Página 1 dos resultados de 329 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Avaliação da composição corporal e densidade mineral ósseo em mulheres com artrite reumatóide; Evaluation of body composition and body mineral density in women with rheumatoid arthritis

Silva, Raissa Gomes da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/03/2007 PT
Relevância na Pesquisa
46.33%
INTRODUÇÃO: A diminuição da massa óssea e mudanças na composição corporal são comuns em pacientes com artrite reumatóide, particularmente nos usuários de glicocorticóide (GC). OBJETIVO: Analisar o comprometimento dos componentes da composição corporal e densidade mineral óssea (DMO) na artrite reumatóide (AR) e seus aspectos clínicos. MÉTODOS: 83 mulheres com AR realizaram densitometria óssea para análise de massa óssea total e regional e estudo da composição corporal (CC). Além disso, foram submetidas à realização laboratorial de provas inflamatórias, dosagem de fator reumatóide e aplicados questionários para avaliação da atividade da doença, classe funcional, atividade física, e inquérito alimentar. RESULTADOS: A prevalência de osteoporose nas pacientes menopausadas foi de 21,4%, 46,4% com osteopenia e 32,1% com valores normais e ocorreu de forma semelhante em coluna lombar e colo do fêmur. As mulheres na pré-menopausa apresentaram maiores valores nas médias de DMO. A idade teve efeito negativo nas medidas DMO e de CC enquanto que o índice de massa corpórea (IMC) mostrou efeito positivo nestas variáveis. A atividade física apresentou efeito positivo na DMO de fêmur total. A duração da AR teve efeito negativo na DMO de coluna lombar. O GC foi o determinante negativo na massa magra total e aumentou o percentual de gordura. CONCLUSÕES: O achado de valores reduzidos de DMO sugere que devam ser aplicadas medidas para a prevenção e tratamento de osteoporose. A doença (AR) também influenciou negativamente a DMO nestas pacientes e a utilização de GC modificou a CC...

Caracterização de tecido ósseo por ultra-som para o diagnóstico de osteoporose.; Assessment of bony tissue by ultrasound for osteoporosis diagnosis.

Alves, Jose Marcos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/08/1996 PT
Relevância na Pesquisa
36.8%
A caracterização de tecido ósseo por ultra-som para o diagnóstico de osteoporose tem sido investigada como uma alternativa a densitometria óssea baseada em radiação ionizante. A interação do ultra-som com o tecido ósseo é fundamentalmente diferente da que ocorre com a energia ionizante. O potencial da técnica ultra-sônica baseia-se nos efeitos sobre a propagação do campo acústico causados pela estrutura, composição e massa do tecido que está sendo investigado. Quatro estudos in-vitro e um estudo clínico estão descritos neste trabalho. O primeiro estudo in-vitro compara a correlação entre medidas ultra-sônicas e de densidade mineral óssea (em g/cm3) em tecido trabecular humano e bovino. A velocidade e atenuação ultra-sônicas em amostras ósseas foram determinadas pela técnica de inserção convencional (modo de transmissão) e a medida de densidade mineral óssea foi realizada por absortometria de um fóton (SPA). O mecanismo de interação do ultra-som com osso trabecular é pouco conhecido. O segundo estudo in-vitro investigou como a presença da medula óssea afeta as medidas de velocidade e atenuação. As correlações entre medidas ultrasônicas e de densidade mineral óssea (em g/cm3) por SPA, com e sem a presença da medula óssea...

Efeito da suplementação de cálcio e vitamina D no metabolismo mineral ósseo de mulheres na pós-menopausa com osteoporose; Effect of calcium and vitamin D supplementation on bone metabolism in postmenopausal women with osteoporosis

