Página 1 dos resultados de 17 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Diversidade da assembléia de morcegos (Quiropteros, Mammalia) em fragmentos de cerrado, no Parque Estadual de Vassununga e Estação Ecológica de Jataí, SP; Diversity of the bat assembly (Chiropters, Mammalia) of two cerrado fragments, Vassununga State Park and Jataí Ecological Station. (São Paulo, Brasil).

Melo, Vivian Angelica Pinzon
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/08/2013 PT
Relevância na Pesquisa
26.58%
A resposta da fauna à fragmentação e perda de hábitat pode variar amplamente segundo os requerimentos ecológicos, a configuração da paisagem, a conectividade e as pressões antrópicas. Os morcegos são bons candidatos para trabalhar os efeitos da fragmentação na fauna mas, mesmo assim, existem poucos estudos a respeito da diversidade dos morcegos frugívoros e sua dieta em áreas de cerrado do estado de São Paulo e nas demais áreas de cerrado do país, tendo em conta que este bioma vem sofrendo processos de mudança muito rápidos nas últimas décadas. Assim, vimos a importância de incorporar este grupo de fauna nos estudos que tem sido desenvolvidos na região. Durante 48 dias de coleta ao longo de um ano (2012), procurou-se inventariar a quiropterofauna de dois fragmentos de Cerrado correspondentes à Estação Ecológica de Jataí e ao Cerrado Pé-do-Gigante, nos municípios de Luiz Antônio e Santa Rita do Passa Quatro, localizados ao noroeste do Estado de São Paulo, sendo amostradas fisionomias diferentes: cerradão, cerrado sensu stricto, cerrado adensado e cerrado em estado de regeneração. Foram realizadas duas coletas mensais, de 4 horas cada, iniciadas após o pôr do sol, totalizando 24 amostragens em cada unidade de conservação. Os morcegos foram coletados com redes de neblina situadas a 50 cm do solo...

Caracterização antigênica e molecular de isolados e desenvolvimento de testes sorológicos para detecção de anticorpos contra o vírus da raiva

Batista, Helena Beatriz de Carvalho Ruthner
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
26.85%
Esta tese compreende estudos sobre diagnóstico, caracterização antigênica e molecular de amostras do vírus da raiva e sobre o desenvolvimento de testes sorológicos para detecção de anticorpos contra o vírus rábico. O primeiro capítulo descreve dois casos de raiva no Estado do Rio Grande do Sul (RS). O primeiro trabalho do primeiro capítulo descreve a ocorrência de raiva em um canino no município de Tapes, leste do RS. Após a confirmação do diagnóstico, a amostra de vírus isolada foi submetida à caracterização antigênica e molecular. Tal amostra apresentava características compatíveis com amostras de vírus rábico isoladas de morcegos insetívoros Tadarida brasiliensis. Portanto, o primeiro caso de raiva canina no RS após 19 anos, ocorreu devido a um contato incidental entre um morcego não hematófago e o canino infectado. Assim, o status de região livre de raiva urbana pode ser mantido no Estado. O segundo trabalho do primeiro capítulo descreve a primeira ocorrência no RS de raiva em morcegos frugívoros da espécie Artibeus lituratus. Neste caso, a amostra isolada apresentou características de amostras isoladas de morcegos hematófagos Desmodus rotundus. A identificação de vírus rábico em um morcego frugívoro...

Primeiro caso de raiva em morcego frugívoro no estado do Rio Grande do Sul

Lindenau, Juliana Dal-Ri; Batista, Helena Beatriz de Carvalho Ruthner; Junqueira, Dennis Maletich; Rosa, Julio Cesar de Almeida; Ferreira, José Carlos; Schaefer, Rejane; Franco, Ana Claudia
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
26.58%

Levantamento da fauna de morcegos (Mammalia, Chiroptera) e ocorrência de vírus rábico na Região de Araçatuba - São Paulo, Brasil

