Página 1 dos resultados de 779 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Quantificação do número de AgNORs em células descamadas da mucosa bucal e sua relação com tamanho do núcleo em indivíiduos fumantes

Soares Pinto, Tatiana Andrea
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.66%
A citopatologia bucal é um método de diagnóstico baseado em células obtidas por raspagem. Com a finalidade de constatar quantitativamente as alterações celulares ocasionadas pelo fumo em mucosa bucal clinicamente normal, durante a Campanha de Combate ao Câncer de Novo Hamburgo/RS de 2000, foram selecionados todos os indivíduos homens, fumantes e não-fumantes, acima de 40 anos e sem lesão bucal aparente. O processo de seleção resultou em um total de 13 fumantes e 9 não-fumantes. Os sítios bucais estudados foram: vermelhão do lábio inferior, porção anterior do soalho bucal e borda da língua. De cada sítio estudado foram obtidos dois esfregaços, sendo o primeiro submetido à técnica de impregnação pela prata (AgNORs) para avaliação quantitativa via IMAGELAB® e o segundo ao método de Papanicolaou Modificado para confirmação de normalidade. Através do teste estatístico Mann-Whitney (p=0,05) foram obtidos os seguintes resultados: (1) em soalho, o número de AgNORs por núcleo foi superior em fumantes comparado ao grupo não-fumantes; (2) em língua, a relação núcleo/citoplasma em fumantes é maior em comparação aos não-fumantes; (3) em lábio, o grupo com média acima de 3 AgNORs/núcleo apresentou área nuclear maior. Considerando que cada sítio possui comportamento específico frente às injúrias ocasionadas pelo fumo...

Avaliação das alterações citopatológicas da mucosa bucal clinicamente normal exposta a carcinógenos

Bohrer, Paula Luce
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.78%
Inúmeros fatores estão relacionados ao desenvolvimento do câncer, no caso das neoplasias de boca, o tecido epitelial esta constantemente em contato com diversos carcinógenos. O objetivo deste estudo é avaliar as alterações citopatológicas de três sítios anatômicos da mucosa bucal normal com maior risco para o desenvolvimento do câncer de boca e expostas aos agentes carcinógenos presentes no fumo e no álcool. Foram considerados 3 sítios anatômicos de maior prevalência de câncer bucal. A amostra foi constituída de 68 indivíduos, sendo 21 do grupo controle, 28 do grupo fumo e 19 do grupo fumo/álcool. A avaliação qualitativa através da classificação de Papanicolaou, bem como o Sistema de Bethesda, 2001 Modificado não apresentaram sensibilidade suficiente para detectar alterações incipientes na mucosa bucal, nos sítios anatômicos estudados expostos ao fumo, ao álcool, ou ambos. Na avaliação do padrão de maturação celular, apesar da constatação de alteração na borda da língua de fumantes e no lábio inferior e assoalho de boca de indivíduos que fumam e consomem bebidas alcoólicas diariamente, a variação do padrão de maturação celular foi aleatória não sendo os resultados conclusivos para a detecção de alterações incipientes nos sítios anatômicos estudados da mucosa bucal normal de indivíduos expostos ao álcool e ao fumo. A técnica de micronúcleos foi capaz de detectar uma tendência no aumento de micronúcleos nos indivíduos expostos ao fumo e/ou álcool na mucosa bucal de todos os sítios anatômicos.

