Página 1 dos resultados de 8076 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Acção do tabaco no desenvolvimento e progressão de neoplasias

Rodrigues, Renata Alexandra Fernandes
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.97%
Os hábitos tabágicos encontram-se profundamente enraizados na sociedade humana e têm sido associados a um número crescente de patologias, incluindo o cancro, que constitui uma doença de elevada prevalência e mortalidade no mundo ocidental. Apesar de se reconhecer uma relação directa entre os hábitos tabágicos e o desenvolvimento de alguns tipos de cancro, como o do pulmão, permanece por esclarecer a sua acção como factor de risco para o desenvolvimento de muitas outras neoplasias. A susceptibilidade para desenvolver a doença em indivíduos fumadores poderá depender em parte da capacidade da eliminação de compostos resultantes da combustão do tabaco bem como de outros factores como nomeadamente genéticos. Por outro lado, permanece por esclarecer a acção do tabaco na progressão do cancro. Neste contexto, admite-se que muitos compostos carcinogénicos resultantes da sua combustão, nomeadamente, os hidrocarbonetos poliaromáticos (PAHs), que estão associados ao desenvolvimento de vários tipos de cancro, poderão participar na progressão do tumor dado evidenciarem um efeito indutor da proliferação em várias linhas celulares de cancro. Por outro lado, reconhece-se actualmente que os hábitos tabágicos provocam um aumento de stresse oxidativo o qual poderá estar envolvido na transformação neoplásica bem como...

Avaliação da inibição de Metaloproteinases da Matriz como alvo terapêutico em Neoplasias Hematológicas

Pires, Ana Cláudia da Costa
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.94%
O microambiente medular sendo o principal suporte da hematopoiese normal, é a estrutura que fornece proteção às células estaminais hematopoiéticas de agressões externas, bem como indicações fisiológicas necessárias à regulação destas células. No entanto, esta estrutura também é importante na formação, sustentação e desenvolvimento de clones neoplásicos. Um dos seus componentes, as metaloproteinases da matriz (MMPs), são enzimas que são responsáveis pela degradação e modulação da matriz extracelular. Estas são enzimas altamente reguladas no organismo e a mais pequena desregulação pode originar um descontrolo dos processos celulares, promovendo a formação de neoplasias. Uma vez que as terapêuticas atuais não são eficazes em todos os doentes com neoplasias hematológicas e as recidivas são frequentes, a inibição das MMPs poderá constituir uma nova abordagem terapêutica para os doentes com estas neoplasias. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial terapêutico do Batimastat (BB- 94), um inibidor das MMPs, em modelos in vitro de neoplasias hematológicas. Para o efeito, foram utilizadas quatro linhas celulares de neoplasias hematológicas, 2 de Leucemia Promielocítica Aguda, sem e com a translocação t(15;17)...

Neoplasias em canídeos: um estudo descritivo (2008-2010)

Santos, Sara Isabel Costa
Fonte: Repositório Científico Lusófona Publicador: Repositório Científico Lusófona
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.88%
As lesões oncológicas de um modo crescente têm vindo a ser alvo da atenção científica e de numerosos estudos, tanto na Medicina Humana como na Medicina Veterinária. Para que seja possível o estudo epidemiológico das neoplasias numa dada população é essencial ter acesso a registos oncológicos. Este trabalho de dissertação pretende contribuir para a elaboração e interpretação futura de um registo oncológico oficial em Portugal, deixando aqui retratada uma das faces que constituem a realidade oncológica nacional à data presente. Para esse efeito foi elaborado um estudo estatístico de um conjunto de 2678 amostras da espécie canina provenientes de todo o território português, as quais foram recebidas no departamento de anatomopatologia da DNAtech entre os anos de 2008 e 2010. Do total de 2678 amostras, 2096 (78,3%) foram referentes a casos neoplásicos; desses, 552 (26,3%) casos foram referentes a neoplasias epiteliais e melanocíticas da pele, 544 (26,0%) casos a neoplasias mesenquimatosas da pele e tecidos moles, 525 (25,0%) casos foram referentes a neoplasias da glândula mamária, sendo o restante número de casos distribuído por outros sistemas minoritários. As neoplasias com comportamento biológico benigno prevaleceram na amostra assim como os animais do sexo feminino com idade média igual a 10 anos.; Oncology has been one of the major focuses of scientific research...

