Página 1 dos resultados de 1752 itens digitais encontrados em 0.005 segundos

Avaliação da contaminação por mercúrio em peixes do Alto Pantanal ; Evaluation of mercury fish contamination in Alto Pantanal

Kuno, Rubia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 18/06/2003 PT
Relevância na Pesquisa
37.47%
Para avaliar a contaminação por mercúrio em peixes do Alto Pantanal, foram analisadas 74 amostras de peixes piscívoros das espécies Pseudoplatystoma fasciatum(cachara), Pirinanpus pirinanpu (barbado), Serrasalmus spp. (piranha), Pseudoplatystoma coruscans (pintado), Salminus maxillosus (dourado), Hemisorubin plathyrhynchos (jurupoca) e Surubin lima (jurupensém). Também foram analisadas amostras de sedimento e de material particulado em suspensão na água. As amostras foram coletadas no ano de 2000. As determinações de mercúrio total foram feitas por espectrometria de absorção atômica sem chama utilizando-se gerador de vapor frio VGA 77 da Varian® acoplado a um espectrômetro Varian® 220. As concentrações de mercúrio total nas amostras de peixe variaram de 0,02 ug/g (piranha) a 0,80 ug/g (cachara). As concentrações de mercúrio em piranhas variaram de 0,02 ug/g a 0,50 ug/g, com média de 0,16 ug/g +/- 0,12. A área CBA 2 (baías do rio Cuiabá, região próxima de Barão de Melgaço) foi a que teve as concentrações mais elevadas em relação às áreas BNG 1 (rio Bento Gomes, Poconé) (p=0,003), PAG 3 (rio Paraguai, Taiamã e Descalvado) (p=0,002) e PAG 5 (rio Paraguai, confluência com rio Cuiabá) (p<0,001)...

Estudo de Tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus) como bioindicadores da poluição por mercúrio nos lagos do Parque Ibirapuera e do Parque Ecológico do Tietê na Grande São Paulo; Study on Nile Tilapia (Oreochromis niloticus) as mercury pollution bioindicators at Parque Ibirapuera and Parque Ecológico do Tietê lakes at Greater São Paulo

Carretero, Maria Eugenia
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 17/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
37.41%
A Grande São Paulo, composta por 39 municípios, apresenta crescimento urbano e industrial expoente que contribuem para o constante acúmulo de poluentes no ambiente. Ainda assim, exibe áreas verdes remanescentes que contribuem para a sustentabilidade ambiental da cidade, como por exemplo, o Parque Ibirapuera e o Parque Ecológico do Tietê. Nesse contexto, o presente estudo visa verificar a viabilidade em utilizar as O. niloticus como bioindicadoras da poluição por mercúrio no ecossistema aquático dos dois parques da Grande São Paulo. Obteram-se para as tilápias do Nilo do Parque Ibirapuera pertencentes aos pontos de coleta A, B e C durante o inverno as respectivas concentrações de mercúrio total no sangue 2,72±4,20µg/L, 2,45±1,90µg/L e 1,19±0,05µg/L e, no hepatopâncreas as respectivas concentrações de mercúrio de 0,07±0,02 µg/g, 0,06 ±0,005 µg/g e 0,16 ±0,07 µg/g. No verão as tilápias do Parque Ibirapuera apresentaram nos mesmos pontos de coleta as respectivas concentrações de mercúrio total no sangue 2,50±0,84µg/L, 2,67±1,03µg/L e 2,430±0,790µg/L e, no hepatopâncreas as respectivas concentrações de mercúrio de 0,08 ±0,03 µg/L, 0,16 ±0...

