Página 1 dos resultados de 108 itens digitais encontrados em 0.002 segundos

Fungos, micotoxinas e fitoalexina em variedades de amendoim do plantio ao armazenamento.; Fungi, mycotoxins phytoalexin in peanut varieties, during plant growth from the field to storage.

Zorzete, Patricia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 07/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
27.2%
O trabalho avaliou micobiota, contaminação por aflatoxinas (AFB), ácido ciclopiazônico (ACP) e fitoalexina (trans-resveratrol) nas variedades de amendoim Runner IAC 886 e IAC-Caiapó, no campo e armazenamento. Nas amostras de campo, na IAC 886 predominou Fusarium spp. nos grãos e cascas, contaminação por AFB em 30% dos grãos, ACP em 70% e trans-resveratrol em 5%. Na IAC-Caiapó prevaleceu Fusarium spp., em todas as amostras, AFB em 25% dos grãos, ACP em 55% e trans-resveratrol em 15%. Nas folhas, trans-reveratrol estava presente em 70%, nas variedades. No armazenamento, observou-se maior freqüência de A. flavus, A. parasiticus. Na IAC 886 AFB foi detectada em 20% nos grãos e 23% nas cascas e ACP em 80% dos grãos. Na IAC-Caiapó, AFB foi encontrada em 13% tanto nas amostras de grãos, como nas cascas e ACP em 70% dos grãos. Os resultados do potencial toxigênico de A. flavus revelaram 81% produtores de aflatoxinas, 95% de ACP e 75% de ambas. Todos A. flavus produtores de esclerócios pertenciam ao grupo L.; This study had assessed mycobiota, contamination by aflatoxins (AFB), cyclopiazonic acid (CPA) and phytoalexin (trans-resveratrol) in the peanuts varieties Runner IAC 886 and IAC-Caiapó, in the field and storage. In the Field samples...

Micobiota e ocorrência de fumonisinas em diferentes genótipos de milho transgênico (Bt).; Mycobiota and occurrence of fumonisins in different genotypes of transgenic corn (Bt).

Barroso, Vinicius de Morais
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.52%
Fusarium verticillioides, produtor de fumonisinas, é comumente associado aos grãos de milho. O objetivo proposto foi pesquisar a micobiota e fumonisinas em diferentes genótipos de milho transgênico (Bt) e seus respectivos controles. A micobiota dos grãos, realizada pela técnica da semeadura direta, revelou a presença de variados gêneros fúngicos. As cepas de Fusarium isoladas foram identificadas até espécie por metodologia clássica e molecular. A atividade de água média nos híbridos foi superior a 0,90. Observamos maior contaminação fúngica nos controles, com exceção do 2B710Hx. A freqüência relativa do gênero Fusarium nos diferentes híbridos revelou menor contaminação nos transgênicos, excetuando o AG8088 VTPRO. F. verticillioides foi o fungo mais frequente. A análise de fumonisinas, revelou fumonisina B1 em 92,5 % das amostras e fumonisina B2 em 47,1%. Não foi constatada variação na produção de fumonisinas nos genótipos 2B710 e 30F35 (transgênico e não transgênico). Já para o genótipo AG8088 houve menor produção de fumonisina B1 na variedade transgênica.; Fusarium verticillioides, fumonisin producer, is commonly associated with corn kernels. The proposed objective was to investigate the mycobiota and fumonisins in different genotypes of transgenic corn (Bt) and their respective controls. The mycobiota of grain...

Sistemas de rotação de culturas e infecção de grãos de milho por Fusarium verticillioides em regiões produtoras no estado de São Paulo.; Crop rotation systems and infection of maize grains by Fusarium verticillioides in maize-producing regions in the state of São Paulo.

