Página 1 dos resultados de 54 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Shame memories that shape who we are; Memórias de vergonha que moldam quem somos

Matos, Marcela Salomé Albuquerque Andrade de
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
ENG
Relevância na Pesquisa
47.32%
Background: Shame is a powerful self-conscious and socially-focused emotion that has increasingly captured the attention of researchers and clinicians. Shame has been studied under the light of an evolutionary biopsychosocial approach that argues this is a genetically prewired emotion that arises from humans’ evolved social motivational systems to form affiliative relationships and unfolding cognitive competencies for social understanding and self-conscious awareness. Even though shame plays a vital role in human psychosocial functioning and development, a consistent body of research has demonstrated it can have significant detrimental effects on mental and physical well-being. Nevertheless, the phenomenological features of shame experiences, particularly those that occur early in life within the family or in wider social arenas, warrant empirical clarification. Furthermore, there is a dearth of empirical research on how these shame experiences are structured as emotional memories and impact on selfidentity and psychological distress. Therefore, the main aim of the present work was to study the phenomenology of early shame experiences, how they operate as traumatic and autobiographical memories and impact on self-identity and current emotional and psychological distress. Method: This research project includes twelve empirical studies with a cross-sectional design and conducted in diverse samples of Portuguese general population and college students...

Estimulação e promoção de memórias autobiográficas específicas como metodologia de diminuição de sintomatologia depressiva em pessoas idosas

Gonçalves, Daniela C.
Fonte: Universidade do Minho Publicador: Universidade do Minho
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em 18/01/2007 POR
Relevância na Pesquisa
47.17%
Dissertação de Mestrado em Psicologia - Área de Especialização em Psicologia Clínica; As alterações demográficas registadas nas últimas décadas, despoletadas pela redução da taxa de natalidade e pelo aumento da esperança média de vida, estão actualmente patentes na inversão da pirâmide populacional portuguesa, onde o número de idosos ultrapassou pela primeira vez o número de jovens (INE, 2002). Conquanto se registem melhorias consideráveis na qualidade de vida da população idosa portuguesa, mensurável através de indicadores físicos objectivos e medidas de satisfação de vida subjectivas, as taxas de prevalência de psicopatologia, nomeadamente de depressão, são preponderantes. Os dados aumentam de forma exponencial se considerarmos a percentagem de subdiagnóstico estimada. Pretendemos com este trabalho implementar uma modalidade de intervenção breve junto de idosos com diagnóstico de episódio depressivo, através da estimulação das suas memórias autobiográficas. Num primeiro momento, expomos o estado da arte em torno desta temática. Apresentamos o conceito de memória autobiográfica, relacionando-a com a iniciação e manutenção da sintomatologia depressiva, destacando nesta relação o conceito de obregeneralização...

A influência dos estados emocionais e tipos de processamento na produção de memórias falsas

Silva, Sónia João Fonseca da
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
46.72%
Mestrado em Psicologia das Emoções; No presente estudo procurou-se perceber se os estados emocionais poderiam interferir na produção de memórias falsas para listas de palavras com diferente valência afetiva (positiva vs. negativa). Foi também objetivo perceber se o tipo de instrução (item-específico vs. relacional vs. standard) afetaria a memória. Pretendeu-se ainda relacionar os estilos de codificação propostos por Lewicki (2005) com as memórias falsas. Recorreu-se a uma metodologia de avaliação de memórias falsas através do paradigma Deese-Roediger-McDermott (DRM) e a um procedimento de indução de emoções baseado nas memórias autobiográficas. Participaram 120 estudantes universitários, com idades compreendidas entre os 18 e os 55 anos. Através de um desenho fatorial 2 (emoção: feliz vs. triste) x 3 (instrução: item-específico vs. relacional vs. standard) x 2 (listas: positivas vs. negativas) verificou-se apenas que as listas positivas produziram maiores níveis de memórias falsas, comparativamente às listas negativas. Ao eliminar os participantes em que a manipulação não se mostrou eficaz os resultados revelaram um efeito de interação entre o tipo de emoção e o tipo de instrução, através do qual se pode observar que os participantes induzidos com uma emoção negativa produziram maiores níveis de recordação falsa quando seguiram uma instrução standard. Não se encontrou um estilo preferencial de codificação nas memórias falsas. Estes resultados foram analisados à luz da teoria do traço difuso.; In this study we sought to understand whether emotional states could interfere with the production of false memories for lists of words with different affective valence (positive vs. negative). It was also aimed to realize what type of instruction (item-specific vs. relational vs. standard) affect memory. It was intended to further relate the encoding styles proposed by Lewicki (2005) with false memories. We used an evaluation methodology of false memories through Deese-Roediger-McDermott paradigm (DRM) and a procedure for inducing emotions based on autobiographical memories. 120 university students took part...

