Página 1 dos resultados de 11 itens digitais encontrados em 0.020 segundos

Apresentação

Moutinho, Mário Caneva
Fonte: Edições Universitárias Lusófonas Publicador: Edições Universitárias Lusófonas
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
26.07%
O trabalho que a seguir se apresenta ganhou forma durante cadeira de "Formas e Meios de Comunicação" que leccionamos no Curso de pós Graduação em Museologia Social na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia de Lisboa e durante os Seminários que orientamos sobre este mesmo tema no Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo e no Curso de Museologia da Universidade Federal da Bahia no passado ano lectivo. Reflete pois o contributo fundamental dado por alunos e alunas, durante longas e por vezes difíceis discussões e aos quais deixo aqui o meu reconhecimento pelo interesse que dedicaram a estas questões. Ao Professor Alfredo Margarido devo o seu olhar utilmente crítico sobre todo este projecto, e ao Museu Nacional de História Natural a possibilidade de apresentar a exposição com que ilustramos esta reflexão sobre uma museografia ao serviço de ideias.

Ondas do pensamento museológico brasileiro 

Cândido, Manuelina Maria Duarte
Fonte: Edições Universitárias Lusófonas Publicador: Edições Universitárias Lusófonas
Tipo: Outros
POR
Relevância na Pesquisa
26.18%
ste trabalho teve origem a partir da observação da limitada representação da Museologia brasileira na obra “Vagues: une anthologie de la nouvelle muséologie”, organizada por André Desvallées (1992-1994). É uma revisão do pensamento museológico brasileiro com o objetivo de localizar a produção ausente naquela antologia. Como universo para análise, destacamos a obra de seis autores, selecionados pela relevância de sua produção acadêmica e bibliográfica, de suas experiências na aplicação da Museologia e de sua participação na formação profissional em Museologia: Waldisa Russio, Cristina Bruno e Heloisa Barbuy (São Paulo); Maria Célia Santos (Bahia); Mário Chagas e Teresa Scheiner (Rio de Janeiro). (Monografia apresentada Para conclusão do CEAM do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo).

Exposições de Lina Bo Bardi; The exhibitions of Lina Bo Bardi

Ana Luisa Carmona Ribeiro
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 25/05/2015 PT
Relevância na Pesquisa
26.02%
Nascida em Roma e graduada arquiteta na Itália, Lina Bo Bardi transferiu-se para o Brasil em 1946. Desde a chegada ao país e marcadamente após a inauguração do Museu de Arte Assis Chateaubriand, em São Paulo, Lina Bo Bardi desenvolveu projetos expográficos em fluxo quase constante, incluindo mostras no MASP, no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAMB), em Salvador, do Museu de Arte Popular do Unhão (MAP), também na capital baiana, e posteriormente atuando como diretora de programação no Serviço Social do Comércio (SESC), no bairro paulistano da Pompéia. Apoiando-se na pesquisa realizada sobre a documentação o do acervo pessoal e profissional da arquiteta que perpassa o período de 1947 a 1985, assim como na análise de plantas expográficas, material impresso, clipping jornalísstico e fotografias referentes as exposicições organizadas por Lina, esta dissertação investiga deslocamentos e desenvolvimentos no discurso expográfico de Bo Bardi sempre perpassado pelas seguintes temáticas recorrentes: a relação entre arte popular, design e arte erudita; o papel pedagógico das instituições museais; e a influência das inovações expográficas italianas e a busca por uma linguagem expográfica autóctone, vinculada a um projeto de desenvolvimento nacional.; Born in Rome...

