Página 1 dos resultados de 694 itens digitais encontrados em 0.050 segundos

Dois encontros entre o marxismo e a América Latina; Two meetings between marxism and Latin America

Cruz, André Kaysel Velasco e
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/07/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.06%
A presente dissertação apresenta os resultados de uma pesquisa comparativa do tema da questão nacional nas obras do historiador brasileiro Caio Prado Jr. e do jornalista e militante peruano José Carlos Mariátegui. Partindo-se da hipótese de que um dos principais dilemas enfrentados pelo marxismo na América Latina foi dar um tratamento adequado à questão nacional no sub-continente, propôs-se que ambos os autores ao abordarem a questão nacional como construção inconclusa da nação deram respostas análogas ao problema e deitaram as bases de um método marxista capaz de dar conta da realidade local. Todavia, foi preciso ir além desse elemento em comum e demonstrar os diferentes modos pelos quais ambos os autores levaram adiante suas empreitadas políticas e intelectuais. Assim, a dissertação dividiu-se em duas partes, em um primeiro momento foi feito uma reconstrução comparada dos contextos históricos do Brasil e do Peru bem como dos diferentes momentos do movimento comunista nos quais ambos atuaram. Já na segunda parte procurou-se cotejar as obras do brasileiro e do peruano em torno de alguns eixos temáticos comuns. Com esta reconstrução interligada de texto e contexto espera-se ter não apenas demonstrado as semelhanças e diferenças do pensamento de Caio Prado e Mariátegui...

Ética, filosofia do direito e crítica: entre o marxismo e a pós-modernidade; Ethics, law philosophy and critics: from marxism to postmodernity

Silva, Silvio Julio da
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 17/05/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.06%
Vivemos, atualmente, uma grande crise econômico-financeira que afeta alguns países do mundo ocidental. Zygmunt Bauman escreveu A ética pós-moderna há mais de duas décadas, denunciando a crise ética que já existia naquela época. Aliás, a própria noção de crise, segundo Bauman, havia mudado de referência semântica, de algo relativo a critério para algo que não vai bem. Tal mudança data da Revolução Francesa acompanhando o desenvolvimento do capitalismo. A expressão pós-modernidade e, depois, modernidade líquida, de que Bauman se utiliza decorre das transformações sociais resultantes do grande progresso tecnológico mundial e, que, nos últimos anos, faz com que tenhamos de viver sempre nos adaptando a transformações de formas de vida cada vez mais efêmeras. Essa denúncia de Bauman coincide com dois aspectos importantes do marxismo: de um lado, uma irracionalidade excludente do modo de produção capitalista, inclusive com a imagem da cobra devorando seu próprio rabo. De outro, a denúncia da Escola de Frankfurt, quanto à razão instrumental. Contrariamente à Escola de Frankfurt, que admitiu entre seus membros considerações psicanalíticas, como as contribuições de Eric Fromm, Wilhelm Reich e Herbert Marcuse...

Marxismo, comunicação e cultura - Raymond Williams e o materialismo cultural; -

Azevedo, Fábio Palácio de
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 25/04/2014 PT
Relevância na Pesquisa
36.06%
O materialismo cultural é uma abordagem metodológica contemporânea em Teoria Cultural. Trata-se de "uma teoria das especificidades da produção material de cultura e literatura dentro do materialismo histórico", conforme define Raymond Williams (1921-1988), um dos principais nomes ligados a essa perspectiva. Fundador da tradição britânica dos estudos culturais, Williams concebe a cultura, na contramão da crítica literária tradicional - de base romântico-idealista -, como produção material da sociedade. O trabalho expõe o sistema de axiomas e categorias do materialismo cultural e investiga as conexões intelectuais e políticas entre o materialismo cultural e a tradição marxista, por meio de um diálogo envolvendo o marxismo clássico e as obras de Gramsci e Raymond Williams. Argumenta-se que o materialismo cultural contribuiu para o avanço da concepção materialista histórica no campo da cultura, permitindo uma ampliação de horizontes e o enfrentamento dos notáveis dilemas que o marxismo sofreu ao abordar problemas da comunicação e da cultura. Mostra-se de que maneira o materialismo cultural pode servir de referência conceitual para as lutas políticas contemporâneas pela democratização da comunicação e da cultura.; Cultural Materialism is a methodological approach in contemporary cultural theory. It is "a theory of the specificities of material cultural and literary production within historical materialism"...

