Página 1 dos resultados de 234 itens digitais encontrados em 0.058 segundos

Uma atualização sobre a influência das plantas medicinais em tratamentos de quimioterapia

Silva, Ana Carolina da
Fonte: Universidade de Coimbra Publicador: Universidade de Coimbra
Tipo: Dissertação de Mestrado
POR
Relevância na Pesquisa
76.25%
O cancro é uma doença caracterizada pelo crescimento ou reprodução desordenada das células de caráter maligno, que pode propagar-se pelo organismo tornando-se uma doença agressiva ou até incontrolável. Os doentes diagnosticados com cancro deparam-se com a realidade da terapia antineoplásicas (quimioterapia). Sabe-se que o tratamento com medicamentos antineoplásicos podem gerar efeitos colaterais conhecidos e indesejados. Estes doentes buscam por uma alternativa não convencional a fim de tratar ou minimizar os efeitos indesejados herdados da terapêutica oncológica, fazendo assim o uso de fitoterápicos e/ou plantas medicinais principalmente por se acreditar que produtos naturais são isentos de nocividade. Atualmente, há muitos estudos que comprovam que o uso concomitante de fármacos antineoplásicos e plantas medicinais pode interferir na quimioterapia. Com o uso crescente de plantas medicinais e/ou fitoterápicos doentes com cancro, elevam-se os riscos de potenciais interações entre planta-medicamento. Em geral, estas interações ocorrem quando os contituintes ativos da planta, inibe ou induze as enzimas envolvidas na farmacocinética dos antineoplásicos, afetando a biodisponibilidade dos medicamentos e causando um aumento ou dimunuição do nível dos fármacos no sangue. As interações de tipo farmacocinético ocorrem por meio de alteração do metabolismo dos fármacos antineoplásico frequentemente associadas a alterações na expressão e na funcionalidade das isoenzimas do citocromo P450. Portanto...

Conexão In Silico entre Plantas Medicinais e Animais Venenosos; In silico Connection between Medicinal Plants and Animals Venom

Puga, Renato David
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 15/04/2008 PT
Relevância na Pesquisa
76.17%
Na grande diversidade de plantas encontrada em todo o mundo, encontram-se as plantas medicinais com propriedades antivenenos. O estudo da relação dessas plantas com venenos de animais contribui muito para o desenvolvimento de novos medicamentos. A quantidade de dados a ser armazenada e a relação dessas informações é um processo que deve ser administrado por um sistema computacional. O desenvolvimento de sistemas de computadores tem se destacado nos últimos anos na Bioinformática e são muito úteis para organizar diferentes tipos de dados e, juntamente, com o uso de gerenciadores de conteúdo, eles contribuem, significantemente, no processo de desenvolvimento de softwares. O presente projeto teve como objetivo o desenvolvimento de um sistema computacional para Web, o qual relaciona dados de plantas medicinais com propriedades antivenenos e de animais venenosos, permitindo a integração dos mesmos, através de diferentes aplicativos de busca. O sistema foi denominado de Venom e está disponível no site http://gbi.fmrp.usp.br/venom/. Foram criadas categorias para a classificação dos dados de plantas e de animais. Essa categorização das informações é muito importante, pois possibilita o relacionamento das mesmas nas buscas por categorias. Os dados...

Utilização de plantas medicinais e medicamentos no autocuidado no município de Teutônia, RS; Use of medicinal plants and medicines in selfcare in Teutônia city, RS

Schwambach, Karin Hepp
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
66.43%
Objetivos: descrever a utilização de plantas medicinais e fitoterápicos concomitantemente com outros medicamentos na população do município de Teutônia, RS. Métodos: a pesquisa seguiu um modelo transversal descritivo e o instrumento de coleta de dados foi um questionário semi-estruturado. As entrevistas ocorreram no período de dezembro de 2005 a maio de 2006. As plantas coletadas foram identificadas botanicamente pelo Herbário ICN/UFRGS, do Departamento de Botânica da UFRGS. Resultados e Conclusões: Dos 196 entrevistados 87,2% eram do sexo feminino, com idade média de 44,4+13,86 anos. O uso de plantas medicinais foi relatado por 92,9% dos entrevistados, com média de 4,8+3,7 plantas por pessoa. Para a maioria dos respondentes (74,8%) a informação sobre o uso das plantas medicinais está baseada no conhecimento tradicional, sendo usadas principalmente para tratar sintomas de condições relacionadas ao trato gastrintestinal, ao sistema respiratório ou simplesmente como bebida. 58,6% das plantas medicinais referidas são cultivadas nas moradias dos entrevistados. Quanto à utilização de medicamentos, 37,8% dos entrevistados relataram que utilizam medicamentos sempre, 31,1% quando não se sentem bem e 8,7% somente quando consultam o médico. Das pessoas entrevistadas...

