais e 17 acessos comerciais de inhame coletados em cinco diferentes regiões do Brasil (Sul, Sudeste, Nordeste, Norte e Centro-oeste) usando um conjunto de 12 microssatélites. Túberas de inhame foram coletadas em 28 municípios proveniente de cinco regiões onde a espécie é comumente cultivada...

Revisão taxonômica e análise filogenética do gênero Idiops Perty, 1833 (Araneae, Idiopidae); Taxonomic review and phylogenetic analysis of the genus Idiops Perty, 1833 (Araneae, Idiopidae)

Yamamoto, Flávio Uemori
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.15%
Idiops é um dos maiores gêneros dentre as aranhas migalomorfas, apresentando 80 espécies e uma subespécie, com distribuição nas Américas do Sul e Central, África e oeste asiático. São chamadas popularmente de aranhas-de-alçapão, escavando tocas no solo com auxílio do rastelo e protegem sua área interior com uma porta bem camuflada. As fêmeas vivem permanentemente nas tocas, enquanto os machos são errantes na fase adulta, procurando ativamente as fêmeas para cópula. O presente trabalho teve como objetivo revisar taxonomicamente as espécies de Idiops, redescrevê-las e realizar uma análise filogenética, testando o monofiletismo do gênero e analisar o relacionando das espécies. Os estudos taxonômicos resultaram nas seguintes sinonímias: Idiops crudeni é sinônimo-junior de I. flaveolus; I. gunningi e a subespécie I. gunningi elongatus são sinônimos-junior de I. pretoriae; I. munois e I. lusingius são sinôminos-junior de I. straeleni comb. nov.; I. pullus é sinônimo-junior de I. parvus comb. nov.; e I. rubrolimbatus é sinônimo-junior de I. fossor. A análise cladística contou com 54 espécies de Idiops, além de pelo menos um representante de cada gênero da subfamília Idiopinae. Em todas as análises realizadas...

Invasão por Hovenia Dulcis Thunb. (Rhamnaceae) nas florestas do Rio Uruguai

Dechoum, Michele de Sá
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 148 p.| grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
16.15%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Ecologia, Florianópolis, 2015.; Espécies exóticas invasoras podem provocar impactos ambientais e econômicos substanciais, sendo atualmente consideradas uma das maiores ameaças à diversidade biológica em escala mundial. Invasões por plantas ocorrem como resultado da combinação de características biológicas e ecológicas das espécies introduzidas, de condições bióticas e abióticas do ambiente nos quais as espécies chegaram, e da pressão de propágulos, tanto com relação ao número do número de eventos de introdução, quanto do número e diversidade genética dos propágulos introduzidos. Ecossistemas com menor diversidade biológica e maiores intensidade e frequência de distúrbios são usualmente mais invadidos do que aqueles com baixos níveis de perturbação e maior diversidade. Hovenia dulcis, popularmente conhecida como uva-do-japão, é uma espécie arbórea decídua e zoocórica, nativa do leste asiático, descrita em literatura como espécie pioneira. Foi introduzida e mais intensamente cultivada no oeste de Santa Catarina a partir da década de 1980, quando agroindústrias da região fomentaram seu uso em granjas de suínos e aves. A espécie pode dispersar-se além de suas áreas de cultivo...

Etiologia do cancro da teca e caracterização patogênica e molecular de Lasiodiplodia theobromae

Borges, Rafaela Cristina Ferreira
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
16.15%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Departamento de Fitopatologia, Brasília, 2014.; Publicação parcialmente liberada pelo autor. Foram restritos os capítulos 2, 3 e resultados.; A teca (Tectona grandis) é uma espécie florestal nativa do subcontinente Índico e do Sudeste Asiático que foi introduzida no Centro-Oeste Brasileiro a partir da década de 1970. Essa espécie possui alto valor comercial por apresentar madeira de alta durabilidade e resistência. A madeira pode ser usada para a confecção de móveis finos, esquadrias, pisos, construção naval e painéis. As duas principais doenças que afetam a cultura da teca são de etiologia fúngica: a ferrugem causada por (Olivea tectonae) e o cancro da teca. Nos últimos anos, o cancro da teca vem ganhando importância pelo grande número de árvores afetadas. Assim, considerando a importância desta doença, é necessária a busca de alternativas de controle, a partir de conhecimentos básicos sobre a enfermidade como: etiologia, variabilidade genética da população do patógeno e caracterização morfocultural, molecular e patogênica de isolados do fungo L. theobromae, identificado como o agente causal. Assim, discos de madeira com sintomas de escurecimento em povoamento de Teca foram coletados no estado do Mato Grosso...