Avaliação do dano genético e da atividade proliferativa em células esfoliadas da mucosa bucal normal exposta a carcinógenos e adjacente a carcinoma espinocelular

Pellicioli, Ana Carolina Amorim
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.64%
Objetivo: avaliar as alterações genotóxicas, através da análise de micronúcleos (MN) bem como a presença de outras alterações nucleares (broken eggs e cariorrexe), em mucosa bucal clinicamente normal de indivíduos expostos aos carcinógenos (fumo e álcool) e adjacente a lesões leucoplásicas e carcinoma espinocelular. Materiais e Métodos: avaliou-se vinte e oito indivíduos do sexo masculino com idade superior a 30 anos os quais foram divididos em grupo controle (GC, n=4), grupo álcool/fumo (GAF, n=6), grupo leucoplasia (GL, n=12) e grupo carcinoma espinocelular (GCE, n=8). Nos pacientes do GC e GAF, a coleta citopatológica, foi realizada nos sítios anatômicos do lábio inferior, borda da língua e assoalho de boca. Os sítios anatômicos avaliados no GL e GCE foram áreas de mucosa bucal normal contra-lateral e adjacente à lesão. Os raspados citológicos forma corados pela técnica de Feulgen. A análise foi realizada por um observador cego. Foram avaliadas 1000 células por lâmina considerando a presença de micronúcleos, broken eggs e cariorrexe. Resultados: observou-se uma tendência de aumento do número de MN nos grupos GAF (rank médio=34,09; p=0,019), GL (rank médio=49,49) e GCE (rank médio=55,50) respectivamente...

Avaliação do efeito citotóxico da terapia fotodinâmica associada ao LED e ao Photogem sobre a mucosa bucal de rato

Trindade, Flávia Zardo
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 124 f. : il. color. + anexo
POR
Relevância na Pesquisa
66.74%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Reabilitação Oral - FOAR; A utilização da PDT para tratamento de diferentes tipos de infecções, tal como a candidose bucal, tem sido estudada. Entretanto, poucos são os dados científicos que relatam os possíveis efeitos tóxicos dessa terapia. Dessa forma, o objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da irradiação na mucosa bucal de ratos com LED azul (de 460 nm e potência de 200 mW/cm2) em presença do fotossensibilizador (FS) Photogem®, em duas diferentes concentrações (500 mg/L e 1000 mg/L). Para isso, foram utilizados 101 ratos (Rattus Norvegicus Albinus Holtzman) distribuídos em 6 grupos, de acordo com os seguintes tratamentos: Grupo 1 – controle; Grupo 2 – aplicação do FS (500 mg/L); Grupo 3 – aplicação do FS (500 mg/L) e irradiação com LED; Grupo 4 - aplicação do FS (1000 mg/L); Grupo 5 – aplicação do FS (1000 mg/L) e irradiação com LED; e Grupo 6 – irradiação com LED. O FS foi aplicado por 30 minutos (tempo de pré-incubação) e o tempo de irradiação da mucosa foi de 20 minutos (dose de 144 J/cm2). Decorridos os 4 períodos de avaliação propostos (0 dia, 1dia, 3 dias e 7 dias), os animais tiveram a mucosa palatina fotografada para análise macroscópica...

Efeitos do diabetes espontaneo sobre a mucosa bucal de camundongos (NOD)

Eduardo Jose Caldeira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 16/07/2003 PT
Relevância na Pesquisa
66.77%
: o Diabetes Mellitus é um distúrbio crônico que afeta o metabolismo de proteínas, carboidratos e gordura sendo a hiperglicemia a principal característica. A incidência mundial de indivíduos com diabetes vem aumentando nos últimos anos, cerca de 160 milhões de pessoas são diabéticos tendendo a dobrar nos próximos 25 anos (Ritz, 2002). Diversos estudos vem sendo realizados na tentativa de esclarecer os efeitos deletérios do diabetes sobre a mucosa bucal, além da reversão desses através de tratamento e ou dieta. Contudo, dúvidas persistem sobre os efeitos celulares dessa patologia na mucosa bucal. Assim, o presente estudo visa realizar análises histológica, ultra-estrutural e estereológica da mucosa bucal de camundongos espontaneamente diabéticos, correlacionando-as a processos de reparo e susceptibilidade a infecções. No presente estudo foram utilizados 27 camundongos fêmeas divididos em 3 grupos; diariamente realizou-se o monitoramento dos níveis de glicose e caracterizando o estado diabético realizou-se coleta da mucosa bucal com posterior processamento para microscopia de luz e eletrônica de transmissão. Nos grupos Nod negativo e Nod positivo verificou-se diminuição da espessura epitelial e atipia das células epiteliais. Ultra-estruturalmente...