Clipping 2013-10-outubro

UFSC, Agecom
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Imagem
PT_BR
Relevância na Pesquisa
16.18%
Clipping de 01/10/2013: Inscrições / Prêmio Cruz e Sousa de Poesia / Editora da UFSC – EdUFSC / Edital / Pró-Música de Florianópolis / 40 Anos / Concerto no Teatro Ademir Rosa / Centro Integrado de Cultura – CIC / Polyphonia Khoros / Massami Ganev / Alberto Andrés Heller / Idealizador Darcy Brasiliano dos Santos / Departamento Cultural da UFSC / Pró-Música de Curitiba / Maestro Carlos Alberto Vieira / Maestro Hélio Teixeira da Rosa / Teatro Álvaro de Carvalho – TAC / Pianista Pablo Rossi / Sete meses na África / Estudantes da UFSC, Flora Pereira e Natan de Aquino / Site Afreaka / Financiamento colaborativo via crowdfunding / África do Sul / Namíbia / Bostwana / Zimbábue / Zâmbia / Tanzânia / Quênia / Moçambique / UFSC de Araranguá / Mestrado em saúde / UFSC / Edital para o Vestibular 2014 / Campi de Araranguá, Blumenau, Curitibanos, Florianópolis e Joinville / Inclusão do campus de Blumenau / Cursos de Engenharia Têxtil, Engenharia de Controle e Automação e Engenharia de Materiais / Licenciaturas em Matemática e Química / Reitora Roselane Neckel / Prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes / Inscrições / Cotas / Exame Nacional do Ensino Médio – Enem Clipping de 02/10/2013: Inscrições / Prêmio Cruz e Sousa de Poesia / Editora da UFSC – EdUFSC / Contação de histórias / Produtora cultural Vanessa Schultz / Exposição Papel-Mundo / Espaço Cultural BRDE / Professora da UFSC...

O Museu do Estado da Bahia, entre ideais e realidades (1918 a 1959)

Ceravolo,Suely Moraes
Fonte: Museu Paulista, Universidade de São Paulo Publicador: Museu Paulista, Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.07%
O artigo revê a trajetória do Museu do Estado da Bahia de 1918 a 1959, com vistas a identificar as sucessivas práticas museológicas e o engendramento - enquanto se institucionaliza e consolida-se - dos chamados processos de musealização, que estiveram também relacionados à personalidade de gestores e de suas expectativas diante das articulações políticas e sociais, bem como de suas expectativas em relação ao estado da Bahia. Perpassado por conflitos de diversas naturezas, apontam-se as alterações em seu modo de funcionamento. No marco cronológico em foco, caracterizam-se três momentos sucessivos: o da formação como museu histórico; o de consolidação como museu eclético, com olhos voltados para a história, e o caminho em direção à arte, sob a direção de José Valladares.

Patrimonialização, Memória Local, Uso e Transformação Social: os casos dos Parques Metropolitanos do Abaeté e de São Bartolomeu (Salvador, Bahia, Brasil)

Teixeira, Sidélia Santos
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
36.23%
A presente tese tem por objetivo analisar a patrimonialização, como um fenômeno social contemporâneo capaz de contemplar a diversidade cultural. Discute-se a necessidade de inclusão de nossas referências históricas e culturais, principalmente,de grupos historicamente marginalizados na sociedade brasileira. Nesse sentido, a musealização é vista como um processo dinâmico que permite o uso do patrimônio cultural preservado, podendo contribuir para a compreensão das memórias como forma de transformação social. A pesquisa foi desenvolvida a partir de dois estudos de casos, na cidade do Salvador, Bahia, Brasil – os Parques Metropolitanos do Abaeté e de São Bartolomeu-, foram tratados como patrimônio ambiental, urbano e religioso. A metodologia do trabalho contemplou os documentos escritos referentes à patrimonialização, de autoria dos técnicos das instituições responsáveis pelos referidos parques e dos agentes dos movimentos sociais. A coleta de dados obedeceu a um registro de ordem etnográfica, voltado para a observação das atividades e práticas desenvolvidas nesses espaços, como também, a realização de entrevistas. O estudo aponta para o processo incompleto das ações de patrimonialização, a participação ativa dos agentes locais...

O Museu do Estado da Bahia, entre ideais e realidades (1918 a 1959)

Ceravolo, Suely Moraes
Fonte: Universidade de São Paulo. Museu Paulista Publicador: Universidade de São Paulo. Museu Paulista
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
56.12%
O artigo revê a trajetória do Museu do Estado da Bahia de 1918 a 1959, com vistas a identificar as sucessivas práticas museológicas e o engendramento - enquanto se institucionaliza e consolida-se - dos chamados processos de musealização, que estiveram também relacionados à personalidade de gestores e de suas expectativas diante das articulações políticas e sociais, bem como de suas expectativas em relação ao estado da Bahia. Perpassado por conflitos de diversas naturezas, apontam-se as alterações em seu modo de funcionamento. No marco cronológico em foco, caracterizam-se três momentos sucessivos: o da formação como museu histórico; o de consolidação como museu eclético, com olhos voltados para a história, e o caminho em direção à arte, sob a direção de José Valladares.; This article retraces the trajectory of the Museu do Estado da Bahia from 1918 to 1959. The aim is to identify its successive museological practices and the implementation of the so-called processes of musealization during its institutionalization and consolidation, which were also related to the personalities of the administrators and their expectations regarding political and social interactions, as well their expectations toward the State of Bahia itself. Having dealt with a wide range of conflicts...