Atayde, Danielle Diniz
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 20/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
27.2%
Propomos avaliar a influência da rotação de culturas na infecção de milho transgênico (Bt) e cobertura morta por F. verticillioides e na presença de fumonisinas em amostras provenientes de Palmital e Capão Bonito. O isolamento fúngico da cobertura morta e do milho foi realizado em DG18 e DRBC, respectivamente. Os fungos isolados pertencentes ao gênero Fusarium foram identificados até espécie. Utilizamos, para análise de fumonisinas, Cromatografia Líquida de Alta Eficiência. Micobiota da cobertura morta revelou maior frequência de Cladosporium spp. Nas amostras de milho, F. verticillioides foi o fungo mais isolado. Dentro do gênero Fusarium, a espécie F. verticillioides foi a mais frequente. Análise micotoxicológica do milho revelou a presença de fumonisinas em 88,9% das amostras provenientes de Palmital e em 86,1% de Capão Bonito. Dos isolados de F. verticillioides 84,6% foram produtores de FB1 + FB2. A presença de F. verticillioides e fumonisinas nos grãos de milho estabelece um problema econômico e de saúde pública.; The objective of this study was to evaluate the influence of crop rotation systems on the infection of maize grains and mulch by F. verticillioides and on the presence of fumonisins in maize samples collected in Palmital and Capão Bonito. Surface seeding (DG18) and direct seeding (DRBC) were employed for fungal isolations from mulch and maize...

Micobiota e ocorrência de micotoxinas em amostras de castanha-do-Brasil provenientes de diferentes estados brasileiros.; Mycobiota and mycotoxins in Brazil nut samples from different Brazilian states.

Reis, Tatiana Alves dos
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 24/02/2014 PT
Relevância na Pesquisa
27.2%
O objetivo deste estudo foi avaliar a presença de fungos e micotoxinas [aflatoxinas e ácido ciclopiazônico (ACP)] em amostras de castanha-do-Brasil coletadas em diferentes estados da região Amazônia brasileira: Acre, Amazonas, Amapá e Pará. Um total de 200 amostras de casca e 200 amostras de amêndoa foram semeadas em ágar Aspergillus flavus-parasiticus para pesquisa da micobiota. As micotoxinas foram analisadas por cromatografia líquida de alta eficiência. A morfológica clássica e a análise molecular revelou a presença dos seguintes fungos, em ordem decrescente de frequência: Phialemonium spp., Penicillium spp., Fusarium spp., Phaeoacremonium spp. e Aspergillus spp. A presença de aflatoxinas e ACP foi detectada em amostras de amêndoa, na frequência de 11% e 22%, respectivamente. Aspergillus nomius e Aspergillus flavus foram as espécies mais isoladas de Aspergillus. A presença de fungos não implica necessariamente na contaminação por micotoxinas, porém a amêndoa da castanha-do-Brasil parece ser um bom substrato para o crescimento de fungos.; The aim of this study was to evaluate the presence of fungi and mycotoxins [aflatoxin and cyclopiazonic acid (ACP)] in Brazil nut samples collected in different States of the Brazilian Amazon: Acre ...

Avaliação da micobiota de grãos de café e dos metabolitos fungicos na qualidade da bebida; Evaluation of coffe bean mycobiota and fungal metabolites on beverage quality

Beatriz Thie Iamanaka
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 27/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
27.52%
O café passa por vários processos até chegar a ser consumido como bebida e vários fatores contribuem para a sua qualidade final, dentre eles a população microbiana presente. A contaminação dos grãos pelos microrgranismos é diversificada, envolvendo a participação de bactérias, bolores e leveduras, com a predominância de um ou outro grupo, dependendo da etapa de processamento dos grãos. Existem evidências, ainda não conclusivas de que vários fungos presentes no café podem produzir uma série de compostos que podem vir a prejudicar a qualidade da bebida. Esta pesquisa teve como objetivos analisar a micobiota dos grãos obtidos em diferentes etapas da cadeia produtiva do café; investigar a produção dos compostos voláteis produzidos pelos isolados e o impacto dos mesmos na qualidade da bebida e; avaliar sensorialmente a bebida, correlacionando com os fungos presentes. A micobiota de 41 amostras de grãos de café cru, de duas regiões produtoras do Brasil, Cerrado Mineiro/MG e Piraju/SP foram analisadas. As amostras foram coletados do pé (cereja), do solo (varreção), do terreiro (maduro, seco e passas no pé e verde) e da tulha (estocagem) e comparados dois tipos de preparo dos grãos: secagem natural e cereja descascado. As amostras de Minas Gerais apresentaram baixa infecção fúngica...

