Página 1 dos resultados de 36219 itens digitais encontrados em 0.015 segundos

O turismo de natureza no Funchal

Sousa, Arturo Jorge de Gomes de
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.51%
O presente trabalho é fruto de um esforço para conhecer o conceito, as caraterísticas, singularidades, relações e benefícios do Turismo de Natureza nos territórios. Este turismo deixa evidentes marcas nos territórios desde pela perspetiva económica, política, como também ambiental, sociocultural e histórica. O Turismo de Natureza é um tipo de turismo que tem ganho uma forte dinâmica, em termos de procura e de oferta, bastante relevante um pouco por todo o mundo. Este considerado como um dos tipos de turismo com maior expansão, é um produto turístico prioritário e importante para Portugal. Este turismo congrega múltiplas atividades em diversos espaços (áreas protegidas, montanhas, jardins e outros), tempos (férias, fins de semana, estações do ano) e ambientes (terra, água e ar), sobressaindo práticas de observação, fruição e interpretação da natureza, modalidades de hospedagens, desportos da categoria soft e hard e condições do estado do tempo (eventos astronómicos, fenómenos naturais e outros). O Funchal, enquanto estudo de caso, sendo o principal concelho urbano da RAM, é muito visitado por turistas e o Turismo de Natureza traduz-se numa procura e uma oferta consistentes, com produtos e recursos singulares. Neste concelho...

A concepção de natureza no ensino de ciências: um estudo de visão de mundo de estudantes de licenciatura em ciências biológicas; The Concept of Nature in Science Teaching: a Study on the Worldview of Biological Sciences Students

Nagayoshi, Caio Seiji
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/10/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.54%
O presente trabalho investiga o conceito de Natureza sob uma perspectiva filosófica e de suas relações com o ensino de ciências. Embora seja um termo de uso corriqueiro, nas aulas de ciências, "Natureza" é um conceito de difícil definição e que, não raramente, comporta ambiguidades. As chamadas "ciências da Natureza" podem ser entendidas como forma de conhecimento sobre a Natureza. Assim, o entendimento que se faz do mundo natural é central para a compreensão do que vem a ser a própria ciência. Numa sala de aula de ciências, alunos e professores trazem suas visões de mundo, que podem ou não ser divergentes. Por um lado, a divergência nos entendimentos sobre a Natureza podem gerar dificuldades na compreensão da ciência por parte dos alunos. Por outro lado, o ensino da visão de mundo científica tende a excluir (intencionalmente ou não) as outras visões que os alunos possam trazer para a sala de aula, na medida em que são consideradas não válidas ou não legítimas pela ciência. Partindo dessa problemática, o presente estudo relata uma investigação das diferentes concepções de Natureza na história da filosofia, do século XVII até o presente, apontando como o conceito se transformou ao longo do tempo. Paralelamente...

A natureza e a relação sociedade-natureza na memória de velhas professoras

Mercadante, Marilu
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 222 f. : il., tabs., quadros
POR
Relevância na Pesquisa
36.6%
Pós-graduação em Educação - IBRC; Esta pesquisa tem como objetivo identificar, a partir da memória de velhas professoras, as concepções de natureza e de relação sociedade-natureza presentes nos depoimentos de velhas professoras da rede pública estadual de uma cidade do interior do estado de São Paulo, nas décadas de 1960 e 1970. Acreditamos que entender como determinada sociedade “torna a natureza presente” Bornheim (1985), é fundamental para a superação dos impasses gerados pela problemática ambiental. Para a realização deste trabalho, optou-se pela metodologia da história oral e constatou-se, por meio das leituras das narrativas, que as professoras entrevistadas “tornam a natureza presente” por meio de diferentes concepções. A natureza como “tudo o que existe”, como “vida”, uma concepção “religiosa” de natureza, a natureza como a “grande provedora de recursos naturais”, a natureza como “universo”, “como mãe de todas as coisas” e a natureza como aquela que “tudo recicla” são as concepções de natureza presentes nos depoimentos coletados. Várias professoras consideraram, ainda, a natureza como aquela que pode “dar respostas” e “reagir” às ações desmedidas do homem. Além disso...

