Página 1 dos resultados de 28 itens digitais encontrados em 0.390 segundos

A new species of Vriesea Lindl. (Bromeliaceae, Tillandsioideae) from Serra da Canastra, Minas Gerais State, Brazil; Nova espécie de Vriesea Lindl. (Bromeliaceae, Tillandsioideae) da Serra da Canastra, MG, Brasil

VERSIEUX, Leonardo M.; WANDERLEY, Maria das Gracas Lapa
Fonte: SOC BOTANICA BRASIL Publicador: SOC BOTANICA BRASIL
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
95.99%
A new species of Vriesea Lindl. belonging to section Xiphion (E. Morren) E. Morren ex Mez. - V. sanfranciscana Versieux & Wand.- is described and illustrated. The species is only known to occur in the Serra da Canastra National Park, located in the southwestern Minas Gerais, Brazil, and is morphologically related to V. atropurpurea Silveira from serra do Cipo, Espinhaco range.; Uma nova espécie de Vriesea Lindl. pertencente à seção Xiphion (E. Morren) E. Morren ex Mez –V. sanfranciscana Versieux & Wand. – é descrita e ilustrada. A espécie só é conhecida do Parque Nacional da Serra da Canastra, localizado no sudoeste de Minas Gerais, Brasil, e relaciona-se morfologicamente com V. atropurpurea Silveira, da serra do Cipó, serra do Espinhaço.; Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

AVALIAÇÃO DOS INCÊNDIOS FLORESTAIS OCORRIDOS NO PARQUE NACIONAL DA SERRA DA CANASTRA - MINAS GERAIS; AVALIATION OF FOREST FIRE OCCURRENCE IN THE SERRA DA CANASTRA NATIONAL PARK - MINAS GERAIS, BRAZIL

Magalhães, Simone Rodrigues de; Lima, Gumercindo Souza; Ribeiro, Guido Assuncao
Fonte: UNIV FEDERAL LAVRAS-UFLA; LAVRAS Publicador: UNIV FEDERAL LAVRAS-UFLA; LAVRAS
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
66.03%
Neste trabalho, objetivou-se estabelecer o perfil dos incêndios florestais ocorridos no Parque Nacional da serra da Canastra, utilizando dados contidos nos Relatórios de Ocorrências de Incêndios de 1988 até 2008, cedidos pela unidade de conservação. Foram registradas 219 ocorrências, totalizando 415572,50 ha de área queimada, com média de 10,43 incêndios e 19789,17 ha queimados por ano. Em relação à área queimada, os incêndios causados por incendiários apresentaram o maior valor, seguido por queimas para limpeza de pastagens, raios e causa desconhecida. Considerando-se número de ocorrências, os incêndios decorrentes de raios apresentaram a maior frequência. Nos meses de setembro e agosto predominaram os incêndios causados por incendiários e de causa desconhecida, enquanto os incêndios naturais ocorreram principalmente nos meses de outubro e fevereiro e os decorrentes da queima para limpeza de pastagens se concentraram em julho. Os incêndios que atingiram maiores áreas foram observados em locais com maior declividade, enquanto os de menores proporções ocorreram em áreas planas e ou de relevos suaves. Quanto à localização, registrou-se o maior número de focos na área regularizada do parque, provavelmente por ser esta área a mais fiscalizada.; This study characterized the forest fires in the Serra da Canastra National Park...

Asclepiadoideae (Apocynaceae) do Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais, Brasil.