O uso de plantas medicinais e de fitoterápicos no SUS : uma revisão bibliográfica

Silvello, Camila Leidens Corrêa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
76.11%
O uso de fitoterapia no Sistema Único de Saúde pode ser uma alternativa para redução de gastos públicos com medicamentos, além de ter eficácia comprovada, facilidade de acesso às plantas no Brasil e integração na cultura e saber popular. O objetivo do presente estudo foi conhecer a produção científica sobre a utilização de plantas medicinais e fitoterápicos no Sistema Único de Saúde brasileiro. O estudo consistiu em uma pesquisa bibliográfica, utilizando-se o referencial de Gil (1991). As buscas em bases de dados virtuais se deram em “Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde” (LILACS) e “Scientific Electronic Library Online” (SciELO). A partir da busca realizada, encontraram-se doze artigos, publicados em revistas e periódicos nacionais, presentes nas referidas bases de dados. O período das publicações encontradas foi de 1978 a julho de 2010. Com o estudo, pôde-se observar que há diferentes enfoques das publicações nacionais sobre o tema, havendo relatos de implantações já efetivadas, projetos e subsídios para tal, bem como discussões e reflexões necessárias para a ampliação do debate e divulgação sobre o assunto. Existem aspectos positivos da aproximação do meio cientifico ao saber popular...

Estudo da utilização de plantas medicinais pelos usuários do SUS e das práticas dos profissionais de saúde de Doutor Maurício Cardoso em relação à fitoterapia

Cantarelli, Ana Paula
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
86.26%
O elevado e crescente consumo de medicamentos no município de Dr. Maurício Cardoso sugere o uso irracional desses produtos, e nesse contexto é necessário criar alternativas terapêuticas qualificadas para inserção nos serviços de saúde do município. A fitoterapia é uma prática alternativa que contribui para o uso racional de medicamentos e plantas medicinais e reduz custos com assistência farmacêutica. Para contribuir com a inserção da Fitoterapia no SUS foi criada, a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC). Nesse sentido o objetivo desse estudo foi analisar a utilização de plantas medicinais pelos usuários do SUS e as práticas dos profissionais de saúde de Doutor Maurício Cardoso em relação à fitoterapia. Foi realizada uma pesquisa exploratória através de um estudo de caso com a aplicação de questionários semiestruturados aos 2 gestores municipais, a 15 profissionais da saúde do município e 110 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) de Dr. Maurício Cardoso. Dos gestores municipais, apenas um conhece a PNPIC e acreditam que a fitoterapia é uma alternativa em construção sendo possível de implementação no município, porém existem alguns entraves. Já os profissionais da saúde...

Plantas medicinais e fitoterápicos : regulamentação sanitária e proposta de modelo de monografia para espécies vegetais oficializadas no Brasil