Pereira, Giselle Adriana de Paiva
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/11/2008 PT
Relevância na Pesquisa
46.62%
Introdução Atualmente a osteoporose é a doença mais freqüente do metabolismo ósseo. Diversos nutrientes estão relacionados com a massa óssea, com destaque para o cálcio e a vitamina D. Apesar de 80 a 90% dos estoques de vitamina D serem provenientes da síntese cutânea, estudos mostram que mesmo em países ensolarados a deficiência de vitamina D é muito comum. Considerando que a dieta da população brasileira tem se mostrado muitas vezes inadequada com relação ao consumo do cálcio e vitamina D, a suplementação desses componentes pode ser necessária em indivíduos que apresentam alterações no metabolismo do cálcio e osso. Objetivo Avaliar o efeito da suplementação de cálcio e vitamina D em marcadores bioquímicos do metabolismo ósseo de mulheres na pós-menopausa com osteoporose. Métodos Esta dissertação é composta por 2 estudos: revisão sobre cálcio dietético e estudo de intervenção. Para revisão foram selecionados artigos publicados no Medline e Scielo nos últimos 10 anos, incluindo estudos realizados no Brasil. O estudo de intervenção foi do tipo ensaio clínico randomizado e controlado, pelo período de 90 dias. Foram avaliadas 64 mulheres com osteoporose na pós-menopausa randomizadas em dois grupos: Grupo 1 - Suplementação de cálcio (1200mg/dia) e vitamina D3 (400UI ou 10g/dia); Grupo 2 Controle. No início do estudo foi realizada a densitometria óssea (DXA) para diagnóstico da osteoporose e avaliação da composição corporal. Dados coletados no início e final do estudo incluiram: registro alimentar de 3 dias para avaliação da ingestão alimentar e soro para realização de exames bioquímicos (cálcio...

Avaliação do consumo alimentar e da densidade mineral óssea de crianças com dermatite atópica; Food consumption and bone mineral density evaluation of children with atopic dermatitis

Penterich, Vanessa Ramos Alves
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2011 PT
Relevância na Pesquisa
46.56%
A dermatite atópica é uma doença de pele de caráter inflamatório crônico que normalmente precisa de tratamento com glicocorticóide tópico. O objetivo deste estudo foi avaliar o impacto da Dermatite atópica no consumo de nutrientes, no estado nutricional e no metabolismo ósseo de crianças com dermatite atópica moderada e grave comparadas à crianças saudáveis. Foram incluídas neste estudo 60 crianças de 4 a 12 anos com AD moderada/grave e 54 controles. O consumo alimentar foi avaliado por três recordatórios de 24 horas. O estado nutricional foi determinado pelo z-escore de altura para idade, peso por idade e do índice de massa corporal. Os marcadores ósseos séricos foram 25OH vitamina D, fosfatase alcalina óssea, cálcio sérico, fósforo, PTH, osteocalcina, CTX e cortisol. Os pacientes e familiares foram questionados quanto à fraturas, exposição solar e escore de atividade física. Por meio de densitometria dupla de Raio-X avaliou-se o conteúdo mineral ósseo (CMO), a densidade mineral óssea (DMO) e o z-score da coluna lombar, do fêmur total e do corpo inteiro. As crianças com dermatite atópica usavam glicocorticóide tópico em média por 3,9 ±1,81 anos. O tempo de exposição solar foi menor nas crianças com dermatite atópica. O consumo alimentar evidenciou um alto consumo de proteínas em ambos os grupos...

Estudo longitudinal da densidade mineral óssea, maturidade sexual e perfil alimentar em jovens atletas que praticam ginástica artística

Oliva, João Carlos
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
36.74%
Este estudo teve como objectivo principal investigar os praticantes de Ginástica Artística de ambos os géneros e para isso analisamos as medidas somáticas, a composição corporal, o desenvolvimento puberal, a densidade mineral óssea, o conteúdo mineral ósseo e a ingestão de nutrientes. Para melhor percepção das variáveis dos ginastas, ao longo de 4 anos, fizemos a comparação com um grupo controlo. Assim, a amostra foi composta por sujeitos de ambos os géneros numa faixa etária inicial dos 6 aos 12 anos e totalizando uma população de 280 sujeitos. O estudo foi longitudinal e analisaram-se as seguintes variáveis: estatura, altura sentada, comprimento dos membros inferiores, estatura dos pais, idade de menarca das mães, peso corporal, índice de massa corporal, percentual de gordura corporal, massa isenta de gordura, desenvolvimento puberal, densidade mineral óssea dos segmentos corporais e total, conteúdo mineral ósseo total e ingestão dos seguintes nutrientes: cálcio, proteínas, fósforo e ferro. A estatura e altura sentada foram medidas com um estadiómetro portátil. Para a colecta de dados da estatura dos pais e idade de menarca das mães foi utilizado um questionário padronizado. O peso corporal foi obtido através de uma balança Filizola...

