Página 1 dos resultados de 3861 itens digitais encontrados em 0.009 segundos

Entre a descrença e a sedução: releituras do Mito de Don Juan em Álvares de Azevedo e em Castro Alves; Between Disbelief and Seduction: Reinterpretations of the Myth of Don Juan in Álvares de Azevedo and Castro Alves

Mauro, Tereza Cristina
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 28/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.05%
Esta dissertação destina-se ao estudo do diálogo travado pelos poetas românticos Álvares de Azevedo (1831 - 1852) e Castro Alves (1847 - 1871) com o mito de Don Juan. Tal abordagem tem por escopo captar de que maneira as transformações sofridas na concepção do mito na passagem da lírica amorosa de Azevedo para a de Castro Alves são reflexo das distintas abordagens do sentimento amoroso por ambos os poetas, que vacilava entre o amor extremamente idealizado e o desejo carnal, relacionado à descrença e ao sarcasmo na obra do primeiro, enquanto que na obra do segundo a presença do referido mito teria uma contribuição decisiva para uma vivência amorosa mais plena. O exame aprofundado da apropriação do mito, fundamentado na visão de mundo instaurada pelo Romantismo, permite rever em novas bases a dita renovação (conceito sempre discutível quando posto à luz dos mitos e preceitos postos em circulação pelos românticos em contexto europeu) atribuída ao tratamento dispensado ao amor e à mulher na lírica de Castro Alves, sem ter de recorrer a filiações anacrônicas, como a de realismo avant la lettre. Tal exame permite também fundamentar a inserção do poeta baiano no sistema literário de então, a partir de uma análise interna dos poemas que abordam o mito em questão...

O mito e sua estrutura: contribuições da antropologia lévi-straussiana para a formalização da clínica psicanalítica; The myth and its structure: contributions of lévi-straussian anthropology to the formalization of psychoanalytical clinics

Domiciano, João Felipe Guimarães de Macedo Sales
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 08/05/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.12%
Inserida no intercâmbio teórico entre a psicanálise e a antropologia estrutural, a presente pesquisa busca analisar os papéis e implicações da noção de mito para a constituição de um projeto de formalização da experiência psicanalítica. Em pesquisa anterior, constatamos como na conferência O mito individual do neurótico (1953), Jacques Lacan realizou a aplicação do modelo lógico através da qual o antropólogo Claude Lévi-Strauss tratou da estrutura mítica a fórmula canônica do mito (1955) ao caso freudiano do Homem dos Ratos. Desta premissa, uma questão se impôs: em que medida o modelo da estrutura inerente ao fenômeno mítico foi condição necessária para a apropriação lacaniana do ideário estrutural e quais os efeitos de tal momento constitutivo sobre seu futuro projeto de formalização da clínica psicanalítica. Com tal objetivo em vista, mapeamos inicialmente na obra de Freud as dimensões do tema do mito. Vimos como sua aparição é contemporânea à emergência da psicanálise como uma prática clínica, e como está ligado a um programa antropológico de universalização das descobertas psicanalíticas, cuja maior expressão é a publicação de Totem e Tabu (1912-13) e sua ampliação do valor metodológico da lógica mítica para a apreensão da origem da cultura. A partir de uma revisão das leituras e críticas à psicanálise pelas principais vertentes da antropologia no início do século XX...

Imaginário sobre o gaúcho no discurso literário : da representação do mito em Contos gauchescos, de Joáo Simões Lopes Neto, à desmitificação em Porteira fechada, de Cyro Martins

Silveira, Verli Fátima Petri da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.14%
O presente trabalho tem por objetivo investigar a constituição de imagens de gaúcho no discurso da narrativa literária gauchesca, levando em conta a presença de, pelo menos, duas representações que habitam todo um imaginário social sobre o gaúcho: a do mito e a do não-mito. Para tanto elegemos, como corpus de análise, seqüências discursivas constitutivas de duas obras consagradamente gauchescas: Contos Gauchescos, de João Simões Lopes Neto, e Porteira Fechada, de Cyro Martins. É a Análise de Discurso de Escola Francesa (AD) que dá sustentação teóricometodológica a esse trabalho, que se constitui no “entremeio” de disciplinas da área de Ciências Sociais, compreendendo um percurso que contempla noções advindas da História, da Psicanálise, da Antropologia, da Geografia, cada uma delas vindo a funcionar de maneira bem específica junto às noções próprias da AD. O trabalho está sub-dividido em três partes, assim nomeadas e constituídas: - Parte I - “Sobre o tema e os pressupostos teórico-metodológicos”, que explicita o tema e os pressupostos teórico-metodológicos da AD, mobilizados no desenvolvimento do trabalho; - Parte II - “Sobre a construção do objeto de análise”, sub-dividida em dois capítulos: Capítulo 1...

