Página 1 dos resultados de 527 itens digitais encontrados em 0.003 segundos
Resultados filtrados por Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP

Dois encontros entre o marxismo e a América Latina; Two meetings between marxism and Latin America

Cruz, André Kaysel Velasco e
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Dissertação de Mestrado Formato: application/pdf
Publicado em 02/07/2010 PT
Relevância na Pesquisa
37.33%
A presente dissertação apresenta os resultados de uma pesquisa comparativa do tema da questão nacional nas obras do historiador brasileiro Caio Prado Jr. e do jornalista e militante peruano José Carlos Mariátegui. Partindo-se da hipótese de que um dos principais dilemas enfrentados pelo marxismo na América Latina foi dar um tratamento adequado à questão nacional no sub-continente, propôs-se que ambos os autores ao abordarem a questão nacional como construção inconclusa da nação deram respostas análogas ao problema e deitaram as bases de um método marxista capaz de dar conta da realidade local. Todavia, foi preciso ir além desse elemento em comum e demonstrar os diferentes modos pelos quais ambos os autores levaram adiante suas empreitadas políticas e intelectuais. Assim, a dissertação dividiu-se em duas partes, em um primeiro momento foi feito uma reconstrução comparada dos contextos históricos do Brasil e do Peru bem como dos diferentes momentos do movimento comunista nos quais ambos atuaram. Já na segunda parte procurou-se cotejar as obras do brasileiro e do peruano em torno de alguns eixos temáticos comuns. Com esta reconstrução interligada de texto e contexto espera-se ter não apenas demonstrado as semelhanças e diferenças do pensamento de Caio Prado e Mariátegui...

Entre as ruínas do muro: a história da geografia crítica sob a ótica da ideia de estrutura ; Among the ruins of the wall: the history of the critical geography under the perspective of the idea of structure

Pedrosa, Breno Viotto
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 02/09/2013 PT
Relevância na Pesquisa
27.33%
Esta tese busca analisar a história da geografia crítica na França e nos Estados Unidos, principalmente através da concepção de estrutura. A partir de uma compreensão preliminar dos geógrafos anarquistas do século XIX, seguimos para a análise do marxismo e do debate sobre o materialismo geográfico entre geopolíticos e intérpretes do pensamento marxiano na geografia. Após a limitação da possibilidade histórica do desenvolvimento de uma geografia de esquerda na Alemanha, nos voltamos para a análise da geografia francesa que interage com o marxismo devido à resistência ao nazismo e à necessidade de emancipar-se de algumas concepções do pensamento vidaliano. Acompanhamos, então, o rico desenvolvimento da geografia de esquerda como as análises de geografia urbana e econômica, assim como a introdução da temática do subdesenvolvimento. A geografia de esquerda desacelera-se com a crise do marxismo e a ascensão da nova geografia. Contudo, pouco tempo depois, o descrédito da geografia quantitativa, o contexto mundial de lutas revolucionárias e os eventos de maio de 68 fazem surgir a geografia crítica. No caso francês, exploramos as relações entre a geografia de esquerda e o surgimento da geografia crítica; para os Estados Unidos...

Entre a nação e a revolução: o marxismo de matriz comunista e o nacionalismo popular no Peru e no Brasil (1928-1964); Between nation and revolution: communist Marxism and popular nationalism in Peru and Brazil (1928-1964)

Cruz, André Kaysel Velasco e
Fonte: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP Publicador: Biblioteca Digitais de Teses e Dissertações da USP
Tipo: Tese de Doutorado Formato: application/pdf
Publicado em 19/12/2014 PT
Relevância na Pesquisa
37.16%
Esta tese tem por objeto as relações entre o marxismo de matriz comunista e o nacionalismo popular no Peru, entre os anos 1920 e19 30, e no Brasil, entre as décadas de 1950 e 1960. Parto da hipótese de que foram essas duas correntes ideológicas concorrentes que plasmaram, entre os anos 1920 e a Revolução Cubana, o universo político-ideológico das esquerdas latino-americanas, em particular, e das classes subalternas do subcontinente, de modo geral. O maior sucesso dos nacionalistas populares em ganhar a adesão dos trabalhadores se deveria à incompreensão dos comunistas em relação à especificidade da questão nacional na região, isto é: o caráter inconcluso da formação das comunidades imaginadas nacionais, tanto pela exclusão da cidadania de amplas camadas populares, como pela dependência externa. Ao longo do trabalho, procurarei demonstrar como essa relação seguiu padrões opostos nos dois países: indo de uma origem comum à hostilidade, no primeiro caso, e do conflito à aliança, no segundo. Explicarei esses padrões divergentes, tanto pelas diferenças entre as respectivas formações sociais, como pelos distintos contextos internacionais, em especial no que se refere ao movimento comunista. Com essa pesquisa comparada...