Página 1 dos resultados de 6211 itens digitais encontrados em 0.008 segundos

Shame memories that shape who we are; Memórias de vergonha que moldam quem somos

Matos, Marcela Salomé Albuquerque Andrade de
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Tese de Doutorado
ENG
Relevância na Pesquisa
37.13%
Background: Shame is a powerful self-conscious and socially-focused emotion that has increasingly captured the attention of researchers and clinicians. Shame has been studied under the light of an evolutionary biopsychosocial approach that argues this is a genetically prewired emotion that arises from humans’ evolved social motivational systems to form affiliative relationships and unfolding cognitive competencies for social understanding and self-conscious awareness. Even though shame plays a vital role in human psychosocial functioning and development, a consistent body of research has demonstrated it can have significant detrimental effects on mental and physical well-being. Nevertheless, the phenomenological features of shame experiences, particularly those that occur early in life within the family or in wider social arenas, warrant empirical clarification. Furthermore, there is a dearth of empirical research on how these shame experiences are structured as emotional memories and impact on selfidentity and psychological distress. Therefore, the main aim of the present work was to study the phenomenology of early shame experiences, how they operate as traumatic and autobiographical memories and impact on self-identity and current emotional and psychological distress. Method: This research project includes twelve empirical studies with a cross-sectional design and conducted in diverse samples of Portuguese general population and college students...

A escrita das Memórias no PEC: usos e sentidos atribuídos pelo professor-orientador; The writing of Memories at PEC: uses and meanings given by the teacher-advisor

Pereira, Juliana Abilio
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 19/04/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.01%
Esta pesquisa investiga a compreensão do professor-orientador sobre as contribuições da escrita autobiográfica no processo de autoformação docente, em programa especial de formação de professores. Identifica e analisa como o professor-orientador mediou a escrita das Memórias no PEC e quais sentidos atribuiu a essa escrita. Tem como referente empírico o Programa Especial de Formação de Professores: PEC-Formação Universitária Municípios destinado a professores da Educação Infantil e séries iniciais do Ensino Fundamental, por sua relevância no âmbito das novas modalidades de formação continuada de professores (realizado de 2003 a 2004). As questões a seguir nortearam a pesquisa: quais as concepções, sentidos e usos que os professores-orientadores atribuem à escrita das Memórias? Como o professor-orientador mediou a escrita das Memórias no PEC? Quais os aspectos que os professores-orientadores identificam na escrita das Memórias que são indícios de que ocorreu um processo autoformativo? As análises tomaram como material duas fontes principais: a) empíricas: entrevistas semiestruturadas com professores-orientadores e b) documentais: material didático de orientação da escrita das Memórias, documentos oficiais do PEC e documentos oficiais referentes à Formação Docente e Educação Básica. O referencial teórico adotado para análise e discussão dos dados...

O herói das memórias : análise em Memórias Póstumas de Brás Cubas e Memórias de um Sargento de Milícias

Siqueira, Léa Rodrigues
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
37.06%
Este trabalho pretende traçar um paralelo entre as obras Memórias de um Sargento de Milícias e Memórias Póstumas de Brás Cubas, romances que inauguram uma renovação na prosa brasileira, rompendo com o modelo da tradição e nos apresentando “heróis” que a rigor não deveriam receber essa designação. Nesse estudo comparativo, procurarei apontar algumas características dessa figura tão singular “o herói das memórias” ressaltando como, em obras de cunho memorialista os autores construíram suas “memórias” e conceberam seus “heróis”. Tem-se como objetivo desenvolver análise sobre as relações entre literatura e memória, verificar o modo como são caracterizados os narradores nos textos selecionados, verificar técnicas e procedimentos por meio dos quais esses narradores estruturam suas narrativas, bem como o efeito que desejam ou conseguem provocar em seus leitores, e estabelecer um paralelo entre os textos literários analisados no que se refere aos aspectos mencionados. Procura-se, além disso, refletir acerca desses intertextos e das condições em que foram produzidas as obras, levando em consideração suas relações com a memória.; Este trabajo anhela trazar una comparación entre Memórias de um Sargento de Milícias y Memórias Póstumas de Brás Cubas...

