Página 1 dos resultados de 154 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Desemprego e inatividade nas metrópoles brasileiras: as diferenças entre homens e mulheres

OLIVEIRA, Pedro Rodrigues de; SCORZAFAVE, Luiz Guilherme; PAZELLO, Elaine Toldo
Fonte: Nova Economia Publicador: Nova Economia
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.53%
Analisar a evolução recente da estrutura do desemprego e da inatividade nas metrópoles brasileiras é o objetivo deste trabalho. Além de um panorama geral, foram realizadas análises separadas por gênero. A resposta da inatividade para a variável "número de crianças no domicílio" é a que mais se destaca: há uma relação negativa para os homens, e positiva para as mulheres. Além disso, os padrões observados entre mulheres pobres e não pobres são muito diferenciados - a inatividade para as mulheres de renda baixa é significativamente maior -, refletindo diferenças de escolaridade e, provavelmente, dificuldades de acesso à creche.; This paper examines the recent evolution of unemployment and inactivity in Brazilian metropolitan areas. We analyze the situation of men and women separately. The variable "number of children in household" is the most prominent factor concerning inactivity: it is inversely related to male inactivity and directly related to female inactivity. Moreover, the observed patterns among poor and non-poor women are extremely different - poor women have higher inactivity rates than non-poor women - reflecting schooling differentials and, probably, difficulty in enrolling their children in adequate daycare facilities.

Educação pública nas metrópoles brasileiras: impasses e novos desenlaces

Lastória, Luiz Antonio Calmon Nabuco
Fonte: Universidade Estadual Paulista Publicador: Universidade Estadual Paulista
Tipo: Revisão Formato: 115-116
POR
Relevância na Pesquisa
56.66%
O livro Educação Pública nas Metrópoles Brasileiras: impasses e novos desenlaces apresenta um conjunto de artigos sobre preconceitos que persistem nas práticas educacionais contemporâneas, sobretudo nas grandes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. De outra parte enfatiza como a teoria psicanalítica combinada com o método etnográfico, praticada em instituições educacionais, pode ser útil para a reconstrução de padrões de autoridade imprescindíveis ao ato educativo.

Da relevância pública dos espaços livres um estudo sobre metrópoles e capitais brasileiras

Queiroga,Eugenio Fernandes
Fonte: Instituto de Estudos Brasileiros Publicador: Instituto de Estudos Brasileiros
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
56.92%
Os espaços livres possuem enorme importância para as cidades - em que pese serem frequentemente mal tratados pelos agentes públicos e privados - sejam como espaços do cotidiano, como lugar de convivência nas mais diversas escalas, como lócus preferencial das manifestações políticas e de tantas outras práticas sociais. Os espaços livres, privados ou públicos, são os principais elementos capazes de prestar serviços ambientais no meio urbano. Discorre-se aqui sobre a relevância pública dos espaços livres de capitais e metrópoles brasileiras na contemporaneidade. Apresentam-se conceitos que não apenas permitam melhor compreensão do tema, mas que também podem ser úteis para a produção de políticas públicas efetivamente interessadas na melhoria da qualidade do espaço urbano de cidades e metrópoles brasileiras.

Governar as Metrópoles: dilemas da recentralização

Rolnik,Raquel; Somekh,Nadia
Fonte: Fundação SEADE Publicador: Fundação SEADE
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2000 PT
Relevância na Pesquisa
36.5%
O processo de redemocratização e descentralização da gestão urbana, que substituiu práticas autoritárias e tecnocráticas de administração das cidades brasileiras, não produziu até o momento um novo marco político-institucional para o governo das metrópoles. Este texto apresenta um balanço deste processo, apontando possíveis elementos para a construção de uma gestão democrática metropolitana.

O deslocamento da população brasileira para as metrópoles

Brito,Fausto
Fonte: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2006 PT
Relevância na Pesquisa
46.58%
O OBJETIVO deste artigo é analisar a urbanização no Brasil, na segunda metade do século XX, lembrando que somente o Censo de 1970 registrou uma população urbana que superou a rural. Essa recente e acelerada urbanização, em razão da intensa migração interna, fez coincidir a concentração da população urbana nas grandes cidades, assim como nas principais metrópoles brasileiras. Essas últimas, nas duas últimas décadas, têm reduzido as suas taxas de crescimento populacional, não só em razão do declínio generalizado das taxas de fecundidade, mas, principalmente, como conseqüência da redução do número dos seus imigrantes. O saldo migratório negativo do aglomerado metropolitano de São Paulo, entre 1995-2000, é um expressivo exemplo. Contudo, apesar de o país ter se distanciado de uma hipermetroplização, vale a pena sublinhar que, em 2000, mais de 40% da população urbana brasileira ainda residia nessas metrópoles.