Isolamento de microrganismos resistentes a mercúrio e caracterização da mercúrio redutase de Pseudomonas sp. B50A; Screening of mercury resistant microrganisms and characterization of mercury reductase from Pseudomonas sp. B50A

Grazziotin, Patricia Giovanella
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.44%
O mercúrio (Hg) é um dos metais com maior impacto sobre os ecossistemas e sua presença no ambiente tem origem natural ou antropogênica. O acúmulo do mercúrio no ambiente tem afetado a integridade dos ecossistemas e a saúde do homem. Contudo, algumas bactérias desenvolveram mecanismos de resistência, e com isso desempenham um papel muito importante na redução enzimática de Hg (II) a Hg0, a qual é uma forma volátil e de menor toxicidade deste metal. Assim, a redução microbiana de Hg (II) representa um recurso para desenvolvimento de métodos alternativos de tratamento de resíduos que contenham este metal, oferecendo vantagens, como baixo custo operacional e alta eficiência na remoção de mercúrio. Deste modo, os objetivos do estudo foram isolar microrganismos resistentes a mercúrio; determinar a concentração inibitória mínima de Hg; bem como, estimar a capacidade de volatilização de mercúrio pelos microrganismos selecionados; a dinâmica da volatilização do mercúrio; e a caracterização da enzima mercúrio redutase produzida pelo isolado B50A. Foram selecionadas 16 bactérias Gram-negativas resistentes a altas concentrações de mercúrio (50 mg L-1 a 210 mg L-1), sendo que todos os isolados foram capazes de volatilizar este metal. Os isolados B50A e M50C...

Especiação de mercurio em solos contaminados por analise de termodessorção acoplada a absorção atomica

Claudia Carvalhinho Windmoller
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em //1996 PT
Relevância na Pesquisa
37.44%
Um sistema de termodessorção de mercúrio de amostras sólidas foi desenvolvido, e suas condições operacionais foram otimizadas. Este consiste basicamente de um forno (um tubo de quartzo envolto por uma bobina de NiCr), acoplado a um espectrofotômetro de absorção atômica (AAS), o qual fornece termogramas das amostras analisadas, ou seja, registros de absorbância em função de temperatura. Esse sistema, chamado TDAAS, foi utilizado para a análise dos seguintes padrões de mercúrio: Hg, Hg2Cl2, HgCI2, HgO e HgS, os quais foram aplicados a dois tipos diferentes de solo. Estes mostraram perfis de termodessorção bastante semelhantes nas duas matrizes, porém diferentes faixas de termodessorção entre si, indicando a possibilidade de aplicação do método na especiação de mercúrio em solos. Amostras de solo contaminadas com mercúrio, provenientes de garimpos da cidade de Poconé, Mato Grosso, Brasil (amostras BRA), e de uma produção eletrolítica de cloro/soda, na região do Halle, Alemanha (amostras GER), analisadas por TDAAS, mostraram que o Hg, principal forma de contaminação em ambos os casos, sofre oxidação. Essa oxidação ocorre em maior extensão nas amostras provenientes da Alemanha, as quais contêm altas concentrações de íons cloreto...

Impacto do mercúrio na saúde humana : Aveiro como caso de estudo

Reis, Ana Teresa Lemos Pereira Saúde
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.46%
Situada no Complexo Químico de Estarreja, uma fábrica que produzia cloro e soda com recurso a células de mercúrio esteve activa durante 50 anos. As emissões atmosféricas, bem como os efluentes líquidos, causaram contaminação no ambiente vizinho. Embora a produção por este processo tenha sido completamente cessada em 2002, a contaminação com mercúrio da área próxima do Complexo Químico ainda é significativa. O principal objectivo deste trabalho consistiu em avaliar os actuais níveis de mercúrio na área próxima da fábrica em vários compartimentos ambientais e a eventual incorporação do mesmo na cadeia alimentar, bem como os potenciais riscos para a população local de Estarreja. Os dados aqui apresentados constituem o primeiro estudo integrado da potencial contaminação com mercúrio das cadeias alimentares terrestre e aquática da zona de Estarreja, podendo o metal atingir o Ser Humano. Foram recolhidas amostras de solo em campos agrícolas que rodeiam o Complexo Químico de Estarreja; foram também analisadas amostras da planta forrageira e legumes mais comuns na região, água de poços e de um ribeiro usadas para rega, e várias espécies de peixe capturadas na Ria de Aveiro, com o objectivo de adquirir conhecimento acerca da contaminação com mercúrio na cadeia alimentar terrestre e aquática. Para avaliar a exposição da população...