O mito do nativo no ensino de língua estrangeira

Gómez, Maria Soledad
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.12%
A presente dissertação surge da necessidade de estudar, sob um olhar da educação, o campo da docência em línguas estrangeiras. Esta pesquisa é uma tentativa de relacionar duas áreas, Letras e Educação, através das questões da língua e cultura em relação às representações dos professores de espanhol como língua estrangeira. Trabalho com as narrativas dos professores de espanhol, nativos e não-nativos e suas percepções em torno das questões da língua. Especificamente, procuro tratar a questão do mito da natividade nas representações dos professores, e como isso se reflete na sua prática docente. Esta pesquisa foi motivada pela intenção de dar um olhar ético-político às questões de alteridade, as quais permeiam a prática cotidiana do ensino de línguas: o trabalho com a formação de professores, as visões didáticopedagógicas e os cruzamentos socioculturais. A partir dessas questões se produz um lugar de alteridade na relação com os alunos, e este é o foco principal deste trabalho. Assim, mantive a busca por descobertas ao invés de confirmações a respeito do tema, buscando usar um enfoque multi-referencial para fundamentar a argumentação da pesquisa e analisar os dados provenientes das entrevistas. Ao longo da pesquisa...

O mito de Penélope e sua retomada na literatura brasileira : Clarice Lispector e Nélida Piñon

Dumith, Denise de Carvalho
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.05%
Através desta tese, objetivamos identificar a presença e demonstrar a relevância do mito de Penélope na Literatura Brasileira por meio da obra de duas autoras que, metonimicamente, representam o imaginário penelopiano da sociedade nacional do século XX, analisando-o comparativamente com o mito homônimo existente na Odisséia, de Homero. Outra meta é desnudar o modus operandi pelo qual se efetua a reatualização mítica por parte das autoras na criação de seus universos textuais. Assim sendo, selecionamos o romance Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres e o conto “Os obedientes”, de Clarice Lispector, além de A doce canção de Caetana e “Colheita”, de Nélida Piñon, para realizar o confronto. Na primeira parte desta análise, contemplamos o mito de Penélope no seu nascedouro literário e, no intento de melhor situar o leitor, fragmentamos sua ação a partir dos principais mitemas compositivos, quais sejam: a espera, a tecedura e o engodo, seguidos da devida contextualização espaçotemporal. Na segunda parte, os mesmos mitemas são enfocados nas obras de Lispector, no primeiro capítulo, e de Piñon, no segundo, com o intuito de revelar a manutenção e/ou subversão do desempenho mítico, situando-os na contemporaneidade. Consideramos várias contribuições teóricas relacionadas ao estudo do mito de Penélope...