Farinaccio, Maria Ana
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/12/2000 PT
Relevância na Pesquisa
106.14%
Este trabalho trata das Asclepiadoideae (Apocynaceae) do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Parque é a segunda maior unidade de conservação do Estado de Minas Gerais, situa-se entre as coordenadas 20°00'-20°30'S e 46°15'-47°00'W e tem 71.525 ha. As cotas altimétricas variam entre 900 e 1200 m, atingindo um máximo de 1496 m. Dentre a formações vegetais predomina o cerrado s.l., seguido do campo rupestre, e podem ser encontradas florestas mesofíticas ao longo dos cursos d'água. A subfamília Asclepiadoideae é cosmopolita, principalmente tropical. No Brasil ocorrem ca. de 38 gêneros e 492 espécies. Habitam preferencialmente áreas de vegetação aberta. No Parque Nacional da Serra da Canastra ocorrem nove gêneros e 24 espécies, sendo quatro inéditas para a ciência: Barjonia erecta (Vell.) K. Schum., B. aff. laxa Malme, Blepharodon ampliflorum E. Fourn., B. lineare (Decne.) Decne., B. nitidum (Vell.) Macbr., Ditassa acerosa Mart., D. cordata (Turcz.) Fontella, D. lenheirensis Silveira, D. obcordata Mart., D. insignis Farinaccio sp. nov., D. glomerata Farinaccio sp. nov., Hemipogon acerosus Decne., Jobinia lindbergii E. Fourn., Macroditassa adnata (E. Fourn.) Malme, Nautonia nummularia Decne., Oxypetalum appendicullatum Mart....

Pesquisa de anticorpos contra bactérias do gênero Brucella spp, Leptospira spp, Chlamydophila spp em tamanduás-bandeira (Myrmecophaga tridactyla, Linnaeus, 1758), da RPPN SESC Pantanal, Parque Nacional da Serra da Canastra (PNSC) e Parque Nacional das Emas (PNE); Research on antibodies against bacteria of the Brucella spp, Leptospira spp, Chlamydophila spp species in Anteaters (Myrmecophaga tridactyla,Linnaeus,1758) of the Natural Assets Private Reserve RPPN of SESC Pantanal, the Serra da Canastra National Park and the Emas National Park

Miranda, Flavia Regina
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/05/2008 PT
Relevância na Pesquisa
106.08%
A fragilidade do tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) e seu visível desaparecimento de certas regiões, inclusa sua área de distribuição original mostram com clareza a necessidade de medidas que possam garantir proteção desse animal. O estudo do papel das doenças nesse aspecto constitui um eixo importante das estratégias para conservação dessa espécie, principalmente considerando-se que estudos ecológicos reconhecem as doenças como o mecanismo regulatório de populações naturais. Este trabalho objetivou avaliar a freqüência de anticorpos anti- Leptospira, anti-Brucella abortus e anti-Chlamidophila. Foram analisadas 21 amostras de soro de tamanduás-bandeira de vida livre oriundos dos Parques Nacionais da Serra da Canastra e das Emas e da Reserva SESC Pantanal. Destes 12 (57,14%) amostras foram reagentes para o teste de soroaglutinação microscópica anti-Leptospira sp, 1 (0,04%) foi reagentes para o teste do Antígeno Acidificado Tamponado (TAA) - anti- Brucella abortus e todas as amostras foram consideradas negativas para a presença de anticorpos anti-Chlamidophila sp. Por se tratar de uma espécie que possui baixo potencial reprodutivo, apresentando cuidado parental prolongado, longos períodos de gestação e somente uma cria por ano...

A regularização fundiária no Parque Nacional da Serra da Canastra e a expropriação camponesa: da baioneta à ponta da caneta; Land regularization in the National Park of the Serra da Canastra and peasantry expropriation: from the bayonet to the pen tip

Ferreira, Gustavo Henrique Cepolini
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
136.14%
A regularização fundiária no Brasil está engendrada nas contradições do modo capitalista de produção, as quais impulsionam os conflitos e disputas territoriais no campo como uma das marcas do desenvolvimento e da ocupação territorial no país. A partir dessa premissa, essa pesquisa visa analisar o histórico do Parque Nacional da Serra da Canastra (PNSC), localizado na região sudoeste de Minas Gerais, reconhecendo o encontro e desencontro da luta pela terra e as Unidades de Conservação (UC) no país, assim como procura desvendar as irregularidades e pressupostos que nortearam a implantação dessa UC através do Decreto Federal de 1972 e as diferentes estratégias para regularizar o PNSC desde então. Nesse contexto, os camponeses - sujeitos sociais do território da Canastra sofreram expropriações e restrições em função do modelo de conservação sem pessoas, apregoado predominantemente nas políticas públicas. Por isso, as disputas entre territorialidades, aumentam constantemente sob discursos antagônicos, os quais resultam em propostas que afetam diretamente o modo de vida camponês ao favorecer a conservação ambiental (leia-se sem pessoas), a mineração e mais recentemente o próprio agronegócio. Nesse sentido...