Estudo SAIMI - saúde e acesso aos serviços de saúde dos imigrantes do subcontinente indiano em Lisboa: que recomendações para cuidados de saúde equitativos e culturalmente adaptados?

Matos, Inês Campos; Alarcão, Violeta; Lopes, Elisa; Oiko, Carla; Carreira, Mário
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /03/2015 POR
Relevância na Pesquisa
26.15%
Copyright © Ordem dos Médicos 2015; Introdução: O crescimento da população imigrante em Portugal tem sido consistente nas últimas décadas. Apesar disto, a informação sobre a saúde das populações imigrantes é escassa. Esta investigação utiliza dados recolhidos junto da população oriunda do subcontinente indiano a residir no distrito de Lisboa para produzir recomendações para a prestação de serviços de saúde culturalmente adaptados. Material e Métodos: Estudo transversal junto da comunidade imigrante do subcontinente indiano (Bangladesh, Índia e Paquistão) a residir em Lisboa, selecionada com base numa técnica de amostragem bola de neve e recorrendo a inquiridores com acesso privilegiado à população-alvo. O questionário inquiriu sobre a saúde, o acesso aos cuidados de saúde, estilos de vida e atitudes perante a morte. Foi feita uma análise descritiva dos dados e uma comparação entre as três nacionalidades padronizada para a idade. Resultados: Foram administrados questionários a 1011 indivíduos com uma taxa de adesão de 97%. A maioria dos participantes eram adultos do sexo masculino. Os imigrantes indianos relataram mais frequentemente barreiras na utilização dos serviços de saúde e tinham uma maior frequência de doenças crónicas. Os imigrantes paquistaneses tinham piores indicadores de estilos de vida. Discussão: A população imigrante do subcontinente indiano tende a relatar mais dificuldades linguísticas no acesso aos cuidados de saúde quando comparada com outras populações imigrantes. Com base em recomendações da Organização Mundial da saúde...

Um Caso Raro de Hematúria

Mascarenhas, A; Castro, I
Fonte: Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein – IIEPAE Publicador: Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein – IIEPAE
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
26.15%
A infestação por Schistosoma haematobium é comum em países africanos e no oeste asiático. Sua fase crónica é caracterizada pela deposição de ovos do parasita em vários tecidos do organismo com resposta inflamatória, formação de granulomas e fibrose. Afecta frequentemente as vias urinárias, apresentando-se com hematúria, e, em fases terminais, com insuficiência renal por obstrução urinária e, em último caso, neoplasia escamosa da bexiga. Dado que a infecção crónica pode resultar em elevada morbilidade, é imperativo que os médicos que assistem essa população de imigrantes se familiarizem com tal doença. Apresentou-se aqui o caso clínico de uma criança natural da Guiné-Bissau observado em consulta de Nefrologia por hematúria terminal monossintomática. O diagnóstico de schistosomíase urinária foi confirmado por exame parasitológico da urina e pelo exame anatomopatológico das biópsias vesicais. Após terapêutica com praziquantel, o doente ficou assintomático.

Um Caso Raro de Hematúria

Mascarenhas, A; Castro, I
Fonte: Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein – IIEPAE Publicador: Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein – IIEPAE
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
26.15%
A infestação por Schistosoma haematobium é comum em países africanos e no oeste asiático. Sua fase crónica é caracterizada pela deposição de ovos do parasita em vários tecidos do organismo com resposta inflamatória, formação de granulomas e fibrose. Afecta frequentemente as vias urinárias, apresentando-se com hematúria, e, em fases terminais, com insuficiência renal por obstrução urinária e, em último caso, neoplasia escamosa da bexiga. Dado que a infecção crónica pode resultar em elevada morbilidade, é imperativo que os médicos que assistem essa população de imigrantes se familiarizem com tal doença. Apresentou-se aqui o caso clínico de uma criança natural da Guiné-Bissau observado em consulta de Nefrologia por hematúria terminal monossintomática. O diagnóstico de schistosomíase urinária foi confirmado por exame parasitológico da urina e pelo exame anatomopatológico das biópsias vesicais. Após terapêutica com praziquantel, o doente ficou assintomático.

