Página 1 dos resultados de 6134 itens digitais encontrados em 0.006 segundos

Protestantismo e modernidade no Brasil; Protestantism and modernity in Brazil.

Ferreira, Valdinei Aparecido
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/03/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.06%
Esta tese tem por tema as relações entre protestantismo e modernidade no Brasil. O objetivo primordial é a compreensão das transformações nas relações entre o protestantismo e a modernidade no Brasil. Para alcançar o objetivo, utilizamos, no exame do tema, a sociologia compreensiva de matriz weberiana. A investigação sociológica, que reservou lugar de destaque para o protestantismo na emergência da modernidade ocidental, passou, de um lado, a interessar-se pela compreensão e explicação do declínio da religião protestante na sociedade moderna e, de outro, se as religiões pentecostais na América Latina mantinham ainda afinidades com o protestantismo e com a modernidade. O protestantismo valeu-se, para sua inserção no Brasil, a partir de meados do século XIX, de sua afinidade com a modernidade representada pelos Estados Unidos. Todavia, o significado da modernidade para o protestantismo foi sendo alterado ao longo do século XX. A primeira transformação nas relações entre protestantismo e modernidade no Brasil ocorreu quando a identificação com a herança moderna norte-americana passou do questionamento, nas primeiras décadas do século XX, à rejeição completa, na década de sessenta, por setores enraizados no liberalismo teológico. A segunda transformação nas relações do protestantismo com a modernidade no Brasil é encontrada na introdução da reflexividade no campo do conhecimento teológico. No esforço de apresentar-se como religião moderna...

Comunicação e sociedade : modernidade e pós-modernidade [18, 2010]

Universidade do Minho. Instituto de Ciências Sociais. Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade
Fonte: CECS - Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, Universidade do Minho Publicador: CECS - Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, Universidade do Minho
Tipo: Outros
Publicado em /12/2010 ENG
Relevância na Pesquisa
37.16%
Opostos e complementares, os conceitos de modernidade e de pós-modernidade sobressaem na caracterização dos últimos séculos. O conceito de pós-modernidade dado, por sinal, azo a interpretações plurais, contraditórias e, por vezes, esfíngicas das sociedades contemporâneas. Para muitos autores, a pós-modernidade rompe com os desígnios e os símbolos da modernidade, mormente com o seu princípio de acção, a racionalidade instrumental, tomada como motor de um progresso ilimitado. Alguns dos traços típicos da pós-modernidade remetem, assim, para uma contestação dos princípios fundadores da modernidade: a fé na razão, nas virtudes do trabalho e no aperfeiçoamento ilimitado da humanidade. O declínio das metanarrativas, dos discursos filosóficos, religiosos, políticos e económicos que pautaram a modernidade, acompanha a erosão do princípio de emancipação (Lyotard). Dilui-se a perspectiva de uma história linear e redentora. O mesmo sucede com a crença na possibilidade de uma fundamentação da verdade (Vattimo) e com a tendência para delinear o projecto colectivo em termos de transformação social (Jameson, Sloterdijk). Assiste-se ao declínio da visão do indivíduo como ser autónomo, voluntário e consciente...

A racionalização das tradições na modernidade: o diálogo entre Anthony Giddens e Jürgen Habermas

Luvizotto,Caroline Kraus
Fonte: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
36.96%
Partindo das reflexões de Habermas e sua concepção de modernidade, compreendida como um projeto inacabado, Giddens salienta que, em todas as sociedades, a manutenção da identidade pessoal e sua conexão com identidades sociais mais amplas é um requisito primordial para a segurança ontológica. Para alcançar a segurança ontológica, a modernidade teve que (re)inventar tradições e se afastar de "tradições genuínas", isto é, aqueles valores radicalmente vinculados ao passado pré-moderno. Este é um caráter de descontinuidade da modernidade - a separação entre o que se apresenta como o novo e o que persiste como herança do velho. É sobre a relação entre tradição e modernidade e sobre um diálogo entre Giddens e Habermas que trata este texto. O objetivo é identificar os pontos de contato e as diferenças das teses defendidas por ambos, a fim de avaliar as contribuições de cada um para se pensar a racionalização das sociedades contemporâneas. A modernidade tardia ou reflexiva é um processo de mudanças ininterruptas que afetam as bases da sociedade ocidental. Frente a uma realidade em constante alteração, faz-se necessário escolher entre uma certeza do passado e uma nova realidade, em contínua mutação. Nesse sentido...

