Página 1 dos resultados de 31 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Avaliação do sistema complemento e produção de anticorpos de pacientes HIV negativos com neurocriptococose; Antibody response to Cryptococcus sp and complement system activation in HIV negative patients with neurocryptococcosis

Arruk, Viviana Galimberti
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
28.26%
Cryptococcus sp é um fungo saprófita, cosmopolita, que causa micose sistêmica, geralmente, subaguda ou crônica, conhecida, sobretudo, por sua localização meníngea, após aquisição da infecção por via respiratória Embora seja ubíquo, a criptococose ocorre predominantemente em indivíduos imunodeficientes e podendo ocorrer, também, em indivíduos imunocompetentes. Os estudos experimentais e em humanos avaliando a ativação do sistema complemento e a produção de anticorpos específicos mostram que a resposta inata e de anticorpos são importantes para a delimitação do processo infeccioso por Cryptococcus sp, como também, a administração de anticorpos monoclonais podem induzir uma resposta eficaz na disseminação da doença. O sistema complemento contribui para a defesa do organismo contra o Cryptococcus sp de diferentes maneiras: secretando opsoninas e fatores quimiotáticos e colaborando com a ação dos anticorpos específicos, aumentando a interação entre a imunidade inata e adquirida. Os anticorpos antiglicuroxilomanana (GXM) possuem numerosas atividades biológicas: a) opsonização para fagocitose, b) ativação da via clássica do complemento resultando na deposição precoce de fragmentos de C3 no fungo...

Perfis fenotípicos e diferenciação molecular de cepas ambientais e clínicas de Cryptococcus neoformans e C. gattii: correlação dos achados laboratoriais e clínicos; -

Soares, Maria Cecilia Pereira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/07/2014 PT
Relevância na Pesquisa
16.78%
O complexo C. neoformans (no qual as espécies C. neoformans e C. gattii estão inseridas) é constituído por leveduras encapsuladas que causam infecção em humanos e animais, com distribuição mundial. Diante do reconhecimento da importância dessas leveduras, seja no meio ambiente ou na área médica, há um crescente interesse no desenvolvimento de pesquisas que possam levar a uma melhor compreensão de sua epidemiologia e estrutura. Cepas clínicas e ambientais pertencentes ao acervo de amostras do Departamento de Microbiologia do HCFMUSP e ao Laboratório de Leveduras Patogênicas do ICB-USP foram reidentificadas, estudadas quanto aos fatores relacionados à virulência (por pesquisa de exoenzimas), quanto ao perfil de suscetibilidade in vitro frente aos antifúngicos: anfotericina B, fluconazol e voriconazol pela utilização da técnica E-test®, e quanto aos aspectos epidemiológicos (estudo de prontuários dos pacientes). As cepas de origem clínica (60) e ambiental (42) foram reidentificadas e condiziam com o estabelecido pela literatura. Nota-se que quanto às cepas clínicas, 90% delas pertenciam à espécie C. neoformans e 10% à espécie C. gattii e das cepas ambientais, 95,2% eram C. neoformans e 4,8% eram C. gattii. Com relação à produção de exoenzimas...

Perfil fenotípico e de expressão de proteínas de Cryptococcus neoformans após tratamento com substâncias obtidas da planta Pterogyne nitens

