Página 1 dos resultados de 319 itens digitais encontrados em 0.003 segundos

Implantação, evolução, aspectos técnicos e perspectivas da regulamentação técnica de biodisponibilidade relativa e bioquivalência de medicamentos genéricos e similares no Brasil; The implementation, evolution, technical aspects and perspectives regarding technical regulation of relative bioavailability and bioequivalence of generic and similar medicines in brazil

Bueno, Marcia Martini
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 14/03/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.09%
A Política de Saúde no Brasil, que inclui a Política Nacional de Medicamentos, a criação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), a promulgação da Lei de Medicamentos Genéricos, bem como a publicação das Resoluções que estabelecem os critérios técnicos para seu registro, revolucionou o mercado farmacêutico brasileiro na última década, introduzindo vários conceitos como Equivalência Farmacêutica e Terapêutica, Biodisponibilidade e Bioequivalência. Tais conceitos constituem as bases científicas para a implantação dos medicamentos genéricos, aliados à certificação de Boas Práticas de Fabricação e Controle de Qualidade (BPFs). Após cinco anos, os medicamentos genéricos representam cerca de 10% do mercado farmacêutico brasileiro em unidades com redução mínima de 35% no preço do genérico em relação ao medicamento de referência, em função de que o fabricante não necessita investir em estudos clínicos para comprovação da eficácia e segurança, garantidas pela comprovação da equivalência terapêutica com o medicamento de referência. O mercado brasileiro de genéricos é muito atrativo, pois 86% dos fármacos registrados no país não são patenteados e mais de 50% da população brasileira não tem acesso a medicamentos por problemas econômicos. Por outro lado...

A Produção de medicamentos genéricos no Brasil : dificuldades e perspectivas

Melo, Maria Goretti Martins de
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.01%
Este trabalho teve como objetivo conhecer os fatores que desfavorecem a produção de medicamentos genéricos no Brasil a partir do posicionamento do setor privado produtor de medicamentos genéricos e dos laboratórios oficiais de saúde pública. Foram entrevistados 15 empresas farmacêuticas privadas e 4 laboratórios oficiais, utilizando um questionário estruturado, onde foram destacados os aspectos referentes às características do setor produtor, às exigências previstas nas regulamentações sanitárias para o registro e produção de medicamentos genéricos e o seu atendimento pelos produtores privados e oficiais. Conclui-se que, entre as dificuldades verificadas para a produção dos medicamentos genéricos no Brasil, destacam-se a forte dependência da importação de fármacos, que cria dificuldades para o controle de qualidade; a carência de investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) pelo setor, que se reflete na escassa experiência nacional na realização de ensaios clínicos; a dificuldade no cumprimento das boas práticas de fabricação, especialmente os processos de validação; e as questões relacionadas à outros aspectos da regulamentação sanitária, da ANVISA e órgãos estaduais de vigilância sanitária. O estudo revela a necessidade de atenção e investimentos por parte do Governo na qualificação da produção da rede de laboratórios oficiais. Ressalta-se que as diretrizes de política industrial e tecnológica estabelecidas pelo atual Governo para o setor farmacêutico...

A política de medicamentos genéricos como instrumento de regulação econômica do setor farmacêutico brasileiro

Andrade, Rosiene Rosália
Fonte: Florianópolis, SC Publicador: Florianópolis, SC
Tipo: Tese de Doutorado Formato: 145 f.| tabs., graf.
POR
Relevância na Pesquisa
66.03%
Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção; A regulação econômica no setor farmacêutico faz parte de um novo contexto de atuação do Estado verificado na economia nas duas últimas décadas. Mostra-se, aqui, que a análise de uma política regulatória de introdução dos medicamentos genéricos pode ser realizada a partir da formulação do estudo tal como um problema de escolha do consumidor em uma situação de risco e da sua discussão a partir dos índices de concentração de mercado da indústria. Neste caso, o objetivo deste trabalho é analisar, a partir dos índices de concentração de mercado e da noção de escolha sob situação de risco, os efeitos dos medicamentos genéricos no setor farmacêutico brasileiro, discutindo as decisões do consumidor, dados os limites de informação e de renda. Conclui-se que o problema da escolha do consumidor, entre o medicamento de referência e seu genérico, discutido a partir da formulação de uma situação de risco, induz um aumento na elasticidade da curva de demanda dos produtos de referência e deixa seus preços mais competitivos, que aliados à redução dos índices de concentração dos medicamentos de referência sugere sinais positivos da política de medicamentos genéricos. Entretanto...

