Página 1 dos resultados de 18 itens digitais encontrados em 0.001 segundos

Resíduos de medicamentos nos RSU

Silva, Pedro Filipe Ramos da
Fonte: [s.n.] Publicador: [s.n.]
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.66%
Trabalho apresentado à Universidade Fernando Pessoa como parte dos requisitos para obtenção do grau de Mestre em Ciências Farmacêuticas; O crescimento populacional, associado ao aumento do nível de vida e às mudanças dos padrões de consumo, tem vindo a contribuir nas últimas décadas para um aumento da produção de resíduos sólidos urbanos (RSU). Estes resíduos, subprodutos de diversas atividades, têm estado no centro das atenções das entidades gestoras de resíduos urbanos Nacionais e Europeias, muito devido aos seus impactes ambientais. Com o objetivo de minimizar os efeitos da produção e da rejeição dos RSU, têm sido incentivadas várias medidas, como sejam a reutilização, a reciclagem, a valorização energética e orgânica, como alternativas ao destino final destes materiais em aterros. No entanto, mesmo após a construção das infraestruturas necessárias para a aplicação de políticas direcionadas para a redução e aproveitamento dos RSU, torna-se inevitável a implementação de um sistema de deposição final e economicamente viável como os aterros sanitários, devido à grande quantidade produzida, principalmente nos meios urbanos de grande dimensão. Em Portugal, estes aterros substituíram as antigas lixeiras a céu aberto por serem uma alternativa ambientalmente mais segura e com menos consequências negativas para a saúde pública. Os RSU podem ter a sua origem em diferentes áreas...

Risco de eventos adversos e uso de medicamentos potencialmente interativos

SECOLI, Silvia Regina; LEBRÃO, Maria Lúcia
Fonte: Barueri Publicador: Barueri
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
46.63%
Este estudo é parte do Estudo SABE e teve por objetivo verificar a freqüência de uso de medicamentos impróprios e potencialmente interativos (PI) pela população idosa residente na zona urbana do município de São Paulo. Os medicamentos foram classificados segundo o sistema ATC com características e potencial de interação. Utilizou-se estatística descritiva. Foram identificados 47,1 por cento de medicamentos (PI) e 10,6 por cento de uso impróprio. Os inibidores enzimáticos (41 por cento) foram os mais freqüentes, sendo o diclofenaco (3 por cento) o impróprio e PI mais usado. Os riscos identificados devem alertar os profissionais para a importância de analisar criteriosamente os medicamentos prescritos ao idoso

Assessment of pharmacotherapeutic safety of medical prescriptions for elderly residents in a long-term care facility

Varallo, Fabiana Rossi; Stein Ambiel, Ingrid Stephanie; Nanci, Luana Orlandelli; Fernandes Galduroz, Jose Carlos; Mastroianni, Patricia de Carvalho
Fonte: Universidade de São Paulo (USP), Conjunto Quimicas Publicador: Universidade de São Paulo (USP), Conjunto Quimicas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: 477-485
ENG
Relevância na Pesquisa
16.42%
The present study aimed to estimate the prevalence of elderly using potentially inappropriate medications (PIM) and with occurrence of potentially hazardous drug interactions (PHDI), to identify the risk factors for the prescription of PIM and to evaluate the impact of pharmaceutical intervention (PI) for the prescription of safer therapeutic alternatives. Therefore, a cross-sectional study was performed in a long-term care facility in São Paulo State, between December/2010 and January/2011. The medical records of the patients >= 60 years old who took any drugs were consulted to assess the pharmacotherapeutic safety of the medical prescriptions, in order to identify PIM and PHDI, according to the Beers (2003) and World Health Organization criteria, respectively. PI consisted of a guidance letter to the physician responsible for the institution, with the suggestions of safer equivalent therapeutics. Approximately 88% of the elderly took at least one drug, and for 30% of them the PIM had been prescribed. Most of the PIM identified (53.4%) act on the central nervous system. Among the 13 different DI detected, 6 are considered PHDI. Polypharmacy was detected as a risk factor for PIM prescription. After the PI there was no change in medical prescriptions of patients who had been prescribed PIM or PHDI. The data suggests that PI performed by letter...