Entre a nação e a revolução: o marxismo de matriz comunista e o nacionalismo popular no Peru e no Brasil (1928-1964); Between nation and revolution: communist Marxism and popular nationalism in Peru and Brazil (1928-1964)

Cruz, André Kaysel Velasco e
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
35.99%
Esta tese tem por objeto as relações entre o marxismo de matriz comunista e o nacionalismo popular no Peru, entre os anos 1920 e19 30, e no Brasil, entre as décadas de 1950 e 1960. Parto da hipótese de que foram essas duas correntes ideológicas concorrentes que plasmaram, entre os anos 1920 e a Revolução Cubana, o universo político-ideológico das esquerdas latino-americanas, em particular, e das classes subalternas do subcontinente, de modo geral. O maior sucesso dos nacionalistas populares em ganhar a adesão dos trabalhadores se deveria à incompreensão dos comunistas em relação à especificidade da questão nacional na região, isto é: o caráter inconcluso da formação das comunidades imaginadas nacionais, tanto pela exclusão da cidadania de amplas camadas populares, como pela dependência externa. Ao longo do trabalho, procurarei demonstrar como essa relação seguiu padrões opostos nos dois países: indo de uma origem comum à hostilidade, no primeiro caso, e do conflito à aliança, no segundo. Explicarei esses padrões divergentes, tanto pelas diferenças entre as respectivas formações sociais, como pelos distintos contextos internacionais, em especial no que se refere ao movimento comunista. Com essa pesquisa comparada...

O marxismo de Caio Prado e Mariátegui: formação do pensamento latino-americano contemporâneo; The marxism of Caio Prado and Mariátegui: the formation os the contemporary latin american thought

Leichsenring, Yuri Martins Fontes
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/03/2015 PT
Relevância na Pesquisa
35.99%
Investiga-se aqui a formação de um autêntico pensamento contemporâneo na América, tendo como eixo o conjunto da obra político-historiográfica e filosófica desenvolvida pelos marxistas Caio Prado Júnior e José Carlos Mariátegui, a partir das primeiras décadas do século XX. Apresenta-se inicialmente um panorama histórico de sua formação intelectual e militância, para então se explanar os traços característicos de suas originais interpretações relativas à questão nacional. Em seguida, verifica-se as convergências e dissonâncias entre as concepções de ambos sobre a história e a política, bem como acerca da filosofia da práxis ressaltando as importantes contribuições dos pensadores à metodologia dialética e à própria ontologia totalizante do marxismo. Para tanto, examina-se vários de seus trabalhos (em distintos campos do saber), expondo-se suas principais proposições científicas e polêmicas intelectuais-revolucionárias, com o intuito de mostrar como suas criativas análises histórico-dialéticas com que confrontam o eurocentrismo cultural e epistêmico então hegemônico alicerçam seus posteriores aportes também no âmbito universal da filosofia começada por Marx, cujo princípio central é a práxis. Colocando-se do ponto de vista da totalidade...

Subjetividade, marxismo e Serviço Social: um ensaio crítico

Duarte,Marco José de Oliveira
Fonte: Cortez Editora Ltda Publicador: Cortez Editora Ltda
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/03/2010 PT
Relevância na Pesquisa
35.99%
A partir da polêmica teórica e política sobre a relação entre marxismo e psicanálise, inauguradao pela perspectiva crítica da Escola de Frankfurt, e tomando como referência o debate acadêmico e o exercício profissional do Serviço Social contemporâneo em que a temática da subjetividade vem se apresentando com forte conteúdo psicologista, o artigo propõe-se a contribuir na superação do tradicionalismo colocando a temática na agenda ética, política e acadêmica no cenário profissional.

Marxismo e elitismo: dois modelos antagônicos de análise social?