Análise dos custos do programa de controle das moscas-das-frutas na cultura da manga no polo frutícola do Vale do Rio Brumado, BA.

AGUIAR, W. M. M.; NASCIMENTO, A. S. do
Fonte: Bahia Agrícola, v. 9, n.1, nov. 2011 Publicador: Bahia Agrícola, v. 9, n.1, nov. 2011
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE) Formato: p. 85-94
PT_BR
Relevância na Pesquisa
16.15%
A manga é uma fruta nativa da Índia, sudeste do continente asiático e das ilhas circunvizinhas, sendo um dos melhores e dos mais largamente aproveitados frutos de origem tropical. É interessante comentar que o pro- cesso de disseminação dessa fruta foi bastante lento, visto que, ela somente alcançou outras terras depois de ser cultivada a mais de quatro séculos em suas regiões de origem. A viagem da manga pelo mundo iniciou-se apenas com a descoberta das rotas comerciais marítimas entre a Europa e a Ásia no início do século XVI. Foram os portugueses que tiveram o mérito de executar esse deslocamento, levando a manga primeiro para as costas leste e oeste da África e trazendo-a depois para a América (ARAÚJO, 2004).; 2011

Soroepidemiologia da infecção pelo Helicobacter pylori em doadores de sangue de Curitiba e região metropolitana

Pilonetto, Marcelo
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Tese e Dissertação Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
16.15%
Resumo: A prevalência da infecção por Helicobacter pylori (Hp) é bem conhecida em todo o mundo, entretanto no Brasil há apenas alguns relatos epidemiológicos, nas regiões Sudeste (Minas Gerais) e Centro-Oeste (Mato Grosso). O objetivo do presente estudo foi avaliar a soroprevalência da infecção pelo Hp na cidade de Curitiba e região metropolitana (RMC), correlacionando com dados demográficos (idade, sexo, origem geográfica, nível socioeconómico), grupo sanguíneo ABO e Rh e com os marcadores sorológicos para hepatite, sífilis, HIV e doença de Chagas. Amostras de 276 doadores de sangue foram obtidas no banco de sangue Hemobanco de Curitiba. A idade dos doadores variou de 18 a 60 anos (média 33 anos), sendo 97 (35%) do sexo feminino e 179 (65%) do sexo masculino; 61,6% (170/276) eram provenientes de Curitiba, 34,8% (96/276) da RMC e 3,6%. (10/276) do interior, todos pertencendo à classe média/média-baixa/baixa. Quanto à origem racial, 243 (88%) eram caucasóides, 29 (10%) mulatos, três (1%) negros e um (0,3%) asiático. Como controle de nível socioeconómico foram estudados 79 universitários, com idade de 18 a 26 anos (média 20 anos), sendo 10 (12,7%) homens e 69 (87,3%) mulheres e todos pertencentes à classe alta/média-alta. A presença de anticorpos anti-ifp foi determinada por ELISA (Seradyn/ Biobrás) utilizando como antígeno uma proteína de alto peso molecular (HM-CAP®). A metodologia foi validada comparando-se a presença de anticorpos anú-Hp com os testes de urease e histológicos de 23 pacientes submetidos à endoscopia e que apresentavam distúrbios gastrointestinais. A prevalência de anticorpos anti-Hp foi significantemente mais elevada nos doadores quando comparada à observada nos universitários (58...

O PROCEDER e as tramas do poder na territorialização do capital no Cerrado; PROCEDER and the wefts of power in the territorial capital in the Cerrado

INOCÊNCIO, Maria Erlan
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Geografia; Ciencias Humanas Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Doutorado em Geografia; Ciencias Humanas
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
16.15%
The space transformations arising from Cerrado s territorial modernization process were driven by capital s productive restructuring which to expand its borders towards the heartland of Brazil, they promoted a reordering of natural and artificial elements, interfering mainly in the productive paradigm of Cerrado s people. The dynamics of ownership of this area were based on geopolitical strategies of state initiative, but which they found that focus on domestic and international private capital, especially for the Japanese ones, whose entered the Cerrado, in permanently way since 1970 to implement the Nipo-Brazilian Cooperation Program for the Development of Cerrado, PRODECER. This program represented one of the greatest public investments of private capital on Cerrado and created development priorities, wich directed the ownership of different territorial portions. However if the 1970s characterized private investment on Cerrado, the state capital has been present since 1930, with the vargas policy of March to the West, unfolding in Terms of Goals of Juscelino Kubitschek in the 1950s, which besides creating the infrastructural system that would support the posterior process of capitalist insertion of Cerrado, to international productive circuit...