As palavras formosas como fundamento do mito e do modo de ser Mbyá-Guarani

Uhlmann, Carla Lucilene
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.14%
O presente trabalho visa estabelecer um paralelo entre as obras: Tupã Tenondé (2001) de Kaka Werá Jecupé e La Literatura de los Guaraníes, de León Cadogan (1965). Ambas colocam pela primeira vez na escrita o mito fundador da cultura Mbyá-Guarani. O primeiro revela o mito que ouviu dos ancestrais em terras brasileiras com o intuito de tocar o coração dos juruás (os não-indígenas) com as palavras formosas. O segundo autor, antropólogo, traz o mito à tona após um longo período de contato com os Mbyá de Guairá, no Paraguai. Ao analisar os textos encontram-se pontos que os aproximam, mas também pontos que os afastam. A cultura ameríndia vive o mito, para isso seguem os preceitos de Ñanderu, o Pai Criador, ou seja, mantém o modo de ser (teko) ao cantar, ao dançar, ao rezar. Nos textos apresentados há o destaque às palavras formosas e ao que elas significam para a criação de tudo o que existe e para a nomeação de cada Mbyá. Como explica Ladeira (2007), os elementos novos incorporados à vida tradicional (como a escrita, a tecnologia) não significam perda de identidade para esse povo que segue acreditando no poder encantatório da voz em sua dimensão comunitária e religiosa.; Este trabajo tiene como objetivo establecer un paralelismo entre las obras: Tupã Tenondé (2001) de Kaka Werá Jecupé y La Literatura de los guaraníes de León Cadogan (1965). Los dos ponen por la primera vez en escrito el mito fundacional de la cultura Mbyá-Guaraní. El primero revela el mito que ha oído de los antepasados en suelo brasileño con el fin de tocar el corazón de los juruás (no indígenas)...

Comunicação, cultura e mídia: o mito do Unhudo da Pedra Branca

Guaraldo, Tamara de Souza Brandão
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 215 f. : il. + 1 CD-ROM
POR
Relevância na Pesquisa
37.09%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Comunicação - FAAC; Análise das reportagens sobre o mito rural do Unhudo da Pedra Branca. O mito do Unhudo da Pedra Branca existe há mais de um século na cidade de Dois Córregos, mas só recentemente vem sendo reportado pela mídia. O estudo apresenta as relações entre a mídia e o mito no viés interpretativo da Teoria da Folkcomunicação. Apresentam-se aspectos fundamentais da cultura caipira, um histórico referente à religiosidade, estrutura econômico-social, manifestações típicas e cenário atual. Nesse contexto, identificam-se em particular, o município de Dois Córregos e sua mitologia. È realizada uma análise antropológica do mito, e também, uma análise de reportagens jornalísticas (TV Globo, TV Bandeirantes, TV TEM e Jornal da Cidade de Bauru) que visa à reconstrução do mito do Unhudo na mídia, inspirada na metodologia proposta por Melo (2004). Destaca-se que a mídia opera mudanças na forma e no conteúdo mítico, refuncionalizando o Unhudo, que de mito rural assustador passa a símbolo eco-turístico e dos valores da sociedade globalizada, atenuando seu caráter apavorante.; Newspaper reportsþ analyses about the rural myth of Unhudo da Pedra Branca. The myth of Unhudo da Pedra Branca exists for more than a century in the village of Dois Córregos...

Mito e performance na Olímpica I de Píndaro

Romero, Sérgio Luiz Gusmão Gimenes
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 89 f.
POR
Relevância na Pesquisa
37.14%
Pós-graduação em Estudos Literários - FCLAR; O presente trabalho apresenta uma reflexão acerca da dimensão performática dos epinícios de Píndaro, analisando a dinâmica estabelecida por mito e ritual no contexto da performance. A Olímpica I, dedicada a Hierão de Siracusa por sua vitória na corrida de cavalos em 476 A.E.C., constitui o foco do trabalho e, desse modo, apresenta-se a sua tradução e posterior análise com vistas ao delineamento da conjuntura mito-ritualística que lhe é própria, bem como das características e sentidos que a projeção de sua performance suscita. O trabalho está estruturado em diferentes etapas: em primeiro lugar, são apresentadas algumas considerações secundárias acerca do poeta tebano e de sua obra. Num segundo momento, efetua-se um percurso de cunho essencialmente teórico que visa definir o modo de atuação do mito performatizado e do canto ritualizado, bem como de sua interação com a perspectiva temporal da realidade humana e da sociedade em cujo seio a performance tem lugar. Em um terceiro momento, apresenta-se a tradução da Olímpica I, seguida da análise de suas características performáticas e da relação entre mito e ritual que a ode e seu contexto evidenciam; El siguiente trabajo presenta una reflexión sobre la dimensión performativa de los epinicios de Píndaro...