Editorial

Editor, O
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 06/01/2013 POR
Relevância na Pesquisa
16.1%
É com enorme satisfação que revista Sankofa celebra seu décimo número, trazendo textos de excelente qualidade, que lançam diferentes olhares históricos ao universo africano e afro-brasileiro. A pluralidade de perspectivas e abordagens que compõe esta décima Sankofa enriquece os debates atuais sobre as temáticas, corroborando com a preocupação historiográfica central desta revista: trazer à tona personagens e populações africanas e negras que tiveram sua agência histórica obscurecidas pela tradição eurocêntrica. Este foi o nosso compromisso nestes últimos dez números e continuará em muitos outros ainda por vir. O primeiro artigo: Hypolita: tensões e solidariedades nas negociações da liberdade os autores Márcia Nogueira Pedroza e Muirakytan K. de Macêdo fazem uma incursão micro-histórica na vida de Hypolita, uma mulher escravizada na província de Pernambuco no século XIX. A partir desta interessante personagem, os pesquisadores acabam por compreender como se estabeleciam as relações de solidariedade e tensões em um processo de ação de liberdade em diferentes espaços, trazendo-nos um prisma privilegiado no contexto escravista em Pernambucano dos oitocentos. Em seguida, trazemos o artigo A representação social da escravidão nos museus brasileiros: interfaces entre a Museologia e a História...

Planejamento estratégico: ferramenta indispensável na gestão eficiente de museus

Soares, Ednaldo; Universidade Federal da Bahia
Fonte: Revista Museologia & Interdisciplinaridade Publicador: Revista Museologia & Interdisciplinaridade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 09/12/2015 POR
Relevância na Pesquisa
56.11%
Enquanto conhecimento científico em construção, a Museologia tem se voltado mais à discussão derredor de temas que respeitam sua base ontológica e epistemológica. Embora menos discutidos, o planejamento estratégico e marketing museal têm demandado a atenção de museólogos, especialmente daqueles ligados a instituições socialmente engajadas, empenhadas em instituir estreitos relacionamentos entre o museu e essas ferramentas gestoriais, visando à sustentabilidade institucional. Este ensaio é mais um exemplo dessa preocupação. Demais, levanta a questão acerca da necessária multidisciplinaridade curricular para a formação do museólogo, que precisa de diferentes subsídios práticos e teóricos para atuar mais efetivamente na gestão de museus.

Museus, Ações educativas e Prática Arqueológica no Brasil contemporâneo: dilemas, escolhas e experimentações.

Wichers, Camila Camila A. de Moraes
Fonte: Revista Museologia & Interdisciplinaridade Publicador: Revista Museologia & Interdisciplinaridade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 15/04/2015 POR
Relevância na Pesquisa
25.83%
Nesse artigo apresento um painel a respeito da relação entre museus, educação e prática arqueológica no Brasil contemporâneo, a partir da constatação de que o aumento das pesquisas arqueológicas tem trazido potencialidades e desafios específicos para essa relação. Identifico os principais dilemas enfrentados na construção de processos educativos baseados no patrimônio arqueológico e proponho caminhos de superação, a partir de projetos que envolveram ações de divulgação e sensibilização, ações educativas integradas e o desenvolvimento de processos de Musealização da Arqueologia, destacando-se o Programa de Educação Patrimonial Expresso Educação da Ferrovia Transnordestina e o Planejamento participativo do Museu do Alto Sertão da Bahia. 

O Museu e a sua arquitetura no mundo globalizado: entre informação e virtualidade

Oliveira, José Cláudio Alves de; Universidade Federal de Bahia
Fonte: Revista Museologia & Interdisciplinaridade Publicador: Revista Museologia & Interdisciplinaridade
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 21/04/2012 POR
Relevância na Pesquisa
45.99%
O presente texto faz uma reflexão sobre a arquitetura do museu, implicada nas suas construções feitas pelo homem, que vem das formas presenciais, em pedra, ao museu no ciberespaço. Entre as suas formas arquitetônicas paira uma questão que implica no desenvolvimento do museu na era da globalização: a disponibilidade de informação sobre os objetos dos acervos.