Metrópoles desgovernadas

Maricato,Erminia
Fonte: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2011 PT
Relevância na Pesquisa
46.58%
Apesar de sua importância econômica, política, social, demográfica, cultural, territorial e ambiental, há, nas metrópoles brasileiras, uma significativa falta de governo, evidenciada pelas incipientes iniciativas de cooperação administrativa intermunicipal e federativa. Este artigo aborda as mudanças estruturais - no processo de urbanização/ metropolização - devidas à reestruturação produtiva do capitalismo global, e, na escala nacional, trata da mudança no marco institucional - jurídico/político - que passou de concentrador e centralizador, durante o regime militar, para descentralizador e esvaziado, após a Constituição de 1988. O recuo verificado nas políticas sociais durante os anos 1980 e 1990, notadamente em transporte, habitação e saneamento, além do desmonte dos organismos metropolitanos, conduziu nossas metrópoles a um destino de banalização das tragédias urbanas. Em que pese sua urgência, a questão metropolitana não sensibiliza nenhuma força política ou instituição que lhe atribua lugar de destaque na agenda nacional.

Desemprego e inatividade nas metrópoles brasileiras: as diferenças entre homens e mulheres

Oliveira,Pedro Rodrigues de; Scorzafave,Luiz Guilherme; Pazello,Elaine Toldo
Fonte: Nova Economia Publicador: Nova Economia
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2009 PT
Relevância na Pesquisa
46.53%
Analisar a evolução recente da estrutura do desemprego e da inatividade nas metrópoles brasileiras é o objetivo deste trabalho. Além de um panorama geral, foram realizadas análises separadas por gênero. A resposta da inatividade para a variável "número de crianças no domicílio" é a que mais se destaca: há uma relação negativa para os homens, e positiva para as mulheres. Além disso, os padrões observados entre mulheres pobres e não pobres são muito diferenciados - a inatividade para as mulheres de renda baixa é significativamente maior -, refletindo diferenças de escolaridade e, provavelmente, dificuldades de acesso à creche.

O rap, o hip-hop e o funk: a "eróptica" da arte juvenil invade a cena das escolas públicas nas metrópoles brasileiras; Rap, hip-hop and funk: the "eroptica" of youth art invades public schools scenario in Brazil's metropolis; Le rap, le hip-hop et le funk: l' «éroptique» de l'art des jeunes envahit la scène des écoles publiques dans les métropoles du Brésil; El rap, el hip-hop y el funk: la "eróptica" del arte juvenil invade la escena de las metrópolis brasileñas

AMARAL, Mônica do
Fonte: Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo Publicador: Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.58%
A irreverência e a criticidade de alguns rappers e o gingar alegre do corpo erótico proposto pelo funk sugerem um novo cenário para as metrópoles do país, em que a pluralidade da arte juvenil surge como forma de enfrentamento das marcas deixadas por fraturas sociais profundas. Os conceitos de "visão dionisíaca de mundo", "estética extrema" e "transvaloração dos valores", de Nietzsche, e o "erotismo", segundo Bataille, nortearam o método de ruptura de campo, concebido por Herrmann. Este, essencial para se repensar as noções de autoridade e tradição na sociedade contemporânea a partir das ideias veiculadas pelo rap e pelo funk. Consideramos que somente uma etnografia do olhar que apanhe a dimensão erótica e irreverente - a "eróptica", segundo Canevacci - destas manifestações poderia nelas identificar uma estética afirmativa e crítica, como diria Nietzsche, capaz de produzir uma verdadeira reversão dos valores em nossa sociedade e, no caso, no interior da própria escola.; Some rappers' irreverence and criticality and the happy erotic body swinging as proposed by funk, suggest a new scenario for Brazil's metropolis, where the youth art plurality comes up as a way to face the trace left by deep social fractures. The concepts of the "Dionysian vision of the world"...