Memórias falsas : activação associativa ou extracção temática?

Oliveira, João Carlos Sampaio de
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.96%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Cognição Social Aplicada), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2011; Desde a criação do paradigma DRM (Deese, 1959/Roediger e McDermott, 1995) que o fenómeno de memórias falsas tem sido extensivamente investigado (Gallo, 2010) através do uso de listas de palavras associadas a uma palavra crítica não apresentada. Duas teorias de particular relevo que pretendem explicar o fenómeno são a Teoria fuzzy-trace (Brainerd e Reyna, 2002) e a Teoria de activação-monitorização (Roediger et al. 2001). A primeira assume que as memórias falsas ocorrem devido à extracção de um traço gist representativo do tema geral das listas. Na segunda ocorrem memórias falsas devido às associações existentes entre as palavras da lista e a palavra crítica, sendo esta automaticamente activada. Apesar de estas teorias oferecerem explicações muito diferentes para o mesmo fenómeno, é possível que ambas descrevam processos igualmente válidos para que ocorram memórias falsas. O objectivo do presente estudo prende-se numa tentativa de perceber se estaremos perante dois processos distintos através dos quais se geram memórias falsas: um automático, baseado na activação associativa...

Envolvimento paterno e memórias de infância em pais de crianças com idades entre os 5 e os 10 anos

Almeida, Andreia Oliveira de
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.96%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Psicologia Clínica e da Saúde - Núcleo de Psicologia Clínica Dinâmica), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; Este trabalho foca o envolvimento paterno e as memórias de infância relativas às práticas educativas parentais num grupo de pais de crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 10 anos. Tem como objectivos: (1) analisar o envolvimento paterno e as memórias de infância com base em variáveis sociodemográficas da criança e do pai; (2) examinar a relação entre o envolvimento paterno e as memórias de infância; (3) explorar a relação das dimensões do estudo com variáveis relacionais. Recorreu-se a dois instrumentos – a Escala de Envolvimento Paterno (Simões, Leal, & Maroco, 2010) e a adaptação portuguesa do EMBU- Memórias de Infância (Canavarro, 1996). Foi ainda integrada informação (sociodemográfica e relacional) decorrente de uma entrevista de recolha de dados. Participaram no estudo 96 homens, pais de crianças com idades entre os 5 os 10 anos. Os resultados mostraram que os pais dos rapazes estão mais envolvidos na disciplina e os pais com crianças mais velhas (8-10 anos) percepcionam maior rejeição por parte do pai, comparativamente com os pais das crianças mais novas (5-7 anos). Acresce que os pais mais novos (≤ 40 anos) estão mais disponíveis para a criança e mais envolvidos na disciplina. Adicionalmente...

A persistência das falsas memórias com o tempo : confronto entre a activação associativa e extracção temática

Carvalho, Bruno Ludgero Caiado
Fonte: Universidade de Lisboa Publicador: Universidade de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
37.05%
Tese de mestrado, Psicologia (Secção de Cognição Social Aplicada), Universidade de Lisboa, Faculdade de Psicologia, 2013; Neste estudo foi utilizado o paradigma DRM para analisar o papel da activação associativa e da extracção temática na explicação da persistência das memórias falsas com o passar do tempo. Foram utilizadas listas de associativos com dois itens críticos diferentes – um item crítico associativo (IA), que foi a palavra mais primada pelos associativos da lista; e um item crítico temático (IT), que foi a palavra que melhor descreveu o tema da lista. Após o estudo destas listas, os sujeitos receberam um teste de reconhecimento similar a um teste de escolha forçada, que era entregue no imediato ou diferido em sete dias. Os resultados obtidos demonstraram que o IA produziu mais memórias falsas do que o IT no imediato, o que sugere que a activação associativa tem um maior papel na produção de memórias falsas. Já no diferido, as memórias falsas produzidas pelo IA diminuíram, mas as do IT mantiveram-se estáveis, o que vai de encontro à ideia que a extracção temática tem um papel predominante na persistência das memórias falsas com o tempo. Relativamente à comparação entre memórias falsas e memórias verdadeiras...