Expressão imunoistoquímica da proteína ciclooxigenase-2 nas neoplasias colorretais

Brambilla, Eduardo
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.94%
O carcinoma colorretal é um dos tumores malignos mais freqüentes no mundo ocidental. Sua incidência varia mundialmente; nos Estados Unidos (EUA), é o terceiro câncer mais comum entre os homens e o segundo entre as mulheres, sendo a segunda causa de morte por câncer, ficando atrás apenas do tumor de pulmão. No Brasil é a quarta neoplasia mais freqüente em homens e a segunda em mulheres na região sul. Os principais indicadores prognósticos do adenocarcinoma colorretal incluem a diferenciação histológica, profundidade de invasão e ocorrência de metástases. Recentemente, têm sido realizados diversos estudos em biologia molecular objetivando a identificação de novos parâmetros prognósticos. Dentre eles, os fatores que regulam o ciclo celular, influenciam no crescimento e no mecanismo de apoptose têm demonstrado resultados promissores. Os avanços da biologia molecular permitiram demonstrar a carcinogênese como uma série de alterações progressivas e particulares em cada neoplasia. Embora algumas alterações já estejam bem estabelecidas, outras ainda necessitam ser melhor avaliadas e ter assim sua importância determinada. Entre os muitos componentes desse ciclo tem-se destacado como objeto de interesse a proteína ciclooxigenase-2 (COX-2) por seu aparecimento freqüente nas neoplasias colorretais bem como pelos resultados promissores dos estudos com seus inibidores na profilaxia e tratamento das neoplasias colorretais. A ciclooxigenase é uma enzima fundamental na síntese de eicosanóides como as prostaglandinas PGE2 e PGD2 a partir do ácido araquidônico. Foi isolada pela primeira vez por Hemler em 1976. Trata-se de um homodímero (complexo formado por duas moléculas) que possui um peso molecular de 71 Kd. A expressão da COX-2 pode ocorrer em uma variedade de tipos celulares e tecidos especializados onde desempenha funções biológicas específicas...

Neoplasias associadas ao carcinoma epidermóide do esôfago; Esophageal epidermoid cancer associated neoplasms

Schirmer, Carlos Cauduro; Gurski, Richard Ricachenevsky; Castro, Marcelo Antonio Almeida de; Madruga, Guilherme de Salles Pinaud; Pedroso, Felipe Lagranha; Kruel, Cleber Dario Pinto; Brentano, Loreno
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.91%
INTRODUÇÃO. O carcinoma epidermóide de esôfago (CEE) tem uma importante associação com neoplasias do trato aerodigestivo e, provavelmente, compartilham dos mesmos fatores de risco. Além destes, outras neoplasias podem estar associadas com o carcinoma de esôfago. OBJETIVO. Analisar, retrospectivamente, pacientes com carcinoma epidermóide do esôfago tratados pelo Grupo de Cirurgia do Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), no período de janeiro/ 88 a junho/95, os quais tinham neoplasias associadas ao CEE. PACIENTES E MÉTODOS. Dentre os 261 pacientes estudados, 19 (7,28%) tinham neoplasia associada ao CEE. Dez pacientes apresentaram tumores sincrônicos e 9, metacrônicos. O sexo predominante foi o masculino, com 17 casos. A média de idade ficou em 62,52 anos no momento do diagnóstico da neoplasia esofágica. RESULTADOS. Os tumores aerodigestivos, na sua totalidade carcinomas escamosos, representaram o tipo histológico predominante da neoplasia associada em 68,42% dos casos. O sítio mais freqüente da neoplasia aerodigestiva associada foi a árvore respiratória (53,8%), seguido da cavidade oral e orofaringe (23%) e laringe (23%). Dos 19 pacientes, 12 eram tabagistas e nove ingeriam bebidas alcoólicas regularmente. Para o tratamento do CEE...