Lesões da mucosa bucal em idosos institucionalizados de Piracicaba

Jacks Jorge Junior
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em //1990 PT
Relevância na Pesquisa
66.75%
Nos últimos dez anos estudos na Europa, Escandinávia e América do Norte têm avaliado a saúde bucal e necessidades odontológicas em idosos, entretanto estas informações praticamente não existem no Brasil. O objetivo deste trabalho foi determinar a prevalência de lesões da mucosa bucal em idosos da instituição "Lar dos Velhinhos" da cidade de Piracicaba, Estado de São Paulo. Foram entrevistados e examinados 270 de um total de 350 idosos da instituição, sendo 50.4% femininos e 49.6% masculinos. 58,9% dos idosos apresentavam uma ou mais lesões da mucosa bucal, sendo as mais freqüentes a mucosite por prótese (20,0%) e as varizes sublinguais (11,5%) seguidas por hiperplasia fibrosa inflamatória (9,6%) e queilite angular (9, 3%) O sexo do interno, o modo de uso e a higiene da prótese foram fatores significativamente importantes na prevalência da mucosite por prótese, o que salienta a importância de campanhas de higienização e esclarecimento entre os internos para diminuição do número e gravidade da mais prevalente lesão bucal entre idosos. Lesões malignizáveis como leucoplasia (3,0%), queilite actinica (2,6%) e três casos de carcinoma espinocelular (1,1%) realçam a importância de exames regulares por profissional qualificado no diagnóstico de lesões bucais; During the last decade...

Avaliação da triangulação da anastomose término-terminal de fragmento de mucosa bucal na reconstrução uretral: estudo experimental no cão

Silva,Fernando Ferro da; Paulo,Neusa Margarida; Brito,George Alves de; Vaz,Karla Fernanda Guimarães; Freitas,José de Sousa; Porto,Simone Moraes; Rôlla,Adriana Braga Siqueira; Silva,Luciano Schneider da
Fonte: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Publicador: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2002 PT
Relevância na Pesquisa
66.77%
O uso da mucosa bucal para tratar a estenose uretral tem sido considerado um excelente método alternativo para substituir o tecido uretral. OBJETIVO: Investigar os resultados da realização da triangulação da anastomose término-terminal de fragmento de mucosa bucal na reconstrução uretral. MÉTODOS: Foram utilizados 12 cães entre 13 e 17 Kg, sem raça definida, aparentemente sadios. Após anestesia, introduziu-se sonda na uretra dos animais que foi mantida durante todo ato operatório. Inicialmente procedeu-se a ressecção de um fragmento de mucosa bucal do lábio superior e imerso em solução salina com cloranfenicol aquoso. A seguir procedeu-se a exposição da uretra peniana e ressecou-se um segmento de dois centrímetros. Foi realizada a triangulação da anastomose término-terminal do fragmento de mucosa bucal na reconstrução uretral. RESULTADOS: Após 60 dias observou-se a ocorrência de estenose em 25% dos animais. Foram observadas fístulas uretro-cutâneas e extravasamento de contraste no local das anastomoses. CONCLUSÃO: A triangulação da anastomose término-terminal de fragmento de mucosa bucal na reconstrução uretral não evita a ocorrência de estenose.

