Página 1 dos resultados de 2775 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

Biometria ultra-sonográfica da tireóide fetal: curvas de normalidade; Sonographic biometry of fetal thyroid gland: nomograms

Bernardes, Lisandra Stein
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/10/2006 PT
Relevância na Pesquisa
27.02%
INTRODUÇÂO: O funcionamento da tireóide fetal se inicia em torno de dez semanas de vida embrionária, e está intimamente relacionado ao funcionamento tireoidiano materno. Em gestantes com doenças tireodianas (principalmente hipertireoidismo), a passagem de anticorpos e medicações maternas pode provocar o mau funcionamento da tireóide fetal, acarretando bócio fetal. Além disso, algumas doenças fetais podem cursar com bócio antenatal. O funcionamento inadequado da tireóide fetal pode ter conseqüências severas (restrição de crescimento intra-uterino, craniosinostose, alterações na produção de líquido intra-âmniótico, insuficiência cardíaca ou até óbito fetal). Além disso, o bócio fetal avançado pode funcionar como obstrução à via de parto, podendo acarretar problemas na evolução do parto. A ultra-sonografia da tireóide fetal vem sendo descrita como um bom método para avaliação de tireóide fetal, porém existem poucas curvas de normalidade da tireóide fetal descritas atualmente, nenhuma em população brasileira. O objetivo desse estudo é construir curvas de normalidade do perímetro, área e diâmetro transverso da tireóide fetal em população brasileira através da utilização da ultra-sonografia bidimensional. MÉTODOS: Foram avaliadas 239 gestantes sem doenças sistêmicas e sem história de doença tireoidiana do pré-natal do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. Todas as gestantes realizaram dosagem de TSH durante a gestação para descartar doença tireoidiana. A idade gestacional foi calculada pela data da última menstruação...

Elaboração de curva brasileira de normalidade de excitabilidade cortical; Normative data of cortical excitability in a Brazilian population

Moscoso, Ana Sofia Cueva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 15/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.02%
INTRODUÇÃO: A obtenção de medidas de excitabilidade cortical mediante a estimulação magnética transcraniana tem surgido nos últimos anos como método de avaliação da integridade funcional do trato cortico-spinal e rede interneuronal no córtex primário motor, abrindo perspectiva de utilizá-la na prática clínica. Alterações nos parâmetros de excitabilidade cortical tem sido relatados na síndrome fibromiálgica e outras síndromes dolorosas, se correlacionando com a gravidade de diferentes componentes dessas síndromes e mudando conforme o tratamento. Entretanto, apesar do seu potencial benefício, existe uma pequena quantidade de estudos disponíveis na literatura que tenham proposto a obtenção de dados de normalidade para esses parâmetros, com casuísticas pequenas, não pareadas por fatores que potencialmente alteraram seus valores. O presente estudo procurou montar uma curva de normalidade de parâmetros de excitabilidade cortical com cálculo de amostra, pareamento por idade e sexo, com estudo dos efeitos da lateralidade hemisférica e dominância, fase do ciclo menstrual e variabilidade inter e intraexaminador. MÉTODOS: Após cálculo amostral, foram convocados voluntários saudáveis do sexo masculino e feminino...

Suposição de normalidade e gestão de risco: uma aplicação do var paramétrico via teste de aderência

Moralles, Herick Fernando; Sartoris Neto, Alexandre; Rebelatto, Daisy Aparecida do Nascimento
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 430-447
POR
Relevância na Pesquisa
37.02%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Given the weaknesses of the parametric VaR (Value-at-Risk) calculated by normality assumptions, this paper develops a method of parametric VaR calculation considering ten different probability distributions. Specifically, the distribution to be used for the VaR calculation of a specific asset or portfolio is indicated by the Kolmogorov-Smirnov goodness-of-fit test. Additionally, the study compares the normality assumptions applicability for the VaR calculation of both individual assets, and to a large portfolio, in the context of market stability. The experiment makes use of a sample of 15 individual assets traded in the Sao Paulo Stock Exchange and the IBOVESPA index, collected in the Economática® database. The goodness-of-fit tests and VaR calculations are performed by a program developed in MATLAB7.1®. This investigation demonstrates that the assumption of normality brings good risk estimates for large portfolios and individual assets.; Tendo em vista as fragilidades do VaR (Valor-em-Risco) paramétrico com pressuposto de normalidade, este trabalho desenvolve um método de cômputo do VaR paramétrico ajustado para dez diferentes distribuições de probabilidade. Especificamente...