Codato,Adriano; Perissinotto,Renato M.
Fonte: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS Publicador: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/10/2009 PT
Relevância na Pesquisa
36.12%
Este artigo contrapõe-se às proposições sobre poder, classe e dominação política de classe elaboradas por uma vertente particular do marxismo - o marxismo estruturalista -, por meio de um diálogo crítico com um de seus autores paradigmáticos: Nicos Poulantzas. Defendemos que, ao contrário do que sugere Poulantzas, a introdução do conceito de "elite" no interior do marxismo teórico pode ser produtiva para o desenvolvimento dessa perspectiva de análise social, tornando a abordagem classista da política operacionalizável cientificamente.

Marxismo e ciência social: um balanço crítico do marxismo analítico

Perissinotto,Renato
Fonte: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS Publicador: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2010 PT
Relevância na Pesquisa
36.12%
Este artigo discute as proposições críticas feitas pelos marxistas analíticos ao marxismo tradicional. Apresenta-se, num primeiro momento, o conteúdo dessas críticas, notadamente no que diz respeito à explicação funcional; num segundo momento, avalia-se em que medida é possível defender esse tipo de explicação; em seguida, discutem-se as propostas metodológicas feitas pelos marxistas analíticos, suas vantagens e limites; por fim, apresenta-se o que, a nosso ver, deve ser levado em consideração dessas críticas para que o marxismo se fortaleça como ciência social.

Os dilemas do marxismo latino-americano nas obras de Caio Prado Jr. e José Carlos Mariátegui

Kaysel,André
Fonte: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS Publicador: Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 PT
Relevância na Pesquisa
36.06%
O objetivo deste artigo é comparar a relação entre o marxismo e a questão nacional nas obras do historiador brasileiro Caio Prado Jr. e do jornalista e militante peruano José Carlos Mariátegui. Parto da hipótese de que ambos compartilham uma leitura análoga da questão nacional, entendida como formação inconclusa da nação, obstaculizada pela persistência do legado colonial. Para tanto, discuto as proximidades e as discrepâncias entre os dois autores por meio de um cotejo de suas obras em torno de cinco problemas comuns: passagem colônia/nação; questão agrária; relação como o imperialismo; burguesia nacional; teoria da revolução. Com esse esforço interpretativo, pretendo demonstrar como ambos contribuíram para superar as dificuldades do marxismo em compreender as realidades latino-americanas.

Benjamin e o marxismo

Konder,Leandro
Fonte: Programa de Pos-Graduação em Letras Neolatinas, Faculdade de Letras -UFRJ Publicador: Programa de Pos-Graduação em Letras Neolatinas, Faculdade de Letras -UFRJ
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2003 PT
Relevância na Pesquisa
36.06%
O objetivo deste artigo é discutir a relação que as idéias de Walter Benjamin mantêm com o marxismo. Para Benjamin, as condições históricas do século XX mostravam no capitalismo uma capacidade de resistência maior do que Marx poderia imaginar: a práxis opõe-se na realidade a uma teorização radical dos socialdemocratas. A maior oposição, entretanto, capaz de separar os dois pensamentos, é a visão messiânica presente na filosofia de Walter Benjamin: mas o verdadeiro Messias acaba por ser a própria humanidade. Benjamin seria filósofo, teólogo ou um teórico que ajudaria a repensar o próprio marxismo?

Thompson y Hobsbawm frente a los dilemas del marxismo historiográfico : concepción de la historia, estrategia teórica y propuesta política; Thompson and Hobsbawm facing Marxist Historiography Dilemmas: Conception of History, Theoretical Strategy and Political Proposal