Uretroplastia de substituição com segmentos tubulares autólogos de mucosa bucal em cães

Paulo,Neusa Margarida; Rôlla,Adriana Braga Siqueira; Porto,Simone Moraes; Silva,Luciano Schneider da; Brito,George Alves de; Freitas,José de Sousa
Fonte: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Publicador: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2003 PT
Relevância na Pesquisa
66.67%
OBJETIVO: Avaliar a reconstrução de defeitos experimentais na uretra do cão com a implantação de segmentos tubulares de mucosa bucal autóloga. MÉTODOS: Procedeu-se à ressecção de cerca de 2 cm da uretra peniana de 20 cães. O defeito produzido foi corrigido por meio da anastomose de fragmento tubular de mucosa bucal autóloga, seccionado do lábio inferior. RESULTADOS: Entre os animais operados, 14 (70%) apresentaram jato urinário normal e seis (30%) evidenciaram estenose confirmada por meio de exame radiológico realizado aos 60 dias do pós-operatório. Durante a necrópsia verificou-se a integridade dos implantes no sulco uretral, associado a infiltrado inflamatório de neutrófilos, linfócitos piócitos e histiócitos. As análises histológicas revelaram que os fragmentos implantados estavam recobertos pelo epitélio uretral. CONCLUSÃO: A implantação de segmentos autólogos de mucosa bucal é adequada para a reconstrução de defeitos uretrais iatrogênicos no cão, embora possa resultar em estenose pós-operatória.

Reconstrução uretral com retalho autógeno de mucosa bucal após uretrostomia, em cães

Paulo,Neusa Margarida; Silva,Fernando Ferro da; Brito,George Alves de; Damasceno,Adilson Donizeti; Brito,Luiz Augusto Batista; Freitas,José de Souza; Neves,Patrícia Lorena; Akinaga,Maira Harumi; Barbosa,Lorena Magalhães; Vêncio,Cleizony Morais
Fonte: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia Publicador: Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2004 PT
Relevância na Pesquisa
66.73%
OBJETIVO: Verificar se fragmentos de mucosa bucal autógena poderiam ser adequados para reconstrução uretral na presença de tecido fibroso, e se tal procedimento poderia determinar a formação de fístulas e ou saculações nos sítios implantares. MÉTODOS: Sete cães adultos foram submetidos à uretrostomia pré-escrotal. Após 40 dias, a uretrostomia foi corrigida por meio da implantação de fragmentos de mucosa bucal na parede ventral da uretra. Os animais foram observados durante 40 dias, quando então, foram submetidos a exames radiográficos e sacrificados para estudo histológico. RESULTADOS: Todos os animais apresentaram cistite e fístulas uretro-cutâneas de duração média de vinte dias foram observadas em seis deles. O aspecto radiográfico aos 40 dias após a reconstrução uretral mostrou: continuidade luminal em sete animais e presença de saculações na parede ventral da uretra em seis, sem interferência na qualidade do jato urinário. As características histológicas indicam integração completa da mucosa bucal ao sítio receptor. CONCLUSÃO: O implante em retalho ventral, com fragmentos de mucosa bucal autógena é adequado para correção de defeito uretral produzido por uretrostomia no cão embora possa ocorrer a formação de saculações no sítio do selamento.

Lesões brancas da mucosa bucal

Reibnitz Júnior, Calvino; Ramos, Flávia Regina Souza; Freitas, Fernanda Lazzari; Rodrigues Filho, Rubens; Siqueira, Filipe Modolo; Grando, Liliane Janete
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.67%
Este objeto começa considerando que as lesões brancas da mucosa bucal são frequentes e representam manifestações clínicas de diversas doenças bucais e/ou sistêmicas diferentes. Segue mencionando que estão relacionadas principalmente ao depósito de substâncias sobre a mucosa ou aumento da espessura do epitélio de revestimento da mucosa bucal. Detalha que, clinicamente, podem ser classificadas em: lesões brancas que podem ser removidas por raspagem, aprofundando temas como língua saburrosa, candidíase bucal e queimaduras químicas/térmicas e úlceras traumáticas; e lesões brancas que não podem ser removidas por raspagem, aprimorando a explicação a respeito de hiperceratose friccional focal, estomatite nicotínica, candidíase crônica hiperplásica e leucoplasia. Segue abordando queilite actínica, considerada uma lesão pré-maligna. Conclui lembrando que existem diversas outras doenças bucais menos frequentes caracterizadas por lesões brancas removíveis ou não pela raspagem, que devem ser estudadas para elaborar de forma eficiente o exercício do diagnóstico. Unidade 5 do módulo 7 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.