Congruência de humor em memórias autobiográficas de infância de indivíduos com depressão

Aurélio, João Garcez; Cláudio, Victor
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
67.24%
O presente trabalho consiste de um estudo experimental confirmatório realizado com o objectivo de avaliar se existem efeitos de congruência de humor na evocação de memórias autobiográficas de infância, por parte dos sujeitos deprimidos. Procurámos igualmente comparar, a partir dos dados obtidos, indivíduos com diagnóstico de depressão e indivíduos sem história recente ou passada de alterações psicopatológicas, no que concerne os tempos de latência associados à evocação mnésica e o tipo de memórias preferencialmente evocadas. Para este efeito, recorremos a uma amostra constituída por um total de 30 indivíduos (n=15 indivíduos com diagnóstico de depressão e n=15 indivíduos sem história recente ou passada de alterações psicopatológicas), aos quais foi aplicada uma bateria de escalas clínicas e uma Tarefa de Memória Autobiográfica. Os resultados obtidos sugerem a inexistência de um efeito de congruência de humor nas memórias autobiográficas de infância, que pode ser devida a uma maior recapitulação destas ao longo da vida dos indivíduos, por comparação a memórias mais recentes, apesar de muitas dúvidas persistirem a este respeito. Constatou-se igualmente que os indivíduos deprimidos evidenciaram maiores dificuldades em evocar memórias específicas...

Sob o signo da diferença: Histórias e memórias autobiográficas

Batista, Maria de Lurdes Castela
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2001 POR
Relevância na Pesquisa
67.33%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional; O presente trabalho teve como propósito o estudo das Memórias Autobiográficas produzidas por um grupo de crianças de etnia cigana e um grupo de crianças não ciganas, com idades compreendidas entre os 9- 10 anos, que frequentavam o 3o e 4o ano de escolaridade. A tarefa apresentada aos sujeitos de ambos os grupos, consistia em pedir-lhes que contassem a história da sua vida, seguida de nove perguntas guia, formuladas após descrição espontânea à primeira questão. O nosso trabalho teve dois objectivos fundamentais. O primeiro visava compreender de que forma os contextos sociais e culturais marcam e organizam a Memória Autobiográfica. Um segundo objectivo foi o de tentar precisar, a partir das Memórias Autobiográficas produzidas, se existiam diferenças estruturais e de natureza temática entre as memórias evocadas ao nível dos dois grupos. Da análise dos resultados encontrados podem retirar-se as seguintes conclusões: Os contextos sociais e culturais moldam as Memórias Autobiográficas, contribuindo para a existência de diferenças culturais e também de género nas memórias evocadas. - Mostram também que no grupo não cigano as memórias produzidas realçam...

Adolescência: Ideação suicida, depressão, desesperança e memórias autobiográficas

Costa, Inês Alexandra Nabiça Cardoso da
Fonte: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 SPA
Relevância na Pesquisa
67.4%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; O nosso estudo procurou perceber se a depressão, a desesperança e a ideação suicida estavam correlacionadas e se o tipo de recordação de memórias autobiográficas para as palavras família, amigos e escola, ao nível da especificidade, valência e categorias, influencia as primeiras três variáveis. Para tal, foi aplicada uma tarefa de memórias autobiográficas onde era pedido para recordar três memórias referentes às palavras família, escola e amigos, a Escala de auto-avaliação da Depressão (DSRS), a Escala da Desesperança de Beck (BHS) e o questionário da ideação suicida (QIS). Os resultados sugeriram que a ideação suicida, a depressão e a desesperança estão positiva e fortemente correlacionadas. Sugeriram ainda que a recordação das memórias autobiográficas referentes às palavras família e amigos não influenciaram a ideação suicida, a depressão nem a desesperança. Para a recordação das memórias autobiográficas referentes à palavra escola, foi possível verificar que a variável categoria tem apenas um efeito principal na depressão. Embora os resultados referentes à especificidade e valência das memórias autobiográficas para as palavras família...