Internações hospitalares por reações adversas a medicamentos (RAM) em um hospital de ensino

Varallo, Fabiana Rossi
Fonte: Universidade Estadual Paulista (UNESP) Publicador: Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: 96 f.
POR
Relevância na Pesquisa
36.63%
Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas - FCFAR; Reações Adversas a Medicamentos (RAM) são um importante problema de saúde pública, pois reduzem a qualidade de vida do paciente e geram gastos desnecessários aos hospitais. Por isso, o presente estudo estimou a prevalência de internações hospitalares por possível RAM, identificou o perfil demográfico dos pacientes acometidos, bem como os fármacos e as possíveis RAM mais frequentemente relacionadas com as internações hospitalares. Para tanto, realizou-se um estudo observacional e transversal na clínica médica de um hospital de ensino, entre os meses de agosto a dezembro de 2008. Os pacientes foram entrevistados sobre os sintomas/queixas/motivos de internação que os levaram ao hospital e quais medicamentos utilizaram nos 15 dias prévios à internação. Durante o período do estudo, observou-se que a internação hospitalar estava relacionada com possível RAM em 115 pacientes (46,4%), sendo a maioria mulheres e não-idosos. Os fármacos mais frequentemente relacionados com a internação foram os que atuam nos sistemas: cardiovascular (48,7%), digestório (22,9%) e nervoso central (14,1%). Quanto ao tipo de receituário dos medicamentos responsáveis por RAM, 90...

Assistência farmacêutica a idosos institucionalizados do Distrito Federal

Oliveira, Mirna Poliana Furtado
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Dissertação
PT_BR
Relevância na Pesquisa
26.63%
Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2008.; O envelhecimento é acompanhado por mudanças no perfil de morbidade da população e como conseqüência, um crescente consumo de medicamentos por esse grupo da população tornando-o mais suscetível aos problemas relacionados à farmacoterapia. Esses problemas incluem prescrição e uso irracionais, redução da adesão ao tratamento, prática de automedicação, aumento do número de interações medicamentosas e incidência de reações adversas (RAM) comprometendo a eficácia e segurança da terapia. Nesse contexto, este trabalho avaliou a Assistência Farmacêutica aos idosos de cinco Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPI) do Distrito Federal e a influência que os aspectos sócio-demográficos, econômicos, biopsicossociais e epidemiológicos exercem sobre a farmacoterapia identificando possíveis pontos de intervenção do farmacêutico. O grupo estudado é em sua maioria proveniente do nordeste e sudeste brasileiro, solteiro e viúvo, com baixo nível de instrução e renda mensal. Os idosos tomam de 4 a 5 medicamentos sendo que a prevalência de uso de medicamentos considerados impróprios para a faixa etária e a presença de interações medicamentosas entre as prescrições desses idosos são significativas. Quanto aos problemas relacionados a medicamentos (PRM) foi identificado que 53...

A terapia medicamentosa no idoso : cuidados na medicação; Pharmacotherapy in the elderly : precautions with medication