Mobilidade espacial nas Metrópoles Brasileiras: complexidade do espaço urbano; Spatial mobility in Brazilian Metropolis: Complexity of Urban Space

Tavares da Silva, Érica; Martins Rodrigues, Juciano
Fonte: Universidade do Rosário Publicador: Universidade do Rosário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 14/01/2011 SPA
Relevância na Pesquisa
46.53%
As transformações na dinâmica demográfica ocorrida nas últimas décadas nos espaços urbanos passam, em grande medida, pela reconfiguração territorial, econômica e social das áreas metropolitanas, na qual os movimentos das pessoas exercem influência fundamental. Para este trabalho, propomos uma abordagem sobre o movimento migratório intra-metropolitano em 14 áreas metropolitanas brasileiras, quais sejam: Belém, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Vitória; questionamos se este fenômeno estaria alterando a histórica “pressão pelas áreas centrais metropolitanas” ou se essa população está mudando de residência, mas continua trabalhando no núcleo. Pensando sobre os movimentos da população ocupada nas regiões metropolitanas, buscamos ainda considerar os tipos de movimentos realizados (núcleo-periferia; periferia-núcleo e periferia-periferia) com uma caracterização desta população. Portanto, nossa reflexão está relacionada às diferentes lógicas que operam sobre o lugar de moradia das pessoas e os lugares de outros fazeres que determinam a vida urbana, especialmente o lugar de trabalho. A localização dos postos de trabalho em áreas mais “centrais” e a quantidade considerável de pessoas que se deslocam para estes municípios também são fenômenos expressivos ainda. Será que os movimentos cotidianos podem se apresentar como uma alternativa para a residência em outras áreas da metrópole e o trabalho nas áreas centrais? Nossa proposta é a de que esses processos precisam ser analisados cada vez mais em conjunto com a migração intra-metropolitana.; The changes in demographic dynamics in urban areas during the last decades are related to the territorial...

Caracterização e evolução dos aglomerados subnormais (2000-2010) : em busca de um retrato mais preciso da precariedade urbana e habitacional em metrópoles brasileiras; Characterization and evolution of subnormal agglomerates (2000-2010) : in search of a more accurate picture of urban and housing precariousness in Brazilian cities

Nadalin, Vanessa Gapriotti; Mation, Lucas Ferreira; Krause, Cleandro; Lima Neto, Vicente Correia
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Brasil em Desenvolvimento (BD) - Artigos
PT-BR
Relevância na Pesquisa
36.8%
Este capítulo analisa o crescimento real da subnormalidade nas metrópoles, e suas principais características. Para tanto, separaram-se, de modo aproximado, o quanto deste aumento decorreu do efetivo crescimento do fenômeno da precariedade habitacional, e o quanto se deveu à melhoria da detecção de áreas precárias no Censo de 2010. Foram exploradas as diferenças entre as grandes regiões brasileiras, apresentando os dados para as seguintes metrópoles: Belém, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Brasília. O texto está dividido da seguinte forma: uma introdução; uma seção 2, que apresenta o conceito de subnormalidade utilizado pelo IBGE na classificação de setores censitários, destacando sua evolução ao longo do tempo e as principais críticas quanto ao seu uso; uma seção 3, que traz a metodologia para comparação e reclassificação dos setores censitários e apresenta os dados utilizados e as variáveis que qualificam a subnormalidade; uma seção 4, na qual é apresentada a estimativa de população em subnormalidade para 2000 nas onze metrópoles escolhidas; uma seção 5, onde os resultados das análises de evolução das características da subnormalidade são apresentados para as seis metrópoles citadas anteriormente; e a seção 6...

Dinâmica populacional e sistema de mobilidade nas metrópoles brasileiras; Comunicados do Ipea 102 : Dinâmica populacional e sistema de mobilidade nas metrópoles brasileiras

Matteo, Miguel (Colaborador); Carvalho, Carlos Henrique R. (Colaborador)
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Comunicados do Ipea
PT-BR
Relevância na Pesquisa
36.88%
Na última década, tem-se observado uma tendência de maior crescimento da população residente na periferia das regiões metropolitanas (RM´s) brasileiras em comparação com a população dos municípios sedes dessas metrópoles. Esse padrão de crescimento das metrópoles leva a indagar sobre os seus efeitos sobre o padrão de mobilidade da população residente, já que a princípio não se observa uma mudança significativa na localização dos empregos. Se os empregos continuam fortemente concentrados nos municípios centrais, há de se esperar uma tendência de aumento das viagens intermunicipais pendulares, com efeitos fortes sobre a demanda dos sistemas metropolitanos de transporte. Este estudo busca fazer uma reflexão sobre o adensamento populacional nas RMs brasileiras e a necessidade de espraiamento do sistema de transporte de massa. Informações sobre a mobilidade de duas RMs irão subsidiar as análises, São Paulo e Belo Horizonte, que possuem pesquisas do tipo origem-destino, de 2007 e 2003, respectivamente.; 24 p. : il.