Micobiota foliícola de Salacia crassifolia

Santos, Leila Terezinha Pereira dos
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
27.52%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Ciências Biológicas, Departamento de Fitopatologia, 2011.; Salacia crassifolia (Celastraceae) ou ―bacupari do Cerrado‖ é uma planta nativa com frutos saborosos semelhantes aos de lichia, além de ser utilizada na medicina popular, portanto com potencial para exploração em fruticultura. Um estudo da sua micobiota foliícola foi realizado analisando 21 coletas de folhas de S. crassifolia, provenientes do Distrito Federal, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, contendo fungos a elas associados. Como resultado descreveu-se 32 fungos sendo 11 celomicetos, (Dinemasporium cytosporoides, duas espécies de Geastrumia, Leptothyrium sp., Ciferrioxyphium sp., Scolecoxyphium sp., Peltasteropsis sp., Phomopsis sp., Setodochium sp., Stigmopeltis sp. e um provável gênero novo de celomiceto), hifomicetos (Eriocercospora sp., Zygosporium sp., Chalara sp.) e 16 ascomicetos (Asterina salaciae, Micropeltis heptaphyllica, Staibia connari, Uleothyrium amazonicum, Chaetothyrina sp., Dysrhynchis sp., Lembosia sp., Meliola sp., Nectriopsis sp., Nematostigma sp., Schizothyrium sp., Scopinella sp., duas espécies de Stomiopeltis e um provável gênero novo de Phyllachoraceae) e 3 anamorfos associados (Asterostomella sp.– anamorfo de Asterina; Septothyrella uleana– anamorfo de Uleothyrium; além de um celomiceto anamorfo de Lembosia sp.). Assim...

Estudo da micobiota em conjuntiva sadia de diabéticos, residentes na área urbana da cidade de São Paulo - Brasil

Andrade,Alfredo José Muniz de; Höfling-Lima,Ana Luisa; Yu,Maria Cecília Zorat; Godoy,Patricio; Gompertz,Olga Fischman; Bonfim,Sabrina de Souza; Andrade,Francisco Eudes Muniz de
Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia Publicador: Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2006 PT
Relevância na Pesquisa
27.84%
OBJETIVOS: Determinar a micobiota de conjuntiva sadia em indivíduos diabéticos, segundo tipo de diabetes, idade, sexo, tempo de doença, tipo de tratamento e estádio da retinopatia. Estabelecer a micobiota anemófila nas salas de colheita. MÉTODOS: Estudo transversal de 803 diabéticos residentes na zona urbana de São Paulo - SP/Brasil. Foi usado para primo-isolamento o meio de cultivo ágar Sabouraud dextrose com cloranfenicol e para identificação dos fungos filamentosos a chave de De Hoog. RESULTADOS: Dos diabéticos avaliados, 6,6% (53/803) apresentavam diabetes tipo 1 e 93,4% (750/803) tipo 2. Os cultivos positivos para fungos em conjuntiva de diabéticos foi 4,2% (34/803), sendo 1,9% (1/53) nos diabéticos tipo 1 e 4,4% (33/740) nos diabetes tipo 2 (p=0,720). Não foi verificada associação estatisticamente significante quanto à presença ou não de isolamentos de fungos em relação idade (p=0,575), sexo (p=0,517), tempo de doença (p=0,633), tipo de tratamento (p=0,422) e estádio de retinopatia diabética (p=0,655) desses indivíduos. Todos os fungos identificados foram filamentosos: Aspergillus spp. representou 59,5% (25/42) dos isolamentos sendo 47,6% (20/42) Aspergillus niger. Ocorreu crescimento de fungos anemófilos do ar ambiente da sala...

Radiação gama sobre a micobiota de ração avícola e Aspergillus spp.

