Página 1 dos resultados de 235 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Microencapsulação de um extrato de rosa micrantha para utilização na área alimentar

Viegas, Joana; Barros, Lillian; Fernandes, Isabel; Ferreira, Isabel C.F.R.; Barreiro, M.F.
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
37.64%
Os extratos de plantas são fontes abundantes de compostos fenólicos com propriedades antioxidantes reconhecidas. Dados os benefícios que aportam para a saúde humana, estes assumem grande relevância na indústria alimentar, nomeadamente no desenvolvimento de alimentos funcionais. No entanto, estes compostos de reconhecida instabilidade, podem sofrer alterações durante o processamento dos alimentos onde são incorporados e processos metabólicos. Neste contexto, a microencapsulação possibilita a proteção destes antioxidantes naturais, permitindo ainda a sua libertação controlada1. O presente trabalho teve como objetivo avaliar as propriedades antioxidantes do extrato hidroalcoólico de Rosa micrantha Borrer ex Sm e do seu flavonoide maioritário, a catequina, na sua forma livre e microencapsulada quando incorporados num iogurte natural. Para o efeito foram preparadas microesferas de alginato utilizando uma técnica de microencapsulação por spray seguida de coagulação. O processo foi otimizado numa primeira fase utilizando a catequina como composto modelo, sendo posteriormente aplicada ao extrato de R. micrantha. Quando comparada com o seu homólogo microencapsulado, a incorporação direta do extrato de R. micrantha conduziu a produtos com atividade antioxidante inicial superior (avaliação para t=0). No entanto...

Extratos fenólicos de flores de Rubus ulmifolius Schoot: caracterização química, microencapsulação e incorporação em iogurtes para benefícios antioxidants

Martins, Ana; Barros, Lillian; Carvalho, Ana Maria; Santos-Buelga, Celestino; Fernandes, Isabel P.; Barreiro, M.F.; Ferreira, Isabel C.F.R.
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
Rubus ulmifolius Schoot (Rosaceae), conhecida como amora silvestre, é um arbusto perene encontrado em habitats silvestres e cultivados da Europa, Ásia e África do Norte. Tradicionalmente é conhecido pelas suas propriedades medicinais, incluindo atividade antioxidante. Neste trabalho caracterizaram-se quimicamente dois extratos fenólicos obtidos a partir de botões florais de R. ulmifolius, decocção e extrato hidroalcoólico, tendo sido identificados vários compostos fenólicos, maioritariamente derivados de elagitaninos nomeadamente, os isómeros sanguiin H-10 e lambertianina. Comparativamente à decocção, o extrato hidroalcoólico apresentou um conteúdo em compostos fenólicos superior e uma maior atividade antioxidante. A sua forma liofilizada foi a escolhida para microencapsular pela técnica de spray seguida de coagulação tendo-se produzido microesferas de alginato que foram posteriormente incorporadas num iogurte natural. Os resultados obtidos mostraram que o extrato microencapsulado originou produtos com atividade antioxidante superior e com melhor preservação desta ao longo do tempo. Ambas as formas (extrato direto e microencapsulado) mostraram maior atividade que o controlo. Em síntese, os resultados obtidos demonstraram o potencial antioxidante do extrato hidroalcoólico R. ulmifolius e a eficiência da microencapsulação para a sua preservação...

Potencial antioxidante dos compostos fenólicos de Helichrysum stoechas (L.) Moench para aplicações cosméticas: caracterização química, microencapsulação e incorporação num hidratante

