Página 1 dos resultados de 530 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Proteomic analysis of banana fruit reveals proteins that are differentially accumulated during ripening

Toledo, Tatiana Torres; Nogueira, Silvia Beserra; Cordenunsi, Beatriz Rosana; Gozzo, Fabio Cesar; Pilau, Eduardo Jorge; Lajolo, Franco Maria; Nascimento, João Roberto Oliveira do
Fonte: ELSEVIER SCIENCE BV; AMSTERDAM Publicador: ELSEVIER SCIENCE BV; AMSTERDAM
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
46.56%
Bananas (Musa spp.) are highly perishable fruit of notable economic and nutritional relevance. Because the identification of proteins involved in metabolic pathways could help to extend green-life and improve the quality of the fruit, this study aimed to compare the proteins of banana pulp at the pre-climacteric and climacteric stages. The use of two-dimensional fluorescence difference gel electrophoresis (2D-DIGE) revealed 50 differentially expressed proteins, and comparing those proteins to the Mass Spectrometry Protein Sequence Database (MSDB) identified 26 known proteins. Chitinases were the most abundant types of proteins in unripe bananas, and two isoforms in the ripe fruit have been implicated in the stress/defense response. In this regard, three heat shock proteins and isoflavone reductase were also abundant at the climacteric stage. Concerning fruit quality, pectate lyase, malate dehydrogenase, and starch phosphorylase accumulated during ripening. In addition to the ethylene formation enzyme amino cyclo carboxylic acid oxidase, the accumulation of S-adenosyl-L-homocysteine hydrolase was needed because of the increased ethylene synthesis and DNA methylation that occurred in ripening bananas. Differential analysis provided information on the ripening-associated changes that occurred in proteins involved in banana flavor...

Avaliação da toxicidade oral aguda e em doses repetidas do xarope contendo os extratos de Roripa nasturtium Rusby (Agrião) , Musa spp. (Bananeira), Ficus carica Linné (Figueira), Tagetes minuta Linné (Chinchilia) e mel de abelhas em ratos e ratas Wistar

Jacobus, Daniela
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.68%
O fitoterápico Xarope de Agrião Composto Cibecol® é uma associação de extratos de Roripa nasturtium Rusby (Agrião), Musa spp. (Bananeira), Ficus carica Linné (Figueira), Tagetes minuta Linné (Chinchilia) e mel de abelhas. Avaliou-se a segurança deste fitoterápico através de estudos de toxicidade aguda e subcrônica, tendo como base a resolução Nº 90, de 16 de março de 2004 da ANVISA. Para o teste de toxicidade aguda, ratos Wistar de ambos os sexos foram tratados por via oral com uma única dose de 26 ml/kg, correspondendo a 20 vezes a dose terapêutica indicada pelo fabricante para seres humanos adultos. Os resultados revelaram não haver sinais de toxicidade sistêmica, não causando interferência no desenvolvimento ponderal dos animais, nos consumos de água e ração, nas produções de urina e fezes, bem como alterações macroscópicas nos órgãos dos animais. Avaliou-se também a exposição a doses repetidas do fitoterápico. Constituíram-se em quatro grupos experimentais (10 animais/sexo/dose), onde administrou-se por via oral a ratos Wistar, durante 30 dias, doses diárias de 1,3 ml/kg, 6,5 ml/kg e 13 ml/kg, respectivamente a dose terapêutica indicada pelo fabricante para seres humanos adultos, 5 vezes...