Nóbrega, Otávio de Tolêdo; Karnikowski, Margô Gomes de Oliveira
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica
POR
Relevância na Pesquisa
36.63%
A literatura médica reconhece que o envelhecimento predispõe a um consumo aumentado de medicamentos prescritos e não-prescritos. No entanto, mudanças fisiológicas relacionadas ao envelhecimento, tais como a modificação da composição corporal e a redução das funções renal e hepática, podem alterar em muito a farmacocinética e a farmacodinâmica de diversos fármacos, fazendo com que indivíduos idosos estejam suscetíveis com maior freqüência a efeitos adversos ou terapêuticos mais intensos. Neste cenário, a literatura médica tem sido constantemente enriquecida com estudos que apontam explicitamente para medicamentos específicos ou categorias de medicamentos cujo consumo por indivíduos idosos deve ser evitado ou utilizado com cautela. Este trabalho se propõe a descrever brevemente algumas informações consensuais acerca destes medicamentos impróprios para idosos, ressaltando alguns fármacos que se encontram disponíveis à população brasileira. ____________________________________________________________________________________ ABSTRACT; Medical literature points out that ageing predisposes to a greater consumption of prescription and "over the counter" medicines. However, physiological changes related to aging such as modification of body composition and reduction of the renal and hepatic functions may significantly alter the pharmacokinetics and pharmacodynamics of several drugs...

Alterações farmacológicas na terapêutica geriátrica

Alves, Cátia Alexandra Duarte
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.42%
Dissertação de mest., Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Univ. do Algarve, 2012; O envelhecimento global é uma realidade para a qual a sociedade mundial ainda se está a adaptar. A evolução do conhecimento científico e o surgimento de novos medicamentos, cada vez mais sofisticados e eficazes, tem contribuído, e muito, para este facto, pois cada vez mais se conseguem bons resultados no combate a doenças que há alguns anos eram consideradas quase uma sentença de morte. O aumento da esperança média de vida e da proporção da população idosa tem evidente influência no aumento da prevalência de certas doenças. Para além disso, uma vez que se vivem mais anos, há maior probabilidade do surgimento de co morbilidades e da necessidade de várias terapêuticas, existindo cada vez mais doentes idosos, com várias doenças crónicas em simultâneo e, por isso, polimedicados. Esta evolução populacional acarreta consequências importantes para a terapêutica. O envelhecimento engloba alterações fisiológicas, farmacocinéticas e farmacodinâmicas, que estão intimamente ligadas a uma modificação da forma como o corpo lida com os fármacos. Em termos terapêuticos, individualmente...

Consumo de medicamentos por idosos, Goiânia, Brasil

Santos,Thalyta Renata Araújo; Lima,Dione Marçal; Nakatani,Adélia Yaeko Kyosen; Pereira,Lílian Varanda; Leal,Geraldo Sadoyama; Amaral,Rita Goreti
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2013 PT
Relevância na Pesquisa
47.01%
OBJETIVO: Analisar o padrão de consumo de medicamentos entre idosos e sua associação com aspectos socioeconômicos e autopercepção de saúde. MÉTODOS: Estudo de base populacional e delineamento transversal com 934 idosos de Goiânia, GO, Brasil, entre dezembro de 2009 e abril de 2010. Os dados foram coletados por meio de questionário. As variáveis estudadas foram: número de medicamentos consumidos, sexo, estado civil, escolaridade, tipo de moradia, idade, renda e autopercepção de saúde. Os medicamentos foram classificados segundo o Anatomical Therapeutic and Chemical Classification. Os medicamentos impróprios para idosos foram identificados segundo o Critério de Beers-Fick. Os testes utilizados foram Qui-quadrado (X²) e exato de Fisher e p foi considerado significativo quando < 0,05. RESULTADOS: Os idosos consumiam 2.846 medicamentos (3,63 medicamentos/idoso). Os mais usuais atuavam no aparelho cardiovascular (38,6%). A prevalência de polifarmácia foi de 26,4% e da automedicação de 35,7%. Os medicamentos mais ingeridos por automedicação foram os analgésicos (30,8%); 24,6% dos idosos consumia medicamento considerado impróprio. Mulheres, viúvos, idosos com 80 anos ou mais e com pior autopercepção de saúde praticavam mais a polifarmácia. A maior prática da automedicação esteve associada com menor escolaridade e pior autopercepção de saúde. CONCLUSÕES: O padrão do consumo de medicamentos por idosos foi semelhante ao encontrado em idosos de outras regiões do Brasil. O número de medicamentos usados...

