Página 1 dos resultados de 21945 itens digitais encontrados em 0.031 segundos

Caraterísticas das mulheres que abortam

Correia, Teresa; Borges, Amandina; Martins, Matilde
Fonte: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra Publicador: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
35.53%
A gravidez humana é um processo seletivo, onde a taxa estimada de perdas na fase pré-clínica ronda os 25 a 30%, antes da implementação ou precocemente após esta. Seguindo o envelhecimento populacional, os estudos revelam que a idade média das mulheres ao primeiro filho tem vindo a aumentar, sobretudo nos países industrializados, acrescentando o risco de complicações maternas, fetais e obstétricas. Estima-se que o abortamento ocorra em 14 a 19%, da população mundial tratando-se de uma preocupação de Saúde Pública. Descrever as caraterísticas sociais, demográficas e reprodutivas das mulheres internadas com abortamento espontâneo numa unidade de saúde do Norte de Portugal. Estudo epidemiológico transversal retrospetivo, realizado entre 2010 a 2012, com uma amostra constituída por 122 processos clínicos. Para a recolha de informação, foi utilizada uma checklist, elaborada segundo os requisitos da Ordem dos Enfermeiros. A colheita de informação foi realizada, entre janeiro e fevereiro de 2013, no arquivo da instituição. Os dados foram inseridos e tratados no programa Statistical Package for Social Sciences. Foi conseguida autorização do Conselho de Administração e obtido parecer favorável da Comissão de Ética. Os processos foram consultados garantido o anonimato e confidencialidade dos dados. A prevalência de abortamento foi mais frequente nas mulheres com idade superior a 30 anos...

Mulheres em contexto migratório : figurantes ou protagonistas?

Miranda, Joana
Fonte: ISMAI Publicador: ISMAI
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
35.53%
Nos últimos anos foi surgindo uma maior consciência de que as migrações não têm o mesmo efeito e impacto nos homens e nas mulheres e de que uma exclusiva focalização nos homens não permite apreender as complexidades envolvidas. Passou a ter-se em consideração duas novas questões: Que factores determinam a migração das mulheres? Que impacto o processo migratório tem no estatuto das mulheres imigrantes? A feminização da imigração é agora internacional e alguns autores consideraram a feminização da migração como uma das cinco características que definem a actual era das migrações (Castles & Miller, 1998). Mas estaremos, de facto, face a uma feminização da imigração à escala mundial ou apenas face à feminização do discurso sobre migrações e a uma maior aceitação da imigração das mulheres? Os discursos feministas das últimas décadas têm proporcionado várias conquistas por parte das mulheres, que acompanham a sua saída do espaço privado e a sua entrada na esfera pública. Mas será que essa maior ocupação da esfera pública resulta num aumento de empowerment das mulheres trabalhadoras exercendo funções indiferenciadas? As mulheres migram sozinhas assumindo o protagonismo dos processos migratórios ou são meras figurantes em processos de reagrupamento familiar? De que forma a relação das mulheres com a família é alterada em resultado da imigração? Ou...

Imunofenótipo e evolução de câncer de mama: comparação entre mulheres muito jovens e mulheres na pós-menopausa; Immunophenotype and evolution of breast carcinomas: a comparison between very young and postmenopausal women

