Página 1 dos resultados de 2237 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Efeito agudo do treino de força com oclusão vascular periférica no parâmetro sanguíneo relacionado ao dano muscular

Letieri, Rubens Vinícius
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.27%
O propósito deste estudo foi verificar a atividade da CK sérica após uma única sessão de treinamento de resistência com e sem oclusão vascular. A amostra foi composta de 18 voluntários do sexo masculino. Os grupos foram definidos como alta intensidade sem oclusão vascular (AISOV, n=6), baixa intensidade sem oclusão vascular (BISOV, n=6) e baixa intensidade com oclusão vascular (BIOV, n=6). O treino foi realizado com intensidades correspondentes a 20% 1RM nos grupos BISOV e BIOV e 80% 1RM no grupo AISOV no exercício extensão de cotovelos bilateral. Os grupos BI e BIOV realizaram seis séries de 15 repetições e o grupo AISOV realizou seis séries de 8 repetições. Todos os grupos obedeceram um intervalo de 60 segundos entre as séries. Para os sujeitos do grupo BIOV um esfigmomanômetro foi colocado na parte distal dos braços e inflado até uma pressão correspondente a 130% da pressão arterial sistólica e mantido durante toda a sessão de treino. Foi realizada análise estatística descritiva dos resultados com alterações no % de mudança da condição “pré-treino” para a condição “pós-treino”. Os resultados para CK pré e CK pós-treino com o respectivo percentual (%) de alteração foram: AISOV (181...

Relação entre determinantes sócio-econômicos e hábitos bucais: influência na oclusão de pré-escolares de Bauru - SP - Brasil

Tomita, Nilce Emy
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/02/1997 PT
Relevância na Pesquisa
37.32%
Tendo por objetivo avaliar como determinantes socioeconômicos afetam a oclusão dentária em pré-escolares, este estudo transversal foi desenvolvido em três etapas: exame de oclusão, medidas antropométricas e questionário socioeconômico. O inquérito epidemiológico foi realizado no período de outubro de 1994 a dezembro de 1995. A amostra probabilística foi constituída por 2139 crianças, de ambos os sexos, na faixa etária de três a cinco anos, matriculadas em instituições públicas ou privadas do município de Bauru-SP-Brasil. A avaliação de aspectos morfológicos da oclusão seguiu a classificação de ANGLE, observando-se também o trespasse horizontal, trespasse vertical, espaçamento/apinhamento, mordida aberta anterior, mordida cruzada total, mordida cruzada anterior e mordida cruzada posterior uni ou bilateral. Uma subamostra de 618 crianças apresentou resposta ao questionário socioeconômico. A partir das hipóteses que: a) determinantes socioeconômicos afetam o estado emocional da criança e isto se manifesta através de hábitos bucais, que por sua vez afetam a condição oclusal; b) alguns fatores socioeconômicos influenciam padrões de alimentação infantil e educação, predispondo crianças que receberam aleitamento materno e crianças matriculadas em pré-escolas de tempo parcial a apresentarem menores taxas de má oclusão...

Estudo comparativo da oclusão e da sua relação com as disfunções temporomandibulares (DTM) em jovens com e sem tratamento ortodôntico

Valle, Karyna Martins do
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2000 PT
Relevância na Pesquisa
37.27%
O objetivo deste trabalho foi avaliar a oclusão como fator etiológico na prevalência de Disfunções Temporomandibulares (DTM) em indivíduos tratados e não tratados ortodonticamente. Os 200 casos avaliados foram divididos em quatro grupos, com 50 indivíduos cada. Os grupos I e II, não tratados ortodonticamente, foram constituídos, respectivamente, por jovens com más oclusões de Classes I e II. O grupo III foi constituído por pacientes com má oclusão Classe I e o grupo IV por pacientes com má oclusão Classe II, após o término do tratamento ortodôntico. Os sinais e sintomas de DTM foram avaliados com um questionário anamnésico e pelo exame de palpação muscular e articular, além da detecção de ruídos articulares e análise da movimentação mandibular. O exame da oclusão constou da avaliação do número de contatos em MIH, discrepância entre as posições de RC e MIH, contatos em lado de não-trabalho, tipos de guia lateral, guia anterior, mordida aberta anterior, mordida cruzada posterior, overjet e overbite, ajuste oclusal e presença de facetas de desgaste. Encontrouse, baseado no questionário anamnésico, uma prevalência de 34% com DTM leve, 3,5% com DTM moderada e os outros 62,5% apresentavamse com ausência de DTM. Não se observou associação entre a severidade de DTM e a realização do tratamento ortodôntico...