Impacto económico dos medicamentos genéricos em Portugal

Osório, Joaquim Paulo Guimarães
Fonte: Universidade de Évora Publicador: Universidade de Évora
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
66.07%
Num contexto de alterações estruturais nas políticas de saúde, em que a importância das despesas públicas com medicamentos é primordial, este estudo apresenta uma aplicação empírica com vista a uma maior compreensão do impacto económico dos medicamentos genéricos em Portugal. Especificamente o estudo é sobre a identificação das tendências de substituição de um medicamento de marca por um medicamento genérico similar, avaliação do comportamento das diferenças dos preços dos medicamentos genéricos e medicamentos de marca similares, o impacto económico alcançado no Serviço Nacional de Saúde (SNS) com um aumento da quota de mercado dos medicamentos genéricos e ainda o impacto económico associado à implementação do sistema de preços de referência ao longo de dois anos. É um estudo retrospectivo, descritivo, com uma vertente analítica. As tendências no mercado são de aumento do número de medicamentos genéricos e do aumento da sua quota de mercado, no entanto estas tendências não têm tido muita influência na competição dos preços entre medicamentos similares. O impacto económico que se sentiria nos encargos do SNS caso houvesse uma quota de mercado de 15% em volume de medicamentos genéricos seria de 21 milhões de euros. O impacto económico sentido nos encargos do SNS associado ao sistema de preços de referência ao longo de dois anos foi de 19 milhões de euros. Demonstrou-se claramente que a utilização de medicamentos genéricos tem vindo a aumentar o que se tem traduzido numa contenção da despesa pública em medicamentos para o SNS. ***/Abstract - This study presentation is an empiric application to reach a best comprehension of the economic impact of generic drugs utilization in Portugal...

Inovação na Indústria Farmacêutica Portuguesa de Medicamentos Genéricos

Diniz, Paulo Jorge Sampaio
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em /04/2011 POR
Relevância na Pesquisa
66.05%
Mestrado em Gestão e Estratégia Industrial; A indústria de medicamentos genéricos assume um papel cada vez mais importante na indústria farmacêutica, na sociedade e na economia, no entanto, apesar da sua evolução muito positiva no mercado, enfrenta desafios importantes que podem condicionar a sua sustentabilidade. A inovação tem sido considerada central para o desenvolvimento, crescimento e competitividade das empresas, contudo Tidd et al. (2003), entre outros, argumentam que não existe um modelo perfeito para gerir o processo de inovação e que este depende das circunstâncias específicas da empresa. Com os dados obtidos junto de uma empresa portuguesa de medicamentos genéricos, elaborámos um estudo de caso com o objectivo de compreender como é que a inovação pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento de vantagens competitivas na indústria farmacêutica de medicamentos genéricos. Neste estudo de caso observa-se a importância e o papel que a inovação pode ter como resposta às alterações da envolvente e ao desenvolvimento de vantagens competitivas, o estudo revela que as inovações organizacionais podem facilitar o processo de desenvolvimento de produto e processo, permitindo sobretudo, explorar e criar conhecimento melhorando a eficiência das actividades de inovação. Revela ainda que as empresas farmacêuticas de medicamentos genéricos podem mudar e adaptar as suas estruturas organizacionais em momentos de grandes alterações da envolvente. Observou-se também que a inovação tecnológica pode permitir à indústria de medicamentos genéricos ultrapassar barreiras à entrada dos medicamentos genéricos no mercado através do desenvolvimento de produtos e processos inovadores que não violem a propriedade industrial concedida.; The generic drug industry takes an increasingly important role in the pharmaceutical industry...

