Página 1 dos resultados de 861 itens digitais encontrados em 0.032 segundos

Um narrador incerto : Dom Casmurro : entre o estranho e o familiar

Pereira, Lucia Serrano
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
46.35%
Este trabalho consiste na leitura do romance Dom Casmurro, de Machado de Assis articulado ao texto freudiano “O Estranho”. O que o orienta e inspira é a consideração de que tanto Freud quanto Machado trazem à cena traços, posições, campos de referências que têm efeito na subjetividade até nossos dias. No ensaio “O estranho”, Freud põe em questão a reflexão sobre a obra de arte abandonando o olhar que elege o belo e o grandioso para se debruçar sobre o que é inquietante, fonte de angústia e mal-estar. O autor evidencia, no trabalho a partir dos processos inconscientes, que o aparentemente mais distante, estrangeiro a nós mesmos, produtor do efeito de estranho (unheimlich), tem relação com o que nos é mais familiar (heimlich). Dom Casmurro, um dos romances mais importantes e polêmicos de nossa língua, é fundado em um inquietante mal-estar. Nele a voz do narrador é incerta, dividida, não distanciada. Escolhemos trabalhar com alguns pontos que nos parecem dar conta dessas fraturas, momentos de estranhamento e de subversão: a duplicação da casa (o eu e o desconhecimento); os olhos de ressaca (virada do lugar de sujeito a objeto); Escobar reeditado em Ezequiel (o especular no ciúme, a impossível paternidade). Neste percurso Machado de Assis nos leva a questões fundamentais com respeito às relações do sujeito ao desejo...

O espaço da infância nas narrativas A Guardadora de Gansos e o Estranho Amável de Luísa Monteiro

Jesus, Mafalda Sofia Ferreira de
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
46.4%
Dissertação de Mestrado em Ensino Da Língua e da Literatura Portuguesas, apresentada à Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro; O objectivo fundamental da reflexão que este trabalho produz é conhecer em que medida o tema da infância é retratado nas narrativas A Guardadora de gansos e O Estranho Amável da Autora Luísa Monteiro. Para levarmos a cabo tal objectivo, depois de fazermos uma pequena retrospectiva da vida e obra de Luísa Monteiro de forma a dar a conhecer a Autora ao leitor, falamos da importância do estado da infância para Luísa Monteiro. Apercebemo-nos que a Autora explora o estado da infância através da aproximação intertextual a outras obras. Assim, fazemos também referência aos tipos de intertextualidade existentes na Literatura, terminando com a referência ao tipo de intertextualidade utilizado por Luísa Monteiro: o pastiche, o qual consiste na imitação criativa de um texto já existente. Por último, descrevemos as características existentes nas narrativas A Guardadora de Gansos e O Estranho Amável, que são importantes para analisar em que medida é utilizado o pastiche e de que modo é tratado o tema da infância.; The main object of this work is to acknowledge in which measure childhood is portrayed in Luisa Monteiro’s novels A Guardadora de Gansos and O Estranho Amável. In order to achieve that object...

Breve investigação genealógica sobre o outro

Hermann,Nadja
Fonte: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes Publicador: Centro de Estudos Educação e Sociedade - Cedes
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.34%
O artigo investiga o movimento constitutivo dos modos de relação que a subjetividade estabelece com o estranho e o outro. Num primeiro momento, destaca-se a constituição de uma relação de identidade e exclusão que remonta ao início da Filosofia, com a teoria platônica, na qual o estranho se situa no corpo e no afastamento penoso das pulsões e dos afetos, pela separação entre corpo e alma. Num segundo momento, retoma-se, a partir de Hegel, o movimento da subjetividade como autoconsciência e sua relação com o estranho ou a alteridade, na luta pelo reconhecimento. Outra possibilidade apresenta-se com a hermenêutica filosófica de Gadamer, cujo giro em direção à conversação não retrocede à dialética platônica nem à hegeliana, mas significa um movimento de saída de si mesmo, "pensar com o outro e voltar sobre si mesmo como outro". Pretende-se mostrar também os limites, as possibilidades e as ambivalências de nossa compreensão do outro.