Avaliação das atividades cicatrizante e antitumoral de extratos provenientes da casca de banana cultivar Prata Anã (Musa spp)

Pereira, Aline
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 156 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
46.76%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia, Florianópolis, 2010; Na medicina popular brasileira, a casca de banana tem um histórico de uso na cura de lesões por queimadura. Compostos antioxidantes têm sido isolados de diferentes fontes naturais e possuem um papel importante na prevenção e cura de doenças, como o câncer por exemplo. O objetivo deste estudo foi avaliar os extratos provenientes da casca de banana (Musa spp.) (EBAQ: extrato bruto aquoso; EBHE: extrato bruto hidroetanólico; ESC: extrato derivado de extração supercrítica) no processo de cicatrização de lesões, considerando seu potencial antioxidante, e quanto a sua atividade antitumoral in vitro e in vivo. Para avaliar o potencial cicatrizante dos extratos, camundongos isogênicos Balb/C (peso 20 ± 2g, n = 6) foram submetidos ao modelo de excisão e foram divididos em grupo controle negativo (CN), que receberam topicamente água durante 3, 6, 9, 12 e 15 dias, grupo controle positivo (CP), que receberam topicamente solução de alantoína (50 mg/kg/dia) durante 3, 6, 9, 12 e 15 dias e grupos tratados topicamente com os EBAQ e EBHE (50 mg/kg/dia), conforme os grupos controle. O potencial cicatrizante e as defesas antioxidantes foram avaliados. Os resultados foram estatisticamente significativos quando comparados com os grupos CN e CP. Os tratamentos com EBAQ e EBHE foram capazes de diminuir o período de epitelização e a cicatrização das lesões se deu em 9 dias...

Substituição do milho por banana descarte (Musa spp.) sobre o desempenho e características da carcaça de cordeiras; Substitution of corn for discard banana (Musa spp.) on performance and carcass characteristics of lambs

Menezes, Adriana Morato de
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
46.68%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, 2013.; A utilização do excedente da produção da cultura da banana (Musa spp.) como suplementação na alimentação de ruminantes surge como uma atraente alternativa de baixo custo. Objetivou-se com este trabalho avaliar o efeito da substituição do milho por diferentes proporções de banana descarte na dieta de cordeiras Santa Inês, sobre o desempenho, sobre aspectos quantitativos e qualitativos da carcaça e da carne. Vinte e quatro cordeiras confinadas foram alimentadas com dietas, diferindo a proporção de substituição do milho por banana descarte: 60% de feno de coast-cross + 40% de concentrado, sendo constituído por milho grão triturado em farelo e farelo de soja. O milho foi substituído até 75% por banana descarte. Os animais foram submetidos a um período de jejum alimentar de 24 horas, transportados e seguiram para o abate no frigorífico. A avaliação das carcaças ocorreu após 24 horas de resfriamento. O cálculo de rendimento em porcentagem dos constituintes corporais foi realizado com base no peso vivo final. As meias carcaças direitas foram pesadas e seccionadas em cortes comerciais. Para obtenção das proporções entre osso...

Problemas nematológicos em bananeiras (Musa spp.) no Brasil

Zem,Antonio Carlos; Lordello,Luiz Gonzaga E.
Fonte: Universidade de São Paulo; Escola Superior de Agricultura Publicador: Universidade de São Paulo; Escola Superior de Agricultura
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1984 PT
Relevância na Pesquisa
46.49%
Em levantamento nematológico realizado durante quatro anos (1977-1981), envolvendo 157 amostras de raízes e solo da rizosfera de bananeiras (Musa spp.) coletadas em diversos estados brasileiros, obtiveram-se as seguintes porcentagens, de amostras positivas e densidades populacionais em 10g de raízes, respectiva mente para as espécies de nematóides identificadas: Helicotylenchus dihystera (23,5%-272), Heliootylenchus multicinctus (80,2%-1770), Macroposthonia ornata (1,2%-122), Meloidogyne spp.(55,4%--725), Radopholus sinilis (43,3%-1326), Rotylenchulus reniformis (7,6%-225) e Tylenchus sp. (0,6%-114). H. multicinatus foi a espécie mais abundante e distribuída. R. similis foi encontrado somente em áreas cultivadas com bananeiras Cavendish, com elevadas populações associadas a marcantes sintomas de presença do parasito. Meloidogyne spp. e //. dihyslera foram espécies amplamente distribuídas e possivelmente causem danos econômicos. A ocorrência ainda restrita de R. similis sugere a adoção de enérgicas medidas de controle visando a impedir a sua disseminação no País e a proteção de outros cultivos eventuais hospedeiros.