Apontamentos acerca das vicissitudes da subjetividade no mito de Don Juan

Bezerra, Paulo Victor
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 107 f.
POR
Relevância na Pesquisa
37.12%
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Pós-graduação em Psicologia - FCLAS; O mito de Don Juan surgiu em 1630 na peça O Burlador de Sevilha e o Convidado de Pedra, escrita por Tirso de Molina. Desde então o personagem ganhou espaço no imaginário coletivo através de inúmeras releituras que o levou a ser reconhecido como um mito moderno. O objetivo desse trabalho é analisar o mito de Don Juan tal como ele se expressa em obras literárias e cinematográficas, identificando as expressões da subjetividade e suas transformações ao longo desses 400 anos. Para analisar tais representações, importantes para a construção e desenvolvimento desse mito, utilizamos como referência metodológica a análise de conteúdo. As primeiras representações de Don Juan pintavam-lhe como anti-herói. Uma observação detalhada do contexto de seu aparecimento revelou que o mito surgiu como um dispositivo da Contra-Reforma para combater o individualismo e a crise de valores que se irrompeu com a falência dos ideais Renascentistas. Assim, verificamos que a discussão inicial em torno do mito, fundado nas burlas de Don Juan, gira em torno da crise entre indivíduo e sociedade, entre os valores morais da sociedade e a conduta dos seus sujeitos. As subsequentes atualizações do mito deslocam esse conflito do terreno da religião para as instituições sociais emergentes. Em 1821...

Mito e metalinguagem em Niebla, de Miguel de Unamuno

Campos, Alexandre Silveira
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 161 f.
POR
Relevância na Pesquisa
37.2%
Pós-graduação em Estudos Literários - FCLAR; A presente tese de doutorado tem por objetivo investigar a questão do mito e da construção discursiva no romance Niebla (1914) de Miguel de Unamuno e como, através de estratégias de escrita que colocaram este romance espanhol na categoria das obras literárias que inovaram o gênero no início do século XX, é realizada, na elaboração de um pequeno drama burguês, a formação de um amplo painel das questões sócio-culturais e das relações dos discursos míticos deste período. Assim, Unamuno faz convergir, em sua obra, questões literárias, culturais, políticas, ideológicas e existenciais, as quais dirige ao seu leitor, e passa para este a responsabilidade de decisão dos sentidos, num processo de escrita que privilegia, em todos os níveis e sobretudo, o diálogo. A esse tipo de romance “dialógico” Unamuno dá o nome de “nivola”. Dentro desta perspectiva, o presente trabalho propõe-se a investigar o caráter metalinguístico do texto unamuniano; as relações, diretas e indiretas, que o romance Niebla tem com a chamada “modernidade” estética do início do século XX; a necessidade de renomeação do gênero e as implicações da criação da nivola como projeto estético; a discussão da relevância dos espaços no romance; a importância dos discursos míticos...

O mito de don juan e a subjetividade moderna

Bezerra, Paulo Victor; Justo, José Sterza
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 72-95
POR
Relevância na Pesquisa
37.12%
The legendary Don Juan character inhabits the popular imaginary with such a vibrancy of a myth, despite its slight recognition as such by the scientific literature. The purpose of this article is to verify if Don Juan’s play can be understood, scientifically, as a modern myth, as well as understand its mythical nature and its relation to the modern man. A structural and historical analysis of the two first plays on Don Juan has guided us: the one written by Tirso de Molina in 1630, and the one by Molière, written in 1665. The studies allow us to say that Don Juan is a typical modern myth, once it is constituted by narratives that expose a world looming under the signs of individualism, hedonism, arrogance and audacity forged under the appeals of sexual desire.; El personaje legendario de Don Juan vive en el imaginario popular con la intensidad de un mito a pesar de su escaso reconocimiento como tal en la literatura científica. El objetivo de este artículo consiste en verificar si Don Juan puede ser entendido como un mito moderno; comprender su naturaleza mítica y su relación con el hombre moderno. Buscamos orientarnos por un análisis estructuralista e histórica de dos obras literarias sobre Don Juan: una escrita por Tirso de Molina en 1630...