A influência dos estados emocionais e tipos de processamento na produção de memórias falsas

Silva, Sónia João Fonseca da
Fonte: Instituto Universitário de Lisboa Publicador: Instituto Universitário de Lisboa
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.96%
Mestrado em Psicologia das Emoções; No presente estudo procurou-se perceber se os estados emocionais poderiam interferir na produção de memórias falsas para listas de palavras com diferente valência afetiva (positiva vs. negativa). Foi também objetivo perceber se o tipo de instrução (item-específico vs. relacional vs. standard) afetaria a memória. Pretendeu-se ainda relacionar os estilos de codificação propostos por Lewicki (2005) com as memórias falsas. Recorreu-se a uma metodologia de avaliação de memórias falsas através do paradigma Deese-Roediger-McDermott (DRM) e a um procedimento de indução de emoções baseado nas memórias autobiográficas. Participaram 120 estudantes universitários, com idades compreendidas entre os 18 e os 55 anos. Através de um desenho fatorial 2 (emoção: feliz vs. triste) x 3 (instrução: item-específico vs. relacional vs. standard) x 2 (listas: positivas vs. negativas) verificou-se apenas que as listas positivas produziram maiores níveis de memórias falsas, comparativamente às listas negativas. Ao eliminar os participantes em que a manipulação não se mostrou eficaz os resultados revelaram um efeito de interação entre o tipo de emoção e o tipo de instrução, através do qual se pode observar que os participantes induzidos com uma emoção negativa produziram maiores níveis de recordação falsa quando seguiram uma instrução standard. Não se encontrou um estilo preferencial de codificação nas memórias falsas. Estes resultados foram analisados à luz da teoria do traço difuso.; In this study we sought to understand whether emotional states could interfere with the production of false memories for lists of words with different affective valence (positive vs. negative). It was also aimed to realize what type of instruction (item-specific vs. relational vs. standard) affect memory. It was intended to further relate the encoding styles proposed by Lewicki (2005) with false memories. We used an evaluation methodology of false memories through Deese-Roediger-McDermott paradigm (DRM) and a procedure for inducing emotions based on autobiographical memories. 120 university students took part...

Congruência de humor em memórias autobiográficas de infância de indivíduos com depressão

Aurélio, João Garcez; Cláudio, Victor
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Artigo de Revista Científica
Publicado em //2009 POR
Relevância na Pesquisa
36.96%
O presente trabalho consiste de um estudo experimental confirmatório realizado com o objectivo de avaliar se existem efeitos de congruência de humor na evocação de memórias autobiográficas de infância, por parte dos sujeitos deprimidos. Procurámos igualmente comparar, a partir dos dados obtidos, indivíduos com diagnóstico de depressão e indivíduos sem história recente ou passada de alterações psicopatológicas, no que concerne os tempos de latência associados à evocação mnésica e o tipo de memórias preferencialmente evocadas. Para este efeito, recorremos a uma amostra constituída por um total de 30 indivíduos (n=15 indivíduos com diagnóstico de depressão e n=15 indivíduos sem história recente ou passada de alterações psicopatológicas), aos quais foi aplicada uma bateria de escalas clínicas e uma Tarefa de Memória Autobiográfica. Os resultados obtidos sugerem a inexistência de um efeito de congruência de humor nas memórias autobiográficas de infância, que pode ser devida a uma maior recapitulação destas ao longo da vida dos indivíduos, por comparação a memórias mais recentes, apesar de muitas dúvidas persistirem a este respeito. Constatou-se igualmente que os indivíduos deprimidos evidenciaram maiores dificuldades em evocar memórias específicas...