Histological changes in banana explants, cv. Nanicão (Musa spp., Group AAA), submitted to different auxins for induction of somatic embryogenesis

FILIPPI,SILVIA BALBÃO; APPEZZATO-DA-GLÓRIA,BEATRIZ; RODRIGUEZ,ADRIANA PINHEIRO MARTINELLI
Fonte: Sociedade Botânica de São Paulo Publicador: Sociedade Botânica de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2001 EN
Relevância na Pesquisa
46.48%
The present work analyzes the behavior of banana explants, cv. Nanicão (Musa spp. Group AAA) regarding somatic embryogenesis induction treatments with several auxins. Longitudinal segments of shoot meristematic apices of micropropagated banana plantlets cultivated and rooted in vitro were introduced in culture medium containing dicamba, picloram, 2,4-D or NAA in different concentrations. Explant samples were collected at 0, 7 and 10 days and prepared for light microscopy. Histological sections were used for comparison of the histological changes occurring after induction treatment with different auxins. Embryogenic response was observed only in treatments with picloram or dicamba, with distinct embryogenic regions observed at 14 and 21 days in culture, respectively. Histological sections of embryogenic regions of the explant at 26 days in culture revealed the formation of meristematic regions, structures with multiple root meristems, and somatic embryos at early globular stages. Embryo-like structures morphologically similar to Musa balbisiana zygotic embryos were sectioned and showed a lack of apical meristems and absence of procambial differentiation. These results indicate the induction of non-functional somatic embryos and the need for more studies on developmental aspects and maturation treatments for optimization of the process.

Correlações entre caracteres da planta e do cacho em bananeira (Musa spp)

Donato,Sérgio Luiz Rodrigues; Silva,Sebastião de Oliveira e; Lucca Filho,Orlando Antônio; Lima,Marcelo Bezerra; Domingues,Herbat; Alves,Juliana da Silva
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2006 PT
Relevância na Pesquisa
56.48%
Os caracteres observados em áreas experimentais têm natureza fenotípica e suas correlações são estimadas visando mensurar alterações em um caráter quando se altera outro relacionado. Objetivou-se com este trabalho, quantificar a relação entre os caracteres da planta e do cacho observados na época do florescimento e da colheita de 13 genótipos (variedades e híbridos) de bananeira (Musa spp.), em dois ciclos de produção, em Guanambi, Bahia. Foram utilizadas as variedades Prata anã, Pacovan (AAB), Grande naine e Nanicão (AAA), e os híbridos PA42-44, PV42-85, PV42-142, PV42-68 e ST12-31 (AAAB) e Ambrosia, Calipso, Bucaneiro e FHIA02 (AAAA), selecionados na Embrapa Mandioca e Fruticultura. Consideraram-se os caracteres: altura da planta; perímetro do pseudocaule; número de folhas vivas no florescimento e na colheita; número de dias do plantio ao florescimento e à colheita; intervalo florescimento à colheita; peso do cacho, da ráquis e da pencas; comprimento e diâmetro do engaço; número de pencas e de frutos; peso da segunda penca; peso, comprimento e diâmetro do fruto e espessura da casca. As correlações entre o peso do cacho e os demais caracteres estudados, variaram entre genótipos e ciclos. As associações entre o peso do cacho e os caracteres da planta...

Ocorrência de murcha bacteriana em helicônias e musácea ornamental no Distrito Federal

Zoccoli,Débora M.; Tomita,Celso K.; Uesugi,Carlos H.
Fonte: Sociedade Brasileira de Fitopatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Fitopatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.49%
Plantas de Heliconia spp. e Musa spp. apresentando murcha foram observadas em plantio comercial no Distrito Federal. Testes laboratoriais e de inoculação confirmaram como sendo a bactéria Ralstonia solanacearum biovar 1 raça 2 responsável pela doença. Este é o primeiro relato da presença da bactéria em helicônia e musácea ornamental na região.