Leite, Fernanda Sangalli
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 113 f.
POR
Relevância na Pesquisa
16.78%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Biociências e Biotecnologia Aplicadas à Farmácia - FCFAR; A criptococose tem emergido como importante infecção oportunista em pacientes imunossuprimidos e imunocompetentes causando principalmente a neurocriptococose. Cryptococcus neoformans, um dos agentes, é uma levedura capsulada comumente encontrada em infecções do sistema nervoso central em pacientes HIV positivos. No mercado há fármacos para o tratamento dessas infecções, porém problemas são verificados quanto ao espectro de ação, custos e efeitos adversos. As plantas são usadas na medicina por longa data constituindo-se de uma ótima alternativa para busca de substâncias que podem ser utilizadas na formulação de novos antifúngicos. Neste estudo foram avaliados vários extratos, frações e substâncias puras do projeto BIOTA frente à cepa ATCC de C. neoformans, bem como em isolados clínicos com perfil de sensível e resistente frente ao fluconazol. Também foi feita a padronização e aplicação da metodologia do “tabuleiro de xadrez” para verificação de atividade sinérgica, aditiva, indiferente e antagônica entre as frações de plantas de interesse, bem como a molécula pedalitina associada com outras substâncias de origem vegetal e com as drogas sintéticas fluconazol e anfotericina B. Os que apresentaram melhores concentrações inibitórias mínimas...; Cryptococcosis is a disease that has emerged as an important opportunistic infection in immunocompromised and immunocompetent patients mainly causing cryptococcal meningitis. Cryptococcus neoformans...

Neurotoxoplasmose : diagnóstico molecular, resposta imune e relação com transtornos mentais; Neurotoxoplasmosis : molecular diagnosis, immune response and relationship with mental disorders

Fernanda Santos Nascimento
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/02/2012 PT
Relevância na Pesquisa
16.78%
A neurotoxoplasmose é considerada uma grave complicação em pacientes com comprometimento do sistema imune e em crianças congenitamente infectadas pelo Toxoplasma gondii. O presente estudo abordou três aspectos da neurotoxoplasmose, o diagnóstico molecular, a resposta imune e a relação desta infecção com transtornos mentais. Com relação ao diagnóstico molecular, a eficiência das técnicas de nested-PCR (nPCR) e PCR convencional (PCRc) em detectar DNA do T. gondii foi avaliada em nove amostras de líquido cefalorraquidiano (LCR) de pacientes com neurotoxoplasmose, cinco amostras de LCR de pacientes com outras desordens neurológicas (dois com neurocriptococose, dois com neurosífilis e um com neurocisticercose) e amostras artificiais contendo diferentes concentrações do parasito. A nPCR foi positiva em todos os nove pacientes com neurotoxoplasmose, enquanto a PCRc foi positiva em somente cinco casos. As duas técnicas de PCR foram negativas em LCR de pacientes com outras desordens neurológicas. Nas amostras artificiais, a concentração de taquizoítos detectada por nPCR foi dez vezes menor do que aquela detectada por PCRc. Para avaliar a resposta imune, anticorpos das subclasses da IgG anti-T. gondii foram pesquisados em 19 amostras de LCR de pacientes com neurotoxoplasmose...

Neurocriptococose em pacientes com SIDA.

Negreiros, Daniel Philippi de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 67 p.| grafs.,tabs.
Relevância na Pesquisa
27.45%
Trabalho de Conclusão de Curso - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde, Departamento de Clínica Médica, Curso de Medicina, Florianópolis, 1999

Neurocriptococose e imunossupressão: modelo experimental, em camundongos

Machado,L. R.; Fecchio,Denise; Limongi,J. C. P.; Berger,A.; Livramento,J. A.; Spina-França,A.
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/1985 PT
Relevância na Pesquisa
27.45%
Com o objetivo de padronizar modelo experimental de imunossupressão foram selecionados dois lotes de 50 camundongos impúberes, cada um dividido em grupos de 10, e submetidos a ação de dexametasona. O estudo foi dividido em dois experimentos. No primeiro experimento foi utilizado o primeiro lote de animais e foram estabelecidas as condições para obtenção de modelo de imunossupressão em camundongos mediante administração de dexametasona diluída na água de consumo e ingerida ad libitum pelos animais. Entre os critérios utilizados para avaliar a vigência de imunossupressão são realçados: a ocorrência de eriçamento de pelos, leucopenia por diminuição do número de linfócitos e hipotrofia do baço comparativamente aos controles, com hipoplasia intensa de todas as estruturas linfóides. No segundo experimento foi empregado o segundo lote de animais e foi estudado o comportamento do modelo experimental estabelecido. Os animais receberam, por via intraperitonial, número aproximado delO6 leveduras com os caracteres morfológicos do Cryptococcus neoformans, provenientes de culturas de cepas patogênicas ao homem e isoladas do líquido cefalorraqueano de pacientes com neurocriptococose. Apesar de haverem sido identificadas leveduras em cortes histológicos de pulmão...