Neoplasias cutâneas em cães

Mazzocchin, Roberta
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.88%
A pele é um órgão complexo com uma grande variedade de funções, sendo constituída por diferentes tipos de células e encontrando-se em constante exposição ao meio ambiente. Em virtude de sua estrutura complexa e constante exposição, uma enorme variedade de tumores pode acometer esse órgão. Devido ao seu alto índice de renovação celular, as chances de ocorrência de mutações são maiores que em outros tecidos, tornando a pele um lugar propício ao surgimento de neoplasias. Em cães, o histiocitoma cutâneo e o adenoma das glândulas sebáceas são os tumores benignos de pele predominantes. Os mastocitomas são as neoplasias malignas que se destacam. O carcinoma de células escamosas, lipoma, adenoma perianal e tricoblastoma são outros tumores de origem cutânea de grande importância para medicina veterinária. Por meio de uma análise retrospectiva entre fichas arquivadas, no Serviço de Arquivo Médico Estatístico (SAME), foram analisadas as frequências de neoplasias cutâneos em cães atendidos no Hospital de Clínicas Veterinárias da UFRGS entre os anos de 2008 a 2012. Ao decorrer das análises dos dados foram coletadas informações relevantes ao estudo como: raça, sexo, e idade dos animais, bem como, número de neoplasias cutâneas...

Mortalidade por neoplasias no Brasil (1980/1983/1985): agrupamento dos Estados, comportamento e tendências

Pinto, Fábio Gonçalves; Curi, Paulo Roberto
Fonte: Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo (USP), Faculdade de Saúde Pública
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 276-281
POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
Examinou-se a mortalidade por neoplasias no Brasil, utilizando-se dados oficiais do Ministério da Saúde, abrangendo 26 Unidades da Federação e 13 diferentes localizações neoplásicas, para os anos de 1980, 1983 e 1985. As Análises de Agrupamento e de Componentes Principais revelaram comportamento heterogêneo entre regiões do país, com relação às 13 variáveis estudadas, sendo que os principais elementos discriminantes foram as neoplasias malignas da traquéia/brônquio/pulmão, seguidas das do estômago, esôfago, cólon e pâncreas. Análises complementares evidenciaram tendência de crescimento das taxas de mortalidade para as neoplasias malignas da próstata (17,74%), da traquéia/brônquio/pulmão(15,22%), da mama (11,32%), do pâncreas (10,23%), do cólon (8,08%), do colo uterino (6,45%) e da laringe (6,36%). Houve redução da mortalidade por neoplasias benignas/carcinoma in situ/ outras (27,37%), por neoplasias malignas no reto sigmóide/ânus (7,67%), do estômago (5,31%), de outro local do útero não especificado (2,56%), por leucemia (0,70%) e por neoplasias malignas do esôfago (0,44%). As neoplasias malignas do estômago foram a principal causa de morte por câncer no Brasil, representando 21,30% do total médio...

Densidade microvascular linfática e proliferação celular em neoplasias de glândulas salivares

Americo, Marcia Gimenes
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 76 f.
POR
Relevância na Pesquisa
36.88%
Pós-graduação em Biopatologia Bucal - ICT; As neoplasias de glândulas salivares compreendem cerca de 5% das neoplasias da região oral e maxilofacial. O estudo sobre a linfangiogênese pode permitir a melhor compreensão destas patologias. O objetivo deste estudo foi avaliar a relação entre as características histológicas, a expressão do fator de crescimento vascular endotelial linfático (VEGF-C), a densidade microvascular linfática (DML) e a proliferação celular, em neoplasias de glândulas salivares. Foram analisados 67 casos de neoplasias benignas e malignas dos arquivos do Laboratório de Patologia da FOSJC-UNESP. O diagnóstico das lesões foi confirmado pela análise de lâminas coradas por HE. O material foi submetido à reação imuno-histoquímica para avaliar a proliferação celular pela detecção do Ki-67, da DML pelo D2-40 e do VEGF-C pelo anticorpo anti-VEGF-C. Foi realizada análise quantitativa da DML e do índice de proliferação celular e semi-quantitativa do VEGF-C. Os resultados foram submetidos à análise estatística descritiva e inferencial utilizando o programa Minitab (versão 16.0), sendo aplicados os testes de Pearson, Kruskal Wallis e t-Student, adotando-se o nível de significância de 5%. Analisando as lesões separadamente...

