Página 1 dos resultados de 225 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Ausência de mutagenicidade e antimutagenicidade do extrato obtido das flores do ipê roxo [Tabebuia impetiginosa (Mart. ex DC.) Standl.]; Absence of mutagenicity and antimutagenicity of the extract obtained from the flowers of "ipê roxo" Tabebuia impetiginosa (Mart. ex DC.) Standl

LOURENÇO, J.A.; PITANGUI, C.P.; JORDÃO, A.A.; VANNUCCHI, H.; CECCHI, A.O.
Fonte: UNESP Publicador: UNESP
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.35%
A Tabebuia impetiginosa, conhecida popularmente como ipê-roxo, é uma planta nativa das florestas tropicais chuvosas da América do Sul e Central. Componentes químicos obtidos da casca têm mostrado efeito terapêutico, como antiinflamatório, antifúngico e antibacteriano. Porém, pela falta de dados na literatura, pouco se sabe sobre os efeitos do extrato das flores. Assim, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o potencial mutagênico e antimutagênico do extrato obtido das flores da T. impetiginosa, em três diferentes concentrações (100, 300 e 500 mg kg-1 p.c.) pelo teste do micronúcleo. Para o teste de mutagenicidade, a doxorrubicina (DXR, 90 mg kg-1 p.c.) foi utilizada como indutor de danos no DNA e para o teste de antimutagenicidade, os tratamentos com o extrato foram realizados simultaneamente com este agente químico. O sangue periférico dos animais foi coletado 24 horas após os tratamentos. A comparação da frequência de eritrócitos policromáticos (PCEs) em 400 eritrócitos/animal entre os diferentes grupos não demonstrou qualquer citotoxicidade do extrato. Em relação às frequências de micronúcleos em PCEs (PCEMNs), não foram observadas diferenças significativas entre os grupos tratados com as diferentes concentrações de extrato e o controle negativo. Da mesma forma...

Avaliação de mutagenicidade e antimutagenicidade de diferentes frações de Pterogyne nitens (Leguminosae), utilizando ensaio de micronúcleo em Tradescantia pallida; Evaluation of mutagenicity and antimutagenicity of different fractions of Pterogyne nitens (Leguminosae), using Tradescantia pallida micronuclei assay

FERREIRA, Fernanda G.; REGASINI, Luis O.; OLIVEIRA, Aline M. de; CAMPOS, Juliana A. D. B.; SILVA, Dulce H. S.; CAVALHEIRO, Alberto J.; SANTOS, Raquel A. dos; BASSI, Carmen L.; BOLZANI, Vanderlan da S.; SOARES, Christiane P.
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.53%
Pterogyne nitens (Fabaceae-Caesalpinioideae) é uma árvore nativa da América do Sul, onde é empregada na medicina popular para o tratamento da ascaridíase. Recentemente, descrevemos o efeito mutagênico do extrato etanólico das folhas de P. nitens. Dessa forma, o presente estudo teve por objetivo aprofundar a avaliação do potencial mutagênico das frações isoladas das folhas de Pterogyne nitens, acetato de etila (AcOEt), n-butanólica (BuOH) e hidroalcóolica (HA). Quando o efeito mutagênico foi observado somente nas maiores concentrações testadas, o potencial antimutagênico também foi avaliado. Os ensaios mutagênicos e antimutagênicos foram realizados utilizando ensaio de micronúcleo em Trandescantia pallida. Na avaliação de mutagenicidade, observou-se o efeito nas frações AcOEt (0,460 mg/mL), BuOH (0,142, 0,285, 0,570 e 1,14 mg/mL) e HA (0,050, 0,100, 0,200 e 0,400 mg/mL). Considerando que o efeito mutagênico da fração AcOEt foi observado somente na concentração mais elevada (0,460 mg/mL), o potencial antimutagênico da mesma foi avaliado. As concentrações de 0,115 e 0,230 mg/mL da fração AcOEt demonstraram atividade antimutagênica. A partir dos resultados do presente estudo, conclui-se que determinadas frações de P. nitens apresentam mutagenicidade (BuOH e HA)...