Relação entre o grau de severidade e o sucesso do tratamento sem extração da má oclusão de Classe II; Relationship between malocclusion severity and treatment success rate in Class II nonextraction therapy

Valarelli, Fabrício Pinelli
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/07/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.27%
O objetivo desse estudo foi avaliar a relação entre o grau de severidade da má oclusão de Classe II e o sucesso do tratamento sem extração desses pacientes. A amostra se constituiu de 277 pacientes que apresentavam inicialmente má oclusão de Classe II, de ambos os sexos, nas fases de dentadura mista tardia ou permanente que foram tratados ortodonticamente sem extração. Os pacientes foram divididos em 2 grupos. O grupo 1 constituído por pacientes que apresentavam má oclusão de ½ Classe II. O grupo 2 constituído por pacientes que apresentavam má oclusão de Classe II completa. Estes pacientes foram selecionados em caráter retrospectivo, verificando-se todo o arquivo da Disciplina de Ortodontia da Faculdade de Odontologia de Bauru - USP. O Índice de Prioridade de Tratamento (IPT) foi utilizado para verificar a severidade inicial da má oclusão assim como os resultados oclusais ao final do tratamento de cada paciente. As médias dos escores iniciais e finais do IPT foram comparadas entre os grupos pelo teste t não pareado. O índice de eficiência foi calculado pela proporção entre a porcentagem de melhora pelo tempo de duração do tratamento. Os resultados mostraram uma diferença significante entre os grupos. Houve maior proporção de sucesso do tratamento ortodôntico sem extrações da má oclusão de ½ Classe II em comparação à Classe II completa. O tempo do tratamento ortodôntico foi maior nos pacientes que apresentavam inicialmente ao tratamento...

Efeito de diferentes pressões de oclusão e intensidades de exercício sobre as adaptações morfológicas e funcionais a um programa de treinamento de força; Effects of different occlusion pressure and exercise intensities protocols in the morphological and functional adaptations to a strength training program.

Lixandrão, Manoel Emílio
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.34%
O presente estudo comparou os efeitos do treinamento de força associado a restrição de fluxo sanguíneo (TF-RFS) realizados com diferentes pressões de oclusão e/ou intensidades de exercício sobre a área de secção transversa do quadríceps (AST) e a força muscular dinâmica máxima (1-RM). Um objetivo secundário foi comparar os diferentes protocolos de TF-RFS com o treinamento de força de alta intensidade (TF). Vinte e seis voluntários do sexo masculino, com idade entre 20 e 35 anos, participaram de 12 semanas de treinamento com uma frequência de duas sessões semanais. Com o intuito de diminuir as variações inter-sujeitos, cada voluntário foi alocado aleatoriamente em dois dos cinco possíveis protocolos experimentais, um protocolo de treinamento para cada uma das pernas: TF-RFS20/40: 20% 1-RM, 40% pressão de oclusão; TF-RFS20/80: 20% 1-RM, 80% pressão de oclusão; TF-RFS40/40: 40% 1-RM, 40% pressão de oclusão; TF-RFS40/80: 40% 1-RM, 80% pressão de oclusão e TF80: 80% 1-RM (sem restrição de fluxo sanguíneo). A AST do quadríceps e a força muscular foram avaliadas nos momentos pré e pós intervenção. Os resultados demonstraram que os grupos TF-RFS 20/40 e 20/80 apresentaram ganhos inferiores de AST em comparação ao TF80 (intervalo de confiança do tamanho do efeito [ESCIdif]: -4...

A discrepância de tamanho dentário, de Bolton, na oclusão normal e nos diferentes tipos de más oclusões, bem como sua relação com a forma de arco e o posicionamento dentário