Neoplasias mamárias em cadelas e gatas

Pinto, Rita Mafalda Marques de Oliveira
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária Publicador: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Publicado em /07/2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.01%
Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária; O estudo das neoplasias mamárias tem um elevado interesse clínico e científico pois além de constituírem uma das neoplasias mais frequentes nas cadelas e nas gatas, muitos dos resultados obtidos são extrapoláveis para a espécie humana. A presente dissertação teve como objectivo caracterizar uma amostra de cadelas e gatas com neoplasias mamárias, apresentadas à consulta no ano de 2008, no Hospital Veterinário de Almada. De seguida procedeu-se à análise estatística da amostra populacional, de modo a descrever os animais afectados e a relacionar as características morfológicas e histopatológicas recolhidas com a informação presente nas referências bibliográficas pesquisadas. A caracterização foi feita com base na espécie, raça, idade, apresentação clínica, factores ambientais, classificação histológica, metastização regional e à distância e na sobrevivência após mastectomia. Na amostra investigada foram identificadas 19 neoplasias mamárias: 13 em cadelas; 6 em gatas. Este estudo identificou os tumores mamários como as neoplasias mais comuns ( 50%) em ambas as espécies e calculou uma prevalência de 4 tumores mamários em cada 100 fêmeas em risco...

Infecção VIH e Neoplasias Não Definidoras de SIDA: Experiência de um Centro

Fevereiro, MC
Fonte: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.94%
Introdução: Os doentes infectados pelo Vírus da Imunodeficiência Humana têm um risco elevado de desenvolver diferentes tipos de Neoplasias. Com a introdução da terapêutica anti-retroviral de alta potência, e consequente aumento da sobrevida, assistimos a uma mudança do espectro das patologias relacionadas com a infecção, nomeadamente das doenças Oncológicas, com aumento das Neoplasias Não Definidoras em deterimento das Definidoras de SIDA. Material e Métodos: Caracterização dos doentes com infecção Vírus da Imunodeficiência Humana e diagnóstico de Neoplasias Não Definidoras acompanhados ao longo de 16 anos na Consulta de Medicina/Imunodeficiência do Hospital de São José, através da consulta dos processos clínicos e avaliação retrospectiva dos aspectos demográficos, epidemiológicos, clínico-laboratoriais, tratamento e sobrevida. Resultados: Nos 1042 doentes avaliados, foram identificados 34 casos de Neoplasias Não Definidoras, principalmente em homens(78%) e com idade mediana de 55 anos. As neoplasias mais frequentes foram: pulmão (20,6%), bexiga (17,6%), próstata (8,8%) e canal anal (5,9%), sendo o tempo médio entre o diagnóstico da infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana e da Neoplasias Não Definidoras de 6...