Comparação da mutagenicidade dos azo corantes Disperse Red 1, Disperse Orange 1 e Disperse Red 13 utilizando o teste de mutagenicidade com 'Salmonella'; Comparison of the mutagenicity of the azo dyes Disperse Red 1, Disperse Orange 1 and Disperse Red 13 using Salmonella/microssome mutagenicity assay

Ferraz, Elisa Raquel Anastácio
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/07/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.74%
Os azo corantes representam o maior grupo de corantes utilizados na indústria, principalmente no ramo têxtil. Sabe-se que grande parte desses produtos resiste aos sistemas de tratamento de efluente e assim, cerca de 10-15% dos corantes perdidos durante o processo de tingimento são lançados no efluente e atingem o meio ambiente. Alguns corantes desse grupo têm mostrado ser cancerígenos e mutagênicos para animais e humanos. Essa toxicidade se deve, em parte, à clivagem da ligação azo formando aminas aromáticas potencialmente cancerígenas. Ainda, a ação de sistema de metabolização nos grupamentos substituintes pode alterar a toxicidade destes compostos. Neste trabalho foram testados os azo corantes Disperse Orange 1 (4-(4--nitrofenilazo)difenilamina); pureza 96%; CAS no 2581-69-3), Disperse Red 1(N-etil-N(2-hidroxietil)-4-(4-nitrofenilazo)anilina; pureza 95%; CAS no. 2872-52-8) e Disperse Red 13 (2-[4-(2-cloro-4-nitrofenilazo)-N-etilfenilamino] etanol; pureza de 95%; CAS no 3180-81-2) usando o ensaio de mutagenicidade com Samonella. Foram utilizadas as linhagens tradicionais, TA98 e TA100 e suas respectivas derivadas com superprodução de nitroredutase e O-acetiltransferase, YG1041 e YG1042. Todos os corantes testados mostraram respostas mais altas com a linhagem TA98 em relação a TA100...

Comparação da eficiência do tratamento por fotoeletrocatálise em relação à cloração química convencional na redução da mutagenicidade de azo corantes empregando o ensaio de micronúcleos; Comparison of the efficiency of the treatment by photoelectrocatalysis in relation to conventional chemical chlorination in the reduction of the mutagenicity of azo dyes using micronucleus assay

Oliveira, Gisele Augusto Rodrigues de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 09/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
27.66%
Os azo corantes Disperse Red 1, Disperse Orange 1 e Disperse Red 13 são amplamente utilizados para o tingimento de fibras e são mutagênicos para o ensaio de Salmonella/microssoma e para o ensaio de micronúcleos. O aumento da complexidade e dificuldades para o tratamento de efluentes têxteis tem levado à busca constante de novas metodologias para o tratamento destes rejeitos. A cloração é um método amplamente empregado para a desinfecção de águas e efluentes, mas também para remover ou reduzir a cor do efluente a fim de atender o padrão de emissão da legislação brasileira. Porém, muitos trabalhos mostram que este tratamento muitas vezes não é capaz de remover a mutagenicidade dos corantes e em alguns casos pode até aumentar a toxicidade da amostra. Já a fotoeletrocatálise, aparentemente, é eficiente tanto na degradação desses compostos em amostras aquosas como na redução da atividade mutagênica, como demonstraram alguns ensaios preliminares. Este trabalho tem como objetivo a avaliação da eficiência do tratamento por fotoeletrocatálise na remoção da mutagenicidade dos azo corantes Disperse Red 1, Disperse Orange 1 e Disperse Red 13 presentes em amostras aquosas em comparação à cloração química convencional utilizando o teste de micronúcleos (MNs) em células HepG2. Os resultados demonstraram que a freqüência de MNs induzidos pelas diferentes concentrações testadas das soluções dos corantes estudados não foram significativamente diferentes do controle negativo. Nossos dados também revelaram que os índices de proliferação do bloqueio da citocinese (IPBC) em cultura de células HepG2 tratadas com os três corantes após a cloração e fotoeletrocatálise também não apresentaram diferenças estatísticas em relação aos seus respectivos controles negativos. A análise comparativa dos azo corantes Disperse Red 1...