Carvalho, Ana Cecília Bezerra
Fonte: Universidade de Brasília Publicador: Universidade de Brasília
Tipo: Tese
POR
Relevância na Pesquisa
66.37%
Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Ciências da Saúde, 2011.; A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é uma autarquia subordinada ao Ministério da Saúde, encarregada da regulação e regulamentação de fitoterápicos, dentre outros produtos. Em 2006, duas importantes políticas foram publicadas para a área de plantas medicinais e fitoterápicos, a Política Nacional de Práticas Integrativas (PNPIC) no Sistema Único de Saúde (SUS) e a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (PNPMF), fazendo com que a Anvisa tivesse que atualizar seus regulamentos. O objetivo desse trabalho é analisar as modificações nas normas da Anvisa para fitoterápicos decorrentes das políticas citadas e propor um modelo de monografia para espécies vegetais medicinais. Para tanto, na parte exploratória desse trabalho, foi selecionada a abordagem qualitativa com técnica de análise documental para verificar os medicamentos fitoterápicos registrados na Anvisa, de modo a conhecer o mercado que precisava ser trabalhado e saber quais espécies vegetais nativas já possuíam registros como medicamentos fitoterápicos. Em seguida, ainda na parte exploratória, foi realizado um estudo das espécies vegetais constantes da Relação nacional de plantas medicinais de interesse ao SUS (RENISUS)...

Estudo da Hepatotoxicidade de um medicamento em Hepatócitos isolados de Rato

Maria Gabriela Serra Ramos
Fonte: Universidade do Porto. Reitoria Publicador: Universidade do Porto. Reitoria
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
86.01%
Dissertação de Mestrado em Controlo de Qualidade, área de especialização de Medicamentos e Plantas Medicinais, apresentada à Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto

Recolha de dados sobre consumo de medicamentos e/ou suplementos à base de plantas medicinais numa amostra da população de Lisboa e Vale do Tejo

Palma, L.; Martins, A. P.; Santos, A. C.; Oliveira, S.; Águas, S.; Monteiro, C.; Costa, Maria do Céu
Fonte: Laboratório Nacional de Energia e Geologia Publicador: Laboratório Nacional de Energia e Geologia
Tipo: Conferência ou Objeto de Conferência
Publicado em 08/10/2009 POR
Relevância na Pesquisa
76.29%
Este trabalho pretende dar sequência a um estudo anteriormente realizado na Escola de Saúde Pública ERISA, onde se concluiu que a maioria dos inquiridos nunca sentiu ou desconhece ter sentido reacções adversas associadas a medicamentos à base de plantas medicinais. Segundo o referido estudo, os produtos à base de plantas são procurados como medicamentos maioritariamente por mulheres, em particular as estudantes, tendo como objectivo o emagrecimento. Os estudos sobre os hábitos de consumo de produtos à base de plantas são extremamente importantes, uma vez que existem poucos dados sobre estes consumos em Portugal, e a população de um modo geral não tem noção dos riscos associados a uma adesão contínua, indiscriminada de medicamentos e/ou suplementos à base de plantas medicinais não acompanhada por profissionais de saúde.

Interação medicamento - preparação à base de plantas medicinais

Silva, Manuel Alejandro Pita da
Fonte: Universidade do Algarve Publicador: Universidade do Algarve
Tipo: Dissertação de Mestrado
Publicado em //2013 POR
Relevância na Pesquisa
76.27%
As plantas medicinais desde há séculos que têm sido utilizadas numa diversidade de patologias, tendo ganho uma acrescida popularidade nos últimos anos e, particularmente nos países mais desenvolvidos (1,2,3). É opinião corrente que os produtos à base de plantas são seguros como consequência das características naturais dos mesmos. Contudo, esta é uma simplificação que pode ser perigosa, pois diversos efeitos adversos relacionados com a sua utilização têm sido descritos, incluindo efeitos adversos causados por interações com fármacos (4). Esta interação ganha relevância com fármacos que têm uma janela terapêutica mais estreita, como é o caso da varfarina e da digoxina (5). As plantas medicinais apresentam uma mistura de mais do que um constituinte ativo, e atendendo a este facto, esta combinação de diversas substâncias aumenta exponencialmente a possibilidade de interações farmacocinéticas e/ou farmacodinâmicas com fármacos (1,4). Muitos doentes tomam os medicamentos receitados pelos seus médicos e ao mesmo tempo consomem medicamentos à base de plantas ou preparados à base de plantas. Na maioria dos casos ocultam este facto ao médico, farmacêutico ou outro profissional de saúde (3). Todavia as interações entre fármacos e plantas medicinais são um fenómeno que...