Memórias autobiográficas voluntárias e involuntárias e a sua associação com a vinculação, depressão e esquemas precoces desadaptativos

Almeida, Pedro Miguel Agria de
Fonte: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
67.46%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; A área das memórias autobiográficas involuntárias é bastante recente na literatura científica, sendo quase inexistente em Portugal. Também se observa a existência de poucos artigos que associem esta temática a escalas clínicas. O objectivo desta investigação foi estudar as características das memórias autobiográficas involuntárias e voluntárias e as suas correlações com as escalas clínicas utilizadas. A amostra foi constituída por 42 estudantes universitários de psicologia (26 do género feminino e 16 do género masculino) que preencheram o Inventário de Sintomas Psicopatológicos, o Inventário de Depressão de Beck, a Escala de Vinculação do Adulto, o Questionário de Esquemas de Young e o Inventário de Ansiedade Estado e Traço, e realizaram a Tarefa de Memórias Autobiográficas. Destes participantes, 23 entregaram ainda um diário associado ao registo das memórias autobiográficas involuntárias. Observou-se que as memórias autobiográficas involuntárias (MAI) são mais específicas que as memórias autobiográficas voluntárias (MAV). Há uma congruência entre a valência emocional do estímulo e a valência das MAV evocadas. Nas MAI, registou-se uma congruência entre o humor no momento da evocação e a valência da memória...

(Re)encontros com o passado: Memórias autobiográficas na depressão e ansiedade generalizada e sua associação com vinculação e esquemas precoces desadaptativos

Pereira, Cátia Filipa dos Santos
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
67.4%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; A área das memórias autobiográficas, associadas a casos clínicos, é bastante recente na literatura científica, sendo quase inexistente em Portugal. A sua associação a escalas clínicas também se mostra pouco explorada. O objectivo desta investigação foi estudar as características das memórias autobiográficas e as suas associações e relações com as escalas clínicas utilizadas. A amostra foi constituída por 30 utentes do Serviço de Psiquiatria de um hospital (18 com perturbação depressiva e 12 com perturbação de ansiedade generalizada) que preencheram o Inventário de Sintomas Psicopatológicos, o Inventário de Depressão de Beck, a Escala de Vinculação do Adulto, o Questionário de Esquemas de Young e o Inventário de Ansiedade Estado e Traço, e realizaram a Tarefa de Memórias Autobiográficas. Observou-se que as memórias autobiográficas no grupo clínico com perturbação depressiva são mais negativas do que no grupo clínico com perturbação de ansiedade generalizada. No entanto, não se verificam diferenças entre os dois grupos clínicos quanto à especificidade das memórias autobiográficas. Existe uma congruência entre a valência emocional do estímulo e a valência emocional das memórias autobiográficas. Relativamente à vinculação verificou-se a existência de correlações intragrupais...

Diferenças de género na recordação das memórias autobiográficas : A influência dos esquemas precoces desadaptativos e dos estilos de vinculação

Alarcão, Maria Madalena
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
67.13%
A área das Memórias Autobiográficas é bastante recente no que diz respeito à literatura cientifica, sobretudo no que concerne à rua relação com os esquemas precoces desadaptativos e estilos de vinculação. Aliado a este factor, encontra-se também, a fraca fundamentação teórica e cientifica relativa às diferenças de género neste tema. Assim, o objectivo desta investigação, passou por relacionar estas três variáveis acima descritas percebendo se existe ou não uma diferença entre homens e mulheres na recordação de Memórias Autobiográficas. A amostra foi constituída por 60 participantes, maiores de 18 anos, sendo que a maioria eram estudantes, 29 do género masculino, e 31 do género feminino. Para a obtenção de dados, os participantes preencheram um leque de questionários composto por: um Questionário de Caracterização da Amostra, o Inventário de Depressão de Beck, o Inventário de Sintomas Psicopatológicos, o Inventário de Estado Ansiedade Traço e o Questionário de Esquemas de Young. Para além destes questionários, realizaram também a Tarefa da Memória Autobiográfica. Não foram encontradas quaisquer diferenças entre homens e mulheres no que diz respeito à valência e ao tipo da memória recordada...