As concepções de natureza e a relação sociedade-natureza no pensamento de Monteiro Lobato

Souza, Heluane Aparecida Lemos de
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 165 f.
POR
Relevância na Pesquisa
36.54%
Buscou-se com o presente trabalho identificar as concepções de natureza e a relação sociedade-natureza presentes no pensamento do escritor brasileiro Monteiro Lobato. Por meio de pesquisa de natureza documental foram identificadas, predominantemente, as concepções romântica e utilitarista da natureza. Desta forma, quanto às relações sociedade-natureza delas decorrentes, em conseqüência da concepção romântica identificou-se a referência ao homem como destruidor e ser não pertencente à natureza, assim como em decorrência da concepção utilitarista percebeuse a legitimação do direito de exploração dos elementos naturais pelo ser humano. O estudo voltou-se também para a maneira como estas concepções de natureza, coexistentes no pensamento lobatiano, revelam-se ao ser discutida a questão do desenvolvimento brasileiro, causa defendida por Lobato durante sua vida, principalmente por meio das campanhas pela exploração do petróleo e ferro nacionais. Percebeu-se que ao considerar esta questão, a concepção predominante é a utilitarista, defendendo-se a exploração dos recursos para a riqueza nacional. Foram identificadas contradições nos posicionamentos de Monteiro Lobato, motivadas seja por aspectos emocionais seja pela influência do momento histórico vivido pelo escritor. Possivelmente as concepções identificadas na obra lobatiana refletem as concepções hegemônicas no momento histórico de sua produção...

Natureza na cidade : reflexos de visões de natureza sobre modelos urbanos

Araújo, Rosana Matos de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.51%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, 2006.; Visões de mundo condicionam o modo como vivem comunidades humanas em todos os seus aspectos. As visões de natureza fazem parte das visões de mundo e também influenciam aquelas comunidades. Esta influência é percebida na forma como as comunidades organizam seu ambiente; à medida que as visões de natureza se enriquecem, passam a influenciar progressivamente os modelos de organização urbana. Os modelos urbanos são formas ideais de cidades, concebidos conforme as aspirações de cada comunidade. Sendo assim, refletem seus anseios e sua compreensão do mundo. Refletem também as visões de natureza da comunidade, na medida que incluem ou não elementos naturais no projeto urbano e na medida que atribuem valor aos elementos incluídos – desde a natureza como separadora de espaços até a natureza como elemento indispensável para o bem-estar publico. O objetivo deste trabalho é traçar o desenvolvimento paralelo que acreditamos que vem ocorrendo entre visões de natureza e modelos urbanos, ambos enraizados nas visões de mundo de cada época. Partimos da hipótese de que as visões de mundo sobre a presença de elementos naturais na cidade vêm sofrendo alterações e que os modelos urbanos vêm incorporando estas visões. Observamos que os primeiros modelos urbanos atribuíam pouca importância à presença da natureza na cidade. Com o passar do tempo e principalmente com a evolução da ciência os modelos urbanos passaram a incluir tal preocupação. Em um terceiro momento a questão ambiental assumiu proporções ainda maiores...

A Natureza das Coisas e as Coisas da Natureza. Um estudo da Crítica da Razão Pura

Borges-Duarte, Irene
Fonte: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa Publicador: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa
Tipo: Livro
POR
Relevância na Pesquisa
36.56%
A questão kantiana da Natureza enquadra-se no marco da filosofia crítica: a determinação das condições de possibilidade de todo o conhecimento objectivo e, em geral, de toda a relação – seja cognoscitiva, prática ou estética – entre o sujeito racional e as suas representações. Neste sentido, o termo “natureza” aparece sempre como correlato de uma instância da racionalidade, tanto ao nível meramente lógico (Ich denke), como ao nível práxico (vontade racional livre), no que se pre-figura como uma delimitação fenomenológica avant la lettre. É “natureza” tudo aquilo que, no seu conjunto, é conhecido e entendido pelo eu penso, e é “na natureza” que há-de efectuar-se a acção da Razão pura prática. Entre estes dois pólos estende-se o campo teórico em que o conceito se define, desde a sua formulação mais estrita na Crítica da Razão Pura, enquanto Natur überhaupt, até à concepção ampla e dinâmica da Crítica do Juízo, aparentemente inconciliável com a primeira, na qual o necessitarismo causal é superado por um organicismo global, laço de união entre os mundos do determinismo e da liberdade e, por conseguinte, entre a filosofia teórica e prática, constituindo assim uma chave da própria unidade do sistema da filosofia transcendental kantiana e a sua culminação superadora do Iluminismo. Circularmente...