Óleo de copaíba (Copaifera sp.): histórico, extração, aplicações industriais e propriedades medicinais

Pieri,F.A.; Mussi,M.C.; Moreira,M.A.S.
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2009 PT
Relevância na Pesquisa
76.06%
Este trabalho teve como objetivo realizar uma revisão de literatura sobre o gênero Copaifera sp. Foi realizado levantamento bibliográfico do período de 1792 a 2008 utilizando bibliotecas da Universidade de São Paulo, Universidade Federal de Viçosa, Universidade Federal de Alfenas e Universidade José do Rosário Vellano, pesquisas às bases de dados SCOPUS e PubMed, além de ferramentas de busca na web. Utilizou-se para a busca palavras chave como "Copaiba", "Copaifera", "Copaíba oil" "Óleo de Copaíba". Como resultado desta pesquisa obteve-se a seleção de 63 referências incluindo livros, artigos, cadernos técnicos, resumos de congressos, teses, dissertações e patentes. Estes dados apontaram o óleo de copaíba como um exsudato produzido pelas copaibeiras como defesa contra seus predadores, que vem sendo utilizado pela medicina tradicional popular e silvícola há mais de 500 anos. Ele é extraído destas árvores através de perfurações realizadas em seus troncos. Além das inúmeras aplicações do óleo em cosméticos e outras indústrias, ainda há uma série de indicações para seu uso na medicina. Existem hoje descritas algumas dezenas de propriedades medicinais diferentes, que vem sendo em alguns casos comprovadas cientificamente...

Análise tecidual e celular das brânquias de Oreochromis niloticus L. tratadas com extrato etanólico bruto e frações das folhas da pitanga (Eugenia uniflora L.) - Myrtaceae

Fiuza,T.S.; Silva,P.C.; Paula,J.R.; Tresvenzol,L.M.F.; Souto,M.E.D.; Sabóia-Morais,S.M.T.
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2011 PT
Relevância na Pesquisa
76.1%
Eugenia uniflora L. (Myrtaceae) é uma planta que ocorre no bioma Cerrado e é utilizada popularmente no tratamento de diarréias, inflamações, hiperglicemia e hipertensão. Estudos prévios revelaram atividade antimicrobiana da E. uniflora in vitro. Tendo em vista o uso popular, este trabalho objetivou avaliar as possíveis atividades celulares e teciduais sistêmicas do extrato bruto e das frações das folhas dessa planta em brânquias de Oreochromis niloticus L. (tilápia nilótica). Para isso, o extrato etanólico e as frações das folhas dessa planta foram administrados no peixe, por via oral, adicionadas à ração. Após um período de 24 horas, os peixes foram sacrificados e o segundo arco branquial de cada peixe foi dissecado, fixado em formalina neutra, desidratado, incluído em parafina e cortado. Nas análises histológicas, utilizaram-se tricômico de Masson e hematoxilina e eosina (HE). Pelas análises qualitativas na microscopia de luz, concluiu-se que o extrato etanólico bruto e as frações das folhas da E. uniflora apresentaram efeito sistêmico nas tilápias nilóticas atingindo as brânquias. As ações tóxicas como destacamento e descamação do epitélio respiratório e hiperplasia das células do epitélio interlamelar...

Medicamentos Fitoterápicos na odontologia: evidências e perspectivas sobre o uso da aroeira-do-sertão (Myracrodruon urundeuva Allemão)

Machado,A.C.; Oliveira,R.C.
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2014 PT
Relevância na Pesquisa
76.04%
Nas pesquisas com fitoterápicos o uso popular pode sugerir espécies potencialmente importantes, porém, faz-se necessário uma série de estudos, entre eles, a identificação de espécies com comprovada ação farmacológica e/ou substâncias biologicamente ativas. O uso de fármacos fitoterápicos na prática clínica, tratamento e prevenção de afecções de menor severidade vêm sendo reconhecido pelo SUS ultimamente. Apesar da utilização de plantas medicinais na odontologia ser ainda pouco explorada, existe pesquisa científica sobre os efeitos antimicrobiano, analgésico e antinflamatório de algumas espécies, entre elas: óleo de copaíba, extrato de romã, cravo da Índia, malva, tanchagem, amoreira, sálvia, e camomila. Nesta revisão o objetivo foi reunir informação sobre o potencial da aroeira-do-sertão (M. urundeuva All), planta utilizada na medicina tradicional nordestina e em alguns países da América do Sul, como fitoterápico na odontologia. Os extratos de aroeira são obtidos através do preparo das folhas, raízes, entrecasca e casca do tronco e galhos. Da casca de M. urundeuva já foram isoladas: chalconas diméricas: urundeuvina A, B, C, e matosina. Encontramos pesquisas sobre os seguintes efeitos da aroeira-do-sertão: ação antimicrobiana; antiinflamatória/cicatrizante no tratamento de ferimentos; gastrites; úlceras gástricas; cervicites; vaginites e hemorróidas. A aroeira conta com bons resultados em pesquisas que avaliaram o controle de microorganismo relacionado à patologias bucais...