Life scripts e a sua associação com estados de humor, género, vinculação e relações interpessoais

Fonseca, Marta
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.83%
Memórias autobiográficas são definidas como a capacidade que um individuo tem de recordar conscientemente as experiências, informações e eventos passados. As teorias acerca da memória autobiográfica têm tendência a focar-se somente no indivíduo e minimizar o impacto que a cultura exerce sobre o conteúdo e a estrutura da memória autobiográfica. Em contraste, recentemente surgem teorias que postulam que a evocação de memórias emocionalmente carregadas podem ser moldadas pelos chamados Life Scripts. Estes Life Scripts tratam de expectativas culturais partilhadas acerca da localização temporal e ordem dos eventos de vida num curso de vida protótipo. O objectivo desta investigação foi estudar as características dos Life Scripts na população portuguesa. A amostra foi constituída por 82 sujeitos (52 do género feminino e 30 do género masculino). Foram aplicados vários instrumentos clínicos e experimentais como Inventário de Depressão de Beck (BDI), o Questionário dos Eventos dos Scripts de Vida, a Escala de Vinculação do Adulto (EVA) e o Inventário de Problemas Interpessoais (IIP). Aplicou-se a versão em Português dos instrumentos. Nos resultados foram encontradas 43 categorias de Life Script que foram criadas o mais próximo possível das próprias palavras dos sujeitos. Foram encontradas algumas correlações entre as categorias e as subescalas da EVA; e as categorias e as subescalas do IIP.; ABSTRACT: Autobiographical memories are defined as an individual’s capacity to consciously remember past experiences...

Memórias autobiográficas em adultos idosos

Balola, Michele; Cláudio, Victor
Fonte: PsychOpen Publicador: PsychOpen
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
46.83%
Objetivo: Os autores pretendem rever os principais aspetos no estudo das memórias autobiográficas em adultos idosos. Método: Neste trabalho foi efetuada, através da PsycINFO, uma pesquisa da literatura publicada de 1 de Janeiro de 2000 a 30 de Abril de 2013, utilizando como palavras-chave: "autobiographical memory", "aging" e "older adults". Um total de 59 artigos foram revistos, dos quais 18 foram incluídos na seleção final. Resultados: A revisão dos diferentes estudos permitiu observar que existe um declínio da memória episódica. Este efeito não se observou em relação à memória semântica. Os adultos idosos quando comparados com adultos mais jovens, evocam um maior número de memórias de valência positiva. Conclusão: A qualidade de vida do adulto idoso tem sido objeto de interesse por parte da sociedade atual. Neste sentido, o estudo das funções cognitivas em geral e da memória em particular pode dar um contributo importante, tendo em vista uma melhor compreensão do adulto idoso e dos processos mnésicos a si inerentes, nomeadamente na preservação da memória semântica.; ABSTRACT: Aim: The authors intend to review the main aspects in the study of autobiographical memories in older adults. Method: In this work a research of the literature published from 1st of January 2000 to 30th of April 2013...