A modernidade técnica

Brüseke,Franz Josef
Fonte: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS Publicador: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2002 PT
Relevância na Pesquisa
36.99%
O fato de que a modernidade, como época histórica, nasce com a ciência e técnica moderna, mostra hoje toda sua virulência. Podemos até dizer que essa modernidade é tão penetrada pela "técnica" que ela pode ser denominada e caracterizada como "modernidade técnica". Propomos este conceito para evidenciar sua essência e falamos sobre a emergência desta modernidade para evocar, por um lado, seu advento processual e histórico e, por outro, seu alto grau de instabilidade e imprevisibilidade. A técnica contribui, em função de seu caráter contingente, para uma destituição da predominância da racionalidade de fins, tão característica da fase histórica na qual surgiu o capitalismo, por uma racionalidade contingente. Essa racionalidade desoculta científica e tecnicamente o Ser, sem dispor de um fim que daria direção ou identificaria limites. Sem direção e limites a modernidade técnica desenvolve-se racionalmente, sem que haja uma proteção contra oscilações irracionalizantes que castigam cada vez mais seu percurso. Apresentamos o nacional-socialismo alemão, o comunismo russo e a democracia americana como três tipos ideais da modernidade técnica. Um olhar comparativo na direção da tríade modernizante do século XX demonstra tanto a indiferença valorativa da modernidade técnica...

Modernidade/pós-modernidade: tensões e repercussões na produção de conhecimento em educação

Gallo,Sílvio
Fonte: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 PT
Relevância na Pesquisa
36.99%
Discutem-se nesse artigo as repercussões que o debate em torno de uma superação da modernidade e a suposta instauração de uma pós-modernidade traz para a Educação como campo de conhecimento, mais especialmente para a pesquisa nesse campo. Discute-se criticamente a tese de que viveríamos na pós-modernidade, dando ênfase a essa afirmação no âmbito do pensamento social, principalmente por compreender-se que essa expressão não tem a força e a intensidade de um conceito filosófico, acabando vazia de sentido. Ressalta-se que um de seus primeiros usos no campo da filosofia, por Lyotard, deu-se como um adjetivo e não como um substantivo, o que faz significativa diferença. Para além do debate sobre o fim ou não da modernidade, opta-se pela noção de hipermodernidade, proposta por Lipovetsky, como forma de caracterização do mundo contemporâneo, buscando compreender suas implicações. Por outro lado, o autor reconhece as importantes contribuições da tese que afirma a pós-modernidade, principalmente em seus aspectos epistemológicos e políticos, na medida em que desloca o foco de análise. Caracteriza o presente debate como a tensão entre duas imagens do pensamento que não são absolutamente novas, mas que ganham especial destaque na contemporaneidade...

Desencantamento da modernidade e da pós-modernidade: diferenciação, fragmentação e a matriz de entrelaçamento