DUTRA, Mara Costa; REZENDE, Marina Alvarenga; ANDRADE, Victor Piana de; SOARES, Fernando Augusto; RIBEIRO, Márcio Ventura; PAULA, Élbio Cândido de; GOBBI, Helenice
Fonte: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Publicador: Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
35.53%
OBJETIVO: avaliar características clínicas, patológicas e moleculares de carcinomas mamários em mulheres muito jovens em comparação a tumores de mulheres na pós-menopausa. MÉTODOS: foram selecionados 106 casos de câncer de mama de mulheres jovens e 130 casos de mulheres pós-menopausa. Foram analisados dados clínicos (idade ao diagnóstico, estadiamento, ocorrência de metástases, tempo de sobrevida global e livre de doença), anátomo-patológicos (tamanho do tumor, tipo e grau histológico do tumor primário) e marcadores moleculares (receptores de estrógeno e progesterona, HER2, p53, p63, citoqueratinas 5 e 14 e EGFR) com uso da imunoistoquímica empregando microarranjo de tecido. Foi analisada a relação entre as características clínico-patológicas, imunoistoquímicas e de sobrevidas global e livre de doença. RESULTADOS: as pacientes muito jovens apresentaram maior frequência de nuliparidade (p=0,03), maior diâmetro dos tumores (p<0,000), estadiamento clínico mais avançado (p=0,01), maior número de linfonodos positivos (p=0,001) e tumores pouco diferenciados (p=0,004). A maioria das pacientes jovens recebeu tratamento com quimioterapia (90,8%) e radioterapia (85,2%) e em menor proporção com tamoxifeno (31...

Diagnóstico de HIV/AIDS e o uso de antirretrovirais em mulheres usuárias dos serviços especializados em HIV/AIDS de Porto Alegre

Fisch, Patrícia
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
35.54%
Introdução As mulheres já são a maioria das pessoas vivendo com HIV e aids no mundo e apresentam vulnerabilidades específicas em relação à doença, como a biológica e a relacionada a diferenças de gênero. A transmissão heterossexual do HIV é o modo de contágio que mais cresce no mundo e está relacionada a essa maior vulnerabilidade das mulheres. O presente artigo tem por objetivo avaliar a associação entre o tempo do diagnóstico de HIV e o uso de ant i r ret rovi rais com indicação terapêut ica em mulheres em acompanhamento em serviços especializados em HIV/Aids de Porto Alegre. Além disso, também deseja-se avaliar o momento do diagnóstico e o motivo do teste anti-HIV nessas mulheres. Métodos Os dados analisados são resultantes de uma pesquisa transversal, realizada com mulheres em idade reprodutiva, de 18 a 49 anos, divididas em dois grupos: mulheres com diagnóstico de HIV e mulheres sem diagnóstico conhecido de soropositividade para o HIV. A coleta de dados foi realizada de janeiro a novembro de 2011. Para a presente dissertação são analisados exclusivamente os dados do grupo de mulheres soropositivas para o HIV. A associação entre o uso de ARV e o tempo de diagnóstico do HIV foi estimada por meio do modelo de regressão de Poisson com variância robusta...

Alterações musculoesqueleticas de risco para quedas em mulheres na pos-menopausa com osteoporose

Sylvia Helena Ferreira da Cunha Henriques
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 14/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
35.54%
Introdução: O crescimento da expectativa de vida tem aumentado a incidência de doenças de idades avançadas, dentre elas a osteoporose. Entretanto as alterações musculoesqueléticas que a acompanham ainda são controversas. Objetivo: avaliar as alterações musculoesqueléticas em mulheres na pós-menopausa, com e sem osteoporose. Sujeitos e Métodos: foi realizado um estudo de corte transversal comparativo com 63 mulheres, acompanhadas no Ambulatório de Menopausa do CAISM/Unicamp, distribuídas em dois grupos, sendo 30 mulheres com osteoporose e 33 sem osteoporose, diagnosticadas através de densitometria óssea. Todas as voluntárias concederam uma entrevista e foram submetidas a uma avaliação física, que constava da medida da força muscular (prova muscular de Daniels) e das amplitudes de movimentos (com flexímetro) da flexão e extensão do tronco, dos ângulos de cifose torácica e lordose lombar (Método de Cobb) e equilíbrios estático e dinâmico (teste de Romberg). Resultados: a idade média das mulheres com osteoporose foi de 57,40, enquanto a das mulheres sem osteoporose foi de 55,76 (p = 0,35) e o tempo médio de menopausa foi de 11 anos nos dois grupos (p=0,97). Os valores médios da força muscular dos flexores e extensores do tronco foram menores nas mulheres com osteoporose (p<0...

