Página 1 dos resultados de 272 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

O impacto da regulação emocional no bem-estar dos trabalhadores portugueses: o papel moderador dos traços de personalidade

Rodrigues, Fátima Maria Nunes
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
27.69%
Hoje em dia as emoções constituem um aspecto fundamental de estudo e investigação, uma vez que é reconhecido que estas não só condicionam o nosso comportamento, como marcam e determinam a nossa interacção com os outros, nos múltiplos domínios da nossa vida, designadamente o do traba-lho. A presença de emoções em qualquer situação ou contexto implica a sua adequação aos mesmos, tornando-se fundamental compreender que factores interferem com essa regulação emocional e quais os possíveis efeitos ou consequências que estão associados a essa mesma regulação. Em parceria com a equipa de investigação sobre Emoções, Sentimentos e Afectos em Contexto de Trabalho, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), no Brasil, conduzimos o presente estudo com o objectivo de testar a relação entre a regulação das emoções e o bem-estar, analisando o papel moderador que os traços de personalidade, nomeadamente a extroversão e o neuroticismo, po-dem ter nessa relação, numa amostra de 310 trabalhadores portugueses. Para o efeito, recorremos à escala Emotion Regulation Profile – Revised (ERP-R) de Nelis, Quoidbach, Hansenne e Mikolajczak (2011), adaptada numa versão reduzida de Gondim et al. (in press), bem como à Escala de Bem-Estar Sub-jectivo (EBES)...

A construção de um instrumento de medida para o fator neuroticismo/estabilidade emocional dentro do modelo de personalidade dos cinco grandes fatores

Nunes, Carlos Henrique Sancineto da Silva
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.76%
Esta pesquisa teve como objetivo construir e validar uma escala para avaliação do fator neuroticismo/estabilidade emocional. Neuroticismo é uma dimensão da personalidade humana, no modelo dos cinco grandes fatores, que se refere ao nível crônico de ajustamento e instabilidade emocional. Um alto nível de neuroticismo identifica indivíduos propensos a sofrimento psicológico que podem apresentar altos níveis de ansiedade, depressão, hostilidade, vulnerabilidade, autocrítica, impulsividade, baixa auto-estima, idéias irreais, baixa tolerância a frustração e respostas de coping não adaptativas. No primeiro estudo deste projeto foram gerados os itens da escala e avaliadas as suas qualidades psicométricas e validade de construto. Os participantes foram 792 estudantes universitários de três estados brasileiros. O segundo estudo teve como objetivo verificar a validade concorrente do instrumento. Participaram 437 estudantes universitários. Os resultados mostraram que o instrumento e as quatro subescalas identificadas através da análise fatorial apresentam qualidades psicométricas adequadas. As correlações entre o instrumento e testes para avaliar ansiedade, depressão, bem estar subjetivo, auto estima e neuroticismo (EPQ) indicaram que a escala construída está avaliando adequadamente as diferentes facetas do construto neuroticismo.

Os pressupostos evolutivos dos fatores abertura à experiência e neuroticismo

Vasconcellos, Silvio José Lemos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.61%
O modelo dos cinco grandes fatores descreve amplos fatores ou dimensões da personalidade descobertos a partir da pesquisa empírica. Esse modelo emergiu possivelmente como o mais amplamente aceito modelo referente à estrutura da personalidade. Abertura à Experiência e Neuroticismo são dois dos cinco principais domínios. A teoria evolucionista da personalidade postula que os principais traços abarcam sistemas universais entre os seres humanos. O objetivo central da presente pesquisa foi investigar alguns aspectos evolutivos dos fatores Abertura à experiência e Neuroticismo. No estudo 1, foi desenvolvida e validada uma escala para avaliar Abertura à Experiência. Participaram dessa etapa 809 universitários. Os demais estudos enfocaram a relação entre Neuroticismo, Abertura à Experiência e preferência por cenários naturais. Alguns métodos empregados nesses estudos permitiram avaliar os aspectos motivacionais da personalidade evocados por ambientes naturais primitivos. Houve uma correlação positiva entre a faceta ansiedade e a escolha por paisagens ricas em perspectiva (r = 0,21; p < 0,05). Em termos gerais, o estudo dessas preferências mostrou-se uma maneira útil de analisar alguns aspectos relativos ao impacto da evolução sobre a personalidade humana.; The five-factor model describes five broad factors or dimensions of personality discovered by empirical research. This model emerged as possibly the most widely accepted model of personality scturcture Openess to Experience and Neuroticism are two of five major domanins. Evolutionary theory of personality postulates that main traits evolved systems that are universal in humans. The main objective of the present research was to investigate some of the evolutionary aspects of the factors Openess to Experience and Neuroticism. In Study 1...