Barroso, Marisa; Barros, Lillian; Dueñas, Montserrat; Carvalho, Ana Maria; Santos-Buelga, Celestino; Fernandes, Isabel P.; Barreiro, M.F.; Ferreira, Isabel C.F.R.
Fonte: Instituto Politécnico de Bragança Publicador: Instituto Politécnico de Bragança
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
POR
Relevância na Pesquisa
37.73%
As propriedades bioativas de várias plantas têm sido atribuídas à presença de compostos fenólicos, especialmente flavonoides (Mishra et al., 2008). As propriedades biológicas, farmacológicas e medicinais deste grupo de compostos têm também sido exaustivamente estudadas (Marchand, 2002). Estudos etnobotânicos realizados no Nordeste de Portugal registam o uso da decocção de Helichrysum stoechas (L.) Moench (perpétua-das-areias ou douradinha) pelas suas propriedades medicinais nomeadamente no controlo da febre, sintomas gripais e bronquite (Carvalho, 2010). O presente trabalho teve como objetivo explorar o potencial antioxidante dos compostos fenólicos das sumidades floridas (capítulos e brácteas e os 15 cm terminais dos caules com folhas que suportam as inflorescências) de H. stoechas para aplicações cosméticas e envolveu as seguintes etapas: caracterização química, microencapsulação e incorporação num hidratante. As propriedades antioxidantes do extrato hidroalcoólico e da decocção foram avaliadas por métodos químicos (determinação do poder redutor e da capacidade captadora de radicais 2,2- difenil-1-picril-hidrazilo (DPPH) e bioquímicos (inibição da descoloração do β-caroteno na presença de radicais livres derivados do ácido linoleico e inibição da formação de espécies reativas do ácido tiobarbitúrico (TBARS) em homogeneizados cerebrais). A composição fenólica foi analisada por cromatografia líquida de alta eficiência de fase reversa acoplada a deteção de díodos e espetrometria de massa com ionização por spray de eletrões (HPLC-DAD-ESI/MS). Foram identificados dezoito compostos fenólicos diferentes...

Estudo sistemático da formação de estrutura em processos de microencapsulação por evaporação de solvente

Trino, Andreia Sofia Martins
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.52%
O processo de microencapsulação pela técnica de evaporação de solvente tem sido amplamente utilizado na área farmacêutica devido, principalmente, à sua simplicidade. O objectivo deste trabalho é desenvolver um estudo, de forma sistemática, da formação de microcápsulas pela técnica de microencapsulação por evaporação de solvente, em função da formulação inicial e das condições do processo de fabrico. Este trabalho insere-se num objectivo mais amplo, que é compreender a gama de microestruturas que é possível fabricar, e assim poder desenvolver novas formulações de forma mais sustentada e eficiente. Numa primeira fase, estabeleceu-se um caso de estudo (encapsulação de aspirina em etilcelulose, usando acetato de etilo como solvente e partindo de uma emulsão do tipo o/w), respectiva formulação de base e procedimento detalhado de fabrico laboratorial. Seleccionou-se ainda um conjunto de técnicas de análise da composição e microestrutura das microcápsulas produzidas. Numa segunda fase, foram efectuados diversos testes, variando a formulação inicial do produto e condições do processo de fabrico. A análise das microcápsulas produzidas revelou resultados importantes, principalmente quanto a características de superfície das partículas e à importância de algumas técnicas de análise para um estudo sistemático de formação de microcápsulas.; Microencapsulation by solvent evaporation is a widely used process in pharmaceutical applications...

Microencapsulação de dimetil dissulfeto (DMDS) por spray drying e spray congealing; Microencapsulation of dimethyl disulfide (DMDS) by spray drying and spray congealing

Salomão, Wellington Fioravante
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 27/08/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.8%
O dengue e o dengue hemorrágico são considerados como as arboviroses mais importantes do ponto de vista da saúde pública além de serem também as mais disseminadas. O greening ou huanglongbing (HLB), por sua vez, é uma doença de difícil controle e rápida disseminação que afeta seriamente a produção de citros no mundo todo. É considerada a pior doença de citros da atualidade pois não tem cura e leva ao declínio e morte das árvores em alguns anos. O DMDS é um composto sulfúrico volátil derivado de plantas e que tem despertado um crescente interesse devido a sua comprovada atividade repelente e inseticida além de ação nematicida e disinfectante do solo. Visando oferecer uma alternativa para o controle de ambas as doenças, este trabalho teve como objetivo desenvolver um método de microencapsulação por spray drying e spray congealing para o dimetil dissulfeto (DMDS), visando a redução da sua volatilidade através de uma liberação controlada para o ambiente. Dessa forma, tornar-se-ia viável sua utilização como repelente, larvicida e inseticida no combate ao vetor do dengue além da sua utilização como repelente no controle do greening nas lavouras de citrus. Tentou-se a microencapsulação através de spray congealing utilizando enxofre como microencapsulante mas não se obteve sucesso devido as características térmicas do enxofre. Foram obtidas micropartículas de DMDS microencapsulado em goma arábica através da técnica de spray drying. As micropartículas e o processo de secagem foram caracterizados com relação ao rendimento de secagem...