Lesões que levam a alterações de volume da mucosa bucal

Reibnitz Júnior, Calvino; Ramos, Flávia Regina Souza; Freitas, Fernanda Lazzari; Rodrigues Filho, Rubens; Siqueira, Filipe Modolo; Grando, Liliane Janete
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Publicado em // PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.72%
O objeto começa abordando as lesões reativas da mucosa bucal, que produzem alteração de volume da mucosa e cessam o crescimento com a remoção do estímulo que desencadeou o processo. Lembra que estímulos físicos, químicos ou biológicos podem produzir uma lesão, dependendo da sua intensidade, do seu tempo de ação e da capacidade de reação individual de cada paciente. Faz uma apresentação sobre o tema, abordando hiperplasia fibrosa inflamatória, fibroma traumático ou de irrigação, granuloma piogênico, fibroma ossificante periférico e lesão periférica de células gigantes. Enfatiza que as lesões reativas da mucosa bucal normalmente são tratadas por meio da remoção cirúrgica. Entretanto, elas necessitam também que haja a remoção do fator etiológico para sua cura plena e para evitar sua recidiva. Finaliza detalhando as lesões neoplásicas da mucosa bucal, que produzem alteração de volume da mucosa por apresentarem crescimento descoordenado (aumentado) em comparação aos tecidos normais e persistirem crescendo mesmo após a cessação do estímulo que as produziu. Unidade 5 do módulo 7 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.

Prevalência das lesões de mucosa bucal e seu impacto na qualidade de vida relacionada à saúde bucal em crianças de cinco anos de idade; Prevalence of oral mucosal lesions and their impact on oral health related quality of life in children from a birth cohort

OLIVEIRA, Luisa Jardim Corrêa de
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Odontologia; Programa de Pós-Graduação em Odontologia; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Odontologia; Programa de Pós-Graduação em Odontologia; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.95%
Oral mucosal lesions are conditions that occur in soft tissues of the mouth, and are expressed by several clinical aspects. The literature has reported the need of considering the functional and psychosocial dimensions in regard to the oral health for the evaluation of dental interventions, such as the oral health related quality of life impact. In this context, the oral mucosal lesions can influence people's daily life due to pain and discomfort that they can cause. The aim of this study was to access the prevalence of oral mucosal lesions and their impact on Oral Health Related Quality of Life (OHRQoL) in children aged 5, from a birth cohort of Pelotas, Brazil. In 2009, a sample of 1,303 children born in Pelotas (2004 Cohort) was selected to participate in the study. Data were collected using a questionnaire applied to mothers and with clinical examinations of the children in their household. Oral mucosal lesions (OML) were identified by type, site and size. Early Childhood Oral Health Impact Scale (ECOHIS), consists of 13 questions, was used to assess caregivers perception on children OHRQoL. Descriptive analysis was performed in order to get the absolute and relative frequencies of the variables related to oral mucosal lesions. Bivariate analysis was performed to assess the association between the presence of OML and prevalence...