Erice Sebares, Francisco
Fonte: Murcia : Universidad de Murcia, Departamento de Sociología y Trabajo Social Publicador: Murcia : Universidad de Murcia, Departamento de Sociología y Trabajo Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
36.06%
El artículo analiza en términos comparativos la obra de los dos más conocidos historiadores marxistas británicos, Eric J. Hobsbawm y Edward P. Thompson. Partiendo de su postura respectiva ante los grandes dilemas y algunos problemas centrales de la interpretación histórica (determinación estructural-human agency, historia desde abajo-historia desde arriba, papel de las clases o la cultura), el trabajo reflexiona sobre su distinta apropiación del marxismo en general y de la influencia de Gramsci en particular. También se adentra en sus discrepancias en torno a la implantación política de la Historia, desde el realismo radical que se auto-atribuye Hobsbawm al utopismo romántico que se ha achacado a Thompson. Admitiendo la pertinencia relativa de estas polarizaciones, reflejo de viejas disyuntivas dentro del campo del marxismo, se hacen notar, asimismo, las posiciones comunes de ambos autores o aquellas que suavizan y matizan en la práctica sus diferencias, tanto en la dimensión historiográfica como en la política.; ABSTRACT The paper examines, from a comparative perspective, the work of the two most well known British Marxist historians, Eric J. Hobsbawm and Edward P. Thompson. Taking into account their respective stance on some of the dilemmas and problems of historical interpretation (structural determination-human agency...

La formación de la clase obrera en Inglaterra : E. P. Thompson y la crisis del marxismo; The making of the English working class: E. P. Thompson and the crisis of Marxism

Díez Rodríguez, Fernando
Fonte: Murcia : Universidad de Murcia, Departamento de Sociología y Trabajo Social Publicador: Murcia : Universidad de Murcia, Departamento de Sociología y Trabajo Social
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
36.12%
Este artículo aborda la importante y fundamental obra de E. P. Thompson desde la perspectiva de la crisis del marxismo en los años 1960, y la manera cómo esta crisis se refleja en el autor y en la obra. La novedad y la influencia de la obra más conocida de E. P. Thompson tienen que ser entendidas en este contexto específico y crítico, así como el intento revisionista que lleva a cabo como reacción a la crisis del marxismo. Tal revisionismo nos conduce a su apasionada lectura de William Morris. Mediante ésta, descubre una tradición alternativa al marxismo ortodoxo, tanto para investigar la historia de las clases, como para redefinir su propia idea del anti-capitalismo. Esta tradición alternativa fue considerada por E. P. Thompson compatible con las ideas originales de Karl Marx.; ABSTRACT This article addresses the important and fundamental work of E.P.Thompson from the perspective of the crisis of Marxism in the 1960s, and the way that this crisis is reflected by the author. The novelty and influence of E.P. Thompson’s most well-known work must be understood within this specific, critical context, just as one must understand, contextually, his revisionist attempt which he carried out in reaction to the crisis of Marxism. His revisionist views led to his fervent reading of William Morris. Through this...

Fuegos cruzados: la genealogía del poder de Michel Foucault y el marxismo

Santucho, Marcos Ariel
Fonte: Facultad de Filosofía y Humanidades - UNC Publicador: Facultad de Filosofía y Humanidades - UNC
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:ar-repo/semantics/artículo; info:eu-repo/semantics/publishedVersion Formato: application/pdf
SPA
Relevância na Pesquisa
36.24%
Las relaciones teóricas entre Michel Foucault y el marxismo fueron confusas, algunas caracterizadas por una actitud de acercamiento y afinidad, otras por un distanciamiento y rechazo. En nuestro trabajo abordaremos estas relaciones en el periodo genealógico de la producción foucaultiana, desarrollado durante la década del ’70; etapa en la que se propone investigar las relaciones entre poder y saber, objeto de estudio que lo conducirá a un enfrentamiento con el marxismo. Deleuze, Poster, Dreyfus y Rabinow han identificado y explicitado las críticas parciales a la concepción marxista del sujeto, de la ideología y del poder, que generalmente son recogidas y presentadas en conjunto como los motivos por los cuales Foucault impugna el marxismo. Sin embargo, no se ha explorado aún en profundidad si existe un argumento fundamental por el cual el pensador francés rechazaría el marxismo de manera completa, un argumento desde donde sea posible comprender e integrar todas aquellas críticas parciales. A fin de afrontar este problema, sostenemos las siguientes hipótesis de trabajo: en principio, mantenemos que es posible delinear en Foucault una posición teórica definida y argumentada de completo rechazo del marxismo, vinculada con la pretensión de presentar su genealogía del poder como una matriz válida y eficaz de análisis de las relaciones de poder; por otra parte...