Neurocriptococose na infância: relato de três casos na primeira década de vida

Fontana,Maria Helena; Coutinho,Mario Ferreira; Camargo,Eduardo dos Santos; Soviero,Benito; Lima,Susana Seibel Freitas; Matusiak,Roberto; Dias,Cicero Gomes
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1987 PT
Relevância na Pesquisa
27.45%
Os autores relatam três casos de neurocriptococose em crianças na primeira década de vida, no Estado do Rio Grande do Sul. O diagnóstico foi estabelecido pelo encontro do fungo Cryptococcus neoformans no líquido céfalo-raquidlano por exame direto com tinta da China e cultura em meio de Sabouraud. As formas de instalação da síndrome neurológica foram aguda, subaguda e crônica. Síndrome de hipertensão intracraniana e hidrocefalia foram complicações observadas durante a evolução da doença, sendo necessária a instalação de derivação ventrículo-peritonial em um caso. Desnutrição foi o processo mórbido associado nos três casos e infecção pelo bacilo da tuberculose em um caso. Terapia específica foi administrada aos três pacientes. Um paciente evoluiu para cura e dois evoluíram para óbito.

Anfotericina B no tratamento da neurocriptococose em pacientes submetidos a transplante renal

Nóbrega,J. P. S.
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1988 PT
Relevância na Pesquisa
28.26%
Foram estudados 35 casos de neurocriptococose, 17 dos quais em pacientes submetidos a transplante renal. O objetivo foi avaliar a resposta terapêutica observada no grupo de pacientes transplantados renais com neurocriptococose, com ênfase à função renal, submetidos a esquema medicamentoso que inclui a anfotericina B. A resposta observada foi comparada aos resultados obtidos no grupo dos demais pacientes com a mesma infecção, submetidos ao mesmo esquema medicamentoso, porém sem insuficiência renal prévia. Dos 35 pacientes, 10 faleceram nos primeiros dias do tratamento e, assim, 25 foram efetivamente tratados para neurocriptococose. Destes 25, 18 apresentavam outra condição clínica associada, sendo esta transplante renal em 15 deles. Os medicamentos utilizados basicamente foram a anfotericina B intravenosa e intra-raqueana associada à 5-fluorocitosina via oral. Sete pacientes faleceram durante o tratamento. Assim, dos 35 pacientes que inicialmente compunham a casuística, 17 faleceram (48,57%) e 18 foram tratados com sucesso, nenhum deles apresentando recidiva. As intercorrências observadas durante o tratamento são discutidas e é feita correlação dos dados obtidos neste estudo aos disponíveis na literatura. A análise dos resultados obtidos permite ressaltar: a necessidade do surgimento de medicamentos mais eficazes e menos tóxicos para a terapêutica da neurocriptococose...

Neurocriptococose por Cryptococcus neoformans não capsulado

Lacaz,C.S.; Heins-Vaccari,Elisabeth M.; Melo,Natalina T.; Moreno-Carvalho,O.A.; Sampaio,M.L.S.; Nogueira,L.S.; Badaró,R.J.S.; Livramento,J.A.
Fonte: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO Publicador: Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1993 PT
Relevância na Pesquisa
27.45%
Os autores registram um caso de neurocriptococose em paciente HIV-negativo, por Cryptococcus neoformans acapsulado ou deficiente em cápsula. O quadro neurológico era de meningoencefalite subaguda, compatível ao diagnóstico de neurotuberculose, pelo exame do líquido cefalorraqueano (LCR), Estruturas leveduriformes foram encontradas no interior de macrófagos, ao exame citomorfológico do LCR. Cultivo do sedimento do LCR revelou a presença de Cryptococcus neoformans não capsulado (identificação bioquímica). A inoculação da amostra em camundongo, por via intraperitoneal, permitiu a produção de cápsula que desaparecia em cultivos. Foi estudada a micromorfologia do fungo à microscopia eletrônica de varredura. A evolução foi favorável com o emprego da anfotericina B associada a 5-fluorocitosina. Não foi caracterizada a variadade de Criptococcus neoformans agente do processo.