Mercúrio e amêijoa : uma relação perigosa?

Rosa, Manuel Alberto Nogueira Henriques
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.51%
A área da Ria de Aveiro escolhida para a realização deste trabalho, Largo do Laranjo, é reconhecidamente contaminada com mercúrio, situa-se no canal da Murtosa. Neste local desaguam várias linhas de água, salientando-se o rio Antuã como o tributário mais importante e o Esteiro de Estarreja onde foram descarregados durante anos diversos contaminantes. Este último corresponde ao curso de água que durante mais de quatro décadas descarregou um efluente contendo mercúrio proveniente do complexo químico de Estarreja. A escolha das estações de amostragem, situadas no Largo do Laranjo, pretendeu estabelecer um gradiente de concentrações de mercúrio nas águas e nos sedimentos, a partir do ponto de entrada do efluente. Outra estação de amostragem foi escolhida mais a jusante do Laranjo. Como referências foram usados dois locais reconhecidamente isentos de contaminação com mercúrio: o canal de Ílhavo da Ria de Aveiro e o braço sul do estuário do Mondego na Figueira da Foz. Os ecossistemas da Ria de Aveiro e do estuário do Mondego distam cerca de 60 Km e possuem, genericamente, as mesmas características climáticas não possibilitando assim a existência de diferenças nos parâmetros biológicos da Scrobicularia plana (amêijoa) nomeadamente no que diz respeito ao tempo de vida...

Acumulação de mercúrio em diferentes tecidos do cação

Santos, Helena Isabel Oliveira
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.44%
O cação, sendo considerada uma espécie predadora, tem um papel importante na cadeia alimentar aquática. O recente aumento de captura desta espécie predadora para consumo humano e o facto de existirem poucos estudos sobre a acumulação de mercúrio no cação, justifica a necessidade de monitorizar o nível deste contaminante a que esta espécie está sujeita. Entre os diversos metais vestigiais existente no ambiente, o mercúrio merece uma particular atenção devido à sua persistência e toxicidade, encontrando-se distribuído por todo o ambiente devido a fontes naturais ou à actividade humana. A alimentação é a principal forma de exposição do homem ao mercúrio, através da ingestão de peixe contaminado. Nos peixes, 95 a 99% do mercúrio encontra-se sob a forma de metilmercúrio (forma química mais tóxica). A concentração de mercúrio no peixe constitui um grave problema de saúde pública que pode contrastar com os vários benefícios alimentares de comer peixe. No âmbito deste trabalho, estabeleceu-se como objectivo avaliar a acumulação de mercúrio em diversos tecidos do Cação Pata-roxa (Scyliorhinus canicula) e em peixes de diferente tamanho. Foram analisadas amostras de músculo, fígado, pâncreas, brânquias e coração do Cação Pata-roxa...

Mercury in feral fish: distribution, accumulation and toxicity; Mercúrio em peixes: distribuição, acumulação e toxidade

Mieiro, Cláudia Leopoldina de Brito e Veiga Rodrigues
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Tese de Doutorado
ENG
Relevância na Pesquisa
37.46%
O principal objectivo desta dissertação foi estudar a acumulação de mercúrio em vários tecidos de peixes marinhos, a sua relação com factores biológicos e as respectivas respostas bioquímicas. O trabalho realizado permitiu obter novos conhecimentos sobre a acumulação de mercúrio em peixes, possibilitando avaliar a influência da biodisponibilidade do elemento e as suas possíveis implicações no ambiente. O trabalho foi desenvolvido na Ria de Aveiro (Portugal), uma zona costeira onde existe um gradiente ambiental de mercúrio, o que oferece a oportunidade de estudar a sua acumulação e os seus efeitos tóxicos em condições realísticas. As amostragens foram efectuadas em dois locais considerados críticos em termos de contaminação por mercúrio – Largo do Laranjo (L1 e L2) e num local afastado da principal fonte de poluição, usado como termo de comparação (Referência; R); L1 e L2 corresponderam a locais moderadamente e altamente contaminados, respectivamente. Foram escolhidos juvenis de duas espécies ecologicamente diferentes e representativas da comunidade piscícola local, a tainha garrento (Liza aurata) e o robalo (Dicentrarchus labrax). Em cada local foram recolhidas amostras de água e de sedimento para determinação de mercúrio. Foram quantificadas as concentrações de mercúrio total (T-Hg) e orgânico (O-Hg) em vários tecidos dos peixes...