Comparação da cinética da marcha entre mulheres obesas e mulheres eutróficas

Hamu, Tânia Cristina Dias da Silva
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
35.55%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, 2013.; Introdução: a obesidade é um problema de saúde publica. A incidência da obesidade é crescente na população, principalmente nas mulheres. A obesidade causa impacto no sistema musculoesquelético, levando a sobrecarga nas articulações do quadril, joelho e tornozelo, déficit no padrão de coordenação das articulações do membro inferior, dificuldade de equilíbrio e inabilidade funcional. Objetivo O objetivo do estudo foi comparar os parâmetros cinéticos da marcha de mulheres com sobrepeso e mulheres com obesidade grau I com os parâmetros cinéticos da marcha de mulheres eutróficas. Métodos: estudo transversal composto por uma amostra de 40 mulheres. As participantes foram divididas em três grupos, baseado no seu IMC: 9 mulheres com sobrepeso (25? IMC ? 29,9 kg/m2; idade média de 32,6 ±9,7 anos), 11 mulheres com obesidade grau I (30? IMC ? 34,9 kg/m2; idade média de 39,81 ±9,6 anos) e 20 mulheres eutróficas (18,5? IMC ? 24,9 kg/m2 ; idade média de 34,10 ±10,77). A marcha das mulheres foi avaliada pelo sistema Vicon Motus 9.2®. Foram estudados os parâmetros de velocidade e as três componentes da força de reação do solo durante a marcha (força vertical...

"Eu espero acordar um dia sem sentir o peso do corpo" : violência contra as mulheres e Teatro do(a) Oprimido(a); "I hope to wake up one day without feeling the weight of the body" : violence against women and Theater of the Opressed

Oliveira, Érika Cecilia Soares; Saavedra, Luísa
Fonte: Associação Portuguesa de Estudos das Mulheres Publicador: Associação Portuguesa de Estudos das Mulheres
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
45.46%
The Theatre of the Oppressed was used to search discourses on violence against women in poor communities in São Paulo. Proposals from espect-atores /espect-atrizes to deal with this kind of oppression are to leave home, the demand for justice and empowerment through work. At the same time this intervention allows to raise awareness of this type of experience, and seek new possibilities for addressing violence against women; O Teatro do/a Oprimido/a foi utilizado para pesquisar os discursos sobre a violência contra as mulheres em comunidades carentes do interior paulista. As propostas dos/das espect-atores/espect-atrizes para lidar com este tipo de opressão passam pela fuga do lar, a procura pela justiça e o empoderamento através do trabalho. Ao mesmo tempo esta intervenção permite sensibilizar as pessoas para este tipo de vivência, e buscar novas possibilidades de enfrentamento da violência contra as mulheres.

(In)visibilidades da cobertura noticiosa do Dia Internacional das Mulheres em Portugal; (In)visibilities of the International Women’s Day news coverage in Portugal

Cerqueira, Carla
Fonte: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres (APEM) Publicador: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres (APEM)
Tipo: Parte de Livro
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
45.44%
Neste artigo explicamos o trajeto do nosso doutoramento, o qual se centrou na análise da evolução jornalística no que se refere à cobertura da efeméride do Dia Internacional das Mulheres em Portugal na imprensa portuguesa (1975-2007). Partimos das inquietações que suscitaram a pesquisa, percorremos as opções metodológicas e traçamos algumas das principais conclusões.; In this paper we explain the path of our doctoral research, which was focused in the evolution of the journalistic coverage in the International Women’s Day in Portuguese Press (1975- 2007). We go from a set of interrogations onto to defining our methodological options, backbone of our main conclusions.; Comissão para a Igualdade de Género (CIG)

Qualidade de vida de mulheres com dor pélvica crônica; Quality of life of women with chronic pelvic pain