A influência da extroversão e do neuroticismo na eficácia negocial numa amostra de professores

Afonso, Cristina Maria Martins
Fonte: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Publicador: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.49%
Dissertação de Mestrado em Psicologia da Educação; A negociação é uma atividade de grande relevo no desempenho de uma organização escolar, que cada vez mais, experiencia um ambiente de forte competição e de constantes mudanças. Dos inúmeros fatores que contribuem para a finalização de uma negociação com resultados satisfatórios, a personalidade tem vindo a merecer interesse por parte da comunidade científica, contudo, estamos longe de obter respostas satisfatórias para compreensão desta problemática. Nesta perspetiva, o presente estudo tem como objetivo contribuir para esclarecimento da forma como estas variáveis se relacionam. Para tal, numa primeira parte foi efetuado uma revisão da literatura sobre esta temática. Da segunda parte consta um estudo empírico, realizado com 183 professores, que teve como objetivo analisar a influência da extroversão e do neuroticismo na eficácia negocial dos professores. Foram utilizados dois instrumentos para a mensuração das variáveis em questão, sendo eles, o Inventário de Personalidade de Eysenck (EPI) para avaliar a extroversão e o neuroticismo e o Questionário de Eficácia na Negociação (CEN II), para avaliar a eficácia na negociação. Assim, procedemos à análise das características psicométricas das escalas...

Neuroticismo: Algumas variáveis diferenciais

Barros de Oliveira, José H.; Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 17/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.31%
O neuroticismo é um traço cognitivo-afectivo ou uma expressão negativa da personalidade. Depois de tentarmos definir este construto e de fazer alguma referência à sua avaliação, analisamos alguns estudos que o correlacionam com outras emoções negativas ou positivas da personalidade e com variáveis sociodemográficas. Na parte empírica são analisados três estudos, numa perspectiva diferencial, tentando saber se há diferenças significativas conforme a idade, o sexo, a cultura/ nação e a religião. Dada a pouca base bibliográfica capaz de sustentar algumas hipóteses, o estudo torna- se exploratório, embora se confirmem alguns pressupostos iniciais: conforme o sexo, as mulheres tendem a ser mais neuróticas do que os homens; atendendo à idade, os adolescentes e os idosos são mais neuróticos que os adultos. Quanto à cultura/nação, os africanos (caboverdianos e angolanos) tendem a manifestar maior neuroticidade que os portugueses. No que concerne à religião, não foram encontradas diferenças significativas entre as freiras e as raparigas universitárias.

A influência do traço de personalidade neuroticismo na suscetibilidade às falsas memórias

Ávila,Luciana Moreira de; Stein,Lilian Milnitsky
Fonte: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília Publicador: Instituto de Psicologia, Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
37.61%
As falsas memórias são lembranças de eventos que na realidade nunca ocorreram. Porém, a pergunta que surge é quais características e traços de personalidade poderiam influenciar na suscetibilidade a esse tipo de distorção de memória. A fim de investigar as diferenças individuais e falsas memórias, o presente estudo testou em 150 estudantes universitários o efeito do traço de personalidade neuroticismo (baseado no modelo dos Cinco Grandes Fatores) na suscetibilidade às falsas memórias. Para isso foram utilizados como instrumentos a Escala Fatorial de Ajustamento Emocional/Neuroticismo e a versão brasileira do procedimento das Listas de Palavras Associadas, contendo palavras de cunho neutro e emocional (positivo e negativo). Os resultados mostraram que pessoas com alto neuroticismo apresentaram maior número de falsas memórias e uma melhor lembrança para palavras de valência emocional negativa.