Valência emocional das memórias autobiográficas e a personalidade : Emoção, personalidade e memórias autobiográficas

Ramires, Ana Sofia Lopes
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
67.53%
Dissertação de mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Superior; É muito vasta a literatura no campo das memórias autobiográficas. No entanto, o impacto da personalidade na evocação das memórias autobiográficas é ainda, pouco claro. O Objectivo desta investigação é avaliar se os domínios da personalidade vão influenciar a valência emocional das memórias autobiográficas evocadas. A metodologia prende-se com a aplicação de escalas clínicas como o BDI (Beck, 1974), o BSI (Canavarro, 1999), Inventário de Personalidade NEO-PI-R (McCrae & Costa, 1992) e Tarefa de Memórias Autobiográficas (Cáudio,2004), que visam a avaliação das memórias autobiográficas e determinam os domínios de personalidade que maior influencia têm no processo de evocação de memórias autobiográficas. Determina-se que, apesar de não serem significativos, os resultados apontam no sentido esperado e que existe uma tendência para uma maior evocação de memórias autobiográficas de valência emocional positiva do que negativa; As mulheres são tendencialmente mais rápidas no processo de evocação; Mulheres evocam maior número de memórias autobiográficas do que os homens; Quanto maiores os níveis de neuroticismo, maior o número de memórias autobiográficas de valência emocional negativa evocadas e por fim...

Memórias autobiográficas em adultos idosos

Lopes, Cecília Isabel Pureza Morais
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
67.47%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; O estudo das memórias autobiográficas em adultos idosos é muito recente em Portugal e existem poucos estudos na literatura científica que relacionem as escalas clinicas com as memórias autobiográficas. O objectivo desta investigação foi estudar as características das memórias autobiográficas em adultos idosos e a sua relação com emoção e as escalas clínicas utilizadas. A amostra foi constituída por 32 adultos idosos (25 do género feminino e 7 do género masculino) com idades compreendidas entre os 60 e os 100 anos, dos quais 18 eram estudantes da Universidade Sénior e 14 residentes em Residências Seniores. Os critérios de inclusão para a amostra foi a exclusão de demência, saber ler e escrever e ter idade igual ou superior a 60 anos. Foi utlizada a adaptação do Mini Mental State of Examination (MMSE) para excluir a possibilidade de demência (M=27,7, DP=1,047). Os participantes preencheram o Inventário de Sintomas Psicopatológicos, o Inventário de Depressão de Beck, a Escala de Vinculação do Adulto, o Questionário de Esquemas de Young e o Inventário de Ansiedade Estado e Traço, e foi-lhes aplicada a Tarefa de Memórias Autobiográficas. Observou-se que os adultos idosos evocam memórias autobiográficas menos específicas...

Especificidade das memórias autobiográficas e a sintomatologia depressiva em idosos

Barata, Celino José Lopes
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.97%
Este estudo tem como objectivo averiguar a existência de diferenças ao nível da especificidade das memórias autobiográficas de sujeitos idosos com e sem sintomatologia depressiva mediante aplicação do teste de memória autobiográfica AMT desenvolvido por Williams & Broadbent (1986), adaptado para a população portuguesa por Gonçalves & Albuquerque (2006). Participaram no estudo 40 sujeitos, com idades compreendidas entre os 65 e os 93 anos, sendo distinguidos dois grupos compostos por, 20 idosos que apresentavam sintomatologia depressiva e 20 idosos que não tinham sintomatologia depressiva. Os resultados indicaram que os idosos com sintomatologia depressiva apresentam uma média de recuperação de memórias autobiográficas gerais (M=3,40; DP=2,01) inferior à apresentada pelos idosos sem sintomatologia depressiva (M=8,70; DP=2,05), sendo esta diferença estatisticamente significativa [t(38)=8,25; p=0,000]. Estes resultados corroboram outros estudos que, partindo de uma conceção hierárquica da memória autobiográfica, consideram que nos casos de sintomatologia depressiva, esta assume algumas particularidades, das quais se destaca a dificuldade em relatarem acontecimentos específicos a partir da apresentação de palavras estímulo.