Gabriel Salazar y la “Nueva Historia”. Elementos para una polémica desde el marxismo clásico: (Exposición y Debate)

Fuentes Muñoz, Miguel Antonio
Fonte: Universidad de Chile; Programa Cybertesis Publicador: Universidad de Chile; Programa Cybertesis
Tipo: Tesis
ES
Relevância na Pesquisa
36.06%
La figura del intelectual orgánico. Con la reivindicación de la figura del intelectual orgánico de la clase obrera, que el autor de la presente tesina realiza y despliega a lo largo de su trabajo, se anudan una serie de categorías duramente impugnadas: la del Marxismo como movimiento social revolucionario de la clase obrera; es decir, como unidad de teoría y práctica; la del partido revolucionario de la clase trabajadora y la militancia. Se reivindica con ello la tradición de Lenin y Trotsky, y las revoluciones obreras y procesos revolucionarios que jalonaron la historia del s. XX. Replanteando de este modo en forma teórica la necesidad de la unidad de la teoría y la práctica, la que tan fecunda resultó para el Marxismo en el pasado (comenzando por los mismos Marx y Engels), esta tesina representa un aporte a la discusión política y teórica actual, poniendo sobre el tapete una serie de debates que mantienen vigor y vigencia para la elaboración teórica y la práctica política.

El efecto Foucault, entre el hombre nuevo y la crisis del marxismo

Canavese,Mariana
Fonte: Prismas Publicador: Prismas
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/06/2012 ES
Relevância na Pesquisa
36.12%
Entre la pluralidad de usos que encontraron las elaboraciones de Michel Foucault en la Argentina, una serie de apropiaciones se relaciona con Marx y el marxismo. Una aproximación a algunas de ellas transita necesariamente entre las primeras circulaciones de sus textos a fines de la década de 1950 y las lecturas situadas en los años setenta. Luego cristalizarán usos de las elaboraciones y la cita foucaultianas que, dentro de la problemática abierta por la llamada "crisis del marxismo", oscilan entre la aprobación y el rechazo. Indagamos especialmente algunos de esos usos, en el contexto de apertura democrática, de revisión de la experiencia de masas de los setenta y fuerte distensión de la presencia del discurso marxista en el campo intelectual. Intentamos, así, profundizar los matices que complejizan la división entre un marxismo ortodoxo y los nuevos aires de la teoría crítica marxista, exponer un problema de la recepción de ideas mediante diversos usos estratégicos de dichos discursos entre agentes político-intelectuales en un contexto específico, visualizar los modos en que esas lecturas se articularon con determinadas maneras de interpretar la política y la cultura locales.

El marxismo en el pensamiento de Augusto del Noce

Lasa,Carlos Daniel
Fonte: Tópicos Publicador: Tópicos
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2010 ES
Relevância na Pesquisa
36.06%
El presente artículo hace referencia a la importancia que Del Noce ha otorgado al marxismo en la configuración de la historia contemporánea. Para nuestro autor, la forma de la historia contemporánea está determinada por una filosofía que se ha hecho mundo, cual es la marxista. La referida filosofía ha operado una reforma epistemológica de la mismísima filosofía consistente en el pasaje de una lógica de la comprensión a una lógica de la revolución. Sin embargo, a juicio de Del Noce, en el materialismo dialéctico anida una esencial contradicción, la cual conducirá a su suicidio apenas se vea aquel cumplido. En efecto, los dos momentos del marxismo, el utópico del reino de la libertad y el político de la toma del poder, deben escindirse necesariamente, terminado el segundo por absorber al primero. De allí su suicidio y la heterogénesis de sus fines. Vanamente, dos han sido las líneas que han intentado ir más allá de Marx. Aquella que ha pretendido inverare aMarx (Giovanni Gentile) quitándole el materialismo y que ha desembocado, a través de Antonio Gramsci, en la sociedad de la opulencia; y la otra que, despojando al materialismo dialéctico de la dialéctica, ha terminado en el más absoluto relativismo, representado en las denominadas ciencias humanas y sociales.