Cartas de Desporto de Natureza. Contributo para um Modelo de Gestão e Monitorização.

Alves, Ana Isabel
Fonte: Escola Superior de Desporto de Rio Maior Publicador: Escola Superior de Desporto de Rio Maior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /02/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.56%
Dissertação de Mestrado para a obtenção do grau de Mestre em Desporto, Especialização em Desporto de Natureza, por Ana Isabel Mourisco de Oliveira Alves. Orientadora: Professora Doutora Maria Luísa Estêvão Rodrigues;Co-orientador: Professor Doutor Luís Alberto Dias Carvalhinho.; RESUMO - Este estudo tem como referencial o Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros (PNSAC), um dos treze Parques Naturais que integram a actual Rede Nacional de Áreas Protegidas (RNAP) e procura contribuir para a definição de um modelo conceptual, ao nível dos Planos de Gestão e Monitorização das Cartas de Desporto de Natureza (CDN). Os Planos de Gestão e Monitorização das CDN decorrem da Portaria nº 53/2008, de 18 de Janeiro e deverão ser elaborados pelo Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade (ICNB), ouvidas as entidades competentes em razão de matéria, dois anos após a publicação das respectivas CDN. São duas as CDN existentes à data, publicadas em 2004 e 2008, respectivamente a CDN do PNSAC e a CDN do PNSC encontrando-se em fase de revisão, sem que até agora tenham sido elaborados os referidos planos. O modelo proposto tem por base o estudo de caso da ―Carta de Desporto de Natureza do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros‖ (CDN do PNSAC) e procura dar resposta à necessidade de criar uma plataforma de articulação entre todos os stakeholders directamente envolvidos na gestão e na monitorização das actividades de turismo de natureza dentro da Área Protegida (AP)...

Cartas de desporto de natureza. Contributo para um modelo de gestão e monitorização

Alves, Ana; Rodrigues, Maria Luísa; Carvalhinho, Luís
Fonte: Unidade de Investigação do Instituto Politécnico de Santarém (UIIPS) Publicador: Unidade de Investigação do Instituto Politécnico de Santarém (UIIPS)
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em /05/2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.53%
A Estratégia Nacional de Conservação da Natureza e da Biodiversidade, publicada pela Resolução de Conselho de Ministros nº 152/2001, de 11 de Outubro, prevê a integração da política de turismo e da política de conservação da natureza, como forma de valorização das áreas protegidas, conservação do seu património natural, cultural e social. A elaboração de Cartas de Desporto de Natureza no horizonte de 2004, foi uma das diretivas de ação da Opção nº3, expressa na publicação da Carta de Desporto de Natureza do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros - Portaria nº 1465/2004, de 17 de Dezembro. Em 2008, a publicação da Carta de Desporto de Natureza do Parque Natural de Sintra- Cascais através da Portaria nº 53/2008, prevê que a monitorização e gestão de locais e equipamentos para a prática de desporto de natureza estejam enquadradas por planos de gestão e monitorização, a elaborar no prazo de dois anos pelo Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, ICNB, I.P., ouvidas as entidades competentes em razão de matéria. Publicadas à data, a Carta de Desporto de Natureza do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros e a Carta de Desporto de Natureza do Parque Natural de Sintra- Cascais...

Turismo natureza e aventura no Geoparque Porto Santo: contributos para o desenvolvimento turístico sustentável

Miranda, Sónia Marisa Rodrigues
Fonte: Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril Publicador: Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.51%
Mestrado em Turismo, Especialização em Planeamento e Gestão em Turismo de Natureza e Aventura; Pretende-se com esta dissertação, desenvolver uma proposta de actividades destinadas à prática de turismo na natureza, com o intuito de criar um produto turístico inovador, na ilha do Porto Santo, cujo objectivo é vir a fazer parte integrante das ofertas turísticas da ilha, como um produto de diferenciação e excelência. A oferta turística do Porto Santo tem estado centrada no produto sol e praia mas o território apresenta elevado potencial para o desenvolvimento de outros produtos, particularmente o turismo na natureza, que pode levar ao sucesso e rentabilidade de um conjunto de actividades de desporto na natureza e aventura com uma vertente de animação e experiências. O estudo realizado foi desenvolvido tendo por base um cenário hipotético de desenvolvimento no contexto do geoparque do Porto Santo, abordado como uma estratégia de turismo integradora e de excelência, numa perspectiva de valorização do património natural, no contexto de percursos de geoturismo e actividades de desporto na natureza e aventura. Apresentam-se os principais argumentos que possam ser invocados no sentido de: motivar na procura por um turismo de qualidade; levar à reflexão sobre a importância do contacto com a natureza bem como a sua protecção; enriquecer e impulsionar o desenvolvimento sustentável da actividade turística do Porto Santo...