Sob o signo da diferença: Histórias e memórias autobiográficas

Batista, Maria de Lurdes Castela
Fonte: Instituto Superior de Psicologia Aplicada Publicador: Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2001 POR
Relevância na Pesquisa
37.01%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Educacional; O presente trabalho teve como propósito o estudo das Memórias Autobiográficas produzidas por um grupo de crianças de etnia cigana e um grupo de crianças não ciganas, com idades compreendidas entre os 9- 10 anos, que frequentavam o 3o e 4o ano de escolaridade. A tarefa apresentada aos sujeitos de ambos os grupos, consistia em pedir-lhes que contassem a história da sua vida, seguida de nove perguntas guia, formuladas após descrição espontânea à primeira questão. O nosso trabalho teve dois objectivos fundamentais. O primeiro visava compreender de que forma os contextos sociais e culturais marcam e organizam a Memória Autobiográfica. Um segundo objectivo foi o de tentar precisar, a partir das Memórias Autobiográficas produzidas, se existiam diferenças estruturais e de natureza temática entre as memórias evocadas ao nível dos dois grupos. Da análise dos resultados encontrados podem retirar-se as seguintes conclusões: Os contextos sociais e culturais moldam as Memórias Autobiográficas, contribuindo para a existência de diferenças culturais e também de género nas memórias evocadas. - Mostram também que no grupo não cigano as memórias produzidas realçam...

Adolescência: Ideação suicida, depressão, desesperança e memórias autobiográficas

Costa, Inês Alexandra Nabiça Cardoso da
Fonte: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 SPA
Relevância na Pesquisa
37.01%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; O nosso estudo procurou perceber se a depressão, a desesperança e a ideação suicida estavam correlacionadas e se o tipo de recordação de memórias autobiográficas para as palavras família, amigos e escola, ao nível da especificidade, valência e categorias, influencia as primeiras três variáveis. Para tal, foi aplicada uma tarefa de memórias autobiográficas onde era pedido para recordar três memórias referentes às palavras família, escola e amigos, a Escala de auto-avaliação da Depressão (DSRS), a Escala da Desesperança de Beck (BHS) e o questionário da ideação suicida (QIS). Os resultados sugeriram que a ideação suicida, a depressão e a desesperança estão positiva e fortemente correlacionadas. Sugeriram ainda que a recordação das memórias autobiográficas referentes às palavras família e amigos não influenciaram a ideação suicida, a depressão nem a desesperança. Para a recordação das memórias autobiográficas referentes à palavra escola, foi possível verificar que a variável categoria tem apenas um efeito principal na depressão. Embora os resultados referentes à especificidade e valência das memórias autobiográficas para as palavras família...

Memórias autobiográficas voluntárias e involuntárias e a sua associação com a vinculação, depressão e esquemas precoces desadaptativos

Almeida, Pedro Miguel Agria de
Fonte: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: ISPA - Instituto Universitário das Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
37.03%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica; A área das memórias autobiográficas involuntárias é bastante recente na literatura científica, sendo quase inexistente em Portugal. Também se observa a existência de poucos artigos que associem esta temática a escalas clínicas. O objectivo desta investigação foi estudar as características das memórias autobiográficas involuntárias e voluntárias e as suas correlações com as escalas clínicas utilizadas. A amostra foi constituída por 42 estudantes universitários de psicologia (26 do género feminino e 16 do género masculino) que preencheram o Inventário de Sintomas Psicopatológicos, o Inventário de Depressão de Beck, a Escala de Vinculação do Adulto, o Questionário de Esquemas de Young e o Inventário de Ansiedade Estado e Traço, e realizaram a Tarefa de Memórias Autobiográficas. Destes participantes, 23 entregaram ainda um diário associado ao registo das memórias autobiográficas involuntárias. Observou-se que as memórias autobiográficas involuntárias (MAI) são mais específicas que as memórias autobiográficas voluntárias (MAV). Há uma congruência entre a valência emocional do estímulo e a valência das MAV evocadas. Nas MAI, registou-se uma congruência entre o humor no momento da evocação e a valência da memória...

(Re)encontros com o passado: Memórias autobiográficas na depressão e ansiedade generalizada e sua associação com vinculação e esquemas precoces desadaptativos

Pereira, Cátia Filipa dos Santos
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
36.96%
Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; A área das memórias autobiográficas, associadas a casos clínicos, é bastante recente na literatura científica, sendo quase inexistente em Portugal. A sua associação a escalas clínicas também se mostra pouco explorada. O objectivo desta investigação foi estudar as características das memórias autobiográficas e as suas associações e relações com as escalas clínicas utilizadas. A amostra foi constituída por 30 utentes do Serviço de Psiquiatria de um hospital (18 com perturbação depressiva e 12 com perturbação de ansiedade generalizada) que preencheram o Inventário de Sintomas Psicopatológicos, o Inventário de Depressão de Beck, a Escala de Vinculação do Adulto, o Questionário de Esquemas de Young e o Inventário de Ansiedade Estado e Traço, e realizaram a Tarefa de Memórias Autobiográficas. Observou-se que as memórias autobiográficas no grupo clínico com perturbação depressiva são mais negativas do que no grupo clínico com perturbação de ansiedade generalizada. No entanto, não se verificam diferenças entre os dois grupos clínicos quanto à especificidade das memórias autobiográficas. Existe uma congruência entre a valência emocional do estímulo e a valência emocional das memórias autobiográficas. Relativamente à vinculação verificou-se a existência de correlações intragrupais...