Excess returns and normality

Boavida, João Pedro do Carmo
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /06/2011 ENG
Relevância na Pesquisa
27.02%
Mestrado em Economia Monetária e Financeira; In this dissertation, I assess under which circumstances normality can be a good descriptive model for the U.S. excess returns. I explore two possible sources of deviations from normal¬ity: structural breaks and regime switching in long term aggregate time series. In addition, I study temporal aggregation (i.e., considering the frequency of data as a variable) for ex¬cess returns in short term time series. My main findings are summarized as follows. First, using long spanning monthly time series data from 1871 to 2010, I find that (1) there are structural breaks in monthly excess returns between pre-WWII and post-WWII data; and, (2) while pre-WWII data is consistent with normality, post-WWII data is not. Second, I provide evidence of two market regimes for excess returns in post-WWII data. These regimes may be seen as bull and bear market conditions. Third, using high frequency post-WWII data, I check for aggregational Gaussianity, from daily to annual data. I find that Gaus-sianity depends on the frequency of data: it may hold for highly aggregate data (starting from semi-annual to annual data) but it does not hold for high frequency data (less than semi-annual). My main contribution is to demonstrate the "normality survival" when fre¬quency is taken as a variable. After a careful look at the available literature on aggregational Gaussianity...

Concepções populares de normalidade e saúde mental no litoral norte da Bahia, Brasil

Coelho,Maria Thereza Ávila Dantas; Almeida Filho,Naomar de
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
27.14%
Este estudo investiga signos, significados e práticas relacionados à normalidade e saúde mental numa área do litoral norte da Bahia, Brasil. Discute concepções locais sobre a inexistência e existência exclusiva da normalidade mental, assim como os diversos pontos de vista sobre a normalidade mental total. Identifica protótipos de normalidade, como "pessoa normal", "quase normal" e "falso normal", bem como signos que permitem reconhecer uma pessoa como mentalmente normal. Revela valores e conceitos que fundamentam a classificação local das pessoas quanto à normalidade mental e propõe um dispositivo estrutural de saúde composto por elementos morais, científicos, religiosos, ambientais e macrossociais. Analisa práticas locais de normalização e promoção de saúde mental e a configuração de um sistema de signos, significados e práticas de normalidade. Por fim, discute as dimensões primária, secundária e terciária da saúde. Analisa todos esses aspectos comparando as concepções locais com a literatura de referência científica sobre o tema, sobretudo a epistemologia médica, psicanálise, teoria sociológica do rótulo e antropologia médica.

Impressões e sentimentos de gestantes em relação à ultra-sonografia obstétrica no contexto de normalidade fetal

Gomes,Aline Grill; Piccinini,Cesar Augusto
Fonte: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
O objetivo desta pesquisa foi investigar as impressões e sentimentos das gestantes sobre a ultra-sonografia obstétrica, no contexto de normalidade fetal. Participaram do estudo 11 gestantes primíparas, com idades entre 18 e 35 anos e idades gestacional entre 11 e 24 semanas, que estavam sendo submetidas pela primeira vez à ultra-sonografia. Elas responderam a uma entrevista semi-estruturada, antes, logo depois e três semanas depois do exame. Análise de conteúdo qualitativa das entrevistas revelou a satisfação e a intensidade vivenciadas no exame; a sua importância ao permitir conhecer o bebê antes do nascimento; por promover um sentimento de concretização da gravidez e do bebê; e, por informar sobre a saúde do bebê, possibilitando intervenções precoces. Repercussões do exame envolveram, ainda, maior aproximação e cuidado dos familiares para com a gestante. A ultra-sonografia parece ser um momento notório no transcorrer da gravidez, merecendo atenção dos familiares e, especialmente, dos profissionais de saúde envolvidos.