A influência dos fatores que determinam o comportamento do consumidor de medicamentos de marca vs medicamentos genéricos

Charme, Carolina Amélia de Andrade Pereira
Fonte: Instituto Superior de Economia e Gestão Publicador: Instituto Superior de Economia e Gestão
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2014 POR
Relevância na Pesquisa
66.04%
Mestrado em Gestão e Estratégia Industrial; Este estudo analisa o comportamento de compra do consumidor de medicamentos não sujeitos a receita médica no mercado português. O principal objectivo deste trabalho consiste na explicação da influência dos factores do Modelo “Estímulo-Resposta” desenvolvido por Kotler, no comportamento do consumidor de medicamentos genéricos e no comportamento do consumidor de medicamentos de marca. Na literatura, este tema já foi explorado sob diferentes perspectivas, utilizando os factores referidos na influência dos medicamentos não sujeitos a receita médica. Contudo, este estudo confronta a influência de cada um dos factores nos dois tipos de consumidores (marca e genéricos). O comportamento de compra do consumidor foi estudado quantitativamente através da construção de um inquérito como forma de recolha de dados e caracterização do perfil sócio-demográfico dos diferentes tipos de consumidor. A afectação de cada factor nos dois tipos de consumidor foi avaliada através da elaboração de testes estatísticos. Os resultados indicaram que o factor produto e o factor psicológico influenciam mais o consumidor de medicamentos de marca do que o consumidor de medicamentos genéricos. Com um resultado inverso...

Diferenças de preços entre medicamentos genéricos e de referência no Brasil

Vieira,Fabiola Sulpino; Zucchi,Paola
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.07%
OBJETIVO: Verificar a magnitude da diferença de preço entre os medicamentos genéricos e os respectivos medicamentos de referência, além de avaliar o efeito da concorrência entre eles quanto aos seus preços. MÉTODOS: De janeiro de 2000 a junho de 2004, foram acompanhadas 135 apresentações de medicamentos genéricos e seus respectivos medicamentos de referência por um período de até quatro anos. Os preços foram extraídos de publicações específicas voltadas para o comércio farmacêutico, e foram anotados os preços para ambos os medicamentos, desde o lançamento do genérico e durante período de comercialização posterior. RESULTADOS: Os genéricos foram introduzidos, em média, com preços 40% menores do que os medicamentos de referência e esta diferença tendeu a aumentar ao longo do tempo. Comparando a diferença de preço do genérico em relação ao seu medicamento de referência observou-se aumento de 68% nos quatro anos seguintes ao seu lançamento. CONCLUSÕES: A introdução de medicamentos genéricos no mercado farmacêutico brasileiro contribuiu para a oferta de medicamentos a preços menores. Entretanto, a procura dos medicamentos genéricos não provocou redução dos preços da maioria dos medicamentos de referência.

Medicamentos genéricos: uma alternativa para o mercado brasileiro

Bermudez,Jorge
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/1994 PT
Relevância na Pesquisa
66.01%
A análise das características da indústria farmacêutica no mundo e os aspectos mercadológicos desse segmento no Brasil deixam evidentes a dependência externa e a oligopolização, com predomínio de empresas de caráter mutinacional, refletindo uma tendência mundial. As iniciativas governamentais recentes no Brasil, com o objetivo de diminuir essa dependência, aliadas à gravidade da questão dos preços e custos de medicamentos no Brasil, comparados a preços mundiais, fundamentam a proposta de avaliar os medicamentos genéricos como uma alternativa viável para o mercado brasileiro. Um dos aspectos mais alarmantes é a verificação do superfaturamento de matérias-primas evidenciada pelos denominados "preços de transferência", prática constatada em diversos países. Analisando os conceitos internacionais sobre medicamentos genéricos, denominação genérica e equivalência farmacêutica, com base ainda em recomendações da Organização Mundial da Saúde e avaliando as experiências de diversos países, são propostas uma série de medidas destinadas a implementar, gradativamente, uma política de medicamentos genéricos bioequivalentes e intercambiáveis como um dos mecanismos de regulação do mercado brasileiro.