Shinn,Terry
Fonte: Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia Publicador: Universidade de São Paulo, Departamento de Filosofia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2008 PT
Relevância na Pesquisa
37.08%
Em muitos setores significativos, mudou apreciavelmente o tom e a substância do discurso sociológico sobre o passado, o presente e o futuro da cultura em geral, sobre as instituições, o conteúdo das aspirações e relações individuais, e também sobre a matéria e a organização da ciência, da tecnologia e da epistemologia. O discurso da sociedade pós-moderna e, correspondentemente, os fenômenos de suporte intelectual e social oferecem algum crédito para os argumentos de que o mundo de hoje e os prospectos de amanhã estão em contraste radical, e mesmo em assimetria, com o mundo dos últimos dois séculos e meio. O propósito deste artigo é triplo. Primeiro, é necessário identificar os domínios específicos nos quais as alegações pós-modernas diferem das noções dominantes da representação moderna da sociedade e da ciência. Quais são as maneiras pelas quais a pós-modernidade forja conceitos substitutos e repudia conceitos da modernidade ou, de modo alternativo, até que grau procura-se construí-los em vista das recentes mudanças cognitivas, tecnológicas e sociais, mesmo se situando, todavia, no interior do quadro referencial da modernidade? Segundo, o que constitui a mensagem fundamental, cultural e cognitiva...

Modernidade/Pós-modernidade e educação no contexto do capitalismo tardio

Silva, Sidinei Pithan da
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.08%
Resumo: Esta pesquisa analisa alguns desdobramentos (da crise) da racionalidade moderna na educação, buscando compreender suas implicações para o currículo e a formação universitária no capitalismo tardio. Em linhas gerais, procura compreender e explicitar as relações entre o projeto filosófico, político e social da modernidade, em sua fase sólida (acumulação rígida do capital), com a e, o projeto filosófico, político e social da (pós-) modernidade, em sua fase flexível (acumulação flexível do capital), com a . Parte, para tanto, num primeiro momento, da explicitação dos pressupostos “filosóficos” fundamentais do projeto social da modernidade (burguesa), que tiveram seu ápice no contexto do Iluminismo europeu (século XVIII). Investiga, sobretudo, o contexto histórico, implicado na destes pressupostos, os quais se fizeram presentes e determinaram os da (lógica curricular e da formação acadêmica constitutiva da) universidade moderna. Num segundo momento, explicita-se a crise destes pressupostos constitutivos da moderna, evidenciando as diferentes críticas da modernidade e...

A emergência da modernidade na França durante o segundo império

Neundorf, Alexandro
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
36.99%
Resumo: O contexto desse trabalho é a segunda metade do século XIX francês, sobretudo parisiense, marcado por grande ebulição política e sociocultural. Além da progressão do fenômeno da modernidade, assistia-se igualmente a um processo de modernização, principalmente, da capital francesa. No quadro histórico cultural, entre modernidade e modernização, surge o Simbolismo como movimento artístico. Antes do movimento, porém, a estética e a crítica do poeta Charles Baudelaire, bem como o enfoque subjetivo se afirmam, como confronto ao viés objetivista e materialista, corporificado na crença da infalibilidade da ciência, na inevitabilidade do progresso, nas facetas realista e naturalista da arte. Assim, este trabalho busca apresentar o autor das Flores do Mal como precursor do movimento simbolista, analisar sua importância como introdutor de uma chamada ?modernidade poética? e, mesmo, identificá-lo como um dos principais críticos da modernidade e dos processos de modernização, em sua faceta mais ampla. Partimos da hipótese de Baudelaire fornecer, já em meados do século XIX, esse protótipo para a prática intelectual fin-de-siècle que emerge no affaire Dreyfus, a partir de sua conduta hipercrítica em relação às mutações do seu mundo e seu quadro de relações pessoais. Da mesma forma...