Caracterização dos idosos usuários de medicação residentes em instituição de longa permanência

Gautério,Daiane Porto; Santos,Silvana Sidney Costa; Pelzer,Marlene Teda; Barros,Edaiane Joana; Baumgarten,Larissa
Fonte: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2012 PT
Relevância na Pesquisa
26.63%
Os objetivos deste estudo foram caracterizar os idosos residentes em uma Instituição de Longa Permanência quanto ao uso de medicamentos e verificar a existência de polifarmácia. Trata-se de estudo descritivo e quantitativo, realizado por meio de dados de um banco originado da pesquisa Perfil de idosos residentes numa Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPIs): proposta de ação de enfermagem/saúde. Foram selecionados 39 idosos que faziam uso de medicação. Os achados evidenciaram predominância de mulheres, com idade entre 80 e 89 anos, que sabem ler e são viúvas. As doenças do aparelho circulatório foram as mais frequentes. Os idosos usavam em média 3,7 medicamentos e 30,8% deles utilizavam polifarmácia. Os medicamentos mais usados foram para as intercorrências do sistema cardiovascular. Verificou-se a presença de medicamentos considerados impróprios para idosos. Espera-se sensibilizar os profissionais de saúde a promoverem o uso racional e cuidadoso de medicamentos para os idosos institucionalizados.

Medicamentos e sondas de nutrição

Gorzoni,Milton Luiz; Della Torre,Anderson; Pires,Sueli Luciano
Fonte: Associação Médica Brasileira Publicador: Associação Médica Brasileira
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2010 PT
Relevância na Pesquisa
46.93%
OBJETIVO: Definir a prevalência de medicamentos incompatíveis com esta via em internados em instituição de longa permanência para idosos (ILPI) e em uso de sondas de nutrição. MÉTODOS: Análise de prescrições de internados em ILPI e em uso de sonda de nutrição há mais de 48 horas. Compararam-se os princípios ativos dos medicamentos prescritos, formas de apresentação e possibilidade de trituração com dados de literatura sobre viabilidade de fármacos por essa via. RESULTADOS: Observou-se sondas de nutrição em 57 pacientes (11,2% do total de leitos), idade média de 65,6 ± 16,0 anos, 32 mulheres e 25 homens. Média de fármacos por via enteral: 5,6 ± 2,2. Itens medicamentosos nas prescrições: 316 divididos em 64 fármacos, sendo 129 itens (40,8% do total) e 23 fármacos (35,4%) impróprios para essa via. Medicamentos impróprios mais prescritos: captopril, fenitoína, ranitidina, omeprazol e complexo B. Apresentações alternativas foram encontradas para 15 (65,2%) dos 23 fármacos inadequados por essa via. CONCLUSÃO: Sondas de nutrição, como via de administração medicamentosa em ILPI, apresentam significativo risco de prescrições incompatíveis com elas.

A terapia medicamentosa no idoso: cuidados na medicação

Nóbrega,Otávio de Tolêdo; Karnikowski,Margô Gomes de Oliveira
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2005 PT
Relevância na Pesquisa
36.61%
A literatura médica reconhece que o envelhecimento predispõe a um consumo aumentado de medicamentos prescritos e não-prescritos. No entanto, mudanças fisiológicas relacionadas ao envelhecimento, tais como a modificação da composição corporal e a redução das funções renal e hepática, podem alterar em muito a farmacocinética e a farmacodinâmica de diversos fármacos, fazendo com que indivíduos idosos estejam suscetíveis com maior freqüência a efeitos adversos ou terapêuticos mais intensos. Neste cenário, a literatura médica tem sido constantemente enriquecida com estudos que apontam explicitamente para medicamentos específicos ou categorias de medicamentos cujo consumo por indivíduos idosos deve ser evitado ou utilizado com cautela. Este trabalho se propõe a descrever brevemente algumas informações consensuais acerca destes medicamentos impróprios para idosos, ressaltando alguns fármacos que se encontram disponíveis à população brasileira.