Alterações de mucosa bucal em crianças pré-escolares: prevalência e fatores determinantes.; Alterations in oral mucosa among preschool children: Prevalence and determinant factors

Andrade, Raquel Gonçalves Vieira de
Fonte: UFVJM Publicador: UFVJM
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.9%
ABSTRACT Narrow knowledge is available about the prevalence of alterations in the oral mucosa and associated factors among preschool children coming from urban or rural area. The aim of the present study was to determine the prevalence of abnormalities and lesions in the oral mucosa and associated factors among 541 healthy preschool children in urban and rural areas of the city of Diamantina, Minas Gerais, Brazil. A questionnaire administered to parents/guardians investigated socio-demographic variables, such as child’s place of residence (urban or rural area), mother's schooling and monthly household income as well as harmful habits such as bruxism (teeth grinding/clenching), sucking habits and chewing on objects. Oral examinations were performed to determine mucosa alterations, oral hygiene and dental caries. Descriptive analysis, Fisher’s Exact test, the Kruskal-Wallis, Mann-Whitney and chi-square tests and multivariate logistic regression were used for data analysis (p < 0.05). The prevalence of alterations in the oral mucosa was 49.5%. The most prevalent abnormalities were coated tongue (23.4%), melanotic macules (14.4%) and Fordyce granules (8.1%). The most prevalent lesions were oral ulcers (11.8%), angular cheilitis (3.0%) and fistula (1.3%). Preschool children aged three to five years had a greater chance of exhibiting coated tongue (OR: 2.55; 95% CI: 1.6-4.1)...

O reparo tecidual da mucosa bucal de ratos submetidos ao alcoolismo cronico experimental

Cibele dos Anjos Marcondes
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/03/2002 PT
Relevância na Pesquisa
66.7%
Segundo a Organização Mundial de Sáude (OMS), o alcoolismo é hoje um dos principais problemas de saúde pública mundial. É notório que o consumo crônico de álcool pode trazer danos irreversíveis ao organismo, principalmente às mucosas que soti-em sua ação direta, como a bucal e as do trato gastrintestinal. Observações clínicas de pacientes alcoólatras demonstram que eles apresentam atraso no processo de cicatrização e elevado índice de infecções pós-operatórias. Assim sendo, o objetivo do presente trabalho foi estudar o reparo de lesões produzidas cirurgicamente na mucosa bucal da bochecha de ratos submetidos ao alcoolismo crônico experimental. Quarenta ratos machos adultos da linhagem Wistar foram divididos em dois grupos. O grupo tratado recebeu dieta sólida, mais solução de etanol a 25%, e o grupo controle recebeu a mesma dieta, porém sem adição de etanol. A dieta foi mantida por 270 dias. As lesões foram feitas na mucosa da bochecha com um instrumento tipo "punch" e não foram suturadas. Cada grupo foi subdividido em 4 subgrupos sacrificados respectivamente com 24, 48, 72 e 240 horas pós-cirúrgicas. Amostras coletadas foram processadas histologicamente e coradas em H/E. Outras amostras foram divididas em duas partes...

Lesões brancas da mucosa bucal

Reibnitz Júnior, Calvino; Ramos, Flávia Regina Souza; Freitas, Fernanda Lazzari; Rodrigues Filho, Rubens; Siqueira, Filipe Modolo; Grando, Liliane Janete
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Unidade 5 do módulo 7 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família. Arquivo .zip contendo página html com recursos de texto, imagens e animações em flash.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.7%
Este objeto começa considerando que as lesões brancas da mucosa bucal são frequentes e representam manifestações clínicas de diversas doenças bucais e/ou sistêmicas diferentes. Segue mencionando que estão relacionadas principalmente ao depósito de substâncias sobre a mucosa ou aumento da espessura do epitélio de revestimento da mucosa bucal. Detalha que, clinicamente, podem ser classificadas em: lesões brancas que podem ser removidas por raspagem, aprofundando temas como língua saburrosa, candidíase bucal e queimaduras químicas/térmicas e úlceras traumáticas; e lesões brancas que não podem ser removidas por raspagem, aprimorando a explicação a respeito de hiperceratose friccional focal, estomatite nicotínica, candidíase crônica hiperplásica e leucoplasia. Segue abordando queilite actínica, considerada uma lesão pré-maligna. Conclui lembrando que existem diversas outras doenças bucais menos frequentes caracterizadas por lesões brancas removíveis ou não pela raspagem, que devem ser estudadas para elaborar de forma eficiente o exercício do diagnóstico. Unidade 5 do módulo 7 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.; 1.0; Ministério da Saúdes/OPAS/OMS