Neurocriptococose durante a gravidez: revisão da literatura. Relato de dois casos

Pereira,Carlos Alberto Pires; Fischman,Olga; Colombo,Arnaldo Lopes; Moron,Antonio Fernandes; Pignatari,Antonio Carlos Campos
Fonte: Instituto de Medicina Tropical Publicador: Instituto de Medicina Tropical
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1993 PT
Relevância na Pesquisa
38.01%
São descritos os dois primeiros casos de neurocriptococose durante a gravidez diagnosticados em São Paulo (Brasil). Uma paciente foi tratada com anfotericina B no segundo trimestre, a outra, com anfotericina B no primeiro trimestre e no 2º trimestre com anfotericina B e 5 flucitosina. Ambas tiveram boa evolução materna e fetal. É apresentada revisão da literatura da neurocriptococose em gestantes.

Quimiotipagem do Cryptococcus neoformans. Revisão da literatura. Novos dados epidemiológicos sobre a criptococose. Nossa experiência com o emprego do meio de C.G.B. no estudo daquela levedura

Melo,Natalina Takahashi de; Lacaz,Carlos da Silva; Charbel,Cecília Eugênia; Pereira,Amélia Dias; Heins-Vaccari,Elisabeth Maria; França-Netto,Antonio Spina; Machado,Luis dos Ramos; Livramento,José Antonio
Fonte: Instituto de Medicina Tropical Publicador: Instituto de Medicina Tropical
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/1993 PT
Relevância na Pesquisa
27.8%
O presente trabalho, além da revisão da literatura sobre quimiotipagem do C. neoformans, com novos dados sobre a epidemiologia da criptococose, teve por finalidade principal a caracterização das duas variedades desta levedura em pacientes com neurocriptococose, HIV + e HIV -. As variedades neoformans e gattii estão hoje bem definidas bioquimicamente, com o emprego do meio C.G.B., proposto por KWON-CHUNG et al. (1982) 24. O isolamento do C. neoformans var. gattii das flores e folhas do Eucalyptus camaldulensis e do Eucalyptus tereticornis, na Austrália, através dos trabalhos de ELLIS & PFEIFFER (1990)16 e PFEIFFER & ELLIS (1992)41, possibilitou investigações epidemiológicas das mais interessantes sobre este microrganismo, levedura capsulada a qual SANFELICE50, 51, na Itália, em 1894 e 1895 despertou a atenção do meio médico. BUSSE8, em 1894, descrevia o primeiro caso de criptococose humana sob a forma de lesão óssea, simulando sarcoma. As pesquisas nacionais sobre o assunto em foco foram destacadas, seguindo-se a experiência dos Autores com o meio de C.G.B. (L - canavanina, glicina e azul de bromotimol). Foi possível, através deste meio o estudo de 50 amostras de líquor, sendo 39 procedentes de aidéticos (78%) e 11 de não aidéticos (22%). De pacientes HIV+...