Carvalho, Cristiano de
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 63 f. : il. + 1 CD-ROM
POR
Relevância na Pesquisa
26.58%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Ciência Animal - FMVA; A riqueza de espécies da fauna de morcegos e a ocorrência de vírus rábico foram avaliadas em área urbana (municípios da região de Araçatuba) e florestal (fragmento localizado no município de Valparaíso-SP), ambos localizados na região noroeste do Estado de São Paulo. Os morcegos da área urbana foram recebidos diretamente no laboratório de diagnóstico de raiva da UNESP - Campus de Araçatuba no período de 2006 a 2007. Morcegos da área florestal foram capturados mensalmente, no período de um ano de coletas em 2007, resultando em uma baixa diversidade de espécies. As amostras das duas áreas foram submetidas ao exame de diagnóstico de raiva, por meio das técnicas de imunofluorescência direta (IDF) e inoculação intracerebral em camundongos. Foram analisados 968 morcegos pertencentes a quatro famílias, Phyllostomidae, Noctilionidae, Molossidae e Vespertilionidae. Os morcegos observados em ambas as áreas no período de 2007 resultaram em uma similaridade na composição das espécies representada pela família Phyllostomidae. Morcegos da família Molossidae foram registrados na sua maioria em áreas urbanas...

Resposta fenotípica integrada do morcego frugívoro Artibeus lituratus (Chiroptera, phyllostomidae) frente à redução da qualidade da dieta

Otani, Lye
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: iv, 127 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
36.85%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Ciências Biológicas (Zoologia) - IBRC; Apesar das inúmeras vantagens da endotermia, os animais endotérmicos necessitam do constante aporte de energia. As variações na qualidade da dieta são tidas como um dos principais agentes seletivos envolvidos na evolução de padrões comportamentais, morfológicos e fisiológicos de endotérmicos. O presente trabalho procurou analisar os mecanismos ingestórios e digestórios utilizados por Artibeus lituratus quando deparado com a queda na qualidade da dieta, e seus efeitos sobre o metabolismo basal (TMB) e a capacidade termogênica (CT). Após 7, 30 e 90 dias de aclimatação a dietas artificiais com diferentes teores de fibras, foram quantificadas a eficiência digestória, a TMB, a CT, a condição corpórea e massa dos órgãos viscerais. A. lituratus sob dieta de baixa qualidade apresentaram maiores digestibilidade de matéria seca e energia, com um maior aporte de energia metabolizável ingerida. No entanto, nenhuma alteração foi observada nos órgãos viscerais, com exceção dos rins. A hipertrofia desse órgão pode ter sido conseqüência da maior ingestão de proteínas. A ausência de flexibilidade fenotípica na massa dos órgãos pode ser devida a uma combinação de fatores...

Especialização individual no uso do espaço em morcegos frugívoros; Individual specialization in the use of space by frugivorous bats

Patrícia Kerches Rogeri
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2011 PT
Relevância na Pesquisa
36.85%
Estudos recentes têm sugerido especialização individual no uso de diferentes recursos por populações de animais. Em paisagens heterogêneas, é provável que ocorra também especialização individual no uso do espaço. Para testar essa hipótese, estudei uma população do morcego frugívoro Sturnira lilium (Chiroptera: Phyllostomidae) em uma área de cerrado no sudeste do Brasil. Testei também a previsão de que o uso das áreas pelos morcegos deve estar relacionado com a diferenças na distribuição espacial das principais plantas-alimento na área. Monitorei por radiotelemetria 13 indivíduos de S. lilium de junho a agosto de 2009 e de junho a agosto de 2010. Para medir a variação interindividual no uso do espaço, usei uma metodologia baseada em redes complexas. Com uma imagem de satélite de alta resolução da área de estudo, determinei 13 subáreas de acordo com o tipo predominante de habitat. Nessas subáreas, estimei a densidade das principais plantas-alimento de S. lilium e contei o número de pontos de atividade estimados para cada indivíduo. As áreas de uso totais estimadas variaram de 4 a 457 ha (110 ± 126,8). Observei grande variação interindividual no uso de áreas nucleares de forrageio (E = 0,80; P < 0...

Sensibilidade à insulina e à glicose, secreção de insulina e distribuição de células ß no pâncreas endócrino do morcego frugívoro Artibeus lituratus