Microencapsulação de oleoresina de cúrcuma (curcuma longa l.) em matrizes de gelatina, goma arábica e colágeno hidrolisado

Zuanon, Larissa Angélica Cirelli
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 100 f. : il.
POR
Relevância na Pesquisa
37.34%
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP); Pós-graduação em Engenharia e Ciência de Alimentos - IBILCE; A cúrcuma (Curcuma longa L.) é originária do sudeste asiático, pertencente à família das Zingiberaceae. Depois de secos, os rizomas da cúrcuma podem ser submetidos a processos de extração, dando origem a óleos essenciais ou ao seu principal pigmento, a curcumina, um corante amarelo usado na indústria de alimentos para conferir cor e sabor. A curcumina é solúvel em etanol e outros solventes orgânicos, porém é insolúvel em meio aquoso, além de apresentar instabilidade em relação a diversos fatores físicos e ambientais, como à luz, ao pH e às altas temperaturas. Com o duplo objetivo de aumentar a estabilidade do pigmento e de suas propriedades funcionais, seja durante seu armazenamento ou durante a vida de prateleira dos alimentos nos quais seja utilizado como ingrediente, bem como facilitar sua utilização em meios aquosos, neste trabalho foi estudada a microencapsulação de oleoresina de cúrcuma utilizando misturas de gelatina / goma arábica e gelatina / colágeno hidrolisado como matrizes encapsulantes e empregando como métodos de secagem a liofilização e a secagem por aspersão (spray drying). Foram determinadas as proporções de agente encapsulante e oleoresina mais adequadas ao processo e as microcápsulas foram analisadas em relação à eficiência de encapsulação...

Microencapsulação de óleo de palma por coacervação complexa em matrizes de gelatina/goma arábica e gelatina/alginato

Marfil, Paulo Henrique Mariano
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 135 f. : il. color., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.64%
Pós-graduação em Engenharia e Ciência de Alimentos - IBILCE; Microencapsulation of palm oil may be able to protect it and promote its controlled release. For optimization of the microencapsulation process, it is necessary to quantify accurately the palm oil present externally and internally to the microcapsules. A spectrophometric method was developed and validated to be used in the determination of the efficiency of microencapsulation process of palm oil. First, the extraction of extern palm oil through five successive washes with organic solvent was standardized. Next, the best method to accomplish the rupture of the microcapsules was investigated. Through successive extractions with hexane, it was possible to determine the amount of palm oil contained internally. Measurements were made in a spectrophotometer and the proposed method was shown to be low cost, fast and of easy implementation. In addition, the validation step allowed us to observe that the method is safe and reliable, since it proved to be specific, accurate, precise and robust. Formation of electrostatic complexes between gelatin and sodium alginate was investigated as a possible system to microencapsulate palm oil by complex coacervation. Gelatin and sodium alginate solutions were prepared (0.25% w/v) in different pH values (2.0...

Seleção de material de parede para a microencapsulação de oleo essencial de laranja (citrus sinensis) atraves da secagem por atomização

Diego Palmiro Ramirez Ascheri
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/07/1997 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
No presente trabalho procedeu-se as comparações de agentes microencapsulantes, material de parede (mp), na microencapsulação de óleo essencial de laranja (material ativo) através do processo de secagem por atomização. Foram preparadas três amostras de emulsão pela adição de óleo essencial de laranja a uma solução aquosa do mp composta de capsul (5,0, 0,0 e 10,0%), goma arábica (5,0, 10,0 e 0,0%) sendo constante para as três amostras maltodextrina (36,0%), água (44,0%) e óleo essencial (10,0%). A seleção do mp foi feita comparando as características físicas das emulsões (densidade, viscosidade e tensão superficial), com as características físicas densidade, teor de umidade, sólidos totais, conteúdo de óleo e tamanho de partícula) das microcápsulas produzidas. Foram avaliadas as curvas de secagem das emulsOes, as características de adsorção de água a diferentes temperaturas 30, 40 e 50°C e a estabilidade e estrutura superficial das microcápsulas frente a retenção do óleo essencial de laranja. A microencapsulação foi obtida pela secagem por atomização, com temperaturas de 220°C e 110°C do ar de entrada e de saída da câmara de secagem, respectivamente, e com atomizador rotativo (20.000 rpm). A comparação das microcápsulas obtidas a partir das três amostras de emulsão mostrou que aquela preparada com 10...