Fogo no Parque Nacional da Serra da Canastra/MG: abordagem dos aspectos fisiográficos e humanos na concepção de uma proposta de Manejo Integrado de Fogo

Moura, Livia Carvalho
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 111 f. : il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
125.93%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Geografia - IGCE; Historicamente o fogo no Cerrado é recorrente, além de desempenhar um papel ecológico importante nos ecossistemas, é utilizado por populações rurais como ferramenta de manejo da terra. Entender os efeitos das queimas sobre a fauna e flora, assim como, conhecer os vários tipos de uso do fogo pelas pessoas é essencial para se avaliar o risco de ocorrência de incêndios em Unidades de Conservação – UC, e propor um manejo de fogo que corresponda à realidade e contexto de cada região. Embora alguns estudos indiquem que a ocorrência de fogo no Cerrado seja antiga, não há clareza sobre os impactos das alterações antrópicas no regime de fogo. O Parque Nacional da Serra da Canastra (PNSC), MG, composto em sua maior parte por diferentes fitofisionomias de Cerrado, enfrenta problemas com incêndios florestais anualmente, atingindo a maior parte de sua área em uma única ocorrência. O trabalho visa identificar elementos físicos, biológicos e humanos que possam contribuir com a ocorrência de incêndios no PNSC, e compreender como é feito o manejo de prevenção e combate a incêndios na UC e seu entorno, contando com uma análise bibliográfica...

A familia Melastomataceae no Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais, Brasil

Rosana Romero
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 22/03/2000 PT
Relevância na Pesquisa
76.07%
Este levantamento florístico é o tratamento sistemático da família Melastomataceae no Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais. Este Parque localiza-se na região sudoeste do estado de Minas Gerais, entre os municípios de São Roque de Minas, Delfinópolis e Sacramento. As coletas foram realizadas de fevereiro de 1994 a janeiro 1998, com duração de uma semana em intervalos de dois meses, e uma coleta no mês de junho de 1998 totalizando 26 expedições, cobrindo todos os tipos fisionômicos de vegetação. Todos os exemplares coletados se encontram depositados no Herbarium Uberlandense (HUFU) do Departamento de Biociências da Universidade Federal de Uberlândia, MG, no Herbário UEC da Universidade Estadual de Campinas, SP, e no US National Herbarium do Museu Nacional de História Natural, Smithsonian Institution, Washington, DC, USA. A família Melastomataceae é bastante representativa no Parque, com um total de 95 táxons distribuídos em 17 gêneros. Os gêneros mais numerosos são Miconia e Microlicia, com 21 e 19 táxons respectivamente, seguidos por Tibouchina, com 13 e Leandra, com 12 espécies. Cambessedesia e Lavoisiera apresentam 4 espécies, enquanto Siphanthera e Trembleya estão representados por 3 espécies cada e Chaetostoma e Ossaea com 2. Os gêneros Clidemia...

A familia asteraceae no Parque da Serra da Canastra, Minas Gerais, Brasil

Jimi Naoki Nakajima
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 03/05/2000 PT
Relevância na Pesquisa
76.16%
Este levantamento florístico é o tratamento sistemático da família Asteraceae no Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais. Este Parque localiza-se na região sudoeste do estado de Minas Gerais, entre os municípios de São Roque de Minas, Delfinópolis e Sacramento. O levantamento foi realizado durante o período de quatro anos entre fevereiro de 1994 a janeiro de 1998, sendo realizadas 24 expedições, cobrindo todos os tipos fisionômicos de vegetação. Todos os exemplares coletados encontram-se depositados no Herbarium Uberlandense (HUFU) do Departamento de Biociências da Universidade Federal de Uberlândia, MG, no Herbário UEC da Universidade Estadual de Campinas, SP, e no US National Herbarium do Museu Nacional de História Natural, Smithsonian Institution, Washington, DC, USA. A família Asteraceae é a mais rica em termos de número de espécies no Parque Nacional da Serra da Canastra, com um total de 215 espécies, pertencentes a 64 gêneros e 11 tribos diferentes. Os gêneros melhor representados são Lessingianthus (27 spp.), Mikania (21 spp.), Baccharis (16 spp.), Chromolaena (12 spp.) e Calea (10 spp.). A tribo mais diversa é Vemonieae (67 spp.), seguida por Eupatorieae (63 spp.) e Heliantheae (37 spp.). Um dos resultados mais significantes é a descoberta de 26 espécies novas...