Marcadores séricos do metabolismo ósseo no hipertireoidismo felino

Cardoso, Mauro José Lahm; Costa, Fabiano Séllos; Muniz, Lucy Marie Ribeiro; Melussi, Maíra; Valërio, Maria Aparecida
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Publicador: Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 1368-1374
POR
Relevância na Pesquisa
36.77%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Os efeitos do hipertireoidismo experimental (150mg kg-1 d-1 42d-1 de levotiroxina) sobre os marcadores do metabolismo ósseo foi estudado em 14 gatos sem raça definida, nove fêmeas e cinco machos, não-castrados, com idade entre um e três anos. As variáveis estudadas foram tiroxina total (T4), tiroxina livre (FT4) e o telopeptídeo carboxiterminal do colágeno tipo I (ICTP) mensurados por radioimunoensaio, a osteocalcina (OC) foi mensurada por ensaio radioimunométrico e a densidade mineral óssea (DMO) foi mensurada pela técnica da densitometria óptica. As concentrações séricas da OC apresentaram diferença significativa (P<0,05) entre si, nos quatro tempos [T0 (imediatamente antes da levotiroxina sódica), T1 (14d), T2 (28d), T3 (42d)]. Já o ICTP, um marcador específico da reabsorção óssea, não apresentou diferença significativa entre os tempos. A DMO apresentou diminuição significativa (P<0,05) aos 14 dias (T1) em relação ao momento inicial. Provavelmente o remodelamento ósseo foi provocado pelo estado hipertireóideo, visto que a OC e o ICTP apresentaram excelente correlação positiva com a TT4 e um pouco inferior com a FT4. A FT4 não apresentou correlação positiva com o ICTP...

Association between bone mass and functional capacity among elderly people aged 80 years and over

Santos, Vanessa Ribeiro dos; Christofaro, Diego Giulliano Destro; Gomes, Igor Conterato; Codogno, Jamile Sanches; Santos, Lionai Lima dos; Freitas Junior, Ismael Forte
Fonte: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Publicador: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 512-518
ENG
Relevância na Pesquisa
46.56%
Objetivo:Analisar a associação entre a massa óssea e capacidade funcional de idosos com 80 anos ou mais.Métodos:A amostra foi composta por 93 idosos entre 80 e 91 anos (83,2 ± 2,5 anos), 61 mulheres (83,3 ± 2,7 anos) e 32 homens (83,1 ± 2,2 anos) da cidade de Presidente Prudente. A avaliação da massa óssea foi feita pela absorptiometria de dupla energia de raios X (DXA), na qual foram mensurados os valores de conteúdo mineral ósseo (BMC) e densidade mineral óssea (BMD) do fêmur e da coluna (L1-L4). A capacidade funcional foi avaliada por meio dos testes de velocidade para caminhar, equilíbrio estático e força de membros inferiores contidos no questionário Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento (Sabe). As variáveis da massa óssea e capacidade funcional foram categorizadas de acordo com os valores de mediana e a pontuação obtida nos testes, respectivamente. Para tratamento estatístico fez-se o teste qui-quadrado, o software usado foi SPSS (13.0) e o nível de significância estabelecido foi de 5%.Resultados:Os idosos do sexo masculino com maior desempenho nos testes funcionais apresentaram maiores valores de BMC de fêmur comparados com os de menor desempenho, resultado não encontrado quando avaliadas as mulheres.Conclusão:Dessa forma...