Avaliação de métodos radiológicos na detecção de corpo estranho de madeira em modelo animal

Venter,Neil Grant; Jamel,Nelson; Marques,Ruy Garcia; Djahjah,Flavia; Mendonça,Leonardo de Souza
Fonte: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Publicador: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2005 PT
Relevância na Pesquisa
46.09%
Avaliar diferentes métodos radiológicos no diagnóstico de corpos estranhos (CEs) de madeira. MÉTODOS: Foram utilizados 11 frangos adultos. Realizou-se lesão perfurante, em cada sobrecoxa do animal. Em um dos lados, foi introduzida e deixada uma farpa de madeira e, na sobrecoxa contralateral, esse mesmo objeto foi introduzido e retirado (Grupo Controle). Após sete dias, os animais foram mortos e tiveram seus membros retirados para avaliação por radiografia simples (RS), ultra-sonografia (US), tomografia computadorizada (TC) e ressonância magnética (RM). Cada exame foi avaliado, independentemente, por dois radiologistas experientes. RESULTADOS: A sensibilidade foi 13,6% para RS, 63,3% para US, 59,1% para RM e 72,7% para TC, com especificidades de 100%, 100%, 95,5% e 95,5%, respectivamente. O valor preditivo positivo foi de 100% para RS e US, de 95% para TC e de 93,8% para RM, enquanto o valor preditivo negativo foi de 53,7%, 73,7%, 78,3% e 70,1%, respectivamente. A acurácia foi de 84,1%, para TC, de 81,8% para US, de 77,3% para RM e de 56,8% para RS. Comprovou-se, histologicamente, presença de reação inflamatória em todas as sobrecoxas que continham CE. CONCLUSÃO: RS apresenta pequena utilidade na detecção radiológica de CE de madeira em frango...

Dizer-mostrar o estranho

Martins,Helena
Fonte: Programa de Pos-Graduação em Letras Neolatinas, Faculdade de Letras -UFRJ Publicador: Programa de Pos-Graduação em Letras Neolatinas, Faculdade de Letras -UFRJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.25%
Este trabalho explora a vitalidade contemporânea de duas enfáticas vozes do século XX: Ludwig Wittgenstein e Samuel Beckett. Consideram-se em especial as seguintes divisas: de Wittgenstein, nada está oculto (Investigações, § 435); de Beckett, nada a expressar (Três diálogos com George Duthuit, I). O dito de Wittgenstein é muitas vezes tomado como marca de renúncia à distinção, por ele antes sustentada, entre aquilo que se pode dizer e aquilo que apenas se mostra (Tractatus, Prefácio, 6.522). O dito de Beckett é, por sua vez, frequentemente visto como indício de uma visão cética da linguagem, que a condena a uma espécie de maldição da autorreferência. Tais formas de ler tendem a se ligar às percepções, bastante disseminadas, de que Wittgenstein escreve o comum (o "ordinário"); e Beckett, o absurdo. Questiono aspectos dessas duas produtivas leituras, sustentando que, de forma a meu ver um pouco debilitante, elas tendem a ignorar, ou talvez a apaziguar, um estranho que insiste em se dizer-mostrar na prosa poética dos dois autores.

Modalidades do estranho na poesia de William Butler Yeats; Modalities of the uncanny in the poetry of William Butler Yeats

CORSI, Edson Manzan
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Letras e Linguística; Lingüística, Letras e Artes Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Letras e Linguística; Lingüística, Letras e Artes
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
56.47%
This thesis has as its object of study three modalities of the uncanny as they appear in the poetry of Irish writer William Butler Yeats. They are: the incidence of the Double, the contact with the Deads, their way of operation in the metaphysical sphere as well as in the world of the Living, and the Animist way of thinking which embraces the omnipotence of thought. We believe that this is possible to be theoretically thought and analyzed through the ideas presented by Sigmund Freud in his essay titled The uncanny ( Das Unheimliche ), edited in 1919. In order to help our discussion of the problem, we used some considerations from French psychoanalyst Jacques Lacan. For example, what he exposes in his seminar dedicated to the anxiety and in his essay on the mirror stage . Many important ideas and concepts from literary critics such as T. S. Eliot, W. H. Auden, Tzvetan Todorov, Emil Staiger, Joseph Warren Beach, Ezra Pound, among others, were also used as basis for the development of our discussion on the theme of the strangeness (uncanny) in the frontiers between literature and psychoanalysis. The thought of Friedrich Nietzsche also helped us to understand the concept that Yeats developed and used of tragic joy and the relationship of the poet with the tragic thinking...