BARCELOS, Priscilla Rodrigues
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde - Medicina Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde - Medicina
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
35.54%
OBJECTIVES: to compare the quality of life (QOL) of women who have or do not have chronic pelvic pain (CPP) and to investigate the factors associated with QOL in women with CPP. METHODS: a cross-sectional study was performed, in which 30 women with CPP and 20 women without CPP were included. They were premenopausal women aged 18 to 50 years attending the gynecologic outpatient department of a tertiary care university hospital (Hospital das Clínicas, Universidade Federal de Goiás, Brazil). A CPP case was considered when presenting with recurrent or constant pelvic pain of at least six months` duration, unrelated to periods. Women who had been pregnant in the previous year or who had a history of malignant disease were excluded. Sociodemographic and clinical features were assessed. The Medical Outcomes Study 36-item Short-Form Health Survey (SF-36) questionnaire was used to investigate QOL. It provides an eight-scale profile of scores: physical functioning, role-physical, bodily pain, general health, vitality, social functioning, role-emotional and mental health. These eight domains can be summed up in two summary measures: physical component summary (PCS) and mental component summary (MCS). Pain intensity was evaluated using a mechanical visual analogue scale (VAS). Multiple regression analyses was used to compare QOL scores between women with and without CPP and to identify the factors associated with QOL in women with CPP. RESULTS: the mean age of women with and without CPP was 35.2±7.5 and 36±9.3 years...

União, luta, liberdade e resistência: as organizações de mulheres indígenas da Amazônia brasileira

Célia Sacchi Monagas, Angela; Monteiro Athias, Renato (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
35.54%
O tema da tese é a 'participação política das mulheres indígenas' no âmbito do movimento indígena brasileiro. Especificamente trata-se de analisar a experiência das mulheres em organizações indígenas, mas também pensar no papel da liderança feminina além da inserção nessas formas organizativas mais formalizadas. Este trabalho parte do pressuposto de que é preciso considerar as implicações dessa participação feminina no movimento indígena de modo mais amplo, bem como as transformações que esta participação política implica na vida das mulheres ao nível comunitário. A pesquisa refletiu sobre o processo constitutivo das organizações de mulheres indígenas da Amazônia Brasileira, de modo particular, sobre o 'movimento de mulheres indígenas de Roraima', que culmina na criação da Organização das Mulheres Indígenas de Roraima (OMIR). A problemática ainda é pouco visível no cenário do movimento indígena, assim como não tem recebido atenção na disciplina antropológica, pois só recentemente as mulheres assumem novas representações no contexto interétnico. A pesquisa etnográfica foi realizada em diversos contextos, nas comunidades indígenas do Estado de Roraima e na sede da OMIR em Boa Vista/RR...

Violações dos direitos humanos das mulheres na ditadura

Teles, Maria Amélia de Almeida; Comissão da Verdade do Estado de São Paulo “Rubens Paiva” União de Mulheres de São Paulo
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 20/11/2015 POR
Relevância na Pesquisa
45.49%
O artigo comenta sobre a situação geral das mulheres brasileiras nos anos de 1960 e 1970 enfatizando a participação de mulheres na luta contra a ditadura e o modus operandi do sistema repressivo misógino, que usou o corpo, a sexualidade e a maternidade como formas de intensificar a tortura ou exterminar cruelmente algumas militantes mulheres. Destaca o papel político da Comissão da Verdade por ter dado voz às mulheres vítimas, as quais só conseguiram falar em público, pela primeira vez, depois de mais de quatro décadas dos fatos ocorridos. Este texto também propõe que sejam devidamente investigados os crimes sexuais e crimes de gênero e apuradas as responsabilidades, ainda que tenham ocorrido há mais de 40 anos, pois são crimes de lesa-humanidade.

As mulheres no conflito armado do Ruanda

Silva,Vera
Fonte: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM Publicador: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
45.48%
Este artigo analisa o conflito do Ruanda, desde o seu início até ao genocídio de 1994 e período pós-genocídio, indagando sobre as experiências e práticas das mulheres neste contexto de conflito armado. Pretende-se descrever as principais causas que levaram ao processo de etnicização do poder político e à luta entre as elites Hutu e Tutsi pelo domínio do Estado e que estiveram na origem de um conflito que parece não ter fim, tendo provocado já milhares de mortes e de pessoas deslocadas e refugiadas. Pretende-se, assim, identificar problemáticas específicas relativas às mulheres, quer no processo de formação das identidades étnicas, quer no conflito armado do Ruanda, quer, ainda, nas acepções limitadas do olhar das ciências sociais sobre as mulheres nos conflitos armados.