Risco de fragilização e uso de medicamentos em idosos residentes em uma localidade do sul de Santa Catarina

Araújo,Patrícia Luiz de; Galato,Dayani
Fonte: Universidade do Estado do Rio Janeiro Publicador: Universidade do Estado do Rio Janeiro
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.63%
OBJETIVO: Conhecer o risco de fragilização (repetidas internações hospitalares) e o perfil de utilização de medicamentos em idosos vinculados ao Serviço de Assistência Integral à Saúde da Universidade do Sul de Santa Catarina, localizado na cidade de Tubarão. MÉTODOS: Em 2009, quando foram coletadas as informações, 772 idosos estavam cadastrados pelos agentes comunitários vinculados ao serviço, e 135 fizeram parte da amostra desta pesquisa. Para a seleção dos participantes, as residências dos idosos foram distribuídas geograficamente. A coleta de dados ocorreu através de entrevistas realizadas no ambiente domiciliar. Os resultados foram apresentados por estatística descritiva, sendo posteriormente adotado o teste do qui-quadrado (p<0,05) para determinar os fatores associados. RESULTADOS: Dos entrevistados, 65,9% possuíam até três problemas de saúde e 21,5% eram polimedicados, sendo os medicamentos mais comuns aqueles pertencentes ao sistema cardiovascular e ao sistema nervoso. Utilizaram antibióticos no último mês 14,3% dos entrevistados e 17,0% dos idosos estavam utilizando medicamentos considerados potencialmente impróprios. Dos idosos, 29,2% afirmaram adotar a prática da automedicação e 64,4% referiram utilizar plantas medicinais. Quando avaliado o risco de fragilização desta população...

Análise do padrão do uso de medicamentos em idosos no município de Goiânia, Goiás; Analysis of the pattern of drugs use in the elderly in Goiânia, Goiás

SANTOS, Thalyta Renata Araújo
Fonte: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde - Medicina Publicador: Universidade Federal de Goiás; BR; UFG; Mestrado em Ciências da Saúde; Ciências da Saúde - Medicina
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
57.35%
Introduction: The fact of elderly people live in a greater amount with chronic diseases, make the elderly a great consumer of health services and, probably, the most medicated group in the society. In this context serious problems arise, such as the use of multiple medications simultaneously (polypharmacy) that can lead to serious consequences to the elderly health. Another problem is the self-medication, which may exacerbate the associated risks with prescript drugs, delaying a diagnosis and masking a disease. There is, still, the use of drugs considered inappropriate for elderly, either by reducing the therapeutic efficacy or an increased risk of adverse effects that increase the advantages in elderly usage. Objective: Analyzing the pattern of use of medications in aged people in the city of Goiânia-GO, and associate it with socioeconomic aspects and with the self-rated health. Methods: A population-based study and cross-section, that evaluated the health of elderly in the city of Goiânia-GO. The data collection was carried out in December/2009 to April/2010 from 934 elderly. The questionnaire had questions about medications, in addition to information about self-rated health and socioeconomic profile. The drugs groups were classified according to the Anatomical Therapeutic Chemical and Classification-ATC. The inappropriate drugs for elderly were identified according to Beers Criteria. Used Mann Whitney (U) and Chi-square test...