Metrópoles desgovernadas; Uncontrolled metropolises

Maricato, Erminia
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/04/2011 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
46.58%
Apesar de sua importância econômica, política, social, demográfica, cultural, territorial e ambiental, há, nas metrópoles brasileiras, uma significativa falta de governo, evidenciada pelas incipientes iniciativas de cooperação administrativa intermunicipal e federativa. Este artigo aborda as mudanças estruturais - no processo de urbanização/ metropolização - devidas à reestruturação produtiva do capitalismo global, e, na escala nacional, trata da mudança no marco institucional - jurídico/político - que passou de concentrador e centralizador, durante o regime militar, para descentralizador e esvaziado, após a Constituição de 1988. O recuo verificado nas políticas sociais durante os anos 1980 e 1990, notadamente em transporte, habitação e saneamento, além do desmonte dos organismos metropolitanos, conduziu nossas metrópoles a um destino de banalização das tragédias urbanas. Em que pese sua urgência, a questão metropolitana não sensibiliza nenhuma força política ou instituição que lhe atribua lugar de destaque na agenda nacional.; Despite its economic, political, social, demographic, cultural, territorial and environmental importance, there is a significant lack of government in the brazilian metropolises...

O deslocamento da população brasileira para as metrópoles; The displacement of the Brazilian population to the metropolitan areas

Brito, Fausto
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Avançados
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/08/2006 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
46.58%
O OBJETIVO deste artigo é analisar a urbanização no Brasil, na segunda metade do século XX, lembrando que somente o Censo de 1970 registrou uma população urbana que superou a rural. Essa recente e acelerada urbanização, em razão da intensa migração interna, fez coincidir a concentração da população urbana nas grandes cidades, assim como nas principais metrópoles brasileiras. Essas últimas, nas duas últimas décadas, têm reduzido as suas taxas de crescimento populacional, não só em razão do declínio generalizado das taxas de fecundidade, mas, principalmente, como conseqüência da redução do número dos seus imigrantes. O saldo migratório negativo do aglomerado metropolitano de São Paulo, entre 1995-2000, é um expressivo exemplo. Contudo, apesar de o país ter se distanciado de uma hipermetroplização, vale a pena sublinhar que, em 2000, mais de 40% da população urbana brasileira ainda residia nessas metrópoles.; THE AIM of this article is the analysis of the Brazilian urbanization process during the second half of the 20th century. For this purpose it is important to take note that the 1970 Demographic Census indicated that the urban population had surpassed the rural population for the first time. The rapid contemporary urbanization due to intense internal migration concentrated the urban population in the larger Brazilian cities and metropolitan areas. During the last two decades...

Metrópolis brasileras: sus desafios urbanos y perspectivas; Brazilian metropolises: their urban challenges and their perspectives

Meyer, Regina Maria Prosperi; Grostein, Marta Dora
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/12/2006 POR
Relevância na Pesquisa
46.83%
Este artigo aborda as metrópoles brasileiras do ponto de vista de suas questões urbanas e procura indicar suas potencialidades. A análise considera que, apesar da grande distinção entre as 26 unidades que compõem o quadro metropolitano brasileiro, há um conjunto de dinâmicas de transformação muito semelhante em todas elas. Para entender essas dinâmicas o artigo procura focalizar as alterações incorporadas no próprio processo de metropolização, as quais estão adquirindo características novas, tanto nas áreas mais centrais e consolidadas quanto nos novos arranjos espaciais nas escalas interurbanas e regionais. O artigo sublinha que ao longo das duas últimas décadas do século 20, as metrópoles brasileiras aprofundaram o duplo papel de agentes e arenas do processo de transformação socioeconômica, política e territorial vivido pelas regiões onde se localizam. Visto como uma grande riqueza da nação, seu quadro urbano metropolitano tem o potencial de criar, no território, o funcionamento de uma rede urbana metropolitana coesa e conectada. Rede a qual nascerá de trocas mais intensas e permanentes em diversos níveis, desde os culturais até os econômicos. O artigo aponta ser necessário traçar uma política metropolitana para o território nacional baseada no fortalecimento dos sistemas de grandes infra-estruturas...