Temperamento, neuroticismo e auto-estima: estudo preliminar

Ito,Patrícia do Carmo Pereira; Gobitta,Mônica; Guzzo,Raquel Souza Lobo
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2007 PT
Relevância na Pesquisa
37.81%
Esta pesquisa investigou correlações entre temperamento, neuroticismo e auto-estima. Participaram da amostra 42 universitários na faixa etária dos 19 aos 21 anos, os quais responderam às Escalas Fatorial de Ajustamento Emocional/Neuroticismo, Pavlovian Temperament Survey e Auto-Estima de Rosenberg. Os resultados indicaram que a dimensão força de excitação (Pavlovian Temperament Survey) apresentou correlações negativas significativas com as dimensões vulnerabilidade e ansiedade (Escalas Fatorial de Ajustamento Emocional/Neuroticismo); a força de inibição (Pavlovian Temperament Survey) apresentou correlação negativa significativa com a ansiedade da Escalas Fatorial de Ajustamento Emocional/Neuroticismo e a mobilidade (Pavlovian Temperament Survey) se correlacionou positivamente com desajustamento psicossocial (Escalas Fatorial de Ajustamento Emocional/Neuroticismo). No que se refere à correlação entre Pavlovian Temperament Survey e Escala de Auto-Estima, não foram obtidas correlações significativas. A correlação entre Escalas Fatorial de Ajustamento Emocional/Neuroticismo e auto-estima apresentou correlações negativas significativas nas dimensões vulnerabilidade, ansiedade e depressão. Esses resultados, importantes na elaboração e implantação de programas de prevenção e intervenção...

Avaliação multi-informe do traço de neuroticismo em escolares

Mansur-Alves,Marcela; Flores-Mendoza,Carmen; Abad,Francisco José
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.81%
A presente investigação avalia o traço de neuroticismo em escolares por meio de metodologia multi-informe que inclui autorrelato, heterorrelato, entrevista semiestruturada e observação comportamental. Especificamente, objetiva identificar o grau de concordância na avaliação de neuroticismo entre as várias fontes de informação utilizadas. A amostra [N=368] constitui parte do "Estudo Longitudinal de Avaliação das Competências Psicológicas das Crianças do Centro Pedagógico/Universidade Federal de Minas Gerais". Na seleção de crianças com alto e baixo neuroticismo, utilizaram-se os resultados em duas escalas de autorrelato - Big Five Questionnaire for Children e o Eysenck Personality Questionnaire - Junior. Logo, uma subamostra de 68 crianças foi submetida à avaliação multi-informe. Os resultados mostraram correlação moderada entre as escalas neuroticismo dos instrumentos de autorrelato. Não houve associação significativa entre o relato de pais e o de professores quando avaliaram neuroticismo, mas sim associações positivas entre o autorrelato e as avaliações multi-informes. As observações comportamentais não se mostraram úteis na mensuração dos traços e as razões para tais resultados são discutidas. Conclui-se que o presente estudo trouxe importantes contribuições para a literatura da área no que se refere à avaliação multi-informe do neuroticismo em crianças brasileiras.