Estudo comparativo do LCR de pacientes com neurocriptococose sem AIDS e com AIDS

Reis-Filho,João Baptista dos; Matas,Sandro Luiz Andrade; Fischman,Olga; Morales,Belinda Calvo; Juliano,Yara
Fonte: Instituto de Medicina Tropical Publicador: Instituto de Medicina Tropical
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/1994 PT
Relevância na Pesquisa
38.01%
Até a década de 80, antes do surgimento da AIDS, a criptococose era relativamente rara. Verificou-se que esta doença afeta muito frequentemente os pacientes com AIDS e pode ser a primeira manifestação desta síndrome. O objetivo deste trabalho é o de comparar o resultado dos exames das amostras do LCR inicial na meningencefalite por criptococo entre pacientes com e sem AIDS. Este trabalho é baseado no estudo de 41 pacientes com neurocriptococose sem AIDS e de 23 pacientes com neurocriptococose e AIDS. Este estudo permitiu verificar que a reação inflamatória, no sistema nervoso, quando presente, foi de menor intensidade nos pacientes com AIDS; a reação inflamatória esteve presente em todos os pacientes sem AIDS e ausente em 21,7% dos pacientes com AIDS; o quadro inflamatório crônico, semelhante ao da meningencefalite tuberculosa, clássico nas meningencefalites por criptococo, ocorreu raramente nos pacientes com AIDS; em média, o número de criptococos no LCR foi maior nos pacientes com AIDS; pode ser feito diagnóstico presuntivo da AIDS quando o criptococo estiver presente no LCR que não apresenta alterações citológicas e bioquímicas.

Estudo retrospectivo terapêutico da neurocriptococose em 112 aidéticos ou não

Campos,Evanil Pires de; Carvalho,Valquíria Oliveira; Marinho,Sonia Fontes; Kushnaroff,Tuba Milstein; Galvão,Paulo Augusto Ayrosa; Padovani,Carlos Roberto
Fonte: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT Publicador: Sociedade Brasileira de Medicina Tropical - SBMT
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1992 PT
Relevância na Pesquisa
37.8%
Cento e doze aidéticos ou não com neurocriptococose, admitidos no Hospital Emílio Ribas - São Paulo, Brasil, receberam anfotericina B (AMB) - grupo III ou a associação AMB/ 5 fluorcitosina (5FC): grupos I e II. Testes de Goodman aplicados revelaram: 1. leuco e glicorraquia semelhantes nos três grupos eproteinorraquia inferior a 85mg/dlapós 1, 5g/AMB; 1. a coloração pelo método da tinta da China e a cultura para Cryptococcus neoformans, positivas até l,Og/AMB; 3. hipocalemia na monoterapia, hipo e hipercalemia durante a associação; 4. as reações adversas mais evidentes a > 0,7gAMB/250g 5FC; 5. óbitos (precoce e tardio) frequentes no grupo 1 e nos grupos I e III entre 2,5 a 4,0g de AMB; 6. remissão e morte semelhantes nos grupos. A associação terapêutica iniciale amanutençãopelo AMB conduziram à recaída tardia

Neurocriptococose pedi?trica no Estado do Par?: espectro de achados tomogr?ficos na infec??o por Cryptococcus neoformans var. gattii

CORR?A, Maria do Perp?tuo Socorro Costa
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
38.16%
Este estudo mostra o espectro de les?es cerebrais, atrav?s de tomografia computadorizada, na neurocriptococose da inf?ncia, por Cryptococcus neoformans var. gattii, no Estado do Par?. Analisamos os achados tomogr?ficos de onze crian?as (menores de 13 anos de idade), com infec??o comprovada do sistema nervoso central por Cryptococcus neoformans var. gattii, internados no Hospital Universit?rio Jo?o de Barros Barreto, Bel?m PA, entre janeiro de 1992 a dezembro de 2000. A neurocriptococose foi definida pela identifica??o de leveduras encapsuladas ao exame microsc?pico, isolamento de Cryptococcus neoformans do l?quor e identifica??o positiva da variedade gattii, atrav?s do meio composto de canavanina, glicina e azul-de-bromotimol com, pelo menos, o estudo tomogr?fico no momento do diagn?stico. A idade das crian?as estudadas variou entre 6 a 12 anos, com m?dia de 8,8 anos. Cincos eram meninos e seis meninas. Os principais achados cl?nicos foram cefal?ia, febre e rigidez de nuca (n=11), n?useas e v?mitos (n=10). O tempo m?dio entre o in?cio dos sintomas e o diagn?stico foi de 4,2 semanas (variando de 2 a 8 semanas). Todas as tomografias de cr?nio foram anormais. Em todos os pacientes foram observados n?dulos hipodensos. As demais anormalidades tomogr?ficas observadas foram: 6 pacientes com hidrocefalia...