Infecção VIH e Neoplasias Não Definidoras de SIDA: Experiência de um Centro

Fevereiro, MC
Fonte: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos Publicador: Centro Editor e Livreiro da Ordem dos Médicos
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.94%
Introdução: Os doentes infectados pelo Vírus da Imunodeficiência Humana têm um risco elevado de desenvolver diferentes tipos de Neoplasias. Com a introdução da terapêutica anti-retroviral de alta potência, e consequente aumento da sobrevida, assistimos a uma mudança do espectro das patologias relacionadas com a infecção, nomeadamente das doenças Oncológicas, com aumento das Neoplasias Não Definidoras em deterimento das Definidoras de SIDA. Material e Métodos: Caracterização dos doentes com infecção Vírus da Imunodeficiência Humana e diagnóstico de Neoplasias Não Definidoras acompanhados ao longo de 16 anos na Consulta de Medicina/Imunodeficiência do Hospital de São José, através da consulta dos processos clínicos e avaliação retrospectiva dos aspectos demográficos, epidemiológicos, clínico-laboratoriais, tratamento e sobrevida. Resultados: Nos 1042 doentes avaliados, foram identificados 34 casos de Neoplasias Não Definidoras, principalmente em homens(78%) e com idade mediana de 55 anos. As neoplasias mais frequentes foram: pulmão (20,6%), bexiga (17,6%), próstata (8,8%) e canal anal (5,9%), sendo o tempo médio entre o diagnóstico da infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana e da Neoplasias Não Definidoras de 6...

Neoplasias primárias múltiplas em pacientes com câncer colorretal

CURY,Marcelo de Souza; FORONES,Nora Manoukian
Fonte: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED Publicador: Instituto Brasileiro de Estudos e Pesquisas de Gastroenterologia - IBEPEGE ; Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD ; Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva - SBMD ; Federação Brasileira de Gastroenterologia - FBG; Sociedade Brasileira de Hepatologia - SBH; Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2000 PT
Relevância na Pesquisa
36.91%
Introdução - A presença de uma segunda neoplasia maligna, tendo sítio e histologia diferentes da primeira, define o conceito de neoplasias primárias múltiplas. Com o aumento da sobrevida dos pacientes com câncer, houve um aumento de neoplasias primárias múltiplas. Este estudo objetiva avaliar a freqüência de neoplasias primarias múltiplas em pacientes com diagnóstico de câncer colorretal do Setor de Oncologia da Disciplina de Gastroenterologia da Universidade Federal de São Paulo. Pacientes e Métodos - No período de 1993 a 1998, 145 pacientes com câncer colorretal foram acompanhados no Setor de Oncologia da Disciplina de Gastroenterologia da Universidade Federal de São Paulo. Destes, cinco pacientes (3,4%) tinham neoplasias primárias múltiplas. O segundo tumor foi confirmado por exame histológico, sendo excluídas as possibilidades de metástase. Resultados - A idade média dos doentes com neoplasias primárias múltiplas foi de 60,6 anos, quatro eram do sexo feminino e um do masculino, três apresentaram doença no reto, um no cólon direito e um no cólon esquerdo. Os outros sítios foram mama, útero, útero e vagina, pele e lábio. Um paciente foi a óbito e os outros estão em acompanhamento, sendo que dois...

Mortalidade por neoplasias no Brasil (1980/1983/1985): agrupamento dos Estados, comportamento e tendências

Pinto,Fábio Gonçalves; Curi,Paulo Roberto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1991 PT
Relevância na Pesquisa
36.95%
Examinou-se a mortalidade por neoplasias no Brasil, utilizando-se dados oficiais do Ministério da Saúde, abrangendo 26 Unidades da Federação e 13 diferentes localizações neoplásicas, para os anos de 1980, 1983 e 1985. As Análises de Agrupamento e de Componentes Principais revelaram comportamento heterogêneo entre regiões do país, com relação às 13 variáveis estudadas, sendo que os principais elementos discriminantes foram as neoplasias malignas da traquéia/brônquio/pulmão, seguidas das do estômago, esôfago, cólon e pâncreas. Análises complementares evidenciaram tendência de crescimento das taxas de mortalidade para as neoplasias malignas da próstata (17,74%), da traquéia/brônquio/pulmão(15,22%), da mama (11,32%), do pâncreas (10,23%), do cólon (8,08%), do colo uterino (6,45%) e da laringe (6,36%). Houve redução da mortalidade por neoplasias benignas/carcinoma "in situ"/ outras (27,37%), por neoplasias malignas no reto sigmóide/ânus (7,67%), do estômago (5,31%), de outro local do útero não especificado (2,56%), por leucemia (0,70%) e por neoplasias malignas do esôfago (0,44%). As neoplasias malignas do estômago foram a principal causa de morte por câncer no Brasil, representando 21,30% do total médio...