A influência da rede de relações, do coping e do neuroticismo na satisfação de vida de jovens estudantes

Serafini,Adriana Jung; Bandeira,Denise Ruschel
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.61%
Objetivou-se avaliar, em uma amostra de jovens, o efeito das variáveis rede de relações, neuroticismo e estratégias de coping sobre a variável satisfação de vida, e apresentar um perfil descritivo da amostra para essas variáveis. Participaram 502 alunos de 10 escolas estaduais de Porto Alegre, com idade média de 16,6 anos (desvio-padrão=1,4 anos). Os instrumentos utilizados incluem: questionário de dados sociodemográficos, Escala Multidimensional de Satisfação de Vida para Adolescentes, Inventário de Rede de Relações, Inventário de Estratégias de Coping e Escala Fatorial de Neuroticismo. Foram realizadas análises de variância multivariada e de regressão múltipla. Os principais resultados indicaram que os participantes apresentam bom nível de satisfação de vida, utilizam um número variado de estratégias de coping, e que os amigos e a mãe exercem influência sobre eles. Verificou-se que o fator depressão da Escala Fatorial de Neuroticismo foi o que melhor predisse o nível de satisfação de vida total da amostra.

Relações entre pensamento ruminativo e facetas do neuroticismo

Zanon,Cristian; Borsa,Juliane Callegaro; Bandeira,Denise Ruschel; Hutz,Claudio Simon
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas Publicador: Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Campinas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.49%
O objetivo deste estudo foi avaliar as relações de ruminação com neuroticismo e suas facetas (vulnerabilidade, desajustamento psicossocial, ansiedade e depressão), no tocante à variavel sexo. Compuseram a amostra 361 estudantes universitários (48,5% do sexo feminino), com média de idade de 19,9 anos (DP=3,6). Os estudantes foram testados coletivamente em sala de aula. Os resultados evidenciaram correlações positivas de ruminação com neuroticismo e suas facetas, tanto em homens quanto em mulheres. Não foram verificadas diferenças significativas entre os sexos em relação a essas correlações. Ademais, homens apresentaram médias superiores de desajustamento psicossocial e depressão em relação a mulheres. Estas, por sua vez, apresentaram médias superiores de ansiedade. Os achados desse estudo são discutidos à luz da literatura da área e sugerem novas investigações.

Etabilidade temporal e correlatos desenvolvimentais do traço de neuroticismo em crianças em fase escolar

Mansur-Alves,Marcela; Flores-Mendoza,Carmen
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.69%
Neuroticismo (N) é um dos traços de personalidade mais amplamente estudados na psicologia da personalidade. As evidências atuais apontam a importância de se estudar o impacto do neuroticismo em vários aspectos do desenvolvimento infantil. Assim sendo, o presente estudo objetivou primeiramente verificar a consistência temporal de N e suas relações com determinados aspectos do desenvolvimento infantil. Participaram do estudo 368 crianças de uma escola pública federal da cidade de Belo Horizonte, às quais foram aplicados testes de inteligência e de desempenho escolar e dois instrumentos de autorrelato da personalidade, bem como foi realizada uma avaliação antropométrica. Ademais, os pais das crianças preencheram um questionário de funcionamento adaptativo. Os resultados apontam a existência de moderada estabilidade temporal de N. Não foram encontradas associações significativas entre N e as medidas antropométricas. Não obstante, o neuroticismo foi capaz de predizer o desempenho escolar, mesmo quando se controlou o efeito da inteligência, e se associa também ao funcionamento adaptativo das crianças. Conclui-se que a dimensão neuroticismo possui significativo impacto no desenvolvimento das crianças em fase escolar.

Neuroticismo, emoções e comportamentos de risco em usuários de um ambulatório de saúde mental

Tinoco, Gesiane Agostinho Barbosa
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.76%
Este estudo teve por objetivo analisar a relação entre estados emocionais negativos, traço de personalidade neuroticismo e intenção de engajar-se em comportamentos de risco em uma amostra de pacientes em tratamento psiquiátrico e/ou psicológico, atendidas em um ambulatório de Saúde Mental da cidade de Uberlândia-MG. Participaram da pesquisa vinte pessoas que apresentavam diferentes comportamentos de risco como tentativas de suicídio, abuso de álcool, drogas e agressividade. Os participantes apresentavam os seguintes diagnósticos: transtornos de personalidade, transtornos de humor, dependência de álcool e drogas, Transtorno Obsessivo Compulsivo e transtornos de ansiedade. Os participantes responderam a três instrumentos, sendo duas escalas (Escala Fatorial de Neuroticismo – EFN e Escala de Comportamento de Risco) e narrativas descritivas de comportamentos de risco (scripts). O conjunto dos instrumentos foi aplicado na própria Unidade Básica de Saúde, após aceite voluntário e assinatura de Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Após a coleta, realizou-se a análise descritiva e correlacional dos dados. Os resultados indicaram que a maioria dos participantes apresentou níveis de neuroticismo acima do padrão...