Avaliação da toxicidade do mercúrio com um sensor potenciométrico

Matos, Marina Raquel de Almeida
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
37.45%
O objetivo deste trabalho consistiu na aplicação de um elétrodo seletivo ao mercúrio, para a deteção do mercúrio na água do mar em níveis de atividade correspondentes à toxicidade aguda na biota. Biodisponibilidade e, consequentemente, a toxicidade do mercúrio no ambiente aquático dependem de sua forma química. O mercúrio inorgânico, é associado à concentração ou atividade dos iões Hg2+. Dois métodos de avaliação da toxicidade do mercúrio em meio salino foram empregados: potenciometria, com os elétrodos de membrana de vidro calcogeneto seletivos para o mercúrio, e um teste biológico baseado na luminescência da bactéria marinha Vibrio fischeri. Os elétrodos seletivos ao mercúrio foram calibrados em soluções com diferentes conteúdos de cloreto e outros ligantes, e em diferentes valores de pH. O sensor respondeu na gama de atividades de mercúrio de 10-4 a 10-23 mol L-1 e com um limite de deteção na água do mar artificial de 2,65×10-24 mol L1. A toxicidade da água do mar artificial enriquecida com mercúrio, foi medida usando bactéria luminescente V. fischeri. Toxicidade aguda do mercúrio nestas condições, corresponde à atividade de 3,72×10-24 mol L-1 (t = 10 min). O sensor potenciométrico com membrana de vidro calcogeneto...

Mercury bioaccumulation in the Egyptian mongoose (Herpestes ichneumon); Bioacumulação do mercúrio no sacarrabos (Herpestes ichneumon)

Rodrigues, Sandra
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
ENG
Relevância na Pesquisa
37.42%
O sacarrabos (Herpestes ichneumon) é um predador que desempenha um papel essencial na cadeia alimentar terrestre. A sua introdução e rápida proliferação pelo território português levaram à necessidade da sua caça como controlo de predadores. Estudos em espécies predadoras terrestres ainda são escassos, pelo que o presente trabalho representa uma mais-valia para um melhor entendimento da acumulação de contaminantes em níveis tróficos superiores. Existem vários contaminantes que representam uma constante preocupação para o ambiente; entre eles, o mercúrio tem tido uma atenção acrescida devido à sua persistência e toxicidade. Estudos no meio terrestre são importantes para um melhor entendimento da forma como se acumula neste meio, para a preservação da vida selvagem mas também para prevenir a exposição humana ao mercúrio. Este estudo teve como principal objectivo avaliar os padrões de acumulação de mercúrio nos tecidos do H. ichneumon, tendo em atenção factores como o género e a idade. H. ichneumon de localizações diferentes foram analisados de forma a avaliar a variação geográfica dos níveis de mercúrio em território Português. Músculo, fígado, pulmão, coração, baço, rins, sangue, cérebro...

Challenges in mercury speciation and fractionation in soil and sediment; Desafios na especiação e fracionamento de mercúrio em solos e sedimentos

Reis, Ana Teresa Lemos Pereira Saúde
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
ENG
Relevância na Pesquisa
37.48%
This investigation focused on the development, test and validation of methodologies for mercury fractionation and speciation in soil and sediment. After an exhaustive review of the literature, several methods were chosen and tested in well characterised soil and sediment samples. Sequential extraction procedures that divide mercury fractions according to their mobility and potential availability in the environment were investigated. The efficiency of different solvents for fractionation of mercury was evaluated, as well as the adequacy of different analytical instruments for quantification of mercury in the extracts. Kinetic experiments to establish the equilibrium time for mercury release from soil or sediment were also performed. It was found that in the studied areas, only a very small percentage of mercury is present as mobile species and that mobility is associated to higher aluminium and manganese contents, and that high contents of organic matter and sulfur result in mercury tightly bound to the matrix. Sandy soils tend to release mercury faster that clayey soils, and therefore, texture of soil or sediment has a strong influence on the mobility of mercury. It was also understood that analytical techniques for quantification of mercury need to be further developed...