Molecular Analysis and Genomic Organization of Major DNA Satellites in Banana (Musa spp.)

Čížková, Jana; Hřibová, Eva; Humplíková, Lenka; Christelová, Pavla; Suchánková, Pavla; Doležel, Jaroslav
Fonte: Public Library of Science Publicador: Public Library of Science
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em 23/01/2013 EN
Relevância na Pesquisa
46.63%
Satellite DNA sequences consist of tandemly arranged repetitive units up to thousands nucleotides long in head-to-tail orientation. The evolutionary processes by which satellites arise and evolve include unequal crossing over, gene conversion, transposition and extra chromosomal circular DNA formation. Large blocks of satellite DNA are often observed in heterochromatic regions of chromosomes and are a typical component of centromeric and telomeric regions. Satellite-rich loci may show specific banding patterns and facilitate chromosome identification and analysis of structural chromosome changes. Unlike many other genomes, nuclear genomes of banana (Musa spp.) are poor in satellite DNA and the information on this class of DNA remains limited. The banana cultivars are seed sterile clones originating mostly from natural intra-specific crosses within M. acuminata (A genome) and inter-specific crosses between M. acuminata and M. balbisiana (B genome). Previous studies revealed the closely related nature of the A and B genomes, including similarities in repetitive DNA. In this study we focused on two main banana DNA satellites, which were previously identified in silico. Their genomic organization and molecular diversity was analyzed in a set of nineteen Musa accessions...

Doenças da bananeira (musa spp.) no estado de Alagoas e controle alternativo do moko (Ralstonia solanacearum (Smith) Yabuuchi et al.); Occurence banana disease in state Alagoas and alternative control of moko disease (Ralstonia solanacearum).

Andrade, Flavia Waneska Rodrigues de
Fonte: Universidade Federal de Alagoas; BR; Agronomia; Produção vegetal; Proteção de plantas; Programa de Pós-Graduação em Agronomia; UFAL Publicador: Universidade Federal de Alagoas; BR; Agronomia; Produção vegetal; Proteção de plantas; Programa de Pós-Graduação em Agronomia; UFAL
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.68%
The banana is a major fruit grown by small and medium producers in the state of Alagoas. Most plantations are located in the region of forest and coastline, with favorable conditions for the development of diseases. This study aimed to make the lifting of the diseases in areas of the banana plantation of Alagoas and evaluate the alternative control of moko (Ralstonia solanacearum). The first stage was conducted during the years 2006 and 2007, making up visits and collection of plant material infected in 60 areas producing of banana, fourteen municipalities in the state. The material collected was subjected to procedures for identification of pathogens associated with plants. Detaching to the diseases caused by fungi and nematodes, and identified Yellow Sigatoka (Pseudocercospora musae); Deightoniella spot (Deightoniella torulosa) and Cordana spot (Cordana musae), a widespread occurrence; Chloridium spot (Chloridium musae), only in areas with shading and combined with other leaf spots; Exosporella spot, observed in Santana do Mundaú; fitonematoses caused by Rhadophulus similis, Helicotylenchus multicinctus and Pratylenchus sp., detected only in some municipalities; Panama disease (Fusarium oxysporum f.sp. cubense ) Found in four areas in the south of the state and Moko (R. solanacearum)...