Objeto de desejo e estratégia de marketing: um estudo do valor de uso da natureza na publicidade televisiva de dois canais portugueses

Santos, Isabel Cristina Vaz
Fonte: Universidade dos Açores Publicador: Universidade dos Açores
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 12/06/2014 POR
Relevância na Pesquisa
36.53%
Dissertação de Mestrado, Gestão e Conservação da Natureza, 12 de Junho de 2014, Universidade dos Açores.; Assiste-se actualmente a uma visibilidade crescente dos problemas ambientais, da mesma forma que as problemáticas da sustentabilidade e da protecção da biodiversidade começam a afirmar-se nas agendas políticas nacionais e internacionais. Mas que papel têm desempenhado os media nesta consciencialização ambiental? A audibilidade conquistada pelos media junto da generalidade dos portugueses e, em particular da televisão, bem como o seu estatuto de opinion makers – documentados por diversas sondagens nacionais do OBSERVA – vêm sublinhar a relevância de procurar perceber que papel têm desempenhado na sensibilização ambiental dos cidadãos. No entanto, o presente estudo não se debruça sobre o papel dos media na divulgação explícita desta agenda, mas sobre as representações sociais da relação dos seres humanos com a Natureza que são disseminadas através da publicidade, uma vez que para promover a proximidade dos consumidores ela veicula representações e estereótipos dominantes na sociedade, ao mesmo tempo que o seu poder de persuasão a torna um poderoso instrumento pedagógico. Esta pesquisa procura descortinar que modelos de intereacção entre seres humanos e natureza são veiculados pelos anúncios televisivos de modo a dar resposta a uma questão essencial relativa à caraterização das actuais representações sociais da Natureza...

Memória de velhas professoras: a natureza e a relação sociedade-natureza

Mercadante,Marilu; Cavalari,Rosa Maria Feiteiro
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru. Publicador: Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências, campus de Bauru.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.54%
Este artigo tem como objetivo identificar, a partir da memória de velhas professoras, as concepções de natureza e de relação sociedade-natureza presentes nos depoimentos de professoras que atuaram na rede pública estadual de uma cidade do interior do estado de São Paulo, nas décadas de 1960 e 1970. Constatou-se, por meio das leituras das narrativas, que as professoras apresentam a natureza por meio de diferentes concepções. No que diz respeito à relação sociedade-natureza, evidencia-se a relação conflituosa que se estabelece entre o homem e a natureza. No geral, o homem foi apresentado como aquele que destrói a natureza, caracterizado pelas professoras como ruim e ignorante. Tentar compreender como a natureza e a relação sociedade-natureza se fazem presentes na memória dessas professoras pode contribuir para a construção de novas formas de relação sociedade-natureza nos dias atuais.