Processo da implantação da política de medicamentos genéricos no Brasil

Dias,Cláudia Regina Cilento; Romano-Lieber,Nicolina Silvana
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/08/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.01%
A política de medicamentos genéricos foi estabelecida no Brasil em 1999. Entre a promulgação da Lei e a efetiva comercialização e consumo desses medicamentos, sucederam-se diversas etapas no âmbito político e administrativo. O objetivo deste trabalho foi descrever este processo ocorrido na época da implantação. Foi examinada a legislação pertinente aos medicamentos genéricos no país, publicada entre 1999 e 2002. Para contextuar tais medidas, confrontaram-se notícias publicadas em dois jornais de abrangência nacional com entrevistas de um representante do governo, envolvido na elaboração da legislação brasileira de medicamentos, e um representante da indústria farmacêutica. Em pouco tempo, os genéricos conquistaram espaço considerável no mercado farmacêutico brasileiro. A contínua adequação da legislação, o respaldo da mídia e o envolvimento do governo em sua divulgação possibilitaram o sucesso obtido. Não houve aumento significativo do acesso da população aos medicamentos, entretanto, passou-se a contar com a oportunidade de adquirir medicamentos a preços mais acessíveis e com garantia de qualidade e intercambiamento.

Disponibilidade no setor público e preços no setor privado: um perfil de medicamentos genéricos em diferentes regiões do Brasil

Miranda,Elaine Silva; Pinto,Cláudia Du Bocage Santos; Reis,André Luis de Almeida dos; Emmerick,Isabel Cristina Martins; Campos,Mônica Rodrigues; Luiza,Vera Lucia; Osorio-de-Castro,Claudia Garcia Serpa
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.02%
Foi realizado estudo para identificar perfil de preços e disponibilidade de medicamentos segundo tipo de provedor, nas cinco regiões do país, para uma lista de medicamentos utilizados no tratamento de doenças prevalentes na população. Utilizou-se a metodologia de avaliação de preços proposta pela Organização Mundial da Saúde (OMS) pela Ação Internacional para a Saúde (AIS), adaptada para o cenário brasileiro. A análise evidenciou que no setor público há mais medicamentos similares do que genéricos em todas as regiões. Para a maioria dos medicamentos (71,4%) a disponibilidade de genéricos foi menor que 10%. No setor privado, a média do número de diferentes de versões genéricas encontradas nos pontos de venda foi muito inferior ao número de versões existentes no mercado. A análise mostrou correlação positiva entre o número de genéricos comercializados, ou encontrados no ponto de venda, e variação de preços em relação ao preço máximo ao consumidor. Estima-se que medicamentos genéricos estejam competindo em preço entre si e com similares, mas não com medicamentos de referência.

Avaliação da disponibilidade de medicamentos genéricos em farmácias e drogarias de Maringá (PR) e comparação de seus preços com os de referência e similares