Em torno do conceito de mito político; On the Concept of Political Myth; Autour du Concept de Mythe Politique

Miguel, Luis Felipe
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
37.05%
O artigo procura construir um conceito de mito político, fundamentado em uma abordagem interdisciplinar subordinação três linhas juntas: o mito como mistificação, como exemplificado na obra de Roland Barthes, o mito como uma narrativa de origens e um elemento de coesão social e, por fim, o mito político em si, como proposto por Georges Sorel, que enfatiza a natureza, a mobilização emocional do discurso político. O resultado é uma visão do mito político como a expressão política da rejeição da política? Ou seja, uma expressão de nostalgia por uma sociedade harmoniosa. _______________________________________________________________________________ ABSTRACT; The article endeavors to construct a concept of political myth, grounded on an interdisciplinary approach tying three lines together: myth as mystification, as exemplified in the work of Roland Barthes; myth as a narrative of origins and an element of social cohesion; and, lastly, the political myth itself, as proposed by Georges Sorel, which emphasizes the emotional, mobilizing nature of political discourse. The result is a view of the political myth as the political expression of the rejection of politics? That is, an expression of nostalgia for a harmonious society. ____________________________________________________________________________________ RÉSUMÉ; L’article cherche à bâtir un concept de mythe politique...

Mito e psicanálise

Versiani, Renata Nogueira Rocha Clementino
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.09%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Psicologia, Departamento de Psicologia Clínica, 2008.; O objetivo deste estudo é compreender a noção de mito em obras de Freud. A partir de compreensão de mito como uma realização de desejo, este estudo mostra que sua linguagem é análoga ao sonho e à fantasia. Como o mito permite a articulação de elementos opostos, ele oferece um apoio para a compreensão da lógica psicanalítica. A linguagem mítica oferece ao sujeito a possibilidade do reconhecimento de algo que provoca horror e põe em cena o desejo. O estudo enfatiza a idéia de mito como sonho da humanidade, liberando o imaginário. Propõe-se que o mito promove uma intersecção entre a realidade psíquica e a realidade exterior, o singular e o coletivo. A partir do mito da horda primeva, é analisada a importância de linguagem mitológica na cultura. Sua função no controle das regulamentações é realçada. A partir de Heros e Psique, de Apuleio, Édipo Rei e Antígona, ambos de Sófocles, é destacada a noção de que a realização de desejo tem a perspectiva de uma travessia perigosa. A importância da investigação dos mitos individuais também é analisada, compreendendo a clínica como um lugar para se investigar os sentidos que o sujeito construiu para seus engimas. _________________________________________________________________________________ ABSTRACT; The objective of this study is to comprehend the notion of myth in the work of Freud. From the comprehension of myth as the realization of a wish...

No princípio era o mythos: articulações entre Mito, Psicanálise e Linguagem

Souza,Ana Amália Torres; Rocha,Zeferino Jesus Barbosa
Fonte: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte Publicador: Programa de Pós-graduação em Psicologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 PT
Relevância na Pesquisa
37.09%
À guisa de uma reflexão introdutória, são apresentadas, no início do presente trabalho, algumas das principais concepções de mito, surgidas no decurso da História do Pensamento e sistematizadas por diversos autores. O objetivo principal do artigo, porém, é dar um destaque especial ao que Freud e Lacan disseram sobre o mito, bem como à sua articulação com a Psicanálise, destacando a relação estreita de ambos com a Linguagem. Quando se afirma que o inconsciente é estruturado como uma linguagem por meio da ação significante e se constata que o mito é significante, pode-se dizer que o inconsciente estrutura-se numa dimensão mítica, no linguajar do mito. Sendo assim, o mito é um saber que nos atravessa sem que o saibamos, assim como o inconsciente. Concluímos que o mito, linguagem literária por excelência, tem a função de dizer o indizível, fornecendo-lhe um pouco de organização e proporcionando um resgate necessário à fala do inconsciente.