Fungos endofíticos isolados de folhas de bananeira (Musa spp.) e seleção de antagonistas a fitopatógenos dessa cultura

Maria Costa Assunção, Márcia; Auxiliadora de Queiroz Cavalcanti, Maria (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.56%
A bananeira (Musa spp.) está presente em todas as regiões tropicais e subtropicais, sendo a banana a fruta mais conhecida e cultivada. No Brasil a bananicultura é atividade de importância econômica e social. O fungo endofítico habita o interior dos tecidos aéreos do hospedeiro, pelo menos durante uma fase do seu ciclo de vida, desempenhando variadas e estreitas relações ecológicas, sem demonstrar sintomas visíveis. Com o objetivo de isolar, identificar e avaliar o potencial antagônico dos fungos endofíticos de folhas de bananeiras contra os fitopatógenos Cladosporium musae, Fusarium oxysporum f. sp. cubense, Colletotrichum musae, Deightoniella torulosa, Pseudocercospora musae e Mycosphaerella musicola, através de testes in vitro, foram realizadas quatro coletas seguindo-se de isolamento e identificação de fungos endofíticos de folhas sadias (nova, intermediária e velha) de quatro cultivares de bananeira ( Pacovan , Nanicão , Prata-Anã e Maçã ), do município de Belo Jardim/Pernambuco, no período chuvoso e de estiagem. No total, foram identificadas 40 espécies de fungos endofíticos originadas de 751 colônias a partir de 1728 discos foliares. Apresentaram maior frequência de ocorrência em relação ao número de unidades formadoras de colônias: Acremonium polychoroma...

Correlações entre caracteres da planta e do cacho em bananeira (Musa spp)

Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
PT
Relevância na Pesquisa
56.48%
Os caracteres observados em áreas experimentais têm natureza fenotípica e suas correlações são estimadas visando mensurar alterações em um caráter quando se altera outro relacionado. Objetivou-se com este trabalho, quantificar a relação entre os caracteres da planta e do cacho observados na época do florescimento e da colheita de 13 genótipos (variedades e híbridos) de bananeira (Musa spp.), em dois ciclos de produção, em Guanambi, Bahia. Foram utilizadas as variedades Prata anã, Pacovan (AAB), Grande naine e Nanicão (AAA), e os híbridos PA42-44, PV42-85, PV42-142, PV42-68 e ST12-31 (AAAB) e Ambrosia, Calipso, Bucaneiro e FHIA02 (AAAA), selecionados na Embrapa Mandioca e Fruticultura. Consideraram-se os caracteres: altura da planta; perímetro do pseudocaule; número de folhas vivas no florescimento e na colheita; número de dias do plantio ao florescimento e à colheita; intervalo florescimento à colheita; peso do cacho, da ráquis e da pencas; comprimento e diâmetro do engaço; número de pencas e de frutos; peso da segunda penca; peso, comprimento e diâmetro do fruto e espessura da casca. As correlações entre o peso do cacho e os demais caracteres estudados, variaram entre genótipos e ciclos. As associações entre o peso do cacho e os caracteres da planta...

Avaliação do ciclo e produção da planta-filha em função do manejo da planta-mãe em diferentes épocas do ano em bananeira Prata-Anã; Evaluation of cycle and production of sucker plant in function of mother plant management in banana tree 'Prata Anã´

FLORI, José Egídio; SCARPARE FILHO, João Alexio; RESENDE, Geraldo Milanez de
Fonte: Editora da Universidade Federal de Lavras Publicador: Editora da Universidade Federal de Lavras
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.63%
Objetivou-se, neste trabalho, avaliar o efeito do manejo da planta-mãe e da época de seleção das plantas-filha de bananeira 'Prata-Anã´ (Musa spp.) na produção e no período de desenvolvimento da planta-filha. Utilizou-se um bananal comercial com cinco anos de idade, plantado no espaçamento de 3,5 m x 2,0 m. O delineamento foi inteiramente casualizado no esquema de parcelas subdivididas, com três repetições. Os tratamentos nas parcelas foram: manejo 1 (M1) - família conduzida sem a planta-mãe, a qual foi retirada logo após a sua floração; manejo 2 (M2) - família conduzida com planta-mãe (manejo convencional). As subparcelas corresponderam a doze épocas de seleção das plantas-filha, selecionadas no estádio de chifrão, iniciando em fev./02 e finalizando em jan./03. As características avaliadas foram: a) período de desenvolvimento da planta-filha (período em dias entre a data de seleção da planta-filha e a sua colheita); b) massa do cacho das plantas-filha. Diante dos resultados obtidos concluiu-se: o manejo da planta-mãe não influenciou a massa do cacho da planta-filha; o manejo da planta-mãe alterou o período de desenvolvimento da planta-filha, sendo esse menor naquelas conduzidas sem a planta-mãe (M1); a época de seleção influenciou a massa do cacho e o período de desenvolvimento da planta-filha.; The objective of this study was to evaluate the effect of managing banana mother plants and time of selection of sucker on their productive characteristics...