PERFIL CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES DE RIBEIRÃO PRETO, SÃO PAULO, BRASIL, COM AIDS E INFECÇÕES OPORTUNISTAS; CLINICAL-EPIDEMIOLOGIC PROFILE OF AIDS PATIENTS OF RIBEIRÃO PRETO,SÃO PAULO, BRAZIL, WITH PRESENTING OPPORTUNISTIC INFECTIONS

Machado, Alcyone A.; Figueiredo, José Fernando de C.; Goulart, Ana Paula E. P.; Palavéri, Valéria; Martinez, Roberto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/1997 POR
Relevância na Pesquisa
17.45%
Com o fim de estudar as características clínicas e epidemiológicas dos pacientes com AIDS, atendidos no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo (HCFMRP), revisaram-se os prontuários de 296 pacientes, atendidos no período de 1987 a 1991, analisando-se os seguintes parâmetros: idade, cor, sexo, procedência, comportamento de risco, tipos de complicações infecciosas, causa provável do óbito e tempo de sobrevida. A maioria dos pacientes residia em Ribeirão Preto (72%). A idade média foi de 30 anos,sendo que 89% tinha menos de 40 anos, com predomínio do sexo masculino (85%) e da raça branca (78%); 54% relatavam uso de drogas ilícitas endovenosas,13%, homossexualismo, 10%, heterossexualismo. As complicações infecciosas mais freqüentes foram: candidíase oral (80%), pneumonia bacteriana (36%), pneumonia por P. carinii (34%), tuberculose pulmonar (32%), neurotoxoplasmose (29%), candidíase do esôfago (24%), neurocriptococose (16%) e histoplasmose (5%). A maioria dos pacientes (68%) apresentou 3 ou mais complicações infecciosas, concomitantes, fato que esteve associado à maior taxa de mortalidade (85%). A mediana de sobrevida, após o diagnóstico de AIDS, foi de apenas 4 meses. A neurocriptococose foi a complicação mais freqüentemente associada ao óbito (46%)...

Meningite criptocóccica em gestante HIV negativa: relato de caso e revisão da literatura; Cryptococcal meningitis in HIV negative pregnant women: case report and review of literature

Costa, Maria Laura Botelho; Souza, João Paulo Dias de; Oliveira Neto, Antônio Francisco de; Pinto e Silva, João Luiz
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/2009 ENG
Relevância na Pesquisa
17.8%
INTRODUÇÃO: Com a epidemia da AIDS, a neurocriptococose foi melhor estudada e considerada infecção fúngica oportunista. No entanto, há casos descritos de gestantes acometidas, apesar de imunocompetentes. A gestação, por si só, pode ser considerada um período de imunossupressão, para adaptação materno-fetal, o que poderia predispor à instalação de certas infecções. OBJETIVOS: Relato de caso de gestante com neurocriptococose e revisão sistemática dos casos descritos na literatura desta patologia durante a gestação, em pacientes imunocompetentes. METODOLOGIA: Revisão sistemática com busca MEDLINE e SciELO. RESULTADOS: Foram analisadas 27 pacientes com diagnóstico de neurocriptococse na gestação. A média de idade foi 26,4 anos. Seis pacientes estavam no primeiro trimestre de gravidez ao diagnóstico, 10 no segundo, oito no terceiro e três eram puérperas. O sintoma mais prevalente foi cefaléia (85,2%), seguido por alteração visual (44,4%), confusão mental (44,4%), náusea (40,7%) e febre (33%). Houve nove óbitos maternos (33,3%). Vinte e uma pacientes foram tratadas com anfotericina B (77,8%). A maioria dos casos evoluiu com gestação a termo, com recém-nascidos saudáveis (66,6%). CONCLUSÕES: Neurocriptococose deve ser um diagnóstico a se considerar na gestação...