Desconstrução do mito e sucessão do fundador em empresas familiares

Pereira,Antonio Carlos Soares; Vieira,Adriane; Garcia,Fernando Coutinho; Roscoe,Maria Teresa de Azeredo
Fonte: Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração Publicador: Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2013 PT
Relevância na Pesquisa
37.09%
Mitos funcionais promovem a estruturação da empresa e dos relacionamentos interpessoais; no entanto, tornam-se disfuncionais quando dificultam o processo sucessório. O objetivo geral da pesquisa consistiu em identificar os fatores que contribuem para a desconstrução de um mito em uma empresa familiar que passa pelo processo de sucessão do fundador, e em analisar como o estágio do mito se relaciona com o desenvolvimento sistêmico da organização. O método de pesquisa utilizado foi o estudo de caso. A análise dos dados revela que os fatores que mais contribuíram para a desconstrução do mito foram: a sua recusa em abordar temas relacionados a conflitos familiares; o comportamento de centralização e autoritarismo do mito; e a não transmissão do empreendedorismo para a geração sucessora. Na dimensão propriedade, o Grupo encontra-se no estágio inicial, de proprietário controlador, mas o desejo de substituir o fundador-mito tem levado à transição para o estágio de sociedade entre irmãos; na dimensão família, o Grupo está na fase de passagem do bastão, mesmo com a resistência do fundador-mito; e, por fim, na dimensão empresa, encontra-se em expansão/formalização, apesar da existência de conflitos latentes entre os membros da família.

Cartografias mito-poéticas do imaginário nelidiano: das visões do mundo arcaico ao contemporâneo no romance fundador; Cartografias mito-poéticas do imaginário nelidiano: das visões do mundo arcaico ao contemporâneo no romance fundador

Silva, Roniê Rodrigues da
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem; Linguística Aplicada; Literatura Comparada Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem; Linguística Aplicada; Literatura Comparada
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.18%
Esta tesis trata de cómo se desarrolla en la obra de la escritora contemporánea Nélida Piñon una especie de pensamiento cartográfico, presente desde su primer romance Guia-mapa de Gabriel Arcanjo, publicado en 1961. Para que se interprete el universo literario nelidiano, formulamos nuestro trabajo estableciendo un confronto con el texto del mito iluminado por las reflexiones de Eliade (2007; 2007b; 2008) y Meletínski (2002); con el discurso filosófico pos-estructuralista, representado principalmente por las contribuciones de Deleuze y Guattari (1995; 1996; 1997) a respecto de una geografía del nomadismo; y de Foucault (1996; 2006) sobre el orden del discurso, o nacimiento de la literatura y el ser del lenguaje. Examinadas por la lectura crítica y comparativista de esta investigación, las cartografías mito-póeticas de Piñon son presentadas al lector asociándose a una geografía de los sentimientos y al que Maffesoli (2001) denomina deseo de errância y de perdición, particularmente en las obras Tebas do Meu Coração, A República dos Sonhos, O Presumível Coração da América e Fundador. Esa última novela, publicada en 1969, por lo tanto anterior a los otros textos mencionados, servirá como corpus principal de nuestro análisis...

Em busca da harmonia perdida : mito e discurso politico (uma analise a partir da campanha eleitoral brasileira de 1994)

Luis Felipe Miguel
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 12/03/1997 PT
Relevância na Pesquisa
37.16%
A expressão ?mito político? é usada, em geral, de maneira displicente, como um elemento de retórica mal-definido. A presente tese tem por objetivo sustentar a relevância do conceito de ?mito político?, uma vez estabelecido de forma rigorosa e operacional, para a análise dos discursos políticos. O ponto de partida é análise de três abordagens distintas do mito: a de Roland Barthes, sobre as mitologias contemporâneas, em que o traço essencial é a mistificação, com a transformação da história em natureza; a de Mircea Eliade, para quem os mitos na sociedade primitivas são narrativas de origem que buscam, por sua re-atualização periódica, interromper o tempo do fluxo histórico; e a de Georges Sorel, que via no mito político um elemento irracional e mobilizador por excelência. A partir daí, é possível esboçar um conceito mais rigoroso de mito político, que seria a forma política da rejeição à política. Uma rejeição socialmente difusa ao conflito no seio da sociedade (conflito que a política exprime), que o discurso mítico explora ao apresentar a imagem de uma harmonia reencontrada. Os elementos míticos são veiculados nos discursos políticos - já que o discurso é o meio fundamental do fazer político. Não é possível ignorar...