Carreiro, Luiz Sérgio; Santos-Pinto, Ary; Raveli, Dirceu Barnabé; Martins, Lídia Parsekian
Fonte: Dental Press Editora Publicador: Dental Press Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 97-117
POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Esta pesquisa teve como objetivo geral avaliar a discrepância de tamanho dentário, na oclusão normal e nos diferentes tipos de más oclusões e a sua relação com as medidas que determinam a forma de arco e o posicionamento dentário na região anterior. Para tanto, foram estudados 185 pares de modelos de gesso, divididos em 4 grupos: Grupo 1 (composto por 41 pares com Oclusão Normal, sendo 20 do gênero masculino e 21 do gênero feminino); Grupo 2 (composto por 44 pares com má oclusão de Classe I, divisão 1, sendo 22 do gênero masculino e 22 do gênero feminino); Grupo 3 (composto por 54 pares com má oclusão de Classe II, sendo 28 do gênero masculino e 26 do gênero feminino) e Grupo 4 (composto por 46 pares com Classe III, sendo 23 do gênero masculino e 23 do gênero feminino). Observou-se que não ocorreu dimorfismo sexual entre as discrepâncias de tamanho dentário e os diferentes tipos de oclusão dentária; as proporções estabelecidas por Bolton não se aplicaram ao grupo com Oclusão Normal; na Oclusão Normal, Classe I, Classe II e Classe III, houve um predomínio de excesso dentário total (RAZ12) no arco inferior; na Classe I houve uma igualdade na distribuição de excesso dentário anterior (RAZ6) nos arcos superior e inferior; na Oclusão Normal...

Estudo comparativo da elevação do ramo superior do articulador, após o processamento, de próteses totais com oclusão lingualizada e com oclusão convencional

Basso, Michael Frederico Manzolli
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 138 f. : il. color.
POR
Relevância na Pesquisa
37.38%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Reabilitação Oral - FOAR; Foi objetivo deste estudo realizar experimento laboratorial comparativo da elevação do ramo superior do articulador, após o processamento, entre próteses totais confeccionadas com oclusão balanceada lingualizada e com balanceada oclusão convencional. Para isso, foram confeccionados, pela técnica da prensagem e polimerização em banho de água a 72º C, durante 9 horas, 30 pares de próteses totais padronizados, divididos em dois grupos: Grupo 1 (controle) - próteses com oclusão convencional, as quais apresentavam contatos oclusais cêntricos nas cúspides vestibulares dos dentes posteriores inferiores e palatinas dos dentes posteriores superiores e Grupo 2 (experimental) - próteses com oclusão lingualizada, as quais apresentavam contatos cêntricos somente nas cúspides palatinas dos dentes posteriores superiores. Os registros da dimensão vertical de oclusão foram obtidos em aparelho de mensuração, com relógio comparador micrométrico posicionado sobre ponto específico do ramo superior do articulador, imediatamente antes e após o processamento das próteses. Todas as mensurações foram feitas em triplicata...

Prevalência de má oclusão e necessidade de tratamento ortodôntico, comparando a classificação de Angle e o índice de estética dentária, na cidade de Lins-SP

Perin, Paulo César Pereira
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 133 f. : il. + 1 CD-ROM
POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Pós-graduação em Odontologia Preventiva e Social - FOA; Com a evolução da Odontologia, a ortodontia ficou numa situação de desafio, se considerar que, cada vez mais, aumenta a preocupação no sentido da extensão de serviços à comunidade. É necessário conhecer a situação epidemiológica da má oclusão para o planejamento e execução destes serviços. O objetivo do trabalho foi de verificar a prevalência de má oclusão, utilizando a classificação de Angle, a severidade da má oclusão e a necessidade de tratamento ortodôntico, utilizando o Índice de Estética Dentária e a possibilidade de cruzar os dados dos dois índices. Realizou-se levantamento epidemiológico em 734 escolares da rede pública, com doze anos de idade, de ambos os sexos. Encontrou-se 33,24% com oclusão normal e utilizando a classificação de Angle, 66,76% com má oclusão. Observou-se, usando o Índice de Estética Dentária, 65,26% sem anormalidade ou más oclusões leves. Má oclusão definida encontrou-se em 12,81%, a má oclusão severa observou-se em 10,90% e a má oclusão muito severa ou incapacitante em 11,03%. A maioria das crianças (70,57%) apresentou relação molar normal. O Índice de Estética Dentária não se mostrou sensível a alguns problemas de oclusão quando comparado com a classificação de Angle.; Due to odontology evolution...