Prevalência de neoplasias diagnosticadas em cães no Hospital Veterinário da Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique

Santos,I.F.C.; Cardoso,J.M.M.; Oliveira,K.C.; Laisse,C.J.M.; Bessa,S.A.T.
Fonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária Publicador: Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.94%
Realizou-se um estudo retrospectivo em 210 cães acometidos por neoplasias, atendidos no Hospital Veterinário (HV) da Universidade Eduardo Mondlane, Moçambique, no período de janeiro de 2004 a janeiro de 2009. Foram utilizados dados das fichas clínico-cirúrgicas, referentes às amostras de neoplasias removidas cirurgicamente, achados de exames necroscópicos e citológicos, os quais, posteriormente, foram enviados para o diagnóstico histopatológico. As neoplasias foram correlacionadas com o sexo, a idade e a raça. Foram identificadas 210 neoplasias durante o período de estudo, e dos 27 tipos diferentes as que se destacaram foram as de pele (61,0%), seguidas das neoplasias de glândula mamária (27,60%), do sistema reprodutor (11,90%) e do sistema musculoesquelético (11,0%). As neoplasias de glândula mamária foram identificadas somente em cadelas, observando-se maior prevalência em cadelas não castradas ou castradas após os dois anos de idade. Concluiu-se que o aumento da prevalência das neoplasias estava correlacionado com a maior longevidade dos cães, e a raça, também, predispôs ao desenvolvimento de determinados tumores, haja vista a alta incidência de mastocitomas grau II em cães das raças Boxer e Pastor Alemão. A incidência de 100% das neoplasias de glândula mamária em fêmeas confirmou a maior predisposição das fêmeas no desenvolvimento desse tipo de neoplasia.

Neoplasias associadas ao carcinoma epidermóide do esôfago

Schirmer,C.C.; Gurski,R.; Castro,M.A.A.; Madruga,G.S.P.; Pedroso,F.L.; Kruel,C.D.P.; Brentano,L.
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1997 PT
Relevância na Pesquisa
36.88%
INTRODUÇÃO. O carcinoma epidermóide de esôfago (CEE) tem uma importante associação com neoplasias do trato aerodigestivo e, provavelmente, compartilham dos mesmos fatores de risco. Além destes, outras neoplasias podem estar associadas com o carcinoma de esôfago. OBJETIVO. Analisar, retrospectivamente, pacientes com carcinoma epidermóide do esôfago tratados pelo Grupo de Cirurgia do Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), no período de janeiro/88 a junho/95, os quais tinham neoplasias associadas ao CEE. PACIENTES E MÉTODOS. Dentre os 261 pacientes estudados, 19 (7,28%) tinham neoplasia associada ao CEE. Dez pacientes apresentaram tumores sincrônicos e 9, metacrônicos. O sexo predominante foi o masculino, com 17 casos. A média de idade ficou em 62,52 anos no momento do diagnóstico da neoplasia esofágica. RESULTADOS. Os tumores aerodigestivos, na sua totalidade carcinomas escamosos, representaram o tipo histológico predominante da neoplasia associada em 68,42% dos casos. O sítio mais freqüente da neoplasia aerodigestiva associada foi a árvore respiratória (53,8%), seguido da cavidade oral e orofaringe (23%) e laringe (23%). Dos 19 pacientes, 12 eram tabagistas e nove ingeriam bebidas alcoólicas regularmente. Para o tratamento do CEE...