Estudo comparativo do LCR de pacientes com neurocriptococose sem AIDS e com AIDS; Comparison between CSF samples from AIDS and non-AIDS patients with neurocryptococcosis

Reis-Filho, João Baptista dos; Matas, Sandro Luiz Andrade; Fischman, Olga; Morales, Belinda Calvo; Juliano, Yara
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/1994 POR
Relevância na Pesquisa
38.01%
Até a década de 80, antes do surgimento da AIDS, a criptococose era relativamente rara. Verificou-se que esta doença afeta muito frequentemente os pacientes com AIDS e pode ser a primeira manifestação desta síndrome. O objetivo deste trabalho é o de comparar o resultado dos exames das amostras do LCR inicial na meningencefalite por criptococo entre pacientes com e sem AIDS. Este trabalho é baseado no estudo de 41 pacientes com neurocriptococose sem AIDS e de 23 pacientes com neurocriptococose e AIDS. Este estudo permitiu verificar que a reação inflamatória, no sistema nervoso, quando presente, foi de menor intensidade nos pacientes com AIDS; a reação inflamatória esteve presente em todos os pacientes sem AIDS e ausente em 21,7% dos pacientes com AIDS; o quadro inflamatório crônico, semelhante ao da meningencefalite tuberculosa, clássico nas meningencefalites por criptococo, ocorreu raramente nos pacientes com AIDS; em média, o número de criptococos no LCR foi maior nos pacientes com AIDS; pode ser feito diagnóstico presuntivo da AIDS quando o criptococo estiver presente no LCR que não apresenta alterações citológicas e bioquímicas.; Neurocryptococcosis was a rare nervous system infection. With the rising number of patients with AIDS it became a very frequent disease. This infection is supposed to infect patients with some kind of immunodeficiency and the CSF alterations often simulate tuberculous meningitis. The purpose of this research was to compare the CSF changes in AIDS and non-AIDS patients with meningoencephalitis caused by Cr. neoformans. There were analysed 41 CSF samples from non-AIDS patients with neurocryptococcosis and 23 CSF samples from AIDS patients with neurocryptococcosis. The results of this research allowed to conclude that the inflammatory changes in the CSF from AIDS patients showed a lower intensity compared to those non-AIDS patients. These results showed as well...

Quimiotipagem do Cryptococcus neoformans. Revisão da literatura. Novos dados epidemiológicos sobre a criptococose. Nossa experiência com o emprego do meio de C.G.B. no estudo daquela levedura; Biotyping of Cryptococcus neoformans. Review of the literature. New epidemiologic informations about cryptococcosis. Our experience with the utilization of C.G.B medium in this yeast

Melo, Natalina Takahashi de; Lacaz, Carlos da Silva; Charbel, Cecília Eugênia; Pereira, Amélia Dias; Heins-Vaccari, Elisabeth Maria; França-Netto, Antonio Spina; Machado, Luis dos Ramos; Livramento, José Antonio
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/10/1993 POR
Relevância na Pesquisa
27.8%
O presente trabalho, além da revisão da literatura sobre quimiotipagem do C. neoformans, com novos dados sobre a epidemiologia da criptococose, teve por finalidade principal a caracterização das duas variedades desta levedura em pacientes com neurocriptococose, HIV + e HIV -. As variedades neoformans e gattii estão hoje bem definidas bioquimicamente, com o emprego do meio C.G.B., proposto por KWON-CHUNG et al. (1982) 24. O isolamento do C. neoformans var. gattii das flores e folhas do Eucalyptus camaldulensis e do Eucalyptus tereticornis, na Austrália, através dos trabalhos de ELLIS & PFEIFFER (1990)16 e PFEIFFER & ELLIS (1992)41, possibilitou investigações epidemiológicas das mais interessantes sobre este microrganismo, levedura capsulada a qual SANFELICE50, 51, na Itália, em 1894 e 1895 despertou a atenção do meio médico. BUSSE8, em 1894, descrevia o primeiro caso de criptococose humana sob a forma de lesão óssea, simulando sarcoma. As pesquisas nacionais sobre o assunto em foco foram destacadas, seguindo-se a experiência dos Autores com o meio de C.G.B. (L - canavanina, glicina e azul de bromotimol). Foi possível, através deste meio o estudo de 50 amostras de líquor, sendo 39 procedentes de aidéticos (78%) e 11 de não aidéticos (22%). De pacientes HIV+...