Protzek, André Otavio Peres
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
47.48%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Medicina, 2010.; O morcego frugívoro Artibeus lituratus absorve grandes quantidades de glicose em curtos períodos de tempo, além de mantém a normoglicemia, mesmo após prolongado período de jejum. Com base nesses dados, nosso objetivo foi investigar diversos aspectos relacionados à homeostase da glicose: concentrações plasmáticas de glicose e insulina; teste intraperitoneal de tolerância à glicose e à insulina (ipGTT e ipITT), secreção de insulina em fragmentos de pâncreas estimulados por glicose (2,8, 5,6 ou 8,3 mM), distribuição das células β nas ilhotas pancreáticas, e conteúdo e atividade da pAkt/Akt no músculo peitoral e fígado do morcego frugívoro Artibeus lituratus. A glicose plasmática de morcegos alimentados foi superior a de morcegos jejuados, enquanto que os níveis de insulina foram semelhantes em ambas às condições. Os valores da área sob curva obtida a partir do ipGTT foram significativamente mais elevados quando os morcegos receberam 2 ou 3g/ kg m.c. de glicose em comparação com o controle (salina). Estes morcegos também apresentaram um decréscimo significativo dos valores de glicose no sangue após a administração de insulina durante o ipITT. A secreção de insulina a partir de fragmentos de pâncreas estimulados por concentrações fisiológicas de glicose (5...

Riqueza de espécies de morcegos no Pantanal e no planalto em seu entorno; Bat-species richness in the Pantanal floodplain and its surrounding uplands

Alho, Cleber José Rodrigues; Fisher, E.; Oliveira, L. F.; Santos, C. F.
Fonte: Instituto Internacional de Ecologia Publicador: Instituto Internacional de Ecologia
Tipo: Artigo de Revista Científica
ENG
Relevância na Pesquisa
26.85%
Estudamos a fauna de morcegos na planície do Pantanal e nos planaltos de entorno no Mato Grosso do Sul, Brasil, com base na coleção científica da Universidade Anhanguera – Uniderp e no banco de dados do Projeto Morcegos do Pantanal, UFMS, incluindo 9.037 capturas de 56 espécies, entre 1994 e 2007. Amostragens no Pantanal foram feitas nas sub-regiões da Nhecolândia, Aquidauana, Miranda e Paraguai; no planalto as amostragens foram realizadas nas formações de Maracaju, Bodoquena e Urucum. Espécies de morcegos foram registradas ao longo de 376 noites em 35 sítios, predominantemente com o uso de redes de neblina próximas a árvores frutíferas, abrigos e florestas. Na planície, foram registradas 46 espécies (n = 6.292 indivíduos) e no planalto 44 espécies (n = 2.745 indivíduos). Seis famílias foram encontradas: Phyllostomidae (30 espécies), Molossidae (12 espécies), Verpertilionidae (nove espécies), Noctilionidae (duas espécies), Emballorunidae (duas espécies) e Mormoopidae (uma espécie). A fauna de morcegos foi predominantemente composta de espécies insetívoras (32) e frugívoras (15). O frugívoro Artibeus planirostris (n = 3.101) foi a espécie mais comum na planície e no planalto. Outras espécies comuns foram Myotis nigricans (n = 762)...

Avaliação da percepção de cores do morcego frugívoro Artibeus lituratus (Olfers, 1818) (Chiroptera: Phyllostomidae)

Gutierrez, Eduardo de Almeida
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
57.31%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, 2013.; Estudos eletrofisiológicos, moleculares e morfológicos realizados recentemente sugerem que morcegos possuem capacidade para percepção de cores, devido à presença de duas classes de células do tipo cone em sua retina. Todavia, essa característica não foi corroborada por experimentos comportamentais anteriores. Considerando que o processo de percepção envolve não apenas a retina, mas também regiões corticais, testes comportamentais são fundamentais para a investigação da visão de cores. Assim, esse estudo teve como objetivo investigar a percepção de cores do morcego frugívoro Artibeus lituratus (Olfers, 1818) (Chiroptera: Phyllostomidae) por meio de testes comportamentais envolvendo a detecção de alimentos. O desempenho de cinco indivíduos dessa espécie foi avaliado em uma tarefa envolvendo a discriminação de alvos comestíveis coloridos dispostos sobre um fundo emborrachado complexo, sob intensidades luminosas semelhantes às encontradas no crepúsculo (18 lx) e na lua cheia (2 lx) em ambiente natural. Testes no escuro (0 lx) foram realizados com o objetivo de avaliar o uso de outras modalidades sensoriais na detecção dos alvos na ausência de pistas visuais. De acordo com os resultados obtidos...