Estudo histoquímico de proteínas fibrilares da matriz extracelular em neoplasias mamárias benignas e malignas na espécie canina; Histochemical study of fibrillar proteins of the extracellular matrix in benign and malignant mammary neoplasms in dogs

Martins, Ana Maria Cristina Rabello Pinto da Fonseca; Tamaso, Elia; Guerra, José Luiz
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/2002 ENG
Relevância na Pesquisa
36.94%
A finalidade do presente trabalho foi estudar algumas das proteínas fibrilares da matriz extracelular de 54 neoplasias mamárias benignas e malignas na espécie canina, utilizando métodos histoquímicos: Picrosirius associado à polarização para fibras colágenas , método de Gordon - Sweats para fibras reticulares e método de Weigert com e sem oxidação para fibras elásticas. Evidenciou-se na matriz uma grande variabilidade na quantidade, distribuição e características dos componentes matriciais presentes nos diferentes tipos de neoplasias. Detectou-se, assim, colágeno I, III e elementos do sistema elástico, distribuídos diferentemente nas neoplasias benignas e malignas. O método Picrosirius simples e associado à polarização permitiu a visualização do colágeno sob a forma de fibras espessas distribuídas irregularmente no estroma dos carcinomas e de modo mais ordenado e regular nas neoplasias benignas e, fibras mais finas, em menor quantidade, irregularmente e aleatoriamente dispostas nos carcinomas e regularmente nas neoplasias benigna. Sob luz polarizada os feixes de fibras colágenas , apresentaram diferentes comprimentos, avermelhados ou amarelados e fortemente birrefringentes, sugerindo serem colágeno tipo I e...

Mortalidade por neoplasias no Brasil (1980/1983/1985): agrupamento dos Estados, comportamento e tendências; Mortality from neoplasms in Brazil (1980/1983/1985): grouping by State, behaviors and tendencies

Pinto, Fábio Gonçalves; Curi, Paulo Roberto
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/08/1991 POR
Relevância na Pesquisa
36.95%
Examinou-se a mortalidade por neoplasias no Brasil, utilizando-se dados oficiais do Ministério da Saúde, abrangendo 26 Unidades da Federação e 13 diferentes localizações neoplásicas, para os anos de 1980, 1983 e 1985. As Análises de Agrupamento e de Componentes Principais revelaram comportamento heterogêneo entre regiões do país, com relação às 13 variáveis estudadas, sendo que os principais elementos discriminantes foram as neoplasias malignas da traquéia/brônquio/pulmão, seguidas das do estômago, esôfago, cólon e pâncreas. Análises complementares evidenciaram tendência de crescimento das taxas de mortalidade para as neoplasias malignas da próstata (17,74%), da traquéia/brônquio/pulmão(15,22%), da mama (11,32%), do pâncreas (10,23%), do cólon (8,08%), do colo uterino (6,45%) e da laringe (6,36%). Houve redução da mortalidade por neoplasias benignas/carcinoma "in situ"/ outras (27,37%), por neoplasias malignas no reto sigmóide/ânus (7,67%), do estômago (5,31%), de outro local do útero não especificado (2,56%), por leucemia (0,70%) e por neoplasias malignas do esôfago (0,44%). As neoplasias malignas do estômago foram a principal causa de morte por câncer no Brasil, representando 21,30% do total médio...

Caracterização das internações hospitalares de crianças e adolescentes com neoplasias; Caracterización de las internaciones hospitalarias de niños y adolescentes con neoplasias; Characterization of the hospitalization of children and adolescents with cancer

Pan, Raquel; Marques, Amanda Rossi; Costa Júnior, Moacyr Lobo da; Nascimento, Lucila Castanheira
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf; application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2011 ENG; POR; SPA
Relevância na Pesquisa
36.88%
Este estudo objetivou caracterizar as internações hospitalares de crianças e adolescentes com neoplasias, ocorridas de 1998 a 2008, para conhecer a clientela em seguimento na Regional de Saúde de Ribeirão Preto, SP, Brasil. Realizou-se levantamento da morbidade nesse município, utilizando-se, como fonte de informação, as internações hospitalares pelo Sistema Único de Saúde. As variáveis estudadas foram: procedência, residência, ano do atendimento, óbitos, idade e sexo dos pacientes com diagnóstico de neoplasia infantojuvenil, segundo o Capítulo II da Classificação Internacional de Doenças, 10ª edição. Evidenciaram-se 7.234 internações de menores de 18 anos com diagnóstico de neoplasias; dessas, 95% eram de Ribeirão Preto, SP, Brasil, e o restante procedentes de municípios das cinco regiões do país. Conhecer as características da clientela atendida contribui para a identificação de informações que podem ampliar o processo de sensibilização dos profissionais de saúde, para a necessidade de ações de prevenção secundária, como o diagnóstico precoce.; Este estudio tuvo por objetivo caracterizar las internaciones hospitalarias de niños y adolescentes con neoplasias, de 1998 a 2008, para conocer la clientela en seguimiento en la Regional de Salud de Ribeirao Preto...