Neuroticismo y trastorno por estrés postraumático : un estudio meta-analítico.

Soler Ferrería, Fabiola Beatriz
Fonte: Universidade de Múrcia Publicador: Universidade de Múrcia
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
27.85%
Justificación: Tanto el Trastorno de Estrés Postraumático (TEPT) como el Neuroticismo tienen importantes implicaciones en Salud Pública. Existen evidencias científicas que sugieren que el Neuroticismo podría incrementar el riesgo de TEPT ante la exposición a un evento traumático. Sin embargo, existen resultados contradictorios en la literatura científica. Objetivos: Analizar la evidencia sobre la influencia del Neuroticismo en el desarrollo del TEPT en personas expuestas a una experiencia traumática. Método: Búsqueda: Se realizó una revisión sistemática con las palabras clave “Neuroticism AND PTSD OR post-traumatic stress disorder” en las bases de datos: PsycINFO, PsycArticle, MEDLINE, EMBASE, TripDataBase y Google Académico. Selección y extracción de datos: Los criterios de inclusión fueron: (a) Estudios empíricos (casos-controles, cohortes o transversales) que informen de medidas de Neuroticismo como rasgo de la personalidad, así como de sintomatología o diagnóstico de TEPT, valorados ambos a través de una escala empíricamente validada/establecida o según el cumplimiento de los criterios diagnósticos de las clasificaciones internacionales DSM o CIE, utilizando los mismos instrumentos en toda la muestra; (b) que informen de la relación directa existente entre Neuroticismo y TEPT de manera cuantitativa...

The influence of neuroticism in the relation between stressful events and adult attachment; A influência do neuroticismo na relação entre eventos estressores e apego adulto

Teixeira, Rachel Coêlho Ripardo
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 28/08/2015 EN
Relevância na Pesquisa
37.85%
Events in the life history of an individual such as childhood stressful events alter the strategies that guide behavior, specifically sexual strategies. Evolutionary Developmental Psychology suggests that development must be studied through the integration of various aspects, such as Attachment, Sexual strategies, and Personality. Important and stable part of psychology, personalitys factor Neuroticism reflects how people react to stress. Considering this, in the present thesis we analyzed the relationship between childhood stressful life events, neuroticism and adult attachment. We interviewed 173 people, 99 women and 74 men, aged from 18 to 45 years old (M= 29.51; SD= 7.3), that had a family income range from 1 to 3 Brazilian MW. We applied a Stressful Events Inventory, a Neuroticism Test, and an Attachment Scale. It was found an average of 16,59 of occurrence of stressful events (SD = 5.82). In addition to this high frequency, it was found that the greater the number of stressful events, the greater the perceived stress; and participants perceived the events as more stressful than expected. There were sex differences, with men experiencing more events related to violence and authority, and women, more events that are social. Women also tended to perceive all events as more stressful and to have higher Neuroticism. 42% of the sample had a secure attachment style...