O conceito de natureza como ponto de partida na pedagogia de Rousseau

Pereira, Vilmar Alves
Fonte: PEREIRA, Vilmar Alves. O conceito de natureza como ponto de partida na pedagogia de Rousseau. Ambiente e educa????o, v. 15, n. 2, p. 69-90, 2010. Dispon??vel em: . Acesso em: 26 out. 2011. Publicador: PEREIRA, Vilmar Alves. O conceito de natureza como ponto de partida na pedagogia de Rousseau. Ambiente e educa????o, v. 15, n. 2, p. 69-90, 2010. Dispon??vel em: . Acesso em: 26 out. 2011.
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.37%
Este ensaio te??rico tem a pretens??o de demonstrar a import??ncia que o conceito de natureza ocupa na pedagogia de Rousseau. Marcado pelo esp??rito de seu tempo e longe de ser considerado um ing??nuo, Rousseau inverte a l??gica do pensamento vigente quando considera que naturalmente tudo sai bem das m??os do autor das coisas, defendendo, desse modo, que naturalmente os homens s??o bons. Que bondade ?? essa? Se naturalmente somos bons, qual ?? a necessidade da educa????o? Essas e outras quest??es s??o discutidas neste ensaio. Tamb??m ser?? aqui apresentada a defesa de uma educa????o que respeite o desenvolvimento natural, a partir da retomada de alguns aspectos da leitura de sua obra Em??lio ou da Educa????o. Fica evidente que, a partir do conceito de natureza, n??o ?? pensada apenas a educa????o, mas o modelo de sociedade que se almeja no contexto do s??culo XVIII.; This theoretical essay aims at showing the importance of the concept of Nature in Rousseau???s pedagogy. Since he was influenced by his time and could not be considered na??ve at all, Rousseau inverted the logics of the prevailing thoughts regarding the belief that everything turns out well in the hands of its author, thereby arguing that men are naturally good. What kind of goodness is this? If we are naturally good...

DE QUE NATUREZA SE FALA NA ESCOLA: Representação social de professores e alunos no contexto da educação ambiental

Maria Alves e Silva, Lucia; de Souza Leão Maia, Lícia (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.55%
A realização deste trabalho volta-se para o conhecimento sobre as representações sociais de natureza, que estão circulando na escola, no contexto de diferentes disciplinas científicas e níveis de ensino/escolaridade da educação formal, e, das orientações teóricas e determinações legais e institucionais para a introdução da educação ambiental. A pesquisa envolveu alunos e professores dos níveis médio e superior de ensino/escolaridade e das disciplinas: biologia, geografia, sociologia, português e matemática. Esta foi realizada em instituições de ensino privado e público, nos municípios de Recife e Olinda PE. Foram entrevistados 426 sujeitos. Utilizou-se como referencial teórico-metodológico a teoria das Representações Sociais (MOSCOVICI). A obtenção e análise dos dados seguiram uma orientação pluri-metodológica, orientada pela perspectiva da psicologia societal (DOISE) e complementada pela abordagem estrutural (ABRIC). Este estudo identificou: 1) o campo comum das representações sociais; 2) as peculiaridades grupais; e, 3) a ancoragem destas representações. Revelou-se um significado normativo (necessidade de preservação da vida) compartilhado por todos os grupos. Sentido que foi resignificado em peculiaridades grupais (natureza provedora...

A estética da natureza como mercadoria no discurso imobiliário de Gravatá-PE.

Valença, Mariana Rabêlo; Gomes, Edvânia Torres Aguiar (Orientadora)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Dissertação
BR
Relevância na Pesquisa
36.53%
mercadoria. Um grande exemplo disso está no setor imobiliário. Além disso, a natureza é evocada em diferentes contextos, em especial no atual debate sobre os limites da sustentabilidade. Portanto, faz-se necessário refletir sobre como a natureza é concebida e reproduzida e como está inserida nos diferentes discursos. Diante disso, como a natureza vem sendo significada dentro do discurso do mercado imobiliário, fundamentando o processo de (re)produção mercadológica do espaço e do capital? Partimos do pressuposto de que não ficam evidentes conflitos e contradições decorrentes de tal prática. Também julgamos ser a incorporação da natureza dentro desses discursos de grande relevância para o sucesso do mercado e para a escolha dos consumidores diretos. Analisamos um espaço cujo sítio geográfico favorece as atividades turísticas, especialmente de segunda residência, Gravatá- PE, que tem recebido muitos investimentos no ramo da construção civil para atender a demanda, sob a forma de grandes empreendimentos caracterizados pela forte presença de elementos naturais, que ganham destaque em seus anúncios. Nosso objetivo foi analisar não só a presença, mas o sentido/significado conferido à natureza nos conteúdos do discurso do mercado imobiliário...