O rap, o hip-hop e o funk: a "eróptica" da arte juvenil invade a cena das escolas públicas nas metrópoles brasileiras; El rap, el hip-hop y el funk: la "eróptica" del arte juvenil invade la escena de las metrópolis brasileñas; Rap, hip-hop and funk: the "eroptica" of youth art invades public schools scenario in Brazil's metropolis; Le rap, le hip-hop et le funk: l' «éroptique» de l'art des jeunes envahit la scène des écoles publiques dans les métropoles du Brésil

Amaral, Mônica do
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Psicologia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.58%
A irreverência e a criticidade de alguns rappers e o gingar alegre do corpo erótico proposto pelo funk sugerem um novo cenário para as metrópoles do país, em que a pluralidade da arte juvenil surge como forma de enfrentamento das marcas deixadas por fraturas sociais profundas. Os conceitos de "visão dionisíaca de mundo", "estética extrema" e "transvaloração dos valores", de Nietzsche, e o "erotismo", segundo Bataille, nortearam o método de ruptura de campo, concebido por Herrmann. Este, essencial para se repensar as noções de autoridade e tradição na sociedade contemporânea a partir das ideias veiculadas pelo rap e pelo funk. Consideramos que somente uma etnografia do olhar que apanhe a dimensão erótica e irreverente - a "eróptica", segundo Canevacci - destas manifestações poderia nelas identificar uma estética afirmativa e crítica, como diria Nietzsche, capaz de produzir uma verdadeira reversão dos valores em nossa sociedade e, no caso, no interior da própria escola.; Some rappers' irreverence and criticality and the happy erotic body swinging as proposed by funk, suggest a new scenario for Brazil's metropolis, where the youth art plurality comes up as a way to face the trace left by deep social fractures. The concepts of the "Dionysian vision of the world"...

Da relevância pública dos espaços livres um estudo sobre metrópoles e capitais brasileiras; About Public Importance of the Open Spaces the Case of Brazilian Metropolises and Brazilian Capitals

Queiroga, Eugenio Fernandes
Fonte: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Brasileiros Publicador: Universidade de São Paulo. Instituto de Estudos Brasileiros
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 26/06/2014 POR
Relevância na Pesquisa
56.92%
Os espaços livres possuem enorme importância para as cidades – em que pese serem frequentemente mal tratados pelos agentes públicos e privados – sejam como espaços do cotidiano, como lugar de convivência nas mais diversas escalas, como lócus preferencial das manifestações políticas e de tantas outras práticas sociais. Os espaços livres, privados ou públicos, são os principais elementos capazes de prestar serviços ambientais no meio urbano. Discorre-se aqui sobre a relevância pública dos espaços livres de capitais e metrópoles brasileiras na contemporaneidade. Apresentam-se conceitos que não apenas permitam melhor compreensão do tema, mas que também podem ser úteis para a produção de políticas públicas efetivamente interessadas na melhoria da qualidade do espaço urbano de cidades e metrópoles brasileiras.; The open spaces have enormous importance for cities – even though they are often treated badly by public and private actors – they are spaces of everyday life, places of coexistence in several scales, preferred locus of political demonstrations and many other social practices. Open spaces, private or public, are the main elements that can provide environmental services in urban areas. It discusses the public importance of open spaces of Brazilian capitals and Brazilian metropolises nowadays. The paper presents concepts that not only allow better understanding of the subject and may be useful for the production of public policies really interested in improving the quality of urban spaces in cities and metropolises in Brazil.

A PERSISTÊNCIA DA SUBUTILIZAÇÃO DOS CENTROS DAS METRÓPOLES BRASILEIRAS: O ESTUDO DE CASO DO CORREDOR CULTURAL DO RIO DE JANEIRO