Probabilidade do erro do tipo I nas cartas X e S de Shewhart sob não normalidade

Korzenowski,André Luis; Werner,Liane
Fonte: Associação Brasileira de Engenharia de Produção Publicador: Associação Brasileira de Engenharia de Produção
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
O objetivo deste artigo é verificar o comportamento das cartas de média e desvio padrão de Shewhart em relação à probabilidade do erro do tipo I quando da violação da suposição de normalidade. Foi realizada a simulação de uma série de 500.000 amostras (subgrupos) de tamanho n = 3, 5, 7, 10, 15, 20 e 25. As amostras foram simuladas a partir das distribuições normal, t de Student, exponencial, qui-quadrado, gamma e Weibull. Verificou-se em dados não normais o aumento na probabilidade de erro do tipo I na carta de médias em todas as distribuições simuladas. O mínimo tamanho da amostra necessário está relacionado ao grau de assimetria da distribuição dos dados, sendo que, em alguns casos, nem mesmo n = 25 apresentou resultados satisfatórios. No gráfico S, o aumento da probabilidade de erro do tipo I é significativamente superior em quase todas as distribuições simuladas e seu comportamento é influenciado não só pelo tipo de distribuição, mas também pelo tamanho da amostra.

Definição do tamanho amostral usando simulação Monte Carlo para o teste de normalidade baseado em assimetria e curtose. II.: abordagem multivariada

Santos,Andréa Cristiane dos; Ferreira,Daniel Furtado
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2003 PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
Realizou-se este trabalho com o objetivo de determinar um tamanho amostral ótimo para as estatísticas univariadas de assimetria e curtose (z1 e z2) que, neste caso, foram adaptadas para o caso multivariado, e as estatísticas multivariadas de assimetria e curtose (k1 e k2) com base em simulação. Foram geradas diferentes funções densidade probabilidade multivariadas via método de Monte Carlo para avaliar a taxa de erro tipo I e o poder do teste para os valores nominais de 5% e 1%. Foram avaliadas as situações com p=2, 3, 4 e 5 variáveis, com diferentes estruturas de correlação. Para o caso multivariado, as diferentes estruturas de correlação não afetaram o poder e a taxa de erro tipo I dos testes; a estatística k2 é adequada para uso a partir de n> 50 para valores nominais de significância de 5% ou 1%; a estatística k2 é assintoticamente adequada para os testes de desvios de curtose para n> 100, independentemente dos valores nominais da significância. Pode-se concluir que as estatísticas de assimetria, em geral, são mais poderosas do que as de curtose, mas os testes da hipótese nula de normalidade multivariada devem considerar tanto os testes de desvios de assimetria como os de curtose conjuntamente, como sugerido no caso univariado.

Definição do tamanho amostral usando simulação Monte Carlo para o teste de normalidade baseado em assimetria e curtose: I. Abordagem univariada

Santos,Andréa Cristiane dos; Ferreira,Daniel Furtado
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.02%
Uma forma alternativa para verificar suposição de normalidade dos dados, refere-se à aplicação de testes baseados nos coeficiente de assimetria e curtose. Realizou-se este trabalho com o objetivo de determinar um tamanho amostral ótimo para as estatísticas univariadas (Z1 e Z2) e multivariadas (K1 e K2) que, neste caso, foram consideradas como univariadas, com base em simulação. As estatísticas Z1 e K1 estão associados às medidas de simetria e K2 e K2 às de curtose. Foram geradas diferentes funções de densidade de probabilidade univariadas, via método de Monte Carlo, com a finalidade de avaliar o erro tipo I e o poder do teste. As simulações foram feitas adotando-se os níveis de probabilidade de 5% e 1%. O critério de avaliação, no caso univariado, foi o da comparação das taxas de poder estimadas com o valor das taxas de poder empírico obtidas pelo teste de Shapiro & Wilk (1965). Pelos resultados, verificou-se que as estatísticas Z1 e Z2 possuem aproximação assintótica normal para n>25, com α =5% e podem ser recomendadas para uso rotineiro no caso univariado para testar a hipótese de normalidade dos dados; as estatísticas K1 e K2 possuem aproximações assintóticas melhores que Z1e Z2 para um menor valor do nível nominal de significância...