Biologia da polinização e reprodução de especies de Melastomataceae do Parque Nacional da Serra da Canastra (MG); Pollination and reproductive biology of Melastomataceae from Serra da Canastra National Park (MG, Brazil)

Carla Magioni Fracasso
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/2008 PT
Relevância na Pesquisa
76%
Esse trabalho traz informações sobre a fenodinâmica reprodutiva, as relações entre polinizadores e flores e o sistema reprodutivo em espécies de Melastomataceae ocorrentes no Parque Nacional da Serra da Canastra, em Minas Gerais. A sazonalidade expõe as plantas a mudanças periódicas na qualidade e abundância de recursos. Havia espécies em flor ao longo do ano com extensa sobreposição de floradas, porém o pico de intensidade dessa fenofase concentrou-se em curtos períodos. Não houve correlações significativas entre os fatores climáticos e essa fenofase, indicando que a floração dessas espécies provavelmente seja restringida por características filogenéticas do grupo. estames dos dois verticilos não têm distinção funcional e a disposição do androceu confere à flor simetria radial ou zigomorfa. De maneira geral, os polinizadores possuem tamanho corporal suficiente para agarrar o conjunto de elementos reprodutivos e, ao mesmo tempo, contatar o estigma antes da coleta de pólen. Todas as espécies são homogâmicas, contudo o pólen é liberado gradualmente durante a antese e o estigma, receptivo por longo período, pode receber pólen exógeno em mais de uma visita, aumentando potencialmente a quantidade de grãos aderidos às papilas estigmáticas...

Apocynaceae s. str. do Parque Nacional da Serra da Canastra (MG) e anatomia floral de Condylocarpon isthmicum (Vell.) A. DC. (Rauvolfioideae); Apocynaceae s. str. of Serra da Canastra National Park (MG) and floral anatomy of Condylocarpon isthmicum (Vell.) A. DC. (Rauvolfioideae)

Rosemeri Morokawa
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2009 PT
Relevância na Pesquisa
96%
Os objetivos deste trabalho foram realizar o levantamento florístico das espécies de Apocynaceae s. str. no Parque Nacional da Serra da Canastra em Minas Gerais e estudar a anatomia floral de uma espécie, Condylocarpon isthmicum (Vell.) A. DC. (Alyxeae, Rauvolfioideae, Apocynaceae). No levantamento florístico, foram encontradas 30 espécies, distribuídas em 14 gêneros: Aspidosperma australe Müll. Arg., A. cylindrocarpon Müll. Arg., A. macrocarpon Mart., A. ramiflorum Müll. Arg., A. spruceanum Müll. Arg., A. subincanum Mart., A. tomentosum Mart., Condylocarpon isthmicum (Vell.) A. DC., Forsteronia pubescens A. DC., F. velloziana (A. DC.) Woodson, Hancornia speciosa B.A. Gomes, Himatanthus obovatus (Müll. Arg.) Woodson, Mandevilla hirsuta (A. Rich.) K. Schum., M. illustris (Vell.) Woodson, M. longiflora (Desf.) Pichon, M. martii (Müll. Arg.) Pichon, M. novocapitalis Markgr., M. pohliana (Stadelm) Gentry, M. tenuifolia (J.C. Mikan) Woodson, M. velame (A. St.-Hil.) Pichon, Mesechites mansoanus (A. DC.) Woodson, Odontadenia lutea (Vell.) Woodson, Peltastes peltatus (Vell.) Woodson, Prestonia coalita (Vell.) Woodson, P. riedelii (Müll. Arg.) Markgr., P. tomentosa R. Br., Rhodocalyx rotundifolius Müll. Arg.; Secondatia densiflora A. DC....