Socialismo y marxismo: ¿dos cadáveres? (Regímenes burocrático-autoritarios y marxismo vulgar)

Valenzuela Feijóo,José
Fonte: Colegio de Humanidades y Ciencias Sociales, Universidad Autónoma de la Ciudad de México Publicador: Colegio de Humanidades y Ciencias Sociales, Universidad Autónoma de la Ciudad de México
Tipo: Artigo de Revista Científica Formato: text/html
Publicado em 01/12/2006 ES
Relevância na Pesquisa
36.12%
En el mundo contemporáneo existe una noción muy extendida: el derrumbe de la URSS (y de sus similares) es equivalente al fracaso del socialismo y de la teoría marxista. El autor rechaza este punto de vista y argumenta en favor de: a) el sistema social que se derrumbó en la URSS no era socialista. Este carácter lo perdió antes de 1950; b) la teoría oficial imperante en la URSS representó una brutal deformación del marxismo original; c) el marxismo auténtico conserva su fuerte poder explicativo; d) las realidades del capitalismo contemporáneo obligan a seguir pensando en un orden social post-capitalista.

Marxismo e cultura: contraponto às perspectivas pós-modernas

Teixeira, David Romão; Dias, Fernanda Braga Magalhães
Fonte: Filosofia e Educação Publicador: Filosofia e Educação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Ensaio Formato: application/pdf
Publicado em 10/09/2010 POR
Relevância na Pesquisa
36.06%
Este artigo tem por objetivo apresentar a contribuição do marxismo ao debate sobre a cultura, destacando suas principais orientações e contrapontos ao debate pós-moderno. Expõe um panorama sintético do debate sobre cultura na atualidade, realiza um balanço da análise marxista sobre cultura, destacando as contribuições de Trotski sobre a temática e sua íntima ligação com o contexto revolucionário soviético e europeu de seu tempo. Ressalta a importância de compreender a interdependência dialética entre a cultura e a economia. Concluindo que a análise da cultura no campo do marxismo nos possibilita elencar orientações que demarcam a compreensão da cultura no campo da revolução social.

Marxismo e Fenomenologia nos pensamentos de Paulo Freire

Michels, Lucas Boeira; Volpato, Gildo
Fonte: Filosofia e Educação Publicador: Filosofia e Educação
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; ; Pesquisa bibliográfica Formato: application/pdf
Publicado em 04/07/2011 POR
Relevância na Pesquisa
36.06%
Este artigo, procurou verificar a presença e a influência das correntes filosóficas Marxismo e Fenomenologia em pensamentos do educador Paulo Freire. Neste estudo pôde-se refletir e compreender melhor essas correntes filosóficas e identificar como elas influenciaram o autor na elaboração dos conceitos sobre humanismo e educação. Na Fenomenologia a influência maior está na relação entre mundo/sujeito/coisas, e a busca pela cientificidade da filosofia, afirmando que essa ciência seria capaz de dar as respostas e definitivas aos problemas do conhecimento. No Marxismo encontra fundamento para revelar o antagonismo presente na sociedade capitalista, autora de parte dos problemas sociais do mundo.

MARXISMO E PEDAGOGIA

Saviani, Dermeval
Fonte: Revista HISTEDBR On-line Publicador: Revista HISTEDBR On-line
Tipo: info:eu-repo/semantics/article; info:eu-repo/semantics/publishedVersion; Formato: application/pdf
Publicado em 03/08/2012 POR
Relevância na Pesquisa
36.12%
Partindo dos diferentes sentidos do verbete “socialismo” o artigo aborda as relações entre marxismo, educação e pedagogia para esclarecer o significado da locução “pedagogia socialista” como expressão da teoria marxista da educação. Para tanto o texto foi estruturado em três momentos. No primeiro se explicita o lugar da educação na teoria marxista evidenciando a atualidade dessa corrente filosófica. No segundo momento o texto trata da pedagogia socialista no contexto do marxismo. Finalmente faz-se referência, à guisa de conclusão, à pedagogia histórico-crítica como expressão de uma pedagogia de inspiração marxista.