Concepções de normalidade e saúde mental entre infratores presos de uma unidade prisional da cidade do Salvador

Coelho,Maria Thereza Ávila Dantas
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.02%
Apesar de recentemente no Brasil alguns estudos terem se dedicado à investigação dos conceitos de normalidade e saúde mental, inexistem ainda pesquisas que tratem desta questão entre infratores presos. Este trabalho pretendeu, justamente, investigar tal tema nessa parcela da população. Para tanto, utilizou o referencial metodológico de coleta e análise de dados da teoria dos sistemas de signos, significados e práticas. Verificamos que, na perspectiva dos entrevistados, a normalidade e a saúde mental estão associadas aos comportamentos apontados pela literatura científica como normais e saudáveis, o inverso ocorrendo em relação aos conceitos de anormalidade e doença mental. Um aspecto relevante deste estudo é a forma pela qual a violência criminal foi abordada pelos detentos. Ao mesmo tempo em que eles consideraram tal tipo de violência como característico de uma anormalidade ou doença, não se consideraram nem anormais nem violentos por terem cometido um delito. Esse aspecto parece apontar para a existência de duas diferentes visões: uma que reproduz o primeiro tipo de associação, e outra que admite a co-existência de um momento de violência criminal com o estado de normalidade e saúde mental.

Definição do tamanho amostral usando simulação Monte Carlo para o teste de normalidade baseado em assimetria e curtose. II.: abordagem multivariada

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
PT
Relevância na Pesquisa
36.79%
Realizou-se este trabalho com o objetivo de determinar um tamanho amostral ótimo para as estatísticas univariadas de assimetria e curtose (z1 e z2) que, neste caso, foram adaptadas para o caso multivariado, e as estatísticas multivariadas de assimetria e curtose (k1 e k2) com base em simulação. Foram geradas diferentes funções densidade probabilidade multivariadas via método de Monte Carlo para avaliar a taxa de erro tipo I e o poder do teste para os valores nominais de 5% e 1%. Foram avaliadas as situações com p=2, 3, 4 e 5 variáveis, com diferentes estruturas de correlação. Para o caso multivariado, as diferentes estruturas de correlação não afetaram o poder e a taxa de erro tipo I dos testes; a estatística k2 é adequada para uso a partir de n> 50 para valores nominais de significância de 5% ou 1%; a estatística k2 é assintoticamente adequada para os testes de desvios de curtose para n> 100, independentemente dos valores nominais da significância. Pode-se concluir que as estatísticas de assimetria, em geral, são mais poderosas do que as de curtose, mas os testes da hipótese nula de normalidade multivariada devem considerar tanto os testes de desvios de assimetria como os de curtose conjuntamente, como sugerido no caso univariado.

Definição do tamanho amostral usando simulação Monte Carlo para o teste de normalidade baseado em assimetria e curtose: I. Abordagem univariada

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
PT
Relevância na Pesquisa
37.02%
Uma forma alternativa para verificar suposição de normalidade dos dados, refere-se à aplicação de testes baseados nos coeficiente de assimetria e curtose. Realizou-se este trabalho com o objetivo de determinar um tamanho amostral ótimo para as estatísticas univariadas (Z1 e Z2) e multivariadas (K1 e K2) que, neste caso, foram consideradas como univariadas, com base em simulação. As estatísticas Z1 e K1 estão associados às medidas de simetria e K2 e K2 às de curtose. Foram geradas diferentes funções de densidade de probabilidade univariadas, via método de Monte Carlo, com a finalidade de avaliar o erro tipo I e o poder do teste. As simulações foram feitas adotando-se os níveis de probabilidade de 5% e 1%. O critério de avaliação, no caso univariado, foi o da comparação das taxas de poder estimadas com o valor das taxas de poder empírico obtidas pelo teste de Shapiro & Wilk (1965). Pelos resultados, verificou-se que as estatísticas Z1 e Z2 possuem aproximação assintótica normal para n>25, com α =5% e podem ser recomendadas para uso rotineiro no caso univariado para testar a hipótese de normalidade dos dados; as estatísticas K1 e K2 possuem aproximações assintóticas melhores que Z1e Z2 para um menor valor do nível nominal de significância...

O método dos rácios no sector bancário em Portugal : Avaliação da normalidade e da proporcionalidade

Martins, Ana Isabel Rita
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2001 POR
Relevância na Pesquisa
36.93%
O método dos rácios é provavelmente um dos métodos mais frequentemente utilizados na análise de informações financeiras, não apenas por profissionais da área, mas também por outras entidades que, de uma forma simples e rápida, desejam obter algumas informações-chave sobre os dados, empresa ou sector em estudo. E implicitamente assumido neste tipo de análise que os rácios utilizados possuem as propriedades estatísticas apropriadas, nomeadamente de normalidade e proporcionalidade. No entanto, a evidência empírica, constante na revisão de literatura, demonstra que a não-normalidade e a não-proporcionalidade tendem a ser a regra e não a excepção, o que promove a necessidade de se efectuar a validade do método, antes da sua utilização.