Congruência de humor em memórias autobiográficas de infância de indivíduos com depressão

Aurélio, João Garcez; Cláudio, Victor; ISPA-IU
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
67.24%
O presente trabalho consiste de um estudo experimental confirmatório realizado com o objectivo de avaliar se existem efeitos de congruência de humor na evocação de memórias autobiográficas de infância, por parte dos sujeitos deprimidos. Procurámos igualmente comparar, a partir dos dados obtidos, indivíduos com diagnóstico de depressão e indivíduos sem história recente ou passada de alterações psicopatológicas, no que concerne os tempos de latência associados à evocação mnésica e o tipo de memórias preferencialmente evocadas. Para este efeito, recorremos a uma amostra constituída por um total de 30 indivíduos (n=15 indivíduos com diagnóstico de depressão e n=15 indivíduos sem história recente ou passada de alterações psicopatológicas), aos quais foi aplicada uma bateria de escalas clínicas e uma Tarefa de Memória Autobiográfica. Os resultados obtidos sugerem a inexistência de um efeito de congruência de humor nas memórias autobiográficas de infância, que pode ser devida a uma maior recapitulação destas ao longo da vida dos indivíduos, por comparação a memórias mais recentes, apesar de muitas dúvidas persistirem a este respeito. Constatou-se igualmente que os indivíduos deprimidos evidenciaram maiores dificuldades em evocar memórias específicas...

Falsas memórias autobiográficas: o que é possível recordar de um evento inesquecível

Nascimento, Juliana Maria Steffen do
Fonte: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre Publicador: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Porto Alegre
Tipo: Dissertação de Mestrado
PORTUGUêS
Relevância na Pesquisa
47.38%
Com o intuito de estudar a relação entre plausibilidade e emocionalidade na formação de falsas memórias autobiográficas sobre um acontecimento distintivo na história de vida de cada pessoa, a presente dissertação de mestrado, desenvolveu um estudo com indivíduos graduados em diferentes cursos de formação superior com distintas solenidades de formatura. Esta dissertação é constituída por dois estudos empíricos apresentados na forma de artigos. O escopo do primeiro estudo empírico foi elaborar um instrumento para aferir a memória autobiográfica acerca de um evento, sendo desenvolvido em três etapas. O objetivo da primeira etapa foi coletar diferentes eventos passíveis de serem presenciados em solenidades de formatura. Participaram 20 graduados de diferentes cursos de formação que descreveram dez eventos frequentes de acontecer em solenidades de formatura e dez eventos pouco frequentes. Na segunda etapa, objetivou-se identificar o índice de plausibilidade dos eventos coletados na primeira etapa. Os 126 participantes classificaram os eventos quanto à plausibilidade. Na terceira etapa, tendo com base os dados coletados nas etapas anteriores, elaborou-se o Inventário de Eventos de Formatura baseado no Life Events of Inventory - LEI. Os eventos contidos neste inventário...

Especificidade das memórias autobiográficas e a sintomatologia depressiva em idosos

Barata, Celino José Lopes
Fonte: Universidade da Beira Interior Publicador: Universidade da Beira Interior
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
46.97%
Este estudo tem como objectivo averiguar a existência de diferenças ao nível da especificidade das memórias autobiográficas de sujeitos idosos com e sem sintomatologia depressiva mediante aplicação do teste de memória autobiográfica AMT desenvolvido por Williams & Broadbent (1986), adaptado para a população portuguesa por Gonçalves & Albuquerque (2006). Participaram no estudo 40 sujeitos, com idades compreendidas entre os 65 e os 93 anos, sendo distinguidos dois grupos compostos por, 20 idosos que apresentavam sintomatologia depressiva e 20 idosos que não tinham sintomatologia depressiva. Os resultados indicaram que os idosos com sintomatologia depressiva apresentam uma média de recuperação de memórias autobiográficas gerais (M=3,40; DP=2,01) inferior à apresentada pelos idosos sem sintomatologia depressiva (M=8,70; DP=2,05), sendo esta diferença estatisticamente significativa [t(38)=8,25; p=0,000]. Estes resultados corroboram outros estudos que, partindo de uma conceção hierárquica da memória autobiográfica, consideram que nos casos de sintomatologia depressiva, esta assume algumas particularidades, das quais se destaca a dificuldade em relatarem acontecimentos específicos a partir da apresentação de palavras estímulo.