Estudo SAIMI - Saúde e Acesso aos Serviços de Saúde dos Imigrantes do Subcontinente Indiano em Lisboa: Que Recomendações para Cuidados de Saúde Equitativos e Culturalmente Adaptados?; SAIMI Study - Health and Health Care Access by Immigrants from the Indian Subcontinent in Lisbon: What Recommendations for Equitable and Culturally Adequate Health Care?

Campos Matos, Inês; Unidade de Epidemiologia. Instituto de Medicina Preventiva e Saúde Pública. Faculdade de Medicina. Universidade de Lisboa. Lisboa. Portugal.; Alarcão, Violeta; Unidade de Epidemiologia. Instituto de Medicina Preventiva e Saúde Pú
Fonte: Ordem dos Médicos Publicador: Ordem dos Médicos
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 29/05/2015 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
26.15%
Introdução: O crescimento da população imigrante em Portugal tem sido consistente nas últimas décadas. Apesar disto, a informação sobre a saúde das populações imigrantes é escassa. Esta investigação utiliza dados recolhidos junto da população oriunda do subcontinente indiano a residir no distrito de Lisboa para produzir recomendações para a prestação de serviços de saúde culturalmente adaptados.Material e Métodos: Estudo transversal junto da comunidade imigrante do subcontinente indiano (Bangladesh, Índia e Paquistão) a residir em Lisboa, selecionada com base numa técnica de amostragem bola de neve e recorrendo a inquiridores com acesso privilegiado à população-alvo. O questionário inquiriu sobre a saúde, o acesso aos cuidados de saúde, estilos de vida e atitudes perante a morte. Foi feita uma análise descritiva dos dados e uma comparação entre as três nacionalidades padronizada para a idade.Resultados: Foram administrados questionários a 1011 indivíduos com uma taxa de adesão de 97%. A maioria dos participantes eram adultos do sexo masculino. Os imigrantes indianos relataram mais frequentemente barreiras na utilização dos serviços de saúde e tinham uma maior frequência de doenças crónicas. Os imigrantes paquistaneses tinham piores indicadores de estilos de vida.Discussão: A população imigrante do subcontinente indiano tende a relatar mais dificuldades linguísticas no acesso aos cuidados de saúde quando comparada com outras populações imigrantes. Com base em recomendações da Organização Mundial da saúde...

China, una nueva apuesta

Soto Bello, David
Fonte: Universidad Icesi. CIES; Facultad de Derecho y Ciencias Sociales; Humanidades y Ciencias Sociales; Departamento Estudios Jurídicos Publicador: Universidad Icesi. CIES; Facultad de Derecho y Ciencias Sociales; Humanidades y Ciencias Sociales; Departamento Estudios Jurídicos
Tipo: article; Artículo Formato: pdf; 134-145 página; Digital
SPA
Relevância na Pesquisa
26.4%
Un publico, una hisotria Mr. China es una historia ineludible para los hombres de negocios; aún más, sí uno de sus mercados es el oeste asiático. Por otro lado, es una recomendación para los interesados sobre la apertura económica de China en la década de los noventa; cuando banqueros y empresarios irrumpieronen el coloso asiático, con el propósito de estructurar uno de los mercados más prometedores del mundo.