Sampaio, Julio Cesar Ribeiro; Universidade Federal de Juiz de Fora, Faculdade de Engenharia, Departamento de Arquitetura e Urbanismo.
Fonte: Fórum Patrimônio: Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável Publicador: Fórum Patrimônio: Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; Artigo Avaliado pelos Pares; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
Publicado em 30/01/2013 POR
Relevância na Pesquisa
46.53%
O artigo tem por objetivo investigar a persistência da subutilização de edificações nos centros das cidades das metrópoles brasileiras, com ênfase especial na Cidade do Rio de Janeiro. Assumiu-se que atitudes dos usuários de edificações (proprietários e/ou locatários) são fatores que contribuem para esta subutilização. Este fenômeno foi verificado através de um survey desenvolvido na Área de Proteção do Ambiente Cultural do Corredor Cultural, localizada no núcleo da Área Central de Negócios do Rio de Janeiro. Os dados necessários para a avaliação das atitudes dos usuários foram coletados através de entrevistas semi-estruturadas. O survey do Corredor Cultural confirmou as expectativas da influência dos usuários na subutilização e revelou importantes informações de primeira mão relativas ao contexto urbano do Centro do Rio. Demonstraram-se desta maneira os efeitos da subutilização na conservação das edificações protegidas do Corredor Cultural. O produto deste artigo contribui para o conhecimento dos fatores que induzem a perda de vitalidade urbana do Centro da Cidade do Rio de Janeiro. Estes resultados alcançados podem também ser utilizados como base para a elaboração de estratégias de revitalização que contemplem especialmente os agentes modeladores do espaço urbano envolvidos nos processos que definem a paisagem urbana e a arquitetura do Centro do Rio e de contextos urbanos similares.

Desemprego e inatividade nas metrópoles brasileiras: as diferenças entre homens e mulheres

de Oliveira, Pedro Rodrigues; Scorzafave, Luiz Guilherme; Pazello, Elaine Toldo
Fonte: Nova Economia; Nova Economia Publicador: Nova Economia; Nova Economia
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 26/01/2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.53%
Analisar a evolução recente da estrutura do desemprego e da inatividade nas metrópoles brasileiras é o objetivo deste trabalho. Além de um panorama geral, foram realizadas análises separadas por gênero. A resposta da inatividade para a variável "número de crianças no domicílio" é a que mais se destaca: há uma relação negativa para os homens, e positiva para as mulheres. Além disso, os padrões observados entre mulheres pobres e não pobres são muito diferenciados – a inatividade para as mulheres de renda baixa é significativamente maior –, refletindo diferenças de escolaridade e, provavelmente, dificuldades de acesso à creche.

Desigualdades digitais: Acesso e uso da internet, posição socioeconómica e segmentação espacial nas metrópoles brasileiras

Ribeiro,Luiz césar de Queiroz; Salata,André; Costa,Lygia; Ribeiro,Marcelo Gomes
Fonte: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa Publicador: Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2013 PT
Relevância na Pesquisa
46.53%
Muito tem sido escrito e debatido sobre o caráter democratizador das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), que poderiam promover amplo acesso a condições de maior participação social, política e económica. O objetivo central neste trabalho é avaliar se a difusão nas metrópoles brasileiras do acesso à principal dessas tecnologias, a internet, vem sendo condicionada ou não pelas históricas desigualdades sociais do país - em termos de renda e escolaridade - e, também, pela segmentação territorial. Por meio de modelos logit e logit multinomiais analisaremos os dados das pesquisas nacionais por amostra de domicílios (PNAD) dos anos 2001, 2008 e 2009 a fim de fornecer respostas a essas questões.

Suicídio e trabalho em metrópoles brasileiras: um estudo ecológico

Ceccon,Roger Flores; Meneghel,Stela Nazareth; Tavares,Juliana Petri; Lautert,Liana
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/07/2014 PT
Relevância na Pesquisa
46.53%
O objetivo deste estudo foi relacionar a mortalidade por suicídio com indicadores de saúde e trabalho em seis metrópoles brasileiras: Porto Alegre, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. Estudo ecológico, cujo desfecho é o coeficiente de mortalidade por suicídio na série histórica de 2002 a 2010, e as variáveis independentes são os indicadores de atividade laboral e de sofrimento mental. Realizou-se associação estatística por meio do teste de Correlação de Pearson e as variáveis associadas ao suicídio (p < 0,05) foram incluídas em um modelo de regressão linear multivariada. A mortalidade por suicídio foi maior em Porto Alegre, seguida de São Paulo, e a tendência do fenômeno foi ascendente (p = 0,03). Observou-se que a população economicamente ativa e ocupada permaneceu no modelo final de regressão na cidade de São Paulo. A associação entre mortalidade por suicídio e variáveis laborais sugere que o trabalho no contexto de precarização piora a qualidade de vida da população trabalhadora, implica em sofrimento físico e mental e aumenta o risco de autoagressão.