Metamorfoses das relações entre o Estado e os movimentos de mulheres em Portugal: entre a institucionalização e a autonomia

Monteiro,Rosa; Ferreira,Virgínia
Fonte: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM Publicador: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
45.48%
Este artigo pretende contribuir para o conhecimento acerca das dinâmicas entre o Estado e os movimentos de mulheres. Particular atenção é dada à articulação entre estes, os partidos políticos e a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género enquanto mecanismo oficial para a igualdade de mulheres e homens. O processo de institucionalização dos movimentos é analisado tendo em conta as suas diferentes fases e respetivos fundamentos e efeitos. Por fim, exploramos os principais desafios que se colocam hoje ao feminismo de Estado e aos movimentos de mulheres em Portugal.

Educação e Desenvolvimento de Carreira das Mulheres

Silva,Ana Daniela; Taveira,Maria do Céu
Fonte: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM Publicador: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
45.46%
Vários fatores têm sido apontados para explicar as disparidades encontradas no desenvolvimento de carreira de mulheres e homens, quer no que respeita ao acesso a essas carreiras, quer no que respeita à distribuição das escolhas e ao padrão de sucesso nas mesmas. Entre esses fatores, a educação é considerada uma das variáveis mais importantes. Neste artigo apresentamos uma revisão da literatura psicológica que se dedicou a estudar a influência de fatores educacionais no desenvolvimento de carreira das mulheres, refletindo sobre as tendências de investigação neste domínio, bem como, sobre a pertinência do estudo desta temática para a intervenção psicológica e educacional, individual e social.

Mulheres & Blogosfera: contributo para o estudo da presença feminina na "rede"

Cerqueira,Carla; Ribeiro,Luísa Teresa; Cabecinhas,Rosa
Fonte: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM Publicador: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
45.46%
Vários estudos a nível nacional e internacional indicam que os meios de comunicação social tradicionais dão menos espaço às vozes femininas do que às masculinas. Para além disso, quando as mulheres aparecem, são representadas de forma estereotipada e pouco representativa dos papéis que desempenham na sociedade. O fenómeno da blogosfera surgiu em 1997, abrindo caminho a novas possibilidades de intervenção no espaço público. Os blogues podem, então, configurar-se como um novo local de expressão para actores que os media tradicionais silenciam e secundarizam, como é o caso das mulheres. Nesse sentido, importa reflectir sobre a presença feminina na blogosfera, uma questão crucial do ponto de vista social, pois está em causa o exercício da cidadania. Apesar de ser um mecanismo de auto-edição, há dados que apontam, contudo, para a repetição na blogosfera da desigualdade de género, pelo que é pertinente analisar a participação no ciberespaço.

Apenas mulheres? Situação das mulheres no mercado de trabalho em quatro países europeus

Macedo,Eunice; Santos,Sofia
Fonte: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM Publicador: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
45.51%
Procuramos contribuir para a discussão da posição das mulheres no mundo do trabalho em quatro estados membros da união europeia - Portugal, Lituânia, Bélgica e Holanda, tomando uma reflexão desenvolvida por um grupo de mulheres dessas nacionalidades. Se a construção da problemática face às realidades em confronto assenta nas percepções do grupo relativamente à localização das mulheres em diversos campos da vida social nos respectivos países, é também sustentada por uma abordagem crítica às políticas sociais aí desenvolvidas. Assim, procuramos, ora focalizar as possibilidades de acesso/sucesso das mulheres no mercado de trabalho de par com a posição que lhes é atribuída no espaço privado do cuidar, ora ter em conta as tentativas dos estados referidos e da Europa para melhorar o enquadramento feminino, através de alguns benefícios sociais às mulheres e às famílias, aqui abordados de forma comparativa. Enfatizam-se, ainda, continuidades e diferenças nos estados que se articulam com o seu posicionamento no contexto europeu, num tempo de globalização em que fenómenos como a precariedade do emprego, entre outros, põem em risco grandes blocos da população mundial.