Religiosidade e educação no contexto da pós-modernidade: da ambivalência da fixação e da flutuação à aporia do amor

Sandrini, Marcos
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Tese de Doutorado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.06%
Há um revival religioso no mundo. Alguns o interpretam como uma revanche do religioso após muito ateísmo. Outros, ao contrário, o interpretam como o seu último grito de vida. Nossa tese quer abordar a mútua interpenetração entre religiosidade, educação e pós-modernidade. A modernidade não soube dialogar com a religião e, ao mesmo tempo, a religião a condenou. Será que na pós-modernidade continuaremos com este estranhamento? Queremos apresentar pontos de encontro entre religiosidade e pós-modernidade para um diálogo eficaz entre ambos tendo em vista, sobretudo, a educação das novas gerações. Num primeiro momento procuraremos apresentar a modernidade com a descrição de algumas características fundamentais suas: a ciência linear, as metanarrativas e o pensamento forte, a história como progresso linear, a secularização religiosa, a ilustração e o código ético baseado na natureza humana. Como contraponto, num segundo momento, caracterizaremos a pós-modernidade como quebra deste paradigma: a complexidade e a ciência; a dissolução das metanarrativas e o pensamento fraco; o novo como fim da história; o niilismo e as chances da religião; o novo código ético aporético; a liberação da metáfora. Esta descrição nos coloca a questão se há ou não pós-modernidade. Procuraremos apresentar as visões de alguns autores importantes: Habermas...

O tempo e o museu: manifesta????es da modernidade, p??s-modernidade e hipermodernidade no Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli 1957-2009; O tempo e o museu: manifesta????es da modernidade, p??s-modernidade e hipermodernidade no Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli 1957-2009

ISAACSSON, Gisela Brum
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Mem??ria Social e Patrim??nio Cultural; Progama de P??s-Gradua????o em Mem??ria Social e Patrim??nio Cultural; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Mem??ria Social e Patrim??nio Cultural; Progama de P??s-Gradua????o em Mem??ria Social e Patrim??nio Cultural; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.01%
This work analyses characteristic points of three moments of culture: Modernity, Post-Modernity and Hypermodernity. It is understood the existence of these periods due to the predominance and repetition of certain behaviors in the social life of the 19 th , 20 th and early 21 st centuries, enabling the authors used to build the bibliography in this work to use such nomenclature. However, it is necessary to keep two aspects in mind: time is continuous and does not admit intersections; and the behaviors in each moment are not tight and the only verifiable ones in that time. Based on this, the study highlights, in each of the three moments, the most frequent attitudes mentioned in several books, as able to bring special characterization as well as a differentiated definition. After that, it verifies the relation between these moments and the formation and development of Rio Grande do Sul Ado Malagoli Museum of Art, electing three dates: the year of its official opening in 1957, pointing out characteristics from Modernity; the year it was moved to the building at Alf??ndega Square in 1978, highlighting traits of Post-Modernity; and the year of the exposition Art in France 1860-1960: The Realism , in 2009, stressing aspects of Hypermodernity. The crossing of the selected dates...

Imaginários da linguagem de Alice Vieira e Lygia Bojunga Nunes: a modernidade em diálogo na literatura para crianças e jovens; Imaginaries in the language of Alice Vieira and Lygia Bojunga Nunes: Modernity in dialog in the literature intended to children and youngsters.

Santos, Daniela Yuri Uchino
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 07/05/2008 PT
Relevância na Pesquisa
36.99%
Esta dissertação inicia-se com uma pesquisa sobre o conceito de modernidade, e suas denominações: Modernidade/Pós-modernidade; a seguir, recorremos à Arte Moderna, para depois adentrarmos a Estética literária no projeto da modernidade, foco da pesquisa e, para tanto, apresentamos valores literários de alguns escritores-críticos modernos. Assim, expostas as idéias em diálogo na modernidade, procedemos a formatação de um paradigma a que chamamos de paradigma Projeto da Modernidade. Discorremos sobre a crítica literária atual, e as autoras pesquisadas: a portuguesa Alice Vieira e a brasileira Lygia Bojunga Nunes. Selecionamos e realizamos um estudo paradigmático analíticocrítico em duas obras literárias para crianças e jovens, a saber: Flor de Mel de Alice Vieira e Corda bamba de Lygia Bojunga Nunes. Fizemos uma aproximação do paradigma PM formatado para este estudo ao final de cada análise, assim como uma aproximação entre Flor de Mel e Corda bamba. Dessa forma, pudemos constatar o quanto a qualidade estética do texto narrativo; desconsiderando se a obra pode ser endereçada ao receptor adulto ou criança, ou seja, se é chamada de literatura para crianças e jovens, ou não; comprova a estética literária da modernidade a que nos propusemos investigar neste estudo.; This thesis starts by researching the concept of Modernity and its denominations. Modernity/Post-modernity; then...