A aplicabilidade de combinações seletivas de linhagens S. typhimurium na caracterização da mutagenicidade de amostras de ar; The applicability of selective combinations of strains S. typhimurium in the characterization of mutagenicity of airborne samples

Alves, Débora Kristina Magalhães
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 03/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
37.81%
O material particulado atmosferico é reconhecido como mutagênico. Embora vários compostos já tenham sido identificados nessa matriz, os mesmos não explicam o efeito observado na maioria dos bioensaios realizados. O ensaio de mutagenicidade Salmonella/microssoma tem sido amplamente utilizado para a avaliação de amostras atmosféricas o qual é muito sensível na detecção de vários tipos de mutágenos, pois é realizado com diferentes linhagens de Salmonella typhimurium na presença e ausência de ativação metabólica exógena. O principal objetivo deste trabalho foi verificar a aplicabilidade da utilização de combinações seletivas de linhagens S. typhimurium na caracterização da mutagenicidade de amostras de material particulado total de ar coletado em Limeira, uma cidade do interior do estado de São Paulo sob influência de intenso tráfego, emissões industriais e da agricultura, incluindo o plantio de cana de açúcar. Foram avaliados seis extratos orgânicos obtidos com diclorometano por ultrasonicação, utilizando o método Salmonella/microssoma em microssuspensão na presença e ausência de ativação metabólica (mistura S9) em experimentos de dose-resposta, com quantidade máxima de 50 µg de material orgânico extraído (MOE) por placa. Os pares de linhagens utilizados foram: YG1041/TA98...

Avaliação da citotoxicidade, genotoxicidade e mutagenicidade da mandioca (Manihot esculenta Crantz) em célula tumoral HepG2; Assessment of Cytotoxicity, genotoxicity and mutagenicity of cassava (Manihot esculenta Crantz) in HepG2 cells

Oliveira, Rita de Cássia Silva de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.35%
O fator alimentar pode ser considerado um promotor tumorigênico responsável pela etiologia do câncer gástrico no estado do Pará. A mandioca (Manihot esculenta Crantz) é uma das muitas espécies da Amazônia consumida de modo indiscriminado pelos habitantes da região norte. O cianeto, seu principal componente tóxico, pode ser liberado durante o processamento da mandioca por meio da hidrólise do glicosídeo cianogênico linamarina. No organismo, o cianeto bloqueia a cadeia de transporte de elétrons inibindo a respiração celular e, provocando, entre outras coisas, a produção de radicais livres que podem agir no DNA, através da formação de adutos exocíclicos. O objetivo deste trabalho foi a avaliação da atividade citotóxica, genotóxica e mutagênica de folhas e tucupi, crus e cozidos, de mandioca mansa e brava, usando os ensaios do MTT, cometa e citoma em células HepG2. Os resultados obtidos demonstraram que a viabilidade celular decai à medida que a concentração aumenta na maioria dos grupos de tratamento. No ensaio do cometa, a análise visual demonstrou que o cianeto de potássio, usado como padrão, foi genotóxico em todas as concentrações testadas (5,0; 15,0 e 25,0 ?g/mL). As amostras de folhas de mandioca brava foram genotóxicas somente nas concentrações 15...

Biomarcadores genotóxicos no monitoramento de estuários com diferentes níveis de contaminação utilizando peixes coletados in situ; Genotoxic biomarkers for monitoring estuarine with different levels of contamination using fish collected in situ.

Santos, Patricia Estevam dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 31/07/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.66%
Algumas áreas do canal de Piaçaguera, localizado na Baixada Santista, SP-Brasil, apresenta alto nível contaminação por hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPA) entre outros contaminantes nos sedimentos. O objetivo do presente estudo foi verificar diferentes biomarcadores de exposição em bile e de efeitos genotóxicos em sangue de peixes, coletados in situ, que poderiam ser utilizados como ferramenta de monitoramento. O canal de Bertioga foi selecionado como região de referência. Embora não seja uma região sem nenhuma interferência de contaminantes, os sedimentos apresentam baixos valores para HPA, metais e atividade mutagênica. A espécie Mugil curema foi selecionada por ser freqüentemente encontrada em ambas as regiões de estudo. Observamos que os peixes coletados no canal de Piaçaguera apresentaram maior porcentagem de micronúcleos e danos ao DNA (ensaio cometa) no sangue quando comparados com a região de referência. Para o teste de micronúcleo, realizamos leituras de 1000 e 4000 células/indivíduo e não foram observadas diferenças estatísticas, sugerindo que o número de 1000 células poderia ser suficiente para gerar dados confiáveis para a espécie Mugil curema. A avaliação de mutagenicidade da bile foi realizada pelo teste Salmonella/microssoma combinado à extração de bile utilizando Blue rayon (BR) com as linhagens TA98...