Microencapsulação de Lactobacillus acidophilus e aplicação em queijo prato; Microencapsulation of Lactobacillus acidophilus and its application in prato cheese

Clarice Gebara Muraro Serrate Cordeiro Tenório
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/07/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.8%
A adição de micro-organismos probióticos em queijos tem sido explorada devido ao potencial desses produtos na proteção aos micro-organismos durante a estocagem e o consumo do produto, o que garante os efeitos benéficos à saúde conferidos pelos probióticos. O processo de microencapsulação é uma alternativa que pode aumentar a proteção dos micro-organismos probióticos adicionados aos produtos. Este estudo teve como objetivo a microencapsulação de Lactobacillus acidophilus e sua aplicação em queijo Prato. Primeiramente, foram avaliadas diferentes metodologias para a contagem seletiva de L. acidophilus, com o objetivo de selecionar o método mais eficiente para a contagem do probiótico adicionado ao queijo Prato produzido com Lactococcus lactis subsp. lactis e Lactococcus lactis subsp. cremoris. As metodologias consideradas seletivas, avaliadas tanto em culturas puras como em queijo Prato foram: ágar MRS adicionado de sorbitol incubado a 45ºC/72 horas em anaerobiose para contagem de L. acidophilus e ágar M17 incubado a 30ºC/72 horas em aerobiose para a contagem de Lactococcus lactis. Foram produzidas microcápsulas de pectina por gelificação iônica e coacervação complexa, recobertas com proteína de soro tratada ou não termicamente com a finalidade de avaliar o efeito do recobrimento sobre a viabilidade do L. acidophilus durante a simulação da passagem pelo trato gastrointestinal. As microcápsulas apresentaram alto teor de umidade...

Microencapsulação de ácido gálico através da técnica de spray chilling; Microencapsulation of gallic acid using the spray chilling technique

Larissa Consoli
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 21/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
Os compostos fenólicos são conhecidos por suas propriedades antioxidantes, mas podem apresentar susceptibilidade a fatores como oxigênio e luz, perdendo estas propriedades. A microencapsulação pode ser uma alternativa para a proteção destes compostos. A técnica de spray chilling apresenta vantagens como custo relativamente baixo e possibilidade de ampliação de escala. Este trabalho teve como objetivo a aplicação da tecnologia spray chilling à microencapsulação de compostos fenólicos, utilizando ácido gálico como composto fenólico modelo. Misturas de óleo de soja (OS) e óleo de soja totalmente hidrogenado (OSTH) (com proporções de 20 a 90 % de OSTH) foram avaliadas como materiais de parede. Os lipídios foram caracterizados quanto à composição em ácidos graxos, comportamento térmico por calorimetria de varredura diferencial (DSC) e isoterma de cristalização. Avaliou-se a capacidade de formação de partículas de cada mistura através da atomização em spray chilling. O ácido gálico (solução aquosa a 6 % g/g e 60 °C) foi disperso nas misturas lipídicas com o emulsificante PGPR (polirricinoleato de poliglicerol) para formação de emulsões, preparadas com 4 % de emulsificante (em relação à massa lipídica) e 4 minutos de agitação a 9.500 rpm. As micropartículas foram produzidas variando-se a proporção OSTH : OS (60:40...

Microencapsulação e liberação controlada do corante natural de urucum utilizando matriz polimérica de quitosana

Parize, Alexandre Luis
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 34 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.52%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Físicas e Matemáticas, Curso de Química.; O crescente interesse pelo emprego de corantes naturais, principalmente na indústria alimentícia, aliada a instabilidade destes compostos frente a fatores como pH, oxigênio e luz, torna necessário o desenvolvimento de técnicas para reduzir a instabilidade e prolongar o tempo de vida OW dos compostos. De encontro a essas necessidades, a técnica de microencapsulação passou a ser uma alternativa relevante. Neste trabalho foi investigada a eficiência do biopolímero quitosana no processo de microencapsulação do corante natural de urucum. A partir da quitosana purificada foram preparadas microesferas do polimero pelo método de separação de fases via coacervação simples. O corante foi impregnado nas microesferas de quitosana a partir de três métodos diferentes: adsorgão, coacervação e reticulação. A quantidade de corante impregnado foi determinada por espectrometria de UV. As diferentes amostras de microesferas foram caracterizadas por IV, TGA, DSC e MEV. A microscopia eletrônica de varredura comprova a impregnação do corante. As microesferas apresentaram-se sem poros e sem fissuras. 0 grau de intumescimento também foi analisado e foi verificado que as microesferas coacervadas possuem menor grau de intumescimento. Os dados experimentais obtidos no estudo de DSC...