Neurocriptococose: diagnóstico por PCR; Neurocryptococcosis: diagnosis by PCR method

Paschoal, Regina Célia; Hirata, Mário Hiroyuki; Hirata, Rosário Crespo; Melhem, Márcia de Souza Carvalho; Dias, Amanda Latercia Tranches; Paula, Claudete Rodrigues
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/2004 ENG
Relevância na Pesquisa
27.45%
A detecção de Cryptococcus neoformans em líquor foi otimizada pela técnica de PCR. A amplificação foi realizada nas áreas ITS e 5,6S do RNA ribossomal (rRNA). Foram estudados 72 líquors obtidos de casos de pacientes com e sem AIDS. Os pacientes eram portadores de meningite criptocócica (n = 56) e meningite ocasionada por outros agentes (n = 16). Os resultados demonstraram que a técnica tem alta sensibilidade, superior a cultura (85,7%) e ao teste da tinta da china (76,8%). A técnica de PCR pode detectar 1 célula/mL de líquor e é altamente específica. A análise comparativa dos três métodos, tinta da china, cultura e PCR, demonstrou que o último é muito mais sensível e específico, podendo ser aplicável como importante recurso laboratorial no diagnóstico da neurocriptococose.; Cryptococcus neoformans detection was optimized using PCR technique with the objective of application in the clinical laboratory diagnosis. The amplification area was ITS and 5,6S which encodes the ribosomal RNA (rRNA). A total of 72 cerebrospinal fluid (CSF) samples were used, obtained from cases with and without AIDS. The patients had cryptococcal meningitis (n = 56) and meningitis caused by other agents (n = 16). The results demonstrated that PCR test had the highest sensitivity rates...

Neurocriptococose durante a gravidez: revisão da literatura. Relato de dois casos; Cryptococcal meningitis in pregnancy: review of the literature. Report of two cases

Pereira, Carlos Alberto Pires; Fischman, Olga; Colombo, Arnaldo Lopes; Moron, Antonio Fernandes; Pignatari, Antonio Carlos Campos
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Medicina Tropical de São Paulo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/1993 POR
Relevância na Pesquisa
38.01%
São descritos os dois primeiros casos de neurocriptococose durante a gravidez diagnosticados em São Paulo (Brasil). Uma paciente foi tratada com anfotericina B no segundo trimestre, a outra, com anfotericina B no primeiro trimestre e no 2º trimestre com anfotericina B e 5 flucitosina. Ambas tiveram boa evolução materna e fetal. É apresentada revisão da literatura da neurocriptococose em gestantes.; Two cases of neurocryptococcosis were diagnosed during pregnancy in São Paulo (Brazil). Amphotericin B was used in the second trimester in one patient. The other, received amphotericin B during the first trimester of pregnancy and 5-fluorocytosine was added in the second trimester. In both, the pregnancy was uneventful and the fetus suffered no damage. The therapy used to treat pregnant women with cryptococcal meningitis is commented. The newborn follow-up is discussed. A review of the literature concerning neurocryptococcosis during pregnancy is presented.