O mito como ferramenta de persuasão no Fedro de Platão

Botter, Barabra; Danúbio Queiroz, Rodrigo
Fonte: Universidade Autônoma de Barcelona Publicador: Universidade Autônoma de Barcelona
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.09%
O artigo visa analisar o Fedro de Platão. Centraliza a importância do mito como ferramenta de persuasão para se alcançar a verdade no diálogo. Para isso, foi realizada uma reflexão, a partir do diálogo, sobre a estrutura do mito, sua simbologia e a possibilidade de Platão reconhecer os limites do conhecimento filosófico em pretender alcançar a verdade. O argumento filosófico utilizado por Sócrates se funda no mito como discurso erótico. Esse discurso, em seu percurso mítico, alcança os amantes e os persuade à respeito da definição da alma, da sua participação do divino e da forma da beleza. Diante disso, evidencia-se que Platão reconhece a influência que o mundo não racional tem sobre a própria possibilidade de compreender as demonstrações racionais. Acontecimento esse que ocorre no movimento dialético de sua maiêutica.; The article aims to analyze Plato’s Phaedrus. Centralizes the importance of myth as a persuasion tool to achieve true dialogue. For this, a reflection took place, through dialogue, the structure of the myth; its symbology and the possibility of Plato recognize the limits of philosophical knowledge in wanting to reach the truth. The philosophical argument used by Socrates is based on the myth erotic speech. This discourse...

Mito e verdade em freud: como se constrói uma clínica; Mito y verdad en freud: como se construye una clínica; Myth and truth in freud: how to build a clinic

Fridman, Aline Vieira
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.09%
Nossa proposta tem início na tentativa de circunscrever a definição do mito para Freud, mostrando suas frutíferas teorizações sobre a estrutura das sagas para apráxis analítica. A luz, sobretudo, de Moisés e o Monoteísmo e de Totem e Tabu, seguimos nosso objetivo de mostrar que o mito ocupa um lugar de destaque no campo psicanalítico, e que as vias da obra de Freud nos levaram à conclusão de que o fundador da psicanálise termina por valorizar o modelo das histórias míticas - retrabalhadaspela psicanálise - numa interseção com a sua própria concepção de verdade histórica.; Nuestrapropuesta comienza tratando de circunscribir la definición de mito a Freud, mostrando sufructífera teorización acerca de la estructura de las sagas en la praxis analítica. Especialmente a la luz de Moisésy la religión monoteístay Tótemy Tabu, seguimos nuestro objetivo de mostrar que el mito ocupa un lugar destacado en el campo psicoanalítico, y las formas de la obra de Freud nos han llevado a la conclusión de que el fundador del psicoanálisis termina por reconocer el patrón de historias míticas - reelaborado por el psicoanálisis - en una intersección con su propia concepción de la verdad histórica.; Our proposal begins trying to circumscribe the definition of myth to Freud...

The myth of Don Juan and the modern subjectivity; El mito de Don Juan y la subjetividad moderna; O mito de Don Juan e a subjetividade moderna

Bezerra, Paulo Victor; Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Assis, SP; Justo, José Sterza; Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Assis, SP http://www.assis.unesp.br/#!/pos-graduacao/cursos/psicologia/apresentacao/
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Revisão de Literatura; Método Estruturalista; Historia da Subjetividade; Modernidade; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.14%
http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2014v11n2p72The legendary Don Juan character inhabits the popular imaginary with such a vibrancy of a myth, despite its slight recognition as such by the scientific literature. The purpose of this article is to verify if Don Juan’s play can be understood, scientifically, as a modern myth, as well as understand its mythical nature and its relation to the modern man. A structural and historical analysis of the two first plays on Don Juan has guided us: the one written by Tirso de Molina in 1630, and the one by Molière, written in 1665. The studies allow us to say that Don Juan is a typical modern myth, once it is constituted by narratives that expose a world looming under the signs of individualism, hedonism, arrogance and audacity forged under the appeals of sexual desire.; http://dx.doi.org/10.5007/1807-1384.2014v11n2p72El personaje legendario de Don Juan vive en el imaginario popular con la intensidad de un mito a pesar de su escaso reconocimiento como tal en la literatura científica. El objetivo de este artículo consiste en verificar si Don Juan puede ser entendido como un mito moderno; comprender su naturaleza mítica y su relación con el hombre moderno. Buscamos orientarnos por un análisis estructuralista e histórica de dos obras literarias sobre Don Juan: una escrita por Tirso de Molina en 1630...