Efeito dos prebióticos oligofrutose, galacto-oligossacarídeos e de sua combinação no metabolismo ósseo de ratas wistar na meia-idade; Effect of oligofructose and galactooligosaccharides on bone metabolism in aging female wistar rats

Vivian Cristine Correia Vieira
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 30/03/2012 PT
Relevância na Pesquisa
46.71%
Prebióticos são componentes alimentares não-digeríveis que conferem benefícios à saúde do hospedeiro por meio da modulação de sua microbiota gastrintestinal, tais como a oligofrutose e os galacto-oligossacarídeos (GOS). Diversos estudos têm sugerido que estes dois prebióticos podem estar associados à melhora da saúde óssea. Nas mulheres, a perda óssea associada ao envelhecimento tem início na terceira década de vida, e é bastante acentuada pela deficiência de estrógenos na menopausa, tendo-se um maior risco de desenvolvimento de osteoporose, doença esquelética sistêmica caracterizada por baixa massa e deterioração da microarquitetura do osso, com aumento do risco de fraturas. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar o efeito do consumo de oligofrutose, GOS e de sua combinação no metabolismo ósseo de ratas Wistar de meia-idade, nas quais ter-se-ia perda óssea associada ao envelhecimento e o estrógeno seria deficiente. Foi desenvolvido ensaio biológico com 32 ratas, divididas em 4 grupos: G1= dieta AIN-93M padrão (controle), G2=dieta AIN-93M com 5% de oligofrutose, G3=dieta AIN-93M com 5% de GOS, e G4=dieta AIN-93M com 5% de uma mistura deste prebióticos (1:1). A suplementação foi realizada por 16 semanas. Foram determinadas as concentrações séricas de paratormônio (PTH)...

Avaliação da densidade mineral óssea, conteúdo mineral ósseo e níveis séricos de cálcio, fósforo e magnésio em ratos submetidos à dieta diária de café e refrigerantes à base de cola e guaraná; How does the daily intake of coffee, cola and guaraná soft drinks affect bone mineral density and blood mineral levels? An in vivo study in rats

Maria Beatriz Carrazzone Cal Alonso
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/02/2015 PT
Relevância na Pesquisa
46.72%
O objetivo neste estudo foi avaliar e comparar a Densidade Mineral Óssea (DMO), Conteúdo Mineral Ósseo (CMO) e níveis séricos do cálcio, fósforo e magnésio em ratos submetidos à dieta diária de café e refrigerantes à base de cola e guaraná. Para isto foram utilizados 80 ratos (Rattus norvegiau albinus, Wistar), sendo 40 machos e 40 fêmeas, com 60 dias de vida distribuídos em oito grupos de acordo com a dieta. Após 48 dias de administração das substâncias, todos os animais foram sacrificados, coletado o sangue para as análises bioquímicas e dissecados os fêmures esquerdo de cada animal para avaliação da DMO e CMO por meio da densitometria óssea por dupla-absorção de raios X (DXA). Os resultados obtidos foram apresentados como média e erro-padrão da média, submetidos à análise de variância ¿ ANOVA e teste de Tukey com p < 0,05. Os resultados demonstraram que os maiores valores de DMO e CMO foram encontrados nos ratos machos. Redução significativa da DMO e CMO foi observada apenas para o consumo do café nas fêmeas, enquanto que nos machos, nenhuma diferença foi encontrada. Em relação às análises bioquímicas, os ratos machos apresentaram os maiores valores séricos de cálcio, porém sem diferença estatística entre os grupos de dieta. Com referência ao fósforo as fêmeas apresentaram as maiores concentrações séricas do mineral. Para os ratos machos as maiores concentrações de fósforo foram observadas no grupo da cola em relação aos grupos do guaraná e café...

Influência da massa magra no desenvolvimento esquelético : estudo comparativo entre atletas e não atletas de ambos os géneros