Lesões que levam a alterações de volume da mucosa bucal

Reibnitz Júnior, Calvino; Ramos, Flávia Regina Souza; Freitas, Fernanda Lazzari; Rodrigues Filho, Rubens; Siqueira, Filipe Modolo; Grando, Liliane Janete
Fonte: Universidade Aberta do SUS Publicador: Universidade Aberta do SUS
Formato: Unidade 5 do módulo 7 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família. Arquivo .zip contendo página html com recursos de texto, imagens e animações em flash.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.75%
O objeto começa abordando as lesões reativas da mucosa bucal, que produzem alteração de volume da mucosa e cessam o crescimento com a remoção do estímulo que desencadeou o processo. Lembra que estímulos físicos, químicos ou biológicos podem produzir uma lesão, dependendo da sua intensidade, do seu tempo de ação e da capacidade de reação individual de cada paciente. Faz uma apresentação sobre o tema, abordando hiperplasia fibrosa inflamatória, fibroma traumático ou de irrigação, granuloma piogênico, fibroma ossificante periférico e lesão periférica de células gigantes. Enfatiza que as lesões reativas da mucosa bucal normalmente são tratadas por meio da remoção cirúrgica. Entretanto, elas necessitam também que haja a remoção do fator etiológico para sua cura plena e para evitar sua recidiva. Finaliza detalhando as lesões neoplásicas da mucosa bucal, que produzem alteração de volume da mucosa por apresentarem crescimento descoordenado (aumentado) em comparação aos tecidos normais e persistirem crescendo mesmo após a cessação do estímulo que as produziu. Unidade 5 do módulo 7 que compõe o Curso de Especialização em Saúde da Família.; 1.0; Ministério da Saúdes/OPAS/OMS

AVALIAÇÃO CITOMORFOMÉTRICA DA MUCOSA BUCAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM ANEMIA FALCIFORME

Vettorello RECH, Itauana Aliete; UFPR; Naval MACHADO, Maria Ângela; UFPR
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 06/05/2012 POR
Relevância na Pesquisa
66.67%
A Anemia Falciforme (AF) é uma doença hereditária onde ocorre deformação das hemácias que se tornam com formato de foice, afetando a estrutura e síntese das hemoglobinas e o transporte de oxigênio. Este estudo analisou nos esfregaços bucais de indivíduos com AF se ocorrem variações morfométricas na área do núcleo (AN), do citoplasma (AC), e da relação núcleo/citoplasma (AN/AC) das células da mucosa bucal. Quarenta esfregaços da mucosa jugal de 20 crianças com AF e de 20 crianças saudáveis (controle = CT), pareadas em sexo e idade, com idade entre 1 a 13 anos foram coletados e processados pelo método da citologia esfoliativa em base-líquida. Imagens de 50 células por lâmina foram capturadas e as variáveis AN, AC e AN/AC mensuradas usando um sistema de análise de imagens. Os dados foram tabulados e o teste t Student (p<0,05) foi aplicado para as variáveis AN e AC e para AN/AC foi aplicado o Teste não-paramétrico U de Mann-Whitney (p<0,05) para comparar as médias dos grupos AF e CT. Houve aumento significante em relação a AN entre AF e CT. Este estudo demonstrou que ocorreram alterações morfométricas na área do núcleo das células epiteliais da mucosa bucal de pacientes com AF.