Rubiaceae-Rubioideae Verdc. do Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais, Brasil; Rubiaceae-Rubioideae Verdc. of the Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais, Brazil

Marcela Firens da Silveira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/07/2010 PT
Relevância na Pesquisa
115.97%
Rubiaceae Juss. é uma das maiores famílias de angiospermas, e também uma das famílias mais importantes da flora brasileira. A atual circunscrição da família compreende três subfamílias, entre elas, Rubioideae Verdc. O Parque Nacional da Serra da Canastra (PNSC) é a segunda maior Unidade de Conservação de Minas Gerais, compreendendo ambientes como campo, cerrado s.s. e floresta. O objetivo deste trabalho foi realizar o levantamento das espécies de Rubiaceae subfamília Rubioideae no PNSC e entorno, a fim de documentar a riqueza do grupo nesta região e contribuir para a taxonomia da família. Para tanto, foram realizadas coletas bimestrais, entre setembro de 2008 e novembro de 2009, e estudadas coleções de plantas herborizadas da região. O levantamento florístico da subfamília Rubioideae no PNSC resultou em um total de 57 espécies, pertencentes a 17 gêneros, ao longo de todas as principais formações vegetacionais. Psychotria L. foi o gênero mais rico, compreendendo 15 espécies: P. anceps Kunth; P. capitata Ruiz & Pav.; P. carthagenensis Jacq.; P. deflexa DC.; P. gracilenta DC.; P. hastisepala Müll.Arg.; P. hoffmannseggiana (Willd. ex Roem. & Schult.) Müll. Arg.; P. leiocarpa Cham. & Schltdl.; P. myriantha Müll.Arg.; P. nemorosa Gardner; P. prunifolia (Kunth) Steyerm.; P. stachyoides Benth.; P. subtriflora Müll.Arg.; P. trichophora Mull.Arg.; e P. vellosiana Benth. Borreria G.F.W.Mey. e Coccocypselum P.Browne foram representados por 8 e 7 espécies...

Mapeamento das áreas suscetíveis à fragilidade ambiental na alta bacia do Rio São Francisco, Parque Nacional da Serra da Canastra - MG; Mapping of suceptible areas to environmental fragility in the upper Sao Francisco river basin, National Park of Serra da Canastra

Cassiano Gustavo Messias
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 12/08/2014 PT
Relevância na Pesquisa
166.12%
As paisagens rurais vêm sendo transformadas continuamente pela ocupação humana, principalmente em razão de adaptações técnicas requeridas para o desenvolvimento da agricultura. De maneira geral, estas alterações antrópicas estão diretamente ligadas à utilização dos recursos naturais como insumos da produção agrícola. Os recursos mais impactados por este modo de produção são a vegetação e o solo. Dentre as formas de avaliação do grau de comprometimento da paisagem em razão da exploração agrícola do território é o mapeamento da fragilidade ambiental. Esta pesquisa teve como principal objetivo avaliar os graus de fragilidade ambiental de diferentes áreas do Parque Nacional da Serra da Canastra, situado no sudoeste de Minas Gerais. Criado em 1972, o parque tem como meta principal preservar ecossistemas naturais ainda existentes no bioma do cerrado brasileiro. A metodologia de mapeamento da fragilidade ambiental utilizada neste trabalho baseia-se em cinco variáveis geográficas: índice de vegetação, probabilidade de ocorrência de chuvas intensas, declividades, densidade de estradas e densidade de lineamentos estruturais. Estas variáveis foram processadas em sistemas de informação geográfica, por meio de técnicas de análise espacial...