Ribeiro,Jéssika Mara Martins; Cavaglieri,Lilia Renée; Vital,Hélio de Carvalho; Kruger,César Daniel; Rosa,Carlos Alberto da Rocha
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria Publicador: Universidade Federal de Santa Maria
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2009 PT
Relevância na Pesquisa
27.52%
O objetivo deste experimento foi investigar o efeito da radiação gama sobre a micobiota natural de ingredientes e ração avícola e seu impacto sobre espécies de Aspergillus spp. Para tanto, fubá, farelo de soja e ração foram expostos a uma fonte de césio-137 nas doses 0; 3,5; 8 e 15kGy. Amostras de milho, inoculadas com suspensão de conídios de Aspergillus spp., foram irradiadas com doses de 0 a 8kGy. Observou-se redução das contagens com o aumento da dose, obtendo-se eliminação da micobiota com 8kGy. Uma maior radiossensibilidade de leveduras foi observada em comparação a fungos filamentosos, e aqueles que resistiram à dose de 3,5kGy pertenciam, em sua maioria, aos gêneros Cladosporium spp., Curvularia spp., Fusarium spp. e Aspergillus spp. As espécies A. flavus e A. parasiticus mostraram-se mais radiorresistentes que as demais avaliadas. Redução na conidiogênese e presença de estruturas de resistência foram detectadas logo após a irradiação. Constatou-se também que, após repiques em meios nutritivos, os isolados irradiados recuperaram a taxa de crescimento normal. Verificou-se ainda que o estresse metabólico induzido pela irradiação promoveu aumento na produção de aflatoxina B1 e ocratoxina A.

Análise da micobiota associada à entomofauna em rações a granel para animais domésticos

Aquino,S.; Potenza,M.R.
Fonte: Instituto Biológico Publicador: Instituto Biológico
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.2%
Insetos podem infestar sementes e grãos que integram as rações destinadas à alimentação de pequenos roedores e aves domésticas como amendoim, girassol, trigo, milho, aveia e outros. Fungos toxigênicos (Aspergillus, Penicillium e Fusarium) também são contaminantes destes substratos e podem ser carreados por insetos. A deterioração da massa de sementes e grãos pela atividade dos insetos associado à presença de umidade, pode ser um facilitador para o crescimento fúngico e produção de micotoxinas. O objetivo do estudo foi o de analisar a micobiota associada às sementes, grãos e insetos em ração mista para animais domésticos. Vinte amostras foram plaqueadas em ágar-batata-dextrose incubadas a 25º C durante 7 dias para o isolamento fúngico de ração e em insetos isolados de cada componente da ração. Todas as amostras apresentaram presença de fungos e Sitophilus zeamais, inseto predominante e com maior frequencia nas amostras coletadas, demonstrando ser um vetor de vários gêneros fúngicos. Rações animais compostas de misturas de sementes e grãos estão sujeitas à contaminação microbiológica, sendo os insetos importantes vetores mecânicos de fungos deteriorantes e toxigênicos, comprometendo a saúde animal.

Micobiota parasitária de escleródios de Sclerotinia sclerotiorum isolada de solos da fronteira oeste do Rio Grande do Sul

Ethur,Luciana Zago; Copatti,Andrio Spiller; Fipke,Glauber Monçon; Calvano,Caroline Carvalho Aguirre; Pazini,Juliano de Bastos
Fonte: Instituto Biológico Publicador: Instituto Biológico
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2014 PT
Relevância na Pesquisa
27.2%
O objetivo do presente trabalho foi identificar a diversidade da micobiota parasitária e o tempo decorrido até o início do parasitismo de escleródios de Sclerotinia sclerotiorum em solos da fronteira oeste do Rio Grande do Sul (RS). Foram coletados solos agrícolas e não agrícolas de cinco localidades na fronteira oeste do Rio Grande do Sul. O isolamento dos fungos foi realizado por meio do teste de iscas, sendo que as iscas foram os escleródios do fitopatógeno, os quais permaneceram enterrados no solo durante 15, 30 e 60 dias. Os fungos foram identificados em nível de gênero. Os gêneros fúngicos encontrados parasitando escleródios foram: Trichoderma, Penicillium, Aspergillus, Fusarium, Pythium (Cromista), Clonostachys rosea (Gliocladium), Chaetomium, Curvularia, Phytophthora (Cromista), Rhizopus, Lichtheimia (Absidia), Mucor, Acremonium, Periconia e Isaria. Observou-se que os escleródios foram parasitados pelos fungos até 15 dias depois de serem enterrados, e deste período em diante apenas a frequência de ocorrência dos fungos mudou. Concluiu-se que os gêneros fúngicos Isaria, Periconia, Acremonium, Lichtheimia (Absidia), Phytophthora...