Monteiro,Wuelton Marcelo; Melo,Gisely Cardoso de; Massunari,Gustavo Kiyoshi; Hübner,Dirce Vendrametto; Tasca,Raquel Soares
Fonte: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo Publicador: Divisão de Biblioteca e Documentação do Conjunto das Químicas da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2005 PT
Relevância na Pesquisa
66.09%
O debate sobre a implementação de genéricos vem sendo realizado no Brasil desde 1976. Entretanto, somente em 1991, foi elaborado um projeto, visando à implantação dos medicamentos genéricos. A lei nº 9787 ("Lei dos genéricos") só foi publicada no Diário Oficial da União em 11 de fevereiro de 1999. Os objetivos deste trabalho foram verificar a disponibilidade de medicamentos genéricos em farmácias e drogarias, bem como comparar os preços destes medicamentos em relação aos similares e aos de referência. Verificou-se a disponibilidade dos medicamentos genéricos em 22 farmácias e drogarias do município de Maringá, estado do Paraná, de 30 de outubro a 22 de novembro de 2002. Dos 222 princípios ativos disponibilizados no Brasil como genéricos, foram encontrados 71 (32%). Os medicamentos genéricos não sujeitos a controle especial são em média 42% mais baratos do que os de referência e 15% mais baratos que os similares. Os medicamentos genéricos de venda controlada com tarja vermelha são, em média, 36% mais baratos que os de referência e 12% mais baratos que os similares. Os medicamentos genéricos com tarja preta são, em média, 37% mais baratos que os de referência e 14% mais baratos que os similares.

Patentes de medicamentos e os medicamentos genéricos

GIUSTI, Aline Pretel
Fonte: Universidade Municipal de São Caetano do Sul Publicador: Universidade Municipal de São Caetano do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
PT_BR
Relevância na Pesquisa
66.04%
O presente trabalho tem por escopo mostrar a plêmica que envolve as patentes de medicamentos e os medicamentos genéricos.De um lado estão as indústrias farmacêuticas e Acordos internacioanais que defendem e protegem as patentes de medicamentos, e de outro lado estçao as ONGS E governos dos países em desenvolvimento, que lutam por um sistema de patentes de medicamentos mais justo, travando assim, uma verdadeira batalha, em que, quem vence é aquele que possui maior poder.O trabalho pretende mostrar as duas visões polêmico tema.O trabalho também aborda a questão dos medicamentos genéricos, a partir de aspectos introdutórios e a implantação da política de medicamentos genéricos e como se não bastasse,também, aborda a questão do setor farmacêuticos no Brasil.Por fim, o tema, traz no apêndice, um modelo de requerimento de patente de medicamento e acórdao sobre patente de medicamentos proferido pelo Tribunal Central Administrativo de Lisboa, bem como,outros assuntos que tratam sobre patentes de medicamentos e medicamentos genéricos.Esta obra mostra as duas visões do polêmico tema, para que os leitores possam compreender um pouco mais sobre este assunto, o qual é discutindo e ainda não se chegou a nenhuma conclusão.A autora espera contribuir para o avanço da discussão de tal polêmico tema...

Eficiência regulatória: análise de sobrevivência aplicada a trajetória de registro de medicamentos genéricos; Texto para Discussão (TD) 1774: Eficiência regulatória: análise de sobrevivência aplicada a trajetória de registro de medicamentos genéricos; Regulatory efficiency: survival analysis applied to trajectory registration of generic medicines

Soares, Mônica da Luz Carvalho; Garcia, Leila Posenato; Melo, Sâmia Rocha de Oliveira; Rocha, Daniela Barros; Piras, Stefania Schimaneski; Braga, Hugo do Amaral
Fonte: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) Publicador: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)
Tipo: Texto para Discussão (TD)
PT-BR
Relevância na Pesquisa
66.1%
Ao longo dos últimos anos, um novo e desafiante cenário no registro de medicamentos genéricos vem sendo gradativamente incorporado na rotina de análise dos dossiês de registro apresentados à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pela indústria farmacêutica, no Brasil. Neste trabalho, são calculados os prazos para obtenção de registro de medicamentos genéricos e os principais pontos envolvidos no ganho ou na perda de eficiência neste processo. São apresentados os conceitos atuais incorporados na regulação dos medicamentos genéricos, tais como genéricos inéditos, medicamentos priorizados e medicamentos clones. A amostra foi composta por 323 medicamentos genéricos registrados em 2010. Para análise dos dados, foi estimado um modelo de sobrevivência que contemplou os parâmetros envolvidos na trajetória de registro de um medicamento genérico. Como principais resultados, foram encontrados períodos para obtenção de registro na Anvisa de até 626 dias para medicamentos não priorizados e 429 dias para medicamentos com análise priorizada - que, porém, diminuíram para 323 dias com os procedimentos de análise in loco (auditorias de registro), e aumentaram para 1.018 dias com arquivamentos temporários solicitados pelas indústrias farmacêuticas. Um dado inesperado foi a quantidade de processos arquivados/encerrados pelas empresas farmacêuticas (26% do total de processos auditados) após as auditorias de registro. Conclui-se que os resultados encontrados apontam para mudanças racionais nos procedimentos de registro de medicamentos genéricos no Brasil com foco nas auditorias de registro e na qualidade dos dossiês de registro apresentados pela indústria farmacêutica.; 32 p. : il.