Pesquisa e atividades de extensão em fitoterapia desenvolvidas pela Rede FitoCerrado: uso racional de plantas medicinais e fitoterápicos por idosos em Uberlândia-MG

Machado,H.L.; Moura,V.L.; Gouveia,N.M.; Costa,G.A.; Espindola,F S.; Botelho,F.V.
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/09/2014 PT
Relevância na Pesquisa
86.3%
Este estudo objetivou realizar atividades de extensão em fitoterapia, a partir de um levantamento de dados sobre as plantas medicinais, fitoterápicos e medicamentos convencionais utilizados por 292 idosos frequentadores de um programa de Atividades Físicas e Recreativas para a Terceira Idade (AFRID), na cidade de Uberlândia-MG, utilizando como instrumento de investigação, um questionário semiestruturado. Dentre os entrevistados verificamos que 88% utilizavam medicamentos prescritos, principalmente para o controle da hipertensão. O uso de plantas medicinais foi relatado por 76,7% dos idosos, sendo as mais citadas: Cymbopogon citratus, Mentha sp., Rosmarinus officinalis, Plectranthus barbatus, Ocimum gratissimum, e Matricaria chamomilla. Dezesseis (5,5%) idosos utilizavam fitoterápicos, principalmente preparados a partir de extratos de Ginkgo biloba, Aesculus hippocastanum e Passiflora incarnata em associação com Crataegus oxyacantha e Salix alba. O uso concomitante de plantas medicinais e fitoterápicos com medicamentos convencionais foi relatado por 86,2% e 81,3% dos idosos, respectivamente. Após a análise dos dados percebemos a necessidade do desenvolvimento de ações educativas para informar e conscientizar os idosos sobre o uso da fitoterapia. Elaboramos uma caderneta e uma cartilha para promoção da difusão dessas informações e o aprimoramento do uso da fitoterapia entre os idosos e...

Avaliação da atividade antimalárica e citotóxica de plantas medicinais dos Biomas Caatinga e Amazônico

Oliveira, Aline Mylena Guedes da Costa
Fonte: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas; Biodiversidade; Biologia Estrutural e Funcional. Publicador: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; BR; UFRN; Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas; Biodiversidade; Biologia Estrutural e Funcional.
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
76.1%
Resistance of Plasmodium falciparum to the usual antimalarials, as well as their adverse effects and high cost, has led to the search of new drugs against malaria. Several of these have been developed from medicinal plants based on ethnopharmacology, including the most widely used antimalarials today: quinine and artemisinin. In the present study schizonticide activity of extracts and fractions of a number of medicinal plants from the Caatinga and Amazon biomes were assessed based on ethnopharmacological and chemosystematic information. These included Ximenia americana, Maytenus rigida, Sideroxylon obtusifolium, Stryphnodendro coriaceum, Bowdichia virgiliodes, Schinopis brasiliensis and Picrolemma sprucei, the last, an Amazon species. Antimalarial tests of blood schizonticides were conducted in Swiss mice infected with P. berghei and in vitro against P. falciparum. In vitro cytotoxicity studies were carried out using HeLa, CHO, 3T3, Raw and HEPG2 cell lines. Except for X. americana, all species exhibited in vivo or in vitro antimalarial activity, inhibiting parasitic growth by up to 79%. Extracts exhibited moderate toxicity with dosedependent kinetics. In this sense, ethnopharmacological and chemosystematic approaches were shown to be useful and promising tools in the search of new drugs. These findings represent a significant contribution to scientific knowledge of the antimalarial potential of Brazilian flora...