Isolamento do vírus da raiva em Artibeus fimbriatus no Estado de São Paulo

Cunha,Elenice M Sequetin; Lara,Maria do Carmo C S H; Nassar,Alessandra Figueiredo de Castro; Sodré,Miriam M; Amaral,Luis Flávio Vani
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
26.58%
Descrevem-se, pela primeira vez, o isolamento e a identificação do vírus da raiva em morcego frugívoro Artibeus fimbriatus no município de São José do Rio Preto, Estado de São Paulo. O vírus foi isolado de exemplar encontrado em área urbana, caído sob uma árvore e ainda vivo. O diagnóstico foi realizado pelas técnicas de imunofluorescência direta e inoculação intracerebral em camundongos.

Vírus rábico isolado de morcego frugívoro (Artibeus lituratus), capturado em 1997 no município de Rio Claro, SP

PASSOS,Estevão de Camargo; CARRIERI,Maria Luíza; SILVA,Miriam Martos Sodré; PEREIRA Jr.,Ronaldo Gomes; MELO,João Alfredo Torres Silva; MAULE,Laerte José
Fonte: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia / Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia / Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/1999 PT
Relevância na Pesquisa
47.48%
O vírus rábico foi isolado de morcego frugívoro Artibeus lituratus, capturado no município de Rio Claro, SP, em bairro residencial, em 1997. Neste município, o último caso de raiva animal ocorreu em 1986, sendo este o primeiro relato do isolamento em morcego frugívoro. As implicações em Saúde Pública foram discutidas.

Secreção de néctar e atividade de morcegos em Hymenaea stigonocarpa (Leguminosae-Caesalpinioideae) no Pantanal da Nhecolândia e remanescente urbano de cerrado, Mato Grosso do Sul

Oliveira, Raquel de
Fonte: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Publicador: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
26.58%
Este estudo teve como objetivos registrar a biologia floral e descrever os atributos florais relacionados à síndrome de quiropterofilia de Hymenaea stigonocarpa bem como descrever as variações na taxa de secreção e na concentração de solutos do néctar nas flores dessa espécie ao longo da noite. Além disso, verificar o efeito do diâmetro do disco nectarífero e do peso seco das flores sobre a secreção de néctar. As espécies de morcegos capturadas diante das flores de H. stigonocarpa ao longo da noite foram registradas e o efeito do número de flores abertas por planta sobre a freqüência de capturas de morcegos ao longo da noite foi testado. O estudo foi desenvolvido durante a estação chuvosa, no período de floração de Hymenaea stigonocarpa no Pantanal da Nhecolândia e em um remanescente urbano de cerrado. Foram tomadas medidas de concentração de solutos e volume do néctar, tamanho da flor, estimado através do diâmetro do disco nectarífero e do peso seco das flores, e quantidade de flores abertas na noite. As espécies de morcegos visitantes foram capturadas por meio de redes de captura (mist nets) armadas por volta das 1800 h e retiradas as 0500 h, totalizando 540 horas-rede na fazenda Rio Negro e 160 horas-rede no cerrado. A produção de néctar foi maior no início da noite diminuindo ao longo da noite...

Diversidade e frugivoria por morcegos em um remanescente de floresta semidecidual de Uberlândia, MG; Diversity and frugivory by bats in a semidecidual forest remnant from Uberlândia, MG

Pires, Luís Paulo
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
36.99%
Em ambientes tropicais, os morcegos podem representar mais de 50% da composição da comunidade de mamíferos. A importância destes animais, entretanto, vai muito além da sua grande contribuição para a biodiversidade. Eles apresentam também alta diversidade em suas funções ecológicas: são vetores de doenças de importância médica-veterinária, reduzem danos na agricultura, realizam a polinização de muitas espécies de plantas e dispersam as sementes de tantas outras. Assim, os morcegos são excelentes modelos de estudos de aspectos ecológicos teóricos e práticos, e os resultados destes estudos podem ser fundamentais para a conservação do meio ambiente, para a agricultura e a saúde pública e veterinária. Embora algumas espécies de morcegos sejam comuns em áreas urbanas, pouco se sabe a respeito da organização das comunidades de quirópteros nestes ambientes e como o processo de urbanização e redução do habitat afetam a estrutura e composição destas comunidades. Neste sentido, o primeiro capítulo desta dissertação traz informações sobre a organização de uma comunidade de morcegos em um parque urbano da cidade de Uberlândia, MG, tentando evidenciar padrões que possam ser importantes para a conservação dos morcegos nestas áreas. Com relação às interações mutualísticas entre morcegos frugívoros e plantas...