Belfort, Dilson Rodrigues
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa Publicador: Universidade Técnica de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 16/02/2009 POR
Relevância na Pesquisa
46.48%
Mestrado em Exercício e Saúde; Propósito: Comparar o conteúdo mineral ósseo (CMO), área óssea (AO),CMO e AO para massa magra (MM), e CMO e AO para altura corporal, em atletas e não atletas de ambos os géneros. Métodos: A amostra foi constituída por 260 atletas, 120 raparigas (18,3±4,0 anos; 21,7±2,2 kg/m2), e 140 rapazes (18,8±3,9 anos; 22,8±2,2 kg/m2), e 458 não atletas, 272 raparigas (17,7±6,0 anos; 22,8±4,3 kg/m2), e 186 rapazes (17,19±4,8 anos; 23,1±4,3 kg/m2), com faixa etária de 10-33 anos. CMO, AO e MM corporal total foram avaliados através de DXA. Altura corporal foi medida em um estadiómetro. ANCOVA foi usada para analisar os principais efeitos e interacções de condição (atleta vs. não atletas) e género (rapazes vs. raparigas) em CMO, AO, CMO/MM, AO/MM, CMO/altura corporal e AO/altura corporal. Análise de CMO e AO foram ajustadas para peso e altura corporal; CMO/MM e AO/MM foram ajustados para altura corporal; e CMO/altura corporal e AO/altura corporal foram ajustados para o peso corporal. Resultados: Foi observado um efeito principal na condição, com atletas demonstrando maiores valores que não atletas no CMO, AO, CMO/altura corporal, e AO/altura corporal. Um efeito principal no género também foi observado...

Importância da actividade física no mineral ósseo de diversas regiões do fémur proximal, de acordo com a morfologia da pélvis em crianças de 10 a 12 anos de idade

Klostermann, Carlos Zanello
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa Publicador: Universidade Técnica de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.83%
Mestrado na Especialidade de Exercício e Saúde; Objetivo: Este estudo analisou a importância da actividade física (AF) no mineral ósseo de três regiões do fémur proximal, de acordo com a morfologia da pélvis em crianças de 10 a 12 anos de idade de ambos os sexos. Métodos: A análise dos diâmetros pélvicos foi realizada através de morfometria geométrica em 119 participantes. As variáveis de composição corporal e o mineral ósseo das três regiões do fémur proximal foram avaliados por densitometria de raio-x de dupla energia. A AF foi avaliada através de acelerometria. Resultados: As raparigas apresentaram maior diâmetro pélvico ao nível interno e inter-acetabular inferior do que os rapazes. Estas dimensões da pélvis nas raparigas parecem estar associadas a valores mais baixos de mineral ósseo no colo do fémur e no intertrocanter e a valores mais elevados sobretudo de área óssea no trocanter. Conclusão: A actividade física poderá eventualmente prevenir valores mais baixos de mineral e área óssea do trocanter em raparigas com menor diâmetro inter-acetabular inferior.; Objective: This assignment analyzes the association between physical activity (PA) and bone mineral in three regions of the proximal femur...

Validação da bioimpedância elétrica por multifrequência na determinação da massa gorda, massa isenta de gordura e osso e conteúdo mineral ósseo em atletas

Mouad, Mariana
Fonte: Universidade Técnica de Lisboa Publicador: Universidade Técnica de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
66.6%
Mestrado em Exercício e Saúde; É reconhecida a importância de avaliar a composição corporal na população atlética. Para o efeito é preciso utilizar técnicas válidas na determinação dos principais componentes moleculares. A Densitometria Radiológica de Dupla Energia (DXA) é um método preciso e válido para avaliação de composição corporal. No entanto, a DXA é uma técnica ainda pouco acessível em contextos não laboratoriais. Desta forma, é importante utilizar técnicas mais simples e práticas como a bioimpedância eléctrica (BIA). No entando poucos estudos validaram a BIA especialmente de multifrequência na avaliação da composição corporal em atletas. Assim, o objectivo desta investigação é testar a validade da BIA de multifrequência (Tanita, modelo MC-180) na determinação do conteúdo mineral ósseo (CMO), massa gorda (MG) e massa isenta de gordura e osso (MIGO) em atletas. Um total de 79 atletas (feminino/masculino) foram avaliados pela BIA e pela DXA. Comparação de médias, coeficiente de correlação de concordância, regressão múltipla, e o método Bland-Altman foram realizados. A Tanita apresentou um poder explicativo de 76 %, 72%, 95% e 73% da variabilidade total observada a partir do método de referência para a MG (kg)...