An evaluation of generic medicines availability in pharmacies and drugstores in Maringá (PR) and comparison of their prices in relation with the similars and the references; Avaliação da disponibilidade de medicamentos genéricos em farmácias e drogarias de Maringá (PR) e comparação de seus preços com os de referência e similares

Monteiro, Wuelton Marcelo; Melo, Gisely Cardoso de; Massunari, Gustavo Kiyoshi; Hübner, Dirce Vendrametto; Tasca, Raquel Soares
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Artigo Avaliado pelos Pares Formato: application/pdf
Publicado em 01/09/2005 POR
Relevância na Pesquisa
66.09%
The discussion about the implementation of generics has being carried trough since 1976 in Brazil. However, just in 1991 a project which proposes the implantation of generic medicines has been elaborated. The Law 9787 (called Law of the Generic medicines) has been only published in Diário Oficial da União in February 11th, 1999. The objectives of this work had been to verify generic medicine availability in pharmacies and drugstores, as well as comparing their prices in relation with the similars and the references. The generic availability was verified in 22 pharmacies and drugstores in Maringá city, state of Paraná, from October, 30th to November, 20th ,2002. In a total of 222 active principles available in Brazil as generic, 71 (32%) had been found. Those generic medicines sold not under special control are in average 42% cheaper than the reference and 15% cheaper than the similar ones. Those generic medicines with red label, sold under special control, are in average 36% cheaper than the reference and 12% cheaper than the similar ones. The generic medicines with black label are 37% cheaper than the reference and 14% cheaper than the similars ones.; O debate sobre a implementação de genéricos vem sendo realizado no Brasil desde 1976. Entretanto...

Diferenças de preços entre medicamentos genéricos e de referência no Brasil; Price differences between generic and innovator medicines in Brazil

Vieira, Fabiola Sulpino; Zucchi, Paola
Fonte: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública Publicador: Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; ; ; ; Formato: application/pdf
Publicado em 01/06/2006 POR
Relevância na Pesquisa
66.07%
OBJETIVO: Verificar a magnitude da diferença de preço entre os medicamentos genéricos e os respectivos medicamentos de referência, além de avaliar o efeito da concorrência entre eles quanto aos seus preços. MÉTODOS: De janeiro de 2000 a junho de 2004, foram acompanhadas 135 apresentações de medicamentos genéricos e seus respectivos medicamentos de referência por um período de até quatro anos. Os preços foram extraídos de publicações específicas voltadas para o comércio farmacêutico, e foram anotados os preços para ambos os medicamentos, desde o lançamento do genérico e durante período de comercialização posterior. RESULTADOS: Os genéricos foram introduzidos, em média, com preços 40% menores do que os medicamentos de referência e esta diferença tendeu a aumentar ao longo do tempo. Comparando a diferença de preço do genérico em relação ao seu medicamento de referência observou-se aumento de 68% nos quatro anos seguintes ao seu lançamento. CONCLUSÕES: A introdução de medicamentos genéricos no mercado farmacêutico brasileiro contribuiu para a oferta de medicamentos a preços menores. Entretanto, a procura dos medicamentos genéricos não provocou redução dos preços da maioria dos medicamentos de referência.; OBJECTIVE: To assess the magnitude of price difference between generic and innovator medicines and to evaluate the effect of the price competition between them. METHODS: From January 2000 to June 2004...