Integração de parâmetros morfométricos e imagem Aster para a delimitação das fitofisionomias da Serra da Canastra, Parque Nacional da Serra da Canastra, MG

Couto Júnior, Antônio Felipe; Souza, Vinicius Vasconcelos de; Carvalho Júnior, Osmar Abílio de; Martins, Éder de Souza; Santana, Otacílio Antunes; Freitas, Leonardo Figueiredo; Gomes, Roberto Arnaldo Trancoso
Fonte: União da Geomorfologia Brasileira (UGB) Publicador: União da Geomorfologia Brasileira (UGB)
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
76%
Este trabalho teve como objetivo delimitar as fitofisionomias utilizando parâmetros morfométricos e imagens do sensor ASTER na Serra da Canastra, Parque Nacional da Serra da Canastra, MG. Foram identificadas fitofisionomias através das observações de campo: ambientes rupestres (Campo Rupestre + Cerrado Rupestre), Campo Limpo, Campo Sujo, Cerrado Sentido Restrito, Mata de Galeria + áreas de drenagem. Os parâmetros morfométricos, obtidos do Modelo Digital de Terreno (MDT), foram dispostos em gráficos de dispersão tridimensional com o Normalized Difference Vegetation Index (NDVI) e com o Normalized Difference Water Index (NDWI). Estes gráficos evidenciaram cinco conjuntos de dados, representando as fitofisionomis encontradas em campo. Foi observada uma variação espectral correspondente aos membros finais: Vegetação Fotossintéticamente Ativa (VFA) e Vegetação Não Fotossintéticamente Ativa (VNFA). Das fitofisionomias agrupadas o Campo Limpo foi a mais abrangente (60,45%) e a única que faz limite com todas as demais, seguido por ambientes rupestres (21,02%), Campo Sujo (12,40%), Mata de Galeria e Campo Úmido (4%), e Cerrado Sentido Restrito (1,90%). Os perfis topográficos obtidos a partir da integração da classificação espectral e do MDT permitiram evidenciar a distribuição da vegetação em relação ao relevo. _______________________________________________________________________________________ ABSTRACT; This work aimed to delimit the phytophysiognomies using morphometric patterns and images acquired by ASTER sensor in the Serra da Canastra...

Sistema de classificação geomorfométrica baseado em uma arquitetura sequencial em duas etapas : árvore de decisão e classificador espectral, no Parque Nacional Serra da Canastra; Geomorphometric classification system based on a two-stage sequential architecture : decision tree and spectral classifier, in the Serra da Canastra National Park

Vasconcelos, Vinicius; Carvalho Júnior, Osmar Abílio de; Martins, Éder de Souza; Couto Júnior, Antônio Felipe; Guimarães, Renato Fontes; Gomes, Roberto Arnaldo Trancoso
Fonte: União da Geomorfologia Brasileira Publicador: União da Geomorfologia Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
76.06%
Geomorfometria é uma ciência interdisciplinar (que combina a ciência da terra, matemática e computação) que descreve a superfície terrestre como uma representação numérica com descritores quantitativos. Assim, a geomorfometria evolui com os métodos computacionais presentes em Sistema de Informação Geográfica (SIG), a fim de estudar inúmeros problemas, tais como: susceptibilidade deslizamento de terra, hidrogramas de bacia, erosão do solo, distribuição da vegetação, entre outros. Um tópico de pesquisa importante na Geomorfometria é extrair e classificar formas de relevo a partir do Modelo Digital de Elevação (MDE), que é um pré-requisito para melhorar a compreensão da dinâmica dos geossistemas naturais. Assim, os métodos de classificação automática têm sido desenvolvidos, a fim de obter resultados que asseguram um processamento de dados rápido, preciso e reprodutível por indivíduos independentes. Vários parâmetros geomorfométricos têm sido descritos na tentativa de caracterizar a paisagem, destacando a altimetria e suas derivações de primeira e segunda ordem. Isso mostra que os atributos apresentam diferentes níveis de generalização e aplicação que devem ser usadas em condições específicas na estratificação da paisagem. Este trabalho tem como objetivo propor um método de classificação sequencial das formas do relevo considerando as diferenças inerentes dos atributos de terreno na Serra da Canastra - MG. O método proposto consiste em um sistema de classificação baseado em uma arquitetura em duas etapas sequenciais: (a) classificação por árvore de decisão dos dados de altitude e de declividade...