Densidade mineral óssea de crianças e adolescentes com hipotireoidismo congênito

Demartini,Adriane de A.C.; Kulak,Carolina A.M.; Borba,Victoria C.; Cat,Mônica N.L.; Dondoni,Roberta S.; Sandrini,Romolo; Nesi-França,Suzana; Lacerda Filho,Luiz de
Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Publicador: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2007 PT
Relevância na Pesquisa
56.48%
Realizou-se estudo transversal com 60 pacientes (9,9 ± 1,8 anos) com hipotireoidismo congênito (HC) (grupo A): 40 meninas (23 pré-púberes) e 20 meninos (18 pré-púberes), com grupo controle (grupo B) constituído por 28 indivíduos (10,4 ± 2,1 anos): 18 meninas (8 pré-púberes) e 10 meninos (9 pré-púberes). OBJETIVOS: Avaliar a densidade (DMO) e o conteúdo mineral ósseo (CMO) e correlacioná-los com idade cronológica e óssea (IO), sexo, maturação sexual, dose de l-T4, TSH, TT4, FT4, e etiologia do HC. IO, DMO e CMO de corpo total (DXA) foram obtidos dos 2 grupos; TSH, TT4 e FT4, apenas dos pacientes. DMO foi menor no grupo A (0,795 ± 0,075 g/cm² vs. 0,832 ± 0,092; p = 0,04) e maior nas meninas púberes do que nas pré-púberes (p = 0,004). Não houve diferença significativa de DMO e CMO quanto ao sexo e etiologia do HC. Nosso estudo mostra que a DMO foi significativamente menor no grupo com HC, diferente dos dados da literatura.

Efeitos endócrinos e metabólicos das drogas antiepilépticas

Bortolini,Luis Gustavo C.; Kulak,Carolina A. M.; Borba,Victoria Z. C.; Silvado,Carlos E.; Boguszewski,Cesar L.
Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Publicador: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.35%
As drogas antiepilépticas (DAE) são utilizadas por um enorme contingente de pessoas em todo o mundo - tanto no tratamento das epilepsias como para outros fins - frequentemente por um longo tempo. Por essas razões, torna-se fundamental o conhecimento sobre os potenciais efeitos adversos desses medicamentos, muitos deles envolvendo vários aspectos hormonais e metabólicos que devem ser do conhecimento do endocrinologista. Nesta revisão, foi abordada a relação das DAE com anormalidades no metabolismo mineral ósseo, balanço energético e peso corporal, eixo gonadal e função tireoideana, além de ter sido revisado o papel terapêutico dessas medicações no tratamento da neuropatia diabética.

Conteúdo e densidade mineral óssea de adolescentes do sexo feminino

Fonseca,Romulo Maia Carlos; Pereira,Rinaldo Wellerson; França,Nanci Maria de
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2011 PT
Relevância na Pesquisa
56.66%
O presente estudo teve como objetivo caracterizar o conteúdo mineral ósseo (CMO) e a densidade mineral óssea (DMO) de adolescentes do sexo feminino de acordo com a faixa etária e o estágio de maturação sexual. A amostra desse estudo foi composta por 329 meninas com idades entre 10 e 20 anos. Foram avaliados o peso corporal, estatura, índice de massa corporal, estágio de maturação sexual, a raça, o consumo diário de cálcio e o tempo dispendido em atividades físicas de intensidades moderada a vigorosa por semana (AFMV). A densidade e o conteúdo mineral ósseo da coluna lombar e do colo do fêmur foram avaliados pela densitometria óssea. As diferenças da DMO e do CMO, de acordo com a idade e a maturação sexual, foram avaliadas por uma análise de variância One-way ANOVA com o teste post-hoc de Tukey (p<0,05). O consumo diário de cálcio reportado pelas adolescentes é inadequado, pois representa uma variação de 26 a 47% do que é recomendado. Por outro lado, o tempo dispendido em AFMV, por semana, foi muito superior ao mínimo recomendado, em todas as idades. Ocorreram diferenças significativas tanto na DMO quanto no CMO das adolescentes no período dos 10 e 14 anos de idade. Além disso, os valores de DMO da coluna lombar e do colo do fêmur das adolescentes pós-púberes foram 58% e 31% maiores...