1952: a poesia de O Estranho de Max Martins

ALENCAR, Melissa da Costa
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.54%
Essa disserta??o estuda a poesia do livro O Estranho, 1952, do poeta paraense Max Martins, e seu entrelace com a poesia moderna. Para isso, consideramos que a po?tica de Max dialoga com os textos de poetas brasileiros de renome nacional e universal. De acordo com Haroldo de Campos, a rela??o de uma po?tica com a tradi??o liter?ria e o projeto que o texto art?stico necessita ? um encontro entre c?digos, em uma rara capacidade de transferir mesmo as efem?rides mais ?ntimas para o horizonte do fazer, em cria??o, na luta corpo-a-corpo com a palavra. Essa luta com o verbo ? parte fundamental no jogo po?tico de Max Martins. Em O Estranho, ao questionar o lugar da poesia no seu pr?prio tempo, o poeta desmembra o texto e revela o homem e a escrita ? margem. A poesia do estranho - o termo sugere o gauche drummondiano - constitui um "dialeto" talvez inintelig?vel para alguns. Como sugere o poema inicial dessa obra, a linguagem pode at? mesmo ser incompreens?vel, da? o voc?bulo "estranho" (do t?tulo do livro e do primeiro poema), ou seja, uma linguagem de choque, que se estranha com a realidade, no entanto, ? o que quer o poeta, a transmuta??o da realidade cotidiana no po?tico. Neste trabalho, tra?amos os aspectos relevantes da l?rica moderna a partir de um estudo sobre os conceitos de Moderno...

Fant?stico e imagin?rio em contos de Ingl?s de Sousa

FREITAS, Dionne Seabra de
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
45.91%
Nesta obra, o autor obidense, Herculano Marcos Ingl?s de Sousa, valoriza a mitologia amaz?nica ao destacar as lendas da cobra- grande, do p?ssaro acau?, do taj?, do boto e o temor presente no imagin?rio das pessoas que habitam regi?es fronteiras ? floresta amaz?nica, cen?rio de ocorr?ncias fant?sticas. A disserta??o visa uma an?lise mais detalhada da narrativa ?Acau??, por ser aquela que re?ne um n?mero significativo de caracter?sticas fant?sticas. Para desenvolver este trabalho, utilizou-se, como suporte te?rico, principalmente, o b?lgaro Tzvetan Todorov, que compreende o fant?stico como um g?nero proveniente de fatores que contrariam os fen?menos regidos por leis naturais, o que propicia d?vidas acerca desses fatores. Em decorr?ncia disso, busca-se a compreens?o em g?neros vizinhos, quais sejam: o estranho e / ou maravilhoso. Ser? ainda utilizado o estudo proposto pela francesa Ir?ne Bessi?re, que entende o relato fant?stico amparado em padr?es socioculturais para fomentar o entendimento da imbrica??o dos dois campos: o natural e o sobrenatural. O trabalho est? dividido em quatro cap?tulos: o primeiro traz algumas informa??es sobre a vida de Ingl?s de Sousa, um curto panorama do Realismo/Naturalismo e a estrutura??o do c?none; o segundo ? constitu?do de uma vis?o conceitual tanto do fant?stico quanto dos ?ndices de estranhamento insertos no texto liter?rio; o terceiro p?e em evid?ncia as obras de Sousa...

A Natureza Secreta do Estranho: uma Interpretação Lacaniana da Angústia em Freud

Lustoza,Rosane Zétola
Fonte: Conselho Federal de Psicologia Publicador: Conselho Federal de Psicologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
46.34%
A Psicanálise considera a angústia um afeto fundamental, porque ela é uma condição da constituição do sujeito. Esse afeto sinaliza a existência de uma defesa. No texto O estranho(1919),Freud afirma que a angústia é disparada pelo retorno de algo familiar que foi recalcado. Baseado na obra de Lacan e comentadores, este artigo demonstra que o familiar que retorna na angústia é o Outro real que interpela o sujeito como objeto de gozo. A importância da interpelação do Outro será deduzida de uma evidência linguística fundamental, o fato de que o sujeito é inicialmente o destinatário do discurso. Argumenta-se que o conceito de interpelação do Outro é uma ferramenta capaz de sistematizar o legado freudiano, oferecendo um princípio-chave que permite conceber "a natureza secreta do estranho". O trabalho visa contribuir para uma compreensão ampliada da gênese da angústia, já que encontrar o fator determinante desse afeto é uma tarefa teórica de grande importância.