A discrepância de tamanho dentário, de Bolton, na oclusão normal e nos diferentes tipos de más oclusões, de Angle, bem como sua relação com a forma de arco e o posicionamento dentário

Carreiro, Luiz Sérgio
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 162 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
37.3%
Pós-graduação em Odontologia - FOAR; Esta pesquisa teve como objetivo geral avaliar a discrepância de tamanho dentário, na oclusão normal e nos diferentes tipos de más oclusões e a sua relação com as medidas que determinam a forma de arco e o posicionamento dentário na região anterior. Para tanto, foram estudados 185 pares de modelos, divididos em 4 grupos: Grupo 1 (composto por 41 pares com Oclusão Normal, sendo 20 do gênero masculino e 21 do gênero feminino); Grupo 2 (composto por 44 pares com má oclusão de Classe I, divisão 1, sendo 22 do gênero masculino e 22 do gênero feminino); Grupo 3 (composto por 54 pares com má oclusão de Classe II, sendo 28 do gênero masculino e 26 do gênero feminino) e Grupo 4 (composto por 46 pares com Classe III, sendo 23 do gênero masculino e 23 do gênero feminino). Observou-se que não ocorreu dimorfismo sexual entre as discrepâncias de tamanho dentário e os diferentes tipos de oclusão dentária; as proporções estabelecidas por Bolton não se aplicaram ao grupo com Oclusão Normal; na Oclusão Normal, Classe I, Classe II e Classe III, houve um predomínio de excesso dentário total (RAZ12) no arco inferior; na Classe I houve uma igualdade na distribuição de excesso dentário anterior (RAZ6) nos arcos superior e inferior; na Oclusão Normal...

Avaliação da oclusão de escolares com lesões cavitadas em dentina em molares decíduos tratados por três abordagens restauradoras : estudo longitudinal

Gomide, Rafael Torminn
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2014.; Introdução: A lesão cavitada por cárie, quando não tratada, pode ser considerada como fator etiológico da má oclusão. No Brasil, têm ocorrido melhoras constantes dos índices de saúde bucal, como observado pela diminuição do índice ceo-d, principalmente em crianças e adolescentes. Entretanto, lesões cavitadas em dentina ainda são responsáveis por 80% do índice no grupo etário de 5 anos de idade, indicando baixo acesso de pré escolares ao tratamento restaurador. O surgimento de tratamentos minimamente invasivos, como o Tratamento Restaurador Atraumático (ART), e o tratamento ultraconservador (UCT) possibilitam assistência odontológica em locais remotos ou com baixa estrutura física. Entretanto, pouco se sabe a respeito do impacto destas alternativas de tratamento, quando realizadas em dentes decíduos, sobre o desenvolvimento da oclusão. Objetivos: a) avaliar a prevalência de má oclusão em escolares de 6 e 7 anos de idade que apresentavam lesões de cárie cavitadas em dentina envolvendo ou não superfícies proximais e também em crianças que apresentavam perda precoce de molar decíduo em decorrência de lesão cariosa; b) comparar as medidas intra-arcos e entrearcos nas três diferentes relações anteroposteriores...

Estudo da economia de esforço durante a marcha realizada com e sem oclusão vascular

Grácio, Telma Margarida Silva
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa Publicador: Universidade Técnica de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.32%
Mestrado em Ciências da Fisioterapia; Este trabalho pretendeu explorar se a oclusão vascular contribui para o aumento do custo metabólico líquido da marcha realizada por homens jovens e saudáveis à sua velocidade otimal de locomoção. O trabalho também analisou as possíveis relações entre as variações na perceção subjetiva de esforço (PSE) e os valores obtidos em ventilação minuto (VE) durante a marcha com oclusão vascular. Dezoito homens saudáveis (idade: 23.1 ± 3.6 anos) realizaram um protocolo em passadeira rolante para avaliar o consumo máximo de oxigénio (VO2máx). De forma randomizada, os participantes também realizaram 5 séries de 3 min de exercício em passadeira rolante com e sem oclusão à sua velocidade otimal de locomoção. A marcha com oclusão vascular provocou um aumento geral do consumo de oxigénio (VO2) líquido (9.4%) em comparação com o observado na condição não oclusiva (p < 0.05). Os participantes também demonstraram valores superiores de VE durante a marcha com oclusão vascular (p < 0.05). Não houve correlação significativa entre as alterações da VE e da PSE induzida na marcha com oclusão vascular (r = 0.33, p > 0.05). Os resultados indicam que a oclusão vascular diminui economia líquida na marcha realizada por homens jovens e saudáveis...