Problemas nematológicos em bananeiras (Musa spp.) no Brasil; Nematode problems in banana plantations (Musa spp.) in Brazil

Zem, Antonio Carlos; Lordello, Luiz Gonzaga E.
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Publicador: Universidade de São Paulo. Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/1984 POR
Relevância na Pesquisa
46.77%
Em levantamento nematológico realizado durante quatro anos (1977-1981), envolvendo 157 amostras de raízes e solo da rizosfera de bananeiras (Musa spp.) coletadas em diversos estados brasileiros, obtiveram-se as seguintes porcentagens, de amostras positivas e densidades populacionais em 10g de raízes, respectiva mente para as espécies de nematóides identificadas: Helicotylenchus dihystera (23,5%-272), Heliootylenchus multicinctus (80,2%-1770), Macroposthonia ornata (1,2%-122), Meloidogyne spp.(55,4%--725), Radopholus sinilis (43,3%-1326), Rotylenchulus reniformis (7,6%-225) e Tylenchus sp. (0,6%-114). H. multicinatus foi a espécie mais abundante e distribuída. R. similis foi encontrado somente em áreas cultivadas com bananeiras Cavendish, com elevadas populações associadas a marcantes sintomas de presença do parasito. Meloidogyne spp. e //. dihyslera foram espécies amplamente distribuídas e possivelmente causem danos econômicos. A ocorrência ainda restrita de R. similis sugere a adoção de enérgicas medidas de controle visando a impedir a sua disseminação no País e a proteção de outros cultivos eventuais hospedeiros.; A survey on parasitic nematodes was carried out in several banana-growing regions of Brazil for a period of 4 years. It included 157 samples of roots and soil from the rizosphere of banana plants (Musa spp). The following percentual values of positive samples and population density were respectively obtained for the nematode species identified: Helicotylenchus dihystera (23.5%-272)...

RETAIL MARKET OF BANANA IN CURITIBA AND METROPOLITAN REGION; COMÉRCIO VAREJISTA DE BANANA EM CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA

de CARVALHO, Ruy Inacio Neiva; CETNARSKI FILHO, Ricardo; MARTIN, Vinícius Caetano
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 29/08/2005 ENG
Relevância na Pesquisa
46.56%
The production of bananas (Musa spp.) in Paraná is growing and Curitiba and Metropolitan Area represent an important consumption area. This work aimed to characterize the retail market of bananas in Curitiba and Metropolitan Area in the period from February, 1999 to January, 2000. Four representative retail markets were selected and visited monthly for collection the information about cultivars presented, practiced prices (corrected to February, 1999), used packings, maturation stage and intensity of lesions in the peel of the fruits. Banana cultivars marketed in the studied period were ‘Nanicão’, ‘Prata’, ‘Maçã’ and ‘Ouro’. The cultivars ‘Prata’, ‘Nanicão’ and ‘Maçã’ were commercialized in 100%, 98% and 83% of the visits, respectively, and the cultivar ‘Ouro’ was found only in 16% of the visits. ‘Nanicão’ cultivar was marketed with the lowest average monthly price (from R$0,59 to R$0,81/kg) followed by banana ‘Prata’ (from R$0,98 to R$1,58/kg) and ‘Maçã’ (from R$1,54 to R$1,88/kg). The banana ‘Ouro’, although not present in the majority of visits...