Avaliação do perfil de citotoxicidade, mutagenicidade e genotoxicidade dos corantes Basic Red 51, Basic Yellow 57 e P-Fenilenodiamina usados na tintura de cabelo em células da pele; Profile evaluation of citotoxicity, mutagenicity and genotoxicity of the dyes Basic Red 51, Basic Yellow 57 and P-Phenylenodiamine used in hair dye on skin cells

Zanoni, Thalita Boldrin
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 26/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.35%
O processo de coloração de cabelos é um dos métodos de tintura mais antigos. No século XIX, iniciou-se a produção de corantes sintéticos, a partir do desenvolvimento da pfenilenodiamina (PPD). Os corantes de cabelo são classificados de acordo com seu mecanismo de ação. Os corantes permanentes são classificados por mecanismos oxidativos, enquanto os corantes diretos colorem a fibra capilar por mecanismos não oxidativos. A investigação sobre os possíveis danos á saúde humana, que podem ser resultantes da exposição de corantes de cabelos, têm sido um tema de enorme desafio para a comunidade cientifica. Particularmente, devido à enorme discrepância dos estudos epidemiológicos e estudos que empregam metodologias in vitro. Neste trabalho, foram investigadas a capacidade citotóxica de um composto representante de cada classe de tinturas de cabelo, um corante temporário (Basic Yellow 57 (BY57), um semi-temporário (Basic Red 51(BR51) e um ingrediente permanente p-fenilinodiamina (PPD) em linhagens de células de pele humana. As linhagens normais da pele humana estudadas foram os queratinócitos imortalizados humanos (HaCaT) e fibroblastos primários, utilizou-se também melanoma SK-Mel-103. Posteriormente, após caracterização do corante mais tóxico...

Avaliação de mutagenicidade e antimutagenicidade de diferentes frações de Pterogyne nitens (Leguminosae), utilizando ensaio de micronúcleo em Tradescantia pallida

Ferreira, Fernanda G.; Regasini, Luis O.; Oliveira, Aline M. de; Campos, Juliana A. D. B.; Silva, Dulce H. S.; Cavalheiro, Alberto José; Santos, Raquel A. dos; Bassi, Carmen L.; Bolzani, Vanderlan da Silva; Soares, Christiane P.
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 61-67
POR
Relevância na Pesquisa
37.53%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pterogyne nitens (Fabaceae-Caesalpinioideae) é uma árvore nativa da América do Sul, onde é empregada na medicina popular para o tratamento da ascaridíase. Recentemente, descrevemos o efeito mutagênico do extrato etanólico das folhas de P. nitens. Dessa forma, o presente estudo teve por objetivo aprofundar a avaliação do potencial mutagênico das frações isoladas das folhas de Pterogyne nitens, acetato de etila (AcOEt), n-butanólica (BuOH) e hidroalcóolica (HA). Quando o efeito mutagênico foi observado somente nas maiores concentrações testadas, o potencial antimutagênico também foi avaliado. Os ensaios mutagênicos e antimutagênicos foram realizados utilizando ensaio de micronúcleo em Trandescantia pallida. Na avaliação de mutagenicidade, observou-se o efeito nas frações AcOEt (0,460 mg/mL), BuOH (0,142, 0,285, 0,570 e 1,14 mg/mL) e HA (0,050, 0,100, 0,200 e 0,400 mg/mL). Considerando que o efeito mutagênico da fração AcOEt foi observado somente na concentração mais elevada (0,460 mg/mL), o potencial antimutagênico da mesma foi avaliado. As concentrações de 0...

Mutagenicidade e estrogenicidade de plantas da família Eriocaulaceae e relação estrutura-atividade de algumas substâncias isoladas