O pêndulo da modernidade

HELLER,ÁGNES; FEHÉR,FERENC
Fonte: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo Publicador: Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/1994 PT
Relevância na Pesquisa
36.99%
O bicentenário da Revolução Francesa, em 1989, e as revoluções anti-totalitárias da Europa Oriental entre 1989 e 1991 levam os autores a interpretar a modernidade através da metáfora do pêndulo, utilizada para denotar a dinâmica do atual ordenamento social, pluralista e autônomo e que oscila, sem nunca parar, entre radicalismo e moderação. Para fazer uma diagnose do auto-conhecimento dos indivíduos modernos, o texto analisa questões referentes à modernidade e seus problemas: o totalitarismo lhe é inerente? Há como evitá-lo? As promessas de 1789 podem ser mantidas? E recorre à história para avaliar ceticamente a modernidade a partir de suas duas condições de existência: a dinâmica moderna (dialética), que opera através da auto-reflexividade da justiça dinâmica, e o ordenamento social moderno, estrutura constante de (re)-distribuição simétrica ou assimétrica de liberdade e chances de vida. O artigo introduz as lógicas dinâmicas da modernidade (a divisão funcional do trabalho, a arte de governar e a tecnologia), mostrando que elas, operando conjuntamente ou em conflito...

Narrativa sobre narrativas : uma interpretação sobre o romance e a modernidade (com uma leitura da obra de Antonio Lobo Antunes); Narrative about narratives : an interpretation of the novel and modernity (with a reading of Antonio Lobo Antunes´work

Luis Fernando Prado Telles
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 29/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.99%
Esta tese consiste numa interpretação sobre o discurso teórico e o ficcional. Num primeiro momento, são trabalhados os discursos constitutivos das teorias sobre a modernidade e sobre o romance; num segundo, aborda-se o discurso ficcional da obra do autor português António Lobo Antunes. O ponto em comum que orienta a interpretação nas diferentes frentes diz respeito ao interesse em investigar o estatuto da narrativa no âmbito desses discursos. Pretende-se demonstrar um fenômeno coincidente nos três campos de investigação, que diz respeito ao fato de a narrativa ser colocada em xeque, isto é, de o seu estatuto e a sua validade serem questionados e, concomitantemente, esse mesmo questionamento apontar para um retorno de sua validade e, conseqüentemente, para uma sua permanência. Isto é o que se procurou demonstrar pelo trabalho de interpretação de alguns discursos teóricos que buscaram pensar a passagem da modernidade à pósmodernidade, bem como daqueles que procuraram se constituir enquanto teorias do romance. O questionamento a respeito da possibilidade da morte da narrativa acabou demonstrando, paradoxalmente, um retorno ao narrativo; principalmente pelo fato de os próprios discursos que afirmaram isso acabarem se revelando...