Diversidade de Trichocomaceae isolada de solo e serrapilheira de Floresta Atlântica

Fraga,Marcelo Elias; Pereira,Marcos Gervasio
Fonte: Instituto de Florestas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Florestas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
27.2%
O presente trabalho teve como objetivo avaliar a diversidade e a sucessão da família Trichocomaceae em áreas com diferentes graus de antropização, denominadas área mais impactada e área menos impactada. O estudo foi realizado no Parque Natural Municipal do Curió, Paracambi-RJ. Foram selecionadas duas áreas, com diferentes graus de alteração antrópica, sendo em cada uma destas delimitado um talhão de aproximadamente 1.000 m², sendo nestes realizadas coletas de terra e serrapilheira para a avaliação da fertilidade e da micobiota. De maneira geral, observa-se que, na área mais impactada, ocorreram os maiores valores de pH, Ca e K. Os maiores valores de serrapilheira aportada, observados nesta área, também contribuem para os maiores valores de K, elemento facilmente lixiviável no material em decomposição. Os maiores valores de Unidades Formadoras de Colônias (UFC) no solo e na serrapilheira, 9 × 10(4) e 5,4 × 10(4), respectivamente, foram observados na área mais impactada. Também nesta área foram verificados os maiores valores de Ca no solo e na serrapilheira, o que sugere que esse nutriente pode estar contribuindo para o maior número de UFCs. Para a área menos impactada, os valores de UFC estiveram entre 4 × 10(4) para serrapilheira e 5 × 10(4) para o solo...

Micodiversidade Associada a Árvores de Copaifera langsdorffii Desf. em Brasília, Distrito Federal

Tavares de Castro,Marcelo
Fonte: Instituto de Florestas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Publicador: Instituto de Florestas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2015 PT
Relevância na Pesquisa
27.71%
Estudos com vista a ampliar o conhecimento sobre as espécies fúngicas associadas a plantas nativas do Cerrado bem como a treinar recursos humanos capazes de identificar e conservar a diversidade de fungos nesse ecossistema são de fundamental importância, principalmente quando se analisa a magnitude da micobiota, sua riqueza de espécies e diversidade de habitat. Com base nisso, este trabalho teve como objetivo definir o conjunto de espécies fúngicas associadas à Copaifera langsdorffii (copaíba), levando a uma ampliação do conhecimento micológico regional. Para tanto, foram coletadas amostras de ramos e folhas de copaíba com sintomas e sinais de fungo em Brasília, Distrito Federal, e a micobiota associada foi identificada com o auxílio de chaves apropriadas. Como resultado, oito fungos foram encontrados: Diorchidium copaifera, prováveis novas espécies de Stigmopeltis, Geastrumia, Metathyriella, Treubiomyces e Leptosphaeria, e dois prováveis gêneros novos do grupo dos celomicetos. A partir desse estudo é possível inferir que há uma grande diversidade de fungos em árvores do Cerrado e que sua micobiota ainda foi pouco explorada e identificada.

Micobiota do solo de uma área de duna na restinga da Marambaia, Rio de Janeiro, RJ.