Valência emocional das memórias autobiográficas e a personalidade : Emoção, personalidade e memórias autobiográficas

Ramires, Ana Sofia Lopes
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.06%
Dissertação de mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Superior; É muito vasta a literatura no campo das memórias autobiográficas. No entanto, o impacto da personalidade na evocação das memórias autobiográficas é ainda, pouco claro. O Objectivo desta investigação é avaliar se os domínios da personalidade vão influenciar a valência emocional das memórias autobiográficas evocadas. A metodologia prende-se com a aplicação de escalas clínicas como o BDI (Beck, 1974), o BSI (Canavarro, 1999), Inventário de Personalidade NEO-PI-R (McCrae & Costa, 1992) e Tarefa de Memórias Autobiográficas (Cáudio,2004), que visam a avaliação das memórias autobiográficas e determinam os domínios de personalidade que maior influencia têm no processo de evocação de memórias autobiográficas. Determina-se que, apesar de não serem significativos, os resultados apontam no sentido esperado e que existe uma tendência para uma maior evocação de memórias autobiográficas de valência emocional positiva do que negativa; As mulheres são tendencialmente mais rápidas no processo de evocação; Mulheres evocam maior número de memórias autobiográficas do que os homens; Quanto maiores os níveis de neuroticismo, maior o número de memórias autobiográficas de valência emocional negativa evocadas e por fim...

Memórias autobiográficas em adultos idosos

Lopes, Cecília Isabel Pureza Morais
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
37.01%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; O estudo das memórias autobiográficas em adultos idosos é muito recente em Portugal e existem poucos estudos na literatura científica que relacionem as escalas clinicas com as memórias autobiográficas. O objectivo desta investigação foi estudar as características das memórias autobiográficas em adultos idosos e a sua relação com emoção e as escalas clínicas utilizadas. A amostra foi constituída por 32 adultos idosos (25 do género feminino e 7 do género masculino) com idades compreendidas entre os 60 e os 100 anos, dos quais 18 eram estudantes da Universidade Sénior e 14 residentes em Residências Seniores. Os critérios de inclusão para a amostra foi a exclusão de demência, saber ler e escrever e ter idade igual ou superior a 60 anos. Foi utlizada a adaptação do Mini Mental State of Examination (MMSE) para excluir a possibilidade de demência (M=27,7, DP=1,047). Os participantes preencheram o Inventário de Sintomas Psicopatológicos, o Inventário de Depressão de Beck, a Escala de Vinculação do Adulto, o Questionário de Esquemas de Young e o Inventário de Ansiedade Estado e Traço, e foi-lhes aplicada a Tarefa de Memórias Autobiográficas. Observou-se que os adultos idosos evocam memórias autobiográficas menos específicas...

Congruência de humor em memórias autobiográficas de infância de indivíduos com depressão

Aurélio, João Garcez; Cláudio, Victor; ISPA-IU
Fonte: ISPA - Instituto Universitário Publicador: ISPA - Instituto Universitário
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
Publicado em 23/11/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.96%
O presente trabalho consiste de um estudo experimental confirmatório realizado com o objectivo de avaliar se existem efeitos de congruência de humor na evocação de memórias autobiográficas de infância, por parte dos sujeitos deprimidos. Procurámos igualmente comparar, a partir dos dados obtidos, indivíduos com diagnóstico de depressão e indivíduos sem história recente ou passada de alterações psicopatológicas, no que concerne os tempos de latência associados à evocação mnésica e o tipo de memórias preferencialmente evocadas. Para este efeito, recorremos a uma amostra constituída por um total de 30 indivíduos (n=15 indivíduos com diagnóstico de depressão e n=15 indivíduos sem história recente ou passada de alterações psicopatológicas), aos quais foi aplicada uma bateria de escalas clínicas e uma Tarefa de Memória Autobiográfica. Os resultados obtidos sugerem a inexistência de um efeito de congruência de humor nas memórias autobiográficas de infância, que pode ser devida a uma maior recapitulação destas ao longo da vida dos indivíduos, por comparação a memórias mais recentes, apesar de muitas dúvidas persistirem a este respeito. Constatou-se igualmente que os indivíduos deprimidos evidenciaram maiores dificuldades em evocar memórias específicas...