Oclusão isolada da artéria ciliorretiniana

Amaral, Cláudia Sofia Pimentel
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
Uma Oclusão é um bloqueio que ocorre em vasos sanguíneos devido a: resíduos na corrente sanguínea, a inflamação ou pressão sanguínea elevada. Na presença de êmbolos em circulação, o pequeno calibre dos vasos propícia o seu alojamento, provocando Oclusão da Artéria Central da Retina (CRAO). A artéria cicliorretiniana, quando presente, contribui adicionalmente para o fornecimento de sangue para a região macular, podendo assim resultar na preservação da mácula e por conseguinte da visão central. Deste modo, mesmo havendo CRAO é possível que a visão seja pouco afetada na presença de uma artéria ciliorretiniana. A oclusão das artérias ciliorretinianas pode ocorrer de diversas formas: isoladamente, situação rara e objecto do caso clinico descrito neste trabalho; em combinação com a oclusão da veia central da retina; ou no contexto da Neuropatia Ótica Isquémica Anterior (NOIA). É importante salientar que qualquer tipo de oclusão arterial deve ser considerado como uma situação de verdadeira emergência oftalmológica dado que 105 minutos de isquemia da retina são o suficiente para provocar um lesão irreversível levando à perda permanente da visão. Existem, no entanto, métodos para diminuir as hipóteses de ocorrência de uma oclusão...

Oclusão venosa da retina : oclusão da veia central da retina

Lopes, Maria Inês Valadinha Mendes
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
A oclusão da veia central da retina é uma patologia ocular que provoca bloqueio da circulação sanguínea retiniana causada por obstrução da veia central da retina ou, consequentemente, dos seus ramos. Esta, subdivide-se em: isquémica ou não-isquémica, dependendo do grau de oclusão da veia, sendo a primeira a mais alarmante. A oclusão pode ocorrer em torno de toda a área vascularizada da retina, desde a artéria central da retina á veia central da retina, sendo que a localização da oclusão permite enquadrar esta patologia num quadro clínico específico e característico. Esta patologia é muito característica de determinadas doenças pré-existentes que proporcionam o desenvolvimento de alterações vasculares. Quando as doenças interagem com a organização celular das estruturas das veias e artérias podem provocar o rompimento desta barreira e levar ao derrame dos líquidos internos. Esses líquidos ao serem absorvidos pelos tecidos em redor provocam um inchaço dessas camadas evoluindo para um edema generalizado com lesões permanentes. A perda repentina de visão unilateral é o principal sintoma que o paciente apresenta, e assim que detetada essa falta o paciente deve dirigir-se ou ser reencaminhado para um oftalmologista com caracter de urgência. É importante salientar que nem sempre esta perda é reversível...

Oclusão unilateral da veia central da retina

Santos, Andrea
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.27%
Doença obstrutiva venosa é uma afecção comum da retina. Usualmente as obstruções venosas são reconhecidas facilmente e as suas opções terapêuticas têm sido muito investigadas. As oclusões venosas retinianas são a segunda causa mais comum de patologias vasculares da retina, atrás apenas da Retinopatia Diabética A classificação é feita de acordo com a obstrução; se ela é da veia central da retina ou se é apenas de um dos seus ramos. A obstrução da veia central da retina (OVCR) e a obstrução do ramo central da retina (ORCR) diferem na sua fisiopatologia, associação com doenças sistémicas, aspectos clínicos e tratamento. A oclusão da veia central da retina é diagnosticada quando o doente se apresenta com hemorragias nos quatro quadrantes da retina; as veias estão visualmente dilatadas e tortuosas e há a presença de manchas algodonosas. Na maioria dos casos, a oclusão da veia central da retina, ou de um dos seus ramos, deve-se à trombose venosa local, em regiões em que as artérias esclerosadas comprimem as veias: Oclusão da Veia Central da Retina, o trombo situa-se na lâmina crivosa; Oclusão de um Ramo, o trombo situa-se nos cruzamentos arteriovenosos. Com uma oclusão total da veia central da retina...

A discrepância de tamanho dentário, de Bolton, na oclusão normal e nos diferentes tipos de más oclusões, bem como sua relação com a forma de arco e o posicionamento dentário