Oliveira, Ana Paula Siqueira de
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 204 f.
POR
Relevância na Pesquisa
27.66%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Biociências e Biotecnologia Aplicadas à Farmácia - FCFAR; A família Eriocaulaceae possui cerca de 1200 espécies divididas em 10 gêneros e suas espécies de plantas são conhecidas como sempre-vivas, por sua grande durabilidade e coloração paleácea. Neste trabalho foram estudadas as espécies: Eriocaulon ligulatum, Leiothrix flavescens e Leiothrix spiralis, as quais foram avaliadas quanto à mutagenicidade e estrogenicidade e algumas substâncias isoladas foram utilizadas para um estudo de relação estrutura-atividade mutagênica e estrogênica. Para avaliação da mutagenicidade, utilizou-se o teste de Ames, e o teste RYA (Recombinant Yeast Assay) foi o empregado para avaliação da estrogenicidade. Os resultados da atividade mutagênica demonstraram que apenas E. ligulatum foi considerado mutagênico e isso foi atribuído às isocumarinas e flavonóides agliconas. Os estudos de relação estrutura-atividade mutagênica mostraram que esta ação foi devida à presença de hidroxilas em posições estratégicas e à ausência de glicosilações, metoxilações, ou qualquer outro tipo de substituição. Para complementar os estudos de relação estrutura-atividade mutagênica com as isocumarinas...

Avaliação de mutagenicidade, citotoxicidade e expressão de proteínas relacionadas a apoptose, Bak, BCL-2 e P53 fosforilado, em células tratadas com fuligem e particulado total de queima de cana-de-açúcar

Peron, Mariana Cristina Caloni
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 146 f.
POR
Relevância na Pesquisa
37.35%
Pós-graduação em Biociências e Biotecnologia Aplicadas à Farmácia - FCFAR; O etanol obtido da cana-de-açúcar tem sido considerado um combustível alternativo. Entretanto, em países em desenvolvimento, a colheita de cana é realizada manualmente depois da queima, sendo responsável pela emissão sazonal de poluentes atmosféricos. A mutagenicidade dos resíduos de queima de cana (RQCA) e as partículas presentes na ROFA (residual oil fly ash) foram observados nos ensaios de micronúcleo em células sanguíneas de camundongos e de células mãe de grão de pólen de Tradescantia pallida (TRAC-MCN) particulado. O estudo também verificou a citotoxicidade, apoptose e genotoxicidade nas células tratadas com extrato orgânico contendo grande quantidade de HPAs e suspensão na biomassa do período de safra e entressafra. Uma alta freqüência de MN foi observada no TSP do período de safra que na entressafra e a porcentagem de células mortas foi maior em células tratadas com extrato orgânico contendo grande quantidade de HPAs e particulado. Elevada expressão de Bcl-2 e baixa expressão de p53 fosforilado foi verificado em células tratadas com extrato orgânico contendo grande quantidade de HPAs no período de safra e entressafra e em 24 e 48h pós-tratamento. É possível concluir que os HPAs presentes no período de safra e entressafra são genotóxicos e citotóxicos. Políticas públicas deveriam ser discutidas para se buscar alternativas que diminuam a emissão desse poluente.; Ethanol obtained from sugar cane has been considered an alternative fuel. However...

Avaliação da genotoxicidade e mutagenicidade de misturas comerciais de diesel e biodiesel puras e em simulações de vazamento em água e solo

Leme, Daniela Morais
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 207 f. : il., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.53%
Pós-graduação em Ciências Biológicas (Biologia Celular e Molecular) - IBRC; A questão energética é hoje um tema de preocupação mundial. A limitação das fontes de energia fóssil e seus efeitos indesejáveis ao meio ambiente têm estimulado a busca de novas fontes alternativas, desde que renováveis. Em diversos países, como no Brasil, têm sido destinados grandes incentivos ao desenvolvimento do setor de biocombustíveis, no qual se inclui o biodiesel. O futuro promissor do biodiesel está relacionado não apenas ao fato de ser um combustível renovável, mas também às suas contribuições na redução da emissão de poluentes atmosféricos e à sua maior degradabilidade, em relação aos combustíveis fósseis. No entanto, poucos são os estudos realizados com o biodiesel para avaliar os seus possíveis impactos, quando usados puro ou em misturas ao óleo diesel, sobre o ambiente (principalmente corpos d’águas e solos) e sobre os organismos vivos, em caso de uma possível contaminação ambiental. O presente estudo teve como objetivo avaliar a citotoxicidade, genotoxicidade e mutagenicidade do biodiesel e de suas misturas com diesel (B5, B20 e B50), por meio de simulações de vazamento em água e solo. As simulações foram realizadas no verão...