Relações entre Bem-Estar Subjetivo, Neuroticismo, Ruminação, Reflexão e Sexo

Cristian Zanon; Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Claudio Simon Hutz; Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Fonte: UFMG / UFU / UFSJ / UFJF Publicador: UFMG / UFU / UFSJ / UFJF
Tipo: Avaliado por Pares; Formato: application/pdf
Publicado em 23/08/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.31%
A ruminação e a reflexão são tipos distintos de pensamento presentes em todas as pessoas em maior ou menor grau. A literatura sugere que as diferentes combinações de ruminação e reflexão estão associadas a traços de personalidade e sintomas psicopatológicos. O objetivo deste estudo foi avaliar as relações entre os estilos de pensamento ruminativo e reflexivo com bem-estar subjetivo (satisfação de vida, afeto positivo, afeto negativo), facetas do Neuroticismo (vulnerabilidade, ansiedade, depressão, desajustamento psicossocial) e sexo. Compuseram a amostra 361 estudantes universitários (48,5% do sexo feminino), com média de idade de 19,9 anos. Os estudantes foram testados coletivamente em sala de aula. Os resultados mostraram que a ruminação predisse aproximadamente 6% da variância da satisfação de vida e 19% do afeto negativo. Foram também encontradas correlações com depressão, ansiedade e vulnerabilidade. Esses resultados corroboram os achados descritos na literatura, embora as correlações mais elevadas de ruminação com ansiedade do que com depressão são incomuns.

Neuroticismo, extraversión y estilo atribucional en veteranos de guerra: una aproximación desde el estrés postraumático

Enrique,Alejandro
Fonte: Interdisciplinaria Publicador: Interdisciplinaria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2004 ES
Relevância na Pesquisa
37.31%
Las personas que experimentan un evento traumático (guerra, desastres naturales, abuso sexual, entre otros), a menudo suelen desarrollar un tipo específico de patología clínica conocida como Síndrome de Estrés Postraumático que frecuentemente está asociada a una serie de trastornos con una fuerte incidencia negativa en la mayoría de los casos, en todos los aspectos de la vida cotidiana de quienes lo padecen. En particular en el caso de los veteranos de la guerra de las Islas Malvinas, que no tuvieron la posibilidad de contar con asistencia psicológica y contención emocional post-guerra, la presencia de este síndrome se encuentra asociada a un estilo atribucional desadaptativo o pesimista, como así también a mayores niveles de neuroticismo y menores de extraversión en comparación con la población general, lo que se traduce en mayores niveles de ansiedad flotante, escasa capacidad de control de los impulsos, inestabilidad emocional e incapacidad para generar y mantener relaciones sociales estables, con respecto a los excombatientes que no desarrollaron estrés postraumático.

Estudio Transversal sobre la Relación entre Neuroticismo y Curso Clínico en Pacientes con Enfermedades Inflamatorias Intestinales

Fernández Méndez,Juan Carlos; Pérez Vidal,José Andrés; Fernández Méndez,Berta
Fonte: Clínica y Salud Publicador: Clínica y Salud
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/01/2010 SPA
Relevância na Pesquisa
37.69%
En el presente trabajo se analiza la relación que existe entre neuroticismo y diversas condiciones médicas que hacen referencia al curso clínico de las enfermedades inflamatorias intestinales. Para desarrollar la investigación se tomaron medidas en neuroticismo mediante el Inventario de Personalidad de Eysenck a 106 participantes diagnosticados de colitis ulcerosa y enfermedad de Crohn. Los resultados reflejaron que la muestra global de pacientes con enfermedades inflamatorias intestinales mostraba valores en neuroticismo que se hallaban dentro de la normalidad; sin embargo, se pudo verificar que los valores diferían dependiendo del curso clínico de la patología. El estudio sugiere que las variaciones en neuroticismo son considerables cuando se analizan los datos de la muestra general y cuando se tienen en cuenta diversas condiciones del curso clínico.