Carreiro,Luiz Sérgio; Santos-Pinto,Ary; Raveli,Dirceu Barnabé; Martins,Lídia Parsekian
Fonte: Dental Press Editora Publicador: Dental Press Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2005 PT
Relevância na Pesquisa
37.32%
Esta pesquisa teve como objetivo geral avaliar a discrepância de tamanho dentário, na oclusão normal e nos diferentes tipos de más oclusões e a sua relação com as medidas que determinam a forma de arco e o posicionamento dentário na região anterior. Para tanto, foram estudados 185 pares de modelos de gesso, divididos em 4 grupos: Grupo 1 (composto por 41 pares com Oclusão Normal, sendo 20 do gênero masculino e 21 do gênero feminino); Grupo 2 (composto por 44 pares com má oclusão de Classe I, divisão 1, sendo 22 do gênero masculino e 22 do gênero feminino); Grupo 3 (composto por 54 pares com má oclusão de Classe II, sendo 28 do gênero masculino e 26 do gênero feminino) e Grupo 4 (composto por 46 pares com Classe III, sendo 23 do gênero masculino e 23 do gênero feminino). Observou-se que não ocorreu dimorfismo sexual entre as discrepâncias de tamanho dentário e os diferentes tipos de oclusão dentária; as proporções estabelecidas por Bolton não se aplicaram ao grupo com Oclusão Normal; na Oclusão Normal, Classe I, Classe II e Classe III, houve um predomínio de excesso dentário total (RAZ12) no arco inferior; na Classe I houve uma igualdade na distribuição de excesso dentário anterior (RAZ6) nos arcos superior e inferior; na Oclusão Normal...

Estudo comparativo das dimensões transversais dos arcos dentários entre jovens com oclusão normal e má oclusão de Classe II, 1ª divisão

Roberto,Rejman; Martins,Décio Rodrigues; Scavone Jr,Helio; Cotrim-Ferreira,Flávio Augusto; Vellini-Ferreira,Flávio
Fonte: Dental Press Editora Publicador: Dental Press Editora
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.32%
OBJETIVO: avaliar as possíveis diferenças nas dimensões transversais dos arcos dentários superiores e inferiores entre jovens com oclusão normal e má oclusão de Classe II, 1ª divisão. METODOLOGIA: foram avaliados 170 pares de modelos em gesso de jovens brasileiros leucodermas, com dentadura permanente, sendo 76 com oclusão normal (41 do gênero feminino e 35 do masculino) e média de idade de 13 anos e 6 meses e 94 com má oclusão de Classe II, 1ª divisão (58 do gênero feminino e 36 do masculino) e média de idade de 13 anos e 9 meses. Este grupo com má oclusão foi dividido em duas categorias: Classe II sem apinhamento e Classe II com apinhamento. Compararam-se as distâncias intercaninos, interprimeiros pré-molares e intermolares, em ambos os arcos dentários. RESULTADOS: em relação ao grupo com oclusão normal, os jovens do gênero masculino evidenciaram as seguintes diferenças estatisticamente significantes: 1) distância intercaninos inferiores maior para o grupo com Classe II sem apinhamento; 2) distância interprimeiros pré-molares superiores menor para o grupo com Classe II sem apinhamento e 3) distâncias interprimeiros pré-molares e intermolares, superiores e inferiores, menores para o grupo com Classe II com apinhamento. Por sua vez...

A má oclusão e sua associação com variáveis socioeconômicas, hábitos e cuidados em crianças de cinco anos de idade

Campos,Fernanda Lucia de; Vazquez,Fabiana de Lima; Cortellazzi,Karine Laura; Guerra,Luciane Miranda; Ambrosano,Glaucia Maria Bovi; Meneghim,Marcelo de Castro; Pereira,Antonio Carlos
Fonte: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho Publicador: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.3%
INTRODUÇÃO: O aumento progressivo nos índices de má oclusão gerou a necessidade do conhecimento da sua prevalência, a fim de que medidas de promoção de saúde e prevenção possam ser implantadas. OBJETIVO: Avaliar a associação entre má oclusão e variáveis socioeconômicas, demográficas, hábitos e cuidados em crianças de cinco anos. MATERIAL E MÉTODO: A amostra consistiu de 441 crianças com cinco anos, cadastradas em nove Unidades de Saúde da Família (USFs) da zona leste de São Paulo, São Paulo. Foram realizados exames bucais e aplicado questionário estruturado aos pais com questões sobre características demográficas, socioeconômicas relativas à família e ao domicílio, e questões relativas aos hábitos, cuidados e internações hospitalares da criança. A análise dos dados consistiu de análise bivariada pelo teste qui-quadrado seguida de modelo de regressão logística múltipla. RESULTADO: Foi encontrada má oclusão em 41,7% das crianças. Aquelas que usaram chupeta por até dois anos tiveram 1,24 vez mais chance de apresentar má oclusão do que as que não usaram. Crianças que usaram chupeta por mais de dois anos apresentaram 4,08 vezes mais chance de ter má oclusão do que aquelas que não usaram. As que dormiam de boca aberta tiveram 1...