Microencapsulação de óleo essencial de capim limão utilizando o processo de coacervação simples

Leimann, Fernanda Vitória
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 1 v.| il., tabs., grafs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.52%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química.; A microencapsulação é capaz de aumentar o tempo de vida útil de compostos voláteis, presentes em produtos alimentícios e cosméticos. No presente trabalho são apresentados os resultados da microencapsulação do óleo essencial de capim limão (Cymbopogom citratus) com poli(álcool vinílico) reticulado com glutaraldeído através da técnica de coacervação simples ou salting out. Foram avaliados quatro tipos de PVA com diferentes massas molares e graus de hidrólise. Os resultados experimentais mostraram que PVAs de elevado grau de hidrólise apresentam baixa ativação superficial, não estabilizando o óleo essencial e não formando microcápsulas. A distribuição de tamanho das microcápsulas apresentou estreitamento e deslocamento para faixas de diâmetro menores com o aumento da temperatura de reação, com a diminuição da fração volumétrica e com o aumento da taxa de agitação. A absorção de água, ou intumescimento, das microcápsulas foi diminuída com o aumento da razão de reticulação utilizada. A adição de nitrogênio ao meio de reação foi avaliada e os resultados indicaram que a taxa de reação foi maior. Foram testados um estabilizante...

Microencapsulação do óleo eugenol pelo método de spray drying

PEREIRA, Taize
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 47 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.85%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências Físicas e Matemáticas. Curso de Química.; O crescente interesse de aromas nas indústrias alimentícia, farmacêutica, cosmética entre outras, aliada a instabilidade destes compostos, frente a fatores como luz, reações oxidativas e a volatilidade, tornam necessário o desenvolvimento de técnicas para aumentar o tempo de vida útil destes compostos. Neste sentido, a técnica de microencapsulação passou a ser uma alternativa relevante. A microencapsulação pelo método de spray-drying, é um processo de pulverização e secagem de partículas líquidas e sólidas, muito utilizada principalmente pela indústria alimentícia, para dar estabilidade a flavorizantes, contra a degradação/oxidação. O objetivo deste estudo foi microencapsular o óleo eugenol, pela técnica de spray drying utilizando como agente encapsulante o biopolímero quitosana, com posterior caracterização das amostras obtidas. Os produtos resultantes da microencapsulação do óleo por atomização foram caracterizados através de microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectroscopia de infravermelho (IV) e análises térmicas (TGA e DSC). As análises de IV e DSC das amostras atomizadas sugere a presença de interação entre o óleo eugenol e a quitosana. De maneira geral...

Microencapsulação e estudo de liberação do Corante natural carmim de cochonilha

MARTINS, Alessandra Dalló
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: 49 f.
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.64%
TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Ciências Físicas e Matemáticas. Curso de Química.; A pigmentação de alimentos é uma prática freqüentemente usada na indústria para reparar a cor perdida no processamento ou para aperfeiçoar o aspecto do produto. Nos últimos anos a tendência é substituir os corantes artificiais com o seu equivalente natural, para os quais novos corantes são pesquisados. O ácido carmínico é proveniente do inseto Dactylopius coccus Costa, um parasita dos caules de cactos; cujas fêmeas são a única fonte de ácido carmínico,um corante vermelho, solúvel em água e não tóxico. O ácido carmínico é um dos aditivos aprovados pela legislação como um corante natural para o uso em alimentos. Atualmente para conferir estabilidade, melhorar a solubilidade e facilitar o manuseio dos corantes naturais tem-se utilizado a tecnologia de microencapsulação. A microencapsulação é uma técnica de imobilização de sólidos, gotículas de líquido ou material gasoso, em partículas denominadas microesferas, que podem liberar seu conteúdo sob velocidade e condições específicas. Este trabalho objetiva o estudo da estabilidade do corante natural carmim de cochonilha microencapsulado em matriz polimérica de quitosana. A partir da quitosana...