Caracterização de uma topossequência no Parque Nacional da Serra da Canastra, MG; Characterization of a toposequence in National Park of Serra da Canastra, MG

Vasconcelos, Vinícius; Martins, Éder de Souza; Reatto, Adriana; Couto Junior, Antônio Felipe; Carvalho Júnior, Osmar Abílio de; Santos, Wellington Cardoso dos; Lima, Larissa Ane de Sousa; Castro, Kássia Batista de; Xavier, Dárcio; Passo, Denilson P
Fonte: Embrapa Cerrados Publicador: Embrapa Cerrados
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
126.06%
O estudo foi desenvolvido no Parque Nacional da Serra da Canastra - PNSC, localizado no Estado de Minas Gerais, em uma área protegida de 50.000 ha. O objetivo foi caracterizar os solos de uma topossequência na Serra da Canastra, localizada no PNSC, organizada do topo para a base, conforme a seguinte variação de vegetação: Cerrado Sentido Restrito, Campo Limpo e Campo Limpo Úmido com murundo. Foram descritas as seguintes classes de solos: Latossolo Vermelho Ácrico típico, Latossolo Vermelho Ácrico húmico, Cambissolo Háplico Tb Distrófico típico, Cambissolo Húmico Tb Distrófico típico, Cambissolo Húmico Tb Distrófico latossólico e Gleissolo Háplico Tb distrófico típico. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT; The study was conducted in the National Park of Serra da Canastra - PNSC located in the state of Minas Gerais with 50.000 ha of protected area. The objective was to characterized a toposequence in the Serra da Canastra Plateau organized from the top to the base with the following grassland with murundus. It was determined the Acric Dystrophic Oxisols, Acric Humic Oxisols, Dystrophic Haplic Cambisols, Dystrophic Humic Cambisols and Dystrophic Haplic Gleysols. The Oxisols had a very clay texture located in a convex hillslide with flat top...

A new species of Vriesea Lindl. (Bromeliaceae, Tillandsioideae) from serra da Canastra, Minas Gerais State, Brazil

Versieux,Leonardo M.; Wanderley,Maria das Graças Lapa
Fonte: Sociedade Botânica do Brasil Publicador: Sociedade Botânica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2008 EN
Relevância na Pesquisa
95.89%
A new species of Vriesea Lindl. belonging to section Xiphion (E. Morren) E. Morren ex Mez. - V. sanfranciscana Versieux & Wand.- is described and illustrated. The species is only known to occur in the Serra da Canastra National Park, located in the southwestern Minas Gerais, Brazil, and is morphologically related to V. atropurpurea Silveira from serra do Cipó, Espinhaço range.

Ocorrencia de mercurio em lobo-guara (Chrysocyon brachyurus) e componentes de dieta do Parque Nacional da Serra da Canastra e areas do entorno, Minas Gerais, Brasil

Leão, Renata Spolti
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
95.95%
O mercurio é um metal pesado bioacumulável nos organismos e tóxico a vida silvestre. Os lobos-guara (Chrysocyon brachyurus), por ocuparem um alto nivel na cadeia trófica e uma razoável longevidade, podem servir como indicadores da contaminação ambiental por mercúrio. Neste estudo foram investigados os niveis de mercúrio total nos pelos de lobos-guara e de tecidos de pequenos mamiferos e frutos de Solanum lycocarpum, componentes de sua dieta, do Parque Nacional da Serra da Canastra (PNSC) e de fazendas do seu entorno, com intuito de discutir o risco de acumulação do metal pelo animal a partir da dieta nas diferentes áreas de vida e a contaminação por mercúrio mesmo em áreas distantes de fontes representativas. A concentração de mercúrio nos pelos dos lobos-guara variou entre 0,62 a 9,8 µg/g e foi maior nos individuos com area de vida exclusiva ao Parque, sendo as mesmas não relacionadas ao sexo, idade e peso dos lobos-guara. Dentre os pequenos mamiferos, as concentrações do metal variaram entre 0,05 a 1,09 µg/g, e também foram maiores nos individuos do interior do PNSC, enquanto os frutos de S. lycocarpum apresentaram valores bastante baixos (média de 0,04 μg/g) ou abaixo da concentração minima detectada pelo método. Pequenos mamiferos e frutos representam para os lobos-guara fonte de contaminação em maior e menor grau...