O herói da modernidade em Dostoiévski e Graciliano Ramos

Arteaga, Cristiane Guimarães
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.99%
Este trabalho é uma continuação de minha dissertação de mestrado, na qual analisei as possíveis relações de contato entre Crime e Castigo, de Dostoiévski, e Angústia, de Graciliano Ramos. Aqui, pretendo dar continuidade aos pontos de contato entre esses escritores, mas usando a questão da modernidade como ponto comum entre os dois autores. Levando em consideração que, apesar da distância temporal que os separa, as questões da modernidade, como fator de desenvolvimento tecnológico, ou seja, como sinônimo de modernização, e suas consequências para a sociedade estão presentes na literatura de ambos os escritores. No romance de Dostoiévski, por exemplo, teremos várias inovações: o romance dialógico ou polifônico, ao invés do tradicional monológico; a fragmentação da narrativa, “desrespeitando”, muitas vezes, o tempo cronológico; uma maior preocupação com o social; e, principalmente, como decorrência desses fatores, o surgimento de um novo tipo de herói, cujos valores - ou a ausência destes – indicam a existência de uma nova estrutura social gerada pela modernidade e pelo capitalismo. Em consequência disso, as narrativas romanescas passam a apresentar anti-heróis, que oscilam entre o bem e o mal...

Modernidade/pós-modernidade: tensões e repercussões na produção de conhecimento em educação; Modernity/postmodernity: tensions and repercussions in the production of knowledge in education

Gallo, Sílvio
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2006 POR
Relevância na Pesquisa
36.99%
Discutem-se nesse artigo as repercussões que o debate em torno de uma superação da modernidade e a suposta instauração de uma pós-modernidade traz para a Educação como campo de conhecimento, mais especialmente para a pesquisa nesse campo. Discute-se criticamente a tese de que viveríamos na pós-modernidade, dando ênfase a essa afirmação no âmbito do pensamento social, principalmente por compreender-se que essa expressão não tem a força e a intensidade de um conceito filosófico, acabando vazia de sentido. Ressalta-se que um de seus primeiros usos no campo da filosofia, por Lyotard, deu-se como um adjetivo e não como um substantivo, o que faz significativa diferença. Para além do debate sobre o fim ou não da modernidade, opta-se pela noção de hipermodernidade, proposta por Lipovetsky, como forma de caracterização do mundo contemporâneo, buscando compreender suas implicações. Por outro lado, o autor reconhece as importantes contribuições da tese que afirma a pós-modernidade, principalmente em seus aspectos epistemológicos e políticos, na medida em que desloca o foco de análise. Caracteriza o presente debate como a tensão entre duas imagens do pensamento que não são absolutamente novas, mas que ganham especial destaque na contemporaneidade...

Pesquisa em Educação: o debate modernidade e pós-modernidade

Gallo, Sílvio
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2008 POR
Relevância na Pesquisa
37.01%
O artigo discute as repercussões que o debate em torno de uma superação da modernidade e da suposta instauração de uma pós-modernidade traz para a educação como campo de conhecimento, mais especialmente para a pesquisa nesse campo. Discute-se criticamente a tese de que viveríamos na pós-modernidade, dada a ênfase dessa afirmação no âmbito do pensamento social, principalmente por compreender-se que essa expressão não tem a força e a intensidade de um conceito filosófico, acabando vazia de sentido. Para além do debate sobre o fim ou não da modernidade, opta-se pela noção de hipermodernidade, proposta por Lipovetsky, como forma de caracterização do mundo contemporâneo, buscando compreender suas implicações. O artigo trabalha as questões epistemológicas e políticas da discussão modernidade/pós-modernidade, com suas implicações para a pesquisa em educação. Conclui com uma tomada de posição em nome do pensamento e da criação no campo da pesquisa educacional.; This article discusses the effects that the debate on the overcoming of modernity and the supposed establishment of a postmodernity has on education as a knowledge field, especially on the research in this field. We propose a critical discussion on the thesis that we live in postmodernity...