Mercury contamination and oxidative stress responses in the eye of wild fish (Liza aurata); Contaminação por mercúrio e respostas de stresse oxidativo nos olhos de peixes selvagens (Liza aurata)

Pereira, Ricardo Jorge Silva
Fonte: Universidade de Aveiro Publicador: Universidade de Aveiro
Tipo: Dissertação de Mestrado
ENG
Relevância na Pesquisa
37.42%
Every animal uses the eyes to monitor the surrounding environment and maintain homeostasis. Mercury (Hg) (including methylmercury - MeHg) is a pernicious and ubiquitous contaminant in natural waters but the assessment of its potential to interfere with fish eyes is an almost unexplored issue. This thesis will contribute to fill this knowledge gap by the evaluation of mercury accumulation in grey mullet eye wall (Liza aurata) together with the assessment of biochemical endpoints related with the oxidative stress status. This approach was complemented by the characterization of environmental contamination profiles (both in water and sediment). The study was performed at Aveiro lagoon (Portugal), where a well-established mercury historical contamination gradient provides a good background for the assessment of mercury accumulation and its toxic effects under realistic conditions. Sampling was conducted in two sites distancing around 10 km, namely: Largo do Laranjo (LAR) located in the most contaminated area, and São Jacinto (SJ) closer to the lagoon inlet and selected as reference site. Keeping in view that water temperature could affect Hg accumulated levels and biochemical responses, sampling was carried out both in winter (February 2013) and summer (June 2013). L.aurata specimens (n=20) were caught at each site/season and eye wall was removed and preserved in the field. Eye wall was analysed for total Hg and MeHg levels...

Exposição ocupacional a mercúrio: associação com a atividade da paraoxonase humana e vitaminas A e E

Oliveira, Ana Lúcia
Fonte: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa Publicador: Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.47%
Mestrado em Segurança e Higiene no Trabalho; Os trabalhadores da indústria de reciclagem e valorização de lâmpadas encontram-se ocupacionalmente expostos a mercúrio durante o processo de produção. Neste trabalho foi caracterizada essa exposição na totalidade dos trabalhadores de uma empresa portuguesa, determinando a concentração de mercúrio total no sangue. A concentração de mercúrio foi relacionada com a atividade do enzima PON-1 e com as concentrações das vitaminas A e E, no sangue dos trabalhadores. De forma a desenvolver este estudo, efetuaram-se determinações da concentração de mercúrio no sangue por Espectroscopia de Absorção Atómica Termal, tendo trabalhadores apresentado, em média, concentrações significativamente mais elevadas (p=0,000) de mercúrio no sangue (2,25 μg.L-1) que o grupo de controlo (0,864 μg.L-1), o que confirma a exposição ocupacional a este metal. A atividade da PON-1 foi medida por espectrofotometria Ultra Violeta-Visível (UV-Vis), tendo sido obtidos valores médios de 773 mM.min-1 para os trabalhadores e de 663 mM.min-1, para os controlos. As diferenças destas actividades não são estatisticamente significativas (p=0,562), indicando que a proteção das LDL contra a oxidação se mantém eficaz. Havia...