Avaliação da mutagenicidade e da estrogenicidade dos extratos etanólicos padronizados, frações e substâncias isoladas de Arrabidaea brachypoda (DC.) Bureau

Nogueira, Catarine Haidê
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 73 f : figs, tabs
POR
Relevância na Pesquisa
37.35%
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Pós-graduação em Biociências e Biotecnologia Aplicadas à Farmácia - FCFAR; The Arrabidaea brachypoda (DC.) Bureau, is a native of Cerrado shrub belonging to Bignoniaceae family, is known as vine-one or dyer and popularly used to treat arthritis. Several activity for this species have been recognized as an antifungal, antiviral, anti-inflammatory, antinocicepitivo effect and anti-Trypanosoma cruzi, but studies proving its effectiveness and safety are still rare, thus the objective since work was to evaluate the mutagenic activity through the Ames test and the estrogenic activity by testing recombinant yeast (RYA) of the extracts, fractions and compounds of A. brachypoda. The Ames Test was performed with Salmonella typhimurium strains TA100, TA98, TA97 and TA102, with and without metabolic activation by preincubation method. The RYA test was performed with Saccharomyces cerevisiae BY4741 strain with the extracts of the leaves, stalks, roots, their respective fractions and compounds. All the extracts and also the aqueous fraction of the leaves of A. brachypoda showed mutagenic activity and the extracts of leaves and roots also showed estrogenic activity. The results contribute to the knowledge about the safety of using this species...

Entendendo a mutagenicidade de amostras de material particulado atmosférico = : Understanding the mutagenicity of atmospheric particulate air samples; Understanding the mutagenicity of atmospheric particulate air samples

Daniel Alexandre Morales
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 05/02/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.86%
O fracionamento de uma mistura complexa, como o extrato orgânico do material particulado de ar, com base nas diferentes características físicas e químicas dos seus componentes acoplada a testes de mutagenicidade e análises cromatográficas, vem sendo um procedimento útil na elucidação de quais substâncias está presentes na mistura. Este trabalho foi realizado em colaboração com outro grupo de pesquisa em um projeto temático financiado pela FAPESP, e seu objetivo foi estudar a mutagenicidade de frações de extratos orgânicos de material particulado de ar, utilizando ensaio Salmonella/microssoma em microssuspensão com os pares de linhagens TA98/YG1041, TA98/TA1538 e TA1538/YG5161 de Salmonella typhimurium que apresentam diferentes sensibilidades para grupos específicos de compostos. Também foi objetivo do trabalho comparar as potências mutagênicas obtidas para cada uma das frações com os níveis de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos analisados pelos pesquisadores do projeto temático. Foram avaliadas três frações, Nitro-HPA, Oxi-HPA e HPA utilizando o método Salmonella/microssoma em microssuspensão na presença e ausência de ativação metabólica (mistura S9) em experimentos de dose-resposta, com quantidade máxima de 10 m³ por placa; também foi avaliada a contribuição na mutagenicidade dos hidrocarbonetos policíclicos aromáticos analisados para cada fração. De acordo com a contribuição na mutagenicidade dos compostos identificados...

Avaliação de mutagenicidade e antimutagenicidade de diferentes frações de Pterogyne nitens (Leguminosae), utilizando ensaio de micronúcleo em Tradescantia pallida

Ferreira,Fernanda G.; Regasini,Luis O.; Oliveira,Aline M. de; Campos,Juliana A. D. B.; Silva,Dulce H. S.; Cavalheiro,Alberto J.; Santos,Raquel A. dos; Bassi,Carmen L.; Bolzani,Vanderlan da S.; Soares,Christiane P.
Fonte: Sociedade Brasileira de Farmacognosia Publicador: Sociedade Brasileira de Farmacognosia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.53%
Pterogyne nitens (Fabaceae-Caesalpinioideae) é uma árvore nativa da América do Sul, onde é empregada na medicina popular para o tratamento da ascaridíase. Recentemente, descrevemos o efeito mutagênico do extrato etanólico das folhas de P. nitens. Dessa forma, o presente estudo teve por objetivo aprofundar a avaliação do potencial mutagênico das frações isoladas das folhas de Pterogyne nitens, acetato de etila (AcOEt), n-butanólica (BuOH) e hidroalcóolica (HA). Quando o efeito mutagênico foi observado somente nas maiores concentrações testadas, o potencial antimutagênico também foi avaliado. Os ensaios mutagênicos e antimutagênicos foram realizados utilizando ensaio de micronúcleo em Trandescantia pallida. Na avaliação de mutagenicidade, observou-se o efeito nas frações AcOEt (0,460 mg/mL), BuOH (0,142, 0,285, 0,570 e 1,14 mg/mL) e HA (0,050, 0,100, 0,200 e 0,400 mg/mL). Considerando que o efeito mutagênico da fração AcOEt foi observado somente na concentração mais elevada (0,460 mg/mL), o potencial antimutagênico da mesma foi avaliado. As concentrações de 0,115 e 0,230 mg/mL da fração AcOEt demonstraram atividade antimutagênica. A partir dos resultados do presente estudo, conclui-se que determinadas frações de P. nitens apresentam mutagenicidade (BuOH e HA)...