Diversidad genética de bananos y plátanos (Musa spp.) determinada mediante marcadores RAPD

Nadal-Medina,Rocío; Manzo-Sánchez,Gilberto; Orozco-Romero,José; Orozco-Santos,Mario; Guzmán-González,Salvador
Fonte: Sociedad Mexicana de Fitogenética A.C. Publicador: Sociedad Mexicana de Fitogenética A.C.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 ES
Relevância na Pesquisa
56.48%
La clasificación de germoplasma y la identificación de genotipos de bananos y plátanos (Musa spp.) con los métodos tradicionales (morfológicos) han conducido a tener duplicidad e interpretaciones erróneas. Actualmente la combinación de estas herramientas con métodos moleculares ha clarificado la taxonomía e identificación de genotipos de Musáceas. En este estudio se planteó caracterizar genéticamente a 17 cultivares pertenecientes a cuatro subgrupos genómicos ("Cavendish", "Red", "Plantain", "Ibota" y "Silk") y cinco híbridos de bananos y plátanos, los cuales conforman un banco de germoplasma del Instituto Nacional de Investigaciones Forestales Agrícolas y Pecuarias en Tecomán, Colima, México. Se identificaron 90 marcadores RAPD (polimorfismos en el ADN amplificados al azar) entre las 22 accesiones analizadas, de los cuales 83 fueron polimórficos. Se registró una estrecha relación entre la clasificación morfológica y diversidad molecular detectada entre los subgrupos analizados. El análisis filogenético generó dos grupos diferentes identificados como A y B. El grupo A se conformó por 10 accesiones pertenecientes solamente al subgrupo "Cavendish", y como excepción se integró el híbrido 'FHIA 03'. Al grupo B se integraron accesiones pertenecientes a diferentes subgrupos...

Identificación del virus del rayado del banano en Venezuela

Garrido,Mario José; Ordosgoitti,Alfonso; Lockhart,Benham E. L
Fonte: ASOCIACIÓN INTERCIENCIA Publicador: ASOCIACIÓN INTERCIENCIA
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2005 ES
Relevância na Pesquisa
46.48%
En zonas productoras de banano y plátano (Musa spp.) en Venezuela se observaron plantas con síntomas foliares de una enfermedad aparentemente viral caracterizada por estrías cloróticas que progresivamente se vuelven necróticas. En muestras de los cultivares Pineo gigante (AAA) y Mysore (AAB) fue detectado mediante inmunomicroscopía electrónica el virus del rayado del banano (BSV). Cuatro aislamientos del virus fueron identificados por inmunocaptura seguida por reacción en cadena de la polimerasa (IC-PCR) usando como iniciadores oligonucleótidos específicos de dos razas del BSV. Los resultados de la IC-PCR indicaron que los aislamientos pertenecen al BSV-OL. Esta raza se integra al genoma del hospedante (Musa) y existen evidencias de que la infección con el BSV puede originarse de esas secuencias integradas. El BSV fue detectado en los estados venezolanos de Aragua, Barinas, Carabobo, Delta Amacuro, Mérida, Miranda, Sucre, Yaracuy y Zulia.

Oxidación en la inducción de la embriogénesis somática a partir de flores masculinas inmaduras de Gran Enano (Musa AAA)