Monitoramento da qualidade das águas na Bacia do Rio Botafogo, em Pernambuco, com ênfase para a concentração de mercúrio total em água e sedimentos

da Cruz Gouveia de Lima, Andréa; Alves Da Motta Sobrinho, Maurício (Orientador)
Fonte: Universidade Federal de Pernambuco Publicador: Universidade Federal de Pernambuco
Tipo: Outros
PT_BR
Relevância na Pesquisa
37.44%
Desde meados da década de 80, a população ribeirinha do Rio Botafogo, no canal de Cruz Canal de Santa Cruz, Itamaracá, tem passado por situações críticas em relação ao meio Ambiente, pelo crescimento desordenado e mal planejado, ocupação do solo indevida, e como conseqüência o resultado é uma que perda na qualidade ambiental. A ocupação do solo predomina a cultura de cana de açúcar e outras pequenas culturas tais como abacate, banana, coco, manga e a mandioca. A partir de 1963 foi instalada no rio Botafogo, uma indústria de produção de cloro e soda utilizando no processo células eletrolíticas de mercúrio. Até meados de 1987, estima que uma descarga de mercúrio inorgânico entre 22 e 35 tonelada. de mercúrio neste rio. Além desta indústria, outras, de diferentes tipologias foram se instalando ao longo dos últimos anos às margens deste rio. Foram realizados estudos da qualidade da água e sedimentos levantamentos pela Agência de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, juntamente com a de Pernambuco, em 1981. Foram quantificados os níveis de mercúrio nas águas residuárias na ordem de 180 a 370 vezes maiores que o limite recomendado pela legislação. Baseando-se neste e em estudos anteriores...

Status de selênio de uma população residente em área de risco de contaminação por mercúrio. Influência de polimorfismos e ação sobre o estresse oxidativo; Selenium status of a population living in a mercury contamination risk area. Influence of polymorphisms and action on oxidative stress

Rocha, Ariana Vieira
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 24/02/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.42%
Estudos apontam que a região Amazônica apresenta concentrações significativas de selênio nos solos e que, por isso, a população não estaria susceptível à deficiência desse mineral. Em contrapartida, a região também apresenta dados de concentrações elevadas de mercúrio nos solos e rios, entretanto, a população não apresenta sinais clínicos evidentes de contaminação. Acredita-se que o selênio, um mineral antioxidante, possa ser um possível colaborador para a aparente tolerância ao mercúrio, pois uma das ações desse mineral é a de destoxificar o organismo contra metais tóxicos. Dependendo das concentrações no organismo, o mercúrio pode potencializar a geração das espécies reativas de oxigênio e, dessa forma, as defesas antioxidantes intrínsecas das células podem ser prejudicadas, resultando na condição conhecida por estresse oxidativo. A contaminação por mercúrio pode, ainda, comprometer a saúde tanto das mulheres quanto das crianças, pois esse metal, na forma de metilmercúrio, pode atravessar a barreira placentária e se concentrar, principalmente, no cérebro do feto. Aliado a isso, a presença de polimorfismos em certos genes podem alterar a expressão de enzimas antioxidantes como a glutationa peroxidase 1...

Avaliação dos efeitos da curcumina sobre a hepatotoxicidade induzida pelo mercúrio em células humanas HepG2; Evaluation of the effects of curcumin on the hepatotoxicity induced by mercury in human HepG2 cells

Pinto, Fabio Henrique Villa
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 10/06/2015 PT
Relevância na Pesquisa
37.42%
O mercúrio é um dos metais mais nocivos presentes no ambiente, advindo tanto de fontes naturais quanto antropogênicas. Os indivíduos estão expostos a diferentes formas do mercúrio através de diversas vias, como a alimentação, principalmente no caso do metilmercúrio presente em peixes. Suas formas orgânicas são muito significativas do ponto de vista toxicológico, considerando-se a exposição da população e seus efeitos pró-oxidantes e genotóxicos envolvidos na origem de inúmeras doenças. Por outro lado, é suposto que compostos polifenólicos e outros antioxidantes da dieta podem exercer atividade protetora contra os efeitos deletérios do mercúrio. A curcumina é um pigmento amarelo polifenólico extraído do rizoma da planta Curcuma longa Linn (Zingiberaceae). Diversas evidências apontam para suas propriedades antioxidantes, de modulação da sinalização celular e alteração da expressão gênica, além da possibilidade de sua utilização na prevenção dos efeitos deletérios dos metais no organismo. Assim sendo, este trabalho teve por objetivo avaliar os efeitos da associação entre o mercúrio e a curcumina, investigando a citotoxicidade de dois compostos orgânicos de mercúrio, metilmercúrio e etilmercúrio...