Microencapsulação de bactérias lácticas com potencial probiótico para produção de pasta de azeitona

Alves, Marta Sofia
Fonte: Faculdade de Ciências e Tecnologia Publicador: Faculdade de Ciências e Tecnologia
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.73%
Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Tecnologia e Segurança Alimentar/Qualidade Alimentar; Neste estudo foram aplicadas metodologias para avaliação da aptidão probiótica de estirpes de bactérias lácticas isoladas de processos de fermentação de azeitona da cultivar Galega. Das 156 estirpes de bactérias lácticas inicialmente isoladas 13 evidenciaram, em ensaios preliminares, tolerância aos ácidos e sais biliares do aparelho digestivo e mostraram ter um potencial probiótico. Nenhuma das estirpes mostrou capacidade hemolítica ou capacidade para degradar a mucina. Todas as estirpes apresentaram capacidades de auto-agregação (3,77-12,80%), co-agregação (8,38-45,70%) e aderência a células Caco-2 (0,83-15,3%). A atividade antimicrobiana e a resistência ao processo de digestão simulado foram também evidenciadas. Dos 13 isolados estudados, foram selecionados dois Lactobacillus plantarum para incorporação numa pasta de azeitona previamente preparada. Tendo em conta que a viabilidade das bactérias probióticas num produto, no momento de consumo, é um aspeto importante a ter em conta aquando da avaliação da sua eficácia e porque deve sobreviver durante o processamento, a vida útil do alimento, bem como tolerar as condições extremas do estômago e do intestino optou-se por recorrer à técnica da microencapsulação para proteção das células. Os resultados demonstraram que a microencapsulação é uma técnica eficaz para a sobrevivência das estirpes...

Microencapsulação de óleo essencial de laranja: seleção de material de parede

Ascheri,Diego P. R.; Marquez,Márcia O. M.; Martucci,Enny T.
Fonte: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos Publicador: Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.52%
No presente trabalho se procedeu à comparação de agentes microencapsulantes, material de parede (mp), na microencapsulação de óleo essencial de laranja (material ativo) através da secagem por atomização. Foram preparadas três amostras de emulsões pela adição de óleo essencial de laranja a uma solução aquosa do mp composta de capsul (5,0, 0,0 e 10,0%), goma arábica (5,0, 10,0 e 0,0%) sendo constante para as três amostras maltodextrina (36,0%), água (44,0%) e óleo essencial (10,0%). Foram avaliadas as curvas de secagem das emulsões frente à retenção do óleo essencial de laranja e a tendência de formação de dobras superficiais das partículas e verificou-se a hipótese "menor a tendência de formação de dobras na superfície das microcápsulas maior a retenção de material ativo". A microencapsulação foi obtida pela secagem por atomização, com temperaturas de 220ºC e 110ºC do ar de entrada e de saída da câmara de secagem, respectivamente, e com atomizador rotativo (20.000rpm). A comparação das microcápsulas obtidas a partir das três amostras de emulsões mostrou que aquela preparada com 10,0% de capsul e 0,0% de goma arábica apresentou o maior resultado. O período de taxa constante de secagem desta mistura é curto e com maior retenção de umidade após a secagem. As microcápsulas obtidas apresentaram maior retenção de óleo essencial e dobras superficiais menos pronunciadas decorrentes do menor entumescimento das gotículas durante a secagem.

Administração oral de peptídeos e proteínas: II. Aplicação de métodos de microencapsulação

Silva,Catarina; Ribeiro,António; Ferreira,Domingos; Veiga,Francisco
Fonte: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo Publicador: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.64%
A escolha de um método de Microencapsulação adequado para promover o aumento da biodisponibilidade oral de fármacos peptídicos depende das características físico-químicas do fármaco a encapsular, das condições operacionais e dos polímeros utilizados. Nesta abordagem é feita uma avaliação dos diversos métodos de Microencapsulação e sua aplicação na administração oral de peptídeos e proteínas. As técnicas de Microencapsulação que utilizam polímeros de origem natural, não recorrendo a condições drásticas de preparação, são consideradas opções privilegiadas.