FRAGA, M. E.; PEREIRA, M. G.; SOUZA, F. A. de
Fonte: Floresta e Ambiente, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 30-36, jan./jun. 2010. Publicador: Floresta e Ambiente, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 30-36, jan./jun. 2010.
Tipo: Artigo em periódico indexado (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.71%
Este trabalho avaliou a micobiota do solo de uma duna nos terços inferior, médio e superior de encosta, localizada na Restinga da Marambaia, RJ. A área de estudo com aproximadamente 500 m2 está dividida em três terços, com a vegetação variando de arbustiva a arbórea. Foi delimitada uma gleba de dimensões de 50 x 50 m, onde foram abertas cinco minitrincheiras até a profundidade de 10 cm para coleta, sendo coletadas três amostras compostas formadas a partir da reunião de cinco amostras simples para análise do solo e caracterização da micobiota. A fertilidade do solo indicou que o terço inferior apresentou maiores teores de alumínio e menores de nutrientes. As unidades formadoras de colônias de fungos variaram de 4,6 x 103 a 9 x 104 ufc.g-1. Quarenta e nove fungos, num total de 85 isolados, pertencentes a 13 gêneros e 32 espécies foram identificados. Os gêneros mais frequentes foram Penicillium, Aspergillus e Trichoderma. A maior riqueza ocorreu no terço médio, porém uma espécie (Trichoderma pseudokoningi) foi comum entre as áreas. Este trabalho sugere que a Restinga da Marambaia apresenta grande diversidade fúngica.; 2010

Micobiota associada a Hypothenemus hampei em Coffea canephora.

GAMA, F. de C.; TEIXEIRA, C. A. D.; COSTA, J. N. M.
Fonte: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 4., 2005, Londrina. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2005. 1 CD-ROM. Publicador: In: SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL, 4., 2005, Londrina. Anais... Brasília, DF: Embrapa Café, 2005. 1 CD-ROM.
Tipo: Artigo em anais de congresso (ALICE)
PT_BR
Relevância na Pesquisa
27.2%
2005

Micobiota da rizosfera, rizoplano e endófita de raízes de Vitis labrusca L. CV. Isabel

Lima, Thaís Emanuelle Feijó de; Cavalcanti, Maria Auxiliadora de Queiroz (Orientadora); Bezerra, José Luiz (Coorientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Tese de Doutorado
BR
Relevância na Pesquisa
37.71%
Este trabalho objetivou (1) determinar a micobiota da rizosfera, do rizoplano e endófita de raízes de Vitis labrusca cv. Isabel; (2) avaliar a patogenicidade e a capacidade de recolonização de algumas espécies endófitas selecionadas em folhas e raízes; (3) determinar a frequência de ocorrência dos fungos isolados e a similaridade entre a micobiota endófita das raízes, do rizoplano e da rizosfera; (4) determinar o padrão de recolonização e a patogenicidade (capacidade de ser um patógeno latente) de espécies endófitas selecionadas através da inoculação em mudas de V. labrusca, e, (5) confirmar, através de técnicas moleculares (ISSR), a identificação das espécies inoculadas e re-isoladas. De janeiro a dezembro de 2011 foram efetuadas seis coletas da rizosfera e raízes de V. labrusca cv. Isabel em São Vicente Férrer, Pernambuco. Fragmentos de raízes (324) foram desinfestados em álcool 70% (1min), hipoclorito de sódio a 3% (2 min), álcool 70% (30s), e em seguida lavados com água destilada esterilizada (ADE) e incubados em meio Batata-Dextrose-Ágar (BDA) + cloranfenicol (50mg/L-1). As amostras de rizosfera foram submetidas à técnica de diluição sucessiva, onde 25g de solo foram suspensos em 225ml de ADE. Desta diluição...

Diversidade de fungos filamentosos associados a Hypothenemus hampei (Ferrari) (Coleoptera: Scolytidae) e suas galerias em frutos de Coffea canephora (Pierre)