Villegas F,Z; Giménez A,C; Vílchez P,J; Moreno C,M; Sandoval,L; Colmenares E,M
Fonte: Facultad de Agronomía. Universidad del Zulia Publicador: Facultad de Agronomía. Universidad del Zulia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2008 ES
Relevância na Pesquisa
46.6%
Las bananas y plátanos (Musa spp.) son económicamente importantes a nivel mundial. Su mejoramiento clásico ha presentado limitaciones que podrían superarse aplicando transgénesis, lo que requiere un protocolo eficiente de multiplicación y regeneración como la embriogénesis somática. Para inducir embriogénesis somática en Musa spp. el explante más usado son las manos de flores masculinas inmaduras, no obstante, el método convencional para su extracción implica dificultades prácticas. Recientemente se reportó para el cultivar Dwarf Brazilian (Musa AAB) una metodología más sencilla que la convencional para extraer explantes con flores masculinas, pero se desconoce si el manejo del material vegetal con este método causa problemas de oxidación. El objetivo de esta investigación fue evaluar la oxidación fenólica al inducir embriogénesis somática en explantes con flores masculinas inmaduras de Gran Enano, extraídos con el método convencional y con la metodología novedosa propuesta para Dwarf Brazilian. Se esterilizaron con alcohol isopropílico bellotas reducidas, se lavaron con agua y se redujeron nuevamente. Se extrajeron explantes de cada bellota con flores masculinas usando dos métodos: el convencional (aislando manos florales) y el método nuevo (seccionando la bellota). Los explantes se cultivaron durante 7-9 meses en medios semisólidos y en oscuridad...

Micropropagación de musa spp.(plátano var. manzano aab) a partir de meristemas florales

Molina,Gladys; Vielma T,María; Tacoronte,Melangel; Briceño,Máximo
Fonte: Instituto Nacional de Investigaciones Agrícolas INIA de Venezuela Publicador: Instituto Nacional de Investigaciones Agrícolas INIA de Venezuela
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 ES
Relevância na Pesquisa
56.63%
Los bananos y plátanos son rubros alimenticios de gran importancia económica en Venezuela, y han sido considerados como alimentos de elevado consumo nacional. Uno de los objetivos fundamentales de la tecnología de avance aplicada a la agricultura, es generar aumentos sustanciales en la producción y/o rendimiento de este rubro a través de nuevos enfoques, permitiendo la expansión de la superficie sembrada. El objetivo principal de la investigación es Micropropagar plantas de Musa spp. (Plátano var. Manzano AAB) a partir de meristemas florales masculinos. Esta investigación se realizó en seis etapas, empleando el medio de Murashige y Skoog (MS) en 1962 y de Schenk y Hildebrandt (SH) en 1986, con diferentes concentraciones hormonales y condiciones de cultivo. Etapa I: establecimiento de ápices de inflorescencias masculinas de 1,1 cm en MS1- control. Etapa II: inducción de primordios en MS modificado (MS2) a dos concentraciones de benciaminopurina (BAP: TI=1,5 y TII=3 mg l-1) y control (MS1). Etapa III: expresión de primordios en medio SH + 3,2 μM BAP (MS3). Etapa IV: desarrollo y alargamiento de primordios en medio MS4 (MS +1,5 mg l-1 ANA). Etapa V: enraizamiento de vástagos en medio ½ MS + 1 mg l-1 ANA(MS5). Etapa VI: aclimatación de las plantas. Se observó que en Musa spp. (Plátano var. Manzano AAB) es posible obtener plantas a través de inflorescencia masculinas. La inducción de primordios de vástago se produjo en TI...

Ultraestructura de callos embriogénicos y no embriogénicos de banano williams (aaa, musa spp.)

Ramírez V,Maribel del C; de García,Eva; Finol,Héctor J
Fonte: Instituto Nacional de Investigaciones Agrícolas INIA de Venezuela Publicador: Instituto Nacional de Investigaciones Agrícolas INIA de Venezuela
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 ES
Relevância na Pesquisa
66.56%
Los estudios ultraestructurales durante la embriogénesis somática son muy importantes porque permiten comprender y mejorar este proceso morfogenético. De allí que este trabajo tuvo como objetivo caracterizar ultraestructuralmente callos embriogénicos (CE) y no embriogénicos (CNE) de banano Williams (Musa spp.). En células de ambos tipos de callos se observaron pared celular, membrana plasmática, citoplasma (retículo endoplasmático rugoso, membrana vacuolar, ribosomas y mitocondrias) y vacuolas. El contenido citoplasmático en el CNE fue menor y la pared celular delgada. Las células de CE resultaron pequeñas, isodiamétricas con citoplasma denso, vacuola pequeña y pared gruesa.