Assessment of pharmacotherapeutic safety of medical prescriptions for elderly residents in a long-term care facility

Varallo, Fabiana Rossi; Ambiel, Ingrid Stephanie Stein; Nanci, Luana Orlandelli; Galduróz, José Carlos Fernandes; Mastroianni, Patricia de Carvalho
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2012 ENG
Relevância na Pesquisa
26.51%
The present study aimed to estimate the prevalence of elderly using potentially inappropriate medications (PIM) and with occurrence of potentially hazardous drug interactions (PHDI); to identify the risk factors for the prescription of PIM and to evaluate the impact of pharmaceutical intervention (PI) for the prescription of safer therapeutic alternatives. Therefore, a cross-sectional study was performed in a long-term care facility in São Paulo State, between December/2010 and January/2011. The medical records of the patients >;60 years old who took any drugs were consulted to assess the pharmacotherapeutic safety of the medical prescriptions, in order to identify PIM and PHDI, according to the Beers (2003) and World Health Organization criteria, respectively. PI consisted of a guidance letter to the physician responsible for the institution, with the suggestions of safer equivalent therapeutics. Approximately 88% of the elderly took at least one drug, and for 30% of them the PIM had been prescribed. Most of the PIM identified (53.4%) act on the central nervous system. Among the 13 different DI detected, 6 are considered PHDI. Polypharmacy was detected as a risk factor for PIM prescription. After the PI there was no change in medical prescriptions of patients who had been prescribed PIM or PHDI. The data suggests that PI performed by letter...

Caracterização dos idosos usuários de medicação residentes em instituição de longa permanência; Caracterización de ancianos usuarios de medicación residentes en hogar geriátrico; The characterization of elderly medication users living in long-term care facilities

Gautério, Daiane Porto; Santos, Silvana Sidney Costa; Pelzer, Marlene Teda; Barros, Edaiane Joana; Baumgarten, Larissa
Fonte: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem Publicador: Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/12/2012 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
26.71%
Os objetivos deste estudo foram caracterizar os idosos residentes em uma Instituição de Longa Permanência quanto ao uso de medicamentos e verificar a existência de polifarmácia. Trata-se de estudo descritivo e quantitativo, realizado por meio de dados de um banco originado da pesquisa Perfil de idosos residentes numa Instituição de Longa Permanência para Idosos (ILPIs): proposta de ação de enfermagem/saúde. Foram selecionados 39 idosos que faziam uso de medicação. Os achados evidenciaram predominância de mulheres, com idade entre 80 e 89 anos, que sabem ler e são viúvas. As doenças do aparelho circulatório foram as mais frequentes. Os idosos usavam em média 3,7 medicamentos e 30,8% deles utilizavam polifarmácia. Os medicamentos mais usados foram para as intercorrências do sistema cardiovascular. Verificou-se a presença de medicamentos considerados impróprios para idosos. Espera-se sensibilizar os profissionais de saúde a promoverem o uso racional e cuidadoso de medicamentos para os idosos institucionalizados.; The objectives of this study were to characterize the elderly living in a long-term care facility in terms of their medication use and verify the existence of polypharmacy. This descriptive quantitative study was performed using a database from the research: The profile of the elderly living in a long-term care institution for the aged: a proposal for nursing/health action. A total of 39 elderly individuals who used medications were selected. It was found that most were women...

Medicine use by the elderly in Goiania, Midwestern Brazil; Consumo de medicamentos por ancianos, Goiania, Brasil; Consumo de medicamentos por idosos, Goiânia, Brasil

Santos, Thalyta Renata Araújo; Lima, Dione Marçal; Nakatani, Adélia Yaeko Kyosen; Pereira, Lílian Varanda; Leal, Geraldo Sadoyama; Amaral, Rita Goreti
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf; application/pdf
Publicado em 01/02/2013 POR; ENG
Relevância na Pesquisa
37.03%
OBJECTIVE: To analyze the pattern of use of medications use in aged people and associate it with socioeconomic aspects and with the self-rated health. METHODS: A population-based cross-sectional design study with 934 elderly people from Goiania, Midwestern Brazil, between December 2009 and April 2010. Data were collected through a questionnaire. The dependent variable was the number of medications consumed and the independent variables were sex, marital status, education, type of residence, age, income, and self-rated health. Drugs were classified according to the Anatomical Therapeutic Chemical Classification. The inappropriate drugs for the elderly were identified according to the Beers-Fick criteria. The tests used were Chi-square and Fisher's exact test, p was considered significant when < 0.05. RESULTS: The elderly consumed 2,846 medicines (3.63 medications/person). The most commonly consumed were those which act in the cardiovascular system (38.6%). The prevalence of polypharmacy was 26.4% and self-medication was 35.7%. The most used drugs for self-medication were analgesics (30.8%), 24.6% of the elderly consumed drug considered inappropriate. Women, widows, those aged 80 or over and with worse self-rated health were more likely to practiced more polypharmacy. Most self-medication was associated with lower levels of education and worse self-rated health. CONCLUSIONS: The pattern of drug use by the elderly was similar to that found in the elderly in other regions of Brazil. The number of drugs used...