Neoplasias múltiples en pacientes afectos de melanoma de úvea

Caminal,J.M.; Martínez,J.; Arias,L.L.; Rubio,M.; Pujol,O.; Roca,G.; Arruga,J.
Fonte: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología Publicador: Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/09/2007 SPA
Relevância na Pesquisa
36.98%
Objetivo: Estudiar la prevalencia de neoplasias múltiples en pacientes afectos de melanoma de úvea en nuestro medio y relacionarlo con la supervivencia. Método: Para ello se ha realizado un estudio prospectivo longitudinal de prevalencia de múltiples neoplasias en pacientes diagnosticados de melanoma de úvea entre los años 1984-2005. Se han analizado entre otras las variables clínicas: edad, sexo, fecha de diagnóstico, ojo afecto, origen y tamaño tumoral, clasificación según el COMS (Collaborative Ocular Melanoma Study), fecha del último control, tiempo de seguimiento, presencia de otras neoplasias, estado sistémico actual, fecha y causa de muerte. Resultados: Se han estudiado 305 pacientes afectos de melanoma de úvea en la Unidad de Oncologia Ocular de nuestro centro. 24 pacientes (7,9%) presentaron en su historia médica una o más neoplasias malignas. Excluyendo las neoplasias cutáneas de origen en células basales, esta proporción fue del 7,2% (22 pacientes). No se ha encontrado diferencias estadísticamente significativas entre la edad de presentación, sexo y la localización del melanoma (cuerpo ciliar o coroides) y la presencia o no de segundas neoplasias. Cuando se analizó la proporción de pacientes con enfermedad metastásica (tanto vivos como muertos) que no han presentado una segunda neoplasia (14...

Mortalidade por neoplasias no Brasil (1980/1983/1985): agrupamento dos Estados, comportamento e tendências

Pinto,Fábio Gonçalves; Curi,Paulo Roberto
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/1991 PT
Relevância na Pesquisa
36.95%
Examinou-se a mortalidade por neoplasias no Brasil, utilizando-se dados oficiais do Ministério da Saúde, abrangendo 26 Unidades da Federação e 13 diferentes localizações neoplásicas, para os anos de 1980, 1983 e 1985. As Análises de Agrupamento e de Componentes Principais revelaram comportamento heterogêneo entre regiões do país, com relação às 13 variáveis estudadas, sendo que os principais elementos discriminantes foram as neoplasias malignas da traquéia/brônquio/pulmão, seguidas das do estômago, esôfago, cólon e pâncreas. Análises complementares evidenciaram tendência de crescimento das taxas de mortalidade para as neoplasias malignas da próstata (17,74%), da traquéia/brônquio/pulmão(15,22%), da mama (11,32%), do pâncreas (10,23%), do cólon (8,08%), do colo uterino (6,45%) e da laringe (6,36%). Houve redução da mortalidade por neoplasias benignas/carcinoma "in situ"/ outras (27,37%), por neoplasias malignas no reto sigmóide/ânus (7,67%), do estômago (5,31%), de outro local do útero não especificado (2,56%), por leucemia (0,70%) e por neoplasias malignas do esôfago (0,44%). As neoplasias malignas do estômago foram a principal causa de morte por câncer no Brasil, representando 21,30% do total médio...