Metalômica aplicada ao estudo de toxicidade do mercúrio em amostras de leite humano coletadas de lactantes residentes em comunidades do alto rio Madeira, Rondônia, Brasil; Metalomic applied to Mercury toxicity study in human milk samples collected in the upper Madeira river communities, Rondônia, Brazil; Metalômica aplicado al estudio de la toxicidad del mercurio en las muestras de leche humana recogidas en las comunidades alto río Madeira, Rondônia, Brasil

Silva, Tania Machado da
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
POR
Relevância na Pesquisa
37.51%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade UnB Planaltina, Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural, 2015.; A avaliação toxicológica de substâncias químicas, como o mercúrio, demandam estudos relativamente longos. Apesar da eficiência destes estudos, recentes desafios têm demandado desenvolvimento de novas técnicas que possibilitem melhor percepção dos mecanismos toxicológicos a fim de possibilitar previsões de toxicidade para diferentes cenários de exposição humana, o que tem gerado grande interesse em estudos relacionados à caracterização funcional e estrutural de proteínas assim como o fluxo dessas espécies no organismo. Neste contexto, buscou-se aqui identificar e quantificar possíveis biomarcadores proteicos da toxicidade do mercúrio em amostra de leite humano de lactantes residentes em comunidades tradicionais do alto rio Madeira, no intuito de elucidar os possíveis mecanismos de transporte do mercúrio. Para tanto, utilizou-se técnicas de proteômica/metalômica, tais como eletroforese unimensional (SDS-PAGE) e quantificação do mercúrio por espectrometria de absorção atômica. O estudo contou com 9 participantes, entre o 20º e 70º dia de lactação. O perfil de consumo alimentar (principalmente fontes de proteína animal) foi determinado pela aplicação de um inquérito alimentar recordatório de 7 dias. As concentrações de mercúrio total (HgT) no cabelo foram determinadas por análise direta utilizando o equipamento por SMS 100. As amostras de leite foram digeridas em meio ácida e a determinação de HgT foi realizada por espectrometria de absorção atômica com amostrador automático e sistema de atomização eletrotérmica em forno de grafite. Por espectrometria atômica também foi possível analisar e quantificar o mercúrio presente nas bandas proteicas...

A dinamica biogeoquimica do mercurio na bacia do Rio Negro (AM) e fluxos na interface agua/atmosfera

Gilmar Silverio da Silva
Fonte: Biblioteca Digital da Unicamp Publicador: Biblioteca Digital da Unicamp
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 31/12/2004 PT
Relevância na Pesquisa
37.44%
A investigação da dinâmica biogeoquímica do mercúrio e dos fluxos do mercúrio dissolvido gasoso (MDG) na interface água/atmosfera na bacia do Rio Negro foi realizada a partir de quatro linhas de trabalho: a) as medidas das concentrações de mercúrio total na atmosfera; do mercúrio total, mercúrio reativo e mercúrio dissolvido gasoso em águas superficiais; e do mercúrio total em águas de precipitação atmosférica; b) estimativas diuturnas dos fluxos do mercúrio dissolvido gasoso (MDG) em águas superficiais brancas e pretas; c) experimentos fotoquímicos in situ com águas brancas e pretas e d) integração dos resultados dos itens anteriores com as características das sub-bacias dos tributários do Rio Negro mediante a aplicação do Sistema de Informações Geográficas (SIG) e do Sensoriamento Remoto (SR). Esta abordagem permitiu elaborar um modelo para o comportamento do fluxo do MDG na interface água/atmosfera, bem como fornecer subsídios para a elaboração de um modelo geral para o ciclo biogeoquímico do mercúrio na bacia do Rio Negro. Dos resultados obtidos destaca-se a existência de mecanismos fotoredutores e foto-oxidantes em águas pretas, este último promovido pelo H2O2 e pelo radical OH, oriundo da reação de Fenton...