MODERNIDADE, PÓS-MODERNIDADE E CIÊNCIAS SOCIAIS; MODERNIDADE, PÓS-MODERNIDADE E CIÊNCIAS SOCIAIS

Benko, Georges
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/11/2011 POR
Relevância na Pesquisa
37.01%
MODERNIDADE, PÓS-MODERNIDADE E CIÊNCIAS SOCIAIS; MODERNIDADE, PÓS-MODERNIDADE E CIÊNCIAS SOCIAIS

Desencantamento da modernidade e da pós-modernidade: diferenciação, fragmentação e a matriz de entrelaçamento

Shinn, Terry
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2008 POR
Relevância na Pesquisa
37.08%
Em muitos setores significativos, mudou apreciavelmente o tom e a substância do discurso sociológico sobre o passado, o presente e o futuro da cultura em geral, sobre as instituições, o conteúdo das aspirações e relações individuais, e também sobre a matéria e a organização da ciência, da tecnologia e da epistemologia. O discurso da sociedade pós-moderna e, correspondentemente, os fenômenos de suporte intelectual e social oferecem algum crédito para os argumentos de que o mundo de hoje e os prospectos de amanhã estão em contraste radical, e mesmo em assimetria, com o mundo dos últimos dois séculos e meio. O propósito deste artigo é triplo. Primeiro, é necessário identificar os domínios específicos nos quais as alegações pós-modernas diferem das noções dominantes da representação moderna da sociedade e da ciência. Quais são as maneiras pelas quais a pós-modernidade forja conceitos substitutos e repudia conceitos da modernidade ou, de modo alternativo, até que grau procura-se construí-los em vista das recentes mudanças cognitivas, tecnológicas e sociais, mesmo se situando, todavia, no interior do quadro referencial da modernidade? Segundo, o que constitui a mensagem fundamental, cultural e cognitiva...

Modernity´s pendulum; O pêndulo da modernidade

Fehér, Ágnes Heller e Ferenc
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/1994 POR
Relevância na Pesquisa
36.99%
The bicentennial year of the French Revolution, in 1989, and the antitotalitarian revolutions in Eastern Europe during 1989 and 1991 lead the authors to interpreting modernity through the pendulum´s metaphor, used in order to show the dynamics of the present social arrangement, pluralistic and autonomous, and which swings without stopping between radicalism and moderation. In order to make a diagnosis of the modern´s self-knowledge, the text analyses questions refering to modernity and its problems: Totalitarianism is the offspring of modernity? How the avoid it? Van the 1789 promises be kept? And it appeals to history for evaluating skeptically modernity starting from its two survival conditions: modernity´s dynamic (dialectics), which works through the auto-reflective dynamic justice, and the modem social arrangement, a constant framework of symmetric and asymmetric (re)-distribution of freedom and life-chances. This article introduces the dynamic logic of modernity (the functional division of labour, statecraft and technology) showing that they, operating together or in conflict with one another; usually move the modernity´s pendulum between the poles of "individualism" and "communitarianism", between "welfarism" and the practise of a self-regulating market...

DIALÉTICA DOS DIREITOS HUMANOS: DA MODERNIDADE À PÓS-MODERNIDADE

José, Caio Jesus Granduque; Universidade Estadual Paulista
Fonte: UFPR Publicador: UFPR
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 10/01/2007 POR
Relevância na Pesquisa
36.99%
O trabalho discute as relações dialéticas entre as três gerações dedireitos humanos na modernidade (1.a geração X 2.a geração ⇒ 3.a geração) e,numa perspectiva prospectiva, entre esses direitos e novos direitos da natureza napós-modernidade (direitos humanos na modernidade X direitos humanos na pósmodernidade),à luz do paradigma da pós-modernidade de oposição, desenvolvidopor Boaventura de Sousa Santos, com vistas à efetivação dos direitos humanos eobjetivando a emancipação dos seres humanos e da natureza. A promessa modernade emancipação do homem – enfocada na razão iluminista e na crença exacerbadana ciência – não foi cumprida, na medida em que as instituições modernascontaminaram-se pelo sistema capitalista de produção, enquanto a promessa dedominação da natureza foi muito bem realizada, de modo que nos encontramosnuma crise ecológica e num estado de exclusão de milhões de pessoas,principalmente daquelas habitantes dos países periféricos ou do Sul. Em busca desuperar essa situação...