Neuroticismo y trastorno por estrés postraumático: un estudio meta-analítico

Soler-Ferrería,Fabiola B; Sánchez-Meca,Julio; López-Navarro,José Manuel; Navarro-Mateu,Fernando
Fonte: Revista Española de Salud Pública Publicador: Revista Española de Salud Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/02/2014 SPA
Relevância na Pesquisa
37.69%
Fundamentos: Existen resultados contradictorios sobre el papel del neuroticismo como factor de riesgo del trastorno por estrés postraumático (TEPT). Los objetivos de este estudio fueron estimar la magnitud y dirección de la asociación entre neuroticismo y TEPT así como analizar la influencia de diferentes variables moderadoras sobre el tamaño del efecto. Métodos: Se realizó una revisión sistemática y un meta-análisis. La búsqueda de estudios se efectuó en Medline, IME, PsycINFO, Trip Databse y Google Scholar, siendo el límite temporal hasta octubre de 2012. También se hizo una búsqueda manual y se contactó con los autores principales. Criterios de inclusión: (a) estudios empíricos que analizaran la asociación entre neuroticismo y TEPT mediante escalas validadas o criterios diagnósticos (DSM, CIE); (b) en sujetos expuestos a un evento traumático y (c) escritos en inglés o español. Dos evaluadores independientes realizaron la selección y codificaron los datos siguiendo el protocolo previamente elaborado. Se aplicó el modelo de efectos aleatorios para obtener el tamaño del efecto medio y explorar variables moderadoras. Resultados: De 96 artículos elegibles, 34 cumplieron los criterios de inclusión (9.941 participantes). El tamaño del efecto medio fue r+=0...

Neuroticismo: algumas variáveis diferenciais

Oliveira,José H. Barros de
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/11/2002 PT
Relevância na Pesquisa
37.31%
O neuroticismo é um traço cognitivo-afectivo ou uma expressão negativa da personalidade. Depois de tentarmos definir este construto e de fazer alguma referência à sua avaliação, analisamos alguns estudos que o correlacionam com outras emoções negativas ou positivas da personalidade e com variáveis sociodemográficas. Na parte empírica são analisados três estudos, numa perspectiva diferencial, tentando saber se há diferenças significativas conforme a idade, o sexo, a cultura/nação e a religião. Dada a pouca base bibliográfica capaz de sustentar algumas hipóteses, o estudo torna-se exploratório, embora se confirmem alguns pressupostos iniciais: conforme o sexo, as mulheres tendem a ser mais neuróticas do que os homens; atendendo à idade, os adolescentes e os idosos são mais neuróticos que os adultos. Quanto à cultura/nação, os africanos (caboverdianos e angolanos) tendem a manifestar maior neuroticidade que os portugueses. No que concerne à religião, não foram encontradas diferenças significativas entre as freiras e as raparigas universitárias.

Neuroticismo y trastorno por estrés postraumático: un estudio meta-analítico

Soler-Ferrería,Fabiola B; Sánchez-Meca,Julio; López-Navarro,José Manuel; Navarro-Mateu,Fernando
Fonte: Ministerio de Sanidad y Consumo Publicador: Ministerio de Sanidad y Consumo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2014 ES
Relevância na Pesquisa
37.69%
Fundamentos: Existen resultados contradictorios sobre el papel del neuroticismo como factor de riesgo del trastorno por estrés postraumático (TEPT). Los objetivos de este estudio fueron estimar la magnitud y dirección de la asociación entre neuroticismo y TEPT así como analizar la influencia de diferentes variables moderadoras sobre el tamaño del efecto. Métodos: Se realizó una revisión sistemática y un meta-análisis. La búsqueda de estudios se efectuó en Medline, IME, PsycINFO, Trip Databse y Google Scholar, siendo el límite temporal hasta octubre de 2012. También se hizo una búsqueda manual y se contactó con los autores principales. Criterios de inclusión: (a) estudios empíricos que analizaran la asociación entre neuroticismo y TEPT mediante escalas validadas o criterios diagnósticos (DSM, CIE); (b) en sujetos expuestos a un evento traumático y (c) escritos en inglés o español. Dos evaluadores independientes realizaron la selección y codificaron los datos siguiendo el protocolo previamente elaborado. Se aplicó el modelo de efectos aleatorios para obtener el tamaño del efecto medio y explorar variables moderadoras. Resultados: De 96 artículos elegibles, 34 cumplieron los criterios de inclusión (9.941 participantes). El tamaño del efecto medio fue r+=0...