Estrutura de comunidade, reprodução e distribuição temporal das capturas de morcegos (Mammalia, Chiroptera) em relictos de floresta estacional decidual no sul do Brasil

Bernardi, Itiberê Piaia
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
26.58%
Resumo: Morcegos despertam o interesse de cientistas por uma série de fatores, dentre os quais se destacam o grande número de espécies, a complexa estruturação de suas comunidades, o mais amplo espectro alimentar dentre os mamíferos, a capacidade de ocupar os mais diferentes habitats, os serviços ecológicos prestados como a polinização, a dispersão de sementes e o controle das populações de insetos e por geralmente figurarem como o grupo mais abundante nas comunidades de mamíferos. A despeito disso, as informações disponíveis para a grande maioria das espécies neotropicais são extremamente escassas. Os objetivos do presente estudo foram (1) verificar como estão estruturadas as comunidades de morcegos em fragmentos de Floresta Estacional Decidual (2) conhecer os padrões reprodutivos e a distribuição horária e mensal das capturas das espécies mais abundantes, e (3) testar a influência de fatores ambientais sobre a atividade reprodutiva e sobre a distribuição das capturas destas espécies. De outubro de 2005 a setembro de 2006, três áreas receberam uma noite completa de amostragem por mês (do pôr ao nascer do sol), totalizando 36 noites de trabalhos de campo. As áreas de estudo estão localizadas no município de Frederico Westphalen...

Vírus rábico isolado de morcego frugívoro (Artibeus lituratus), capturado em 1997 no município de Rio Claro, SP; Rabies virus isolated from a frugivorous bat (Artibeus lituratus), captured in 1997, in Rio Claro, São Paulo, Brazil

Passos, Estevão de Camargo; Carrieri, Maria Luíza; Silva, Miriam Martos Sodré; Pereira Jr., Ronaldo Gomes; Melo, JoãoAlfredo Torres Silva; Maule, Laerte José
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/01/1999 POR
Relevância na Pesquisa
47.48%
O vírus rábico foi isolado de morcego frugívoro Artibeus lituratus, capturado no município de Rio Claro, SP, em bairro residencial, em 1997. Neste município, o último caso de raiva animal ocorreu em 1986, sendo este o primeiro relato do isolamento em morcego frugívoro. As implicações em Saúde Pública foram discutidas.; Rabies virus was isolated from a frugivorous bat, Artibeus lituratus, captured in downtown Rio Claro, SP, Brazil, in 1997. There was not any animal rabies since 1986, and this is the first isolation of rabies virus in a frugivorous bat in Rio Claro. Implications of Public Health were discussed.

Isolamento do vírus da raiva em Artibeus fimbriatus no Estado de São Paulo; Isolation of rabies virus in Artibeus fimbriatus bat in the State of Sao Paulo, Brazil

Cunha, Elenice M Sequetin; Lara, Maria do Carmo C S H; Nassar, Alessandra Figueiredo de Castro; Sodré, Miriam M; Amaral, Luis Flávio Vani
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2005 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
26.58%
Descrevem-se, pela primeira vez, o isolamento e a identificação do vírus da raiva em morcego frugívoro Artibeus fimbriatus no município de São José do Rio Preto, Estado de São Paulo. O vírus foi isolado de exemplar encontrado em área urbana, caído sob uma árvore e ainda vivo. O diagnóstico foi realizado pelas técnicas de imunofluorescência direta e inoculação intracerebral em camundongos.; This is the first report of the isolation and identification of the rabies virus in the frugivorous bat Artibeus fimbriatus in the city of Sao José do Rio Preto, Sao Paulo State, Brazil. The virus was isolated from an animal found in an urban area. The animal was found on the ground under a tree, still alive. Diagnosis was made by direct immunofluorescence and intracerebral inoculation of mice.

Isolamento do vírus da raiva em Artibeus fimbriatus no Estado de São Paulo

Cunha,Elenice M Sequetin; Lara,Maria do Carmo C S H; Nassar,Alessandra Figueiredo de Castro; Sodré,Miriam M; Amaral,Luis Flávio Vani
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2005 PT
Relevância na Pesquisa
26.58%
Descrevem-se, pela primeira vez, o isolamento e a identificação do vírus da raiva em morcego frugívoro Artibeus fimbriatus no município de São José do Rio Preto, Estado de São Paulo. O vírus foi isolado de exemplar encontrado em área urbana, caído sob uma árvore e ainda vivo. O diagnóstico foi realizado pelas técnicas de imunofluorescência direta e inoculação intracerebral em camundongos.