Genéricos: ¿buenos o malos? Conocimientos y actitudes de los médicos ante los medicamentos genéricos

García,A.J.; Martos,F.; Leiva,F.; Sánchez de la Cuesta,F.
Fonte: Gaceta Sanitaria Publicador: Gaceta Sanitaria
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; journal article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: text/html; application/pdf
Publicado em 01/04/2003 SPA
Relevância na Pesquisa
66.02%
En este artículo se analizan y exploran las respuestas de 1.220 médicos españoles que respondieron a una encuesta sobre medicamentos genéricos enviada a través de los colegios oficiales de médicos provinciales. A partir de los datos de la encuesta, que fue previamente validada, se obtuvieron 4 factores analizados: qué saben los médicos sobre los medicamentos genéricos (conocimiento); cómo se comportan ante la prescripción de estos medicamentos (actitudes y competencia profesional); cómo influirá las prescripción de estos medicamentos en el control del gasto farmacéutico y, finalmente, qué piensan los médicos sobre lo que debe ser un medicamento genérico. También se ha analizado qué factores o variables del médico (edad, tipo de contrato, especialidad, presión asistencial, etc.) influyen en esta opiniones y en qué sentido. En vista de los resultados obtenidos, creemos que la primera medida que habría que adoptar por parte de las autoridades sanitarias de nuestro país, si se quiere racionalizar el gasto mediante una buena política de medicamentos genéricos, será la de ofrecer más y mejor formación e información (clara e independiente) de lo que son las especialidades farmacéuticas genéricas.

Adesão dos utentes aos medicamentos genéricos

Duque,Marco; Rocha,Clara; Balteiro,Jorge
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
66.1%
Objetivos: Este estudo transversal teve como objetivo caracterizar a adesão dos utentes aos medicamentos genéricos, bem como identificar fatores que influenciam tal adesão. Procedimentos metodológicos: Este estudo foi realizado de outubro de 2011 a junho de 2012. A amostra foi composta por 375 indivíduos, com idade igual ou superior a 18 anos. Definiu-se como instrumento de recolha de dados um questionário, que incluiu variáveis sociodemográficas e de adesão aos medicamentos genéricos, ao qual os indivíduos responderam voluntariamente. Resultados: Dos 375 entrevistados, apenas 1,3% (n = 5) nunca ouviram falar em medicamentos genéricos. Verifica-se que dos meios que informaram sobre a existência de medicamentos genéricos, o médico e a farmácia são os que mais se destacam, com 69,7% (n = 258) e 66,2% (n = 245), respetivamente. Dos 292 (78,9%) indivíduos que já compraram medicamentos genéricos, 64,6% (n = 188) adquiriram tais medicamentos com receita médica. Dos 78 (21,1%) indivíduos que nunca compraram medicamentos genéricos, 39,7% (n = 31) referem como causa o facto de o médico não prescrever este tipo de fármacos e 24,4% (n = 19) referem não terem confiança nos medicamentos genéricos. Conclusão: A caracterização da adesão aos medicamentos genéricos contribui não só para o conhecimento da evolução do consumo destes medicamentos...