Repercussões histológicas da esquistossomose mansônica em fêmur de camundongos

Vasconcelos Mesquita, Gerardo; Teixeira Brandt, Carlos (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
46.47%
A esquistossomose mansônica continua um problema mundial, sendo preocupante o número de portadores da forma hepatoesplênica, que apresenta como fator principal de morbidade a hipertensão porta. A densitometria tem sido usada como forma de avaliar a presença de comprometimento ósseo concomitante. Foram constatados hipodesenvolvimento, déficit de conteúdo mineral ósseo (BMD) e alterações da reserva funcional hepática interferindo no metabolismo dos íons cálcio e magnésio; sendo possível que tais alterações sejam também encontradas na estrutura do osso. O objetivo desta pesquisa foi avaliar histomorfometricamente as repercussões da esquistossomose mansônica no s fêmures de camundongos infectados. Foi realizada análise microscópica, descrevendo-se o as alterações histológicas, levando-se em consideração as alterações das áreas de osso e das trabéculas, antes e decorridos 120 dias da infestação. As áreas foram medidas por aerofotogrametria e planimetria. Utilizou- se o teste t de Student para avaliação de diferenças entre médias. As médias das áreas trabecular e óssea foram mais elevadas no grupo infectado, todavia, a diferença foi significante apenas para a área óssea (p < 0...

Avaliação do reparo ósseo em osteotomia experimental por microtomografia por raio-X; Fracture healing valuation in experimental osteotomy using X-ray microtomography

Milanetti, Marcia Regina
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/09/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.71%
A microtomografia 3D por raio-X proporciona medidas quantitativas e tridimensionais da estrutura do calo e essas medidas podem potencialmente estar relacionadas com a resistência do calo. A avaliação quantitativa do reparo ósseo por meio de novas metodologias tem importante aplicação nas pesquisas experimentais relacionadas a tecnologias invasivas e não invasivas para a estimulação do mesmo. O objetivo desse estudo foi avaliar o reparo ósseo por meio da \'mü\'CT em defeito ósseo em fêmur de rato. Trinta ratos machos da classe Wistar com peso médio de 300g foram divididos em grupos experimentais de 10 animais em cada grupo. Os animais foram anestesiados e um furo com 1,2 mm de diâmetro foi realizada na porção medial do fêmur utilizando-se uma broca odontológica. No 7º, 14º e 21º pós-cirúrgico, os animais dos grupos experimentais 1, 2 e 3, respectivamente, foram sacrificados e o fêmur esquerdo excisado. Os fêmures foram envolvidos em gaze e mergulhas em solução PBS e armazenados em um saco plástico em freezer a -20º até a análise microtomográfica. Os fêmures foram escaneados pelo microtomógrafo 1172 (SkyScan, Bélgica). Os softwares NRecon, Dataviewer, CT-Analyzer and CT-Vol, fornecidos pelo fabricante do microtomógrafo...

Fracture healing valuation using X-ray microtomography; Avaliação do reparo ósseo por microtomografia por raio-X

Milanetti, Márcia Regina; Alves, José Marcos; Silva, Alessandro Hakme da; Introini, Simone Orlandi
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 17/06/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.71%
A microtomografia 3D por raio-X proporciona medidas quantitativas e tridimensionais da estrutura do calo e essas medidas podem potencialmente estar relacionadas com a resistência do calo. A avaliação quantitativa do reparo ósseo por meio de novas metodologias tem importante aplicação nas pesquisas experimentais relacionadas a tecnologias invasivas e não invasivas para a estimulação do mesmo. O objetivo desse estudo foi avaliar o reparo ósseo por meio da μCT em defeito ósseo em fêmur de rato. Trinta ratos machos da classe Wistar com peso médio de 300g foram divididos em grupos experimentais de 10 animais em cada grupo. Os animais foram anestesiados e um furo com 1,2mm de diâmetro foi realizada na porção medial do fêmur utilizando-se uma broca odontológica. No 7º, 14º e 21º pós-cirúrgico, os animais dos grupos experimentais 1, 2 e 3, respectivamente, foram sacrificados e o fêmur esquerdo excisado. Os fêmures foram envolvidos em gaze e mergulhas em solução PBS e armazenados em um saco plástico em freezer a -20º até a análise microtomográfica. Os fêmures foram escaneados pelo microtomógrafo 1172 (SkyScan, Bélgica). Os softwares NRecon, Dataviewer, CT-Analyzer and CT-Vol, fornecidos pelo fabricante do microtomógrafo...