Posições das mudas de alface nas bandejas de poliestireno e efeitos na normalidade e homogeneidade dos erros na produção de plantas

Zanardo,Bernardo; Lúcio,Alessandro Dal'Col; Paludo,André Luiz; Santos,Daniel; Benz,Vilson
Fonte: Universidade Federal do Ceará Publicador: Universidade Federal do Ceará
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
27.09%
A qualidade de um experimento pode ser descrita por intermédio de estatísticas, sendo o erro experimental um dos parâmetros de avaliação dessa qualidade. O objetivo do trabalho foi verificar a interferência de diferentes posições de mudas de alface em bandeja de poliestireno sobre a normalidade e homogeneidade dos erros em experimentos realizados em estufa plástica e em campo. Foram conduzidos seis experimentos no Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Santa Maria, sendo três no verão (2006-2007) e três no outono-inverno (2007) com a cultura da alface, cultivar Vera. Os tratamentos foram 12 diferentes posições das mudas na bandeja de produção. As variáveis analisadas na produção de mudas e após o transplante aos ambientes foram a fitomassa fresca e seca da parte aérea e raiz e fitomassa fresca e seca da parte aérea, respectivamente. Foram testadas as normalidade e homogeneidade dos erros sendo comparadas às médias de cada tratamento. Há atendimento da homogeneidade e normalidade dos erros para as fitomassas fresca da parte aérea e de raiz de alface nos experimentos com diferentes posições de mudas na bandeja de produção, nos diferentes ambientes e estações sazonais de cultivo. Para a fitomassa seca da parte aérea não há atendimento da homogeneidade e/ou normalidade dos erros nos experimentos no verão...

Um ohlar antropológico sobre a mídia, cirugia íntima e normalidade. En: Avá, nº 19

Machado-Borges, Thaïs
Fonte: Programa de Postgrado de Antropología Social, Facultad de Humanidades y Ciencias Sociales, Universidad Nacional de Misiones Publicador: Programa de Postgrado de Antropología Social, Facultad de Humanidades y Ciencias Sociales, Universidad Nacional de Misiones
Tipo: info:ar-repo/semantics/artículo; info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em /06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.93%
O presente artigo examina como a cirugia íntima feminina é representada e discutida em alguns textos da mídia brasileira encontrados na internet. Partindo de uma análise antropológica da mídia discute-se aqui como productos culturais produzem estabelecem e estetizam determinados padrôes de normalidade feminina. Argumenta-se que a cirugia íntima, tal como é representada em certos textos da mídia brasileira, parece apresentar ás mulheres a possibilidade (ou a necessidade) de transformar seus corpos em cópias perfeitas de um padrâo imaginário de feminilidade, que entrelaça normalidade com ideais de aparência física, desejo e prazer.

Apar??ncia, normalidade e preconceito: breve exame de impactos sociais do diagn??stico de defici??ncia

Morais, Carla Balduino
Fonte: Centro Universitário de Brasília Publicador: Centro Universitário de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.93%
A presente pesquisa teve como objetivo investigar como pessoas diagnosticadas com defici??ncia conseguem compensar impactos sociais em suas vidas. Para isso, buscou-se identificar estrat??gias utilizadas por elas para lidar com tr??s categorias de desafios: a sociedade da apar??ncia, a ideia de normalidade e o preconceito. Tais desafios, em ??ltima inst??ncia, podem ser traduzidos como efeitos ou impactos sociais do diagn??stico de defici??ncia. Foram realizadas entrevistas abertas com jovens diagnosticados com defici??ncia intelectual e tamb??m com jovem portador de S??ndrome de Down. Em seguida, foram analisados os trechos de suas falas que abordavam as tr??s categorias de interesse desta pesquisa, a fim de elucidar o objetivo proposto. Ao final da pesquisa, constatou-se o predom??nio da preocupa????o com a apar??ncia entre as mulheres. Quanto aos aspectos relacionados ?? normalidade observou-se a prefer??ncia pela n??o afirma????o da defici??ncia. Verificou-se que todos os jovens entrevistados s??o objeto de preconceito.