Tim Burton: influências artísticas presentes nas animações: Incent, O estranho mundo de Jack e a noiva cadáver

Castro, Stefani Carla Gomes de
Fonte: Universidade de Passo Fundo Publicador: Universidade de Passo Fundo
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
46.1%
Este trabalho objetiva estudar quais movimentos artísticos influenciaram o cineasta Tim Burton a dirigir seus filmes. E também, fazer a analogia desses movimentos artísticos com as animações: Vincent (1982), O Estranho Mundo de Jack (1992) e A Noiva Cadáver (2005) quanto à narrativa, os cenários e à caracterização dos personagens principais. A análise das animações foi antecedida de uma revisão bibliográfica visando entender a história do cinema americano, uma breve biografia e toda filmografia do diretor em questão, os movimentos artísticos que o influenciaram em suas direções, e os princípios de uma análise de filmes.

A clivagem na literatura: o estranho caso de Dr. Jekyll e Mr. Hyde.

Leite, Fabíola Vieira
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.24%
O objetivo deste trabalho é propor uma interpretação freudiana da obra literária “o estranho caso do Dr. Jekyll e do Mr. Hyde” de Robert Louis Stevenson. A referida obra apresenta um estilo inovador chegando a preceder Freud na percepção de processos psíquicos os quais seriam posteriormente estudados pela psicanálise na primeira e segunda tópicas. Através de pesquisas bibliográficas, este projeto se propõe a estudar, de forma aprofundada, o sofrimento psíquico do protagonista, Dr. Jekyll, e a clivagem do ego que ocorre na obra, a partir dos diálogos e dos fatos narrados no conto associando as referidas situações aos conceitos psicanalíticos.; Psicologia

Deslocando objetos: o estranho no cotidiano da arte

Carrer, Vanessa
Fonte: Universidade do Extremo Sul Catarinense Publicador: Universidade do Extremo Sul Catarinense
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso - TCC
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.12%
Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado para obtenção do grau de Bacharel no curso de Artes Visuais da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.; A presente pesquisa intitulada “Deslocando objetos: o estranho no cotidiano da arte” está inserida na linha de Processos e Poéticas do curso de Artes Visuais – Bacharelado e se torna possível pela sobreposição alternada da prática e teoria, em uma inquietante busca, de como objetos de design utilizados em espaços domésticos e descartados no contexto urbano podem ser ressignificados para a produção artística? Visto que, busco deslocar objetos utilizados em espaços domésticos a partir de uma proposta encaminhada via e-mail aos meus contatos (participantes) para me retornarem com imagens fotográficas de objetos encontrados ao acaso no cotidiano e que lhes causem certo estranhamento. Junto dessa proposta procuro responder algumas questões que me motivaram a realizar está pesquisa, para isso me apoio em autores como Baudrillard (2006), Eco (1995), Cauquelin (2005), Carvalho (2005), Rouillé (2009), Salles (2009), Rey (2005) entre outros. Ainda estabeleço diálogos com o artista Nino Cais e os designers Irmãos Campana. O percurso da pesquisa culminou com o desenvolvimento da obra/livro “O cotidiano da arte” e de cartões para distribuição junto ao público...

O estranho na transcriação cinematográfica de Luchino Visconti para O estrangeiro, de Albert Camus: uma análise da abertura fílmica; The stranger in the cinematografic transcreation by Luchino Visconti for The stranger by Albert Camus: an analysis of filmic opening scene