Percep??o visual da cidade: iconografias da natureza urbana de Bel?m (1808 ? 1908)

PEREIRA, Rosa Claudia Cerqueira
Fonte: Universidade Federal do Pará Publicador: Universidade Federal do Pará
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
36.56%
Este estudo prop?e uma an?lise das iconografias urbanas de Bel?m, produzidas no decorrer do s?culo XIX e in?cio do XX. A tese tem por objetivo, ent?o, analisar a representa??o da natureza em Bel?m, especificamente nos anos de 1808 a 1908. O compromisso inicial desse estudo se concentrou em pesquisar os diversos tipos de iconografias sobre Bel?m no decorrer dos Oitocentos. As quest?es que se procurou evidenciar tratam sobre a forma como os viajantes apreenderam a cidade, em sua passagem por Bel?m, tanto sob o ponto de vista narrativo quanto o visual, at? os anos de 1890. A partir de ent?o, tamb?m identificar como os governantes promoveram a cidade para al?m da regi?o Amaz?nica. Observa-se que a natureza brasileira passou a ser representada, a partir do s?culo XIX, por meio de linguagem escrita e iconogr?fica, isto gra?as ? influ?ncia do cientificismo e da sensibilidade art?stica rom?ntica, que perpassaram pelo conhecimento do pa?s. A sensibilidade rom?ntica realizou a aproxima??o entre ci?ncia e est?tica ao apreender e representar a natureza, numa vis?o totalizante, inaugurando uma nova concep??o de paisagem e a tentativa de ?inventar? e visualizar uma natureza urbana, a qual ? tema principal desse estudo; representa o fen?meno da urbaniza??o que foi registrado...

As influencias da filosofia kantiana e do movimento romantico na Genese da Geografia Moderna : os conceitos de espaço, natureza e morfologia em Alexander von Humboldt; Influences of the Kantian philosophy and the Romantic Movement in the Genesis of Modern Geography : the formation of the concepts of space, nature and morphology in Alexander von Humboldt

Roberison Wittgenstein Dias da Silveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/08/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.54%
A dissertação de mestrado que apresentamos toma forma na análise da Gênese da Geografia Moderna a partir dos conceitos de espaço, natureza e morfologia. Estes conceitos, fundamentais na construção do saber geográfico moderno em Alexander von Humboldt, remetem a um itinerário científico-filosófico-artístico ligado à filosofia Crítica kantiana e ao movimento romântico alemão. Em Kant destacamos como o espaço a priori da Crítica da Razão Pura se atrela à delimitação de um campo válido de análise para as ciências, a esfera dos fenômenos. Na mesma medida, apresentamos ainda com a Primeira Crítica (CRP) e com os Primeiros Princípios Metafísicos da Ciência da Natureza a base filosófica sobre a qual se estruturam as ciências naturais, desenvolvendo-se livremente sob um domínio pragmático e em busca de objetivos claros e definidos, não mais a verdade elementar e última; contexto no qual emerge uma Geografia Moderna. Ainda em Kant, a Crítica da Faculdade de Julgar coloca, antecedida pela questão do organismo, a matéria sob a qual tomará forma uma concepção teleológica de natureza. Esta natureza com um fim independente da razão adentra no universo romântico e é retrabalhada de muitas maneiras, interessando-nos...

A natureza do/no MST

Mendonça, Fernanda Ciandrini de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande Publicador: Universidade Federal do Rio Grande
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
36.54%
Dissertação(mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande, Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental, Instituto de Educação, 2010.; O presente trabalho investiga a natureza do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - MST, através da análise de alguns documentos políticos, buscando esclarecer de que forma as questões relativas à natureza/meio ambiente foram incluídas em suas principais reivindicações, mais precisamente, a maneira que se deu a ampliação da natureza deste Movimento, em seu caráter político, hoje, vinculado às questões ambientais, bem como, de que forma as concepções de natureza/meio ambiente vem sendo tratadas pelo MST em alguns documentos utilizados na formação de sua militância. O material analisado foi selecionado tendo como critérios, sua relevância histórica e variedade de nichos que visam atingir, assim como, o intervalo de tempo existente entre as publicações, buscando compreender a evolução de seu discurso a respeito da temática. Selecionamos como categoria a Natureza, compreendida como natureza física, natureza humana e natureza produzida, admitindo que estas se influenciam mutuamente. Fundamentamo-nos em DUARTE (1995), GOHN (2007), MACHADO (2009), MARX (2004...