Ocorrência do vírus da influenza similar à estirpe B/Hong Kong no Brasil, durante 2002; Occurrence of influenza B/Hong Kong-Like strains in Brazil, during 2002

Paiva, Terezinha Maria de; Ishida, Maria Akiko; Gonçalves, Maria Gisele; Benega, Margareth Aparecida; Souza, Maria Candida Oliveira de; Cruz, Aurea Silveira
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2003 ENG
Relevância na Pesquisa
16.15%
A vigilância do vírus da influenza, no periodo de janeiro a outubro de 2002, detectou a circulação da estirpe B/Hong Kong/330/2001 nas regiões Sudeste e Centro Oeste do país. Esta estirpe é uma variante do vírus da influenza B/Victoria/02/88 a qual teve sua circulação circunscrita no continente asiático por volta de 1991. Variantes da estirpe B/Hong Kong/330/2001 (B/Hong Kong/1351/2002) e da estirpe B/Sichuan/379/99 (B/Shizuoka/5/2001) também foram detectadas. A porcentagem de vírus caracterizados durante a epidemia foi de 34,88%, 15,12%, 15,12%, 4,65%, 15,12%, 13,95%, nas faixas etárias de 0-4, 5-10, 11-15, 16-20, 21-30, 31-50, respectivamente. Observou-se maior incidência da doença entre os indivíduos menores de 4 anos. Atribuiu-se a ausência de notificação nos indivíduos maiores de 60 anos ao contato prévio, desta faixa etária, com o vírus na década de 80. No mesmo período, detectou-se a circulação do vírus da influenza A/Panamá/2007/99-like (H3N2), por outro lado evidenciou-se a ausência da circulação da estirpe A(H1N1) até a presente data.; Through the influenza virus surveillance from January to October 2002, influenza B/Hong Kong-like strains circulating in the Southeast and Centre East regions of Brazil have been demonstrated. This strain is a variant from B/Victoria/02/88 whose since 1991 and until recently have been isolated relatively infrequently and have been limited to South-Eastern Asia. A total of 510 respiratory secretions were collected from patients 0 to 60 years of age...

ZONEAMENTO GEOAMBIENTAL DA TECA NO MUNICÍPIO DE CÁCERES/MATO GROSSO - BRASIL

Kreitlow, Jesã Pereira; Universidade do Estado de Mato Grosso; Neves, Sandra Mara Alves da Silva; Universidade do Estado de Mato Grosso; Neves, Ronaldo José; Universidade do Estado de Mato Grosso; Serafim, Milson Evaldo; Instituto Federal de Educação,
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 28/01/2014 POR
Relevância na Pesquisa
16.15%
A Teca (Tectona grandis L. f.) é uma espécie arbórea de grande porte, originária do sudoeste asiático, que teve seu ciclo de crescimento acelerado devido às características edafoclimáticas presentes no estado de Mato Grosso. Assim, objetivou-se realizar a avaliação geoambiental das terras do município de Cáceres/MT, visando à identificação das áreas aptas e inaptas ao cultivo da Teca. A metodologia para operacionalização desta pesquisa ocorreu por meio de geotecnologias. Os resultados mostraram que em Cáceres 5.046 Km2 são considerados aptos para a cultura da Teca e 19.305 Km2 inaptos, sendo que as áreas aptas se localizam nos vales da Província Serrana e em porções com relevo plano, situados a oeste do perímetro urbano. As informações geradas neste estudo podem contribuir no planejamento da atividade e na gestão territorial municipal de Cáceres, situado na região sudoeste mato-grossense. 

Vertentes da literatura contra hegemônica moçambicana na obra de Mia Couto: diálogos entre narrativas de ficção e artigos de opinião

García, Flávio
Fonte: Feira Literária Brasil - África de Vitória-ES Publicador: Feira Literária Brasil - África de Vitória-ES
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2015 POR
Relevância na Pesquisa
16.34%
Trata-se de África, um vasto continente, com mais de trinta milhões de quilômetros quadrados, cuja menor parte está situada no Hemisfério Norte, e a maior, no Sul. Suas costas são banhadas por diferentes oceanos e mares. As que ficam a oeste voltam-se para o Oceano Atlântico; as a leste, para o Índico. As terras localizadas no Nordeste encontram-se com o Mar Vermelho e têm, como imagem espelhada na margem oposta, o Continente Asiático; as no Norte defrontam-se com o Mar Mediterrâneo, e veem, acima de si, a vastidão da Europa, com suas diversidades de leste a oeste. No mais extremo Noroeste, há um ponto que quase se toca com a Península Ibérica, onde se encaram, face a face, do lado africano, Ceuta, e, do lado espanhol, Gibraltar, trazendo à memória os percursos náuticos dos portugueses, no período áureo das grandes navegações, quando suas naus singravam o Estreito, em época que se desenhava, no projeto ultramarino dos descendentes de Luso, uma África que se viria adjetivar de Lusófona.