Diferenças de preços entre medicamentos genéricos e de referência no Brasil

Vieira,Fabiola Sulpino; Zucchi,Paola
Fonte: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo Publicador: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2006 PT
Relevância na Pesquisa
66.07%
OBJETIVO: Verificar a magnitude da diferença de preço entre os medicamentos genéricos e os respectivos medicamentos de referência, além de avaliar o efeito da concorrência entre eles quanto aos seus preços. MÉTODOS: De janeiro de 2000 a junho de 2004, foram acompanhadas 135 apresentações de medicamentos genéricos e seus respectivos medicamentos de referência por um período de até quatro anos. Os preços foram extraídos de publicações específicas voltadas para o comércio farmacêutico, e foram anotados os preços para ambos os medicamentos, desde o lançamento do genérico e durante período de comercialização posterior. RESULTADOS: Os genéricos foram introduzidos, em média, com preços 40% menores do que os medicamentos de referência e esta diferença tendeu a aumentar ao longo do tempo. Comparando a diferença de preço do genérico em relação ao seu medicamento de referência observou-se aumento de 68% nos quatro anos seguintes ao seu lançamento. CONCLUSÕES: A introdução de medicamentos genéricos no mercado farmacêutico brasileiro contribuiu para a oferta de medicamentos a preços menores. Entretanto, a procura dos medicamentos genéricos não provocou redução dos preços da maioria dos medicamentos de referência.

Disponibilidade no setor público e preços no setor privado: um perfil de medicamentos genéricos em diferentes regiões do Brasil

Miranda,Elaine Silva; Pinto,Cláudia Du Bocage Santos; Reis,André Luis de Almeida dos; Emmerick,Isabel Cristina Martins; Campos,Mônica Rodrigues; Luiza,Vera Lucia; Osorio-de-Castro,Claudia Garcia Serpa
Fonte: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz Publicador: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
66.02%
Foi realizado estudo para identificar perfil de preços e disponibilidade de medicamentos segundo tipo de provedor, nas cinco regiões do país, para uma lista de medicamentos utilizados no tratamento de doenças prevalentes na população. Utilizou-se a metodologia de avaliação de preços proposta pela Organização Mundial da Saúde (OMS) pela Ação Internacional para a Saúde (AIS), adaptada para o cenário brasileiro. A análise evidenciou que no setor público há mais medicamentos similares do que genéricos em todas as regiões. Para a maioria dos medicamentos (71,4%) a disponibilidade de genéricos foi menor que 10%. No setor privado, a média do número de diferentes de versões genéricas encontradas nos pontos de venda foi muito inferior ao número de versões existentes no mercado. A análise mostrou correlação positiva entre o número de genéricos comercializados, ou encontrados no ponto de venda, e variação de preços em relação ao preço máximo ao consumidor. Estima-se que medicamentos genéricos estejam competindo em preço entre si e com similares, mas não com medicamentos de referência.

Genéricos: ¿buenos o malos? Conocimientos y actitudes de los médicos ante los medicamentos genéricos

García,A.J.; Martos,F.; Leiva,F.; Sánchez de la Cuesta,F.
Fonte: Ediciones Doyma, S.L. Publicador: Ediciones Doyma, S.L.
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/04/2003 ES
Relevância na Pesquisa
66.02%
En este artículo se analizan y exploran las respuestas de 1.220 médicos españoles que respondieron a una encuesta sobre medicamentos genéricos enviada a través de los colegios oficiales de médicos provinciales. A partir de los datos de la encuesta, que fue previamente validada, se obtuvieron 4 factores analizados: qué saben los médicos sobre los medicamentos genéricos (conocimiento); cómo se comportan ante la prescripción de estos medicamentos (actitudes y competencia profesional); cómo influirá las prescripción de estos medicamentos en el control del gasto farmacéutico y, finalmente, qué piensan los médicos sobre lo que debe ser un medicamento genérico. También se ha analizado qué factores o variables del médico (edad, tipo de contrato, especialidad, presión asistencial, etc.) influyen en esta opiniones y en qué sentido. En vista de los resultados obtenidos, creemos que la primera medida que habría que adoptar por parte de las autoridades sanitarias de nuestro país, si se quiere racionalizar el gasto mediante una buena política de medicamentos genéricos, será la de ofrecer más y mejor formación e información (clara e independiente) de lo que son las especialidades farmacéuticas genéricas.