A perspectiva objetivante da ciência e a relação homem-natureza: algumas repercussões no ensino de ciências; The objectifying perspective of science and the man-nature relationship: some repercussions for Science teaching

Godoi, Kêmeli Mamud
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 04/09/2015 PT
Relevância na Pesquisa
36.53%
O presente trabalho investiga algumas repercussões que a perspectiva objetivante da ciência tem no ensino de ciências, no que diz respeito à relação homemnatureza. A ciência, que sustentou o progresso, também engendrou problemas absolutamente cruciais para o futuro da humanidade. Sua perspectiva objetivante, levada ao extremo, compôs uma forma de ver o mundo de maneira independente dos sentimentos humanos. Com a objetivação da visão de mundo, a relação homem-natureza se firma como uma relação de prepotência daquele sobre esta, ao mesmo tempo em que deixa o ser humano desamparado diante de uma natureza que não o contém. A racionalidade científica que legitimou tal visão de mundo, apagou a natureza por meio da negação da tradição, transformando-a em naturezaextensão, e fez surgir um sujeito do conhecimento que não tem história nem lugar. No contexto de uma natureza anônima, a relação do homem com esta é direcionada para a experiência EU-ISSO, que prescinde de qualquer envolvimento pessoal. Um dos caminhos para se retomar o vínculo relacional do homem com a natureza pode ser a reabilitação de saberes não científicos, que conformam maneiras outras de habitar o mundo e de se relacionar com a natureza. No ensino de ciências...

A Arquitetura Sagrada e a Natureza nas Cantigas de Santa María (séc. XIII)

Costa, Ricardo da; Dantas, Bárbara
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
36.57%
A Idade Média foi o tempo da inserção do homem no meio natural. Mais que isso: foi, sobretudo, o tempo da conquista do espaço, dos grandes arroteamentos, das construções arquitetônicas (por vezes em meio à Natureza), das expansões à custa do meio ambiente. Os movimentos monásticos foram os impulsionadores desse avanço. Nesse sentido, os monges foram, por excelência, os desbravadores, os, dominadores, os domesticadores da Natureza, tanto sujeitos quanto objetos a induzir este processo de compreensão, de civilização. A própria Teologia assim o permitia (“Toda a natureza [...] se amansa e foi domada pela natureza humana”, Tg 3,7). A Civilização Ocidental foi filha desse processo, dessa relação, dessa simbiose, muitas vezes intempestiva, entre a Cultura e a Natureza, a Civilização e a Barbárie, o cru e o cozido. A proposta desse trabalho é analisar a iconografia das iluminuras de duas cantigas e de um louvor presentes nas Cantigas de Santa Maria, obra atribuída a Afonso X, o Sábio. Nossa metodologia consistiu em delimitar tematicamente a presença da natureza naquelas três iluminuras, quando então fixamos os seguintes topos artísticos: 1) a Natureza sagrada (Louvor 10), 2) a Natureza suplicante (Cantiga 93) e 3) a Natureza salvadora (Cantiga 7). Na ordem...

A CIDADE E A NATUREZA: A APROPRIAÇÃO, A VALORIZAÇÃO E A SOFISTICAÇÃO DA NATUREZA NOS EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS DE ALTO PADRÃO EM SÃO PAULO.; A CIDADE E A NATUREZA: A APROPRIAÇÃO, A VALORIZAÇÃO E A SOFISTICAÇÃO DA NATUREZA NOS EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS DE ALTO PADRÃO EM SÃO PAULO

Henrique, Wendel
Fonte: Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana. Universidade de São Paulo. Publicador: Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana. Universidade de São Paulo.
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 30/04/2006 POR
Relevância na Pesquisa
36.53%
The present work is a search for the ideas and processes of material and symbolic appropriation of the nature in the city of São Paulo by real estate agents in the market. In the studied cases the process of appropriation and production of the nature in the city is linked with the valuation of areas, neighborhoods, condominiums or enterprises. In São Paulo, where the nature becomes rare and is not present in the current processes of production and use of the urban territory, the access to this ‘resource’ or ‘merchandise’ becomes extremely selective in function of the economic influence. The nature that would have to be a value of use becomes a value of exchange in the real estate market. The nature in the city for the real estate market is only one financial appeal and finishes for being transformed into a sophisticated object or idea which can be changed into monetary values.; O presente trabalho é uma busca pelas idéias de natureza e pelos processos de apropriação material e simbólica da natureza na cidade de São Paulo pelos agentes do mercado imobiliários. Nos casos estudados, o processo de apropriação, e mesmo de produção, da natureza na cidade está atrelado à valorização de áreas, bairros ou empreendimentos. Em São Paulo...