Gama,Farah de C.; Teixeira,César A.D.; Garcia,Alvanir; Costa,José N.M.; Lima,Daniela K.S.
Fonte: Sociedade Entomológica do Brasil Publicador: Sociedade Entomológica do Brasil
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2006 PT
Relevância na Pesquisa
27.52%
Amostragens de campo foram realizadas em Ouro Preto d'Oeste (10°45'S e 62°15'W) para avaliar a micobiota associada a Hypothenemus hampei Ferrari [cutícula, aparelho bucal, protórax (micângia), tubo digestivo e fezes] e suas galerias em frutos de Coffea canephora Pierre. Dez gêneros (201 isolados) estavam diretamente relacionados com o inseto, enquanto cinco gêneros (20 isolados) estavam relacionados com galerias do inseto nos frutos. Todos os gêneros identificados associados aos insetos estavam também presentes nas suas galerias, o que indica que o broqueamento pode significar um modo ativo de inoculação de fungos por H. hampei. Na broca, a diversidade de gêneros de fungos foi maior no aparelho bucal e protórax e menor nas fezes. Fusarium, Penicillium e Geotrichum, com abundâncias de 55,7, 24,3 e 10,8%, respectivamente, foram os gêneros dominantes. Nas galerias Fusarium, Geotrichum, Trichoderma e Aspergillus com abundância de 33,3; 29,6; 18,5 e 14,8%, respectivamente, foram os gêneros dominantes. A presença de Fusarium no inseto e suas galerias reforça indicações anteriores de uma interação íntima entre H. hampei-Fusarium. A presença de Aspergillus e Penicillium enfatiza a possibilidade de dispersão da ocratoxina pela broca. Este trabalho fornece o primeiro registro da micobiota associada a H. hampei em C. canephora. Entre os gêneros identificados...

Constituição da micobiota aérea de bibliotecas públicas no município de Fortaleza, Estado do Ceará, Brasil; Constitution of the airborne mycobiota of public libraries in the municipality of Fortaleza, Ceará, Brazil

Pantoja, Lydia Dayanne Maia; Universidade Federal do Ceará - UFC; Rizzo, Roberta Silva; Universidade Estadual do Ceará.; Carvalho, Bruno Silva; Universidade Estadual do Ceará.; Ferreira, Victor Conde; Universidade Estadual do Ceará.; Galas, Kandarpa S
Fonte: Departamento de Ciência da Informação – UFSC Publicador: Departamento de Ciência da Informação – UFSC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Pesquisa Experimental; Formato: application/pdf
Publicado em 05/08/2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.52%
http://dx.doi.org/10.5007/1518-2924.2012v17n34p31Estudos da qualidade do ar de diferentes tipos de ambientes fechados vêm merecendo atenção, devido principalmente à grande quantidade de substratos favoráveis à ação de agentes biodegradadores, como os fungos anemófilos, sobre os acervos escritos e digitais. A presente pesquisa identificou e monitorou a micobiota aérea de 04 bibliotecas públicas de referência no município de Fortaleza-CE, durante 24 meses (janeiro/2009 a dezembro/2010). A coleta foi realizada pelo método da sedimentação passiva das partículas presentes no ar em placas de Petri contendo Ágar Batata Dextrose (Himedia®). Essas placas foram dispostas, bimestralmente, em diversos setores das bibliotecas: acervo de obras, área de pesquisa, sala de leitura, sala de documentos históricos e em áreas administrativas (secretaria), perfazendo 240 amostras. As placas foram incubadas por 7 dias (26 – 28 °C) com posterior contagem global e identificação das colônias fúngicas baseada nas análises macro e micromorfológicas. Nas bibliotecas A, B, C e D foram contabilizadas 3.347, 5.874, 6.328 e 5.333 colônias fúngicas, respectivamente e identificados 61 diferentes achados fúngicos (34 gêneros e 27 espécies fúngicas)...

Micobiota del filoplano en plátano Harton (Musa AAB), en el municipio Francisco Javier Pulgar del estado Zulia, Venezuela¹

Urdaneta G,L. M.; Delgado A,A. E.; Sosa,L.; Piñeiro,A.
Fonte: Facultad de Agronomía. Universidad del Zulia Publicador: Facultad de Agronomía. Universidad del Zulia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2002 ES
Relevância na Pesquisa
37.52%
En el municipio Francisco Javier Pulgar, mayor productor de plátano hartón (Musa AAB) del estado Zulia, la producción esta siendo seriamente limitada por las enfermedades foliares causadas por hongos. Con la finalidad de determinar la diversidad de hongos (saprófitos y patógenos) que están presentes en dicha zona platanera se realizó un censo de la micobiota del filoplano del plátano. Durante el período Junio - Noviembre del año 1999 se realizaron cuatro muestreos en cada una de las nueve fincas seleccionadas. La superficie muestreada fue 99 ha, la cual se determinó a través de la fórmula de Cochran. Se recolectaron hojas con diversos tipos de lesiones foliares y secciones de las mismas se colocaron durante 5-15 días en cajas de Petri con papel filtro humedecido y esterilizado a temperatura ambiente promedio de 25-28 ºC. Mediante análisis microscópicos se logró identificar 49 hongos, de los cuales 21 son saprófitos y 28 fitopatógenos. Del total de hongos encontrados 38 especies pertenecen ubican como hongos mitospóricos, 9 en la División Ascomycota, 1 en la Basidiomycota y 1 en la Oomycota.