Microencapsulação do óleo essencial de laranja

Muller, Piscila Schultz
Fonte: Universidade Federal do Paraná Publicador: Universidade Federal do Paraná
Tipo: Teses e Dissertações Formato: application/pdf
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
37.64%
Resumo: A grande producao de laranjas no mundo e particularmente no Brasil faz com que os subprodutos do seu processamento tenham alto valor comercial. Dentre eles, tem-se, por exemplo, o oleo de casca de laranja obtido por prensagem a frio, que constitui materia prima de grande valor na industria de aromatizantes, podendo ser utilizado para reforcar o aroma de laranja em sucos. O oleo essencial de laranja apresenta alta volatilidade e sensibilidade a oxidacao pelo efeito de temperatura, luz e oxigenio. A tecnica de microencapsulacao permite o aumento do tempo de vida util de compostos volateis presentes durante o processamento e a estocagem de produtos alimenticios e cosmeticos. No presente trabalho foi estudada a viabilidade do uso da microencapsulacao de oleo essencial de laranja atraves de dois metodos. Um deles pela secagem por spray dryer, utilizando a maltodextrina e amido modificado e o segundo pelo metodo de microencapsulacao por coacervacao, o qual foi realizado com alginato de sodio. Pelas analises morfologicas as microparticulas de oleo essencial de laranja com maltodextrina e amido modificado obtidas por spray dryer e com alginato de sodio obtidas por coacervacao apresentaram superficie lisa e homogenea. As de maltodextrina e amido modificado por spray dryer apresentaram granulometria media de 1...

Comparação dos métodos de emulsificação e spray drying na microencapsulação de lactobacillus acidophilus(LA-5) e aplicação em sorvete

Lorenz, Juliana Goulart
Fonte: Universidade Federal de Santa Catarina Publicador: Universidade Federal de Santa Catarina
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 215 p.| il., grafs., tabs.
POR
Relevância na Pesquisa
37.85%
Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Ciência dos Alimentos, Florianópolis, 2009.; Em uma primeira etapa do trabalho foi comparado o efeito de duas técnicas de microencapsulação na viabilidade de Lactobacillus acidophilus (La-5) durante a estocagem em baixa temperatura e sob condições gastrointestinais simuladas. Para isso a bactéria probiótica foi microencapsulada em gel de alginato por emulsificação e por spray drying. As diferentes microcápsulas foram submetidas à análise de microestrutura e a testes de sobrevivência em -18 ± 2 ºC, em pHs ácidos ( pH 1,0, 2,0 e 3,0) e em sais de bile (0,5 % e 1,0 %). Tanto a microencapsulação por emulsificação como a microencapsulação por spray drying, foram eficientes para a proteção da bactéria probiótica contra possíveis danos causados pela estocagem em baixa temperatura. Entretanto, a técnica de emulsificação produziu microcápsulas menos resistentes às condições de pH ácido e sais de bile do que o spray drying. Considerando estes resultados, em uma segunda etapa do trabalho dois sorvetes foram elaborados, um contendo a bactéria probiótica livre (não encapsulada) e o outro contendo a bactéria probiótica microencapsulada por spray drying. Foi avaliada a influencia da microencapsulação na viabilidade da bactéria probiótica adicionada no sorvete e nas características físico-químicas e aceitabilidade sensorial do produto. A microencapsulação melhorou significativamente (p < 0...

Oral delivery system for peptides and proteins: II. Application of microencapsulation methods; Administração oral de peptídeos e proteínas: II. Aplicação de métodos de microencapsulação

Silva, Catarina; Ribeiro, António; Ferreira, Domingos; Veiga, Francisco
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/03/2003 POR
Relevância na Pesquisa
37.64%
Choosing an appropriate microencapsulation method to improve the oral bioavailability of peptide drugs depends on the drug physico-chemical properties, operation conditions and selected polymers. Microencapsulation techniques and its application in peptide and protein oral delivery are reviewed. Natural polymers and techniques involving no harsh conditions such as extreme pH, high temperature and solvents use are the most important when encapsulating peptide drugs.; A escolha de um método de Microencapsulação adequado para promover o aumento da biodisponibilidade oral de fármacos peptídicos depende das características físico-químicas do fármaco a encapsular, das condições operacionais e dos polímeros utilizados. Nesta abordagem é feita uma avaliação dos diversos métodos de Microencapsulação e sua aplicação na administração oral de peptídeos e proteínas. As técnicas de Microencapsulação que utilizam polímeros de origem natural, não recorrendo a condições drásticas de preparação, são consideradas opções privilegiadas.