Ausência de mutagenicidade e antimutagenicidade do extrato obtido das flores do ipê roxo [Tabebuia impetiginosa (Mart. ex DC.) Standl.]

Lourenço,J.A.; Pitangui,C.P.; Jordão,A.A.; Vannucchi,H.; Cecchi,A.O.
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.35%
A Tabebuia impetiginosa, conhecida popularmente como ipê-roxo, é uma planta nativa das florestas tropicais chuvosas da América do Sul e Central. Componentes químicos obtidos da casca têm mostrado efeito terapêutico, como antiinflamatório, antifúngico e antibacteriano. Porém, pela falta de dados na literatura, pouco se sabe sobre os efeitos do extrato das flores. Assim, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o potencial mutagênico e antimutagênico do extrato obtido das flores da T. impetiginosa, em três diferentes concentrações (100, 300 e 500 mg kg-1 p.c.) pelo teste do micronúcleo. Para o teste de mutagenicidade, a doxorrubicina (DXR, 90 mg kg-1 p.c.) foi utilizada como indutor de danos no DNA e para o teste de antimutagenicidade, os tratamentos com o extrato foram realizados simultaneamente com este agente químico. O sangue periférico dos animais foi coletado 24 horas após os tratamentos. A comparação da frequência de eritrócitos policromáticos (PCEs) em 400 eritrócitos/animal entre os diferentes grupos não demonstrou qualquer citotoxicidade do extrato. Em relação às frequências de micronúcleos em PCEs (PCEMNs), não foram observadas diferenças significativas entre os grupos tratados com as diferentes concentrações de extrato e o controle negativo. Da mesma forma...

Avaliação da mutagenicidade de Piper methysticum L. f. no sistema methG1 em Aspergillus nidulans

Palioto,G.F.; Rocha,C.L.M.S.C.
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.53%
O extrato seco da raiz de Piper methysticum L. f. Forster (PIPERACEAE), a kava-kava, é usado no tratamento de diversos problemas envolvendo ansiedade como um dos sintomas. Por não causar dependência, sedação e ter ação ansiolítica, muitas pessoas têm recorrido a kava-kava para auxiliá-las no emagrecimento. Isto pode levar ao consumo indiscriminado da planta e acarretar riscos, pois todo medicamento fitoterápico deve respeitar limites de doses. Um risco na utilização de plantas medicinais é a toxicidade e, dentro deste, a mutagenicidade. Como a mutagenicidade está relacionada com a carcinogenicidade torna-se importante testar este potencial na kava-kava. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial mutagênico do extrato seco da raiz de P. methysticum no sistema methG1 em Aspergillus nidulans. A linhagem utilizada foi a biA1methG1, auxotrófica para biotina e metionina. Conídios dormentes de colônias crescidas por cinco dias foram tratados com soluções da kava-kava nas concentrações de 0,35 mg mL-1 e 3,5 mg mL-1, e depois de 24h, semeados em meio seletivo contendo metionina, para análise dos sobreviventes, e sem metionina, para a análise dos mutantes. Os números de sobreviventes e mutantes dos tratamentos foram comparados aos do controle. Os resultados indicaram que o extrato da raiz da kava-kava é mutagênica...