Martins, Ana Cláudia Sampaio
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Centro de Letras e Comunicação; Programa de Pós-Graduação em Letras; UFPel; Brasil Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Centro de Letras e Comunicação; Programa de Pós-Graduação em Letras; UFPel; Brasil
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
56.38%
This study discusses the differents representation of alien in the narratives L’Étranger by Albert Camus and Lo straniero by Luchino Visconti. Therefore, our reflection is based on the precepts chosen by Tiphane Samoyault about the concept of intertextuality in order to understand how the works relate. We also consider the meaning of adaptation by the proposition of Linda Hutcheon. Under this perspective, we discuss the issues concerning the theory of alien of Julia Kristeva and Bernhard Waldenfels in the narratives thematic focus – the incipit from the novel and the opening scenes of Visconti’s film. Thereby, we analysis the alien behavior of the main character in the literary and filmic narratives, Meursault, in order to discuss the hypothesis of the research that seeks to understand if the filmic narrative is able to repay the strangeness of the novel since the opening.; Sem bolsa; Esse trabalho discute as diferentes representações de estranho nas narrativas L’Étranger, de Albert Camus, e Lo straniero, de Luchino Visconti. Para tanto, nossa reflexão baseia-se nos preceitos elencados por Tiphane Samoyault sobre o conceito de intertextualidade de modo a entender como as obras artísticas se relacionam. Pensamos, ainda...

JARDIM ESTRANHO; An uncanny garden

Pacheco, Ana Paula
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 06/12/2007 POR
Relevância na Pesquisa
46.1%
O ensaio concentra-se na análise de “Jardim”, de Carlos Drummond de Andrade, visto como modelar de uma poética em trânsito, a do livro Novos poemas (1948). Partindo da discussão adorniana sobre as relações entre forma e princípio de realidade, busca-se apreender o modo como a história, sedimentada no mais fundo da subjetividade – no caso, em imagens de sonho e mascarada fantasmática –, está presente na configuração do poema. Sua figuração imagética, imagens da psique desse “eu” que vê o jardim e nele se reflete, leva-nos a indagar um núcleo temático da poesia drummondiana ligado à melancolia,  fantasmagoria, mutilação e dissolução como processos de constituição da subjetividade poética.; This essay focuses on the analysis of Carlos Drummond de Andrade´s “Jardim,” seen as exemplary of a poetics in transit, namely the one in the book Novos poemas (1948). Based onthe Adornian discussion of the relations between artistic form and reality principle, we seek to grasp the way in which History, sedimented in subjectivity – in this case, in dream imagesand phantomatic masquerade –, is present in the configuration of the poem. The poem’s imagetic figuration, images of the psyche of a poetic “I” who sees the strange garden and reflects himself in it...

The vocation for the abyss; A vocação para o abismo

Helena, Lucia
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 06/12/1999 POR
Relevância na Pesquisa
45.89%
O ensaio busca interpretar o modo de apreensão do mundo e de construção da linguagem em Clarice Lispector, que se pode chamar de vocação para o abismo, visto na articulação entre o olhar, as identidades, a desmedida, o estranho, o quiasmo, os espelhos e a representação.; This essay is an attempt at interpreting the mode of apprehension of the world and construction of language in Clarice Lispector, what might be called a vocation for ha abyss, seen in its articulation of the gaze, identities, unrestraint, strangeness, chiasmus, mirrors and representation.

Diane Arbus e o estranho nosso de cada dia

Mendes, André Melo; Universidade Federal de Minas Gerais
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/10/2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.1%
Este artigo pretende apresentar o trabalho de Diane Arbus, importante fotógrafa norte-americana de origem judaica que produziu sua obra nos anos 1960 e 1970. Influenciada pelo trabalho de Lisette Model, também de origem judaica, Arbus se tornou uma das primeiras fotógrafas interessadas em nos lembrar de que o estranho/grotesco está próximo de nós e faz parte da nossa realidade. O trabalho que consagrou Arbus, e que será aqui analisado, se caracteriza pelo registro e exibição daquilo que são consideradas “as partes debaixo” da sociedade, as partes as quais a moral e os bons costumes determinaram como interditadas e que devem permanecer escondidas porque comprometeriam a ilusão de uma sociedade igual, lisa e perfeita, sobretudo, ordenada.

