Página 1 dos resultados de 3 itens digitais encontrados em 0.053 segundos

Clipping 2014-10-outubro

UFSC, Agecom
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Imagem
PT_BR
Relevância na Pesquisa
36.12%
Clipping de 01/10/2014: Ataques / Universidades / Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC / Instituto Federal de Santa Catarina – IFSC / Universidade do Estado de SC - Udesc / Grande Florianópolis / Professores / aulas noturnas / Transporte coletivo / Fernando Ligório / Voe Ideias / Gestão / Talk Show / Projeto 12:30 / Duo A Corda em Si / Músicas / Mateus Costa / Fernanda Rosa / Sinfonia Azul / Centro de Comunicação e Expressão – CCE / Gratuito / Inovação / Centro Acadêmico de Administração da UFSC / Evento / Semana Acadêmica de Administração da UFSC – Saad / Professores / Chapas / Eleições / Sindicato dos Professores das Universidades Federais de Santa Catarina / Wilson Erbs / Renovação e trabalho / Retomando o rumo / Rogério Portanova / Aclete da Silva Ribeiro / Faleceu / Mulher guerreira / Câncer / Cinema solar / Autossustentável / Energia do sol / Cinesolar / Colegas / Marcelo Galvão / Secretaria Municipal de Cultura / Fundação Franklin Cascaes / Universidade Federal de Santa Catarina / Filmes / Duo / A Corda em Si / Projeto 12:30 da UFSC / Sinfonia Azul / Música / Linguagem contemporânea / CCE / Mateus Costa / Marcelo Mello / André Mehmari / Grupo musical Clipping de 02/10/2014: Furacão Catarina / Prefeitura Municipal de Araranguá / III Edição do Encontro sobre Fenômenos...

Juventude trans-viada : identidades marcadas invadem a rua

Silva, Thais Coelho da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.11%
Esta Dissertação está ancorada no campo dos Estudos Culturais e tem como objetivo investigar e mostrar práticas culturais que funcionam entre um grupo de jovens homoafetivos – que trocam afetos com pessoas de mesmo sexo – num espaço urbano de Porto Alegre – RS. Analiso os modos através dos quais tal grupo vem lugarizando o espaço e como tais práticas atuam como possibilidade de resistência em sua constituição identitária. Os jovens se referem a este lugar como point, um ponto de encontro, onde se reúnem, conversam, namoram, ‘desfilam’ efusivamente, onde podem – e fazem questão de – ver e serem vistos, sugerindo um modo singular de ser jovem, que não somente transita por um espaço, mas ocupa, trans-figura e, muitas vezes, incomoda. O grupo é composto, predominantemente, por jovens da periferia urbana de Porto Alegre, que se encontra nos finais de tarde de domingo, nos arredores do Shopping Nova Olaria, no bairro Cidade Baixa. A entrada e freqüência de tais jovens nas dependências do Shopping vêm sendo barradas, justificadas pelo não consumo e comportamentos considerados inadequados, levando-os, então, a ocuparem a rua, marcando-a fortemente com performances homoafetivas, utilizando-se das paredes das casas...

Formação e atuação de músicos das ruas de Porto Alegre : um estudo a partir dos relatos de vida

Gomes, Celson Henrique Sousa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/zip; video/x-msvideo; application/pdf; application/zip
POR
Relevância na Pesquisa
86.12%
Este trabalho versa sobre a formação e atuação dos músicos das ruas de Porto Alegre, com base na metodologia da Historia Oral. Através de relatos de vida, a pesquisa procura evidenciar o contexto de formação de dezessete músicos, suas maneiras de aprender música, bem como suas próprias concepções de formação. Busca também compreender os modos de atuação musical nas ruas, refletindo sobre as implicações e aspectos socioeconômicos que os envolvem. As questões de pesquisa que nortearam este trabalho foram: Quem são estes músicos? Qual é a sua formação? Quais razões os levam à atuação nas ruas? Seu aprendizado e formação estão relacionados com a atuação na rua? De que forma atuam? Para quem atuam? Quais implicações sociais envolvem a atuação nas ruas? Como são vistos pela sociedade? O trabalho está dividido em quatro partes. A primeira parte discute algumas concepções de História Oral e História de Vida, esclarecendo os caminhos metodológicos adotados pelo autor. O segundo capítulo evidencia o referencial utilizado sobre formação à luz do qual os relatos dos músicos são analisados. A terceira parte, após situar a rua como contexto social, trata da atuação dos músicos, de suas motivações e algumas dificuldades e estratégias utilizadas por eles para atrair atenção do público. A quarta e última parte retoma algumas questões sobre a atuação e sobre a identidade profissional dos músicos...