Consumo de medicamentos por idosos, Goiânia, Brasil

Santos,Thalyta Renata Araújo; Lima,Dione Marçal; Nakatani,Adélia Yaeko Kyosen; Pereira,Lílian Varanda; Leal,Geraldo Sadoyama; Amaral,Rita Goreti
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/02/2013 PT
Relevância na Pesquisa
47.01%
OBJETIVO: Analisar o padrão de consumo de medicamentos entre idosos e sua associação com aspectos socioeconômicos e autopercepção de saúde. MÉTODOS: Estudo de base populacional e delineamento transversal com 934 idosos de Goiânia, GO, Brasil, entre dezembro de 2009 e abril de 2010. Os dados foram coletados por meio de questionário. As variáveis estudadas foram: número de medicamentos consumidos, sexo, estado civil, escolaridade, tipo de moradia, idade, renda e autopercepção de saúde. Os medicamentos foram classificados segundo o Anatomical Therapeutic and Chemical Classification. Os medicamentos impróprios para idosos foram identificados segundo o Critério de Beers-Fick. Os testes utilizados foram Qui-quadrado (X²) e exato de Fisher e p foi considerado significativo quando < 0,05. RESULTADOS: Os idosos consumiam 2.846 medicamentos (3,63 medicamentos/idoso). Os mais usuais atuavam no aparelho cardiovascular (38,6%). A prevalência de polifarmácia foi de 26,4% e da automedicação de 35,7%. Os medicamentos mais ingeridos por automedicação foram os analgésicos (30,8%); 24,6% dos idosos consumia medicamento considerado impróprio. Mulheres, viúvos, idosos com 80 anos ou mais e com pior autopercepção de saúde praticavam mais a polifarmácia. A maior prática da automedicação esteve associada com menor escolaridade e pior autopercepção de saúde. CONCLUSÕES: O padrão do consumo de medicamentos por idosos foi semelhante ao encontrado em idosos de outras regiões do Brasil. O número de medicamentos usados...

A terapia medicamentosa no idoso: cuidados na medicação

Nóbrega,Otávio de Tolêdo; Karnikowski,Margô Gomes de Oliveira
Fonte: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva Publicador: ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2005 PT
Relevância na Pesquisa
36.61%
A literatura médica reconhece que o envelhecimento predispõe a um consumo aumentado de medicamentos prescritos e não-prescritos. No entanto, mudanças fisiológicas relacionadas ao envelhecimento, tais como a modificação da composição corporal e a redução das funções renal e hepática, podem alterar em muito a farmacocinética e a farmacodinâmica de diversos fármacos, fazendo com que indivíduos idosos estejam suscetíveis com maior freqüência a efeitos adversos ou terapêuticos mais intensos. Neste cenário, a literatura médica tem sido constantemente enriquecida com estudos que apontam explicitamente para medicamentos específicos ou categorias de medicamentos cujo consumo por indivíduos idosos deve ser evitado ou utilizado com cautela. Este trabalho se propõe a descrever brevemente algumas informações consensuais acerca destes medicamentos impróprios para idosos, ressaltando alguns fármacos que se encontram disponíveis à população brasileira.