Sudeste goiano: seus trabalhadores, seus construtores, suas memórias – nossas histórias

Inácio, Paulo Cesar
Fonte: Universidade Federal de Uberlândia Publicador: Universidade Federal de Uberlândia
Tipo: Tese de Doutorado
POR
Relevância na Pesquisa
36.99%
O campo construído e reconstruído nas memórias dos trabalhadores do Sudeste Goiano se constituiu na tese que agora apresentamos. Em um processo de leitura e releitura de entrevistas produzidas desde o ano de 2000, buscamos aprofundar alguns significados que as memórias em relação ao campo podem trazer das redefinições das relações de trabalho a que estes trabalhadores estiveram submetidos na segunda metade do século XX. Mantendo um diálogo com as entrevistas produzidas com homens e mulheres, trabalhadores que sofreram redefinições em suas vidas devido à mudança do campo para a cidade, problematizamos produções na história que, colocando campo e cidade apartados na dinâmica de produção e consumo, imputam ao primeiro um espaço em que as pessoas se constituíam a partir de uma situação de miséria econômica e apatia política, condição que seria redimida com a ida para a cidade, local em que o capitalismo propiciaria, pelo trabalho assalariado e pelos avanços tecnológicos, uma redenção das condições vividas no campo. Recusamos uma maneira de pensar em que as memórias dos trabalhadores são postas a reboque de estruturas que são estranhas ao seu mundo, embora em algum momento elas se vejam imbricadas. Essas estruturas...

O efeito da sugestão de falsa informação para eventos emocionais: quão suscetíveis são nossas memórias?; Misinformation effect on memory for emotional events: how susceptible are our memories?; El efecto de información engañosa para eventos emocionales: ¿cuán susceptibles son nuestras memorias?

NEUFELD, Carmem Beatriz; BRUST, Priscila Goergen; STEIN, Lilian Milnitsky
Fonte: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá Publicador: Departamento de Psicologia - Universidade Estadual de Maringá
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.99%
O presente trabalho visa fornecer evidências científicas da susceptibilidade das memórias a distorção através do estudo das falsas memórias (lembranças de eventos que, na realidade, não ocorreram) para situações emocionalmente carregadas. Foi usada a versão brasileira dos instrumentos e procedimentos de Cahill, Prins, Weber, e McGaugh e adaptada por Neufeld, Brust e Stein para a investigação do efeito da emoção na memória e nas falsas memórias. O experimento investigou o efeito de sugestão de falsa informação em 138 alunos universitários. O procedimento também testou um material de sugestão de falsa informação congruente com a história na forma de um artigo de jornal. Os resultados indicam que a memória verdadeira não foi imune a erros e distorções, apesar de aparentemente ter sido auxiliada pela emocionalidade do evento. Ou seja, a sugestão de falsa informação parece ter auxiliado na discriminação dos itens sugeridos.; The current essay forwards scientific evidence on the susceptibility of distorted memories by assessing false memories (remembrance of events which actually did not occur) in emotionally arousing situations. The Brazilian version of the Cahill, Prins, Weber and McGaugh's instruments and procedures adapted by Neufeld...