Relação entre ansiedade, vinculação e relações interpessoais na evocação de memórias autobiográficas : A influência da ansiedade na evocação de memórias autobiográficas

Neto, Joana da Luz
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
67.47%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; A área das memórias autobiográficas, associada à ansiedade, é recente na literatura científica. O objetivo desta investigação foi estudar a influência dos níveis de ansiedade na evocação de memórias autobiográficas. A amostra foi constituída por 60 participantes com ausência de patologia (38 do género feminino e 22 do género masculino), em que a sua maioria eram estudantes universitários. Os participantes preencheram o Inventário de Depressão de Beck, o Inventário de Estado-Traço de Ansiedade, a Escala de Vinculação do Adulto, o Inventário de Problemas Interpessoais e realizaram a Tarefa de Memórias Autobiográficas. Observou-se que quando a ansiedade traço aumenta, são evocadas menos memórias autobiográficas de valência emocional positiva e menos memórias autobiográficas de estrutura categórica. Numa análise mais fina, verificou-se um aumento na evocação de memórias autobiográficas de estrutura alargadas nos participantes do género masculino com o aumento da ansiedade estado e ansiedade traço. Em geral, independentemente dos níveis de ansiedade, a amostra evocou mais memórias autobiográficas de valência emocional negativa.; ABSTRACT: The area of autobiographical memories...

Congruência de humor em memórias autobiográficas de infância de indivíduos com depressão

Autélio,João Garcez; Cláudio,Victor
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2009 PT
Relevância na Pesquisa
67.24%
O presente trabalho consiste de um estudo experimental confirmatório realizado com o objectivo de avaliar se existem efeitos de congruência de humor na evocação de memórias autobiográficas de infância, por parte dos sujeitos deprimidos. Procurámos igualmente comparar, a partir dos dados obtidos, indivíduos com diagnóstico de depressão e indivíduos sem história recente ou passada de alterações psicopatológicas, no que concerne os tempos de latência associados à evocação mnésica e o tipo de memórias preferencialmente evocadas. Para este efeito, recorremos a uma amostra constituída por um total de 30 indivíduos (n=15 indivíduos com diagnóstico de depressão e n=15 indivíduos sem história recente ou passada de alterações psicopatológicas), aos quais foi aplicada uma bateria de escalas clínicas e uma Tarefa de Memória Autobiográfica. Os resultados obtidos sugerem a inexistência de um efeito de congruência de humor nas memórias autobiográficas de infância, que pode ser devida a uma maior recapitulação destas ao longo da vida dos indivíduos, por comparação a memórias mais recentes, apesar de muitas dúvidas persistirem a este respeito. Constatou-se igualmente que os indivíduos deprimidos evidenciaram maiores dificuldades em evocar memórias específicas...

O brincar em narrativas autobiográficas: um estudo intergeracionalPlaying in the autobiographical narratives: an intergenerational study

Costa, Maria de Fátima Vasconcelos
Fonte: ETD - Educação Temática Digital Publicador: ETD - Educação Temática Digital
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Avaliado pelos pares Formato: application/pdf
Publicado em 23/09/2010 POR
Relevância na Pesquisa
36.83%
Este trabalho de pesquisa pretendeu, a partir de narrativas autobiográficas de jovens em processo de formação para a docência, fazer um levantamento comparativo das condições em que se desenvolveram as práticas lúdicas de três gerações de brincantes: estudantes do curso de pedagogia da Universidade Federal do Ceará, seus pais e avós. A pesquisa assenta sobre duas ordens de inquietações: a interrogação acerca do papel das práticas lúdicas na constituição da infância e, por consequência, nas práticas educativas; e o papel do discurso autobiográfico na formação docente. As referências teóricas da socioantropologia do jogo; da sociologia da infância, da abordagem historiográfica do brinquedo e da pesquisa autobiográfica, fazendo dialogar objeto e método, apontam para a indissociável relação entre pesquisa e formação. O procedimento metodológico prevê o resgate das experiências lúdicas do passado, por uma turma de alunos da disciplina de Práticas Lúdicas, Identidade Cultural e Educação da Criança, do curso de Pedagogia da UFC, através da elaboração escrita de narrativas autobiográficas sobre suas memórias de infância, de seus pais e de seus avós. Os resultados sinalizam para um intenso envolvimento dos sujeitos no processo de construção das narrativas que não apenas deu visibilidade à relatividade histórica das formas de brincar...