O Marianismo e a vitimização de mulheres encarceradas: formas alternativas de exercício do poder feminino

Barcinski,Mariana; Capra-Ramos,Carine; Weber,João L. A.; Dartora,Tamires
Fonte: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM Publicador: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
45.46%
O Marianismo fundamenta-se no ideal de mulher caracterizado pelo sofrimento, sacrifício e abnegação. A constituição da mulher à imagem da Virgem Maria corrobora o papel tradicional feminino como responsável pela esfera doméstica do cuidado com a casa e com a família. Neste artigo discutimos a forma como o Marianismo pode ser apropriado simultaneamente para reproduzir a tradicional subjugação feminina e para afirmar formas de exercício de poder. O objetivo é entender de que maneira o sacrifício e a abnegação sustentam a posição feminina vitimizada, mas igualmente empoderam as mulheres de forma peculiar. Através das trajetórias de vida de mulheres brasileiras encarceradas, mostraremos como seus discursos carregam a marca do sofrimento e da violência, bem como o poder adquirido através deste mesmo sofrimento.

Mulheres Artistas na Idade da Razão. Arte e Crítica na Década de 1960 em Portugal

Esquível,Patrícia
Fonte: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM Publicador: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
45.48%
O novo estatuto das mulheres artistas nos anos de 1960 em Portugal é analisado a partir das obras das artistas mais significativas (Paula Rego, Helena Almeida e Lourdes Castro) e da sua recepção por parte da crítica. Trata-se de uma verdadeira transformação. Ao nível da postura dessas mulheres, quebram-se as barreiras que as confinavam a um tipo de arte particular - arte feminina. Ao nível da crítica, ultrapassa-se uma atitude paternalista e discriminatória e aposta-se em critérios mais imparciais e sem preconceitos de género. Estabelece-se o contraponto entre uma arte feminina, qualificada pela crítica na primeira metade do século XX como ingénua, lírica, sensível e manifestamente solar, e uma arte de natureza reflexiva e experimental, feita nos anos de 1960 por mulheres com capacidade crítica e conceptual.

A posição das mulheres trabalhadoras num mundo em evolução: Uma jornalista Portuguesa na Conferência Internacional do Trabalho

Jordão,Albertina
Fonte: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM Publicador: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
45.46%
Este artigo faz parte de uma investigação mais vasta que está a ser realizada no quadro das relações Portugal - Organização Internacional do Trabalho. Nesta investigação centramo-nos sobre a integração de mulheres nas delegações tripartidas à Conferência Internacional do Trabalho (CIT). Este artigo refere-se à participação da primeira portuguesa a integrar a delegação sindical, em 1964 num tempo em que os sindicatos não eram livres e cuja pressão internacional sobre Portugal era cada vez mais acentuada. Na CIT de 1964, um dos temas da agenda foi as «mulheres trabalhadoras num mundo em mudança». As principais questões aí debatidas são tratadas neste artigo.

Violência entre parceiros íntimos (vpi): problema e sintoma no panorama das violências sobre as mulheres

Macedo,Eunice
Fonte: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM Publicador: Associação Portuguesa de Estudos sobre as Mulheres - APEM
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
45.49%
A violência entre parceiros íntimos (VPI) tem sido, por vezes, reconhecida como um problema que afeta mulheres e homens e põe em risco a democracia. A VPI é também um sintoma no panorama amplo das violências sobre as mulheres, que nem sempre têm sido reconhecidas e que têm sido veladas sob noções de «discriminação» ou «desigualdade». Depois de refletir acerca da violência social, este artigo suporta-se na análise de documentos-chave para abordar a VPI, como forma específica de violência sobre as mulheres, entre outras que ocorrem no espaço familiar, em Portugal e no contexto Europeu. O argumento dirige-se à construção de formas de vida amigas-de-mulheres-e-homens que corporizem uma democracia mais autêntica.