Bone mineral density and content in adolescent girls. DOI: 10.5007/1980-0037.2011v13n5p354; Conteúdo e densidade mineral óssea de adolescentes do sexo feminino. DOI: 10.5007/1980-0037.2011v13n5p354

Fonseca, Romulo Maia Carlos; Universidade Católica de Brasília. Programa de Pós-Graduação em Educação Física, Brasília, DF. Brasil; Pereira, Rinaldo Wellerson; Universidade Católica de Brasília. Programa de Pós-Graduação em Educação Físic
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC. Brasil
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; "Avaliado por Pares",; Descreptive; Avaliado por Pares; Descritiva Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 26/08/2011 ENG
Relevância na Pesquisa
56.71%
The aim of the present study was to characterize bone mineral density (BMD) and content (BMC) in Brazilian adolescent girls according to age and pubertal stage. A total of 329 girls ranging in age from 10 to 20 years participated in this study. Body weight, height, body mass index, pubertal stage, race, daily calcium intake, and time spent per week performing moderate to vigorous-intensity physical activity (MVPA) were evaluated. Lumbar spine and femoral neck BMD and BMC were assessed by dual-energy x-ray absorptiometry. One-way ANOVA with Tukey post-hoc test was used to identify differences in bone mass between ages and pubertal stages (p≤0.05). The daily calcium intake reported by the adolescents was inadequate, corresponding to only 26-47% of the recommended allowance (1,300 mg/day). On the other hand, weekly MVPA was higher than that recommended for adolescents. Significant differences in BMD and BMC were observed for girls aged 10-14 years. In addition, lumbar spine and femoral neck BMD was 58 and 31% higher in postpubertal girls, respectively, when compared to prepubertal adolescents.; O presente estudo teve como objetivo caracterizar o conteúdo mineral ósseo (CMO) e a densidade mineral óssea (DMO) de adolescentes do sexo feminino de acordo com a faixa etária e o estágio de maturação sexual. A amostra desse estudo foi composta por 329 meninas com idades entre 10 e 20 anos. Foram avaliados o peso corporal...

Efeito de um novo produto fermentado de soja, enriquecido com isoflavonas e cálcio, sobre o tecido ósseo de ratas

Bedani,Raquel; Rossi,Elizeu Antonio; Lepera,José Salvador; Chenwei Wang,Charles; Font de Valdez,Graciela
Fonte: Sociedad Latinoamericana de Nutrición Publicador: Sociedad Latinoamericana de Nutrición
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
46.62%
O objetivo deste estudo foi avaliar o efeito da ingestão de um produto a base de soja, fermentado com Enterococcus faecium e Lactobacillus jugurti, enriquecido com isoflavonas e cálcio sobre o peso corpóreo e sobre o tecido ósseo de ratas maduras ovariectomizadas. Os animais foram divididos em 5 grupos: pseudo-ovariectomizados, ovariectomizados, ovariectomizados que ingeriram produto fermentado de soja enriquecido com isoflavonas e cálcio, ovariectomizados que ingeriram produto fermentado de soja enriquecido com cálcio e ovariectomizados que ingeriram produto não fermentado enriquecido com cálcio. Tíbias e fêmures foram utilizados para análise do comprimento ósseo; ensaio mecânico de flexão de três pontos; densidade óssea (princípio de Arquimedes); conteúdo mineral ósseo; conteúdo de cálcio ósseo e medida das larguras das trabéculas. A ingestão do produto fermentado de soja enriquecido com isoflavonas e cálcio apesar de não ter exercido efeitos nos parâmetros como comprimento, densidade, conteúdo mineral, conteúdo de cálcio e carga máxima suportada, foi capaz de evitar o aumento de peso corpóreo causado pela ovariectomia, além de ter demonstrado uma tendência à proteção das trabéculas, prevenindo a redução da largura das mesmas ocasionada pela castração.