Estudo da atividade mioelétrica do intestino delgado de cães submetidos à oclusão parcial da veia porta

Marins Campos, Josemberg; Antônio Bandeira Ferraz, Alvaro (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.37%
Introdução: A oclusão temporária da veia porta causa estase venosa esplâncnica e alteração da função do intestino delgado, podendo induzir distúrbios da motilidade. Este fato ainda não é bem esclarecido, e assim, objetiva-se avaliar as alterações da atividade mioelétrica e da histologia do intestino delgado em 6 cães, além da pressão arterial média (PAM), freqüência cardíaca (FC), pressão venosa central (PVC) e pressão portal (PP), na fase de pré-oclusão e na fase de oclusão. Métodos: Realizou-se anestesia geral, monitorização invasiva da PAM, FC e PVC, laparotomia, aferição da PP, fixação de 3 pares de eletrodos na parede intestinal, biópsias jejunais e oclusão parcial da veia porta, sendo programado aumento da PP entre 2,5 e 3 vezes em relação às medidas basais iniciais. Os eletrodos foram conectados a um sistema computadorizado para captura de sinais elétricos intestinais, usando um software de aquisição para armazenamento e análise da atividade mioelétrica após o registro, que ocorreu nos 30 minutos da fase de pré-oclusão e nos subseqüentes 60 minutos de oclusão. Assim, determinou-se a variância e a média do RMS (root mean square raiz quadrada da média dos quadrados) da atividade mioelétrica. A análise estatística dos dados foi executada através dos testes de Friedman...

Oclusão isolada da artéria ciliorretiniana

Amaral, Cláudia Sofia Pimentel
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
Uma Oclusão é um bloqueio que ocorre em vasos sanguíneos devido a: resíduos na corrente sanguínea, a inflamação ou pressão sanguínea elevada. Na presença de êmbolos em circulação, o pequeno calibre dos vasos propícia o seu alojamento, provocando Oclusão da Artéria Central da Retina (CRAO). A artéria cicliorretiniana, quando presente, contribui adicionalmente para o fornecimento de sangue para a região macular, podendo assim resultar na preservação da mácula e por conseguinte da visão central. Deste modo, mesmo havendo CRAO é possível que a visão seja pouco afetada na presença de uma artéria ciliorretiniana. A oclusão das artérias ciliorretinianas pode ocorrer de diversas formas: isoladamente, situação rara e objecto do caso clinico descrito neste trabalho; em combinação com a oclusão da veia central da retina; ou no contexto da Neuropatia Ótica Isquémica Anterior (NOIA). É importante salientar que qualquer tipo de oclusão arterial deve ser considerado como uma situação de verdadeira emergência oftalmológica dado que 105 minutos de isquemia da retina são o suficiente para provocar um lesão irreversível levando à perda permanente da visão. Existem, no entanto, métodos para diminuir as hipóteses de ocorrência de uma oclusão...

Oclusão venosa da retina : oclusão da veia central da retina

Lopes, Maria Inês Valadinha Mendes
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
A oclusão da veia central da retina é uma patologia ocular que provoca bloqueio da circulação sanguínea retiniana causada por obstrução da veia central da retina ou, consequentemente, dos seus ramos. Esta, subdivide-se em: isquémica ou não-isquémica, dependendo do grau de oclusão da veia, sendo a primeira a mais alarmante. A oclusão pode ocorrer em torno de toda a área vascularizada da retina, desde a artéria central da retina á veia central da retina, sendo que a localização da oclusão permite enquadrar esta patologia num quadro clínico específico e característico. Esta patologia é muito característica de determinadas doenças pré-existentes que proporcionam o desenvolvimento de alterações vasculares. Quando as doenças interagem com a organização celular das estruturas das veias e artérias podem provocar o rompimento desta barreira e levar ao derrame dos líquidos internos. Esses líquidos ao serem absorvidos pelos tecidos em redor provocam um inchaço dessas camadas evoluindo para um edema generalizado com lesões permanentes. A perda repentina de visão unilateral é o principal sintoma que o paciente apresenta, e assim que detetada essa falta o paciente deve dirigir-se ou ser reencaminhado para um oftalmologista com caracter de urgência. É importante salientar que nem sempre esta perda é reversível...