ESTUDO DA NORMALIDADE DA PLUVIOMETRIA NO SETOR SERRANO DE CUBATÃO E BAIXADA SANTISTA – SP; ESTUDO DA NORMALIDADE DA PLUVIOMETRIA NO SETOR SERRANO DE CUBATÃO E BAIXADA SANTISTA - SP

Nunes, Luci Hidalgo
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 08/11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.09%
ESTUDO DA NORMALIDADE DA PLUVIOMETRIA NO SETOR SERRANO DE CUBATÃO E BAIXADA SANTISTA - SP; ESTUDO DA NORMALIDADE DA PLUVIOMETRIA NO SETOR SERRANO DE CUBATÃO E BAIXADA SANTISTA – SP

Um olhar antropológico sobre a mídia, cirurgia íntima e normalidade

Machado-Borges,Thaïs
Fonte: Avá Publicador: Avá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.93%
O presente artigo examina como a cirurgia íntima feminina é representada e discutida em alguns textos da mídia brasileira encontrados na internet. Partindo de uma análise antropológica da mídia discute-se aqui como produtos culturais produzem, estabelecem e estetizam determinados padrões de normalidade feminina. Argumenta-se que a cirurgia íntima, tal como é representada em certos textos da mídia brasileira, parece apresentar às mulheres a possibilidade (ou a necessidade) de transformar seus corpos em cópias perfeitas de um padrão imaginário de feminilidade, que entrelaça normalidade com ideais de aparência física, desejo e prazer.

Concepções populares de normalidade e saúde mental no litoral norte da Bahia, Brasil

Coelho,Maria Thereza Ávila Dantas; Almeida Filho,Naomar de
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2005 PT
Relevância na Pesquisa
27.14%
Este estudo investiga signos, significados e práticas relacionados à normalidade e saúde mental numa área do litoral norte da Bahia, Brasil. Discute concepções locais sobre a inexistência e existência exclusiva da normalidade mental, assim como os diversos pontos de vista sobre a normalidade mental total. Identifica protótipos de normalidade, como "pessoa normal", "quase normal" e "falso normal", bem como signos que permitem reconhecer uma pessoa como mentalmente normal. Revela valores e conceitos que fundamentam a classificação local das pessoas quanto à normalidade mental e propõe um dispositivo estrutural de saúde composto por elementos morais, científicos, religiosos, ambientais e macrossociais. Analisa práticas locais de normalização e promoção de saúde mental e a configuração de um sistema de signos, significados e práticas de normalidade. Por fim, discute as dimensões primária, secundária e terciária da saúde. Analisa todos esses aspectos comparando as concepções locais com a literatura de referência científica sobre o tema, sobretudo a epistemologia médica, psicanálise, teoria sociológica do rótulo e antropologia médica.

Concepções de normalidade e saúde mental entre infratores presos de uma unidade prisional da cidade do Salvador

Coelho,Maria Thereza Ávila Dantas
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.02%
Apesar de recentemente no Brasil alguns estudos terem se dedicado à investigação dos conceitos de normalidade e saúde mental, inexistem ainda pesquisas que tratem desta questão entre infratores presos. Este trabalho pretendeu, justamente, investigar tal tema nessa parcela da população. Para tanto, utilizou o referencial metodológico de coleta e análise de dados da teoria dos sistemas de signos, significados e práticas. Verificamos que, na perspectiva dos entrevistados, a normalidade e a saúde mental estão associadas aos comportamentos apontados pela literatura científica como normais e saudáveis, o inverso ocorrendo em relação aos conceitos de anormalidade e doença mental. Um aspecto relevante deste estudo é a forma pela qual a violência criminal foi abordada pelos detentos. Ao mesmo tempo em que eles consideraram tal tipo de violência como característico de uma anormalidade ou doença, não se consideraram nem anormais nem violentos por terem cometido um delito. Esse aspecto parece apontar para a existência de duas diferentes visões: uma que reproduz o primeiro tipo de associação, e outra que admite a co-existência de um momento de violência criminal com o estado de normalidade e saúde mental.