Territórios de vida e trabalho dos pequenos produtores de queijo da Serra da Canastra: um estudo sobre a relação entre produção camponesa e espaços naturais protegidos nas nascentes do rio São Francisco, Minas Gerais

Barbosa, Cristiano
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
126.13%
Este trabalho discute as relações entre agricultura camponesa e as áreas naturais protegidas. O território como tema central de investigação da Geografia está presente em estudos que buscam compreender as dinâmicas socioprodutivas do espaço. Neste cenário de pesquisa, o estudo analisa a relação entre os pequenos produtores de queijo e o Parque Nacional da Serra da Canastra. Essa unidade conservação, localizada na região centro-oeste do Estado de Minas Gerais, foi criada em 1972, pelo Decreto Lei n.° 70.355, numa área de 200.000 hectares e que hoje possui apenas pouco mais de 1/3 da sua área original. A proposta de ampliação do parque, apresentada em 2005, provocou um acirrado conflito entre a população local e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Esse órgão ambiental aprovou um novo plano de manejo, que ratifica a necessidade de regulamentação da área original e estabelece uma faixa de 10 km no entorno do parque. A exploração do turismo, ecológico e rural, e a modernização da produção do queijo, visando à obtenção do selo de certificação de origem, são apontadas como estratégicas econômicas que podem associar conservação dos recursos naturais e geração de trabalho e renda para as famílias camponesas. Os defensores da tese de que a retirada das pessoas do parque não garantiria a sua proteção...

Annonaceae do Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais, Brasil.

Pontes, A.F.; Mello-Silva, R.
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 03/06/2005 POR
Relevância na Pesquisa
105.94%
Este trabalho apresenta o tratamento taxonômico da família Annonaceae do Parque Nacional da Serra da Canastra. O Parque, que compreende uma área de 71.525 ha, está situado no sudoeste do Estado de Minas Gerais, entre as coordenadas de 20°00'-20°30' S e 46°15'-47°00' W. As altitudes variam de 900 a 1496 m. Os tipos de vegetação predominantes na área são o cerrado sensu lato, os campos rupestres e as florestas mesofíticas, ao longo dos cursos d'agua. Quatro gêneros e oito espécies ocorrem no Parque Nacional da Serra da Canastra: Annona coriacea, A. warmingiana, Duguetia furfuracea, D. lanceolata, Guatteria sellowiana, Xylopia aromatica, X. brasiliensis e X. sericea. São apresentados chaves de identificação para gêneros e espécies, descrições, ilustrações, dados sobre distribuição geográfica, fenologia e comentários sobre os táxons.

Piperaceae do Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais, Brasil; Piperaceae of the Serra da Canastra National Park, Minas Gerais, Brazil

Carvalho-Silva, Micheline; Guimarães, Elsie Franklin
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Biociências
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2009 POR
Relevância na Pesquisa
96.04%
O trabalho apresenta as espécies de Piperaceae que ocorrem no Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais baseado em espécimes depositados nos herbários BHCB, HUFU, R, RB, SP e SPF. Foram registradas 16 espécies, sendo duas novas ocorrências para o estado de Minas Gerais e uma nova espécie para o Brasil. São apresentadas descrições da família, dos gêneros e espécies, chaves de identificação, ilustrações e comentários sobre distribuição geográfica e habitat.; This work presents the Piperaceae species of Parque Nacional da Serra da Canastra, Minas Gerais, based on specimens deposited in BHCB, HUFU, R, RB, SP and SPF herbaria. There are 16 species in the region, with two new records for Minas Gerais, and one first record for Brazil. Descriptions, illustrations, keys to the genera and species, as well as comments on the geographical distribution and habitats are presented.