Distribuição do mercúrio nas águas termais e engarrafadas do Norte de Portugal

Ferreira, Joana Maria César Veloso
Fonte: Instituto Politécnico do Porto. Instituto Superior de Engenharia do Porto Publicador: Instituto Politécnico do Porto. Instituto Superior de Engenharia do Porto
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
37.41%
O aumento da utilização do mercúrio, Hg, tanto para fins industriais como na aplicação de compostos mercuriais na agricultura, originaram um aumento significativo da contaminação ambiental, especialmente das águas e dos alimentos. Foi aprofundado o estudo sobre o mercúrio, nomeadamente as suas principais fontes de emissão, a sua toxicidade, os principais efeitos nos seres humanos, algumas medidas preventivas, os limites máximos que a legislação permite, que no caso das águas analisadas é de 0,001mg/L, os métodos analíticos para a sua determinação e alguns métodos de amostragem, tanto para o mercúrio em águas como em sedimentos. Em Almadén (Espanha), existe uma mina que pode ser considerada como uma das maiores anomalias geoqímica de mercúrio na Terra. Com este trabalho pretendeu-se perceber a possível existência de mercúrio nas águas termais ao longo da zona de falha Penacova-Régua-Verin e avaliar a existência de uma relação entre os níveis de mercúrio e o seu contexto geológico. Neste trabalho, foi desenvolvido um método simples para a determinação dos níveis de mercúrio em águas, utilizando a espectrometria de absorção atómica de fonte contínua de alta resolução acoplado à técnica de vapor frio. O objectivo deste trabalho foi avaliar os níveis de mercúrio existente em algumas águas engarrafadas e termais. Os limites de detecção da técnica utilizada foram 0...

Asociación entre las concentraciones de malondialdehído (MDA) y las alteraciones neurológicas en personas expuestas ocupacionalmente a mercurio; Association between Concentrations of Malondialdehyde (MDA) and Neurological Abnormalities in People Occupationally Exposed to Mercury; Associação entre concentração de malondialdeído (MDA) e anormalidades neurológicas em pessoas ocupacionalmente expostoa ao mercúrio

Arroyave Hoyos, Claudia Lucía; Cuesta González, Fanny; Wilches, Nicolás; Álvarez, Diana Marcela; Cornejo, José William
Fonte: Universidade do Rosário Publicador: Universidade do Rosário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 30/04/2012 SPA
Relevância na Pesquisa
37.48%
Se cree que la neurotoxicidad por mercurio metálico se debe a la inducción del estrés oxidativo (determinado por aumento de las concentraciones de malondialdehído, MDA), pero se desconoce si la mayor concentración de MDA implica mayor cantidad de alteraciones neurológicas. Objetivo: establecer la asociación entre las concentraciones urinarias de MDA y la gravedad de la neurotoxicidad en individuos expuestos a mercurio. Materiales y métodos: se recurrió a un estudio transversal. Se incluyeron hombres entre 18 y 60 años laboralmente expuestos a mercurio. Se tomaron 110 unidades de análisis de una base de datos. Se obtuvo información de historias clínicas con énfasis en la evolución neurológica, de la concentración de mercurio en orina de 24 horas y de análisis de MDA en orina. Se compararon concentraciones de MDA entre quienes tenían alteraciones neurológicas contra quienes no las tenían y se evaluaron las diferencias de las concentraciones de esta sustancia de acuerdo con la gravedad neurológica; se realizó un análisis de correlación entre concentraciones urinarias de MDA con las concentraciones urinarias de mercurio. Resultados: como resultado se obtuvo que las concentraciones de MDA en los individuos expuestos a mercurio y que presentaron alteraciones neurológicas no fueron diferentes de las concentraciones de los individuos expuestos pero sin alteraciones neurológicas. Sus concentraciones tampoco estuvieron asociadas con la gravedad. No hubo correlación entre las concentraciones urinarias de MDA y mercurio. Conclusión: será necesario buscar otras muestras biológicas diferentes a la orina que reflejen lo que ocurre en el sistema nervioso central (SNC)...