Simbologia do uso de plantas medicinais por agricultores familiares descendentes de pomeranos no Sul do Brasil; Symbology of the use of medicinal plants by farmers descendants of Pomeranians in Southern Brazil

DELPINO, Gabriela Barcelos
Fonte: Universidade Federal de Pelotas; Enfermagem e Obstetr??cia; Programa de P??s-Gradua????o em Enfermagem; UFPel; BR Publicador: Universidade Federal de Pelotas; Enfermagem e Obstetr??cia; Programa de P??s-Gradua????o em Enfermagem; UFPel; BR
Tipo: Dissertação Formato: application/pdf
POR
Relevância na Pesquisa
76.22%
In all ages and cultures man has learned to take advantage of local natural resources, including the use of medicinal plants. Understanding that each culture is composed of a web of meanings that will guide the actions of men in their daily lives, they will assign different meanings to these symbols present in their culture. Therefore, the symbology of the use of medicinal plants is particular in each culture and can have different meanings. This work aimed to investigate the meanings of the use of medicinal plants to the family farmers descendants of Pomeranians living in S??o Louren??o do Sul / RS and know the symbology of the use of medicinal plants in health care from the perspective of these farmers. The research was qualitative, descriptive and exploratory, held in S??o Louren??o do Sul. This study is part of the research "Bioactive plants for human use by families of farmers from ecological base in southern Rio Grande do Sul", developed by the School Nursing, Federal University of Pelotas and Temperate Climate Embrapa. The study included five farming families descendants of Pomeranians, selected from the snowball methodology, proposed by Goodman. The data collection occurred from January to June 2011. The instruments used were semi-structured interviews...

Plantas medicinais no tratamento do transtorno de ansiedade generalizada: uma revisão dos estudos clínicos controlados

Faustino,Thalita Thais; Almeida,Rodrigo Batista de; Andreatini,Roberto
Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP Publicador: Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 PT
Relevância na Pesquisa
76.06%
OBJETIVO: Revisar os estudos clínicos controlados sobre a efetividade de plantas medicinais/fitoterápicos no transtorno de ansiedade generalizada. MÉTODO: Realizou-se uma busca (Medline, Web of Science, SciELO, Biblioteca Cochrane) por artigos originais utilizando as palavras ["plant OR phytomed* OR extract OR herbal OR medicinal (OR specific name plants)"] AND ("anxie* OR anxioly* OR tranquil* OR GAD"), delimitada a "human OR clinical trial OR randomized controlled trial OR meta-analysis OR review" e à língua inglesa. Os critérios de inclusão foram: estudos randomizados, comparativos e duplo-cegos. RESULTADOS: Foram selecionados sete dos 267 artigos encontrados. O Piper methysticum (kava-kava) foi o fitoterápico mais estudado, sendo sugerido um efeito ansiolítico. Entretanto, a maioria destes estudos incluiu outros transtornos de ansiedade e os dois estudos com transtorno de ansiedade generalizada apresentaram resultados contraditórios. Estudos isolados envolvendo Ginkgo biloba, Galphimia glauca, Matricaria recutita (camomila), Passiflora incarnata e Valeriana officinalis indicaram potencial efeito ansiolítico no transtorno de ansiedade generalizada. A Ginkgo biloba e a Matricaria recutita apresentaram um effect size ('d' de Cohen = 0...

Estudo do sistema de reprodução da fava-d'anta (Dimorphandra mollis Benth.)