O papel das memórias positivas precoces nos estilos de vinculação e estados emocionais negativos dos adolescentes

Martinho, Maria Inês Antunes
Fonte: ISMT Publicador: ISMT
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
POR
Relevância na Pesquisa
37.01%
Objetivos: A literatura científica tem mostrado que as experiências precoces na infância, nomeadamente as relacionadas com sentimentos de ameaça ou de segurança desempenham um papel fundamental no desenvolvimento emocional e social posterior. O presente estudo apresenta os seguintes objetivos: 1) Adequar e analisar as propriedades psicométricas da escala de memórias precoces de calor e segurança (EMWSS) à população de adolescentes, garantindo, uma medida confiável do constructo em estudo; 2) Examinar o impacto das memórias precoces de calor e segurança nos estilos de vinculação; 3) Explorar a relação entre as memórias positivas precoces e indicadores de desajustamento psicológico (sintomas de depressão, ansiedade e stress). Método: A amostra é constituída por 651 adolescentes (330 rapazes e 321 raparigas) com idades compreendidas entre os 12 e os 19 anos a frequentarem o ensino básico e secundário do ensino regular. Foram completados 3 instrumentos de auto - resposta que avaliaram as memórias precoces de calor e segurança (EMWSS), vinculação (AQ) e sintomas de ansiedade, depressão e stress (DASS-21). Resultados: A EMWSS evidenciou uma boa consistência interna, uma estrutura fatorial unidimensional, uma excelente estabilidade temporal e uma boa validade discriminante. As memórias precoces de calor e segurança mostraram uma correlação moderada negativa com os sintomas de ansiedade...

Relação entre ansiedade, vinculação e relações interpessoais na evocação de memórias autobiográficas : A influência da ansiedade na evocação de memórias autobiográficas

Neto, Joana da Luz
Fonte: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida Publicador: Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2015 POR
Relevância na Pesquisa
37.01%
Dissertação de Mestrado apresentada ao ISPA - Instituto Universitário; A área das memórias autobiográficas, associada à ansiedade, é recente na literatura científica. O objetivo desta investigação foi estudar a influência dos níveis de ansiedade na evocação de memórias autobiográficas. A amostra foi constituída por 60 participantes com ausência de patologia (38 do género feminino e 22 do género masculino), em que a sua maioria eram estudantes universitários. Os participantes preencheram o Inventário de Depressão de Beck, o Inventário de Estado-Traço de Ansiedade, a Escala de Vinculação do Adulto, o Inventário de Problemas Interpessoais e realizaram a Tarefa de Memórias Autobiográficas. Observou-se que quando a ansiedade traço aumenta, são evocadas menos memórias autobiográficas de valência emocional positiva e menos memórias autobiográficas de estrutura categórica. Numa análise mais fina, verificou-se um aumento na evocação de memórias autobiográficas de estrutura alargadas nos participantes do género masculino com o aumento da ansiedade estado e ansiedade traço. Em geral, independentemente dos níveis de ansiedade, a amostra evocou mais memórias autobiográficas de valência emocional negativa.; ABSTRACT: The area of autobiographical memories...

Memorias Asociativas Basadas en Relaciones de Orden y Operaciones Binarias

Yáñez Márquez,Cornelio; Díaz de León Santiago,Juan Luis
Fonte: Centro de Investigación en computación, IPN Publicador: Centro de Investigación en computación, IPN
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2003 ES
Relevância na Pesquisa
37.06%
En este artículo se propone un nuevo modelo de memorias asociativas. Las herramientas matemáticas del nuevo modelo incluyen dos operaciones binarias inventadas ex profeso, cuyos operadores fueron bautizados arbitrariamente con las dos primeras grafias del alfabeto griego: α y β. Las nuevas memorias asociativas αβ son de dos tipos y cada uno de ellos puede operar en dos modos diferentes. La operación α es útil en la fase de aprendizaje, mientras que la operación β da sustento a la fase de recuperación de patrones. Las propiedades algebraicas de las operaciones α y β permiten que las nuevas memorias asociativas αβ exhiban características similares a las que son inherentes a las memorias asociativas morfológicas binarias, en cuanto a capacidades de aprendizaje y almacenamiento, tipos y cantidades de ruido a que son robustas, y las condiciones suficientes para exhibir respuesta perfecta; adicionalmente, es preciso enfatizar que la densidad aritmética de las nuevas memorias asociativas es menor que la correspondiente a las memorias asociativas morfológicas. La razón para tomar como referencia a las memorias asociativas morfológicas para la creación de las memorias αβ...