Candidiasis de la mucosa bucal: Revisión bibliográfica

Rodríguez Ortega,Judy; Miranda Tarragó,Josefa; Morejón Lugones,Haydée; Santana Garay,Julio C
Fonte: Revista Cubana de Estomatología Publicador: Revista Cubana de Estomatología
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2002 ES
Relevância na Pesquisa
66.67%
Se presenta una revisión de la literatura actualizada de una de las enfermedades más frecuentes de la mucosa bucal y la afección micótica más común en esta localización: la candidiasis de la mucosa bucal. Se detallan los factores predisponentes generales y locales que favorecen la aparición de esta alteración patológica como son los tratamientos prolongados con antibióticos, la diabetes, la anemia, la radioterapia y quimioterapia antineoplásicas, las drogas inmunosupresoras y el SIDA, entre otros. Se exponen las diferentes clasificaciones clínicas, según el criterio de distintos autores y el cuadro clínico de la enfermedad. Finalmente se presentan alternativas terapéuticas tanto en el campo de la medicina convencional como en el de la medicina tradicional y natural.

Rehabilitaciones protésicas y su calidad como factor de riesgo en la aparición de lesiones en la mucosa bucal

Lemus Cruz,Leticia María; Triana,Katy; Del Valle Selenenko,Oksana; Fuertes Rufín,Liscary; Sáez Carriera,Rolando
Fonte: Revista Cubana de Estomatología Publicador: Revista Cubana de Estomatología
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2009 ES
Relevância na Pesquisa
66.67%
Las lesiones en la mucosa bucal constituyen un problema importante de salud. Existen diferentes factores de riesgo que favorecen su aparición, por ejemplo, la calidad de las prótesis. Se realizó un estudio observacional, analítico, longitudinal, retrospectivo, de casos y controles entre septiembre del 2006 y enero del 2008 en la Facultad de Estomatología de La Habana, con el objetivo de identificar la calidad de la prótesis como factor de riesgo en la aparición de lesiones en la mucosa bucal. Se evidenció que en el grupo de casos, el 77,4 % eran portadores de prótesis de mala calidad, y el 85,8 % de los controles eran portadores de prótesis de buena calidad. Se concluyó que la calidad de la prótesis constituyó un factor de riesgo en la aparición de lesiones de la mucosa bucal. Las lesiones bucales más frecuentes asociadas con el uso de la prótesis estomatológica fueron la estomatitis subprótesis y queilitis comisural.

Cambios histopatológicos de la mucosa bucal de ratas expuestas al humo de cigarrillos

Flete Estrada,A.; Cáribas,A.; Payares,G.; Villarroel-Dorrego,M.
Fonte: Avances en Odontoestomatología Publicador: Avances en Odontoestomatología
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/08/2014 SPA
Relevância na Pesquisa
66.66%
Introducción: El propósito de esta investigación fue evaluar el efecto del humo del tabaco en la mucosa bucal "in vivo" usando un modelo animal. Materiales y métodos: La población de estudio estuvo constituida por 20 ratas hembras Sprague Dawley, 10 expuestas al humo de 10 cigarrillos diarios por 16 semanas (GEC) y un grupo control no expuesto (GC). Las ratas fueron sacrificadas y se extrajo la lengua para su estudio histopatológico. Variables categóricas fueron comparadas mediante la prueba U de Mann-Whitney. Valores p<0,05 fueron considerados estadísticamente significativos. Resultados: La mucosa lingual del GEC mostró mayores cambios epiteliales proliferativos que el GC, como hiperplasia basal (p= 0,001), acantosis (p= 0,0001), hipercromatismo y picnosis nuclear (p= 0,010 y 0,014 respectivamente), y displasia epitelial (p= 0,0001). En el corion de la mucosa del GEC se observó un incremento del infiltrado inflamatorio crónico (p= 0,007); y aunque no hubo aumento en el número de vasos sanguíneos en el GEC, es importante resaltar que la ubicación de los mismos fue muy próxima al epitelio de revestimiento expuesto al tabaco. Discusión: El presente estudio, usando un modelo animal, demuestra que el humo del tabaco induce cambios precoces en la arquitectura tisular y morfología de células epiteliales de la mucosa bucal de aspecto macroscópicamente sano.