Avaliação das atividades antimicrobiana, antioxidante e análise preliminar da mutagenicidade do extrato aquoso das folhas de Anacardium humile St. Hill. (Anacardiaceae); Valuation of antimicrobial and antioxidant activities and mutagenic potential of aqueous extract from Anacardium humile St. Hill. (Anacardiaceae) leaves

Barbosa, Daniela Beraldo
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.35%
Anacardium humile St. Hill. (Anacardiaceae), espécie nativa do Cerrado brasileiro é utilizada na alimentação e como planta medicinal. Popularmente são utilizadas todas as suas partes: o óleo da castanha é usado como cautério para afecções da pele, as folhas e a casca do caule são indicadas contra diarréia e como expectorante, o pseudofruto é referido como anti-sífilitico, as inflorescências são empregadas contra tosse e para baixar a glicose sanguínea. Este trabalho testou a atividade antimicrobiana, antioxidante e fez uma análise preliminar do potencial mutagênico do extrato aquoso das folhas de A. humile. Utilizou-se o método cavidade em placa para atividade antimicrobiana sobre bactérias Gram positivas, Gram negativas e fungos leveduriformes. Os resultados foram negativos em todas as concentrações testadas. Para a atividade antioxidante, foram usados os métodos do DPPH•, atividade quelante de ferro e ensaio da desoxiribose. Os valores mais significativos foram encontrados nos testes do DPPH• e na atividade quelante de ferro, demonstrando que o extrato aquoso de A. humile contém componentes antioxidantes que podem sequestrar radicais livres em condições in vitro, sugerindo que existem diferentes mecanismos responsáveis por esta atividade. O potencial mutagênico foi testado utilizando o Teste de Ames apenas na ausência do sistema de metabolização exógeno (fração S9)...

Genotoxicidade e mutagenicidade diretas de substâncias e materiais endodônticos avaliadas por dois testes procariotas; Direct genotoxicity and mutagenicity of endodontic substances and materials as evaluated by two prokaryotic test systems

Gahyva, Sérgio Márcio Motta; Siqueira Junior, José Freitas
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Odontologia de Bauru Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Odontologia de Bauru
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2005 ENG
Relevância na Pesquisa
37.53%
Substâncias e materiais utilizados na terapia endodôntica entram em íntimo contato com os tecidos perirradiculares via forame apical e foraminas e, em decorrência disto, deveriam idealmente possuir as seguintes características: biocompatibilidade e ausência de mutagenicidade. Existem poucos estudos avaliando o potencial genotóxico e mutagênico de substâncias e materiais utilizados em Endodontia. Este estudo avaliou os efeitos citotóxicos, genotóxicos e mutagênicos diretos de várias substâncias e materiais utilizados em diferentes etapas do tratamento endodôntico. Para isto, dois sistemas procarióticos foram usados: o SOS chromotest e o teste de Ames. Metabolização com fração S9 não foi realizada, uma vez que tencionou-se avaliar os efeitos diretos das substâncias e materiais. Os resultados demonstraram que algumas substâncias e materiais foram citotóxicos e/ou genotóxicos no SOS chromotest. Formocresol foi a única substância testada a apresentar efeitos genotóxicos severos sobre as cepas teste. Todavia, nenhum dos materiais ou substâncias avaliados apresentou mutagenicidade no teste de Ames.; Substances and materials used in endodontic therapy come into close contact with the periradicular tissues via apical foramen and foramina. Consequently...

Utilização dos testes de mutagenicidade para a avaliação de exposição ocupacional; Use of mutagenicity tests to assess occupational exposure

Kohatsu, Ana Gabriela da Silva; Shimabukuro, Fernanda
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 07/11/2007 POR
Relevância na Pesquisa
37.35%
Os testes citogenéticos para avaliação de mutagenicidade são importantes biomarcadores de exposição, pois correspondem à expressão de um agente ambiental e seus metabólitos no meio intracelular. Por isso, vêm sendo utilizados no monitoramento biológico de populações expostas a substâncias genotóxicas. Em trabalho realizado com 24 motoristas de ônibus da cidade de São Paulo, utilizando-se o teste do micronúcleo observou-se uma freqüência de células anormais maior, que a encontrada no grupo considerado como controle, de 13 motoristas de ônibus afastados da função. Apesar do número reduzido de indivíduos, os resultados parciais dessa pesquisa, realizada com pacientes em atendimento no Serviço de Saúde Ocupacional do HCFMUSP, sugerem a ampliação desse projeto para avaliação da possível inclusão de protocolos de acompanhamento periódico desses profissionais.; The cytogenetic tests are important biomarkers of exposure to evaluate mutagenic effects of external agents and its metabolites in the internal cell environment. These tests have been used in the biological monitoring of populations exposed to genotoxic substances, mainly in the occupational area. The frequency micronucleous, evaluated in 24 bus drivers of the city of São Paulo...