Mendes,A.D.R.; Martins,E.R.; Figueiredo,L.S
Fonte: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais Publicador: Sociedade Brasileira de Plantas Medicinais
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/01/2013 PT
Relevância na Pesquisa
76.04%
Entre as plantas nativas de uso medicinal do Cerrado brasileiro encontra-se a fava-d'anta (Dimorphandra mollis Benth) com alto potencial econômico por possuir inúmeras potencialidades medicinais e fitoquímicas. A indústria extrai dos frutos os princípios ativos rutina, quercetina, e ramnose, dentre outros, usados na fabricação de medicamentos e cosméticos, principalmente no exterior. O conhecimento do sistema reprodutivo da espécie é fundamental para sua conservação e manejo. O presente trabalho objetivou determinar as características morfométricas das flores e caracterizar o sistema reprodutivo da D. mollis em área de Cerrado inalterada antropomorficamente, no município de Olhos D'água - MG. Para as características morfométricas, diâmetro da flor, comprimento da flor, do ovário, e da antera, foram utilizadas cinco flores em pré-antese. Para a determinação do sistema reprodutivo utilizou-se a razão pólen:óvulo (P:O), em 40 flores. As flores da D. mollis apresentaram comprimento da flor de 3,00 mm, diâmetro da flor de 2,00 mm, comprimento do óvulo de 2,60 mm, comprimento da antera de 1,57 mm, e o número de óvulos e de anteras foram 20 e 5,8, respectivamente. A razão P:O foi 765,030, sendo que esse índice não é afetado pelas características morfométricas. O sistema reprodutivo da D. mollis foi classificado como alógama facultativa.

Plantas medicinais com a ação antifúngica

Vital, Jemima Aíla Assunção
Fonte: Universidade Católica de Brasília Publicador: Universidade Católica de Brasília
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso Formato: Texto
PT_BR
Relevância na Pesquisa
76.22%
As Plantas medicinais há muito tempo são utilizadas no tratamento de enfermidades e alteração no curso de doenças, muitas vezes sendo o único recurso terapêutico disponível – como no caso de populações que não possuem fácil acesso a serviços de saúde ou medicamentos industrializados. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o consumo de medicamentos à base de ervas e plantas medicinais é hábito comum para aproximadamente 80% da população mundial. Este dado, somado ao fato do Brasil possuir uma grande diversidade de biomas, reforça a importância de explorar moléculas vegetais inovadoras para diversas condições, especialmente doenças fúngicas que possuem altos índices de prevalência e incidência. O presente estudo teve por objetivo discutir a importância do resgate da fitoterapia para o tratamento de infecções fúngicas e apontar espécies de plantas medicinais com tal ação por meio de revisão bibliográfica. Foi observado que as famílias com a maioria de espécies citadas foram as Rutaceae seguida por Myrtaceae e Lamiaceae. Os achados apresentaram extratos vegetais formados por metabólitos secundários possivelmente relacionados à ação antifúngica.; Farmácia

A fitoterapia no SUS e o Programa de Pesquisa de Plantas Medicinais da Central de Medicamentos

Brasil. Ministério da Saúde; Brasil. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos; Brasil. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos
Fonte: Ministério da Saúde (MS) Publicador: Ministério da Saúde (MS)
Tipo: Documento de governo
POT
Relevância na Pesquisa
76.03%
147 p.; Apresenta o processo e o avanço da pesquisa fitoterápica, através do Programa de Pesquisas de Plantas Medicinais (PPPM), cujo desenvolvimento por pesquisadores brasileiros apoiados pelo Ministério da Saúde que tem apresentado progressos significativos a partir da adoção da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde (SUS).

Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos
Fonte: Ministério da Saúde (MS) Publicador: Ministério da Saúde (MS)
Tipo: Documento de governo
POT
Relevância na Pesquisa
86.18%
135 p.; Descreve o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos (PNPMF) que, em conformidade com as diretrizes e linhas prioritárias da Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, estabelece ações pelos diversos parceiros, em torno de objetivos comuns voltados à garantia do acesso seguro e uso racional de plantas medicinais e fitoterápicos em nosso País, ao desenvolvimento de tecnologias e inovações, assim como ao fortalecimento das cadeias e dos arranjos produtivos, ao uso sustentável da biodiversidade brasileira e ao desenvolvimento do Complexo Produtivo da Saúde. O documento dividido em capítulos e seções, visando facilitar a compreensão do leitor, apresenta ações referenciadas pelas diretrizes correspondentes, gestores e envolvidos, prazos e recursos para a implementação da PNPMF, como também composição e atribuições do Comitê Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos responsável pelo monitoramento e avaliação do PNPMF.