O estranho, o estranhamento e o estrangeiro em Monique Proulx e Clarice Lispector

Coelho, Haydée Ribeiro; Universidade Federal de Minas Gerais
Fonte: Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais Publicador: Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 03/11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.26%
Resumo:  Esse texto aborda o estranho, o estranhamento e o estrangeiro a partir de alguns contos da literatura do Québec (Les aurores montréales, de Monique Proulx) e de outras narrativas, de Clarice Lispector. Para desenvolver o tema, serão focalizados: o insulamento feminino e a descoberta do “eu”; a adolescência e a experiência do estranho; e, finalmente, o olhar do estrangeiro e o sentimento de ser estrangeiro/estrangeira.Palavras-chave: Literatura comparada; literatura canadense; Monique Proulx; literatura brasileira; Clarice Lispector; estranhamento.Résumé: Ce texte aborde l’étrange, l’étrangeté à partir des quelques nouvelles de la littérature du Québec (Les aurores montréales, de Monique Proulx) et d’autres récits, de Clarice Lispector. Pour développer le thème, les aspects suivants seront priveligiés: l’isolement féminin et la découverte du “moi”; l’enfance, l’adolescence et l’expérience de l’étrangeté; et, finalment, le regard de l’étranger et le sentiment d’être étranger/étrangère.Mots-clés: Littérature comparée; littérature canadienne; Monique Proulx; littérature brésilienne; Clarice Lispector; étrangeté.Keywords: Comparative literature; Canadian literature; Monique Proulx; Brazilian literature; Clarice Lispector; estrangement.

O VIDRO DA PALAVRA: O ESTRANHO COMO OBJETO-LIMITE ENTRE A LITERATURA E A PSICANÁLISE

Saliba, Ana Maria Portugal Maia
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da Faculdade de Letras/UFMG Publicador: Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários da Faculdade de Letras/UFMG
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/2004 POR
Relevância na Pesquisa
46.1%
“O vidro da palavra” é uma metáfora que define “O estranho” de Freud como uma disjunção necessária entre Literatura e Psicanálise, baseada em Walter Benjamin e Maurice Blanchot, incluindo análises de obras literárias citadas por Freud e articulando conceitos psicanalíticos: recalque; divisão subjetiva; “outra cena”; Real e letra como litoral.

Studies of the uncanny: the repetition factor; Estudos do estranho: o fator da repetição

Martins, Julia Teitelroit; PUC-Rio/ Mestranda em Estudos de Literatura
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 30/06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.36%
Freud’s essay The Uncanny (Das Unheimliche) offers many indications for the comprehension of an aesthetics of the uncanny which deserve to be explored. Nonetheless, a concept traverses it from beginning to end: the return – which enables its reading under the light of Beyond the pleasure principle, written along the same span of time. Emphasis is given to the uncanny in the sense of repetition of the different – a paradox in terms, like the strangely familiar uncanny. In order to test the validity of an aesthetic reading under this perspective, follows an analysis of the brief short story “A terceira margem do rio” (“The third margin of the river”), by Guimarães Rosa.; ttp://dx.doi.org/10.5007/2175-7917.2011v16n1p207Primeiramente, é apresentada uma releitura de O Estranho sob a luz do Além do princípio do prazer, dois textos de Freud escritos em um mesmo curto período de tempo, que parecem, à primeira vista, tocar-se apenas tangencialmente. Enfatiza-se o estranho enquanto retorno. Segue, então, uma análise de A terceira margem do rio, de Guimarães Rosa, sob a ótica da repetição diferencial. A repetição não deve ser entendida como reprodução, mas como um retorno do diferente – um paradoxo em termos, tanto quanto o estranho familiar.

O fascínio da imagem: a experiência do fora e o filme O estranho caso de Angélica

Barbosa, Maicon; UFF
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 06/06/2015 POR
Relevância na Pesquisa
46.14%
http://dx.doi.org/10.5007/2176-8552.2015n18p249Este ensaio pretende pensar um modo de relação com as imagens que acontece como experiência de fascínio, a partir de alguns fragmentos da obra de Maurice Blanchot e do filme O estranho caso de Angélica, do diretor português Manoel de Oliveira. Por meio de uma escrita das imagens do filme, o texto se propõe a pensar o fascínio – concepção instável que aparece em diferentes textos de Blanchot sobre a experiência literária – como uma relação com o fora, que arrasta o pensamento para uma região desconhecida, para o acaso que não se submete à primazia de uma interioridade reflexiva. Trata-se de apostar no fascínio da imagem como abertura às forças inomináveis e inquietantes que estremecem subjetividades ensimesmadas e que levam o pensamento a confrontar seus limites.