"Identificación de la micobiota del filoplano del cacaotero (Theobroma cacao L.), en el municipio Carraciolo Parra Olmedo, estado Mérida, Venezuela"

Urdaneta G.,L.M.; Delgado A,A.E.
Fonte: Facultad de Agronomía. Universidad del Zulia Publicador: Facultad de Agronomía. Universidad del Zulia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2007 ES
Relevância na Pesquisa
37.52%
El estado Mérida es el mayor productor de cacao en la zona occidental, aunque con rendimientos que representan el 50% del promedio mundial, debido al predominio de plantaciones viejas e improductivas que por mucho tiempo no han recibido el manejo agronómico que el cultivo requiere. Por la ausencia de manejo fitosanitario en las plantaciones se presentan diversas enfermedades que afectan el follaje, flores, frutos y raíces, y ante esta problemática se realizó la identificación de la micobiota del filoplano de las hojas del cacaotero con la finalidad de determinar la diversidad de hongos que están presentes en el follaje de este cultivo. Durante el período septiembre - noviembre del año 2002 se realizaron tres muestreos para cada una de las cinco fincas seleccionadas. Se recolectaron hojas sanas y secciones de estas hojas se colocaron durante 5-15 días en cámara húmeda en cajas de Petri con papel de filtro estéril y a temperatura ambiente promedio de 28ºC. De los análisis microscópicos de los diversos hongos aislados y con el uso de claves taxonómicas se logró identificar 48 hongos. Las especies más abundantes fueron Curvularia lunata (67-100%), Nigrospora sphaerica (53-100%) y Colletotrichum gloeosporioides (67-93%). Se confirma la presencia de los hongos Colletotrichum gloeosporioides...

Micobiota y nematodos asociados con la rizósfera y raíz en el cultivo de ajo (Allium sativum L.)

Jiménez,María Auxiliadora; Ulacio,Dilcia; Perdomo,Wilfredo; Briceño,Elizabeth
Fonte: Decanato de Agronomía de la Universidad Centroccidental "Lisandro Alvarado" (UCLA) Publicador: Decanato de Agronomía de la Universidad Centroccidental "Lisandro Alvarado" (UCLA)
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2009 ES
Relevância na Pesquisa
27.52%
Se determinó la micobiota y nematodos fitoparasíticos asociados con la rizósfera y raíz en el cultivo de ajo en dos localidades de la población de Agua Negra, estado Lara. Se colectaron al azar 150 plantas de aspecto sano a los 45, 90 y 135 días posteriores a la emergencia de las plántulas. Para determinar los hongos asociados con la rizósfera, se aplicó la técnica de platos de dilución y para la micobiota asociada con las raíces, se tomaron al azar 15 de éstos órganos, se lavaron y cortaron en segmentos para luego colocarlos sobre agar-agua acidificado con ácido láctico. Las colonias fúngicas que crecieron se cuantificaron y transfirieron a agar-papa-dextrosa, para su posterior identificación Se calculó la frecuencia relativa de los géneros de hongos aislados. Para el análisis nematológico se cortaron y trituraron segmentos de raíces, y se procesaron 500 g de suelo en un levigador de Oostenbrink, tamices de Cobb y embudos de Baerman. Los géneros de hongos identificados fueron Fusarium, Aspergillus, Cladosporium Penicillium, Rhizopus y Trichoderma, comunes a ambas localidades y la mayor frecuencia relativa fue para Fusarium equiseti, F. solani y Cladosporium allii sp. Las raíces fueron colonizadas por una población menor que en la rizósfera. F.solani y T. harzianum fueron comunes en ambas localidades...